O tamanho do Exército Brasileiro

FONTE: Exército Brasileiro

69 Responses to “O tamanho do Exército Brasileiro” Subscribe

  1. Marine 25 de julho de 2009 at 22:20 #

    Cinquini,

    Muito boa! So achei interessante que o numero de Ten.Cel e Cel. e praticamente o mesmo e para ilustracao apenas existem 80 oficiais generais no USMC com efetivo de 202 mil homens enquanto o EB possui 137 oficiais generais.

    Sds!

  2. Wilson Johann 25 de julho de 2009 at 22:53 #

    Ainda muito pequeno para o tamanho da nação. Metade disso deveria estar apenas na amazônia. E outros 200 mil a 250 mil no resto do Brasil. O que temos não é suficiente sequer para cobrir nossas fronteiras.

    Abraços!

  3. COMANDANTE MELK 25 de julho de 2009 at 23:54 #

    Senhores,

    muito oportuna esta postagem por parte do Blog, até entao, eu nao havia visto uma relaçao do efetivo do EB com tamanha riqueza de detalhes, de fato esta com um efetivo maior do que eu pensei…
    E não estou querendo dizer com isso, que esta muito grande o efetivo, apenas fiquei surpresso.

    Boa sacada cinquini…

    Grato.

  4. Cinquini 26 de julho de 2009 at 0:15 #

    Obrigado Comandante Melk!!!!

    Abraços!!

  5. affcl 26 de julho de 2009 at 0:33 #

    Marine, tente comparar com a MB entao. voce vai que lá e relaçao oficias generais versus efetivo é ainda menor.

  6. Felipe Cps 26 de julho de 2009 at 1:05 #

    Interessante notar a enorme quantidade de Generais: Quatorze Generais de Exército! Trinta e três Generais de Divisão! Quase setenta Generais de Brigada!

    Eis uma praga que desde os tempos de Império o Exército Brasileiro não consegue se livrar: muito cacique pra pouco índio…

  7. Coralsea 26 de julho de 2009 at 3:24 #

    Fazendo outra comparação com os EUA….
    Lá existe 4 tipos de generais, contra 3 tipos no Brasil…

  8. Gomes Pé de Banha 26 de julho de 2009 at 8:21 #

    MUITO CACIQUE PRA POUCO ÍNDIO

    A proporção no Brasil é de um general para cada grupo de 1.258 militares.

    O Exército dos Estados Unidos, por exemplo, tem 352 generais.
    Um general dos EUA para cada grupo de 1.420 militares

    O Exército britânico,são 61 oficiais-generais.
    Um general britânico para cada grupo de 1.700 militares.

    Israel tem só 21 generais

    Em Israel,Apesar da prontidão permanente por causa dos constantes confrontos com os palestinos, o Exército israelense tem apenas 21 generais para uma tropa do mesmo tamanho da brasileira — 190 mil militares
    Um general israelense para cada grupo de 9.047 militares.

    http://www.defesanet.com.br/eb/oglobogenerais/

  9. Noel 26 de julho de 2009 at 10:00 #

    Só prá informação, o Diário Oficial da União, publica todo ano o efetivo de cada Força Armada, em tempo de paz, previsto em Lei.
    Sds

  10. Patriota 26 de julho de 2009 at 10:23 #

    é general demais !
    temos um general para cada 1258 militares
    para vcs terem uma ideia
    Israel tem 1 general para 9047 militares
    Inglaterra tem 1 general para 1700 militares

  11. ViniciusModolo 26 de julho de 2009 at 11:05 #

    Seria possivel passar a fonte dessa tabela? A fonte indicada abre um boletin do exercito que não traz essa informção.

  12. MeiaDuzia 26 de julho de 2009 at 11:17 #

    Dá uma olhada no site da Secretaria-Geral do Exército, SGEx

    BE nº 29, de 24 jul 09
    http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php

  13. Felipe Cps 26 de julho de 2009 at 11:18 #

    Coralsea: no Brasil temos também a figura do Marechal (“General 5 Estrelas”), em caso de guerra. O que nos deixa também com 4 classes de Oficiais Generais.

