Home Noticiário Internacional Intervenção militar estrangeira na Venezuela deve ser considerada

Intervenção militar estrangeira na Venezuela deve ser considerada

6341
129
Soldado venezuelano montado sobre um blindado dispara um míssil antiaéreo Igla 

RICARDO HAUSMANN
DO PROJECT SYNDICATE, EM CAMBRIDGE

Conforme pioram as condições na Venezuela, as soluções que agora devem ser consideradas incluem o que antes era inconcebível.

Uma transição política negociada continua sendo a opção preferida, mas a intervenção militar por uma coalizão de forças regionais talvez seja o único meio de pôr fim à penúria causada pelo homem que ameaça a vida de milhões de venezuelanos.

A crise venezuelana se move impiedosamente do catastrófico para o inimaginável. O nível de pobreza, sofrimento humano e destruição chegou a um ponto em que a comunidade internacional deve repensar como pode ajudar.

Dois anos atrás, adverti sobre a aproximação de uma penúria na Venezuela semelhante à da Ucrânia em 1932-33. Em 17 de dezembro, o “New York Times” publicou na primeira página fotos desse desastre causado pelo homem.

Em julho, descrevi a natureza sem precedentes da calamidade econômica na Venezuela, documentando o colapso da produção, da renda e dos padrões de vida e saúde.

Provavelmente a estatística mais reveladora que citei foi que o salário mínimo medido pela caloria mais barata disponível caiu de 52.854 calorias por dia em maio de 2012 para apenas 7.005 em maio de 2017 —insuficiente para alimentar uma família de cinco pessoas.

Desde então, as condições se deterioraram drasticamente. No mês passado, o salário mínimo havia caído para apenas 2.740 calorias por dia. E a oferta de proteínas é ainda menor. A carne de qualquer tipo é tão rara que o preço de um quilo no mercado equivale a mais de uma semana de trabalho pelo salário mínimo.

As condições de saúde também pioraram, devido a deficiências nutricionais e à decisão do governo de não fornecer preparado lácteo para bebês, vacinas comuns contra doenças infecciosas, remédios para pacientes soropositivos, transplantados, com câncer e que fazem hemodiálise, além de suprimentos gerais para hospitais.

Desde 1º de agosto, o preço do dólar ganhou mais um zero, e a inflação superou 50% ao mês em setembro.

Segundo a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), a produção de petróleo diminuiu 16% desde maio, ou mais de 350 mil barris por dia. Para conter o declínio, o governo do presidente Nicolás Maduro não teve ideia melhor que prender cerca de 60 gerentes graduados da companhia de petróleo estatal, PDVSA, e nomear para sua direção um general da Guarda Nacional sem experiência no setor.

Em vez de tomar medidas para pôr fim à crise humanitária, o governo a está usando para reforçar seu controle político. Recusando ofertas de ajuda, ele gasta seus recursos em sistemas militares de controle de multidões, fabricados pela China, para conter os protestos.

OPOSIÇÃO ENFRAQUECIDA

Muitos observadores externos acreditam que, conforme a economia piorar, o governo perderá poder. Mas a oposição política organizada está mais fraca do que estava em julho, apesar do maciço apoio diplomático internacional.

Desde então, o governo instalou uma Assembleia Constituinte inconstitucional com plenos poderes, descredenciou os três principais partidos de oposição, removeu prefeitos e deputados eleitos e roubou três eleições.

Com todas as soluções consideradas impraticáveis, infactíveis ou inaceitáveis, a maioria dos venezuelanos deseja que algum “deus ex machina” os salve da tragédia.

O melhor cenário seria o de eleições livres e justas para escolher um novo governo. Esse é o plano A da oposição venezuelana, organizada em torno da Mesa da Unidade Democrática (MUD), e que está sendo buscado em negociações que transcorrem na República Dominicana.

Mas é um desafio à credulidade pensar que um regime que se dispõe a matar de fome milhões de pessoas para continuar no poder o entregará em eleições livres.

No Leste Europeu nos anos 1940, os regimes stalinistas consolidaram o poder apesar de perderem as eleições. O fato de que o governo Maduro roubou três eleições só em 2017 e bloqueou a participação eleitoral dos partidos mais uma vez, apesar da enorme atenção internacional, sugere que o sucesso é improvável.

Um golpe militar doméstico para restaurar o regime constitucional é menos palatável para muitos políticos democráticos, por temerem que muitos soldados possam não retornar aos quartéis depois.

Mais importante, o regime de Maduro já é uma ditadura militar, com oficiais encarregados de muitos órgãos do governo.

Os oficiais mais graduados das Forças Armadas são corruptos até a alma, tendo-se envolvido há anos em contrabando, crimes monetários e propinas, narcotráfico e mortes extrajudiciais que, em termos per capita, são três vezes mais presentes que nas Filipinas de Rodrigo Duterte. Oficiais decentes estão se demitindo em grande número.

As sanções dos EUA estão prejudicando muitos dos mafiosos que governam a Venezuela. Mas, medidas nas dezenas de milhares de mortes evitáveis que ocorrerão e nos milhões de refugiados venezuelanos a mais que criarão até gerar o efeito desejado, elas são, na melhor das hipóteses, lentas demais. Na pior, não funcionarão. Afinal, tais sanções não levaram à mudança de regime na Rússia, na Coreia do Norte ou no Irã.

INTERVENÇÃO MILITAR

Isso nos deixa com uma intervenção militar internacional, uma solução que assusta a maioria dos governos latino-americanos por causa do histórico de atos agressivos contra seus interesses soberanos, especialmente no México e na América Central.

Mas essas talvez sejam as analogias históricas erradas. Afinal, Simón Bolívar ganhou o título de libertador da Venezuela graças à invasão em 1814 organizada e financiada pela vizinha Nova Granada (atual Colômbia). França, Bélgica e Holanda não conseguiram se libertar do regime opressivo entre 1940 e 1944 sem a ação militar internacional.

A implicação é clara. Conforme a situação na Venezuela se torna inimaginável, as soluções a se considerar se aproximam do inconcebível.

A Assembleia Nacional devidamente eleita, onde a oposição detém maioria de dois terços, foi inconstitucionalmente despida de poder por uma Suprema Corte nomeada inconstitucionalmente. E os militares usaram seu poder para suprimir os protestos e forçar ao exílio muitos líderes, incluindo juízes da Suprema Corte eleitos pela Assembleia Nacional em julho.

No que se refere a soluções, por que não considerar a seguinte: a Assembleia Nacional poderia declarar o impedimento de Maduro e do vice-presidente Tareck El Aissami, narcotraficante e sancionado pelos EUA.

A Assembleia poderia indicar constitucionalmente um novo governo, que por sua vez poderia pedir ajuda militar a uma coalizão de países dispostos, incluindo latino-americanos, norte-americanos e europeus.

Essa força libertaria a Venezuela, assim como canadenses, australianos, britânicos e americanos libertaram a Europa em 1944-45. Mais perto de nós, seria como quando os EUA libertaram o Panamá da opressão de Manuel Noriega, instalando a democracia e o mais rápido crescimento econômico da América Latina.

Segundo o direito internacional, nada disso exigiria a aprovação do Conselho de Segurança da ONU (o que a Rússia e a China poderiam vetar), porque a força militar seria convidada por um governo legítimo buscando apoio para o cumprimento da Constituição do país. A existência dessa opção poderia até melhorar as perspectivas das atuais negociações na República Dominicana.

Uma implosão na Venezuela não é do interesse da maioria dos países. E as condições lá constituem um crime contra a humanidade que deve ser detido por razões morais.

O fracasso da Operação Market Garden em setembro de 1944, imortalizada no livro e no filme “Uma Ponte Longe Demais”, levou à penúria nos Países Baixos no inverno de 1944-45. A fome na Venezuela hoje já é pior. Quantas vidas devem ser destruídas antes que chegue a salvação?

RICARDO HAUSSMANN, ex-ministro do Planejamento da Venezuela (1992-1993) e ex-economista-chefe do Banco Interamericano de Desenvolvimento, é diretor do Centro para Desenvolvimento Internacional da Universidade Harvard.

Tradução de LUIZ ROBERTO MENDES GONÇALVES

FONTE: Folha de São Paulo

129 COMMENTS

  1. Deixa ficar igual a Coréia do Norte, é muito bom uma Venezuela aqui no continente…a classe média e os ricos da venezuela já devem ter sumido do país há bastante tempo. Os pobres como sempre que vão sutentar o rei e a nobreza. Está na hora dos povos aprenderem a conviver com populismo, a melhor forma de aprender é na pele, vivem caindo dessa conversa de comida grátis.

  2. Kkkk ..Mais um ” ispicialista “, aposto minha cabeça que esta intervenção militar não vai acontecer nos próximos 500 anos…
    Tem que arrumar um jeito de atingir Maduro e derruba lo, ou ate mesmo pendura lo numa forca; sem fazer do país uma nova Líbia ou Iraque..

