Home Engenharia Engenharia do Exército na Intervenção Federal no Rio de Janeiro

Engenharia do Exército na Intervenção Federal no Rio de Janeiro

5535
58

A Engenharia Paraquedista tem destruído obstáculos e tapado buracos feitos pelos criminosos nas comunidades do Rio.

Seja nas ações da Garantia da Lei e da Ordem, seja na Intervenção Federal, o Exército Brasileira nunca para!

A Engenharia divide-se em duas vertentes: de combate e de construção. A de combate apoia as armas-base, facilitando o deslocamento das tropas amigas, reparando estradas, pontes e eliminando os obstáculos à progressão e, ainda, dificultando o movimento do inimigo. Uma operação de grande envergadura, e que depende diretamente da Engenharia, é a transposição de cursos de água obstáculo.

A Engenharia de Construção, em tempo de paz, colabora com o desenvolvimento nacional, construindo estradas de rodagem, ferrovias, pontes, açudes, barragens, poços artesianos e inúmeras outras obras.

A Engenharia Militar Brasileira
Por todo o Brasil, a Engenharia abre caminhos, lança trilhos, pereniza rios e efetua travessias. Ela é a arma de apoio ao combate que tem como missão principal apoiar a mobilidade, a contramobilidade e a proteção, caracterizando-se como um fator multiplicador do poder de combate.

A Mobilidade é o conjunto de trabalhos desenvolvidos para proporcionar as condições necessárias ao movimento contínuo e ininterrupto de uma força amiga. Os engenheiros realizam, entre outros, trabalhos de abertura de passagens em obstáculos, de transposição de cursos de água, de navegação em vias interiores, de conservação e reparação de pistas e estradas, de destruição de posições organizadas do inimigo, proporcionando condições para que a manobra tática obtenha rapidamente vantagens sobre a posição do inimigo.

A Contramobilidade é o conjunto de trabalhos que visam deter, retardar ou canalizar o movimento das forças inimigas para, em princípio, contribuir na destruição dessas forças. São trabalhos que proporcionam maior valor defensivo ao terreno, principalmente pela construção de obstáculos de acordo com a intenção do comandante tático, restringindo a liberdade de manobra do inimigo.

A Proteção é o conjunto de trabalhos que visam reduzir ou anular os efeitos das ações do inimigo e das intempéries sobre a tropa e o material, proporcionando abrigo, segurança e bem-estar e ampliando a capacidade de sobrevivência das forças em campanha. Os engenheiros, em função do conhecimento técnico e do pessoal e material especializados, prestam assistência às tropas em combate ou realizam trabalhos de fortificações, camuflagem e instalações.

O patrono da Arma de Engenharia é o Tenente Coronel Villagran Cabrita.

FONTE: Exército Brasileiro / VÍDEO: Exército atuando na Vila Aliança, no Canal Factual RJ do Youtube

58 COMMENTS

  1. Eu, e com certeza e todos os brasileiros de bem, estamos torcendo para o sucesso desta intervenção para que o Rio de Janeiro possa ser apaziguado e, quem sabe futuramente , com outras ações com essa, todo o Brasil mas, infelizmente, receio que a nossa (in) justiça, mais uma vez, ponha tudo a perder.

  2. Bacana que o pessoal desce dos caminhões e se espalham enquanto os tratores retiram as barricadas e depois todos voltam para os caminhões e ainda tem a cobertura aérea com um H-225M. EB mostrando como se faz, parabéns e sucesso na empreitada que apenas se inicia!!!

  3. Belo trabalho das Forças Armadas.

    Pena que gradualmente após a intervenção os traficantes voltarão aos becos das favelas e os policiais corruptos retomarão seus lugares em delegacias e batalhões, com as famigeradas “mãos de macaco”.

    Enquanto não acabarem com todas as favelas, a violência e a desordem seguirão tomando conta do Rio e sangrando o dinheiro dos outros estados da federação.