  14. celio andrade 26 de julho de 2009 at 11:23 #

    O efetivo do exercito tem que ser de 1 milhão..
    Era a proposta do Deputado Eneas lembram?
    Ai sim quero ver alguem se engrassar na Amazonio ou qualquer outra parte do território nacional…

  15. massa 26 de julho de 2009 at 11:40 #

    Em tempo de guerra é possível que haja generais de 5 estrelas nos EUA, situação em que haja necessidade de comandarem outros Exercítos aliados, logo seriam 5 classes nos EUA…
    Os EUA que estão em Guerra possui menos generais que o Brasil !
    É por isso que os nossos militares ganham menos, a justificativa começa por ai…

  16. joel 26 de julho de 2009 at 11:44 #

    Uma duvida todos esse cornoeis quando se aposentam são promovidos a general de brigada? isso quebra qualquer previdencia…

    Ants de termos um exercito de um milhão, precisamos que ele seja melhor equiado.

    Abraços.

  17. Leigo - BR7 26 de julho de 2009 at 11:59 #

    Muito cacique para pouco índio.

  18. Jorge 26 de julho de 2009 at 12:54 #

    Pergunta de curioso, mas inexperiente na vivência militar:

    Não me lembro onde li, que devido o tempo necessário para se formar oficiais-generais, bem maior que para formar soldados, isso poderia explicar essa aparente desproporção.

    Mas em caso de convocação de soldados para uma guerra, dobraríamos ou triplicaríamos o número de tropas, mas o número de generais permaneceria o mesmo.

    Procede essa informação?

  19. Jaique Sparro 26 de julho de 2009 at 13:06 #

    Se contarmos só os militares que irão pegar em armas na defesa do país,estamos com um efetivo muito pequeno.

  20. Musashi 26 de julho de 2009 at 13:52 #

    Jaique, não se esqueça que existem 1,6milhões de reservistas em tempo (5 anos após o término do serviço militar).

  21. Marine 26 de julho de 2009 at 14:07 #

    Massa,

    Voce esta correto que ha Generais 5 estrelas nos EUA, mas apenas em tempo de guerra tambem, entao sao equivalentes aos Marechais europeus e brasileiros.

    Agora nao e correto afirmar que o Brasil possui mais generais do que os EUA, meu exemplo citado acima acima foi so o do USMC, o US Army possui centenas de generais sendo uma forca de mais de 1 milhao de homens.

    Pessoal, no meu ver o numero nao esta tao exagerado assim nao, fiz a comparacao acima com o USMC mas o EB possui muitos outros departamentos e diretorias do que o USMC sendo assim e necessitada a supervisao de oficiais generais em muitos desses postos.

    Eu pessoalmente acho muito mais interessante olhar a fracao de 1 oficial para cada 8 homens.

    SF!

  22. Cinquini 26 de julho de 2009 at 14:45 #

    ViniciusModolo,

    Como o Meia Dúzia disse, essa tabela foi retirada do Boletim do Exército disponível no link da matéria. Se alguém quiser ler todo o boletim ele está lá disponível.

    Um grande abraço

  23. Cinquini 26 de julho de 2009 at 14:50 #

    Marine e amigos,

    “Pessoal, no meu ver o numero nao esta tao exagerado assim nao, fiz a comparacao acima com o USMC mas o EB possui muitos outros departamentos e diretorias do que o USMC sendo assim e necessitada a supervisao de oficiais generais em muitos desses postos.”

    Peguei essa citação do colega Marine pois ela é perfeita, como sempre o nosso amigo fez uma ótima análise, o Exército Brasileiro tem muitas responsabilidades que o USMC, por exemplo não tem, só um pequeno exemplo disso é o controle de materias controlados que chegam ao nossos portos e aeroportos, aqui é responsabilidade do EB controlar, nos EUA tem uma Agencia que só cruida disso.

