Home Conflitos em andamento Israel acusa Irã de disparar foguetes contra exército no Golan

Israel acusa Irã de disparar foguetes contra exército no Golan

5771
72
Tanques de Israel em Golan
Tanques de Israel em Golan

Ao menos 20 foguetes foram disparados de território sírio em direção a postos das Forças Armadas de Israel nas colinas do Golan; Forças iranianas operam na Síria em apoio a Bashar Assad

JERUSALÉM – Forças militares na Síria dispararam ao menos 20 foguetes contra postos do Exército de Israel nas colinas de Golan nesta quarta-feira, 9. O exército israelense está atribuindo o ataque a integrantes das Forças Quds, a elite da Guarda Revolucionária do Irã. Ninguém ficou ferido no ataque. Vários foguetes foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis de Israel, conhecido como Iron Dome.

Os militares de Israel afirmam que as avaliações de inteligência do país previam que depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que estava se retirando do acordo nuclear com o país, Israel provavelmente seria alvo de foguetes e o Irã tentaria retaliar.

Teerã emitiu diversas ameaças no mês passado, em resposta a uma série de ataques da força aérea israelense ao território sírio. O último ataque, realizado em 9 de maio, deixou ao menos sete iranianos na base da força aérea síria T4. Forças iranianas operam em território sírio, e o Irã é um dos principais apoiadores do regime de Bashar Assad.

Desde o mês passado as tensões entre Irã e Israel vem aumentando ao longo da fronteira israelense com a Síria, e o exército aumentou as medidas de segurança na região, instalando mais baterias antiaéreas.

Depois que o ataque foi relatado na noite de quarta-feira, o porta-voz das Forças Armadas de Israel, Ronen Manelis, disse a repórteres que o ataque foi realizado por membros das forças Quds que operam na Síria. Ontem, o exército instruiu moradores da região a procurar os abrigos anti aéreos do Exército caso a situação se agrave.

FONTE: Estadão/Agências Internacionais

72 COMMENTS

  1. Israel ta a frente de todos países naquela região, então acho que esse ódio que eles sentem por Israel deveriam engolir, pois a resposta de Israel sempre é mais dura! Síria deveria tá se preocupando mais com EUA e TERRORISTAS do que tá colocando o Irã no seu quintal e brigando com o vizinho.

  2. Israel está a frente dos países da região, especialmente por ter os EUA como principal aliado. Mas será que aguentariam uma nova aliança árabe?

    Arábia Saudita está entre os 5 países do mundo que mais investem em armas. Possuem uma aviação de respeito. Egito, Emirados Árabes, Qatar, Bahrein idem. Iraque vem recuperando suas forças armadas.
    Sem falar nos turcos e iranianos. Naquela região, ninguém está para brincadeira.
    Dizem que em questão de doutrina, a força aérea israelense se sobressai em relação aos demais. Mas em relação à equipamento, já não há tanta supremacia assim.
    A sorte dos israelenses é que, antes de os odiarem, os árabes odeiam a si mesmos, com uma pitada de influência dos persas e dos turcos.

    • Arábia Saudita ? É mais fácil ela financiar o ataque Israelense a forças iranianas que ficar contra Israel nesse caso.

      • Pra nós, todos são árabes. Pra eles, os iranianos são persas.
        E a participação do Irã na Síria e Iemen tem muito mais com a tensão Irã x AS, do que com Israel.
        Sds

        • Justamente senhores. É o que eu disse.
          É bem mais fácil os árabes se estranharem entre eles mesmos do que com Israel.

          Além disso, só para não deixar dúvidas, no meu comentário, tomei o cuidado de separar os turcos e iranianos do grupo dos árabes.

          Por fim, também acho bem mais provável acontecer algo entre árabes, persas e turcos do que diretamente contra Israel. Aliás, já vem ocorrendo com o Iêmen e AS e chegou perto de ocorrer com o Qatar no ano passado.

        • Caro Agnelo. Além tem uma população de maioria persa e são muiçumanos xiitas, enquanto que a Arábia Saudita são árabes sunitas. Israel também vê o Irã como a unica potência regional com potencial nuclear.