  4. Estão vendo no vídeo aquela molecada lá na escola mostrando o dedo do meio? Mandando se fod*r, a intervenção resolve aquilo? Não resolve, é aquilo que deve ser resolvido, porque se não o estoque de traficantes nunca vai acabar! Nunca haverá futuro para esse país e muito menos pro estado do RJ sem resolver o problema nas bases, e quais são as bases? Combate-se a ameaça que existe hoje e elimina-se o inimigo, e educa essa criançada que ta vindo ai.
    Estou sendo simplista, sem citar ainda a corrupção e os problemas políticos, mas o principal é isso ai que eu disse acima.

  5. O remédio t ser amargo, para os bandidos é claro. A missão deverá ser: procurar e destruir. Mas só não acontece isso porque a lei não deixa e a imprensa vai cair matando. É enxugar gelo com isso. Espero muito estar errado!

  6. Agora é manter a desobstrução … E a PMERJ deveria agir com seus meios de ocupação.

    É hipócrita, ou no máximo uma parca verdade, algumas alegações de oficiais da PMERJ de que os agentes das UPP’s deveriam estar “patrulhando as ruas” … Francamente, se a polícia não captura o bandido estando ela dentro do seu conhecido reduto clássico não vai fazê-lo na amplitude das ruas … O argumento serve para tirá-los das UPP’s e, na verdade, realocá-los em atividades administrativas ou na segurança de Tribunais e Fóruns, ou ainda na segurança privada de famílias de autoridades do Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público locais, a soldo de funções comissionadas adicionais … Como sempre foi feito, e ainda é feito, em detrimento do “patrulhamento das ruas”.

    É de bom alvitre o interventor-militar, no amparo de um Ministro da Segurança Pública com evidente respaldo político e por consequência econômico, à medida que sua pasta foi eximida de contingenciamentos orçamentários, promover imediatos concursos públicos para PMERJ, aumentos de salários da categoria e sugerir maior rigor nos concursos públicos de ingresso na carreira, pois hoje basta assinar o nome no exame de admissão para ser um soldado da policial militar.

    A mediocridade intelectual, mesmo não sendo imperativo, usualmente dá azo a outros vícios de formação profissional.

    A PMERJ, como todas as polícias estaduais, precisa ser refundada ou afundada de vez.

  7. Bardini, você acha mesmo que em cerca de 08 meses para as eleições dá para fazer, de alguém amplamente vinculado ao Temer, um presidenciável? Não duvido de nada. Pode até ser. Mas, se for, esse pessoal é mais burro do que parece. Simplesmente não dá. O Temer tem um índice de rejeição altíssimo, incomparável com qualquer outra época.

    Quanto ao trabalho do exército, como sempre, de alta qualidade. Mas, como bem disse o colega acima, o desafio é mudar a mentalidade dessa população. Aquelas crianças mostram muito bem isso. E isso requer décadas. Esse paliativo é para inglês ver. Saiu o Exército, a turma volta. E a molecada estará lá, disposta a entrar pro time. Fora que intervenção alheia à “álea política”, não tem força. Enquanto a galera do Pesão estiver por lá, é mais do mesmo. Intervenção decente afastaria todo o comando das polícias, faria uma ampla investigação dentro de casa, afastaria o poder político e daria poderes de ação às forças empregadas na segurança.

  8. Ozawa 2 de Março de 2018 at 18:43

    Mas como fazer isso mediante a situação de comprometimento econômico do estado do RJ? Aumentando o endividamento ao contrair um empréstimo junto ao BNDES? O atual estado de comprometimento do erário permite uma grau de investimento – necessário! – de tal monta?

  9. Enquanto no Brasil nao se mostrar que o crime nao compensa, princiipalmente para a elite politica e economica, vamos sempre precisar de intervencao dos poucos honrados.

