Home Geopolítica Trump reconhece Jerusalém como o capital de Israel e ordena a embaixada...

Trump reconhece Jerusalém como o capital de Israel e ordena a embaixada dos EUA a se mudar

2869
108
Uma visão da Cúpula da Rocha, o santuário islâmico localizado na Cidade Velha de Jerusalém Ammar Awad / Reuters

WASHINGTON – O presidente Trump na quarta-feira reconheceu formalmente a cidade de Jerusalém como a capital de Israel, reverteu quase sete décadas de política externa americana e desencadeou um plano para mover a embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para a cidade sagrada ferozmente disputada.

“Hoje, finalmente reconhecemos o óbvio: que Jerusalém é a capital de Israel”, disse o Sr. Trump na Sala de Recepção Diplomática da Casa Branca. “Isso não é nada mais do que um reconhecimento da realidade. É também a coisa certa a fazer. É algo que tem que ser feito”.

O presidente lançou sua decisão como uma ruptura com décadas de política fracassada sobre Jerusalém, que os Estados Unidos, juntamente com praticamente todas as outras nações do mundo, declinaram reconhecer como a capital desde a fundação de Israel em 1948. Essa política, disse ele, nos trouxe “não mais perto de um acordo de paz duradouro entre Israel e os palestinos”.

“Seria loucura assumir que repetir exatamente a mesma fórmula agora produziria um resultado diferente ou melhor”, declarou o Sr. Trump.

Reconhecer Jerusalém, acrescentou, foi “um longo passo para avançar no processo de paz”.

As observações do Sr. Trump foram as mais rigorosamente avaliadas de sua presidência no Oriente Médio, onde ele prometeu negociar o “acordo final” entre israelenses e palestinos, mas ainda não encontrou um avanço para acabar com o conflito. Ele disse que continua empenhado em negociar um acordo “que será um grande negócio para os israelenses e um grande negócio para os palestinos”.

FONTE: The New York Times

108 COMMENTS

  1. Trump ta mexendo no formigueiro, colocando a embaixada la o pessoal do islã vai se sentir afrontado ja que Jerusalém também e um local importante pra religião deles. Fazendo isso ele vai ter que triplicar a seguranca da embaixada e talvez ate do proprio Eua, ja que nesses ultimos tempos o islã tem se espalhado por varios paises.

  2. Rui Chapeu
    a religião e pacifica, mas do mesmo jeito que cristão, judeus e todas as outras religiões tem seus extremista o isla tambem tem, e infelizmente para mundo cada religião tem seu tempo de matar geral, no velho testamento era os judeus, na idade media os cristãos com suas cruzadas, agora o isla e seus atentados terroristas.

  3. Com Jerusalém ou não esses fanáticos nunca vão aceitar a existencia de Israel, tem gente que é inocente ou se faz para achar que dividindo Jerusalém haveria paz. Israel nunca começou guerra nenhuma, pelo contrário, sempre foram atacados covardemente por vários países e ainda tem que ver gente se referindo a Israel como se fosse pior do que a coréia do norte e os árabes como pobres vítimas.

  4. Plinio, as cruzadas surgiu do grupos dos templários que tinha como prioridade defender os cristãos na Europa que estava sendo massacrados, após as invasões dos Mouros pelo estreito de Gilbratar, onde dominaram todo o sul da Europa encurralando os cristãos onde hoje é as Astúrias na Espanha. Foi a partir da criação dos templários nessa região, que começou a reação cristã e a recuperação da Europa como conhecemos hoje.

    As cruzadas nada mais foi que a consequência desse fanatismo do islã em se expandir para a Europa como ainda tenta até hoje, claro que uma matança em nome de Deus não se justifica outra matança, mas se não fosse as cruzadas talvez hoje muitos de nós que é de origem Europeia não estaria aqui no Brasil, e a Europa hoje seria totalmente diferente do que conhecemos.

