Sistema Land Warrior em versão ‘light’

Sistema Land Warrior em versão ‘light’

453
48

A General Dynamics C4 Systems fechou contrato de US$ 70 milhões para aparelhar outra Brigada Stryker, com o sistema de combate Land Warrior.

A versão peso-leve do sistema de combate integrado Land Warrior , vai equipar a 5 ª Brigada, da 2 ª Divisão de Infantaria (5/2 SBCT), antes de seu deslocamento para o Iraque, em 2009.
O novo sistema oferece funcionalidades mais avançadas e o mais importante, pesa apenas 3,2 quilos, bem menos que os 7,7 quilos do sistema original, que entrou em serviço em 2006.

As melhorias do sistema, incluindo tamanho, peso e redução do consumo de energia, são resultado de feedback recebido diretamente dos soldados equipados com a versão anterior do Land Warrior, no Iraque.

O sistema integrado de combate individual dá aos soldados de infantaria um reforço na consciência situacional tática, aumentando a letalidade e sobrevivência. Ele é composto de um fuzil M4, capacete com display, computador, comunicações digitais e de voz, sistema de navegação e posicionamento GPS, e vestuário de proteção.

O sistema é modular e adaptado para a tarefa e missão do soldado. O comandante da unidade decide quais os componentes que serão mobilizados para a missão.

As duas principais configurações do Land Warrior são para o soldado e o líder de esquadra (subdivisão de um Grupo de Combate – Combat Team). A versão do soldado inclui um rádio de curto alcance, com comunicação inter-esquadra de voz e de dados. O líder de esquadra inclui um sistema rádio multi-banda inter e intra-esquadra, um teclado e um visor plano handheld.

48 COMMENTS

  1. E Ze, Ostra….

    Como se os 35 kilos de equipamentos que carregamos nao fosse suficiente ainda querem nos dar mais hein?! Rsrsrsrsrs….

    A infantaria so quer saber de duas coisas…”Sera que nao podia ser mais leve?” e “O que mais sera que eu nao preciso e posso tirar da mochila?”. Rsrsrsrs

    Sds.

  2. Marine, que bom ter você por aqui… heheh
    Você poderia nos dizer como um equipamento desses melhora vida de um soldado na prática? ou ele melhora mais o gerenciamento dos comandantes?
    Não houve situações no Iraque em que esse equipamento salvou vidas?

    Um abração!

    “OOORAH”!!!

  3. Verdade. Mais leve e confiável o Fuzil e o colete, quem já experimentou sabe. Mochila nas costas é anacrônico para a tropa. O Min JOBIM falou, se não me engano, n’um sistema similar a este para o EB. Seria excelente,podendo reduzir bastante o efetivo.

  4. Pode e até deve ser efetivo mas eu não sei se eu conseguiria ir pra guerra cheio de fio assim, mas só quem vive isso no dia a dia pra saber, até porque acho eu que com os soldados não tem isso, se atrapalha e poe sua vida em risco eles não usariam, nem que fossem obrigados.

  5. Galante,

    Os Marines nao tem um sistema similar ainda mesmo porque ele ainda esta em um processo em que o sistema ainda nao esta perfeito, ainda existem certo “bugs” para melhorar, reducao de ainda mais peso e pelo o que sei o mais importante e que o sistema ainda consume muita bateria e elas ainda sao muito pesadas para se ficar carregando extras. Entao acho que os Marines estao esperando alguns anos ate que o sistema esteje bem melhorado e o US Army esteja acabado de desenvolve-los para que assim possamos adquiri-los.

    Na teoria esse tipo de sistema melhora para o soldado individual o que nos chamamos de “situational awareness”, nos permitiria ter mais informacoes para tomarmos decisoes mais rapidas podendo entrar dentro do que e conhecido como o “OODA loop” do inimigo assim fazendo com que ele sempre reaja as nossas decisoes e nunca aja tomando as suas, ele estara sempre a um passo atras reagindo e defendendo sem ter a iniciativa de agir e atacar.

    Sabemos que na guerra moderna de infantaria e necessario “shoot, move and communicate” e esse sistema nos permite melhorar a parte de “move and communicate”.

