Home Conflitos em andamento ‘Rússia colocou um ponto final na onipotência dos EUA’, diz chanceler russo

‘Rússia colocou um ponto final na onipotência dos EUA’, diz chanceler russo

7642
99

russian-foreign-minister-sergei-lavrov

A razão que explica o mal-estar dos EUA com a Rússia encontra-se no fato de que Washington começou gradualmente a perceber que sua “onipotência” está acabando. Quem afirma é o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Clipping“Pode haver alguma razão pessoal. Qualquer personagem pode sentir dentro de si que os EUA não estão fazendo as coisas como gostariam ou tentam fazer alguma coisa, mas não tem sucesso. É a sensação gradual, mas ainda assim [inevitável], do fim de sua onipotência. Isso, para mim, é muito claro”, disse Lavrov em uma entrevista ao canal de TV ‘Pervy Canal’.

Segundo o ministro, este processo está sendo muito doloroso para os países ocidentais, pois, durante séculos, eles foram os que controlavam o mundo.

O chanceler observou também que a União Soviética era “um mundo mundo fechado ao processo mundial, um mundo centrado em si mesmo”. “Quando a União Soviética desapareceu, todos pensaram que a Rússia iria se encolher ao seu tamanho natural e que tudo estaria bem: eles seguiram, como têm feito deste os séculos XVI e XVII, impondo suas regras e ordens e todos os escutariam”, destacou Lavrov.

“Como se vê, eles se equivocaram”, disse o chanceler, acrescentando que as “altas expectativas que o Ocidente tinha de ter o mundo no bolso após a queda da União Soviética […] terminaram em um mal-estar, pela simples razão de que os russos queriam fazer de seu país um país independente, com uma vida digna de que eles poderiam se orgulhar”.

Lembrando as palavras do presidente russo, Vladimir Putin, Lavrov frisou que a Rússia “tem o direito de ser forte, sem negar o mesmo direito a outros países e sem impor a ninguém ‘receitas de comportamento'”.

FONTE: Sputniknews.com

99 COMMENTS

  1. É o mesmo discurso do PT que afirma que o Temer e a “elite” não quer ver filho de pobre e negro fazendo faculdade ou não aceita que um “trabalhador” vire presidente.

  2. Bosco, sabemos disso, temos mais de 20 anos de jornalismo. Mas essa notícia é importante, por isso achamos pertinente sua publicação.

  3. E os russos cada vez mais desesperados em não perderem o último bastião no Oriente Médio.
    Não estão nem ai para o povo sírio que não quer mais ou a destruição do EI, sua única motivação é a manutenção do status quo.

  4. Sorte deles que o presidente ainda é o Obama, se fosse um bush da vida a conversa iria ser diferente.. Eua nesse governo Obama ta igual o Brasil na época que a Dilma tava no poder, ninguém ta respeitando mais..

  5. Boa tarde

    Acho engraçado essa história, como algumas pessoas não percebem que a Rússia já perdeu na Síria? Mesmo se vencer essa guerra e a Síria voltar a ser governada pelo ditador ainda será uma derrota.
    Como vai ser lembrada daqui 10 anos? Como um país que utilizou de uma guerra externa para tirar o foco dos grandes problemas internos da Rússia? Como um país que se aliou a um ditador? Para defender bases de petróleo e uma base naval? Como um país que foi contra vários países árabes, contra vários países europeus, contra os EUA para defender um homem que mata a própria população para não deixar a presidência?
    De toda a primavera árabe o caso Síria foi o mais cruel, cruel pela total insensibilidade do ditador.
    Mesmo admirando a Rússia como país, como história, eu sou totalmente contra esse governo Putin (fracasso total), internamente a Rússia virou uma ditadura e externamente defende ditaduras claramente. A Rússia parou no tempo, está cheia de problemas, utiliza das mesma estratégias do passado diante do século 21. Eu como cidadão democrático não defendo essa abordagem!
    Como eu sempre digo: “ninguém faz mais mal a Rússia do que os seus próprios governantes”.

    Abraço!

  6. Ivan, a Síria era um país tranquilo, era até proibido perguntar a religião dos outros, sem dívidas com o resto do mundo. Sob a mão dos Assad (escrotos) e viviam em paz. A Líbia com Kadafi era algo do tipo, um escroto e financiador do terror que mantinha o país em “paz”. Arábia Saudita é umas 10 vezes pior que a Síria, Irã e Líbia juntas, financiam terroristas de toda banda e são aliados do ocidente. O que os gigantes do ocidente fizeram contra ela? Ninguém pensa em democratizar a Arábia, que executa rivais políticos, homossexuais, clérigos xiitas etc. O ocidente ter se metido na Síria foi o que atrapalhou tudo, os rebeldes sofreram muitos ataques injustos da Síria, mas a soluções deles seriam ainda piores do que as de Assad. Levar um pouco de liberdade pra Síria não foi a solução mais inteligente. Tenho pena dos curdos e civis sírios no meio da bagunça. Me perdoem pelo texto gigante.

  7. incrivelmente a reportagem está certa, um mundo onde Rússia e China irão ter mais poder e influência me assusta

  8. Se existe alguém que está indo pro escanteio é a própria Rússia.
    .
    O poder bélico da era Soviética está se acabando, não existe dinheiro para colocar o “M” em tudo que se tem ( Até AS tem um orçamento maior que o dos Russos), quem dera repor todas as quantidades de equipamentos necessários (a Marinha é o exemplo mais nítido).
    .
    O mundo continuará a ser bipolarizado, no entanto, com o Chineses no lugar dos Russos, que não serão mais relevantes do que os Europeus.

  9. Primeiramente, a Rússia sempre busca manter a postura de que é alguém e os outros não são tão fortes.
    Segundo, a legitimidade para as ações russas é encontrada internamente. Eles não se preocupam nada com a opinião estrangeira.
    Quanto aos EUA, fica sempre na sinuca de bico. Se ouvir em pé de igualdade todas as nações e tentar algo menos impositivo, é porque está enfraquecendo. Se tentar impôr sua vontade pela força sem dar ouvidos, está sendo imperialista.

  10. Lendo todos os comentários eu digo apenas, caramba. Este cara é um grande chanceler e o Putin um grande presidente para os Russos. Eu disse para os Russos. Cada país defenda seus interesses, da forma que tiver cassife. Se isto vai agradar ou não, é outra coisa.

  11. O engraçado é qualquer notícia que fale da russia os caras vem babando igual cachorro louco para desmerecer a reportagem kkkkk. Bando de acéfalos

  12. E antes que alguém me chame de esquerdopata, não tenho nenhum tipo de ideologia apenas sou entusiasta militar e não me importa se o equipamento é russo, americano, chinês ou da koreia do Norte.

  13. Os russos estão mais do que certos em exigir um papel que lhes cabe bem, de não ser como o restante do mundo que abaixa a cabeça pros EUA, um país que chegou a ter 15 mil ogivas atômicas, possui o maior submarino portador de ICBMs (já teve 5), a maior frota de blindados do mundo, a segunda maior e mais poderosa força aérea, detentor de uma grande esquadra de submarinos, muitos deles nucleares, um dos poucos países do mundo a ter um sistema eficaz de interceptação de mísses (S300,S400, PANTSIR, TOR), um país com tanto poder não deveria jamais abaixar a cabeça pra ninguém, infelizmente essa não é nem de longe a realidade do Brasil que ficou inerte quando o merda do Evo Morales tomos nossas refinarias e ficou por isso msm…

  14. Ao que se vê a olhos vistos, os EUA continuam fazendo o que querem aonde querem e quando querem. Nada mudou. Tipica conversa de quem parece recalcado pelo rebaixamento de posição no tabuleiro mundial. Mais atos e menos conversa fiada é o que precisa pra se chegar onde ele pensa que está.
    Ronilson creio que não se trata de ser anti Russia. Ela é só mais um país. O caso é que a maioria das notícias “pro Russia” são plantadas/criadas por eles mesmos e são normalmente situações bem pueris que acabam ridicularizando eles mesmos. Coisas dissociadas da realidade e voltadas a consumo interno. Não resistem a uma análise critica minimante isenta e aprofundada. E olha que eu também gosto de muita coisa que eles produzem por lá. Porém, quanto mais eles querem parecer o que não são, menos são o que querem parecer.