      • Dizem que quando Israel atacou o reator nuclear do Iraque no começo da década de 80, os sauditas deram uma ajuda ao fingir que não viram a esquadrilha atravessar seu território.

    • Os principais adversários das guerras anteriores foram a Siria e o Egito.
      Egito, apesar dos altos e baixos ainda continua em paz com Israel.
      Síria está destroçada por uma guerra civil, se antes já não conseguia derrotar Israel, imagine hoje.
      Iraque (que chegou enviar tropas nas guerras) está tentando sair dos escombros, sendo aliado dos EUA dificilmente vai tentar algo.
      EAU, Arabia Saudita já não falam publicamente em destruição de Israel, existem noticias que existe um bom intercambio (debaixo dos panos) entres os paises. Temos que lembrar que AS enxerga o Ira como o seu grande inimigo.
      Jordania não conta, inclusive recebeu ajuda militar de Israel (Heli de ataque).
      Qatar já tem relações comerciais com Israel mas é mais alinhado com Irã, de repente pode até rolar uma guerra entre eles e a AS, particularmente não acredito.
      Barhei tem um inimigo em comum que é Irã, dificil achar que vão se meter em algo com os Israelenses.
      Mas tudo pode mudar em questão de meses ou anos. É só lembrar que Israel e Ira foram aliados e mesmo depois da deposição do Xá Reza, Israel continuou o intercambio militar por anos (no caso venda de peças de reposição).

      • Mesmo isso é só bravata do Irã para mostra pros outros que é capaz de morter. MAs na minha opnião mais late que qualquer outra coisa…

        Alias hoje Israel já respondeu com uma barragem de 70 misseis na Siria em direção a alvos Iranianos.

    • Verdade meu caro Felipe , se juntar todos da região contra Israel (o que acho pouco provável)a parada ia ficar “ruim” para eles , eu teriam que ser socorridos pelo “Tio Sam” ou apelas para os artefatos nucleares ( que oficialmente eles nunca confirmaram ter ).

        • HMS, por mais que a história corrobore a superioridade das forças israelenses, hoje a situação pode ser outra.
          Vou frisar para que você não me mande estudar história também. A situação PODE ser outra.

          SUPONDO que árabes e/ou turcos e/ou iranianos resolvam se juntar contra o inimigo em comum. No que se refere à equipamentos, em um conflito convencional, essa suposta coalizão estaria na frente de Israel em quantidade e talvez equiparados em qualidade. Aí entra a aplicação dos equipamentos e logística, no que se diz que Israel está muito a frente. Mas, ignorando as lambanças que as forças sauditas fazem por ai, será que os vizinhos de Israel ainda são tão amadores como se propaga por ai? Com toda a grana que gastam? Com todo esse tempo que tiveram, não conseguiram “pagar” a doutrina?

          Sei não…pode ser que sim, pode ser que não.

          De qualquer forma, o crucial nessa questão ainda são os americanos. Hoje, americanos estão dispostos a colocar o coturno no OM para defender Israel. Agora duvido muito que os russos ou chineses se aventurariam por uma coalizão árabe. Até porque, hoje, boa parte desses países estão sob a influência americana.

    • Caro Felipe.
      Os árabes enfrentaram Israel pq tinham o apoio militar, econômico e político da URSS. Tanto é assim que na guerra do Yon Kipur foram 10 países que atacaram Israel, com apoio de soldados de mais 40 países incluindo aí Cuba e Arábia Saudita. E ainda sim perderam. Observe que a ajuda dos EUA foi só no final da guerra e em material militar.
      Depois da queda da URSS nunca mais os árabes atacaram Israel.

    • Arabia Saudita diretamente não participou da guerra Seis Dias ou do Yom Kippur.