    Quanto a questao se ja salvou vidas no Iraque nao conheco de um episodio em si mesmo porque nao converso com o pessoal do exercito todo dia sobre isso mas tenho certeza de que sim tanto de soldados quanto de civis em fogo cruzado.

    Para os leigos existe um videogame em que se pode ter uma ideia do que o sistema pode fazer em teoria, nao sei se existe no Brasil mas e o “Ghost Recon Advanced Warfighter”.

    Espero que tenha respondido suas perguntas.

    Sds. a todos!

  6. Obrigado, Marine! nada como uma opinião de profissional para esclarecer… rs
    Sim, nós jogamos o Ghost Recon aqui, no PS2 e Xbox.
    Nosso mascote, o Ostrinha, também joga! rs

  7. Galante,

    Sem problema! Agora o Ostrinha deve dar uma surra em todos nos nesse jogo hein! rsrsrsrs…

    Agora falando serio, o USMC esta implementando uma nova doutrina com certos aspectos do Land Warrior e outros tbm chamada de “Distributed Operations”, as vezes seria um outro assunto interessante para se tratar ja que estamos falando de soldados futuros.

    Sds.

    “OOORAH!”

  8. Eu me lembro de relatos de tropas no iraque que usaram partes do LW. Não gostaram das miras de TV para atirar na esquina. Os contatos eram rápidos e não dava muitas chances de usar sendo mais um peso extra. Por outro lado gostaram das telas nos olhos e palms para passar mensagens de textos. Levavam até teclados para acoplar no sistema. Substituia os rádios em algumas situações. Pensavam que iriam abarrota a rede mas o epssoal passava muito pouca imagens.

  9. G-LOC,

    Realmente acho o que vc disse bem provavel pois realmente ninguem fica esperando vc mirar tranquilamente nas esquinas e os contatos sao rapidissimos. Agora ate vejo a vantagem se tivessemos o elemento surpresa mas nem sempre…

    Sds.

  10. Eu que o diga

    Toda vez que jogamos “First to Fight” (o seu favorito !) ele é sempre o LCPL, cmt do Fire squad e sempre me coloca com a M249 para eser fire support

    o Gosth Recon quem joga muito com ele é o Bozoh (Galante)

    Mrine, gentileza, como temos leitores em diferentes niveis de conhecimento, poderia nos contar com são compostos os “levissimos” 35 kgs de equipamentos individuais e info tipo, por exemplo, quantidade de ração para x dias,eqp para o deeserto, tipo calor de dia, frio a noite (cobertores, japonas) , enfimpara se ter uma oa ideia de como é composto o dia a dia

    PS depois eu tenho uma outra pergunta mais ou menos co-relacionada, que farei mas tarde

    Semper Fi !

    OOOOORAH !

    MO

  11. MO,

    Ja tive esse jogo “First to Fight”, mas o que Eu me referia era um novo, chamado “Ghost Recon Advanced Warfighter” mas esse e somente para PS3 e XBOX 360. Quer dizer que o Ostrinha te poe pra carregar a SAW hein? Menino exxxperto! Rsrsrsrsrs….

    Bom com relacao ao equipamento vou te dar o exemplo do que Eu como “Squad Ldr” carregava mas e claro que e diferente de um SAW gunner ou Radioman e tal, tbm lembre-se de que esse 35 kilos sao carga de patrulha e nao de marchas que ai ja seria bem mais por causa das mochilas e tudo mais. Entao esse peso que mencionei e o que carregava todos os dias em Fallujah correndo, pulando muro, subindo escadas e tudo mais a no minimo 40 graus, tbm representa equipamentos para combate contra guerrilha urbana que e bem diferente do pessoal lutando no Afeganistao que ja e mais rural, portanto carregando muito mais peso do que os 35 kilos mencionados. Desculpe o ingles mas infelizmente nao me lembro o nome de certas coisas em portugues…

    Cabeca: Capacete “light weight helmet” com acoplagem para monoculo de visao noturna PVS-14, Goggles de protecao contra areia da Oakley, Oculos de sol com resistencia a fragmentos da Oakley, radio “inter-squad” com headphone.