  15. Uma coisa nós temos que admitir o Obama tá perdidinho com relação a política exterior, esse tal de secretário Kerry, provavelmente é um dos piores que estiveram no departamento de Estado. O Obama é sempre surpreendido, foi assim com a Rússia entrando na Síria, foi assim na primavera árabe, principalmente no caso do Egito, em que ele não sabia se apoiava o Mubarak ou não, desde esse episódio a Arábia Saudita que era aliada do Mubarak e contra a irmandade muçulmana começou a ficar com um pé atrás em relação aos EUA, se percebe claramente que aos poucos os EUA vão perdendo influência no Oriente Médio, influência essa que começa a ser dividida entre Irã e Arábia Saudita, na Ásia um dos seus principais aliados, as Filipinas, tem um presidente que o chama de filho da put* e o manda para o inferno, na última semana esse mesmo presidente cancelou todos os exercícios conjuntos depois desse que esta rolando nesse momento e cancelou as patrulhas conjuntas de ambos os países no mar do sul da China. A vida não esta fácil para os americanos e o pior é que tanto a Hillary como o Trump não são muito melhores que o Obama no que tange política internacional.

  16. Isso faz me lembrar os tempos de guerra fria, se um republicano ganhar o jogo muda, daí na próxima eleição ganha um democrata o jogo volta novamente a esse estágio, no fim são apenas cachorros grandes latindo porque ninguém vai ser louco de apertar o “red button”…. Ainda….

  17. No tempo da grande URSS só o que a Rússia fazia era bater o sapato na ONU, financiar terroristas palestinos e “revoluções” mundo à fora. Além é claro de manter acorrentados todos os países fantoches.
    Realmente o Putin está fazendo melhor.

  18. O fato é que o poder relativo dos EUA , se considerarmos o tamanho de sua economia em relação ao PIB mundial, vem decrescendo paulatinamente. A China, que ao fim da segunda guerra era pior que a India hoje, se tornou superpotência econômica e industrial. Expande sua influência por todo o mundo. A Rússia hoje rosna, mas a médio e longo prazo seu poderio bélico vai se conformar ao tamanho de sua economia. Será, a meu ver, ator auxiliar da China. A India continua crescendo forte. Outro colosso populacional a corroer o poder relativo dos EUA, da Segunda Guerra até hoje. A pergunta que se faz é se economias maduras, com altíssima renda per capita como Estados Unidos e Europa Ocidental conseguirão crescer fortemente de agora em diante, inclua-se aí também o Japão. Ou verão um mundo se aproximando, pouco a pouco, do multilateralismo, ou ao surgimento de outro grande bloco político, econômico, militar, cultural, liderado pela China.
    Digo tudo isso para chegar à conclusão de que o Oeste vai precisar da América Latina ao seu lado, forte e unida, para continuar na liderança. Não interessa aos americanos uma América Latina fracionada, que flerte com China e Rússia. Mas para isso eles vão ter que dar apoio incondicional ao nosso desenvolvimento, justificando nossa integração, perante as populações do subcontinente, ao bloco do atlântico norte, em todos os sentidos.

  19. uma coisa é certa os EUA só batem em cachorro morto , tão apertando ate para os coreanos do norte , um único nuk no lugar certo levaria a economia americana a ruína

  20. A Russia não é forte, apesar de seu arsenal nuclear. Os americanos e o conselho de segurança da ONU é que se tornaram frouxos sob o governo Obama, e continuará sendo se Mrs. Clinton for eleita. Não me agrada conflitos, muito menos belicosidade, mas a irresponsabilidade do governo Obama gerou essa carnificina que se vê no Oriente Médio e norte da África provocada pelo “Estado Islâmico”, principalmente na Síria, e o consequente fluxo de refugiados para a Europa. Independentemente de seus interesses financeiros, os EUA sempre foram o “xerife” a garantir a segurança do ocidente.

  21. Putin aproveitou a burrice (ou nao, vai ver é de proposito) do Obama.
    Simples!

    Agora a china emerge e vai começar a influenciar a geopolitica mundial e usará o seu poder militar para alcançar seus objetivos.

  22. panzer ( 11 de outubro de 2016 at 18:28 );
    .
    “…uma coisa é certa os EUA só batem em cachorro morto…”
    .
    Não me consta que russos, ou quem quer que seja dentre os “grandes”, faça muito diferente…
    .
    “…um único nuk no lugar certo levaria a economia americana a ruína…”
    .
    Com todo o mundo, de alguma forma, dependurado na economia americana, quem seria louco de lançar…? E mais ainda: quem teria peito pra aguentar a retaliação…?

  23. Alexandre Galante 11 de outubro de 2016 at 14:48 ——…….*****

    Como mesmo disse Alexandre : Se a notícia é importante e porque não publicar? Um bom jornalista é aquele que está comprometida com a verdade e não com ideologia de esquerda ou direta.È sempre é bom ouvir o outro lado.

    Se dependesse desse tal do Bosoco, nenhuma notícia sobre Rússia apareceria aqui no blog Trilogia.

  24. Pessoal…
    .
    Entre discurso e realidade, vai uma certa distância… Olhem no mapa o que é a OTAN e países amigos dos EUA, e o que é a Rússia hoje e suas áreas de influência direta…
    .
    O fiel da balança é, e continuará sendo no futuro previsível, quem senta na Casa Branca. E o que se tem lá nesse momento é nada menos que o presidente americano mais passivo desde Jimmy Carter… E o que se terá no futuro é… bom… deixa pra lá…
    .
    Enfim, não dá pra dizer que o discurso do cidadão aí é totalmente sem sentido, no final das contas… Enquanto os EUA se mantiverem com essa política externa “reativa”, russos, chineses e outros terão liberdade de agir.

  25. Se Hillary ganhar podemos esperar mais do mesmo, o aumento das tensões e a Rússia cada vez mais impondo suas vontades… Com Trump veremos uma Rússia aliada dos EUA, sem sanções, o fim do ISIS pois Trump disse que quer uma parceria com a Rússia nessa area…
    Pessoal vamos torcer por Trump talvez poderemos ver os russos e americanos trabalhando junto, fazendo exercícios militares juntos. 🙂

  26. Meias verdades: Realmente os EUA não será onipotência mas a china ocupará o espaço que esse cidadão jura que é ou sera da Rússia.
    ——
    Agora fico pensando. …com uma China crescendo economicamente e desenvolvendo armas e sistemas modernos, uma Índia crescendo a mais de 7% aa, um adolescente trabalhoso na Coreia, um Paquistão com terroristas…. tudo isso em uma região populosa onde todos têm discussão nuclear e alguns com questões territoriais entre si é um ninho de cobras não! ?
    —–
    Espero que a região aprenda diplomacia com o ocidente porque um dia poderão precisar ! Ah…holofotes são preciso pois a Rússia está perdendo a guerra para si mesmo “economia”.

  27. Pobre povo da Rússia, sofrem com a irresponsabilidade de um governo mafioso, antiquado e interessado apenas em se manter no poder por gerações.
    Mais uma geração perdida, assim como a nossa.

  28. Uma coisa é certa a maior conquista da humanidade para a paz foi a bomba nuclear, sem ela já teríamos tido a terceira, a quarta e a quinta guerra mundial

  29. Alguem ja visitou Detroit? E a costa leste? Se surpreenderiam… e falariam menos baboseiras.

    De fato a nota eh muito interessante, pois os Russos estao abertamente peitando os EUA e a UE. Invadiram a Ucrania, roubaram a Crimea e financiam, fornecem e defendem tanto o Iran quanto a Siria, ao mesmo tempo em que desestabilizam a UE. Alem disso, o governo do Putin, ex KGB, faz um bom trabalho de lavagem cerebral com seu povo. Isso tudo soh esta tornando o mundo um lugar mais perigoso e as apostas mais altas.

  30. bosco123 11 de outubro de 2016 at 14:31

    Bosco, lá vem você de novo colocar PT no meio da história. Estou percebendo muito bem a sua tática, você sempre faz isso: de alguma forma, tenta polarizar, jogar a questão como se fosse PT x PSDB, capitalismo x comunismo, Estados Unidos x URSS. E as pessoas têm que escolher um lado.

    Mas você não vai conseguir. Não adianta você tenta colocar PT no meio da crise Síria, para que as pessoas que não gostam do PT não enxerguem a realidade óbvia do que está acontecendo por lá. Não, Bosco, o mundo não vai voltar a ser como era nos anos da guerra fria. Acabou. O mundo mudou. As coisas mudaram, não vai ter mais ruído suficiente para fazer as pessoas deixarem de enxergar a verdade.

    Eu não sou comunista, eu não voto no PT. Mesmo consigo enxergar os crimes que os EUA estão cometendo na Síria.

    Lembrei até daquela linda canção, na voz do Jimmy Cliff e letra do Bob Dylan:

    I can see clearly now the rain is gone.
    I can see all obstacles in my way.
    Gone are the dark clouds that had me blind.

    It’s gonna be a bright (bright)
    bright (bright) sunshiny day.

    Eu posso ver claramente agora que a chuva se foi
    Eu posso ver todos os obstáculos no meu caminho
    As nuvens pretas que me deixavam cego já se foram

    Será um brilhante (brilhante)
    Um brilhante (brilhante) dia de sol.