      Apenas na Guerra árabe-israelense de 1948 mandaram mercenarios

      Deixaram por conta dos sírios, egípcios e libaneses perderem soldados e territorios

  3. Isso é apenas a ditadura do aiatolá Khamenei dando uma resposta à linha dura iraniana, por conta do abandono de Trump do estapafúrdio acordo Obama.
    .
    Uma ação midiática: eles sabem que não tem poder para causar o menor dano em Israel, e sabem que a resposta israelense virá, e será pesada, tanto contra a Síria como contra suas tropas em território sírio; mas não se importam: o importante é aparecerem como “agredidos”, para poderem chamar Israel de fascista.
    .
    Na boa, mas essa história de Oriente Médio versus Israel já encheu. O Estado de Israel tem muita paciência, parece a América, credo… Se eu mandasse lá soltava logo uma bomba atômica na Síria e avisava que a próxima cairia em Teerã e pronto: fim da guerra…

    • E os aiatolás ainda tomaram um ferro violento de Israel durante a noite….

      A verdade é que os sírios e os iranianos têm mais é que tomar bomba na cabeça. Quem sabe aprendem a ser gente

  4. Sem dúvida uma reação contundente de Israel ante ao ataque desferido pelas forças a mando do ditadura teocrática iraniana. Na noite de quarta a força Quds da Guarda revolucionária iraniana disparou 20 foguetes contra o Golan sendo que 4 foram interceptados pelo sistema Iron Dome (que mais uma vez mostra sua eficácia) ao passo que 16 caíram em território sírio. Em resposta as forças israelenses, especialmente a Heyl Ha’Avir, desfecharam um contundente ataque contra as infraestruturas iranianas em território sírio que atingiram depósitos de armas, instalações logísticas e centros de inteligência, matando 18 combatentes estrangeiros (ao que tudo indica iranianos).

    De igual também as defesas anti-aéreas sírias sofreram um duro golpe tendo sido atingidas ao menos 5 baterias de mísseis e, segundo uma fonte do país árabe, também um radar teria sido posto fora de ação.

    Segundo analistas internacionais o ataque israelense, o de maior magnitude desfechado na Síria em tempos recentes, representou um revés significativo para as pretensões iranianas. Segundo o Ministro da Defesa israelense Avigdor Lieberman praticamente todas as instalações iranianas foram atingidas no ataque.

  5. E aparentemente o Putin está fazendo vista gorda.

    O Bibi não é de brincadeiras e Israel é uma potencia military e nuclear de respeito.

    Espero que Netanhyau ganhe as eleições novamente.

    Os iranianos estão cavando a propria sepultura.

    Está na hora de punir o Iran com o porrete nuclear.

    • Dificilllllll qualquer país que usar uma arma nuclear hoje vai imediatamente perder todo o soft power da noite pro dia e ter o mundo inteiro contra ele. Nem o Trump fica do lado de Israel se eles transformarem qualquer país da região em uma cratera sem antes ter sofrido algum tipo de ataque quimico/biológico/nuclear.

      É o tipo de coisa que se passar um boi, depois passa a boiada inteira.

      • Correta a sua afirmação,pois o poder nuclear foi criado,em tese,para nunca ser usado,ser uma salvaguarda,uma garantia de segurança,última carta,quando não mais houver outra saída.
        Entre dois contendedores atômicos será o fim para ambos,entre um atômico e outro não,pode ser a aniquilação do último,e depois como fica?
        As armas atômicas foram criadas para não serem usadas,serem apenas,um equilíbrio do terror!

    • Me perdoe Tadeu mas se sua opinião for seguida milhões de homens, mulheres. crianças e idosos iriam morrer sendo inocentes !! As armas nucleares foram criadas para serem usadas em uma Guerra Mundial onde não vai sobrar nada de porra nenhuma e jamais de um país contra o outro !!

      • Ninguem quer uma carnificina dessas. Estou de acordo contigo. Israel jamais faria um ataque pre-emptivo com armas nucleares.

        Mas eu penso que se o Iran lançar um ataque químico, biológico ou radioógico (bomba suja) Israel retaliaria nuclearmente.

        Eu não tenho nada contra os iranianos que estão subjulgados ao regime teocrático totalitário. Mas quando me refiro ao porrete nuclear, é no sentido de usar arma nuclear tática contra as instalações de enriquecimento de urânio, yellow cake, e plantas de mísseis balísticos . Seria um ataque cirúrgico, longe das áreas urbanas.