    Um grande abraço,

  24. Patriota 26 de julho de 2009 at 15:32 #

    celio andrade

    O Eneas não era um cara normal não !
    Se um louco destes chegasse ao poder com certeza não faltariam motivos para invadir o Brasil.

  25. luis 26 de julho de 2009 at 15:46 #

    De todos esses numeros eu tenho apenas 1 certeza, são numeros pequenos para uma pais desses tamanho, eu era cabo, no pais só tem 35 mil, só um exemplo fora as outras patentes

  26. Harry 26 de julho de 2009 at 17:00 #

    Caro, Cinquini, não há explicação, se tem departamentos e diretorias demais esta na hora reformular o seu modo de fazer suas atividades e tarefas e/ou processos, reduzir com isso número cargos
    adotaram um organograma mais enxuto.
    E pior eles depois ficam inativo e continuam onerando o orçamento das forças armadas.
    Nominalmente, o Brasil possui hoje um dos orçamentos de defesa mais altos do mundo. Contudo continuamos desarmados.
    Abs.

  27. Cantarelli 26 de julho de 2009 at 18:14 #

    Como citaram o falecido senhor Eneas, este sim se fosse presidente faria a bomba.

  28. Hornet 26 de julho de 2009 at 18:37 #

    Hermano Cinquini,

    bem lembrada essa sua citação do comentário do Marine.

    abração

    ps. gostou do “hermano”?…hehehe

  29. Vassili Zaitsev 26 de julho de 2009 at 18:39 #

    Cantarelli,

    Mesmo o Enéas sendo um ferrenho defensor do Brasil equipado com bomba nuclear, duvido que ele, na hipotética situação de se ver eleito presidente, duvido que ele conseguisse levar seu plano até o final.

    * obs: enquanto ele estava vivo, é claro;

    abraços;

  30. Vassili Zaitsev 26 de julho de 2009 at 18:40 #

    Hornet,

    E ai, beleza????????????????

    Faz tempo que não conversamos…………………….

    Um grande abraço.

  31. Cinquini 26 de julho de 2009 at 18:47 #

    Hornet,

    Gostei sim do “hermano” uahuahuahuaaa

    Já baixei o link que vc mandou, estou esperando um momento sussegado pra escuta-lo

    Harry,

    Eu acredito que você deva conhecer bem o Exército Brasileiro e suas atribuições nao é?

    Um grande abraço

  32. Zorann 26 de julho de 2009 at 19:20 #

    Também fiquei surpreso com a quantidade total de militares do Exército. Achava siceramente que estes números eram menores. Mas ao meu ver, isto não tem tanta importância. oque realmente conta é o nível de treinamento dos nossos militares. Vou citar um exemplo simples que ocorre aqui em minha cidade. Temos aqui um Tiro de Guerra, onde os soldados não tem basicamente treinamento nenhum. Não existem exercícios e nos finais de semana ficam todos sentados na calçada, fumando, dando risada, enquanto deveriam estar de guarda. Durante a noite é pior, juntam ali um monte de garotas a noite e ficam de namoro com os soldados que deveriam estar de guarda. Nem armas para o treinamento existem. Então de nada adianta se tivermos 1 milhão de soldados de 900 000 não tem treinamento adequado, não tem alimentação adequada e nem postura de um militar…

    Um abraço a todos…

  33. Felipe Cps 26 de julho de 2009 at 19:35 #

    Cinquini e Marine: eu acho é que o EB tem atribuições demais então, que não tem nada a ver com sua função principal. E será que tais atribuições não poderiam ser executadas por Coronéis ou Tenente-Coronéis? Há necessidade de que sejam generais? E será que o EB tem tantos generais porque tem muitas atribuições não combatentes, ou adquire muitas atribuições extra-combate para justificar a quantidade de generais?

