Home Asas Rotativas Helibras entrega 16º Fennec para 1º Batalhão de Aviação do Exército

Helibras entrega 16º Fennec para 1º Batalhão de Aviação do Exército

3131
30
O 16º Fennec modernizado ficará na base de Taubaté (SP)

São Paulo, 14 de setembro de 2017 – A Helibras entregou no final do mês de agosto mais um Fennec modernizado para o 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx). Esta foi a segunda aeronave entregue no ano e a 16º do contrato firmado em 2011, que prevê a modernização de 36 unidades.

O helicóptero, na versão militar do tradicional Esquilo, ficará baseado em Taubaté (SP). A aeronave modernizada, que está sendo utilizada no treinamento dos pilotos para familiarização, recebeu um Sistema Glass Cockpit, novos Sistemas de Comunicação e Navegação digital, Piloto Automático dois eixos, novo Braço de Armamento, entre outros.

Em 2017 está prevista ainda a entrega de outras duas unidades modernizadas do Fennec.

Sobre a Helibras
Helibras é a única fabricante brasileira de helicópteros, subsidiária da Airbus, líder mundial nos segmentos aeroespacial e de serviços relacionadas à defesa. Em seus 38 anos de atividades, a Helibras já entregou mais de 750 helicópteros no país. É líder do mercado brasileiro com participação de 50% na frota de helicópteros a turbina e mantém instalações em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Atibaia e Brasília. Sua fábrica, que emprega cerca de 550 profissionais, tem capacidade de produção de 36 aeronaves por ano nas linhas de montagem dos modelos leves (H125 – Esquilo) e pesados (H225). A empresa também customiza diversos modelos que atendem os segmentos civil e militar. Em 2015 a Helibras registrou faturamento total de R$ 521 milhões. Mais informações: www.helibras.com.br.

Sobre a Airbus
A Airbus é líder mundial em serviços aeronáuticos, espaciais e afins. Em 2015, registrou faturamento de € 64,5 milhões e empregou cerca de 137 mil profissionais. A Airbus oferece a mais completa gama de aviões de passageiros de 100 a mais de 600 assentos. É também líder europeia no fornecimento de aviões-tanque, de combate, de transporte e de missão, bem como a empresa espacial número um da Europa e a segunda maior empresa espacial do mundo. Em helicópteros, fornece as mais eficientes soluções em modelos civis e militares em todo o mundo.

DIVULGAÇÃO: Airbus

Defesa Store

30 COMMENTS

  1. Ta ai im Heli que não foi feito para ataque e reconhecimento armado, mas que se bem adaptado como os Gazeles, kiowa, MD-500 e outros se prestaria bem a missão. Coloca ai uns misseis HOT ou Hellfire e sensores eletro-opticos e teremos uma boa maquina! Se quiser o EB faz!

  2. Off-topic:

    Notícia de hoje dada no Estadão e O Globo:
    “Forças Armadas cogitam interromper ajuda ao Rio por atrito com secretaria de segurança
    Recentes críticas de integrantes da Seseg às tropas federais desagradaram comando, que vê ‘ingratidão’; após desentendimento, Ministério da Defesa avalia se compensa gastar R$ 50 milhões para permanência na capital fluminense”
    http://brasil.estadao.com.br/noticias/rio-de-janeiro,forcas-armadas-cogitam-interromper-ajuda-ao-rio-por-desentendimento-com-secretaria-de-seguranca,70002000672

  3. Walfrido Strobel 15 de setembro de 2017 at 13:43
    .
    Em 2011 eram 36 Esquilos para modernizar, mas com as perdas hoje são por volta de 34 unidades entre Eurocopter AS 550 Fennec e Helibras HB 350.

    Walfrido, foram adquiridos 16 Esquilo e 20 Fennec. Desses 36, quatro se envolveram em acidentes, mas suas células foram preservadas e serão recuperadas junt ao programa de modernização. Esquilos e Fennecs serão padronizados e o total voltará a ser de 36 células.

  4. Flanker, obrigado pela informação, agora deu para entender.
    Deve ser uma recuperação faz de conta, com o uso de uma célula usada para não perder o contrato de modernização.
    Como o que fez a empresa belga SABCA para poder modernizar um C-130 da Força Aérea Belga que estava com modernização contratada e caiu o teto do hangar em cima, compraram um C-130 da Ex USAF de uma empresa de transporte de carga para poder modernizar o C-130 matricula CH-13.
    Pois o Fennec que caiu no pantanal em 2010 com a morte de 4 militares pegou fogo, só devem aproveitar a plaqueta de identificação da aeronave, para a Helibras deve ser fácil arrumar uma célula de Esquilo com 30 anos de uso parada, eles mesmo ja devem ter, assim não perdem a modernização.