        • Uma arma nuclear tática emite radiação tanto quanto uma arma nuclear de maior potência !! Desta forma haveria a possibilidade de civis serem atingidos !! Sem contar que o uso de qualquer arma nuclear é terminantemente proibido pela ONU !! Israel estaria rasgando o TNP sem sequer ser signatário do Tratado o que fatalmente não seria tolerado pela Comunidade de Nações que exigiria (muito embora os EUA vetem qualquer resolução contra Israel) a desnuclearização de Israel caso contrário abriria precedentes para o próprio Iran romper com o TNP e colocar suas instalações sob suas cidades (se é que boa parte delas já não estejam) o que só seria possível a sua destruição com uma incursão por terra, o que acredito que depois da experiência no Iraque os EUA não queiram botar botas no solo e sofrer uma resistência muito mais forte e letal por parte dos iranianos !!

  6. A ambições persas na Síria deverão ser freadas hora ou outra. Não só por Israel, mas pela Rússia e a própria Síria.

    Estão acompanhando as eleições no Iraque? Kamenei é usado em outdoors de candidatos, pra puxar voto, o Iraque deve ter uns 4 ou 5 Nashallahs, a influência persa é enorme. O Iraque vai ser um Líbano gigante. Tem o PMU com uma grande influência no governo e controlando metade do material das FAs.

    Fora que também não é interesse da Turquia um acesso político contíguo do Irã ao mediterrâneo.

  7. Os comandantes militares do Irã sempre fizeram questao de ir a publico para dizer que irão “exterminar” o Estado Judeu, ao contrario de Israel (que, de fato, poderia exterminar varios Estados arabes no momento que desejasse) que sempre procurou se estabelecer para poder viver em tranquilidade, demonstrando que sao eles, os arabes, que querem a guerra. Negar, por parte dos paises arabes, o reconhecimento ao direito de existencia de Israel é demonstrar uma infantilidade a qual poderá levar o mundo a uma nova guerra. Se Israel fosse expansionista como a ex URSS (leia-se russia), ainda va lá, mas o unico movimento expansionista se deveu as guerras dos Estados Arabes em nao aceitar um possivel “invasor” em “sua” regiao, negando a realidade historica. Israel é um exemplo de naçao a ser seguido, no que diz respeito a manutençao da integridade fisica de suas fronteiras. Que sirva de exemplo quando a ONU tentar se apropriar de Roraima, em “defesa dos povos indigenas”.

  8. Sabendo que os carregamentos de armas que são levados para a Síria e para o Líbano fatalmente serão bombardeados será que os iranianos seriam tão trouxas de deixá los armazenados em locais onde a Força Aérea de Israel possa facilmente destruí los ?? Será que não é uma armadilha do Iran para Israel gastar mísseis de precisão muitas vezes com uma possível remessa de armamentos fake (técnica russa da masharikova que consiste em oferecer alvos falsos que parecem verdadeiros !! Digo isso pois seria bem mais fácil o Iran levar os componentes eletrônicos em vôos civis para a Síria e Líbano já que nesses dois países com certeza deve ter alguma estrutura de montagem de foguetes e mísseis !!

  9. Alguns mísseis usados foram os Spike NLOS. Como tem alcance relativamente curto (20-30km) e são lançados de helis ou blindados, pode significar que forças israelis estão penetrando território sírio.

  10. Estes Merkavas são excelentes não!
    Me arrisco a dizer que está entre os 3 melhores do mundo!
    Equipadaço, protegidos e auto-protegidos, com excelente relação peso potência, bem armados, com baixa silhueta e com tripulação extremamente treinada.
    Um monstro!!!

  11. Ainda bem que o Governo Israelense é feito por gente inteligente e competente pq se dependendesse de alguns fanboys-american-Trump o mundo ja tinha acabado em um holocausto nuclear e ate o Brasil ia se ferrar sem ter nada a ver com isso.

    Os Governo do Iran nao representa o povo do Iran.
    O povo ali tbm é refem das açoes equivocadas de fanaticos que estao no poder, o mesmo acontecendo em outros países muçulmanos do Oriente Medio.