    Não Bosco, você não vai conseguir colocar nenhuma nuvem preta nos meus olhos para que eu não consiga enxergar a realidade. O que aconteceu aqui no Brasil, uns chamam de golpe, outros de “impeachment”. Respeito as duas posições, mas o mérito em questão aqui é Síria. E PT não tem nada a ver com isso, a Rússia continuou a trabalhar com o Temer e trabalharia com o Aécio, se este fosse eleito. PT é problema interno nosso e a Geopolítica mundial deve ser dissociada dele.

    As suas táticas não vão funcionar.

  31. Ronilson
    Ela evita mesmo mas no dia que chegar a hora dos países a usarem o estrago que ela vai deixar ja vai valer por muitas guerras.. rsrs

  32. Bom dia

    Não me refiro as ações da Rússia em face do seu poderio militar. Aliás, tomar decisões apenas no fato de ser forte militarmente é uma desvantagem. Mas faço em relação as decisões tomadas. São decisões que vão na contramão do progresso da Rússia. É uma verdadeira maquiagem.
    Eu sinceramente não acho inteligente essa postura. Todos nós sabemos que a influência da Rússia no mundo é pequena, essa é uma analise sem paixões, nós sabemos que tirando o quesito “militar” de resto é insignificante. Mais insignificante será quando os seus vizinhos deixarem de ser em partes dependentes do gás russo, por exemplo. Maior território do mundo, população diminuindo, população envelhecida…na outra ponta uma China totalmente capitalista, com a maior população do mundo. Vejam no mapa a Sibéria, uma vastidão de terra sem ocupação. Acho que o grande problema da Rússia no futuro será com a China, nesse dia eles vão ver o quanto foram idiotas durante décadas.

    A intromissão da Rússia é tão burra quanto a intromissão dos EUA na questão Síria.

    Observação: tem gente dizendo que a Primavera Árabe é obra dos EUA? Tão de sacanagem ou estão falando sério? Ah, foi a CIA kkkkk assim é baixar o nível da conversa.

    Abraço!

  33. Ahhh, já ia esquecer de comentar; Imagem, só imagem…decisões políticas, só políticas. Não há consistência. Na minha opinião a Rússia é um pobre com um Camaro. A China é um rico de fusca. Já a China cuida do seu jardim, enquanto a Rússia limpa o jardim do vizinho. A política interna e externa da Rússia está matando o que sobrou do passado. Em termos de estratégia, se tem um país que eu diria inteligente nas decisões tomadas seria a China.

    Abraço!

  34. Ivan da Silveiraa.

    “Observação: tem gente dizendo que a Primavera Árabe é obra dos EUA? Tão de sacanagem ou estão falando sério? Ah, foi a CIA kkkkk assim é baixar o nível da conversa.”
    .
    Eles estão apenas repetindo os bordões que o professor de história/geografia repetia ad nauseum na sala de aula.
    .
    Depois não entendem por que surgiu o movimento “Escola sem Partido”.

  35. JB 11 de outubro de 2016 at 18:02

    Prezado JB, bom dia.
    .
    Concordo com inúmeras de suas colocações. Cada país deve defender os seus interesses, mas isso não pode degenerar para o esmagamento de soberanias ou para o acuamento dos demais países, até porque, se acantonados, tal como animais, desesperam-se e adotam posicionamentos extremados (partem para o tudo ou nada – ou guerra, como preferirem).
    .
    Sobre aquilo que nos diz mais respeito, acredito que se os EUA, país com o qual inegavelmente temos a maior identificação cultural e axiomática (sem nenhum desprezo pelos demais países, friso), adotassem a postura de realmente respeitar os objetivos nacionais dos países sul americanos e de lhes tomarem como (verdadeiros) aliados, como coirmãos americanos, muitas das desconfianças e muitos dos conflitos existentes cessariam. No tocante à relação Brasil-EUA, os benefícios seriam mútuos, duradouros e progressivos. As nossas economias – só para resgatar um aspecto – são complementares e, conjuntamente consideradas, poderiam ser independentes do restante do orbe.
    .
    Mas isso num mundo ideal, utópico.
    .
    Vejam o problema do relacionamento com a Europa. Ainda que exista grande proximidade (cultural/histórica/econômica) entre EUA-UE, por que os Europeus vivem oscilando – especialmente agora – com aproximações “estratégicas” com outras regiões do globo? Simplesmente porque estão cansados do jugo americano. Se puderem, “pulam fora” desse “casamento” castrador o quanto antes.
    .
    Acredito igualmente que o erro (ou “pecado original”) no planeta tenha sido, de uns 350 anos para cá, hierarquizar a política como submissa à economia. Hoje, o sistema econômico dominante, que prega uma competição praticamente sem limites, em que o objetivo maior é a hegemonia com o aniquilamento dos demais “players” (dominação do mercado através da eliminação da concorrência – monopólio – o que pode ser visto não só no tocante aos atores econômicos, mas na atuação e organização dos países, uns perante os outros), serve-se do sistema já consolidado para perpetuar-se, custe o que custar, doa a quem doer. É isso o que, já faz bastante tempo, tenho enxergado nos EUA: um país organizado em torno de grandes conglomerados econômicos, totalmente voltado para o patrocínio de interesses econômicos que, na verdade, são apenas desfrutados, ilimitadamente, por muito poucos. O grosso do povo, aquele mencionado por Abraham Lincoln e Kennedy (“governo do povo, pelo povo e para o povo”…), desgraçadamente, já foi deixado de lado, órfão, faz muito tempo…
    .
    Imagino (ou sonho, se preferirem) com o dia em que a política ganhará a primazia e submeterá os demais aspectos da realidade humana (em especial a economia), de maneira harmônica e coordenada, para ser a verdadeira condutora da humanidade ao que todos nós aspiramos, que é viver com felicidade.
    .
    Todavia, a realidade é que os EUA (não só eles, mas principalmente eles) sempre aspiram liderar, conduzir, mandar (fruto da teoria do “destino manifesto”?), notadamente impelidos por interesses mesquinhos (servindo-se do mundo inteiro, transferindo a riqueza das demais nações a eles). Se abandonassem o objetivo de submeter (impor submissão aos outros) pelo de coordenar (ordenar em conjunto), principalmente as Américas (voltemos ao nosso problema imediato) seriam um todo harmônico, um oásis no planeta.
    .
    Os EUA continuariam a ser grandes, mas dariam espaço para que outros também o fossem (esse é o multilateralismo que supostamente deu ensejo à criação da ONU). O nível de conflitos tenderia a diminuir, pois um mundo mais próspero e estável automaticamente tornar-se-ia mais pacífico também.
    .
    Enfim, muito do que os EUA já são poderá ser devidamente conservado – e quem sabe – espiritualmente evoluído, se houver essa mudança de postura com verdadeiro irmanamento com os demais povos das Américas.
    .
    Bem, esse sonho (agora voltarei a dormir para perder-me, feliz, em meus devaneios, pois pelo menos no feriado tenho essa oportunidade) talvez seja alcançado (ou pelo menos estará mais próximo) quando o homem se lançar em definitivo na exploração do espaço sideral. Aí, quem sabe, não mais limitado pela suposta escassez dos recursos naturais (muitos dos recursos seriam trazidos ao planeta pela exploração de outros corpos e astros) e substituindo o paradigma pela abundância sem limites, as tantas brigas havidas cessem e poderemos então desfrutar de paz, cada povo à sua maneira e com respeito verdadeiramente recíproco às suas diferenças e peculiaridades.

  36. É exatamente isso que tem deixado os falcões em Washington furiosos. Os EUA se acostumaram a fazer o que quiser pelo mundo (depois do fim da URSS) sem interferência de ninguém e agora que os russos colocaram de fato o pé na Síria os EUA se sem impotentes e o que fazer é esbravejar pela mídia. É só o que podem fazer no momento. Todo mundo sabe a falácia que envolve os direitos humanos. Washington cansa de torrar inocentes com seus drones no Paquistão e Afeganistão, ninguém diz nada. Arábia Saudita é um reino de terror e o Obama come na mão da família real, a ponto de ir pessoalmente a Riad quando rei saudita morreu e de bloquear uma ação validade pelo congresso para processar os sauditas pelo 11 de setembro.
    Quanto a Rússia, historicamente sempre foi um país poderoso, mesmo na época dos Czares onde os russos se envolviam pouco nos assuntos ocidentais, naquela época eles já eram poderosos. Governo Obama inicialmente tentou isolar a Rússia e óbvio que não deu certo. Não tem como isolar países enormes, como Brasil, Rússia ou mesmo Índia. Qualquer um com o mínimo de conhecimento economico sabe disso.

