Home Armas Nucleares Histórico encontro Trump-Kim termina com promessas, mas pouca substância

Histórico encontro Trump-Kim termina com promessas, mas pouca substância

1294
55

SINGAPURA (Reuters) — O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o líder norte-coreano Kim Jong Un prometeu na terça-feira no encontro histórico que irá avançar na desnuclearização completa, enquanto os Estados Unidos prometeram suas antigas garantias de segurança.

O início das negociações destinadas a banir o que Trump descreveu como “muito substancial” arsenal nuclear da Coreia do Norte poderia ter ramificações de longo alcance para a região, e em uma das maiores surpresas do dia, Trump disse que iria parar exercícios militares com o antigo aliado Coreia do Sul.

Mas Trump e Kim deram alguns outros detalhes em um comunicado conjunto assinado no final de sua cúpula em Singapura, e vários analistas duvidam de quão eficaz o acordo provaria ser a longo prazo em fazer com que a Coreia do Norte desista de seu querido arsenal de armas nucleares.

“O presidente Trump se comprometeu a fornecer garantias de segurança à Coreia do Norte e o presidente Kim Jong Un reafirmou seu firme e inabalável compromisso de concluir a desnuclearização da península coreana”, disse o comunicado, referindo-se à Coreia do Norte pelas iniciais de seu nome oficial República Popular Democrática da Coreia.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e autoridades norte-coreanas realizariam as negociações seguintes “o mais cedo possível”, disse o comunicado.

Apesar de Kim anunciar que a Coreia do Norte estava destruindo um grande local de teste de motores de mísseis, Trump disse que sanções contra a Coreia do Norte permaneceriam por enquanto.

O projeto de monitoramento da Coreia do Norte da Universidade John Hopkins, denominado “38 North”, disse na semana passada que a Coreia do Norte havia destruído uma instalação para testar mísseis balísticos baseados em canister.

Trump disse que os exercícios militares regulares que os Estados Unidos realizam com a Coréia do Sul são caros e provocativos. Sua interrupção dos exercícios poderia abalar a Coreia do Sul e o Japão, que dependem de um guarda-chuva de segurança dos EUA.

Trump disse que os exercícios não seriam revividos “a menos que vejamos que a negociação futura não está indo como deveria”.

Mais cedo, Kim disse que ele e Trump tinham “decidido deixar o passado para trás. O mundo vai ver uma grande mudança ”.

No entanto, vários especialistas disseram que a cúpula não conseguiu garantir nenhum compromisso concreto de Pyongyang para desmantelar seu arsenal nuclear. Eles também observaram que a declaração não fez referência aos direitos humanos em uma das nações mais repressivas do mundo.

55 COMMENTS

  1. Parece que foi sim um encontro proveitoso. A mídia Americana nunca iria dizer isto, como são avessos à Donald Trump. Mas o simples fato de se diminuir a animosidade já é de se comemorar. Agora cabe à Coréia do Norte solicitar aos órgãos competentes a vistoria para verificar a desnuclearização do país e retirar enfim os embargos que pesam sobre aquele país. Trump pouco ou nada pode fazer. Toda iniciativa deve partir de Kim Jong Un.

    • Pensando estrategicamente, abrir mão de armas nucleares ou de destruição em massa depois de conquistá-las, não é inteligente. Veja o que aconteceu com a Ucrânia e com a Líbia, por exemplo.

      • O problema é quando estas armas se tornam inúteis (em uma guerra a Coréia do Norte poderia ser completamente destruída) ou prejudiciais, como quando provocam os embargos que sufocam o país. A verdade é que mesmo sem armas nucleares a Coréia do Norte ainda tem um exército poderoso, que pode fazer frente a qualquer de seus inimigos. Sem armas nucleares, um Coréia do Norte desnuclearizada não pode ser atacada pelo menos pelos EUA com armas nucleares, conforme a lei Americana para uso de armas nucleares. A única ameaça para a Coréia do Norte seria a China que, também por lei, não ataca primeiro com armas nucleares. Então, Kim faz um ótimo acordo. Trump idem.

