Tags:

Editor da Revista Forças de Defesa

11 Comentários para “11ª BIL – Dia do Exército em Campinas”

  1. Autobahnpolizei 19 de abril de 2010 at 20:46 #

    Não sei qual a política do blog a respeito de comentários “off-topic” mas achei que essa carta do presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Congresso ao MPOG deveras pertinente e relevante. Peço aos adminsitadores que não o pubiquem caso julguem o mais adequado a fazer.

    “Senhor Presidente,

    Requeiro, nos termos do art. 50, § 2º, da Constituição Federal, combinado com os arts. 215, I, a, 216 e 217 do Regimento Interno do Senado Federal, as seguintes informações junto ao senhor Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo Silva:

    1. De que forma os cortes que serão impostos pela sua pasta interferem no Orçamento de projetos estratégicos para o país no âmbito do Comando da Marinha. Especificamente:

    a) Programa de construção do submarino nuclear e montagem de um reator a água leve, de pequeno porte, em Aramar, São Paulo;

    b) Licitação em curso para a aquisição de três navios-patrulha de 1.850 toneladas (com mais duas opções em aberto);

    c) Compromissos já firmados com fornecedores para o projeto de helicópteros antisubmarinos Sikorsky SH-60 Seahawk;

    d) Lançamento de licitação para a aquisição de três escoltas de 6.500 toneladas;

    e) Continuação do ProAntar.

    2. Simultaneamente, peço que detalhe o impacto das restrições orçamentárias nos seguintes programas do Comando do Exército e da Aeronáutica:

    e) Desenvolvimento e fabricação de um veículo blindado sobre rodas;

    f) Aquisição de mísseis antiaéreos leves;

    g) Fabricação de helicópteros de transporte médio em Itajubá;

    h) Programa F-X2 para aquisição de uma aeronave avançada de combate supersônica;

    g) Desenvolvimento do avião de transporte médio KC-390;

    h) Continuação do desenvolvimento do Veículo Lançador de Satélites pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), centro de pesquisas do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA).

    JUSTIFICAÇÃO

    Na área de Segurança e Defesa Nacional a política de restrição orçamentária deve seguir critérios cuidadosos, que não interfiram com os interesses maiores do País. Alguns desses programas, como o da aquisição dos navios-patrulha de 1.850 toneladas, são indispensáveis para a proteção das reservas petrolíferas do Pré-Sal. Em outros, como o da compra dos helicópteros SH-60, já houve desembolsos importantes que serão perdidos caso haja descontinuidade no processo. Por último, alguns dos projetos, como o KC-390, da Embraer, permitem ampla geração de empregos por meio de exportação a países interessados. São informações necessárias para que possamos avaliar o impacto dos cortes na progressão da Estratégia Nacional de Defesa, que chegou para exame do Senado depois de aprovada pela Câmara dos Deputados. Por sua relevância política e econômica, solicito que este requerimento seja aprovado.

    Sala da Comissão, 25 de março de 2010

    Senador EDUARDO AZEREDO”

    Obs: Será que haverá resposta?

  2. Vader 19 de abril de 2010 at 23:17 #

    Baita saudade. Parabéns à Brigada Anhanguera. Parabéns ao Batalhão Henrique Dias. Parabéns ao Exército Brasileiro.

    Valeu pela matéria Poggio.

    Sds.

  3. J. \"Jacahead\" da Silva 20 de abril de 2010 at 14:19 #

    Pô BIL é Batalha de Infantaria Leve

    No caso a Brigada é Bda Inf Leve ou Bda Inf L.

    Essa é a nossa Brigada já que o nosso bom é velho 2º BC transformou-se em 2º BIL….só volta virar Aeromovel ou entao continuar assim até a chegada dos MRAP Maxxxpro que vão sobrar do Iraque, já que a unidade esta se especializando em operacoes urbanas e de controle da ordem.

  4. J. Jacahead da Silva 20 de abril de 2010 at 14:26 #

    Brigada é Bda nao BIL que é Batalhão

  5. Tito 20 de abril de 2010 at 21:29 #

    Tem um cara do blog que deve ficar todo orgulhoso de ver esse vídeo, não é Vader? :)

  6. Rodrigo Cesarini 20 de abril de 2010 at 21:57 #

    Servi no 28º quando ainda era infantaria blindada.

  7. Vader 21 de abril de 2010 at 20:45 #

    Rodrigo: o antigo BIBão? Formei-me lá no NPOR 28 BIB.

  8. Torama 21 de abril de 2010 at 23:30 #

    Eu tb servi lá na época do 28º BIB – 3ªCia “Treme-Terra”
    Bons tempos, hehe!

  9. Torama 21 de abril de 2010 at 23:31 #

    A propósito, sou da turma de 97!

  10. Vader 22 de abril de 2010 at 8:43 #

    Torama: Comandante do Batalhão TC Modesto?

  11. Rodrigo Cesarini 22 de abril de 2010 at 11:16 #

    Vader disse:
    21 de abril de 2010 às 20:45

    Rodrigo: o antigo BIBão? Formei-me lá no NPOR 28 BIB.

    Sim, ainda era Bibão, servi em 1994 na 2ª Cia de Fzo(era pé de poeira :-) )

Deixe um Comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

China aumenta seu orçamento militar em 10,1% para 2015

Helicóptero de ataque Z-10

País asiático é o segundo do mundo em gastos com defesa. China realizará desfile militar em Pequim pelos 70 anos […]

Tanques pesados chilenos já disparam em movimento com garantia de acerto

Chile Marder and Leopard 2A4

  Os carros de combate Leopard 2A4CHL das brigadas blindadas do Exército chileno estão recebendo um aperfeiçoamento no sistema giroscópico […]

Kerry defende eventual ação militar para derrubar Assad na Síria

john-kerry-has-been-pushing-for-air-strikes-in-syria

Secretário de Estado deu declaração em reunião com diplomatas do Golfo. Síria enfrenta guerra civil há quatro anos. O secretário […]

‘House of cards’

Desconstrução-do-Brasil

O QUE SE PREVIA NA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL DE 2002 DEMOROU…, MAS ACONTECEU! 1. Na campanha de 2002, analistas nacionais e […]

Os EUA gastam mais em defesa do que os próximos oito países combinados

M1_Abrams_training_in_Iraq

Atualmente, os Estados Unidos da América gastam mais em defesa do que os próximos oito países combinados. As contas de […]

Crime e Castigo

Congresso Nacional

MARIO CESAR FLORES Crise econômica, com a indústria recuando e o PIB estacionário, se não decrescente, na contramão da China […]