  5. F d se! Temos problemas mais urgentes em nosso quintal para serem resolvidos e que estes sim merecem nossa atenção. Que os hebreus e árabes se acertem entre eles. Ou que venham para o Bom Retiro na cidade de SP aprender como conviverem sem se matar mutuamente.

    CM

  6. Só o tempo dirá no que vai dar isso.
    Quando as coisas estão mais ou menos calmas, e mais para menos que para mais, sempre aparece alguém carregando gasolina e dizendo: vim ajudar a apagar o incêndio.
    Desde quando ainda era candidato, sempre achei o Obama
    Um cara em cima do muro, que não decidia nada. É acertei!!!
    Já esse aí sempre achei que não batia bem das idéias. Parece aqueles broncos caipiras do interior dos EUA.

  7. Alessandro 6 de dezembro de 2017 at 22:36

    Os Cavaleiros do Templo surgiram já durante as cruzadas, assim como Hospitalários e Teutônicos. Todo o processo das cruzadas foi muito complexo e nao foi algo “preto no branco”. Em vários momentos cristãos atacara cristãos em aberta demonstraçao que os interesses políticos e econômicos eram maiores que qualquer coisa. Do outro lado era o mesmo, vide os turcos seljúcidas e as guerras contra muçulmanos de outras origens.

    “mas se não fosse as cruzadas talvez hoje muitos de nós que é de origem Europeia não estaria aqui no Brasil, e a Europa hoje seria totalmente diferente do que conhecemos”

    Não temos como saber. Isso é história contrafactual. Podemos fazer algumas suposições, mas serão só isso.

    Plinio 6 de dezembro de 2017 at 20:59

    Por aí!

  8. Podem se preparar porque esse movimento do Trump acendeu o estória da ira dos fanáticos religiosos do islã no OM e também na Europa. Isso não vai ser engolido com tranquilidade e há o sério risco do bicho pegar dentro dos EUA a exemplo do 11 de Setembro. Queira Deus que não chegue a tanto mas cai sobrar lasca pra muita gente por causa dessa decisão. À conferir.

  9. Plinio 6 de dezembro de 2017 at 20:59
    Católico e judeu extremista? Sério? Quantos ataques terroristas os católicos andam fazendo por ano?
    Até onde eu sei foram os árabes que derrubaram as torres gêmeas; já o maior prédio do mundo, Burj Khalifa, construído nos emirados árabes unidos, está lá, em pé…
    Quanto as cruzadas, até onde eu sei, foram muito mais focadas na defesa da Europa do que no expansionismo, não que o interesse de expansionismo não tenha existido após um certo período (algo natural após ser invadido pel estrangeiro), mas a raiz das cruzadas foi a defesa e não o ataque.
    Os ataques contra o Estado judeu é a maior prova do racismo e do ódio de alguns povos.
    Abraço!

  10. Claudio Moreno 6 de dezembro de 2017 at 22:46

    Bom retiro é dominado por maioria de Koreas, depois Nordestinos e depois Chineses.

    Judeus e Árabes são minoria pela ordem.

    Ainda deve ter 0.0000001% de Armênios.

  11. Claudio Moreno 6 de dezembro de 2017 at 22:46

    Esqueci,

    Bolivianos e Peruanos tem forte presença também.

  12. Luciano 6 de dezembro de 2017 at 23:03

    Sim Luciano as cruzadas surgiram junto com os templários, mas vamos lembrar que os muçulmanos ainda dominavam o sul da Espanha nessa época, e ficaram por lá por volta até de 1400, e foi por causa disso que a ordem foi criada, para expulsa-los de vez da Europa e ao mesmo tempo aproveitaram para expandir para oriente médio.

    Sobre os cristãos que atacavam outros cristãos, sim isso infelizmente acontecia como acontece com outras religiões, infelizmente é um mal do ser humano.

  13. Parabéns ao Trump que cumpriu um decreto de Lei do Congresso americano que em 1995 determinou que a Embaixada fosse transferida e nenhum outro Presidente teve peito para cumpri-la. Eles prometeram em campanha mas se aproveitaram de uma clausula que permitia adiar a decisão e assim foi.