  10. Luciano 2 de Março de 2018 at 23:43
    Há dinheiro. Segurança Pública é 50% dinheiro e 50% caráter. As autoridades do Rio não têm ambas mas a União pode, ao menos, transferir dinheiro pois o tem, conquanto também não tenha caráter. Mas é suficiente para o Rio sair do pandemônio ao ruim.

  11. os VANTs da força aérea estão ajundado as forças de segurança no Rio certo?! e pelo que eu viu numa emissora de tv hoje a noite que as patrulhas se deparam com enormes buracos nas ruas!! uma pergunta de leigo no assunto? o VANT não consegue ” enxergar” esses buracos? pois poderiam.adiantar o serviço!

  12. o maior problema do Brasil são as fronteiras!!! foi pego numa blitz aqui onde eu moro um carro com mais de 200 maços de cigarro! pelo que saiu na mídia esse mesmo carro saiu do Paraguai, e de lá de onde ele saiu até até aqui da 750 km! não tenho certeza mas só postos de fiscalização da Polícia nesse trecho são uns 10. Se com cigarro eles conseguiram fazer esse trajeto imagine com fuzil, metralhadoras etc…

  13. Bom trabalho da Engenharia de Combate! Caracal dando apoio aéreo, se fosse um Mi-35 ( Crocodilo) ou quem sabe se tivesse um Super Cobra, ia tocar o terror. Aquele Jeep vermelho na comunidade?…..ainda bem que liberaram o uso da baclava preta ou verde oliva, estavam de mimimi com o uso das baclavas de caveiras, só falta mandarem os soldados usarem lencinho cor de rosa!…preferia um M-113 com uma .50 a esse Guarani desarmado, tem que mostrar poder de fogo, os traficantes não ostentam .50? Pq o EB tem que entrar com esses blindados desarmados?…essas imagens rodam o mundo todo!…o cidadão levando uma geral, achei correto o posicionamento dos soldados e os caminhões com soldados para dar apoio ao combate.

  14. Na baixada os criminosos invadem canteiros de obras públicas e roubam manilhas de água para fazerem barricadas. Sabem quanto pesa cada manilha de concreto de 2mx2m e centímetros de espessura de parede ? Fora que a usam de barricada,

  15. Excelente trabalho, como de costume. A Engenharia do EB é excelente. Sempre que é chamada à fazer alguma coisa, faz muito bem feito, à exemplo daqueles trechos de estrada entregues antes do tempo e abaixo do orçamento.

    Mas sinceramente não entendo a mania de alguns dos soldados em apoiarem o fuzil no carregador.

  16. Ozawa 3 de Março de 2018 at 0:06

    Pois, há dinheiro! A liberação das verbas para os parlamentares salvarem Temer foi um exemplo disso. O problema é que a falta de caráter compromete tudo e a questão da segurança vira apenas um instrumento político em ano eleitoral. Quem nao ficou nada feliz com isso foi Meireles.

  17. Derrubada das muralhas de Jericó, Pontes de barcos entrelaçados dos Persas, a rampa dos Romanos em Massadas, Estrada do Chaco no Paraguai, a pista de pouso em Guadalcanal, todas grandes vitórias proporcionadas pela Engenharia!

  18. João Ricardo 3 de Março de 2018 at 0:34
    João Ricardo, vc quer que todo o carro seja parado nas estradas para ser revistado, eu mesmo detesto quando sou parado para revista em uma blitz, quando o policial da boa noite eu respondo e má vontade, pois a noite estava boa até um completo estranho se achar no direito de mandar abrir o porta malas do meu carro sem um mandado judicial.
    Mas fazer o que, sou obrigado a aceitar este tipo de abuso.

  19. Leandro Costa 3 de Março de 2018 at 10:48

    Mas sinceramente não entendo a mania de alguns dos soldados em apoiarem o fuzil no carregador.