  3. Quando o ovo da serpente venezuelana surgiu, o Brasil se alinhava ideologicamente a ele e financiou o desenvolvimento daquele ofidário que se transformou a Venezuela. Hoje não é o caso mas o Brasil está mediocrizado geopoliticamente na região por conta de sua classe política devastada em meio ao lamaçal da corrupção e das condenações judiciais.

    A intervenção de uma coalizão internacional sob mandado da ONU pareceria necessária, tivéssemos líderes mundiais e organizações multilaterais à altura dessa decisão, o que não temos hoje em ambos.

    Não há como me abster do assunto, assim as eleições majoritárias brasileiras de 2018 poderão dar uma solução para o caso, se for eleito um líder nacional política e moralmente forte e capaz…

  4. A questão é que os países da América do Sul são tão pobres, desorganizados e famintos igual ou pior que a Venezuela.

    Uma vez li que o Brasil não seria capaz de enfrentar uma hora de combate em larga escala, devido a escassez de suprimentos, munição e combustível para seus veículos.
    Sobre a força área e marinha, a disponibilidade das aeronaves e navios é em média inferior a 40%.

    Leio muitos ” especialistas” comentando que a Venezuela é um país vulnerável. Mas pelas informações da Janes Defense a Venezuela possuiu os melhores equipamentos e em maior quantidade que os demais países da região. SU-30, AK-102, T-90, MI-35 etc.

    Com base nestes dados, acredito que somente os Estados Unidos são capazes de resolver esta situação, via invasão militar.

  5. Ozawa 3 de Janeiro de 2018 at 15:48
    Verdade…
    O pior pode acontecer ser essa tal de ONU (um lixo) utilizar os militares brasileiros como gado de manobra para “invadir” a Venezuela. Tem tudo para esse apodridão chamado ONU utilizar do seu poder para jogar brasileiros contra venezuela, bem nos moldes dessa organização racista, aliás, a ONU virou uma instituição especialista em incitar guerras civis.

  6. Para Venezuela só vejo 2 opções: Intervenção Militar do próprio pais ou Intervenção da ONU através de uma resolução votada em Conselho Geral (G8).
    Ao meu ver a segunda opção seria a mais correta , pois esse tal de Nicolas Maduro seria caçado, preso e julgado em Aia (Convenção de Genebra), contra crimes para com a humanidade.

  7. Só haverá intervenção externa na Venezuela se num ato tresloucado, Maduro atacar um de seus vizinhos.

    E isso mesmo com sanções econômicas não serem funcionais em regimes policialescos. Elas não impediram os Castro de se adonar de Cuba, nem os narcotraficantes de se adonarem da Venezuela.

    O que vai ocorrer lá é guerra civil. Talvez quando esta eclodir, daí a dita oposição receba ajuda militar externa e consiga combater os bolivarianos, o que significa MATAR milhares deles que compõe as milícias de Maduro, o chavismo e o aparelho de informação policial montado no melhor modelo cubano.

    Maduro comprou 100.000 fuzis AK47 num lote anos atrás, e “coincidentemente” estas armas passaram a armar o narcotráfico brasileiro como nunca dantes. OU seja, seu regime recebe ajuda
    de traficantes do mundo inteiro e os ajuda, o que complica a situação, porque tornará a guerra ainda mais sangrenta.

  8. http://www.forte.jor.br/2018/01/03/intervencao-militar-estrangeira-na-venezuela-deve-ser-considerada/
    Um regime ditatorial socialista venezuelano com apoio da China e com a presença da Rússia fora a coligação partidária de golpe as democracias que reúne os partidos socialistas chamado de foro de São Paulo, improvável; a não ser que aja um movimento dentro das forças armadas para retira-lo a força e neutralizar e desarmar as fontes de apoio ao regime como os militantes coletivos.

    Contudo deveria pegar os militantes, políticos, jornalistas, universitários e professores da esquerda socialista progressista no Brasil enviando todos a Venezuela para curtirem as maravilhas democráticas, inclusivas do socialismo que tantos defendem.

  9. A questão é: quem lideraria essa invasão? NENHUM país latino-americano tem capacidade para tal, nem em meios muito menos em logística e recursos financeiros. Só o dinheiro que seria gasto levaria a maior economia da região, a já alquebrada Banânia ao completo colapso. Restariam nossos irmãos ianques, mas seria dar de mão beijada ao ditador a narrativa do inimigo externo. Seriam repudiados não só dentro da Venezuela, mas também nos países vizinhos (até mais do que no primeiro, acredito).

  10. Os dados do articulista estão defasados.
    O “presidente” Nicolás Maduro reajustou o salário mínimo do seu país a partir de primeiro de janeiro em 40% (inflação até novembro estava em 1.369%). O novo salário mínimo será de 248.510 bolívares. Esta montanha de dinheiro vale o mesmo que R$10,00. Isso mesmo, DEZ REAIS.
    Nós já estamos fazendo a nossa parte, recebendo, mesmo que mal e porcamente, os refugiados que atravessam a fronteira em Roraima.
    Mais não podemos fazer, porque nossa cleptocracia está às voltas com investigações e processos que abrangem todos os níveis e esferas do “puder”. Saúde e segurança estão uma calamidade (pra não falar no resto). Que moral temos para intervir nos nossos vizinhos venezuelanos?

  11. Muitíssimo improvável. O Brasil q teria capacidade está um caos em meio à crise econômica e de segurança pública.
    EUA intervir daria de mão beijada motivos mil pra esquerda latina espernear infinitamente e até apoiar Maduro.
    A Venezoela tem de se resolver por ela. Talvez… Talvez… com apoio de SOF pra depor o regime. Neste sentido, uma intervenção velada. O q é, como já mencionei em matérias anteriores, muito fácil, dado o ambiente totalmente favorável a uma revolta.
    Mas, depois de deposto, como estruturar um Estado totalmente dependente do petróleo, q está barato, e q está há anos depauperado por este governo podre?
    Resultados só anos e anos depois….

  12. E lá vão os fanboys apoiarem a intervenção militar na Venezuela. Não sabem o vespeiro que estão me metendo: a “Síria” estará aqui, pertinho da gente. Quantos de vocês vão conseguir refúgio em Miami, caso uma calamidade desse monte ocorrer aqui na AM?

  13. Detesto o Maduro e seu governo crimino,mas essa materia viajou legal em…primeiro que foi bastante idealizada,como se uma intervenção de paises contra uma nação soberada nao desse a ela o respaldo da legislaçao internacional para se utilizar da forca para defesa,isso levaria a milhares de mortos em ambos os lados do conflito,alem de causar uma onda migratoria nunca vista na historia recente de america e desestabilizar toda a economia do continente. Parece que esse idiota que escreveu o texto ignora completamente a situacao de paises em que essa estrategia foi utilizada(siria,ucrania,iraque,libia,etc..). Nao tem o menor cabimento,ele ainda menciona o G8 ! Kkkkk o cara acha que estamos em 1980,o G8 atualmemte esta desmoralizado,seus paises membros nao mandam mais em merda nenhuma,so na economia metade dos paises encontrasse em crise economica,se ele tivesse falado G20 eu até entenderia,mas G8 é querer fazer piada. O que me leva tambem a lembrar que o ignorante desconsiderou completamente um bastante provavel apoio da Russia e da China(ambas possuem investimentos e aquisicoes no pais,e nunca permitiriam perder um mole desse). Enfim,mais uma materia escrito por um “especialista de banca de jornal” que acha que vive em um mundo de 40 anos atras

  14. Intervenção na Venezuela?KKKKKKKK! A China e a Russia não vão deixar! Por que vocês acham que os poderosos americanos nunca invadiram Cuba?! A força de um país não está só em suas armas, mas em suas alianças, e a Venezuela garantiu ter fortes aliados. A estrategia dos EUA sempre foi induzir um conflito entre países da America do Sul, especialmente o nosso, e a Venezuela; mas nossas forças armadas não dão conta, pq são “projetadas” apenas para proteger essa classe política pobre contra a insatisfação da população e não para proteger a nação, quanto mais ir pra guerra!

  15. Imaginem o PT ainda no poder por aqui, estariam organizando uma força militar de defesa pra defender a Venezuela do imperialismo ocidental

  16. Não creio que seja uma empreitada para nos devido às nossas condições atuais,se os EUA se meterem vai dar de mão beijada o argumento para a esquerda mundial espernear infinitamente,o melhor que os países podem fazer é armar a oposição,uma intervenção da ONU poderia até ser mas duvido que a ONU tenha culhoes para isso.

  17. Sem a USAF e os Marines: sem chance.

    Na Venezuela falta comida mas os paióis estão cheios.

