segunda-feira, outubro 25, 2021

Opinião

1964, meio século depois

RICARDO VÉLEZ RODRÍGUEZ  Há 50 anos eclodia a intervenção militar de 1964. Embora cogitada inicialmente como uma correção de rumo na desastrada ladeira por onde havia enveredado o populismo janguista, o regime castrense terminou durando mais do que se imaginara...

A culpa não é da polícia

Visão do Correio É hora de a sociedade repensar o alvo de sua ira, que aflora todas as vezes que um crime violento comove a população, ou quando uma pessoa indefesa é vítima de assaltantes à saída de um banco,...

Questão de consciência

General da Reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva Em defesa do Exército Brasileiro (EB) e dos militares, particularmente das gerações entre a II Guerra Mundial e o final dos anos 1970, que se empenharam, de armas na mão ou não, para...

Dissuasão Extrarregional: assim, é só discurso

Por Luiz Eduardo da Rocha Paiva* Se a Nação crê que os conflitos sempre se resolverão pacificamente, para que Forças Armadas? Se a opção é mantê-las, então que sejam capazes de dissuadir ou combater quem realmente possa nos ameaçar. A Estratégia...

Desmilitarização da Polícia

Carlos Alberto de Melo Funcionário da Polícia Federal As recentes manifestações populares em todo o Brasil reacenderam o debate sobre o papel de nossas forças policiais. Muitas manchetes de jornais e opiniões de especialistas destacaram a desmilitarização da polícia como tema...

Artigo de Putin causa irritação nos EUA

Cláudia Trevisan - Correspondente - O Estado de S.Paulo WASHINGTON - Além de sequestrar a iniciativa de Washington na busca de uma solução diplomática para a Síria, o russo Vladimir Putin causou fúria nos EUA ao atacar a ideia de...

Defesa em tempos de paz

Ricardo Ferraço Senador pelo PMDB-ES, presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa   Faz sentido reforçar os investimentos em defesa num país que não é assombrado pelo fantasma da guerra e no qual falta dinheiro para saúde, educação, saneamento e infraestrutura?...

A quem interessa o Brasil dividido

Marcos Coimbra   Denominamos de “países-baleias” os quatro países (Brasil, China, Índia e Rússia, componentes do grupo Bric), em virtude de disporem de gigantescas extensões territoriais e enormes mercados populacionais com crescente poder aquisitivo e qualidade de vida. É evidente que...

Porque Dilma é o novo Geisel…

...Fernando Henrique foi Castello Branco e Lula, outro Médici. O ciclo econômico do regime militar se repete   Samuel Pessoa No Brasil, nem a sociedade nem as elites que tomam as decisões têm convicção de que os mercados precisam de liberdade para...

Diplomacia antibala

Matias Spektor O comércio ilegal de armas é regionalizado, vinculando o mercado a Paraguai, Bolívia, Uruguai e Argentina O Brasil teve mais homicídios por armas de fogo do que Iraque ou Afeganistão, Colômbia ou Estados Unidos, Índia ou Paquistão. Os dados,...
- Advertisement -spot_img

Latest News

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -spot_img