    Amigo. É muito desconfortável você sustentar um fuzil, ainda mais um FAL ou PARA-FAL alimentado durante horas e horas. E a forma menos estressante de portar um fuzil nessas condições é segurando ou apoiando pelo carregador. Questão de ergonomia em pronto 1. Agora em pronto 3 nós somos instruídos a empunhar no guarda mão, normal.

  20. Walfrido Strobel 3 de Março de 2018 at 16:00

    Walfrido, só inteligencia não adianta, há necessidade do patrulhamento ostensivo e revistas. O policial não tem bola de cristal para saber quem é de bem ou não, por esse motivo deve tratar todos de maneira respeitosa, mas firme, até que se não pairem mais duvidas.

    quanto ao mandado de busca, penso normalmente como você, mas não temos condições nesse momento de implementar algo assim, seria como tirar a policia das ruas.

  21. “Walfrido Strobel 3 de Março de 2018 at 16:00
    João Ricardo 3 de Março de 2018 at 0:34
    João Ricardo, vc quer que todo o carro seja parado nas estradas para ser revistado, eu mesmo detesto quando sou parado para revista em uma blitz, quando o policial da boa noite eu respondo e má vontade, pois a noite estava boa até um completo estranho se achar no direito de mandar abrir o porta malas do meu carro sem um mandado judicial.
    Mas fazer o que, sou obrigado a aceitar este tipo de abuso.”

    Se você acha um abuso um policial pedir para olhar o porta-malas do seu carro, sem um mandado judicial, basta não permitir que ele olhe. Aí, ele vai usar o direito dele em te manter retido até ele conseguir um mandado e te obrigar a abrir o porta-malas.
    Tem coisas sem explicação nesse país. Se tu não tem nada a temer, por que não abrir o porta-malas? Por que você se considera invadido em sua privacidade? Ora bolas…..tanta coisa mais importante pra se discutir e se vê coisas sem a menor relevância como essas!

  22. Flanker 4 de Março de 2018 at 10:09

    Olá Flanker, em que Lei será que está escrito que a revista de um carro ou até mesmo a revista pessoal requeira um mandado judicial?

    Quando se vai a um aeroporto, por exemplo, fazer embarque em um avião, atualmente, somos revistados da cabeça aos pés, sujeitados a detectores de metais, a bagagem passa por equipamentos de raio X e se houver uma suspeita de “tráfico de entorpecentes” até a pessoa passa por raio X.

    Até para entrar em uma agência bancária, você “sofre” uma revista pessoal e nem é feita por um agente do estado!

    E até onde sei, nunca foi apresentado o tal do mandado judicial para nenhuma destas revistas.

  23. O Brasil nessa m… e o caboclo reclama de abrir o porta malas. Hipocrisia pura. Depois reclama que os fuzis chegam no Rio via terrestre e “a polícia não faz nada”. É o fim.

  24. Ninguém gosta de ser fiscalizado ou revistado.
    Nem mesmo na entrada de shows onde o pessoal passa a mão mesmo…
    E realmente vejo algumas abordagens na rua, vão dois passageiros na moto, a polícia manda descer, virar para a parede e abrir as pernas. É constrangedor.
    O ideal é fazer isso da forma mais cordial e respeitosa possível.
    Mas prefiro isso a deixar tudo correr solto.
    E a coisa está correndo frouxa.
    São várias frentes.
    É a falta de trabalho de inteligência e de fiscalização ostensiva nas fronteiras.
    É a falta de atuação efetiva sobre a circulação das drogas entre as fronteiras e as cidades.
    É a falta do desmatamento das redes de vendas nas cidades.
    É a falta de enfrentamento à venda de drogas ao público seja em festas ou outros pontos (escolas).
    É o problema do politicamente correto.
    É a falta de atuação dentro dos presídios.
    São as audiências de custódia que liberam integrantes do crime organizado, mesmo com as evidências de materialidade e autoria.
    É a libertinagem dentro dos presídios.
    Algo precisa ser feito.
    Talvez essa intervenção seja um tiro no pé por faltar planejamento e a imprensa pode acabar queimando a imagem do exército como é comum no Brasil.