  5. Concordo que seria interessante uma modernização da aviônica e painel dos helicópteros Esquilo da FAB para o padrão do EB. E, aproveitando o assunto de células velhas estocadas, há meia dúzia de células peladas de Esquilo armazenadas no PAMA-SP.

  6. Walfrido e demais,

    A HELIBRAS havia feito uma proposta para substituir os AS350B (H-50) do acervo da FAB por B3 ou Fenbec, pegando os equipamentos da FAB para revender.

    Quando a HELIBRAS pegou os logbooks das aeronaves e viu a quantidade de boletins (ASB, EASB, etc) que deveriam ser aplicados e a FAB (por opção “logística” – na minha opinião falta de conhecimento aliado a falta de investimento) não o fez, ela desistiu do negócio pois teria que investir muito pra deixar as aeronaves aeronavegáveis no padrão civil (obter o CA para poder vender).

    A FAB não soube seguir o previsto e perdeu a oportunidade.

    Os fennecs com PA e alguma automação seriam sensacionais para instrução básica e a ambientação a um ambiente digital moderno aos pilotos da FAB. Com umas 18 aeronaves (12 em Natal, 03 na AFA e 03 pamasp/GEEV) muitos problemas se resolveriam. Seria um avanço da idade da pedra ao mundo atual da aviação para a FAB, a um custo extremamente oportuno.

    Mas os interesses… deixa pra lá.

  7. Bille, com certeza a FAB teria gasto muito mais nestes helicopteros seguindo boletins das versões civis do que eles valeriam hoje.
    Seria como os C-95 desativados que foram oferecidos a orgãos civis do GF e não interessaram porque teriam que gastar muito para regularizar no padrão da ANAC para poder receber matricula civil.

  8. Walfrido,

    Pode ser que sim. Mas tem que levar em consideração que uma FFAA que tem vetores compatíveis com os de mercado tem que se preocupe em inserir determinada modificações pensando em atualiza-los no futuro.

    Muitas atualizações não foram feitos por conta de gestão. Eram itens de seguranca inclusive. O que aconteceu é que não dá pra vender.

    Por exemplo, a FAB aprendeu com isso nos H-34. Aqueles com condições de voo devem receber o CA para serem vendidos. Vai evitar que aconteça o que houve com os 737 do GTE, que não foram vendidos por falta de certificação. Já estão em negociações pra inspeção dos dois do GTE que foram substituídos pela 725. Dinheiro que entra pra fazer logística.

    Esquilo não é bandeira. Não dá pra misturar alhos com bugalhos. O esquilo ainda é um líder de vendas no seu segmento, ao contrário dos “bandera”.

    Abraço

  9. Bille, tem que avaliar cada caso e ver quando vale a pena ou não adequar os aviões militares aos mercados civis.
    Um heli ou avião com 30 anos deve valer pouco no mercado de usados.
    Mesmo com o Esquilo vendendo até hoje, quanto valeria um com 30 anos de uso na instrução militar em Natal ou um operacional do Poti em Recife operados no litoral.
    Me lembro de um colega que foi CMT do ESM(Esquadrão de Suprimento e Manutenção) da BASV no litoral me mostrando o trabalho de retirada de corrosão em um T-25, me disse que por mais que se esforçassem, era gritante a diferença de conservação de T-25 usado longe da maresia e outro usado no litoral.

  10. Carlos Alberto Soares, vi o vídeo e achei totalmente imprópria a posição do General, não cabe ao Exército sugerir ações do Judiciário e impor limites a sua ação, dizendo que a partir de um ponto deveriam intervir.
    Em um país mais sério ja estaria destituido de sua função e até preso.

  11. Prezado Walfrido
    Não sei o quanto foi exposto do vídeo, mas, pelo q assisti, no fundo, dá pra entender o que quiser. Ele disse que o EB está pronto pra intervir. Como intervir? Está na Constituição. Por iniciativa de qualquer dos Poderes Constitucionais. Ou seja, se em última instância, o Judiciário não resolver, ele (o Judiciário) pode acionar as FFAA para garantir que ele (o Judiciário) resolva. Mas por que o Judiciário? Porque é o último na “linha sucessória” a Presidência da República.
    Se depois do PR e VicePR, os Pres da Câmara e Senado não puderem assumir, sobra o Presidente do STF. Se esse não conseguir resolver, quem resolve, se não há previsão constitucional pra isso? Logo, as FFAA devem garantir q, em última instância no sanhaço total da nação, esta instituição (Presidente do STF) consiga governar.
    Quanto sua função, ele era Cmt Militar de Área, normalmente a função dos 4 estrelas mais modernos, e, depois de 2 anos, subiu pro STF. O STF é o “dono do dinheiro” do EB. Não é um mero cargo administrativo. Talvez, depois do Ch do EME, seja o mais importante “cargo administrativo” da Força.
    Dizer q foi afastado da função pelo q disse, pelo q sei, é coisa de jornal, por que?
    Porque o Gen Mourão tem esse perfil desde sempre. Se fosse motivo de punição, nem Gen Bda ele sairia.
    Ele é extremamente competente.
    Sds

  12. Agnelo, ele é competente, tem uma carreira brilhante mas fala demais e gosta de provocar situações contrangedoras para o CMT do EB.
    Agora foi noticiado que foi convocado a se explicar para o Min. def e o CMT do EB.
    A homenagem que fez ao Cel. Ustra em Porto Alegre foi totalmente inadequada e fora de hora.