    Quanto a ter bastante generais por demorar a formá-los em caso de combate, trata-se de uma meia-verdade um tanto deformada: em caso de um combate curto, metade disso de generais já bastariam, afinal não temos sequer tropa em prontidão para tanto general. E general não combate, vale dizer: via de regra não morre! Em caso de guerra prolongada, há tempo mais que suficiente para formar generais.

    Mas não, prefere se prevenir no alto escalão, para se deixar desprevenido onde realmente importa: em elementos combatentes.

    Sei que estamos no campo da elocubração, porque isso jamais mudará. Já foi pior, salvo engano antes da revolução de 1964 tínhamos mais generais que os EUA. Mas ainda assim é uma praga da qual não conseguimos nos livrar desde o Brasil Império.

    E concordo com o Marine: temos muito oficial para pouca tropa, ou melhor dizendo, pouca tropa para tanto oficial. Penso que o ideal para o Exército Brasileiro fazer-se presente em todo o território nacional seria ter o dobro do efetivo que temos atualmente.

    Mas de novo estamos no campo da elocubração…

    Abs.

  34. Harry 26 de julho de 2009 at 20:49 #

    Caro, Cinquini uma delas é atualmente reforçar fiscalização na fronteira no RS.
    Quem realiza o trabalho é o soldado não o general(esse planeja), com os recursos diponiveis que temos, fica a pergunta tem ou não chefe demais?

  35. Felipe Cps 26 de julho de 2009 at 21:43 #

    Marine: apenas uma ressalva: o número de Oficiais Combatentes não é grande, mas dobra quando se soma ao dos quadros e serviços.

    E o número de Oficiais Temporários (Infantaria e Cavalaria) também é bastante minguado.

    Abs.

  36. Noel 26 de julho de 2009 at 22:34 #

    joel em 26 jul, 2009 às 11:44

    “Uma duvida todos esse cornoeis quando se aposentam são promovidos a general de brigada? isso quebra qualquer previdencia…”

    Não existe mais a promoção quando o militar vai prá inatividade, a 40 anos aproximadamente, quando foi reformada a legislação.

    Jorge em 26 jul, 2009 às 12:54

    “Pergunta de curioso, mas inexperiente na vivência militar:

    Não me lembro onde li, que devido o tempo necessário para se formar oficiais-generais, bem maior que para formar soldados, isso poderia explicar essa aparente desproporção.

    Mas em caso de convocação de soldados para uma guerra, dobraríamos ou triplicaríamos o número de tropas, mas o número de generais permaneceria o mesmo.

    Procede essa informação?”

    Bom Jorge, um Oficial General começa a ser formado desde que ele forma-se na AMAN, no caso do EB, Escola Naval na MB e AFA na FAB, o somatório da experiência na caserna os cursos de carreira, sendo último o Curso Política Estratégica, cada Força tem um curso desse nível, com duração de + ou – 9 meses, que é pré-requisito para um Cel, ou CMG na MB, ser indicado para promoção a Oficial General, donde conclui-se que demora um pouco essa formação.
    Agora o que eu relatei, nada tem a haver com proporção ou desproporção de efetivos.
    Quanto a sua segunda pergunta, todo reservista de primeira categoria, ou R/1, em princípio podem ser convocado; priorizando-se os que sairam das Forças até 5 anos e assim sucessivamente, e nesse tipo de convocação entram todos, do Soldado que deu baixa recentemente até o General que também foi prá reserva; sendo que existe legislação que preve a convocação de Oficiais e Graduados pela necessidade do serviço, mediante aceitação voluntária do mesmo, as Forças possuem vários nessas circunstâncias.
    Grosseiramente falando, é isso ai.
    Sds

  37. joel 26 de julho de 2009 at 22:41 #

    Obrigado Pelas informações Noel

    Um grande abraço

  38. Sonic Wings 26 de julho de 2009 at 22:43 #

    Srs. sei que a vivência de cada um é grande nesta área ao contrario de mim um réles entusiasta das forças brasileiras.