    O que vai no colete: estilo “Spartan” da TAG com placas de gesso SAPI na frente, atras e pequenas placas do lado, protecao para o pescoco e virilha, 2 granadas de fragmentacao M67, 3 carregadores de pistola Beretta 9mm com 12 tiros cada, 10 carregadores da HK para a familia M-16 com 28 tiros cada, equipamento para primeiros socorros (Torniqueta, agente para parar sangramento e tal…), “CamelBak” bolsa p/ carregar agua nas costas de 3 litros com mangueira, Bolso no colete p/ carregar NVG PVS-14, baterias extras, equipamento p/ limpar as armas, caderninho ou manual de combate, luvas e balaclava NOMEX resistente ao fogo e outras miudezas…

    Armas: M4 com “sling” de um ponto, mira telescopica com magnificacao 4x ACOG da Trijicon, mira laser PEQ2 p/ combate noturno, segundo “pistol grip” a frente do carregador para CQB, lanterna acoplada da SureFire. Pistola 9mm Beretta acoplada com fio telefonico na coxa direita com mira laser com coldre p/ sacar rapido da BlackHawk e bolso onde colocava uma lanterna de mao e um canivete suico. Na coxa esquerda ia bolso com equipamento para sobrevivencia e evasao.

    Uniforme: Macacao de piloto NOMEX resistente a fogo, luvas da Oakley ou nomex, camiseta, cueca, meia, bota leves da Bates, joelheiras.

    Acho que e so isso, mas mais uma vez isso era so p/ patrulha urbana. Dentro do Humvee ficava as MREs, agua extra, municao extra, baterias, radios p/ comunicacao com o comando maior, mascara de gas, mais primeiros socorros, metralhadoras pesadas, Equipamento p/ frio a noite como GoreTex e PolyPro e tal.

    Espero que tenha esclarecido p/ vc.

    Sds.

    Semper Fi!!

  12. Esse equipamento pode até tirar a mobilidade e reação rápida do soldado devido ao peso extra, mas sem dúvida alguma melhora a proteção e a situação espacial do combatente. Não seria nada mal o EB ter planos para equipar nossos soldados com esse equipamento. Sds.

  13. Porque o exercito Brasileiro não implanta jogos de simulação de guerra nos quarteis..dessa forma os custos seriam menores e as tropas ficaria mais adestradas… imaginem Xbox e Play 3 em Tvs LCd de 32´´ rsrsr

  14. Poggio,

    Sao os mesmos macacoes que pilotos de caca utilizam entao imagino que sejam retardantes ate porque o material nomex tbm e utilizado por pilotos de formula 1 se nao me engano.

    Sds.

  15. Nossa então deve ser bem “carinho” esse uniforme por aqui acho que somente para as tropas de elite das FA’s.
    Uma duvida para quem leva armas maisa pesadas como M249 este peso deve ser ainda maior não é?
    Saudações

  16. Diga Marine,

    Bem que eu havia comentado com o Ostra que aquele macacao la em “29” era de piloto…mas logicamente de um piloto da “casa”, né…heheheh

    Acho muito legal essa certa liberdade para poder compor o uniforme/equipamento pessoal, afinal a Infantaria sabe onde o calo aperta.

    Quanto aos recursos individuais acho que o pessoal do CFN (FFE) até que não esta tão mal.

    Já no EB o equipamento esta otimo para o Vietnã.

  17. Não seria o Soldado do Furuto? Projeto Frances apresentado para o Jobim, quando esteve na França? Sugestão para o blog. =X
    Marine o senhor chegou a usar aquela equipamento que filtra a água em qualquer situação? Aquele que vc pode pegar lama, até agua de esgoto que ele filtra tudo?

  18. E ainda esqueci do GPS, relogio e grandas de fumaca e “flashbang”…

    Bem esse equipamento todo deve sair la pros 10 mil dolares por homem em media mas ha de se ver Konig que Marines sao tropas de elite e com certeza para o SAW/M249 gunner e muito mais pesado pelo fato da arma e maior municao mas nao carregam a pistola.

    Pelas fotos que vi do CFN no Haiti ate que nao esta tao ruim mesmo nao mas o EB realmente estava defasado.