    Em breve será o Mito em 2018 a fazer o mesmo.

  14. Sr Carlos Alberto só sei que aqui a comunidade hebraica se dá muito bem com a comunidade mulçumana(civilidade) e falo isto por estar no RJ. Espero que não tenha mudado. temos , sim problemas mais importantes a serem resolvidos em nosso país. Tirando isto, um erro de total estupidez foram os anos de distanciamento preconceituoso que os 13 anos de governo populista demagogo fizeram com o estado de Israel. aliás creio que nordestino faz parte do povo brasileiro ou estou enganado? Citou-se koreas, nordestinos, chineses…Dá o que pensar que nordestino ou filho(que é meu caso ) não sou brasileiro? Avô paterno, sírio; avós maternos, italianos e tenho muito apreço pelo meus primos judeus. Abraços.

  15. Sr. Carlos Alberto sei que o Sr. é um homem honrado. As terras foram compradas legalmente. Não houve por parte dos judeus instalados na Palestina invasões como se propaga. Felizmente esta propaganda está sendo desmascara por muitos palestinos. Há realmente excessos dos dois lados; culpa de politicagem(dos extremismos na região) . Agora há um problema a ser resolvido, pois há os judeus , os mulçumanos e cristãos em Jerusalém. Ou seja uma caldeira esquentando. Abraços.

  16. Plinio 6 de dezembro de 2017 at 20:59

    O islã nunca se propôs a ser pacífico, e esse é o maior trunfo deles, por isso o islã tem a força e a devoção que tem, é impossível não admirar a religião, mesmo tendo outra. Nietzsche mesmo dizia que o islã é a única religião coerente por louvar a guerreiros, não santos. Esse negócio de islã ser ~religião da paz~ é conversa de jornalista militante.

  17. ¨Formigueiro¨? ¨Islã afrontado¨? ¨acendeu a estória da ira dos fanáticos do Islã¨?
    Calma, gente, o Islã é uma ¨religião da paz¨! Por isso tem tantos seguidores e ¨admiradores¨ aqui no Brasil, que por coincidência são todos esquerdistas. Porque vcs estão vendo tantos perigos se eles são em sua grande maioria todos pacíficos? Aliás, eles são tão ¨radicais e fanáticos¨ quanto os judeus e cristãos como podemos conferir nos livros de história especializados em causos de trocentos anos atrás ou mesmo em livros recentíssimos escritos por politicamente corretos cheios de ¨boas intenções¨.

  18. Realmente os muçulmanos são dá paz… saiu a notícia que o Reino Unido frustou o plano de assassinar a Theresa May. Imagina se eles gostassem de entrar nos países dos outros para impor o terror e a sua doutrina de vida. Lógico que tem acontecido isso tudo também por intervenções que aumentou o ódio pelo ocidente, exemplo “Os Homens-Pena”.

  19. Agora sim vai ficar interessante….
    quero ver os países árabes se unirem e darem uma lição nos invasores….
    antes de falarem que muçulmanos são violentos e terrorista, vamos lembrar que os EUA usaram duas bombas nucleares, derramaram milhões e milhões de litros do agente laranja no vietna… vamos lembrar que o Adolf matou milhões na 2a guerra… ue, eles não eram muçulmanos… e agora Jose?!?!?
    nao se pode culpar a religião, e sim os animais que usam a religião como desculpa para cometer atrocidades…

  20. Jerusalém está dentro do território de Israel e não pode ser a capital por ser um local sagrado pra tres religiões diferentes ??? O que vai mudar na vida de quem frequenta o local o fato de ser considerado uma capital, vão continuar podendo fazer suas peregrinações e tal. Povo cheio de mágoas do passado viu, qualquer coisa é motivo pra matança.

    wwolf22 7 de dezembro de 2017 at 7:14

    Agora sim vai ficar interessante….
    quero ver os países árabes se unirem e darem uma lição nos invasores….