    Israel atacar o povo de outro país com armas nucleares seria o mesmo que o Exercito Brasileiro bombardear uma favela com artilharia pesada so para matar alguns traficantes, ou seja, mataria junto trabalhadores, criancas, idosos e mulheres inocentes que nada tem a ver com isso. Seria o mesmo que usar um canhao para matar um mosquito.

    Alguns comenristas aqui dizem alguns absurdos piores do que as noticias fantasiosas do Sputinik.

  12. Israel tá muito cheio de fru, fru, fru… se tem provas que o Irã está avançando no seu projeto de armas nucleares, e que estão atacando Israel através da síria, já passou da hora de ataca-los, vai esperar eles criarem sua arma nuclear, como os EUA do Obama fizeram com a CN ? Depois pode ser tarde!

    • João , normalmente acho seus comentários sensatos e interessantes, mas este ai acho que é bola fora sua.

      Respeito sua opinião, mas discordo totalmente.

      Não estou dizendo que seja o seu caso, mas há muita gente aqui no site que está desinformada ou pior, mal informada sobre Israel, mas mesmo assim emitem opiniões (normalmente anti-semitas) sobre a situação de Israel e sobre o conflito árabe-israelense.

      Já comentei aqui em outras oportunidades que viajo com muita frequencia para aquela região e posso te assegurar que o que publicam aqui na midia normalmente está errado.

      Portanto não concordo com você quando disse que o blog é uma embaixada de Israel, apesar de apreciar seus comentários de uma maneira geral.

      Abs.

  13. Alessandro ( 10 de Maio de 2018 at 22:27 ),

    A questão é necessariamente o que atacar e como atacar…

    Destruir as intalações iranianas não é tão simples assim. Estamos falando de complexos fortificados ( alguns subterrâneos, segundo publicado na imprensa ), e que certamente estarão pesadamente defendidos.

    Atacar os cientistas também pode não ser uma alternativa, se levarmos em conta que o conhecimento já pode ter sido disseminado a uma massa crítica de especialistas e que outros podem levar a cabo a tarefa.

    Enfim, se Israel partir para o ataque, não será como Osirak. Estaremos falando da maior operação desta força aérea desde os combates sobre o Bekaa, e envolverá talvez mais de 70% da IDF/AF. E aí temos imensos problemas, tais como a distância, o aparato necessário para reabastecer a força atacante, passagem livre pelo espaço aéreo dos países árabes ( essa talvez a parte mais fácil… ), as armas a serem usadas ( e se estivermos falando de instalações subterrâneas, não serão armas de uso geral ), além da praticamente certa retaliação que sofrerão em seu território pelas forças aliadas do Irã, entre outros…

    É certo que os próprios já calcularam tudo isso, o que justifica ao menos em parte a hesitação, visto que um ataque como esse será comparável aos propagados pelos americanos durante a ‘Iraq Freedom’.

    • Então não vejo um final feliz para ninguém, pq na hora que esses fanáticos aiatolás conseguirem oq querem, é melhor todo mundo naquela região se preparar para o pior, pq Israel não vai manter esse bom senso, quando colocarem em risco a existência deles, e isso vai respingar no mundo todo, é isso que dá dialogar com esse tipo de gente, eles vão enrolando, enrolando, enrolando…até o pior acontecer, não dá pra conversar com quem quer te matar, só idi0tas pacifistas com ideias liberais, ou lobos em pele de cordeiro pensa assim.

      • “só idi0tas pacifistas com ideias liberais, ou lobos em pele de cordeiro pensa assim.” – não me refiro a vc nessa ultima frase, só pra esclarecer se houver algum mal entendido.

      • Alessandro,

        Sem problemas. 🙂

        A janela de oportunidade fecha a cada dia, e os israelenses estão cientes disso.

        O problema de fato consiste no efeito dissuasório que possui a arma nuclear. Qualquer inimigo de Israel que a obtê-la, poderá ficar incólume a uma retaliação. E isso pode ter efeitos catastróficos no equilíbrio de forças e nas relações políticas locais como um todo, neutralizando a vantagem dissuasória da qual dispõe as potencias ocidentais ( EUA em particular ) e da nação judia frente a situação.