      • Aliás, pode não ser estratégico para a Coréia do Norte ( duvido) mas é para os EUA e para o mundo. E é isto o que importa.

      • O comentário do Galante é cirúrgico, por que perder o meio de exportar democracia para quem planeja exportar democracia no seu território ?, pelo visto os embargos foram pesados demais. Mas a Coréia do Norte não precisa de preocupar com a exportação de Democracia americana porque estão sob as asas do Dragão, assim como nós (Querendo ou não) estamos sob asas da Águia do Norte.

        • Há que se lembrar que, apesar do comentário, Galante vive ( não sei a razão) nos EUA e não na Coréia do Norte ou China. Nem no Brasil.

          • Eu já sabia disso, descobri isso quando o narrador do Domingo Espetacular falou que ele vivia nos EUA, não entendi seu comentário

            Isso não muda o fato do que eu disse, estamos sob a ”proteção” dos EUA querendo ou não (a ”proteção” é involuntária) e isso inclui o direito divíno (concedido por eles própios) deles nos espionarem e atacarem caso haja falta de ”Freedom and Democracy”.

            Seu comentário também não acrescentou ou diminuiu nada sobre o fato de que paises com armemento nuclear são um alvo bem maaaais difícil de se atacar.
            Acredito eu que exceção a India-Paquistão ninguém se meteu com país com Nukes.

            Resumindo, eu não entendi o motivo desse seu comentário

          • O teu papo, Matheus Vinícios, é do que tipo de gente que culpa os outros pelos próprios fracassos. Se o Brasil quer ser uma potência, não se resolve por diminuir ou tentar diminuir a competência Americana. Isto é vitimismo.

      • Estou bem cético quanto a desnuclearização total da cn! De qualquer forma o know-how nunca será perdido e eles o conhecimento para fabricar ogivas e icbms!! Caso precise é só questão de tempo para fabricarem novamente!

      • Isso tudo está muito estranho.
        Ano passado houve vários lançamentos de mísseis e muito bate boca.
        Este ano os EUA endureceram com mais sanções.
        De repente, Kim aparece bonzinho.
        Não me engana.
        Também não acho que vá desistir das armas nucleares.
        Não faria o menor sentido.
        Deve estar em conluio com a China.
        Estão enganando Trump.
        Sem a ameaça norte coreana, sem exercícios militares com a Coréia do Sul, talvez sem thaad, a China age com mais liberdade.
        A Coreia do sul respira aliviada, mas estão alimentando cobra com sapo.
        Não é muito diferente do que foi feito com o Irã.
        Com receio de uma guerra, aceitam um acordo qualquer.
        A única mudança que vejo é que Kim estava ameaçando atacar os EUA, o que talvez não fossem capazes de fazer e os levariam à destruição.
        Talvez os chineses tenham orientado Kim
        Continue com suas armas, e fique quieto. Não ameace ninguém.
        E Trump caiu na armadilha.
        Se bem que a Coreia do sul também caiu mas respirou aliviada.
        Correndo risco de ataques nucleares no futuro, mas evitando um ataque convencional no momento.
        Todo mundo com medo de guerra.
        Talvez a China faça o mesmo com os EUA.
        Vão construir muitas armas para deixarem os EUA num beco sem saída… Tendo que engolir sapos calados…

      • Galante,
        também acho !
        mas, se a Coreia mudar de lado e houver uma reunificação… creio que não haverá problemas, pois eles estarão debaixo do guarda chuva dos EUA.

    • Penso que se pode existir paz e prosperidade, todo esforço vale a pena, e no mais, por quê fazer uma guerra inútil onde sabe-se que vão morrer milhões de pessoas, vai prejudicar ainda mais o planeta e de certo não vai resolver nada, além do mais, só o fato de existir boa fé para conversar já demonstra que vale a pena tentar.

      O restante da situação, como as condições de vida dos norte coreanos, penso que tudo ao seu tempo irá melhorar, precisa dar 1 passo de cada vez.