    E eles tem Flankers rsrs

  18. Com uma intervenção estrangeira na Venezuela, as orações de Maduro seriam atendidas e teríamos um banho de sangue devidamente explorado ideologicamente pela esquerda demente-psicodélica latino-americana.
    Alguns mêses atrás citei aqui mesmo essa possibilidade. O sonho de TODO ditador é eleger um inimigo externo para aglutinar o esforço nacional e concentrar mais poder nas mãos. É fácil enganar o povo, basta prometer e apontar um caminho, mesmo que seja um penhasco, todos pularão.
    O povo venezuelano está pagando por anos de nacionalismo de bravatas, populismo de fanfarronices e delírios de idolatria. Ainda virá o pior, acreditem. Depois do caos sobrevem o colapso e após esse, o imponderável e o inimaginável. A Venezuela ainda está na fase do caos, infelizmente.
    O populismo venezuelano, para sua desgraça, conta com a participação das Forças Armadas que se venderam a um ditador em troca de privilégios, propinas e poder paralelo. Os militares tornaram-se cúmplices dessa desgraça e se reduziram ao papel de capangas.
    Trairam o povo e a pátria!
    Agora tratarão de reprimir a sociedade e exercer seu papel de carrascos, tornando-se indignos e infames!
    Veremos um genocídio, fiquem certos disso. Uma verdadeira tragédia humana se aproxima e muito sangue será derramado na Venezuela. Espero ver Maduro enforcado em praça pública, mas até lá muitos morrerão de fome e desespero.

  19. O colapso da Venezuela é menos “desestabilizante” para a economia do subcontinente do que uma guerra aberta para depor Maduro. Ainda bem que os políticos sabem disso.

    A chance de uma intervenção ocorrer por mãos latino-americanas é ZERO.

    Quanto aos países desenvolvidos, eles não dão a mínima para a Venezuela. Sem essa conversa de intervenção americana ou defesa russo-chinesa, os três abandonariam a Venezuela a própria sorte em qualquer cenário(como estão de fato fazendo).

    Quanto ao autor, eu entendo os motivos dele desejar que isso aconteça.

  20. Não entendi uma intervenção como Síria ou Ucrânia, mas como as intervenções na África, para evitar matança de civis em uma revolta.

    Os EUA não invadiram a Venezuela, porque não querem e não precisam. Basta deixar de comprar o petróleo deles e comprar de outro ou usar as próprias reservas q são imensas.

    A Rússia e a China tem interesse e capacidade de manter forças tão longe? Mal e mal a Rússia manteve na Síria…

    A única intervenção q acredito q seria viável por alguém com interesse é uma Op Esp, já q o “terreno” humano lá é extremamente favorável. Cabe salientar q, na América só EUA e Brasil tem capacidade de operar Ações Indiretas, e ambos não tem interesse nenhum em atuar lá.

  21. Não sou a favor de maduro,mas achei a posição do Brasil errônea no campo diplomático,O Brasil tem que consolidar como maior pais da américa latina,interferindo sim diplomaticamente,mandando observadores para as eleições.até ajuda humanitária sim .Dúvido que maduro quereria uma guerra com o Brasil,falta dialogo sim,a oposição na Venezuela e fraca sim.

  22. Concordo com a interpretação do Agnelo. O articulista é ex ministro de governo cuja força política está na oposição ao regime de Maduro. Ele é uma voz da oposição no “exílio” europeu.

    Seu pedido de intervenção estrangeira por forças regionais ou de outros continentes se aproxima do que acontece frequentemente no continente africano. Mas lá a instabilidade é muito maior e historicamente, a violência das guerras civis também.

    Acho muito difícil acontecer qualquer tipo de intervenção na Venezuela. As superpotências tem mais com o que se preocupar no Oriente Médio e principalmente no Pacífico. Os países em desenvolvimento da região, incluindo o Brasil, não tem condições de intervir. Vai rolar no máximo, cada vez mais retaliação econômica e sanções.

    Só os venezuelanos podem resolver o seu problema.

    No mais, as teses mirabolantes que apareceram por aí, em comentários anteriores, dizendo que o PT ia usar as forças armadas para lutar contra os imperialistas estrangeiros, em defesa do foro de São Paulo. Puro bla bla bla. Lenga lenga. As forças armadas, a declaração de guerra, atuação de força expedicionária em solo estrangeiro, tudo isso está escrito passo a passo como funciona na constituição. E não basta um desejo de um presidente ou de um partido para que a coisa aconteça (coisa que o PT nunca desejaria também pois nunca se colocou contra o mercado e seus desejos). Esse é o primeiro ponto da viagem na maionese. O segundo é o poder que vocês acham que o “Foro de SP bolivariano” tem, pois na verdade não tem nada. O medo irracional que parte das pessoas tem me dá motivos pra risadas. O terceiro é botar a esquerda brasileira toda na mesma sacola como se fossem a mesma coisa, já falo aqui a tempos sobre isso, mas não adianta então ando calado.

  23. Kkkkkkkkk
    Uma coalizão latina americana para invadir a Venezuela, possivelmente liderada pelo Brasil, lógico, que é o mais rico e tem um governo de direita alinhado com os EUA. Então temos aí uma grande oportunidade para os eleitores do Bolsonaro se alistarem e combaterem os comunistas venezuelanos. Sem essa de caças Su 30 ou mbt T 72, essa guerra seria eminentemente dentro da floresta, ou seja, homem a homem, um grande momento para os bolsominions mostrarem sua coragem e bravura. O financiamento os EUA garantem. Vou esperar deitado essa intervenção, kkkkkkkkk que comece o alistamento dos corajosos de teclado, dos eleitores de Bolsonaro e Malafaia. Desde já, declaro meu apoio ao Brasil, e não somente vou torcer pelos bolsominions, como tb me proponho a pagar uma contribuição de guerra em dinheiro.

  24. Essa comparação entre Brasil-PT e Venezuela é uma grande imbecilidade.

    A Venezuela hoje tem muito mais semelhanças com o Regime Militar Brasileiro do que o governo Petista.

    A começar pela inflação, passando pela repressão e finalmente chegando ao protagonismo dos Militares na política.

  25. Qualquer pais que se recuse a seguir a cartilha de Washington deve ser invadido. Na impossibilidade, sabotado. Na impossibilidade de sabotagem ou invasão (caso de China e Russia), demonizado.

    Isso tem mais de um século vem desde a época da Aliança para o Progresso.

  26. Acho que o governo da Venefavela vai cair de “maduro”. Nem precisa intervir. Já chegaram no limite. Aquilo vai explodir. É provável que, lá, ocorra outra “missão de paz” da ONU, tipo Minustah.

  27. Mandar o Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil entre outros lá para Venezuela, deve estar do jeito que eles gostam rsrsrs.

  28. Se nao me engano nossa constituição proíbe o Brasil de atacar qualquer pais caso nao seja atacado antes, só isso por si só já nos tira fora disso. Nao vejo a Venezuela como um grande rival mas acho que isso custaria bem caro pro nosso bolso, principalmente por conta dos flankers e das baterias antiaéreas que poderiam nos causar dor de cabeca. Tem também a pior parte na minha opinião, o pós guerra, por ser um pais vizinho nossas fronteiras se encheriam de refugiados(se bem que se a coisa la ficar feia mesmo eles virao de qualquer jeito).

  29. Alex

    Imagine os discursos inflamados de Lula ou Dilma defendendo o Maduro, dizendo que irão mandar as forças armadas em socorro a democracia venezuelana
    Seria ilário

  30. Dan, não sou da área militar, comento pelo pouco que leio. Mas acredito que uma intervenção bananeira simplesmente não teria força suficiente para vencer (leia-se: uma força expedicionária chegar a Caracas e controlar todo o território venezuelano). Me parece uma ideia tão estúpida quando a de um outro comentarista que afirmou que o exército bolivariano chegaria em Manaus em três dias. Nenhum dos dois países tem capacidade para sobrepujar o outro em território inimigo, muito menos sustentar a logística de uma guerra por meses a fio.
    As FFAA bolivarianas estão claramente debilitadas no moral, no equipo deficiente em manutenção, mas ainda são um adversário de respeito. Contam com milhões de zumbis em suas fileiras ou na Guarda Nacional, e bem ou mal manutenidos tem equipamentos orientais de ponta . Talvez tenham a defesa antiaérea mais densa e equipada do subcontinente. Quem vai arriscar colocar um F5 lixo para enfrentar Buks? Não faltaria apoio chines ou russo, com certeza não direto, mas em armas e munições.

  31. A “idéia estúpida ” foi minha. Não conheço muito de assuntos militares, como você que cursou a ECEME. Você é o ThukMD do Aéreo? Por que dois nicks diferentes?

  32. Tem gente falando em armar oposição… Pelo amor, será que não aprenderam NADA com os fracassos do Estados Unidos? Isso não funciona! A Venezuela só vai se tornar mais uma Síria da vida! Parem de falar abobrinhas! Façam qualquer coisa, mas não armem os opositores! Ideia de Jerico que nunca da em nada!

  33. A opção militar deve ser considerada se a situação venezuelana desistabilizar os pais vizinhos, seja por ações diretas ou indiretas de Caracas. A Ação tem q ser multinacional liderada por EUA,Brasil e Colômbia nessa ordem e so deve incluir tropas do continente americano e talvez da França e do RU mas com ultima opção esses dois pais, apoio Europeu,Chines e Russo deve ser bem vindo mas so na forma de apio diplomatico e armas não de tropas, há não ser o caso da França e RU pq eles tem territorios aqui mas só em ultima opção. A intervenção deve ser somente aerea com apoio aos rebeldes locais como a da Líbia

  34. O autor desse artigo vive em outro planeta. Que Maduro é um psicopata que mata seu povo de fome e é capaz de fazer o diabo para continuar no poder todo mundo já sabe, mas ninguém está disposto a enviar tropas ou aviões bombardeiros para derrubar seu governo. Nas circunstâncias atuais uma intervenção militar na Venezuela seria suicídio pois qualquer governo que a realizasse perderia apoio interno, sem contar que o resultado poderia ser desastroso no ponto de vista humanitário. Maduro só cairá pelas mãos do próprio povo venezuelano ou se ele enlouquecer e atacar algum país vizinho, o que, aí sim, abriria caminho para alguma intervenção estrangeira.