    Sds.

  19. Igor,

    Nao nunca usei aquilo ate porque nao tive necessidade, a unica vez foi no treinamento de sobrevivencia mas utilizamos as pilulas de iodine que transformam a agua com gosto do Tiete! rsrsrsrs….

    Sds.

  20. Se realmente for nomex deve ser uma vestimenta bem cara. Aqui ainda utilizamos algodão e materiais sintéticos de uso comum para a grande maioria da tropa do EB.

  21. Poggio,

    Que e nomex eu tenho certeza mas nao sei te dizer o preco aqui. E obviamente utilizamos para protecao contra as IEDs.

  22. Bosco,

    A empresa Ontario fabrica a nova Baioneta/Faca do USMC e pra te falar a verdade embora eu a tinha, ja nao havia espaco p/ onde colocar uma faca de 33 cm! rsrsrsrs…Entao acabei ficando somente com a pistola como backup e deixava a baioneta no Humvee, mas a maioria dos meus Marines a carregavam especialmente os que nao tinham pistolas. Foi opcao minha, se precisa-se em combate curto/corpo-a-corpo seria na base da pistola ou combate a mao mesmo…rsrsrsrs

    Em quanto ao M203 e M32: Eu era Squad Ldr entao a doutrina diz que eu carregue uma M4 enquanto meus Team Ldrs. carreguem uma M4 com M203. Ja o M32 nos tinhamos tbm mas dependia da missao se carregavamos ou nao. Ex: em regiao rural traziamos mas em areas urbanas geralmente nao porque as “rules of engagement” eram restritas e por definicao o M32 nao e uma arma muito precisa pelo fato de ser fogo indireto e nao queriamos causar danos e baixas colaterais.

    Espero que tenha respondido suas perguntas.

    Sds!

  23. Respondeu sim Marine.
    Um abraço.

    Mauro,
    que bicho te mordeu?
    Não conhecia esta sua veia cômica e principalmente voltada para nossos irmãos d’além-mar.
    É alguma crise passageira (conta alta da padaria, etc.) ou ta batendo biela de vez.rss..
    Cuidado pro nosso querido e competente “big brother” Galante não sair dando umas “podadinhas” nas sua piadinhas para que se enquadrem no politicamente correto e para que as relações luso-brasileiras não sejam abaladas…rsrs………
    Um abraço.

  24. Legal Marine

    Reposta mais clara ipossivel, nunca vi este tipo de descrição antes

    A ideia do blog For Ter deu certo (hehehehe advinha de quem saiu isso … hehehehehe)

    Agora oculos oakley ….. carinho isso eim, carinho e chique !

    MO

    Muito obrigado !

    Semper Fi !

  25. MO,

    Como dizem os boinas verdes: “Always know where you are, always look good and if you don’t know where you are, at least try to look good!” hahahahaha…

    Claro, se estou indo pra guerra pelo menos vou com estilo nao?! rsrsrsrs…

    Por nada e Semper Fi!

  26. Raphael, agora estou no “B” billet como recrutador. Tenho vontade de voltar toda hora mas depois de 3 deployments decide criar raizes e tentar criar uma familia…as americanas nao gostam de esperar enquanto vc passa ano e sai ano fora de casa sabe? rsrsrsrs….

    Sds.

  27. Marine, entendo perfeitamente. heheheh Que mal lhe pergunte, em qual cidade voce esta recrutando? Eu moro no sul da florida a mais de 10 anos jah. Se voce estiver por aqui, ou pasar por aqui te convido para tomar umas lourinhas!

  28. Marine, meu irmão mora aí nos EUA, perto de vc, em Connecticut e tem uma empresa de pára-quedismo. Se quiser ir saltar com ele, fala comigo.

    Um abraço

  29. Galante,

    Muito obrigado, com certeza ficaria honrado especialmente para levar a namorada a conhecer o lado de aventura e adrenalina meu…rsrsrsrs. Que cidade de Connecticut?

    Raphael,

    Pode deixar que nao esqueco e muito obrigado!