  25. Luiz, esse é o problema.
    Não é só entrar.
    É extirpar o mal.
    O comando e a estrutura.
    O problema dessa intervenção é que ela é meio de mentirinha.
    Não há liberdade para tomar todas as medidas.
    O tráfico continua lá.
    Os meninos do tráfico fazem gestos obscenos.
    E o exército não pode fazer nada.
    Deveriam prender…
    Crime militar.
    Mandar para a selva amazônica…
    É essa cultura arraigada nos morros cariocas e na imprensa que provoca a ausência de respeito a pais, professores, polícia…

  26. É verdade Antônio. Na minha maneira de ver a coisa, acho que o exército deveria dar uma resposta à altura, mas como você mesmo disse, ele não pode fazer nada, está de mão amarradas e está sendo monitorado de perto pelas órgãos protetores dos direitos dos manos. O meu receio é que as Forças Armadas não consigam cumprir o seu papel a contento e saiam dessa, no que me parece ser, uma pseudo intervenção, desmoralizadas. Se isso acontecer, o Brasil estará perdido. É o que eu penso.

  27. Nossa velho, eu já vi besteira escrita aqui mas essa da mala do carro foi de doer.
    Responde de má vontade…que bacana para um ex oficial da FAB.

    Mandado judicial para revistar mala de carro? Agora pronto. E o poder de polícia do agente administrativo? Já pensou, em uma operação dessas, a necessidade de mandado para averiguar cada carro e/ou cidadão? Só sendo um alienígena para cogitar uma coisa dessas.

    Casa tem que ter mandado. Comunicações telefônicas tem que ter mandado. Abordagem pessoal, havendo indícios, não tem que ter.

    Engraçado esse assunto que hoje mesmo, um amigo que é Rotam/DF nos enviou um vídeo de uma abordagem…receberam o informe de que uma pessoa num carro estava como uma arma, chegando lá a mulher estava com a arma no meio dos peitos.

    O vídeo é esse: https://www.youtube.com/watch?v=YEvjevpB5Zc&t=316s

    Segundo o nosso amigo, a pm deveria esperar o mandado chegar, em pleno sábado, para abordar a santa. Afinal, ela poderia “responder com má vontade”. kkkkkk piada

  28. Estão secando gelo as FA enquanto não reformar o código penal e prender os polícias e políticos corruptos que lucram com o tráfico no morro a parada não vai se resolver .

  29. “Ozawa 2 de Março de 2018 at 18:43
    “A PMERJ, como todas as polícias estaduais, precisa ser refundada ou afundada de vez”.
    _____________________________________________________________________________
    Concordo plenamente, a maneira mais viável de isso acontecer é federalizar as polícias militares incorporando-as a Força Nacional de Segurança, com novos regulamentos, equipamentos, bem treinada, paga e motivada. temos que criar também um Polícia Federal de Fronteira (PFF), assim como Guarda Costeira. De jeito que a coisa está, com as fronteiras escancaradas, portos e aeroportos servindo como escoadouro da produção de drogas dos nossos vizinhos, realmente essa “intervenção” só vai mesmo é servir para enxugar gelo e dar ferias aos bandidos.

  30. Essa intervenção tem o objetivo velado de minar a campanha do Bolsonaro, por meio da “ineficácia do EB”. Estabeleceram regras de engajamento ridículas, pra não dizer criminosas. Gen Braga Neto aceitou porque quis. Ou está pleiteando vaga no STM…

  31. Nunca haviam colocado um militar para ser Ministro da Defesa, aí, quando colocam, ele é a favor do Estatuto do Desarmamento.
    Tomara que o Temer arrume logo alguém melhor para assumir o ministério.