      Provavelmente a Coreia do Norte seguirá os passos do Sul e um dia também será um país desenvolvido, precisará de muito tempo e trabalho, mas estando em paz tudo é possível.

      • Diferentemente da união soviética e do muro de Berlim, que implodiram, não vejo mudança de postura alguma por parte da CN.
        Apenas, depois de desenvolver armas nucleares, pararam de fazer ameaças.

    • De fato o encontro deve ter sido proveitoso, já que o EUA suspenderam os exercícios militares anuais com a pior Coreia (Sul). Esse ato deu um alívio para o gordinho atômico.
      É cedo ainda para afirmar se as relações entre essas 2 nações irá prosperar, afinal é apenas o primeiro encontro.
      Esperamos que mais encontros de alto nível ocorram, e que seja costurado um acordo de paz pleno entre as duas nações, entretanto temos que aguardar para “ver”.

  2. Espero que acabe tudo bem…negociação é SEMPRE uma boa saída, principalmente para a Coréia do Sul e sua dinâmica. Até o momento está sendo mais objetivo do que o firmado contra a ditadura iraniana, o objetivo é claro: destruir TUDO aquilo que é nuclear (curto, médio e longo prazo). Se não for assim não tem acordo!

    • A suástica é um símbolo que existe há pelo menos 10 mil anos, utilizada por vários povos ao redor do globo, inclusive pelos povos ameríndios. No hinduísmo a suástica representa o movimento do universo. Eu não vejo o por que deste símbolo tão antigo e com tantos significados para vários povos ser proibido por causa dos nazistas.

      • Olá Colegas. Eu não vi a imagem mas suponho que seja o caso da suástica usada como símbolo religioso budista, com as pontas torcidas em sentido anti-horário. A suástica nazista é invertida, com as pontas torcidas em sentido horário. É comum em mapas de cidades asiáticas (tenho vários mapas de cidades japonese com esse símbolo) usarem a suástica budista (anti-horário) para indicar a localização de templos religiosos.

  3. É, pois é… Vão ter que engolir o Trampi.
    .
    The fact that I am having a meeting is a major loss for the U.S., say the haters & losers. We have our hostages, testing, research and all missle launches have stoped, and these pundits, who have called me wrong from the beginning, have nothing else they can say! We will be fine!

  4. Como num carrocel eles se movem em círculos, indo do nada para lugar nenhum….

    Mas de uma coisa podemos ter certeza; para o Trump, pouco importa a desnuclearização, por quanto tempo durarão esses acordos de paz, ou o que estará escrito nas entrelinhas, contanto que ele realize seu sonho de ter um Nobel, e de se igualar ao seu maior desafeto, o Obama….

  5. Não, faz sentido a CN, ter armas nucleares, os EUA só ameaçam o governo norte-coreano por causa delas.
    Não, vai ocorre igual a Ucrânia, pq não tera pais com objetivo de ameaçar a CN, porque ela não tera armas nucleares para ameacar os outros. Simples assim.
    Não, vai ocorrer igual a Líbia, desde de que seus lideres tomem jeito e não levem ao pais a uma gerra civil, pois se tiver, sim, terá intervenção, e se uma guerra civil acontecer com uma Coréia nuclear, ela vai com certeza usa-las para chantagiar, os pais vizinhos, obrigando-os à ajudar o governo central, ou seja, enquanto a Coreia do Norte tiver a armas nucleares, ela será subjugada, por isso uma hora entrara numa guerra civil, guerra essa que sera intervida pelos EUA/aliados para não deixar eles o chantagearem.
    Sem armas nucleares não há sanções, portanto menos changes de guerra civil, portanto menos chances de intervenção. Uma CN armada nuclearmente é uma CN condenanda.

    Os maiores problemas, são daqueles que não suportam, que o Trump está resolvendo a situação melhor que o Obama e os que são anti-americanos, adoram ver um pais afrontar os EUA, esses não suportam os EUA não perder.
    Ou seja, esquerdismo e anti-americanismo há parte, os EUA estão diminuindo um ponto de atrito com um pais “secundario” para poder se esforçar melhor na contenção da China e Russia, vale lembrar pra aqueles anti-americanos que esse acordo não reduz de maneira nenhuma a influência americana na Ásia, ao , contrário, só aumenta.