    No entanto, penso que diante da atual situação descrita por vários amigos militares e acompanhando discussões deste espaço é importante enxugarmos este quadro em todos os níveis pra que estes possam usufruir de um real reaparelhamento das forças em equipamentos e treinamentos, nada adianta pensarmos em um número mais expressivo de soldados, quantos disparos um praça efetua em todo seu treinamento? 5, 10, 15? Em caso de guerra será isso o suficiente? Ou estaremos enviando ao suicidio coletivo nossos jovens guerreiros?

    Outro espinhosos aspecto aqui apontado é aposentadoria militar cheia de beneces até depois de finado militar. Quem teria a coragem de conduzir tais mudanças? Quem está disposto a abrir mão desta beneficio?

    Acredito que estes sejam alguns passos para quem tenhamos um exercito forte e depois sim com força investirmos no seu crescimento, do tamanho que pede um país como o Brasil.

    Abs

  39. Hornet 26 de julho de 2009 at 23:44 #

    Vassily,

    faz tempo mesmo, a Resistance está de férias, será?…hehehe

    abração meu caro

  40. Hornet 26 de julho de 2009 at 23:44 #

    Cinquini,

    beleza! Depois a gente conversa a respeito.

    abração

  41. bulldog 27 de julho de 2009 at 1:49 #

    Muito cacique pra pouco arco, flexa, machado, etc…

  42. Zero Uno 27 de julho de 2009 at 12:03 #

    Concordo com o que disse o Marini em seus comentários. Aliás, várias brigadas foram criados na Amazônia e a mesma é comandada por um General de Brigada.

    E não se enganem. Mais brigadas serão criadas pois o exército planeja tem pelo menos um contigente de 50.000 homens em armas naquele TO. Isso sem contar os efetivos da MB e da FAB.

    Se acham o número de Generais muito grande, eu discordo. Pequeno é o número de tropas que o EB deveria ter. A culpa não é dos nossos Generais, portanto.

    Abraços a todos.

  43. Henrique 27 de julho de 2009 at 12:41 #

    137 Generais !! Nessa tribo só tem cacique ! …

  44. Zero Uno 27 de julho de 2009 at 12:42 #

    Sobre o Sr. Enéas.

    Foi sargento do EB e sempre disse que não seria nada se não fosse para o Exército. Sempre foi um grande defensor de nossas Forças Armadas e a sua defesa quanto ao Brasil possuir a Bomba Atômica sempre foi no contexto Geopolítico/dissuassório.

    Também foi um defensor ferrenho de nossa soberania na Amazônia.

  45. Walderson 27 de julho de 2009 at 14:28 #

    Caro Marine,

    tb acho mais interessante olhar esse nº – relação oficiais/praças. Um outro detalhe interessante nesse quadro é o número de capitães, maior do que o de 1º e 2º tenentes. Será que ouve uma debandada? Ou as academias estão formando menos oficiais? Se estão formando menos, porque estão formando menos?
    Quantos às críticas, algumas delas nem merecem comentários. Várias pessoas nunca viram a estrutura das FAs e muito menos sabem que elas mudam com a necessidade. Um exemplo bastante atual é o da FAB, onde o CTA deixou de ser CENTRO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA para ser COMANDO GERAL DE TECNOLOGIA AEROESPACIAL.

    Um abraço, senhores.

  46. Andre Luiz 27 de julho de 2009 at 14:46 #

    Se for para ter um exercito “de acordo com o tamanho da naçao ” das duas uma, ou este país quebra ou vai ser um gigantesco exercito de esfomeados

    Este papo de exercito de milhoes de homens é algo superado, prefiro um exercito pequeno, moderno e bem treinado

  47. celio andrade 27 de julho de 2009 at 16:00 #

    Sói acho que com tanta loucura do Eneas, ele era o unico – acho que ainda é – defensor da soberania brasileira.
    Um exercito de um milhão pro nosso país nao é nada. Ter a bomba nuclear é necessário, ter equipamento e navios modernos é obrigação.
    Todo mundo acha que nao tem dinheiro, mas corta os cargos comissionados de todas as esferas – municipal – estadual e federal – que sobra dinheiro pra equipar as forças armadas treina-las e ainda melhorar a saude e educação do povo ( via forças armadas).
    Digo sempre se pegassem esses jovens carentes e colocassem todos nas FA não teriamos facçoes criminosas nem envolvimento com drogas.
    Ma sno Brasil , o páis da preguiça tudop é complicado.