  35. TukhAV
    Vejo o dinheiro como uma das nossas principais vantagens em uma guerra como essa, eles ja possuem uma parte da população insatisfeita que provavelmente se aliaria ao invasor pra derrubar o Maduro, sendo assim seria teríamos parte da população Venezuelana ao nosso lado, daria ate pra armar muitos deles. Caso o Brasil consiga romper a defesa aérea deles, talvez como Israel fez na guerra dos seis dias destruindo todos antes mesmo de levantarem voo já teríamos uma larga vantagem, as baterias antiaéreas provavelmente ficariam a cargo dos comandos. Depois de ficarem sem o apoio aereo ficaria complicado pra eles, sem contar que ja estão mal das pernas financeiramente ficaria complicado manter uma guerra contra um vizinho maior. O Brasil teria recursos pra manter essa guerra por mais tempo que eles, poderíamos fazer as compras e também manter a guerra por algum tempo mas isso acabaria com um belo estrago na nossa economia. Fiz apenas uma leve simulação do que eu acho que ocorreria, apesar de que guerras sempre apresentam varias variáveis.

  36. Intervenção estrangeira direta só faria o tirano maluco ganhar apoio interno. E alem disso, o maximo que os americanos e europeus estão dispostos a fazer é lançar ataques aereos. Uma invasão terrestre demandaria uma grande força (uns 50 mil soldados aos menos) e sofreria uma resistencia do tipo guerrilha, com inevitáveis baixas.
    O mais próximo que eu vejo desta possibilidade é a criação de campos de treinamento militar para opositores do regime de Maduro, no norte do Brasil e na Colombia, na selva fronteriça com a Venezuela, com posterior apoio logistico para que a oposição inicie uma guerra civil na Venezuela.

  37. Alias, um caso curioso é que nos anos 80 os EUA convidaram o Brasil para participar de uma invasão ao Suriname, porque o ditador daquele pais estava na época se aproximando demais dos comunistas. O Brasil, sob governo Figueredo, se opôs fortemente ao plano.

  38. Cel Rinaldo, que eu me lembre NÃO foi o Sr que disse que os venezuelanos chegariam a Manaus em três dias… vou tentar resgatar o post com o comentário.

  39. Vi agora, foi o Sr. mesmo. Me desculpe, não sou de me expressar de forma tão grosseira quando comento diretamente sobre as opiniões de terceiros.

  40. Dan, as leis econômicas são implacáveis. O financiamento de uma guerra dessas proporções, considerando os últimos conflitos com adversários de mesmo porte (leia-se Iraque), seria na casa das centenas de bilhões de dólares, podendo chegar tranquilo ao trilhão. Seria uma guerra arrastada – o poderio militar venezuelano é parelho com o nosso milhões de seguidores do chavismo manteriam uma guerrilha contra, o que elevaria sobremaneira esses custos.
    Sem espaço no orçamento para pagar estas despesas o governo teria que: a) imprimir dinheiro a rodo, gerando a volta da hiperinflação a níveis da República de Weimar; b) gastar das reservas internacionais; o consumo dessa reserva combinado com os déficits orçamentários gigantescos levariam a um rebaixamento de nossa nota junto às agências de crédito, aumentando o prêmio (juros) que os investidores internacionais demandariam para financiar nossa dívida. Como boa parte dos equipamentos militares seria importada um calote no meio do caminho seria provável e levaria a FAB ao chão.

  41. Gosto da abordagem econômica, assim como os estadunidenses.
    Custo de trilhões não seria problema se a conta fosse paga como na Líbia, com petróleo. Quem faria ?
    LAmericanos com dindin americano, eles podem pintar. Mas, tem consequências também.
    E o petróleo tá mais barato. É só buscar no Pre-sal, la tem isenção de impostos de trilhão.
    Então, o Brasil salvou Maduro de uma intervenção mitilitar

  42. O falecido Chavez gostava de dizer que na Venezuela existia o “Socialismo do Século XXI”. O que ele conseguiu provar é que no século XXI o socialismo conseguiu obter os exatos mesmos resultados que obteve no Século XX: empobrecimento generalizado, fome, violência política, ditadura e mortes…
    Agora, sinceramente, o Brasil não tem o que fazer em relação à Venezuela senão torcer para que os próprios venezuelanos resolvam o problema.

  43. Que a Venezuela está uma M… isto eu já sabia desde que no início de 2017, quando eu encontrei uma Venezuelana como caixa no Supermercado, aqui no Rio de Janeiro. Pude assim constatar, por testemunho, que mais uma vez o Socialismo não deu certo em um país (acrescentando a Venezuela à lista de URSS, China, Itália, Alemanha, etc).
    Quanto a pretensas “alianças estratégicas” que defenderiam a Venezuela… Será que a China ou a Rússia iriam se meter em uma aventura na América do Sul, de cara contra os EUA (Alguém tem dúvida que o Trump iria gritar?) e até contra outros países (Colômbia, Brasil…) em defesa da Venefavela? Uma coisa é defender a Coréia do Norte, a Síria ou o Vietnã, que ficam no seu quintal. A outra é entrar no quintal dos outros…

  44. E o Brasileiro preso pela ditadura de Maduro. Lembro de um post aqui no Forte sobre o resgate de brasileiros presos em uma embaixada no Panama, salvo engano, o site poderia propor a mesma discussão nesse caso. É possível uma operação militar para resgatar um cidadão brasileiro que se tornou preso político?

  45. TukhAV, o que temos no norte que impediria uma divisão ou até simples coluna de blindados saídos Sta Elena de Uraién de chegar em Manaus? Resposta: NADA!!!

  46. Àdson, é mata fechada so tem uma estrada que liga o Brasil a Venezuela, usar tanques é suicido, eles teria que seguir em fila indiana sem o poder da manobra, presa facil para misseis, o Brasil tem misseis atgms. Unica opção de ataque é bombardear Roirama que desculpe-me os Roraimeiros não tem nada de valioso economicamente ou politicamente valioso.

  47. Augusto, apesar de ser uma única estrada (asfaltada) e cercada pela selva, não temos nada que impeça a progressão de carros de combate venezuelanos, a não ser oposição aérea. Mas, se eles tiverem a cobertura dos SU-30, fica bem complicado. O maior óbice pra eles seria a cauda logística muito extensa. É minha opinião, e pode ter certeza que os Estados-Maiores de ambos países já exercitaram essa hipótese.

  48. Pessoal,
    Sério? Pensei que o risco Venezuelano fosse para os adolescentes jogando war x na web.
    Nem EUA, nem Brasil, nem Colômbia, nem os perigosos Venezuelanos vão atacar ninguém sem compensação econômica. Alguém pode explicar quais recursos estão em jogo? No Brasil, hoje você compra terras, explora os minerais e não paga impostos, para que uma coluna de tanques?

  49. Se a tese do Rinaldo estiver correta – gostaria de ouvir a opinião do Agnelo e do Colombelli- isso mostra que a situação do EB e da FAB seriam temerárias. A 6ª cidade brasileira mais rica, quase 1000km da fronteira ser invadida em 3 dias é algo gravíssimo e injustificável. E não seria só questão de dinheiro, pois temos tropas concentradas no RJ e no RS que poderiam ser espalhadas pela região Norte. Seria também falta de planejamento.
    De qualquer forma, fato é que dependeríamos muito da infantaria para bloquear o avanço dos venezuelanos.
    Por fim, obviamente isso não deve estar nos planos dos venezuelanos, tampouco os brasileiros devem estar pensando em tomar qualquer atitude bélica para derrubar Maduro.

  50. Rinaldo os milans e eryx do EB não seriam suficientes ? Me lembro de uma vez o Colombelli citando a hipótese que os atgms seriam suficientes.

  51. Quem disse que os venezuelanos tomariam alguma coisa em 3 dias fui eu.

    Disse que tomariam Roraima em 3 dias usando os únicos MBTs da região e superioridade numérica.

    Depois disso não sei, o paraguai fez o mesmo, chegaram até Coxim e o Brasil pegou de volta.

    Mas o Solano López não tinha S-300 e Flankers kkkkk

  52. Todo Colonizado insiste e cria hipóteses ridículas, de entrarmos em conflito com os Nossos Vizinhos e Amigos . O que é claro que a forma de nossos militares manterem a Situação Ridícula de nossas FFAA, mão podendo de forma alguma enfrentar um Provável e Real Inimigo, porque não há esforço algum neste sentido. AS Castas brasileiras , com os próprios militares envolvidos , então criam Hipóteses Fantasiosas , assim o Povo acredita realmente que os Gastos com Defesa , são sérios e objetivamente voltados a Defesa e não sabe que 3/4 para pessoal e pensões , inclusive aquele grande exercito de Filhas Espertas de Militares que Surrupiam o Erário Público !!