  30. Marine,
    e quanto ao míssil Predator (FGM-172 SRAW)?
    Vocês não usam?
    Pelo que sei a versão anti-tanque não vingou ficando apenas a versão anti-estrutura/anti-bunker, mas não vejo fotos dos marines com ele.
    Um abraço.

  31. Bosco,

    Ja ouvi falar deles mas ainda nao os vi com nenhum dos Batalhoes. Tbm nao sei te dizer se sera os 0311 (rifleman) como eu que os operaria ou se seria os 0351 (assaultman) ou 0352 (TOW gunner) ainda porque penso que a ideia seria complementar os AT-4 nao?

    Desculpe mas realmente nao tenho mais informacoes pra te dizer, seria o caso de que o equipamento foi encomendado mas ainda nao incorporado a Fleet Marine Force?

    Sds.

  32. Galante,

    Ja havia ido ao site antes…olha pra vc ver como tem brasileiro aqui espalhado por esse pais todo! rsrsrsrs

    Muito Obrigado!

  33. Marine,
    com o término da Guerra Fria acho que o Predator não vingou mesmo. As informações na net são incompletas.
    Ele tinha muitas inovações:
    lançamento “à frio” diminuindo a exposição do lançador (sonora, visual e ir) e podendo ser disparado a partir de locais confinados
    motor de cruzeiro de combustível sólido sem fumaça (alcance de mais de 600 m)
    sistema de “navegação” inercial e autopiloto digital
    espoleta inteligente (ir/magnetômetro/laser)
    carga bélica tipo SFF duplo com disparo para baixo para atacar a parte superior dos veículos, inclusive eficiente contra blindagem reativa
    perfil de vôo “overfly” para prover capacidade “top attack”
    tudo pesando menos de 9 kg

    Pelo jeito vocês ficaram com o AT4-CS
    Um abraço.

  34. Marine,

    Sobre o tecido da minha vestimenta (base de algodão) é aplicado um produto chamado Pyrovatex (um tipo de retardante a chamas). Já vi casos onde ele realmente funcionou. Um certo indivíduo estava usando manga curta sofreu queimaduras. A parte do braço exposta foi severamente afetada, mas a que estava coberta pelo tecido ficou mais preservada. Imagino qeu você (infelizmente) tenha visto coisa pior mesmo usando material de melhor qualidade.

  35. Bosco,

    Temos sim o AT4-CS e utilizamos o SMAW em Fallujah tbm so que com a municao NE (Novel Explosive) que faz o que vc estava falando. Dei uma pesquisada na net e dizia que o SRAW seria para tomar o lugar do SMAW mas ate agora nao os vi.

    Se for realmente o caso entao seria natural que fossem utilizados pelos 0351 (Assaultman) que formam um “squad” por companhia de infantaria.

    Espero que tenha respondido suas duvidas.

    Sds!

  36. Poggio,

    Infelizmente sim, tivemos um caso em que tivemos baixas por causa de uma IED “especial” que causou completa e catastrofica perda de um Humvee e alguns de seus tripulantes…como vc sabe tem hora que nao adianta quao bom e o equipamento, eles todos tem um limite.

    Desculpe mas nao posso colocar mais detalhes em um blog aberto como esse, se tivessemos conversando sobre uma cervejinha ate te falava mas tbm tenho que preservar a seguranca operacional.

    Agora para comparar, ja vi caso em que pessoal nao estava utilizando as luvas Nomex por exemplo e realmente as maos foram deformadas mas os que as utilizaram praticamente nao tiveram mais nada do que queimadura de sol de praia.

    Sds.

  37. Entendo perfeitamente a confidencialidade de uma missão de combate tão recente como essa. Um dia será história de livros e de programas como The history channel, mas até lá …

    A questão que estou colocando é que materiais retardantes estão no mercado há muitos anos. Mesmo em atividades civis esta “tecnologia” está disponível. Mas esta tecnologia não chega a nossa tropa.

  38. Poggio,

    Infelizmente me parece ser a norma no Brasil. Aguaro o dia em que nosso pais tenha as FAs que merece!

    Pergunta…Vc serve ou ja serviu ai no Brasil?

    Sds.

LEAVE A REPLY