  37. Ivan da Silveiraa ( 12 de outubro de 2016 at 3:30 );
    .
    “Acho que o grande problema da Rússia no futuro será com a China, nesse dia eles vão ver o quanto foram idiotas…”
    .
    É certo que os russos já sabem a tempos que os chineses serão adversários no longo prazo… Mas nesse instante da história, graças ao curso que tomaram, não podem dar o braço a torcer…
    .
    Penso que o que os russos desejam é se manterem como uma espécie de “terceira via” num futuro previsível, fazendo um antagonismo principalmente em relação aos EUA, mantendo um resquíscio de áreas de influência para manter alguma influência nas decisões globais ( algo digno, mas que considero de pouca chance de êxito, visto não terem o poderio econômico e nem a permeabilidade que tem hoje chineses e americanos no mundo; a menos que considerem uma estratégia de longuíssimo prazo ).
    .
    O problema, claro, é que enquanto os russos jogam xadrez, os chineses jogam Go…

  38. ”Todos nós sabemos que a influência da Rússia no mundo é pequena, essa é uma analise sem paixões, nós sabemos que tirando o quesito “militar” de resto é insignificante. Mais insignificante será quando os seus vizinhos deixarem de ser em partes dependentes do gás russo, por exemplo. Maior território do mundo, população diminuindo, população envelhecida…na outra ponta uma China totalmente capitalista, com a maior população do mundo ” Todo mundo sabe disso ate o Kremlin por isso a postura agressiva

  39. Como tem fanboy na net, converso com americano que respeita a Russia e China mais que nós que somos pitbull sem dentes.D´s nos guarde de uma 3gm.

  40. Eu jogo um churrasco com vocês que o Rasputin não vai atirar nem uma bolinha de papel nos americanos, pois ele sabem muito bem aonde e com quem está se metendo. Ele é bodoso, mas não é burro, sabe que Tio Sam acaba com economia russa sem disparar um tiro de 22 sequer.

    G abraço

  41. FRL 12 de outubro de 2016 at 10:54

    Caro FRL, bom dia.

    A Europa sozinha no mundo, não sendo ela um país de fato, mas um aglomerado que fala dezenas de línguas, culturas(espanhóis e italianos por exemplo são muito diferentes de alemães e poloneses, ou holandeses), doutrinas militares, enfim, ela não pode impor sua vontade no mundo de hoje como os países individuais europeus fizeram nos séculos passados. Sem a OTAN, ou os EUA, a Europa não conseguiria projetar poder em todo o globo. Ruim com a OTAN, muito pior sem ela.
    Quanto a nós latino americanos, separados seremos sempre joguete, seja de qual potência for. Não temos força sequer para unir nosso continente, do rio Grande à Terra do Fogo. Se conseguíssemos isso, teríamos um PIB entre os três maiores do planeta, uma população acima de 500 milhões de pessoas, sendo majoritariamente ibéricos, falando castelhano e português, línguas e culturas irmãs.Mas isso, como sabe, é só sonho.
    Traçando cenários futuros, vejo a Russia se tornando para a China o que a União Européia é para os Estados Unidos. A OTAN é uma tremenda ameaça – na visão e SENTIMENTO – de Russos e Chineses. Seria natural no futuro o surgimento de uma aliança militar que sucedesse o Pacto de Varsóvia. Centrada na China e Rússia, mais Coréia do Norte, talvez o Irã, Bielo Rússia, quem sabe Cazaquistão, e mais alguns países da Ásia central. A Índia fica neutra, o mundo muçulmano se divide, ou permanece dividido, África se divide. Seria contraproducente para a América Latina se dividir. E o caminho mais natural seria nos unirmos ao Bloco Ocidental.

  42. RR_ 12 de outubro de 2016 at 11:43
    Ivan da Silveiraa ( 12 de outubro de 2016 at 3:30 );
    .
    “Acho que o grande problema da Rússia no futuro será com a China, nesse dia eles vão ver o quanto foram idiotas…”
    .
    É certo que os russos já sabem a tempos que os chineses serão adversários no longo prazo… Mas nesse instante da história, graças ao curso que tomaram, não podem dar o braço a torcer…
    .
    Ah, o sonho dourado dos EUA: uma rixa entre Rússia e China. Que sonho!
    Mas imagine a seguinte situação hipotética: a Rússia assinando um acordo de rendição incondicional com os EUA. A Rússia renunciaria às suas armas nucleares e ao seu exército, e permitiria que várias multinacionais americanas se instalassem no seu país, para explorar de forma mais eficiente os seus recursos. Eu posso garantir que, 10 porta-aviões americanos estariam passeando no Mar da China. A China depende da Rússia como a abelha depende de mel. E, por isso e da mesma forma, imagine um colapso econômico na Rússia, igual ao que ocorreu na época da URSS. No dia seguinte a esse colapso, a China despejaria os bilhões de dólares que dispõe de suas reservas para acudir à Rússia. Rússia e China não são idiotas e precisam uma da outra. A aliança entre esses dois gigantes é uma realidade muito maior do que todos aqui, acostumados a se informar na Globonews e Veja, sequer imaginam. A premissa errada de que vocês partem é que a Rússia quer dominar o mundo. A Rússia não quer dominar o mundo e não se importa se a China assumir a dianteira, desde que a China respeite o espaço da Rússia. A Rússia só quer se sentir segura e aumentar a qualidade de vida da sua população, só isso. Para a Rússia, a China pode tomar a dianteira, desde que a Rússia seja respeitada. Não adianta sonhar com uma cizânia entre Rússia e China, não vai acontecer.
    .
    augusto 12 de outubro de 2016 at 12:35
    ”Todos nós sabemos que a influência da Rússia no mundo é pequena, essa é uma analise sem paixões, nós sabemos que tirando o quesito “militar” de resto é insignificante. Mais insignificante será quando os seus vizinhos deixarem de ser em partes dependentes do gás russo, por exemplo. Maior território do mundo, população diminuindo, população envelhecida…
    .
    Lamento por você, mas está redondamente enganado. Só vou citar como exemplo a América Latina, quintal dos EUA. A influência da Rússia aqui é muito maior do que na época da URSS, que se restringia a Cuba. Hoje, a influência da Rússia está nos seguintes países, além de Cuba: Venezuela, Equador, Bolívia, Nicarágua (onde está construindo um canal, junto com a China, que vai concorrer com o canal do Panamá); Brasil faz parte dos BRICS e, mesmo depois do “impeachment”, manteve a sua agenda internacional do mesmo jeito; e Argentina manteve os contratos que assinou com a China, mesmo depois da eleição do Macri, lembrando que o povo Argentino já está farto do Macri – e acho que nem deu um ano do governo dele. O Macri entrou pelas vias democráticas, e pelas vias democráticas vai sair. Nem vou falar da influência da Rússia no resto do mundo, para não assustar você. Outra coisa: a Rússia é o segundo maior vendedor de armas do mundo – e vende quase tanto quanto o maior, que é os EUA. Aliás, é só isso que a Rússia produz: armas, petróleo e gás. Mas Putin quer diversificar.

  43. JB 12 de outubro de 2016 at 16:21
    FRL 12 de outubro de 2016 at 10:54

    Caro FRL, bom dia.
    A Europa sozinha no mundo…enfim, ela não pode impor sua vontade no mundo de hoje como os países individuais europeus fizeram nos séculos passados. Sem a OTAN, ou os EUA, a Europa não conseguiria projetar poder em todo o globo. Ruim com a OTAN, muito pior sem ela.
    .
    A Europa, por décadas, delegou sua defesa aos EUA. Isso foi muito bom para ela, porque é ótimo não ter que gastar com armamento e ao invés disso investir no aumento da qualidade de vida da população. Esse mundo cor-de-rosa europeu acabou e agora é a hora de pagar a conta: a Europa perdeu influência no mundo e sua política se restringe a seguir o que os EUA mandam. Numa hipotética guerra OTAN x Rússia, que seria terrível, os EUA ao menos teriam muito a ganhar, se vencessem sem ser destruídos: a recompensa seria o Mundo. Já a Europa, o que ganharia? nada e perderia tudo – a OTAN ganhando a guerra ou não. Esse é o preço a pagar por vender sua autonomia.

  44. Professor 12 de outubro de 2016 at 17:54

    correção

    onde se lê: “Eu posso garantir que, 10 porta-aviões americanos estariam passeando no Mar da China. ”

    leia-se: “Eu posso garantir que, no dia seguinte à assinatura desse acordo, 10 porta-aviões americanos estariam passeando no Mar da China.