  53. É claro que as forças armadas brasileiras possuem planos de contingência para todas as eventualidades, inclusive um ataque por parte da Venezuela.
    Aquele exercício de mobilização de blindados para Roraima, por exemplo, deve ter sido já pensando nisso.
    Proponho aos realmente entendidos e que conheçam os recursos das nossas forças, que discutam aqui formas de nos defendermos de um ataque vindo da Venezuela. Os diversos pontos de fronteira por onde eles poderiam entrar. Onde eles montariam sua base de apoio próximo da fronteira e depois no nosso território. Uma possível ajuda da Bolívia e Equador. Talvez até um apoio de tropas cubanas. Como enfrentaríamos tantas frentes.
    Acredito que isto sim seria um aspecto válido a ser aqui debatido.

  54. Lucius

    “Uma vez li que o Brasil não seria capaz de enfrentar uma hora de combate em larga escala, devido a escassez de suprimentos, munição e combustível para seus veículos.
    Sobre a força área e marinha, a disponibilidade das aeronaves e navios é em média inferior a 40%.”

    Quem diz isso não tem nem que receber uma resposta educada.

  55. A coisa continuará como está porque:

    1) as próprias forças armadas, corrompidas, não interviriam (talvez patentes subalternas que pouco ou nada tenham a perder possam aderir ao Oscar Perez, o único que parece estar fazendo algo); se fossem apoiados pelo exterior como foi o ISIS, talvez um bando de mercenários e forças locais consigam algo;

    2) “forças regionais” (guerra por procuração usando os vizinhos pobres?), assim como potências militares da OTAN, perderam a coragem e a vontade de fazer qualquer coisa (não intervieram em Cuba, exceto por uma guerrilha fracassada); claro que cubanos (presentes em peso por lá) e, talvez, chineses, nicaraguenses e russos, ajudarão a resistir; se demorar muito (2020), eles todos já estarão bem equipados e municiados, e ficará ainda mais difícil (Cuba, China e ÚRSSia possuem programas de rearmamento até 2020); regimes comunistas matam o povo de fome, mas se armam até os dentes para se defenderem de golpes;

    3) operações do tipo “prisão do Gen. Noriega” do Panamá seriam arriscadíssimas e talvez fracassem – todo regime comunista se arma até os dentes para resistir a intervenções e invasões; além do mais, sempre há um séquito longo de possíveis sucessores dispostos a manterem as mordomias dos altos escalões, que sustentam o regime e aos quais eles pertencem;

    4) embargos não derrubam ninguém (Cuba, Irã, Coreia da Morte, etc) – sempre conseguem um jeito de conseguir sobreviver, e agora podem contar com mesadas da China e da ÚRSSia;

    5) os globalistas, que mandam de fato no mundo, querem mesmo uma América Latrina toda comunista do México à Argentina, e ficará como está.

  56. João Adaime, se a autorização do Ministério da Defesa nosso estiver ainda em vigor, aeronaves venezuelanas estão autorizadas a cruzar nosso espaço aéreo em direção à Bolívia (ponte aérea drogas-armas) e para voltar ao ponto de origem. Olhe:

    https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2014/07/06/chavez-usou-brasil-para-enviar-forcas-a-bolivia/

    E se alguns cargueiros cheios de combatentes e de material bélico tomarem um aeroporto nosso (Manaus? Boa Vista?) de surpresa, estabelecerem uma cabeça de ponte nele, fizerem uma ponte aérea escoltada por aviões superiores aos nossos e desembarcarem mais, isso já não seria um bom começo de invasão bem dentro do nosso território, tomando rapidamente uma faixa de terra suficiente para manter contato com a fronteira para logística e suprimento?

    Nós nem conseguiríamos bombardear estradas ou comboios (exceto se nossas forças especiais puderem fazê-lo em alguns pontos críticos – e não será fácil ou totalmente eficaz).

    Se conseguirem superioridade aérea, já estaríamos com o inimigo dentro de casa! E rápido!

    Ou seriam muita “viagem” da minha parte?

    Resumo da ópera:

    “A certa altura, informa o papelório confidencial, o general Augusto Heleno, na época comandante militar na Amazônia, indagou aos participantes da reunião se tinham conhecimento do vaivém de aviões Hercules C-130, que levavam soldados da Venezuela à Bolívia. O embaixador Antônio Simões soou assim: “Uma denúncia brasileira de presença de tropas venezuelanas na Bolívia pode piorar a situação”. Nessa época, o governo Evo Morales enviava soldados para reprimir opositores em Pando, Estado boliviano assentado na fronteira com o Acre. “Há presença não apenas de venezuelanos na Bolívia, mas também de cubanos, com interesse operacional”, acrescentou o general Heleno. Presente à conversa na casa do embaixador brasileiro em Caracas, o tenente-brigadeiro Gilberto Burnier, declarou que a Venezuela fez 114 voos. Segundo ele, a carga era camuflada. Sua frase foi reproduzida no documento assim: “Informavam que transportavam veículos comerciais, porém foi visto que transportavam viaturas blindadas para transporte de pessoal (VBTP) e outras viaturas militares.”

  57. TukhAV
    Com certeza nossa economia ficaria bem mal das pernas, com os 350 bilhoes das reservas internacionais daria pra ir as compras e segurar essa guerra por algum tempo, no caso da Venezuela que ja esta muito mal financeiramente eu acredito que nao teriam tanta força pra custear uma guerra com um pais vizinho maior. Ainda mais se os Eua de ultima hora resolve parar de comprar o petróleo deles, aquilo viraria um caos rapidinho. Enfim, o colega Ozzy tem toda razao, e melhor deixar os venezuelanos se acertarem sozinhos ou se for ajudar que seja indiretamente.

  58. Acho absolutamente temerário falar em intervenção militar na Venezuela. Não apenas pela falta de legitimidade como também pelo fato de que ainda que a mesma seja bem sucedida em depor o ditador canalha do Maduro os bolivarianos podem, especialmente em virtude da grande quantidade de armas compradas à Rússia, tornar-se insurgentes e mergulhar o país em uma guerra civil. Entretanto é preciso continuar o processo de isolamento diplomático do regime bolivariano, que precisa ser suspenso da OEA. De igual forma a inservível UNASUL precisa ser esvaziada mais do que já é por meio de boicote a ser encabeçado por Brasil, a Argentina de Macri e o Chile de Piñera

  59. Isso daí é o Brasil e cuba que criaram (foro de São Paulo), e tem gente de fora da América por trás também. Melhor do que tirar o Maduro seria acabar com esses inimigos internos.

  60. IB 3 de Janeiro de 2018 at 16:58

    “A estrategia dos EUA sempre foi induzir um conflito entre países da America do Sul, especialmente o nosso, e a Venezuela; ”

    De onde foi que você tirou isso?

  61. A intervenção na Venezuela, por razões políticas e humanas, deveria ser uma opção bastante palatável aos EUA e Brasil, além de outros países responsáveis de menor envergadura como Colômbia, Peru e Chile, pois o sofrimento e a fome dos Venezuelanos na mão da praga comunista já é muito grande, com tendências a piorar, extravasando uma crise de refugiados que já afeta, por exemplo, nossos Estados de Roraima e Amazonas.

  62. A Venezuela ficará igual a Cuba – intocável. Ninguém intervém. Bom mesmo é intervir bem longe de casa e deixar o quintal entregue ao caos.

    A angústia é saber que poderemos ser os próximos.

    O Foro de São Paulo, cria de Cuba e do PT, deve saber os detalhes dos próximos capítulos…

  63. É engraçado como os comentários “vermelhos” vêm em sequência. Parece até que se trata da mesma pessoa assinando com nomes diferentes.

  64. Não vai rolar(ao menos por parte do Brasil). A Onu(mão amiga do titio Sam) está tão preocupada que nem toca no assunto direito.
    M. Silva 4 de Janeiro de 2018 at 11:04
    Interessante sua questão, mas ninguém conhece nosso terreno como nossos combatentes, poderiam até tomar o aeroporto mais creio que seria minados em solo por forças especiais nossas e ,ao menos que abatessem nossos aviões de alerta aéreo antecipado, com o apoi dos mesmos faríamos churrasco de Sukoi’s, lembre que ter não significa operar e ou operar bem como nossos caçadores bem fazem a décadas com os Mike.
    Nosso terreno extenso é nossa maior defesa . Podem até entrar ,mas sair ,acredito que só ensacados.

  65. Acho que tio Donald Trump poderia se movimentar e entrar na Venezuela de cabeça de modo a se apoderar do petróleo de lá para valer a pena.
    Deixaria o mundo um pouco mais em paz com uma guerrinha particular.