  13. Voltando a falar do Esquilo modernizado……….
    .
    Com essa modernização, especialmente com os novos sistemas embarcados e o novo braço de armamentos, o uso de armamentos inteligentes (guiados) dará ao helicóptero um nova e boa capacidade de ataque. É claro que ainda será um helicóptero adaptado a esta missão, mesmo assim será um bom avanço. Só acho que poderia ter sido algo ainda melhor, talvez parecido com isto: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSoAlqNLlah9yCr48UoyBbhJw7NeVE3ftHtoPjIBbYpRbjP6FVFZlRwvkUiLg
    .
    Até mais!!! 😉

  14. Strobel, esse teu comentário parece até comentário de vermelho. Esqueceu que foi oficial da FAB? O país tá uma zona, e ao contrário do que diz “Vidas Boas”, as instituições NÃO ESTÃO FUNCIONANDO NORMALMENTE. Vide o acordo estranho do Janot “Vovó Mafalda” com a JBS. E o procurador Marcelo Miller que embolsou parte dos 25 milhões de dólares do acordo? Parabéns ao Gen Mourão. A esquerda tá em polvorosa, morrendo de medo. Milico não é, nem deve ser, vaca de presépio. Acho que você cursou outra AFA diferente da minha. Já se apaisanou.

  15. Cel. Rinaldo Nery, nós cursamos a AFA em tempos diferentes, a minha turma entrou nos anos 80 e não recebeu nenhuma doutrina política, seja de direita ou esquerda.
    Os instrutores diziam que nos anos 70 eram doutrinados contra a esquerda, nos acampamentos anos 70 com treinamento de ação e reação o inimigo eram os “vermelhos” e usavam “slogans” comunistas.
    Alias nem história nossa turma teve, não se tocava no assunto política ou esquerda, além de história não fazer parte das matérias cobradas no exame de admissão, tambem não foi ministrada nos quatro anos de curso.
    Uma vez um colega que gostava do assunto e foi da EsPCEx perguntou porque não era dadas aulas de história na AFA, pois no Exército se dava muita enfase ao assunto e um Oficial do Departamento de Ensino disse que o EB gosta de história, a FAB pensa para a frente.
    Vejam a diferença do Forte e do Poder Aéreo, os usuários do Forte são muito mais voltados a assuntos históricos e políticos. Claro que também são abordados assuntos históricos no Poder Aéreo pelos editores.
    Não sei como é hoje o plano de ensino da AFA.

  16. Só como curiosidade:
    Dei uma pesquisada agora a mesmo hoje a situação do exame de admissão não mudou em relação a história e geografia e também quimica.
    .
    Para entrar na AMAN, que hoje é via EsPCEx, o candidato deve ter que ter concluido o ensino médio ou estar no ultimo ano e fazer prova de:
    Português
    Inglês
    Redação
    Física
    Química
    Matemática
    Geografia
    História
    .
    Para entrar na AFA deve ter concluido o ensino médio ou estar no ultimo ano e fazer prova de:
    Língua Portuguesa;
    Física;
    Matemática;
    Língua Inglesa;
    e Redação.

  17. Strobel, nós fomos contemporâneos na AFA. Não queira ensinar o padre a rezar a missa. E muita gente da minha turma serviu com você em Recife. Já fiz alguns levantamentos de sua passagem por lá.

  18. Senhores administradores do site, gosto muito do Trilogia, hoje a fonte sobre assuntos que muito me interessam, mas como ávido leitor gostaria de dar uma sugestão sobre a área de comentários. Esta matéria é técnica, porém os comentários que não tem absolutamente nada a ver com o assunto(os “off topic”), deveriam ser retirados para não termos discussões atravessadas. O assunto que era sobre a atualização do modelo virou até lavagem de roupa suja e de forma até sutil propaganda sobre o que aconteceu no nosso passado e que só deveria ser lembrado para nunca mais acontecer.

    • Mosczinsky, os editores do site (não edito mais, apenas colaboro, mas sei como é por ter feito isso por mais de 8 anos) fazem o possível. O tempo é escasso e nem sempre é possível intervir quando a discussão descamba. Apagar comentários, meses depois, apenas como limpeza, não faz muito sentido.

      Mas agradeço em nome dos editores a sugestão e a preocupação. Cabe aos comentaristas contribuir para manter a discussão em alto nível.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here