  45. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 17:54 );
    .
    Sonho de que, prof…?
    .
    Leia de novo meu comentário, sim…
    .
    “Penso que o que os russos desejam é se manterem como uma espécie de “terceira via” num futuro previsível…”
    .
    Onde, raios, eu insinuei que os russos querem dominar o mundo…? Pensei ter deixado explicito que acredito que eles não podem e nem pretendem fazer isso ( foi o que quis dizer com “terceira via” ). Seja como for, é ingenuidade acreditar que não querem aumentar sua influência e conseguir uma “zona de conforto” para se manterem como algum poder de decisão nos assuntos mundiais.
    .
    “…a China despejaria os bilhões de dólares que dispõe de suas reservas para acudir à Rússia…”
    .
    E você acredita que isso seria sem compensações…? Os russos certamente sabem que não… E assim sendo, será que os russos estariam dispostos a aceitar?
    .
    Camarada, que os chineses podem salvar a pátria dos russos, isso até podem fazer, mas certamente o será concedendo-lhes crédito em seus produtos e cobrando o preço que quiserem… Ou acredita que tem alguém altruísta nessa história…? Dinheiro vivo? Acho difícil… E na boa, não creio que passe pela cabeça de Putin tornar a economia russa escrava do baratíssimo manufaturado chinês; e menos ainda dever até as calças para uma potência nuclear, potência essa que, aliás, tem uma bolha econômica dantesca pra gerenciar…
    .
    “A aliança entre esses dois gigantes é uma realidade muito maior do que todos aqui…”
    .
    Russos fazem jogo duplo, amigo. Tanto quanto abastecem chineses, abastecem indianos, vietnamitas…
    .
    “A Rússia só quer se sentir segura e aumentar a qualidade de vida da sua população, só isso.”
    .
    Ocorre que essa visão de “segurança” da Rússia passa justamente por manter zonas de influência pelo mundo ( o que implica muitas vezes em presença física nas regiões de interesse ). E nesse ponto em específico, não vejo muita diferença de americanos, ingleses, franceses ou qualquer outra potência…

  46. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 17:54 );
    .
    “A influência da Rússia aqui é muito maior do que na época da URSS, que se restringia a Cuba.”
    .
    A URSS levou a cabo ou influenciou movimentações em praticamente todos os países latino-americanos importantes por intermédio da Internacional Comunista, criando organizações filiadas que continuaram em atividade durante toda a Guerra Fria, mesmo depois da dissolução desse movimento.
    .
    E é em boa parte por conta disso que ainda hoje existem organizações de esquerda na AL…
    .
    Quem de fato tem expandido influência nesses continentes é a China, que soube muito bem ocupar os espaços negligenciados pelos EUA.

  47. Que bom que a Rússia quer (e quem sabe, pode) competir com os EUA. Melhor ainda que a China possa furar a bipolaridade global… Se a UE não se esfarelar, perfeito.

    Se a concorrência é benéfica ao capitalismo, por que bulhufas multipolaridade seria maléfica ao planeta?

    Penso que se todos os demais países fossem tal qual o Brasil, já há muito a potência única global teria mandado o RJ pro espaço (e junto quase toda a MB) e desembarcado por aqui, fazendo do nosso país uma colônia tal qual éramos de Portugal. (OBS: é um cenário bizarro, meramente “ficcional” e não um temor ou algo do tipo…).

    Não se enganem: tudo se resume à $$$$$ e não há ninguém tão simpático ao Brasil nos EUA a ponto de perder $$$ para que tenhamos um dia de felicidade.

    O ideal seria termos, para além de mero discurso, bala na agulha pra ter veto no Conselho de Segurança da ONU, ali sim mesa de profissionais.

    Em tempo, demorou pra Rússia acordar (ou poder reagir) ao avanço do seu maior concorrente econômico global nos mercado que, até então, eram de sua influência. Agora, a fonte de renda é menor e o esforço será ainda maior pra reconquistar espaço (e aí pode bater o perigoso desespero).

  48. _RR_ 12 de outubro de 2016 at 19:35

    Onde, raios, eu insinuei que os russos querem dominar o mundo…?

    De fato, não insinuou, _RR_. Mas essa teoria de conflito entre Rússia e China é tão desejada, que chegam a acreditar nessa hipótese. E não vejo nenhum motivo para conflito entre eles, a não ser à errônea idéia de que os russos querem a hegemonia e por isso ficariam com ciúmes da China. Já li até bobagens como: a China tem muita população e a Rússia muito território. Mas o fato é que a Rússia não quer a hegemonia e aceita a liderança chinesa numa boa, desde que a China não se intrometa nos seus assuntos, e duvido que o faça. Ambos, Rússia e China, defendem um mundo multipolar.
    .
    E você acredita que isso seria sem compensações…? Os russos certamente sabem que não… E assim sendo, será que os russos estariam dispostos a aceitar?
    .
    Claro que a China não vai simplesmente dar, mas emprestar a juros baixíssimos. A maior compensação para a China seria a própria geopolítica, estariam pensando estrategicamente. Você deixar um aliado do porte da Rússia cair, seria estupidez sem tamanho. E se a China fosse suficientemente idiota de abrir mão da aliança com a Rússia para levar vantagem numa situação dessas, sempre restaria à Rússia a opção “Coréia do Norte”: fechar-se para o mundo e manter seu poderio militar, à custa da qualidade de vida da população. Se a Coréia aguentou isso até agora por meio século – e pode aguentar muito mais – porque a Rússia não poderia suportar por no mínimo um século, sendo que tem muitos mais recursos?

    Não obstante, não vamos nem conjecturar, vamos aos fatos reais: durante a queda do rublo, provocada pela baixa do preço do petróleo e pelas sanções econômicas impostas pelos EUA e seus aliados europeus, veja o que o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse: “Meu país está disposto a dar ajuda à Rússia, por causa da recente queda do rublo.”
    .
    fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/mercados,china-oferece-ajuda-para-russia-superar-efeitos-da-queda-do-rublo,1610944.

    Nada melhor que a realidade, para destruir devaneios.

  49. Boa noite

    Professor diz: “Rússia e China não são idiotas e precisam uma da outra. A aliança entre esses dois gigantes é uma realidade muito maior do que todos aqui”.

    Minha observação: Eu discordo dessa análise. Na minha avaliação a China não quer nem saber da Rússia, apenas finge tender para o lado russo em alguns assuntos. Basta ver os contratos em discussão entre Rússia-China para ver o distanciamento entre os dois países. A coisa entre eles não anda. A China dá um banho de inteligência na Rússia.
    A aliança na verdade existe entre EUA e China. Nesse aspecto é algo muito forte, inclusive culturalmente nas últimas décadas. Grande parte das multinacionais chinesas pertencem a grupos americanos e estrangeiros. Na outra ponta há muita aquisição chinesa nos EUA. A relação parece ser muito próxima. O grande mercado consumidor chinês é os EUA. Existe divergências entre ambos? Sim…mas nada muito grave na minha avaliação. Do ponto de vista militar a china parece não querer criar laços com os EUA, mas isso não é sinal de agressividade, muito pelo contrário, parece querer criar a sua própria doutrina, seu próprio mercado, simples assim. Não quererem confiar totalmente nos EUA nesse campo e com isso ainda podem gerar empregos, tecnologias e vender esses produtos para uma dúzia de idiotas anti-qualquer coisa (vão roubar o mercado militar da Rússia).

    As vezes eu percebo que muitos montam um quebra-cabeça entre países com base em laços traçados na guerra fria. Na minha avaliação essas premissas estão totalmente ultrapassadas. O contexto é outro, o foco é outro.
    Justamente por isso eu insisto que a Rússia perde tempo e está no caminho errado nas suas políticas. E os indicadores mostram isso! A Rússia é totalmente previsível. Ninguém gosta da Rússia, não transmite confiança alguma. Parece desesperada para mostrar algo…

    Quanto a relação dos EUA na América Latina – AL, eu não vejo absolutamente nada de errado. Sinceramente acho perfeito a conduta deles. A Venezuela é o maior exemplo na região de que os EUA vai deixar a AL caminhar com as suas próprias pernas. Quantas vezes a gente viu a Venezuela atacar os EUA, Hugo Chaves fazendo discursos racistas na ONU, acusando de todas as formas etc…Mas na prática os EUA apenas observam, o Obama fazia aquela cara: O QUE ESSE CARA (HUGO CHAVES) ESTÁ FALANDO? O Rei da Espanha dando bronca no Hugo chaves kkkkkk No fundo estão querendo dizer: fale o que quiser, vamos ver até que ponto o seu povo vai te aturar. Até que ponto palavras viram ações construtivas e benéficas para o povo (em um mundo aberto as comunicações – fácil acesso a informação). A mensagem dos EUA na região é muito clara: se precisar dos EUA é só chamar, se quiser xingar a gente tudo bem também. Gosto muito dessa abordagem, pois é uma forma de criar povos mais maduros, povos que passam por situações ruins e catalisam os acontecimentos na cultura. Nos últimos anos muitos países pioraram muito na região, muito mesmo, devido em partes a essa política agressiva com os EUA e outras práticas que vem junto com essa postura anti-americana, basta ver a Venezuela e Argentina, o povo aprendeu na pele o quanto esses governantes estavam errados nas suas retóricas e práticas. E isso é bom para os outros países da AL, mostra o quanto esses governantes populistas são imbecis e não agregam nada de bom. Serve como exemplo daquilo que não devemos fazer.