  32. Rinaldo Nery 4 de Março de 2018 at 23:02

    Exatamente isso!!!! Gen Braga Neto pra mim está sendo fraco(até que me mostre o contrário). Deveria dar ordens aos soldados pra largar o dedo em “moleque” de arma em punho e dar apoio jurídico militar aos mesmos, colocar terror mesmo e quando a mídia lixo malhar pau, ir na tv e dizer que EB não brinca, e missão dada é missão cumprida e que até Dezembro quem andar de fuzil em punho estará com um grande alvo nas costas, assim calaria a boca do desgoverno falido e corrompido deste país.

  33. Prezados Cel Nery e Tomcat3.7
    Na minha opinião, o Gen Braga Netto aceitou, pq sabe q se não aceitasse, escolheriam outro e a batata continuaria sendo do exército só q com outro responsável. Aceitou pra batata não cair nas mãos de outro.
    Pedir pra sair ia só mostrar uma discordância, mas não resolveria o problema. O camarada chegar a 4 estrelas pra fugir e explodir na mao de outro é desleal, na minha opiniao.
    Que eu saiba, de boatos, é q, se não houvesse isso tudo, ele passaria o CML no meio do ano, após os normais 2 anos de Cmdo e ficaria no DECEx pra continuar no Rio. Não tem nada com o STM.
    Ele já mostrou como atua, quando a Policia Civil tentou pôr na cota do Exército, a morte de civis em São Gonçalo, a Delegacia de Homicidios e os DH exigiram q a tropa dele fosse periciada e ele negou categoricamente: Não, não foi tropa do exército q atirou, então não autorizarei pericia nenhuma, até pq não cabe a justica civil, mas a militar.
    Não sei onde os senhores moram, mas aqui no Rio tudo foi manchete.
    O problema todo é q tudo isso foge ao aspecto militar da situação. As soluções principais são a longo prazo. A solução militar só apoia, porém tem de ser feito com garantias q não estão sendo dadas.
    Deram a missão do nada, sem nem dar tempo de planejar antes, logo estão planejando agora. Como é complexo, não esperem um planejamento rapido e simples.
    Como envolve todas as expressões do Poder Nacional e só a Militar está sendo empregada, não esperem solução profunda e duradoura.
    Se quisessem resolver, após pacificado o Alemão, q realmente o foi, os executivos das 3 esferas teriam melhorado aquele lugar e não o fizeram…
    Na Maré, como viram q o EB resolveu o Alemão, deram menos instrumentos, e fizeram menos ainda nas 3 esferas…
    Está bem óbvio q não querem resolver há muito tempo…
    Situação e oposição no RJ são envolvidos com um ou mais problemas como corrupção, contravenção, milícias e crime organizado…. Querem resolver?????
    O fator político vem a galope…
    Essa situação está muitissimo complicada. Sem outros dispositivos e expressões…
    É igual ir pra Controle de Distúrbio… ou se sai truculento ou se sai insuficiente….
    Espero q os governos e outros órgãos apoiem.
    O Gen Braga Netto é MUITO competente e safo. Tem o respeito e admiração de seus subordinados.
    O nó é grande, mas pode ser desembaraçado. É preciso dar tempo ao tempo.
    Pirotecnia ele não fará.
    Sds

  34. Matheus 5 de Março de 2018 at 1:44

    Sinistro.

    Parece que foi um pouco diferente da informação veiculada pelo governo americano onde eles mataram “dozens” antes de serem abatidos. Pelo video foi um massacre os amerikanski não tiveram a menor chance.

  35. Já falei e repito: muito mimimi de não ter segurança jurídica e isso e aquilo.
    Naquela ação na Vila Cruzeiro em que uma orda de bandidos fugia morro acima, alguns levaram tiros do Bope e não aconteceu absolutamente nada com os policiais.
    A PM-SP mata uns 600 bandidos por ano e muito raramente são processados. E olha que uma parte das mortes é bem questionável ou claramente ilegal. Dá para contar nos dedos as condenações e duvido que exista alguma condenação num caso que o bandido estava armado.
    Enfim, pessoal das Forças Armadas pode muito bem apertar o gatilho se encontrar alguém com um fuzil na mão que não serão presos. Falta ação. Muita melancia na tropa e, principalmente, no Comando.