  48. Julio 27 de julho de 2009 at 16:06 #

    Caros colegas, é evidente que o Dr. Enéas tinha algumas idéias loucas, mas, em grande parte as ideias deles eram debatidas ou rebatidas. A grande contribuição dele foi colocar suas idéias na boca do povo. Infelzmente aqueles políticos que se consideram normais não são capazes de defender as Forças Armadas.

    Concordo quando dizem que o efetivo do exercito deveria ser maior. Mas, antes de aumentar o efetivo gostaria de ver o atual efetivo armado com equipamentos modernos que dessem realmente uma garantia de poder de fogo e sobrevivencia para nossos militares, condições de vida aos militares e seus familiares que estão na amazônia. Depois, dentro de uma doutrina elaborada pelos militares, o aumento do efetivo.

  49. Zero Uno 27 de julho de 2009 at 16:10 #

    Debanda nas Forças Armadas.

    Estava assistindo uma entrevista do Dep.Federal Jair Bolsonaro e ele comentou que o as Forças Armadas estão perdendo diversos oficiais para a iniciativa privada e também para cargos dentro da esfera federal.

    Ele citou um exemplo bastante ilustrativo:

    “Um motorista do Congresso Nacional praticamente ganha o mesmo que um piloto de caça. Imagine um funcionário que trabalhe na administração do Congresso! Os salários praticamente são iguais a de Majores no EB…”

  50. Cantarelli 27 de julho de 2009 at 16:50 #

    Isso mesmo antes de aumentar o efetivo teriamos que ter equipamentos modernos para todos os homens ai sim podiam pensar em aumentar.

  51. Marcelo Tadeu 27 de julho de 2009 at 16:55 #

    Felipe Cps, o posto de Marechal foi extinto em 1967. Nem em caso de guerra ele volta!!!

    Abracós

  52. Noel 27 de julho de 2009 at 18:53 #

    Marcelo Tadeu, o Felipe Cps esta correto, a promoção de um Oficial General 4 estrelas ao posto de Marechal ainda existe em tempo de guerra. Caso tenhas dúvidas entre no site da FAB, que verás no quadro demonstrativo de Postos e Graduações, as platinas de Marechal do Ar, Almirante e Marechal; e só como curiosidade, o último a ser promovido ao Posto foi o Marechal do Ar Eduardo Gomes, post mortem.
    Sds

  53. Noel 27 de julho de 2009 at 19:44 #

    Aos companheiros que acreditam nessa conversa de “muito cacique prá pouco índio”, lembrem-se que as nossas Forças Armadas desenvolvem uma série de atividades institucionais e pontuais, que não são fundamentalmente militares, temos uma série de exemplos:
    a) o Centro de Lançamentos de Alcântara é administrado pela FAB, por meio do CTA, e o deveria ser pelo MinCT, por meio da AEB;
    b) o EB constroi e recupera estradas e pontes, atribuição que deveria ser do Min Transportes;
    c) o EB tem sido o responsável pela distribuição de água no sertão do Nordeste, deveria ser Municipal e Estadual;
    d) as três Forças apoiam diversos órgãos Federais, Estaduais, Municipais; sendo que o EB até participa das campanhas vacinação de cachorro, atividade Municipal; e
    e) prá não me estender mais, até enormes laboratórios farmacêuticos dignos de empresas do primeiro mundo as três Forças administram, Min Saúde.