    O Brasil foi atrás dos EUA (após um período sem conversas por causa dos grampos) e eles receberam naturalmente, Obama fez um excelente discurso e tudo aconteceu como o esperado. Mas observem, foi o Brasil que foi atrás! Correu atrás porque precisou acordar pra realidade (economia afundando, população endividada e sem emprego, enfim, um conjunto de práticas populistas que não funcionaram e nunca funcionarão). Argentina aconteceu basicamente a mesma coisa, foi o Macri a iniciativa de ir atrás, de buscar abrir a Argentina para o mundo. Acordaram! Chile e Colômbia sempre foram mais espertos nessas costuras, não é em vão que sempre estão crescendo, sempre abertos com todos. Isso é bom, pois não perdem décadas com conversa mole.

    Abraço!

  50. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 20:42 );
    .
    De nada adianta pegar fatos se não coloca-los dentro do contexto… Aliás, o link que postou, de certa forma, apenas confirma o que eu disse. Que os chineses podem ajudar, eles podem. Mas a que preço…?
    .
    Eis uma matéria mais completa sobre o assunto que levantou: http://www.valor.com.br/internacional/3833880/china-oferece-apoio-para-russia-sair-da-crise
    .
    Os próprios russos dão a dica de que não estão lá muito interessados, como sugere o trecho: “A Rússia não está em negociações com a China sobre qualquer ajuda financeira, disse Dmitry Peskov…” E os motivos eu expliquei acima. Evitarão depender dos chineses o máximo possível ( o que é ponto lógico nas relações entre qualquer país ).
    .
    A China já mostrou várias vezes que tem agenda própria. E não são todos os pontos que combinam com os russos. E nem poderiam ser, com uma economia que está integralmente ligada a americana e outros ocidentais ( por isso o “quase desespero” para diversificar investidores e voltar-se para consumo interno ).
    .
    Sobre a potencialidade de um conflito, vale a leitura: http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=1298
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/newyorktimes/67952-as-terras-sao-russas-os-agricultores-chineses.shtml
    .
    Paradoxalmente, isso também ajuda a explicar o interesse em manter os russos de pé. São bilhões em investimentos chineses que podem se perder se a Rússia cair. Em outras palavras, os chineses estão ajudando eles mesmos…
    .
    Mesmo durante a Guerra Fria, houveram conflitos sérios entre chineses e russos. E por vezes após o seu termino, os chineses tomaram posições opostas em relação aos russos ( como no caso ucraniano, onde em mais de uma ocasião os chineses simplesmente deram de ombros para a crise e deixaram os russos falando sozinhos enquanto negociavam o que podiam com os ucranianos… ). E isso não é devaneio…
    .
    Evidente que a possibilidade dos ânimos se acirrarem é pequeníssima; quase inexistente. E isso somente o seria em longuíssimo prazo ( não o seria nessa geração ). Mas essa situação somente é ofuscada para os russos pela existência da OTAN, que pressiona a oeste e ocupa espaços de influência russa.
    .
    Enfim, é ingenuidade pensar que os chineses não olham com olhos cobiçosos as vastidões russas e que podem se tornar adversários em potencial do Urso… E os russos estão sim conscientes disso… Ali, todo mundo dorme de olho aberto…

  51. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 20:42 );
    .
    De nada adianta pegar fatos se não coloca-los dentro do contexto… Aliás, o link que postou, de certa forma, apenas confirma o que eu disse. Que os chineses podem ajudar, eles podem. Mas a que preço…?
    .
    Eis uma matéria mais completa sobre o assunto que levantou: http://www.valor.com.br/internacional/3833880/china-oferece-apoio-para-russia-sair-da-crise
    .
    Os próprios russos dão a dica de que não estão lá muito interessados, como sugere o trecho: “A Rússia não está em negociações com a China sobre qualquer ajuda financeira, disse Dmitry Peskov…” E os motivos eu expliquei acima. Evitarão depender dos chineses o máximo possível ( o que é ponto lógico nas relações entre qualquer país ).
    .
    A China já mostrou várias vezes que tem agenda própria. E não são todos os pontos que combinam com os russos. E nem poderiam ser, com uma economia que está integralmente ligada a americana e outros ocidentais ( por isso o “quase desespero” para diversificar investidores e voltar-se para consumo interno ).

  52. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 20:42 );
    .
    Continuando…
    .
    Sobre a potencialidade de um conflito, vale a leitura: ttp://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=1298
    ttp://www1.folha.uol.com.br/fsp/newyorktimes/67952-as-terras-sao-russas-os-agricultores-chineses.shtml
    .
    Paradoxalmente, isso também ajuda a explicar o interesse em manter os russos de pé. São bilhões em investimentos chineses que podem se perder se a Rússia cair. Em outras palavras, os chineses estão ajudando eles mesmos…
    .
    Mesmo durante a Guerra Fria, houveram conflitos sérios entre chineses e russos. E por vezes após o seu termino, os chineses tomaram posições opostas em relação aos russos ( como no caso ucraniano, onde em mais de uma ocasião os chineses simplesmente deram de ombros para a crise e deixaram os russos falando sozinhos enquanto negociavam tecnologias com ucranianos… ). E isso não é devaneio…
    .

  53. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 20:42 );
    .
    Continuando:
    .
    Evidente que a possibilidade dos ânimos se acirrarem é pequeníssima; quase inexistente. E isso somente o seria em longuíssimo prazo ( não o seria nessa geração ). Mas essa situação somente é ofuscada para os russos pela existência da OTAN, que pressiona a oeste e ocupa espaços de influência russa.
    .
    Enfim, é ingenuidade pensar que os chineses não olham com olhos cobiçosos as vastidões russas e que podem se tornar adversários em potencial do Urso… E os russos estão sim conscientes disso… Ali, todo mundo dorme de olho aberto…

  54. _RR_ 12 de outubro de 2016 at 21:57

    “A Rússia não está em negociações com a China sobre qualquer ajuda financeira, disse Dmitry Peskov…”
    .
    Você interpretou essa frase como: “Não queremos ajuda”, eu interpretei como: “Não precisamos”. É claro que a ajuda chinesa virá somente se for necessário. Mas o importante é o seguinte: se for necessário.
    .
    Enfim, é ingenuidade pensar que os chineses não olham com olhos cobiçosos as vastidões russas e que podem se tornar adversários em potencial do Urso… E os russos estão sim conscientes disso… Ali, todo mundo dorme de olho aberto…
    .
    Ingenuidade é imaginar que a China vai olhar com olhos cobiçoso para vastidões protegidas pelo primeiro ou segundo maior arsenal nuclear do mundo. Seria menos arriscado encher um porta-aviões e desembarcar na África, onde tem terras desabitadas e não protegidas por tamanho poder militar, não acha? Além disso, a China por si já é gigantesca, terceiro maior país do mundo, não precisa de terras. A China precisa de mercados e o projeto chinês é criar a nova rota da seda.
    .
    A aliança sino-russa é uma realidade e foi acelerada e consolidada graças ao Sr. Obama, com suas políticas estúpidas na Ucrânia e Síria. Tudo o que Nixon conquistou, com uma fina diplomacia, separando definitivamente os dois gigantes, Obama desfez, ajudando a consolidar uma aliança que, cada vez mais, só se solidifica e torna-se irremediável.

  55. Caro Professor, não digo a Europa, mas se a Alemanha, França, Inglaterra, ou ainda Japão simplesmente quisessem, teriam caça de 5º geração, enfim, forças armadas, muito superiores às russas e chinesas. Eles têm tecnologia no estado da arte em todos os campos, inovação além da Rússia e das cópias chinesas, tanto na área militar, quanto na civil.Não se iluda, a fronteira tecnológica e científica do planeta Terra fica na Europa e USA. O CERN não fica na Rússia, tampouco na China. Eles estão a anos-luz disso. O observatório Paranal é europeu. A sonda Roseta é européia. A União Européia tem quase meio bilhão de habitantes, e renda per capita, IDH e índice de Gini além dos mais loucos sonhos russos e chineses.Se a UE dedicasse 4% de seu PIB á defesa, seria tão potente quanto os EUA. Isso é totalmente factível.E olha que eles tem capacidade tecnologica e qualidade similar à americana.
    Professor, te digo com franqueza: se subestimar o Oeste, você se queima.