  36. Tres horas depois das tropas retirarem-se já estavam as barricadas com concreto e trilhos de trem recolocados.

    Não adianta, tem que ter ocupação permanente. Senão o EB será desmoralizado como a PM, que foi usada para fins escusos, desmoralizada, sucateada e seus cargos de comando usados para projeção de poder político.
    Ou ocupa-se tudo ao mesmo tempo, se faz a limpeza na PMRJ e PCRJ e CBMRJ, e se faz um cerco com tudo que se tem, ou não vai adiantar nada.
    Um (des) governo que não atualiza nem o firewall, do CICC, desde 2015, não se esperaria nada mais além disso, pois é senhores, desde 2015. Se um bom hacker / kracker tivesse invadido, teria parado grande parte do aparato de segurança na Rio2016, e seriamos a piada global.

  37. Agnelo, só para esclarecer, meu comentário foi feito sem ter lido o seu.
    Desconhecia essa questão da perícia – talvez não tenha saído na imprensa paulista ou saiu com pouco destaque. Agiu certo o General.

  38. Existem favelas e complexos que são estratégicos : Maré, Pedreira, Alemão, Rocinha, Jacarezinho, Dendê, entre outras.
    Separa uma força de 10mil soldados e policiais, e ocupa-se cada uma dessas comunidades grandes a cada semana. Revira-se tudo. Procura-se até achar.

  39. Interessante suas colocações Agnelo, só nos cabe ,dentro de todo este contexto, esperar pra ver os capítulos vindouros desta história, mas, como mostrado em “Tropa de Elite 2”, o maior problema é a ponta da pirâmide(políticos,juízes, alta cúpula das polícias e etc), os manés de fuzil em punho são os peões neste tabuleiro de xadrez.

  40. Favela é um desastre urbanístico que leva ao desastre da segurança pública (dentre outros); o que é a selva e a serra para a guerrilha rural, a favela o é para a guerrilha urbana (o exemplo de Paris do século XIX não ensinou nada aos nossos governantes).

  41. Aí está o problema.
    Entraram, retiraram barricadas, que foram recolocadas.
    Então não prenderam os bandidos?
    Não é possível identificar quem colocou as barricadas?
    Tem que cortar o mal pela raiz…

  42. No Brasil as mudanças – quando ocorrem – são sempre paquidérmicas. Lentas e graduais. De preferência, através de grandes acordos onde nada efetivamente muda.
    Para mim o exercito ta como figurante nas favelas, os bandidos ainda estão no controle e até ja mandaram os moradores a montar as barricadas de volta.
    Os soldados estão sendo zoados pelo povo.
    Triste ver um exército que ja foi forte nesta situação.
    Eu ja fui do exército e posso falar como era na minha época, tirava trabalho com o FAL até a boca de cartucho e mais um carregador de reserva.Hoje soldados tiram serviço com um pedaço de pau de medo dos marginais roubarem seu Fuzil.

  43. Isto Não é e nunca será Atribuição do Brioso Exército, durante e no final da Intervenção, que será cobrado e criticado, é o Exército, muito cômodo para ás policias estadual, os bandidos Continuam a Desafiar o Estado do Rj, fraco e Incompetente no período Pezão.
    O Exército aceitou, por cumprir ordem do Presidente, mas quem será cobrado, será o Exército, é como disse o Sr. General Mourão Filho:
    Intervenção meia sola. Até o General Heleno que esteve comandando ás tropas do Haiti, em entrevista na rádio CBN em fevereiro, criticou pontos da intervenção.
    O povo, esperava a Intervenção mais atuante e Intimidando e prendendo bandidos e os FUZIS, que são armas de guerra.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here