  66. O pessoal não gosta de ver militares no poder, aí está como funciona, vejam a Venezuela.
    A situação da Venezuela é um problema para os venezuelanos resolverem, a oposição pede uma intervenção armada para voltar a mamar nas tetas do governo, sem saber que quem intervir vai mandar uma conta caríssima, mesmo que cobrada de forma indireta.

  67. O problema que ocorre com a Venezuela hoje é fruto da consequência mais comum nos países latino-americanos desde o início do séc. XX: Países dominados por elites políticas que esquecem de equilibrar a balança social entre as classes sociais, isolando ou esquecendo-as. Assim , abrem caminhos para governos populistas que, mais cedo ou mais tarde, acabam tendo que agir de forma corrupta ou ditatorial para se manter no poder – nos moldes das elites desses países que eles combatem.
    Assim e ao longo do tempo, a população menos abastada sofre as consequências em primeiro lugar , para depois atingir as outras classes, indiscriminadamente dependendo de quanto tempo o populismo vai se alojar no poder.
    Nenhum país latino-americano vai intervir na Venezuela a não ser que haja uma brutal guerra civil , mesmo assim com apoio direto e maciço dos EUA e depois de convencer a Rússia e a China para isso – países que comumente desrespeitam as decisões da ONU e vejam os casos do Tibete, Afeganistão , Iraque e Ucrânia – correndo o riscpo de terem os mesmos problemas adiante.
    A América Latina corre o risco , sim , de ter os mesmos problemas da Venezuela em curto prazo, pois a história venezuelana já ocorre há muito tempo nos países da região. Uma bomba relógio armada , pronta para explodir.

  68. Rafael Oliveira, boa tarde.
    2 pontos
    1) a intervenção:
    Como disse, acredito Q a intervenção mencionada seria no caos total, como foi com o Haiti, mais ou menos. Lembrando Q uma intervenção nestes moldes nunca houve por aqui, Q eu me lembre.
    2) um ataque Venezuelano.
    A) Há uma crise, depois uma escalada da crise, depois uma mobilização e movimentação de meios, depois muita intervenção diplomática, depois a guerra. Mesmo Q tudo ocorra rápido, o Brasil tem condições de enviar relativamente rápido pra lá meios Mec (Q retardam movimentos) e blindados (Q decidem a guerra onde há cerrado). Finalmente, há a porção Selva, onde somos MUITO bons, lembrando Q além das tropas de Selva, as Bda Pqdt e Amv tem condições de combater naquela região com relativo pouco preparo e as outras Mtz tem condições de se prepararem, pois os oficiais e sargentos de carreira tem embasamento.
    B) o combate se daria mais no cerrado de RR? Região mais limitado, permitindo largo emprego de nossos meios q chegariam mais facilmente a ZOo do q o Venezuelano, pois temos mais modais do q eles para a logística.
    C) o combate chegaria na selva? Temos mais preparo e condições de preparar mais gente e meios.
    D) eles iriam rapidamente até Manaus? Em um ataque surpresa ou depois de nos derrotar em RR?
    Há uma LONGA cauda logística pra eles, podendo ser macissamente emboscada.
    Há o RIO AMAZONAS para ser transposto, o q dá a mais complexa operação terrestre q existe.
    – Vantagem Venezuelana:
    Estão mais próximos da ZOp.
    Tem uma FA com um excelente caça
    Tem boa AAAe
    Já tem muitos meios comprados
    – Desvantagens
    Estão muito mal de preparo e doutrina (péssimos)
    Não tem a plenitude das vantagens de seus meios (mísseis Ar-Ar)
    Tem uma cadeia de montanha e uma DTA (Direção Tática de Ataque) por uma estrada. (Mais fácil de barrar)
    Tem um “terreno” humano EXCELENTE como alvo de Op Psico e Ações Indiretas de Forças Especiais.

    – Nossas vantagens
    Excelente preparo de Guerra na Selva (contra a 1a desvantagem)
    Preparo muito bom de guerra com meios Mec e Bld para o cerrado. IDEM
    Uma capacidade enorme de mobilização de meios e pessoas (contra primeira vantagem e quarta)
    Vários modais (rio, estradas e aeroportos) para logística (contra 1a vantagem)
    Excelente doutrina e tropas de Forças Especiais e Ação de Comandos (Contra 4a desvantagem, 2a e 3a vantagem)
    Variados meios aéreos q podem atuar na cadeia logística e tropas (contra 2a e 3a desvantagem)
    Um rio enorme com uma Marinha com força Fluvial (contra 3a desvantagem)
    – nossas desvantagens
    Caça menos capaz (amenizado pela 5a e 6a vantagem nossa )
    Pouca AAAe (amenizado pela 5a vantagem e pelas dimensões do nosso terreno) – necessidade de compra rápida de AAAe media altura.
    Longe da ZOp (muitos modais e meios logísticos mobilizáveis)

    Algumas observações saindo do Serviço sem torar.
    Por favor, jogue pedras
    Sds

  69. Permitam os nossos colegas estrategistas que apresente alguns dados que poderiam contribuir para um plano de defesa a um possível (claro que improvável, mas vale como exercício de planejamento) ataque da Venezuela a nós:
    Distância de Caracas a Manaus – 2.280 km por terra e 1.690 km via aérea.
    Distância de Caracas a Boa Vista – 1.500 km por terra e 1.100 via aérea.
    Distância de Boa Vista a Manaus – 780 km por terra e 660 km via aérea.
    Só pra complicar mais um pouco, não se sabe como andam os Hércules deles, pois os EUA cortaram o fornecimento de peças de reposição, mas eles têm (não sei como estão) oito cargueiros médios Shaanxi Y-8, cópia chinesa do Antonov An-12. É dotado de quatro motores turbo hélices, com velocidade máxima de 660 km/h, autonomia de 5.615 km e capacidade de carga de 20 toneladas ou 96 soldados.
    Informo isto porque é suicídio mandar tropas por 1.500 km por estrada, em carroceria de caminhões, até Boa Vista ou 2.280 km até Manaus. Eles precisariam estabelecer uma cabeça de ponte em Boa Vista ou Manaus logo nas primeiras horas. E mantê-la até a chegada de reforços.
    O desafio aos colegas é: como seria a reação do Brasil?

  70. Saindo da realidade política e passando para hipóteses no campo operacional, não há possibilidade alguma de qualquer solução sem os Americanos. Uma ação direta, de força total, com desembarques no litoral próximo às alturas da capital após liquidar os parcos recursos aéreos , navais e comando e controle da ditadura comunista. O restante caíra pela manobra. Até porque só a ameaça concreta de intervenção já derrubaria o ditador maduro.

  71. Agnelo 4 de Janeiro de 2018 at 13:51

    Muito boa explicação/observação, e em meio a tudo isto ,como já disse em outro post, vão levar um pau .
    Doutrina de emprego dos meios de que se dispõe e conhecimento da área onde se atua é/são poder!!!

  72. Intervencao militar na Venezuela!!??? Uma excelente desculpa para se derrubar de vez a america do sul, e aqueles grupos , faturarem mais uns trocos.

  73. Caro Agnelo!
    Obrigado pela exposição!
    Não vou jogar pedras. Claro que se o EB tivesse alguns Leo1 ou M60 e Gepard lá, seria bem melhor. E também uma artilharia antiaérea melhor (Bamse ou similares), dado que a FAB terá grandes problemas para enfrentar os Sukhois, ainda que conte com o E-99. Nos próximos 5 /7 anos, a vantagem é venezuelana.
    Enfim, apesar dos pesares, não acho que os venezuelanos chegariam com tropas em Manaus em 3 dias.
    PS: Manaus fica ao norte do rio Amazonas e do Rio Negro. O problema dos venezuelanos seria prosseguir no ataque ao Brasil.

  74. Kkkkkk
    Tem razão, Rafael!!! Não falei q estava torando!!!!
    Troquei Manaus de lado!!!!!
    Sim, seria melhor mais meios lá, mas acredito q, no caso de meios terrestres, a manutenção lá deve ser bem cara.
    Pode ser q seja mais barato levar em caso de necessidade.
    Sds

  75. Hehehe, acontece.
    Pois é, como lá é longe de tudo, fica bem mais caro manter os veículos, e, em caso de conflito, provavelmente daria tempo de enviar. Mas, ainda assim, acho que alguma coisa orgânica deveria ter lá, até para treinarem de vez em quando na região e conhecê-la melhor.