    O porquê dessa situação?
    Os poderes públicos civis de todas as esferas e estâncias(Federal, Estadual, Municipal, Tribunais) socorrem-se das Forças, por não possuirem estruturas competentes para atender à população; sendo assim as Forças possuem em seus quadros pessoal militar, mas não necessariamente combatentes, prá atender todas as demandas a que são cobradas. Quem assistiu o Globo Reporter, da última sexta-feira, viu esposas de militares dando aula em uma escolinha na fronteira, os militares também fazem isso.
    CADÊ O ESTADO???
    Prá terminar esse assunto, o US Army, a US Navy, a USAF, o USMC, USCG, não precisam fazer o que nossas Forças fazem aqui, e vejam só: quem faz a segurança externa do Pentágono nem são militares, ou seja lá, são voltados primordialmente prá atividade militar.

    Sugestão aos companheiros que desconhecem a estrutura das Forças, entrem nos sites das três, e “viajem”, vão descobrir e entender muitas particularidades; fica até melhor prá criticar.
    Sds

  54. Felipe Cps 27 de julho de 2009 at 20:32 #

    Marcelo Tadeu:

    veja lá:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_militar_(Brasil)

  55. André Castro 27 de julho de 2009 at 21:53 #

    Realmente 200 mil é pouco para o tamanho do Brasil ,já que não temos orçamento para ampliar deveríamos focar mas na qualidade e não na quantidade .

    Off-topic

    A Colômbia apreendeu um monte de armas Suecas em um acampamento das FARC ,só que essas armas foram originalmente vendidas para a Venezuela entre as armas foram apreendidas armas antitanque e lança-foguetes ,se a relação Colômbia-Venezuela já não estavam muito boa nas ultimas semanas imagine agora.

    http://www.abril.com.br/noticias/mundo/colombia-diz-ter-apreendido-armas-venezuela-farc-471199.shtml

  56. Fernando 28 de julho de 2009 at 1:59 #

    O Éneas morreu…

    Pelo que tenho conhecimento virou mulher (Meu nome é HAVANIR Nimitz – se acreditarem tive a oportunidade de trabalhar como assessor da Dra. na Camara Municipal de SP, que ao contrário da campanha, era uma doce pessoa) e até deixou um clone (do Enéas – se não me engano a Justiça Eleitoral cassou a candidatura do clone) se os srs. não se lembram…risos

  57. VirtualXI 28 de julho de 2009 at 8:02 #

    Como sempre muito cacique pra pouco índio. E mais, em tempos de guerra, metades dos caciques ao final foge com o rabo entre as pernas. Afinal, cafezinho e sentado na mesa com o c… na mão (como dizia a letra do Legião Urbana) não resolvem os problemas de defesa do Brasil.

  58. MarcosT 28 de julho de 2009 at 8:45 #

    Na tabela aparece 109.046 soldados. Esse numero é de soldados profissionais, ou tá incluido os conscritos também?

  59. Noel 28 de julho de 2009 at 19:19 #

    MarcosT, não existe Soldado profissional nas FA’s, todos são temporários, podendo ficar nas fileiras de 4 a 6 no máximo, profissionais somente de Cabo/Taifeiro “prá cima”.
    Soldados profissionais só nas PM’s/Bombeiros estaduais.
    Sds

  60. CosmeBR 28 de julho de 2009 at 20:07 #

    Realmente o nosso exército é muito pequeno. Deveríamos ter pelo menos 1 milhão de soldados nas três forças, sendo que esses 200 mil deveriam se localizas na região norte e centro-oeste, que são pouco populosas e vulneráveis. Com melhor armamento, treinamento, conscientização e apoio da população civil, com melhoria na educação, com a volta da educação cívica, uma vez que não se aprende nem a cantar o hino nacional, coisa mais básica do patriotismo, podemos construir uma potência. Abraços!!!