  6. Encontro “pouco proveitoso”, apenas aos olhos dos críticos, pois foi um encontro ímpar, realizado pela primeira vez, diplomacia é assim, tem de começar de algum lugar, acho engraçado já cobrarem até calendário de desarmamento no 1º encontro. Se fosse o Obama, a mídia estaria tratando o feito como algo inimaginável, mas como é Trump a situção é outra.

  7. Estou curioso. Se tudo que o EUA faz é errado, porque você anti-americano ainda continua usando computador, celular, internet, Google, Facebook, Whatsapp …

  8. Se fosse o Obama já estariam preparando outro premio Nobel, mais como é o Capitalista malvado bilionário que faliu 2, 3 vezes é se reergueu é ficou mais rico ainda o encontro não foi “Proveitoso”

  9. Momento histórico, infelizmente grande parte da mídia não está fazendo ,como deveria, seu trabalho informativo priorizando a verdade de forma imparcial. Mas é fato que Trump está fazendo história em sua passagem pela presidência da maior potencia do planeta e de maneira bem mais útil do que o foi no período Obama.

    • Imparcialidade da mídia é utopia, sobre a cobertura do acontecimento eu estava assistindo o JN e fiquei impressionado com a forçaçao de barra do Bonner com o acordo, só faltou ele dizer: isso é uma idéia idiota é melhor manter tudo como está ou meter bala por lá.
      Nem disfarçar a parcialidade, como sempre ele faz, ele quis, no fundo pareceu que ele tava enviando um sinal secreto “tão me obrigando a falar isso”; estou impressionado com a cobertura da mídia.
      E no caso da rede Globo mais parece ser uma filial da CNN, tudo o que eles dizem a Globo desce goela abaixo tudo sem nenhum pensamento crítico.
      É uma mídia brasileira ou americana?

      A cada dia que passa percebo que não estou entendendo nada dos bastidores do poder; e acho que é esse o objetivo.

  10. Subestimaram Kim e ele levou os USA à mesa de negociações.

    Kim conseguiu o que queria: a reabertura com a fronteira da China e o fim dos exercícios militares americanos na península (acho que esse ultimo foi exigência da China). A área de testes nucleares já havia desabado antes e estava inoperante.

    Trump também conseguiu o que queria: mais holofotes para inflar seu ego. De qualquer forma é um homem necessário.

    A opinião da Coréia do Sul não importa, é um estado fantoche ocupado militarmente pelos USA.

    • como eu queria que o Brasil fosse um estado “fantoche” como a Coreia do Sul, infelizmente isso só é possível nos meus sonhos.

      • Pois é Alessandro…

        São este tipo de comentário, que cada vez mais me afasta destes fóruns..

        Esta gente prefere a miséria, calamidade, pobreza e etc.. desde que venham dos seus mestres socialistas.

        Mas fazem isto das suas confortáveis poltronas no Brasil ou em países ocidentais, com no mínimo 3 refeições diárias e do seu notebook ou smartphone.

        Socialismo bom é para os outros..

  11. O que importa é que começou as negociações para um caminho mais civilizado. É uma situação positiva fora da beligerância inicialmente, sem ideologias.

  12. Tem de parabenizar sim, o Trump, por ter iniciado a discussão com a CN, agora, as pessoas querem milagres da noite pro dia, não é assim…
    A abertura econômica da CN, é a chave pra evitar qualquer guerra.