  76. jose luiz esposito 4 de Janeiro de 2018 at 9:03
    José, o EB vai criar um Batalhão especial composto das Filhas Espertas de Militares que Surrupiam o Erário Público !! para impedir o avanço venezuelano. Amigo, faz muito tempo que filhas perderam o direito à pensão.
    M. Silva 4 de Janeiro de 2018 at 11:04
    Silva, não existe AUTORIZAÇÃO PERMANENTE para ingresso no nosso espaço aéreo, por nenhum país. Qualquer aeronave militar estrangeira que queira cruzar ou adentrar nosso espaço aéreo necessita de uma autorização, chamada AVOEM, emitida pelo EMAER e controlada, hoje, pelo COMAE (antes era pelo COMDABRA). A recíproca é verdadeira: para voarmos para a Venezuela vamos solicitar autorização a FA daquele país, e, caso autorizado, será emitido uma CLEARANCE, cujo número deverá constar do plano de vôo. E, nessa autorização, consta hora e ponto de entrada, e rota a ser voada. Idem se for solicitado o pouso. O que houve, em 2007, é que um C-130 cruzou nosso espaço aéreo sem esse AVOEM. Nesse caso, uma reclamação formal é realizada via Itamaraty. Após o episódio, o 1° GDA, que à época operava o F-2000, foi deslocado para Porto Velho para cumprir o Alerta DA naquela localidade. Eu comandava o 2°/6° nesse ano, e também estive em Porto Velho. O fato acelerou a transferência do PACAU para Manaus.
    Já houve casos de aeronaves presidenciais latino americanas serem impedidas de sobrevoar nosso território por não possuírem o AVOEM. Oficial da USAF já foi punido lá nos EUA depois de reclamação da FAB via Itamaraty. O sistema funciona.

  77. O governo venezuelano até agora deu de ombros sobre as solicitações de informação do governo brasileiro sobre a situação do Jonatan Moisés. O Itamaraty lançou uma nota agora quase que pedindo por favor para que a Venezuela responda.

    Não é só Venezuela que precisa ser reconstruída mas o Brasil também…

  78. Conjecturar sobre um confronto entre Venezuela e Brasil é um exercício interessante, mas creio que, na prática, nenhum país sulamericano dispõe de meios efetivos de sustentar um conflito minimamente mais prolongado.
    Se, por absurdo, a Venezuela invadir o Brasil, enfrentará a mesma dificuldade que franceses e alemães encontraram na Rússia: o tamanho do território invadido lhes exigirá uma capacidade logística além de suas possibilidades.

  79. A questão é uma hipotética intervenção militar a cargo da OEA, afinal, a América para NÓS, os Americanos. Objetivo: por fim à ditadura bolivariana na Venezuela e em seguida pacificar o país. Semelhante à República Dominicana em 65 e a deposição do traficante Noriega no Panamá 89. Que Países das America poderiam formar essa Força ? Meios? Operações? Como seria nossa participação? Reflexos políticos ?

  80. Intervenção deve ser feita pelos Venezuelanos, armados por países internacionais.
    O país é bem armado, mas sucateado. Brasil tem capacidade pra agir contra Maduro, com apoio da Colômbia e Peru.
    Lembrando que o acontece na Venezuela poderá acontecer no Brasil, se o Lula ganhar a eleição, já que o país, estaria “dizendo” que pode roubar a vontade, depois não reclamem quando comerem carne de cachorro.

  81. Cel Nery, na atual conjuntura política da AL, não seria mais interpresante Boa vista sediar o PACAU? O que temos que tenha efetividade AA em relação aos Flankers? Também, com o provável envio dos M60 para a reserva caso se confirme a compra de mais Leo 1A5, o mais correto, pelo EB, não seria modernizar os 28 operacionais e transferi-los para RR?

  82. Um leitor calculou 50mil homem para essa invasão,eu acho que ele pode multiplicar isto por 4ou 5 vezes,vai ser guerra de selva moço tanques e aviões ultramodernos na selva não valem muito veja o caso do vietnan,é logico que a russia e a china vão financiar a Venezuela.Claro que a Venezuela pagará depois em petróleo.Eu postei que em vez de embargo talvez o dialogo,a diplomacia possa exercer uma força maior,Trocar Petróleo por comida e socorrer a população faminta.A oposição perdeu as eleições em 22 estados lá,e para os senhores verem que a oposição e fraca.

  83. Ronaldo, as eleições para o equivalente aos estados na Venezuela foram fraudadas descaradamente. Observadores independentes foram proibidos de acompanhar o pleito e o conselho que organizou as eleiçõesé composto por asseclas do chavismo. Nas últimas eleições realmente livres a oposição conseguiu maioria avassaladora para a assembléia nacional. Não contente com os resultados o ditador ordenou através da suprema corte bolivariana (com a maioria dos juízes indicados ilegalmente pouco antes da nova assembleia assumir) o esvaziamento do poder dela. E na sequência convocou eleições para uma assembléia constituinte com “quotas” para os movimentos sociais pelegos do governo, que assumiu as funções do legislativo eleito legalmente.

  84. O Problema venezuelano pertence a seu Povo , nada de Intervenção externa e nunca o Brasil deverá apoiar ou participar desta Aventura , toda Latino América já fechou contra qualquer intervenção Externa porém , se o Tiozinho tentar certamente seus Soldadinhos serão devolvidos em Sacos Pretos , a forma criada na Venezuela para sua defesa popular foi bem estruturada , ao contrário da nossa , não existe, e ainda desarmaram a população !!

  85. Que espécie de gente pede uma intervenção estrangeira em seu próprio país?
    Só um canalha, traidor e energúmeno pode pedir publicamente uma coisa dessas!!!
    Que entreguista mais cara de pau!

  86. Adson, de carros de combate eu não entendo nada. Deixo a resposta para os amigos do EB. Quanto à sediar o Pacau em Boa Vista, tomei uma mijada do comandante do COMGAR em 2008 quando insisti no tema. Quase fizeram uma mini Base Aérea em Eduardo Gomes! Boa Vista seria o óbvio. O Alerta DA pode ser cumprido em qualquer lugar, inclusive Eduardo Gomes. É só construir dois hangaretes, um paiol para os mísseis e cartuchos, mais uma estrutura de apoio (alojamento, banheiros, garagem). A operação do F-5EM em Ponta Pelada é restrita.

  87. É bem melhor morar com a família em Manaus do que Boa Vista, rsrs. A mijada: “Cel não da ideia se não todo mundo se ferra”. rsrs. Mas se o EB não se instalar fortemente lá, o correto é manter o Pacau em Manaus. Boa Vista não dista muito da fronteira, e os infantes da FAB não teriam muito o que fazer. Na verdade RR é muito desprotegido, largado pra lá mesmo, o Acre está em situação bem melhor, principalmente depois da construção da ponte sobre o rio Madeira em Abunã na BR 364, o socorro pode vir de Poto Velho muito rápido.

  88. OS COLONIZADOS se preocupando com a VENEZUELA .Acordem o **NOSSO INIMIGO** esta no NORTE do CONTINENTE , Latino América és **NUESTRO HOGAR** de México hasta TIERRA DEL FUEGO , nenhum Desgraçado Imperialista colocará as Patas , e mais se o tiozinho tentar , receberá seus soldadinhos em Sacos Pretos !!

  89. Oplita 6 de Janeiro de 2018 at 12:46

    Da mesma forma que apenas um canalha, energúmeno e traidor defende um regime como o bolivariano, que além de ditatorial é amasiado com o tráfico de drogas.

  90. Rinaldo Nery 14 de Janeiro de 2018 at 12:16
    Jose Luiz Esposito, nosso inimigo está no Norte? Nosso inimigo é o Foro de SP! A canalha socialista/comunista.

    Se você acha que é esse o nosso inimigo, então é fácil de resolver: que tal saber a porhha do capitalismo funcionar e levar desenvolvimento econômico, justiça social e educação para o Brasil? Um miserável está pouco se lixando se o pão que ele tem para comer é capitalista ou comunista, ele quer pão e ponto final. Eu sou assim também: se o Brasil tiver educação, saúde, trabalho para todos, leis e judiciário que funcionam, segurança, bandido na cadeia, defesa dos valores familiares, para mim phoda-se quem está lá. Me dê um país justo e estou me lixando se isso aqui é capitalismo ou comunismo; ditadura ou democracia; monarquia ou república; parlamentarismo ou presidencialismo. Coloquem essa porrha para funcionar e não me interessa como!

    Em outras palavras, nenhum discurso revolucionário faz eco se o país estiver próspero. Agora, se a coisa não funciona, tem mais é que dar a chance para o comunista – se é que isso existe mesmo, porque para mim é só neurose de vocês – entrar lá e mostrar se pode fazer melhor.

  91. Rinaldo Nery 14 de Janeiro de 2018 at 12:16
    Jose Luiz Esposito, nosso inimigo está no Norte? Nosso inimigo é o Foro de SP!

    Outra coisa, fale por você mesmo: o Foro de SP é seu inimigo, não meu. Meu inimigo é a fome, a péssima qualidade educacional do Brasil, a corrupção, os juros bancários, o domínio estrangeiro, a falta de empresas brasileiras que fazem alta tecnologia – esses são meus inimigos.

    Já para foro de São Paulo ou a outra face da mesma moeda, os direitistas amantes de Olavo de Carvalho ou Bolsonaro ou outros malucos diretistas, que se dizem especialistas por aí, para esses eu estou tomando Jonhy Walker com actívia, ou seja, c…ndo e andando.

  92. Adriano Luchiari 14 de Janeiro de 2018 at 17:25

    Concordo plenamente! Vamos ver até onde a moderação será tolerante com o sedizente “teacher” e outros aqui, que diga-se de passagens são trolls de bunker a serviço de determinado ParTido político….