        Enfim… Isso tudo, em última instância, representa poder de barganha frente grupos contrários a existência de Israel, que poderão pressionar com mais vigor e agir com mais liberdade, visto terem retaguardas muito mais fortes.

  14. Israel poderia optar por usar seus MRBMs. para desfechar um ataque cirúrgico contra as instalações iranianas.

    A IAF entraria na segunda fase, atacando alvos militares secundários r também a sede do regime, daí prá frente o próprio povo see encarregaria de derrubar o regime
    dos Aiatolás.

  15. Não se trata de subestimar o Mossad !! Mas me explique como o Hizbollah tem dezenas e talvez centenas de milhares de mísseis hoje em dia ?? Em 2006 nós vimos que com cerca de 200 foguetes disparados diariamente a cidade de Haifa foi severamente atingida ( e olha que eram foguetes burros e sem guiagem), sendo que hoje em dia o Hizbollah aumentou essa capacidade de disparo para 500 por dia e conta com mísseis guiados que podem chegar em qualquer ponto de Israel !! Como explicas que o Hizbollah adquiriu todo esse poder de fogo se nas suas palavras o Mossad parece ser infalível ?? E com relação aos alvos falsos essa técnica foi utilizada na Sérvia em 1999 com todo sucesso !! Basta pesquisar na net que você confirmará todas essas minhas palavras !!

    • só se for agora, com o Trophy. Alguns anos atrás foram massacrados no Líbano pelos Kornets. Isso acelerou o desenvolvimento do sistema de auto defesa.

        • Foram 4 destruídos e 28 perfurados….vai se informar melhor. No entanto alguns anos depois, após a instalação do Trophy a estória foi diferente.

      • Marcelo,

        Aqueles combates de 2006 no Líbano, ao contrário, apenas atestaram a excelência da máquina israelense…

        De cinquenta ‘Merkava’ atingidos ( por artefatos diversos ), menos da metade sofreu realmente algum dano de maior monta ( penetrações em sua blindagem ), e apenas seis foram definitivamente destruídos ( os demais foram posteriormente recuperados ). E vale dizer que a maioria eram dos tipos antigos ‘II’ e ‘III’.

        Após a implantação do ‘Trophy’, mais nenhum Merkava foi destruído.

  16. Eu prefiro Israel no meio dessa briga, visto ser o único país descente no Oriente Médio.
    Mas mesmo assim esse discurso hipócrita do governo israelense não engana nem um pouquinho. Eles passam meses atacando as forças iranianas e, quando os iranianos respondem com 20 foguetes burros, os israelenses falam “nós estamos atacados pelos iranianos do mal”.
    É como o valentão da sala que ataca todo mundo e quando é atacado vai na diretora reclamar.

    • Ozzy,
      Mas diferente do valentão, Israel não reclama não. Ele se vira como pode.
      Vale salientar que Israel tem que lidar com organizações poderosas que não aceitam a sua existência e que almejam simplesmente o seu completo extermínio, para ocupar toda a faixa de terra que vai do Jordão ao mar. E está cerca por inimigos de todos os lados.
      Não dá pra ser bonzinho nessa situação.

  17. É a mesma Mentira do ataque químico sírio contra sua população . Somente boboquitos desconhecem o controle sionista da imprensa ocidental e da manipulação de notícias !

    • Com esse poder todo Israel então é bem comedido. A imprensa toda, que em tese ele domina, é simpática à esquerda, que por sua vez é simpática à causa palestina e muçulmana.

  18. Esses Árabes são bons para ações irregulares mas diante dessa foto ridícula, CC encaripitados no alto do morro, é incompreensível como não conseguiram manobrar e desaloja-los em 67. Será que ainda estão aferrados às táticas soviéticas de “rolo-compressor”, onda após onda de ataque servido de alvo?

    • As Táticas Soviéticas surpreenderam Israel e ao mundo , mas quando tudo passou aos Generais egipcios , aí que a coisa deu errada , um general bem formado ali , Israel KAPPUT !

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here