  13. Olá Colegas. A primeira ponto óbvio é que houve um avanço em relação ao ano passado. Isso sem dúvida é um grande avanço. Por outro lado, existe uma contradição na postura do governo dos EUA em relação ao Irâ e Coreia do Norte. Não deveria fazer sentido os EUA abandonarem um acordo que foi assinado por todos os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (além dos EUA e Irã, assinaram França, UK, China, Rússia e Alemanha) em termos efetivos mas assinam um acordo vago com a Coeria do Norte. Claro que as coisas não são comparáveis diretamente, considerando os interesses de Israel contra o Irã e que o acordo com a Coreia do Norte deve ter sido costurado com a China e Rússia. Concordo com os colegas que afirmaram ser difícil uma desnuclearização da Coreia do Norte no cenário de incerteza atual, mas também é um fato que a manutenção de dissuasão nuclear é muito cara para ser mantida indefinidamente. Por outro lado, discordo do colegas que creditam o sucesso do encontro aos EUA. Digo sucesso porque foi efetivamente um avanço. Acho que desde a aberturas dos jogos olímpicos de inverno ano passado, a Coreia do Norte fez uma série de ações que deixaram os EUA sem opção senão a de negociar. Torço pela estabilização da região, acho que o encontro foi um avanço, mas acho cedo para ter uma panorama claro.

    • “Por outro lado, discordo do colegas que creditam o sucesso do encontro aos EUA.”

      Discordo de você acho que a maioria do mérito é dos EUA sim.

      • É visível, Rogério, so houve mudança, pq houve mudanca de postura dos EUA.
        Igual os EUA, fizeram com a URSS nos anos 80 nos acordos de misseis.

      • Caro Rogério. Acho que o panorama é bastante incerto para afirmar, por isso o nosso debate aqui é tão importante. Tenho a impressão que após a embate entre os EUA e a Coreia do Norte ano passado, a Coreia do Norte tomou a iniciativa em favor de uma solução diplomática. Cito como exemplos a aproximação da Coreia do Norte com a Coreia do Sul a partir da abertura dos jogos olímpicos de inverno (quando as duas delegações entraram juntas). Isso ocorreu em pleno embate com os EUA. Em seguida, o presidente norte coreano visitou a China e se encontrou com o presidente da Coreia do Sul. Os EUA ficaram sem outra opção a não ser apoiar o diálogo com a Coreia do Norte, caso contrário ficariam com a imagem de que foram eles (os EUA) que atuaram contra a paz. A Coreia do Norte realizou vários gestos de aproximação. Os EUA não tinham alternativa a não ser concordar com o encontro. Os movimentos dos EUA no leste asiático são muito diferentes daqueles que eles estão tendo em outros cenários. De fato, só teremos melhor compreensão daqui algum tempo a partir de novos acontecimentos.

  14. Os diplomatas costumam afirmar que quando uma potência oferece para um país menor um acordo em que ambos ganham, isto significa que a potência pretende ganhar duas vezes.

  15. Até agora não existe acordo algum. Existem intenções.
    Qualquer um sabe que um acordo assinado por um presidente americano poder ser mudado ou descumprido por outro. Outra coisa. Acho contraproducente para o debate, rotular aqueles que discordam de nossas opiniões. Quem no lugar do Gordinho abriria mão de tudo que conseguiu ? É bom lembrar que ele faz parte do quintal da China. A China não vai aceitar a OTAN na sua fronteira.

      • Meu caro Augusto L.
        O acordo não precisa citar a OTAN.
        Voce acha que os Estados Unidos fariam qualquer ação militar de grande envergadura no planeta terra sem a participação dos seus aliados Europeus ? A OTAN na pratica é dos Americanos. Eles mandam e os europeus obedecem. E serve como instrumento de sua politica externa.

  16. kkkkkkk
    Eu rio muito com esses comentários quando se subestima a capacidade diplomática, militar ou política de uma superpotência. Fato é que o gabinete de guerra do Trump com Jonh Bolton e Mike Pompeo está fazendo algo que os governos anteriores nunca fizeram, bater de frente a todos os inimigos em comum dos EUA, até mesmo comercialmente com o assessor econômico de Trump, Larry Kudlow(que sofreu ataque cardíaco esses dias), isso demonstra que esses caras não são de brincar.

    Aceitem, o diálogo da CN com a CS e com os EUA é fruto do envolvimento direto das ações de Trump e dos EUA.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here