  93. Professor 14 de Janeiro de 2018 at 16:45

    “…Um miserável está pouco se lixando se o pão que ele tem para comer é capitalista ou comunista, ele quer pão e ponto final…”

    E os teus amigos do PT deram pão a quem ? Fizeram o embuste do Bolsa Miséria que nunca tirou ninguém dela..

    “…Eu sou assim também: se o Brasil tiver educação, saúde, trabalho para todos, leis e judiciário que funcionam, segurança, bandido na cadeia, defesa dos valores familiares, para mim phoda-se quem está lá. Me dê um país justo e estou me lixando se isso aqui é capitalismo ou comunismo; ditadura ou democracia; monarquia ou república; parlamentarismo ou presidencialismo. Coloquem essa porrha para funcionar e não me interessa como!…”

    Hã hã..Ta “serto”

    Esquerdista nunca vai aceitar um Brasil capitalista e de primeiro mundo, porque ai terão que trabalhar e comunista não é chegado nisto. Prefere ficar falando m…. na sua repartição que mostrar serviço.

    Socialista quando sai do poder entrega o país em terra arrasada para culpar o próximo..

    Bem ao feito de Dillma Russef..

    Professor 14 de Janeiro de 2018 at 16:55

    ahahahahaha

    Realmente todos os países onde os bolivarianos tomaram o poder são um farol de civilização..

    Volta pro Plano Barril e para de trollar aqui..

  94. Professor, comentei aqui e em outro post que debater com esquerdistas “lavados-cerebrais” como você é como jogar xadrez com um pombo, se você não entendeu a metáfora explicarei: ele defeca no tabuleiro, derruba as peças e sai voando cantando vitória. Bom fim de domingo e boa semana a todos!

  95. Professor 14 de Janeiro de 2018 at 19:22

    “A China é um exemplo de país fracassado. A Rússia também.”

    Nenhum desses países é bolivariano! A Rússia é comandada por um sindicato do crime tendo e experimentou prosperidade enquanto o preço do petróleo estava alto. bastou o preço cair para a maquininha de imprimir rublo começar a ter problemas. E a China apenas conseguiu prosperar após fazer reformas CAPITALISTAS embora seja um fato que as contradições do regime vão cobrar o seu preço

  96. HMS TIRELESS 14 de Janeiro de 2018 at 20:11.

    O Rublo está com problemas? kkkk – acredite nisso que a Rússia está falida.

    Que eu saiba, TIRELESS, os únicos países socialistas que ainda existem no mundo são Cuba e Coréia do Norte. Nem Venezuela, nem Bolívia são socialistas ou comunistas. Eles apenas são governados por regimes de essquerda. Os meios de produção são capitalistas. Só isso. E se os regimes de direita, pró-EUA, que estavam antes deles tivessem feito um bom trabalho, esses regimes de esquerda não teriam assumido; portanto, se tem crise nesses países culpe os dois regimes, de esquerda e de direita.

    Olha, não adianta, vc parece um engenheiro que eu conheci que desenhava com régua e compasso. Chegou o AutoCad e ele não aceitava. Mas o mundo mudou, o mundo não é mais como era nas décadas de 80 ou 90. A Guerra Fria, como vocês conheceram, não existe mais. Esse embate capitalismo x comunismo não existe mais na mente da maioria das pessoas, só faz diferença numa parcela da população de classe média, pequena, que vocês representam. Nem mesmo a elite brasileira está de acordo com esse discurso de vocês: o empresariado brasileiro quer é fazer negócio com a China e quer ter dinheiro no bolso que a China proporciona e não está nem aí se ela é comunista ou não. E assim é a população: vamos votar nos políticos que fizerem uma boa admistração e não estão nem aí para ideologia. Só a classe média que ainda liga para isso.

    Podem latir, a caravana vai seguir.

  97. Por mim a Venezuela pode cair mais ainda. Para servir de exemplo.
    .
    Meu único receio é o Maduro tomar a iniciativa de um confronto externo para calar a oposição interna, como Gualtieri fez com a Argentina em 1982.
    .
    Depois de todos os problemas no RN, a Sen. Fátima Bezerra (PT) está na frente. Os potiguares não sofreram o suficiente ou o esquerdismo anestesia ?

  98. Professor 14 de Janeiro de 2018 at 20:33

    Bolívia e Venezuela são governados por regimes de esquerda que aplicaram o ideario socialista de tomada dos meios de produção pelo Estado, basta lembrar da vergonhosa tomada das refinarias da Petrobrás pelo índio cocaleiro. E na Venezuela foi ainda mais além visto que muitos negócios privados, inclusive os hotéis da Ilha de Margarita, foram estatizados. E o resultado não poderia ter sido outro a não ser o vaticínio de Margareth Thatcher ou seja, o socialismo durou até a hora em que acabou com o dinheiro dos outros. Não é à toa que hoje impera o caos na Venefavela……

    Quanto à classe média, a qual você pertence mas banca o filhinho revoltado do papai, é a maior pagadora de impostos do país e é sempre sistematicamente atacada e achincalhada pela esquerda, basta lembrar da bruxa Marilena Chauí (ela própria integrante da classe média) urrando “eu odeio a classe média”

    Vamos ver se o seu espírito revolucionário vai resistir quando o papai confiscar seu carro e cancelar seu cartão de crédito meu caro “teacher”….rs!

  99. Tenho uma amiga esquerdista que reflete isso.
    Casou com um brasileiro naturalizado luso, aí foi para Portugal e ficou toda boba.
    Tão deslumbrada que ficou dondoca apátrida.
    Postou no Face foto do interior barroco da Igreja dos Jerônimos, toda folhada a ouro, que era linda…
    Não resisti :
    – Este ouro todo é do quinto que foi tirado das terras dos índios com o suor dos escravos negros, lembra ?
    Ficou calada.
    Mas voltou pro Brasil pro Carnaval. Aqui é socialista.

  100. Nenhum exercito do mundo partindo da fronteira venezuelana chega em Manaus em três. Talvez nem em três semanas. Lá o terreno defende. Não se faz uma linha de abastecimento de 800 km sem muita segurança e suporte. A defesa é uma barbada.

    Os SU venezuelanos? gente, é so pra desfile. Nunca participarem de um exercício, não consta que tenham disparado uma arma decente e tampouco que seus pilotos tenham recebido qualquer treinamento para tornar o vetor algo capaz ( coisa muito diferente de so voar pra aparecer). O treinamento e a doutrina são o o mais importante na proporção que aumenta a sofisticação. Estão “na unha”, “na guimba” sem manutenção.

    Pra quem não sabe o interesse das FAV agora é bem outro: $$$

    São relativamente inoperantes. So embuste. Como tu diz isso? acompanhem os exercícios e verão. Olhem o que se faz na AL em outros paises nos sites oficiais ( descontados os embustes)

    Intervenção militar lá? jamais. Escolheram o bolivarianismo? agora aguentem. Que abixe e caia. Tem que deixar implodir e não dar nem um copo de água

  101. Rinaldo Nery,

    é como escrevi: “se a autorização do Ministério da Defesa nosso estiver ainda em vigor” (há uma condição).

    Se não houver tal autorização, a especulação acaba por aí mesmo.

    As autorizações eram sempre por tempo limitado e para certos transportes com certas finalidades, não a criação de um corredor livre, aéreo ou naval. Mas, no país da instabilidade e da subversão da ordem, nunca se sabe o que vigora atualmente, exceto se alguém da área o souber.

    Grato pelo esclarecimento! Fico aliviado em saber que eles não podem ficar circulando a bel-prazer pelos nossos céus!

  102. A Venezuela é uma coisa interessante (embora triste) de se ver. Os governos do Chávez e do Maduro apostaram tudo em uma aproximação com a Rússia e com a China como forma de se afastar dos EUA. Pois bem, em dezembro do ano passado, a Sinopec (que é a empresa de Petróleo e Gás estatal da China – a “Petrobras” de lá), por meio de sua estatal norte americana (Sinopec USA) entrou com um processo contra a PDVSA nos EUA no qual acusa a estatal venezuelana de praticar todo tipo de fraude para evitar pagamento… com isso, a China vai conseguir evitar que a PDVSA remeta o pagamento que recebe no EUA para a Venezuela. E aqui vai a parte mais escrota de tudo; a Sinopec fez isso porque os EUA são os maiores importadores da Venezuelana… com isso, até que a PDVSA pague a Sinopec, ela vai ter dificuldades em receber o dinheiro que a Venezuela faz ao vender petróleo para os EUA.

  103. Jacinto 15 de Janeiro de 2018 at 12:21

    Dado o tamanho das reservas de petróleo da venezuela a PDVSA deveria em tese ser a petroleira mais valiosa do mundo. Contudo os governos de Chávez e Maduro não apenas assaltaram a empresa como também a sucatearam.

  104. Quanto a autorização necessária para aeronaves militares sobrevoarem o território de outro país, este é o motivo de alguns países que voam muito para o exterior usarem matricula civil de empresa comercial registrada como o C-17, A340 e outros aviões do Qatar.
    No caso do Qatar muitos filhos de autoridades reais estudam na Europa e existem voos regulares para seu transporte, se o GTE usasse matricula militar seria necessária solicitação específica para cada missão.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here