  61. Felipe Cps 28 de julho de 2009 at 21:51 #

    Fernando: diz aí, do jeito que vc falou vc “passou fogo” na Mulher-Enéas neh não? rsrsrsrs :)

    Abs.

  62. Giovani 28 de julho de 2009 at 22:00 #

    Um Exército enchuto, para um paìs em tempos de Paz, olhar as Forças armadas Americanas com um efeitivo enorme parece legal, mas eles estão em Guerras desde que o mundo é mundo, e constantemente são convocados reservistas.

  63. CosmeBR 29 de julho de 2009 at 2:22 #

    Estão sempre em guerra porque a guerra é lucrativa e justifica os gastos abusivos e sem controle!!!

  64. Daniel Camilo 29 de julho de 2009 at 11:17 #

    Noel em 27 jul, 2009 às 19:44

    Faço minha suas palavras, acrescentando o trabalho dos “Navios da Esperança”.
    ADSUMUS!!!

  65. Francisco AMX 29 de julho de 2009 at 14:07 #

    70% deste efetivo é para administrar este efetivo! combatente que é necessário, de capacidade real de combate, não deve passar de 30mil…

  66. Marine 29 de julho de 2009 at 15:02 #

    Francisco AMX,

    Mas isso e assim no mundo inteiro, a proprocao e essa mesmo, para cada combatente existem 7 apoiando. E assim desde os tempos da Grecia, lembre-se de escudeiros, cozinheiros, os que atendiam aos cavalos e por ai vai, nenhum exercito da historia era formado 100% por combatentes.

    Sds!

  67. The_mal_voltou 29 de julho de 2009 at 18:33 #

    E isso vai diminuir ainda, vocE^s esqueceram que aquele plano de modernização do Exército vai acabar com a cavalaria como nós conhecemos?
    decretaram o fim do “AAAAÇO!!!!”…
    agora é meia dúzia de blindado com rodas, acho que o Bope seria melhor nessa tarefa.
    triste o que estes “ESTRATEGISTAS” de longo prazo fazem com o brasil.

  68. Guilherme Poggio 31 de julho de 2009 at 21:04 #

    Senhores,

    Sobre Marechal no Brasil, fica a sugestão do blog

    Morre no Rio, aos 108 anos, último Marechal Brasileiro
    http://www.forte.jor.br/?p=3023

  69. Pedro 13 de setembro de 2010 at 22:12 #

    Parabens Noel. Boas colocações ref. as atribuições de nossas forças armadas.
    Acrescento mais. Nossas forças armadas estão sucateadas e abandonadas desde a mais de 20 anos, infelizmente, por descasos dos varios governos até o presente momento. As forças da ONU nada tem para fornecer em caso de algum confronto internacional ou guerra.
    Nem para defender nossa constituição de ataques internos não estamos mais preparados e armados.
    Nosso efetivo ativo deveria ser pelo menos o dobro do que é.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Exército Brasileiro vai escolher seu veículo blindado 4×4

Avibras Tupi

Victor Barreira, Lisboa Quatro empresas do setor têm até meados de dezembro para entregar ofertas ao Exército Brasileiro para um […]

‘Call of Duty: Advanced Warfare’ considerado o maior lançamento de entretenimento do ano

Call of Duty Advanced Warfare

A Activision anunciou que Call of Duty: Advanced Warfare tornou-se no maior lançamento de entretenimento de 2014. Segundo a produtora, […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

FD Capas

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Vídeo: Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron)

sisfron

O Brasil possui cerca de 17.000 km de fronteiras terrestres, estendendo-se do Amapá até o Rio Grande do Sul. Essa […]

Militares russos visitam o Brasil para estreitar cooperação em defesa antiaérea

russia_inter3

Brasília 20/11/2014 – Uma Comitiva da Federação Russa realizou visita ao Brasil nesta semana para conhecer a parte operacional dos […]

FGV: Forças Armadas no topo do nível de confiança

Forças Armadas

Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas apontou que as Forças Armadas lideram o ranking das instituições com nível de confiança de […]