  56. _RR_ 11 de outubro de 2016 at 20:33
    Pessoal…
    .
    Entre discurso e realidade, vai uma certa distância… Olhem no mapa o que é a OTAN e países amigos dos EUA, e o que é a Rússia hoje e suas áreas de influência direta…
    .
    Pois é. Parece que a Rússia é muito fraca diante da OTAN, não? mas vamos observar melhor.

    A Rússia faz parte de duas alianças miliatares:

    1- Organização do Tratado de Segurança Coletiva, formado em 1992 logo após o colapso da União Soviética, seus membros são: Rússia, Bielorrússia, Armênia, Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão e Uzbequistão.

    2- Organização para Cooperação de Xangai, formada em 1996 para contrabalançar a expansão da OTAN, membros atuais são: China, Cazaquistão, Quirguistão, Rússia, Tajiquistão e Uzbequistão.

    Vale ressaltar que provavelmente, irão aderir à OCX dois membros importantes: Índia e Paquistão.

    Acho que OTAN x OCX a coisa muda um pouco, não acha?

  57. OCX? Parece coisa de filme de James Bond. Mas vem cá Professor, Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistjão, Uzbequistão não são exatamente potências. Mas com eu disse, traçando possível cenário futuro, uma aliança militar unindo China e Rússia, mais Coréia do Norte, os países acima, Bielo Rússia, Irã, é bem possivel de surgir. Mas duvido totalmente que a Índia se junte a eles.
    Não aposte tanto na Rússia. Primeiro ela não lidera mais nada mundialmente, não é mais comunista. Segundo que ela não está nem entre as dez maiores economias do mundo. Putin está quebrando a Russia. O défict está aumentando enormemente. A recessão já dura 18 meses. E o gasto militar não cede. Outros setores vão ceder. Isso é insustentável. O PIB da Rússia é de 1.325 trilhões de dólares. O do Brasil 1.7 tri. O da China 11 tri. O dos EUA !8 tri. Percebe?

  58. Minha Esposa de vez em quando sobe no tamanco comigo.
    Ai eu fico quieto.
    Depois coloco os pingos nos i’s.
    Em casa quem sempre manda-mandou-mandará sou eu.
    Ai tudo volta a normalidade.
    Esses Ursos …. (rs).

  59. Professor ( 12 de outubro de 2016 at 23:31 );
    .
    Eu interpretei a frase como “não queremos porque sabemos o custo”…
    .
    “Ingenuidade é imaginar que a China vai olhar com olhos cobiçoso para vastidões protegidas pelo primeiro ou segundo maior arsenal nuclear do mundo…”
    .
    E quem disse que os chineses vão meter o pé na porta; que vão simplesmente invadir…? Domínio sócio-econômico de determinadas regiões, prof… É disso que eu estou falando…! Isso pode sim ser um ponto de atrito no futuro, independente de armas nucleares, e é sim uma preocupação de qualquer país sério…!
    .
    “Além disso, a China por si já é gigantesca, terceiro maior país do mundo, não precisa de terras.”
    .
    Prof… Engano seu…
    .
    ttp://blogln.ning.com/profiles/blogs/interesse-da-china-por-terras
    .
    Para manter a economia turbinada e o ritmo frenético de crescimento ( coisa que não estão conseguindo ), eles precisam contar com terras produtivas em diversos países. E são 1.5 bilhão de chineses, amigo… E até onde sei, muito do território chinês é terra improdutiva…
    .
    Quanto a África, eles também não precisam invadir ( e penso que nem querem )…! Já vem ocupando espaços, politicamente falando, a tempos…
    .
    Como eu disse lá em cima, a possibilidade de um problema de ordem maior ocorrer NÃO É nessa geração. Por agora, tudo pode ser uma maravilha, mas na geração seguinte a conversa pode ser outra… Você mesmo acabou dando um exemplo ao final de seu comentário de como a política pode ser volúvel…

  60. IVRI SWAMI -Perfeito ,mas tenha cuidado senão te cortam, e para os **MC** a Rússia muito antes do Comunismo já era uma Potência respeitada , com a queda da URSS passou alguns anos com problemas nas mãos de IELTSIN, mas IELTSIN felizmente para a Rússia , viu em VLADMIR PUTIN o Estadista que retomaria para a Rússia o seu lugar no Mundo,enquanto nós , vamos sempre de um Passinho a Frente e outro Atrás , sempre escolhendo outro País para se atrelar,infelizmente com a ** República ** escolhemos ser o Eterno Reboque !!

  61. Senhores,
    A China não quer conflitos, está fazendo a sua parte para ter uma Força Armada poderosa, talvez algum dia se ela for muito mais poderoso que o resto do mundo fique tentada, mas hoje não.
    Por que? Simplesmente ela depende da exportação dos seus produtos, guerra geram embargos para exportações e proibições de importações. Se ela não exportar, uma boa parte das industrias vão parar (pois os paises que importam produtos chineses podem boicotar a China).
    A China depende da importação de commodities como ferro e principalmente alimentos (para dar a segurança alimentar para o seu povo). Um dos grandes problemas da China é a água e não a falta de regiões produtoras, quando o Brasil exporta soja, também está exportando água.
    Concordo sobre a África, é mais barato pagar do que invadir.

  62. Professor ( 13 de outubro de 2016 at 0:13 );
    .
    Primeiro de tudo, não se mede somente os países, mas a posição geográfica… Observe Rússia e seus aliados no mapa e depois a OTAN. Vai perceber quem está com todas as vantagens…
    .
    E aliados uma vírgula…
    .
    ttps://br.sputniknews.com/mundo/201507131552466/
    .
    Os indianos, assim como quase toda a Ásia e todo o Pacífico, também projetam na China um adversário potencial…
    .
    Cooperação, todos podem ter um com o outro ( até os russos já chegaram a ter um acordo de cooperação com a OTAN… ). Mas daí a elevar isso ao nível de aliança militar, é outra história… Aliás, nem alianças militares no papel são inteiramente confiáveis…

  63. Eu acho que perdi alguma parte importante da fala desse chanceler russo.
    Se os EUA já foram onipotentes em algum momento, como explicar a mera existência atual da Rússia, da China, da Coreia da Morte, do Irã, de Cuba, da Venezuela, etc.?
    Caso os EUA tivessem um mísero dia de onipotência, esses países correriam o risco de sumir do mapa.

  64. bosco só para lembrar q na rússia(cccp) foi onde nasceram todos os “partidos dos trabalhadores“ da coreia do norte ao brasil…mesmos ideais de liberdade rsrs, abraço

  65. Ronilson 11 de outubro de 2016 at 23:10
    Uma coisa é certa a maior conquista da humanidade para a paz foi a bomba nuclear, sem ela já teríamos tido a terceira, a quarta e a quinta guerra mundial

    Muito interessante o comentário! kkkkk tenho que concordar

  66. kkkkkkk que piada , sai um país que outrora foi a representação da liberdade, algo que nunca a URSS e a Rússia atual foi e é, e entra uma FACHADA de país democrático que é muito pior que EUA.
    Os EUA são um Leão cheio de parasitas globalistas e islâmicos, transbordando marxismo cultural.Só por isso que esta do jeito que esta,mas nada que uma guerra não resolva, pra limpar essa desgraça marxista.O triste é que guerra vem com pilhas de cadáveres de ambos os lados =/
    “sem impor a ninguém ‘receitas de comportamento’””—>>>Piada pronta, BY Ucrânia =/

  67. “Pobre não deve se envolver com política, está por sua vez, pertence as classes mais abastadas econômicamente”.

    Salles, Campos
    Presidente do Brasil 1898 – 1902

    Tivemos várias revoltas durante o Império e após a Proclamação da República e, sabe por que? Porque faltou “Democracia”.
    O poder vem de baixo, do povo. Enquanto os interesses de alguns “falam” mais alto do que os interesses da maioria, estaremos numa crise interminável.

    Aprenda isto, Bosco!

  68. A questão não é ninguém respeitar os Estados Unidos…problema é que a Russia entrou no jogo e os defensores do Tio San teimam em não aceitar isso…se fosse o Bush já teria gerado uma guerra de grandes proporções…isso seria quase certo…e a briga aí é por petróleo…o povo da Siria que se lixe…fato

  69. _RR_ 13 de outubro de 2016 at 11:45

    WikiLeaks: Clinton ameaça ‘cercar a China com sistemas antimíssil’

    https://br.sputniknews.com/mundo/201610146551074-wikileaks-clinton-china/

    _RR_, é muito engraçado assistir como a arrogância dos EUA consegue fazer que eles acreditem que podem vencer China e Rússia juntas numa guerra, seja ela fria ou quente.

    Claro que não vai ser nada engraçado quando o primeiro míssil for disparado. Mas se o preço que o mundo tiver que pagar para se livrar dessa gente for esse, então não temos alternativa. O preço será alto, mas no fim vamos nos livrar deles. Ainda que seja a custa do sacrifício da Rússia.

  70. A Rússia atualmente faz o que bem entende e os Eua nada pode fazer para impedir suas ações, a Rússia sempre será um ator geopolítico importante e principalmente agora nesse século onde a china voltará a sua posição histórica de país mais rico do mundo. Muitos se esquecem que a Rússia mantém ampla fronteira aberta no norte da china e toda essa situação de tensão entre Rússia e ocidente deu espaço para os chineses manobrarem e trazerem a Rússia para sua esfera de influência, sem contar que a Rússia é peça chave no plano de dominação econômica chinesa do contente euroasiático, para a Rússia toda essa confrontação é de nível existencial, de nível civilizacional e não ideológico e as autoridades russas não importam quem seja não recuará. Para os eua toda essa situação está trazendo desgaste de sua influência mundial e se os EUA não tomarem uma resolução firme contra a Rússia, o que é virtualmente impossível sem um conflito nuclear, logo outros países também começaram a desafiar os eua . O futuro da Rússia será sim ser uma ponte entre ocidente e oriente e quem á tiver como aliada terá suas fronteiras seguras.

  71. Professor,
    .
    “…é muito engraçado assistir como a arrogância dos EUA consegue fazer que eles acreditem que podem vencer China e Rússia juntas numa guerra, seja ela fria ou quente.”
    .
    E quem disse que essa tal “guerra”, se é que se poderia assim chamar, seria somente EUA x New URSS + China?
    .
    “Mas se o preço que o mundo tiver que pagar para se livrar dessa gente for esse, então não temos alternativa. O preço será alto, mas no fim vamos nos livrar deles. Ainda que seja a custa do sacrifício da Rússia.”
    .
    Cara, Stalin, só teve um…
    Não adianta fumar esse negócio estragado ai e querer assinar alguns milhões que pensam diferente de você.
    Acorda…

  72. Bardini 14 de outubro de 2016 at 21:40
    .
    E quem disse que essa tal “guerra”, se é que se poderia assim chamar, seria somente EUA x New URSS + China?
    .
    Quero ver se na hora que o caldo estourar, se o francês ou o alemão vão realmente querer morrer pelos Estados Unidos, principalmente cientes que quem começou tudo foram eles. Rússia e China não querem guerra, querem mundo multipolar e comércio; já os EUA querem um mundo unipolar – eles mandando e os outros obedecendo – e não se importarão em iniciar uma Guerra Mundial, para manter esse “status quo”. Só não percebem que o mundo multipolar é uma realidade impossível de ser impedida. Qual proposta é melhor? Guerra ou comércio? Rússia e China não estarão sozinhas também. Duvido que a Índia, por exemplo, não queira o mundo multipolar. A Índia faz o seu jogo duplo, mas no final vai tomar a decisão que for mais vantajosa para a Índia, não para os Estados Unidos.
    .
    Não adianta fumar esse negócio estragado ai e querer assinar alguns milhões que pensam diferente de você.
    .
    Quem quer assassinar são eles. Por acaso eu tenho bombas atômicas guardadas lá no meu armário dentro de casa e ameaço o mundo com elas? E o que eu penso, ou o que você pensa, não importa – não vai mudar em nada os rumos dos acontecimentos. Só quem poderia impedir o holocausto que está por vir é a opinião pública dentro dos Estados Unidos. Mas eles também são manipulados e midiotizados igualzinho a nós. Mas a opinião dos brasileiros não interfere em nada os rumos dos acontecimentos, não vai salvar uma única alma sírio e muito menos impedir a guerra. Nós somos meros espectadores; ou peões, que se debandarem para um lado ou outro, não fará a mínima diferença. A nós só resta torcer mesmo.
    .
    Engraçado, é só falar mal dos EUA e aparece um monte de gente ressentida; mas se falar mal do Brasil, vejo um monte de gente batendo palmas. Acho que esse povo pensa que é estadunidense.

  73. Professor ( 14 de outubro de 2016 at 19:53 );
    .
    Acredita mesmo que chineses se unirão a russos para destruir seu principal investidor e mercado consumidor…? Eu é que quero ver se chineses e russos ficarão lado a lado se um dia essa guerra vier…
    .
    Acredite, prof… É mais fácil europeus ficarem ao lado dos EUA que os russos terem aliados. Os europeus do leste, que já estiveram sob o abraço do Urso, que o digam…
    .
    “…já os EUA querem um mundo unipolar…”
    .
    Os americanos não são idiotas… Nunca houve um mundo unipolar, e nem nunca haverá no futuro previsível, e eles sabem disso… Tanto que cada vez mais buscam assentar-se ao lado de lideranças mundiais pra discutir o que for… Quem quer mundo unipolar não discute nada…
    .
    “Quem quer assassinar são eles. Por acaso eu tenho bombas atômicas guardadas lá no meu armário dentro de casa e ameaço o mundo com elas…?”
    .
    Russos, chineses, indianos, britânicos, franceses e outros também tem as suas e não me consta que queiram usa-las a torto e direito… Muito pelo contrário. Quem tem armas nucleares, as tem é pelo medo de serem destruídos… Evidente que elas podem ser usadas como contrapeso político em ultima instância, mas isso não é a regra. Aliás, o próprio uso de armas nucleares nos dias de hoje, por si só, já é quase inconcebível, haja visto as consequências políticas e econômicas de se faze-lo…
    .
    Se o Ocidente quisesse mesmo acabar com a Rússia moderna, poderia te-lo feito em várias ocasiões na história. Não fosse Wall Street, e a Rússia como conhecemos hoje certamente não existiria…
    .
    ttp://gazetarussa.com.br/economia/2016/04/05/a-russia-e-os-estados-unidos-sao-inimigos-muitos-convenientes_582017
    .
    E esse texto acima é só um exemplo das relações em tempos recentes…

  74. Desconfio que os comunistas gostavam da Rússia não por ser pseudo-comunista, mas por ser autoritária. Agora que ela não é mais oficialmente e de fato comunista, mas continua ferozmente repressora, assim como a China, que não é mais comunista de fato, mas tremendamente totalitária, são adoradas pelos comunistas. Ah não, me perdoe, é socialista. Ou sendo moderninho, progressista. Os comunistas assumem o discurso mais humanista, pró direitos possível, mas quando têm o poder de fato, vide Cuba, Coréia do Norte e outros, são totalitários. Em Cuba, delírio libertário dos vermelhos, se você insistir em pensar diferente, ou vai pra cadeia, ou que se arrisque no mar, até a Flórida. Lembrando, direitos civis surgiram nos Estados Unidos da América. YES BABY.

  75. Marx fez o diagnóstico razoavelmente bom, mas a prescrição é uma ditadura. Os direitos humanos não são comunistas, mas burgueses. O comunismo é a outra face do fascismo. Vocês são basicamente a mesma coisa. Os extremos que se tocam. Vocês odeiam a social democracia, mas ela não é mais que a distribuição das dádivas do capitalismo. O comunismo não produz riqueza nenhuma, mas torna o povo igualmente miserável, enquanto a elite como presunto parma e bebe champagne francês.

  76. Profe, o Brasil nunca será um fascismo comunista, parece que você sonha em ser russo. Tem que ter muita coragem para defender a liberdade e a democracia e babar o ovo de um totalitário como Putin.

  77. JB 15 de outubro de 2016 at 22:01

    JB, O Brasil nunca será uma democracia desenvolvida, parece que você sonha em ser americano. Tem que ter muita coragem para defender a liberdade e a democracia e babar o ovo dos Illuminatti e dos EUA.

  78. JB 15 de outubro de 2016 at 21:45
    “Desconfio que os comunistas gostavam da Rússia não por ser pseudo-comunista, mas por ser autoritária”

    Toda forma de comunismo é autoritária.

  79. Mas esse p…a de professor estudou o quê e aonde? E se leciona, é isso que ensina aos seus alunos? Estamos fu…… com gente assim e as Chauís da vida….

  80. Adriano Luchiari 20 de outubro de 2016 at 17:49
    .
    É muito hilário você vir perguntar o que eu estudei e onde, criticando o meu estudo com uma frase eivada de erros de português.
    .
    O “que”, nesse caso, não é acentuado. Ele só é acentuado quando vem imediatamente seguido de interrogação.
    .
    Pesquise a diferente entre onde e aonde.
    .
    Antes de criticar os outros, critique a si mesmo.

  81. Algumas pessoas aqui são equilibras e sensatas ,outras são claramente ** TORCEDORES** dos EUA ,quem comentou que estes vão se voltar a América Latina para que esta se alinhe a eles contra Rússia e China ,desta vez estarão enganados ,tenho certeza que nossos povos não mais cairão neste LOGRO !

  82. VLADMIR PUTIN o maior ESTADISTA do Século XIX ,queiram ou não ,como após a II Guerra Charles DEGAULLE !!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here