    Vão levar outra coça como o foi na guerra dos seis dias, hahahahaha.

  21. 1 – Extremistas tem em todas a religiões, o problema que eu sempre vejo é que NINGUÉM avalia se o governo de “Israel” é de extremistas ou judeus ou não !

    2 – Reconhecer Jerusalém como capital de Israel é reconhecer que o território é de “exclusividade” israelense, desconsiderando o Estado da Palestina.

  22. Isso só prova como os opositores de Trump tinham razão, o cidadão toma decisões intempestivas que só servem para provocar situações constrangedoras que não trarão nenhum resultado positivo.
    Se tem uma embaixada funcionando em Tel Aviv, que continue lá, mas o maluco gosta de aparecer e criar controvérsia.

  23. Deus é uma coisa.

    Religião é outra.

    Política é uma coisa totalmente diferente.

    O F….@@#$%# é quando tudo isso se junta e caminha juntos.

    Da no que dá.

  24. Decisão irrelevante, não muda nada em nada, como disse o amigo acima, misturar política com religião é fods! Eu não sou ateu, até tenho grande simpatia por uma religião, mas religião cada dia mais é algo que eu vejo como desnecessário, porque por mais que alguns pratiquem de maneira correta e tirem disso algo bom, infelizmente 95% das pessoas usam da maneira errada e com propósitos e intenções igualmente errados.
    Disse na semana passada pra um amigo, que se Jesus retornasse a terra e reclamasse por seus direitos autorais e uso de sua imagem, seria automaticamente o homem mais rico do universo!
    Pequenas igrejas, grandes negócios!

  25. Na boa…
    f….. o mimimi dos árabes..

    Jerusalém, fica dentro de Israel..

    Não é pq vai ter a embaixada americana lá que vão expulsar os palestinos..

    Talvez com mais segurança na cidade, acabe reduzindo o nro de atentados isto sim.

  26. Cuidado com as fontes da internet. Muitas delas são “Fake News” e “Fanfic”.
    Resumindo, se você gosta da esquerda vai criar uma história falando bem sobre a mesma e mal sobre a direita. Se você gosta da direita fara mesma coisa só que colocando a culpa na esquerda.
    Para entender melhor a história estude os dois lados delas, tantos dos vencedores quanto os perdedores!

  27. É só a embaixada americana. Quem quiser ficar em Telavive fica.
    .
    O Ocidente cristão tem que dar uma segunda independência a Israel e deixar que se resolvam com os palestinos e os vizinhos árabes. Afinal foi pra lá quem quis, nenhum judeu foi obrigado ou expulso pra lá para que haja uma obrigação cristã. Eles são primos abrahâmicos, que se entendam.
    .
    Quanto mais terra Israel fica, mais não-judeus acaba absorvendo. A centenária Declaração Balfour é clara sobre isso.
    .
    Messingélicos piram.

  28. Trump estadista??? Rsrsrs. Ele chutou o ninho de vespas mais perigoso da região. A marionete Trump está simplesmente seguindo as ordens do seu patrão, Netanyahu. Mais óbvio não pode ser. Lamentável.

  29. INTELIGÊNCIA sem SABEDORIA dá nisso. Nós nos esforçamos para “conhecer/conquistar” o mundo físico.

    Seria melhor se fôssemos sábios. Mas poucos conseguem.

  30. @WellingtonRK

    Trump é tão foda é corajoso que já até perdi as contas de quantas vezes ele latiu para o gordinho coreano e não fez nada! Até tentou dar uma de chegado! Kkkk

    Só chutam cachorro morto!

  31. Pode-se dizer que foi uma decisão tomada unicamente para agradar a ala neoconservadora do Partido Republicano e as inúmeras vertentes protestantes existentes nos EUA, que são os dois maiores grupos apoiadores do Estado de Israel hoje em dia, seja por fatores geopolíticos ou apenas por uma visão bíblica totalmente deturpada. Então, não vejo absolutamente nada de bom saindo disso, uma vez que certamente não vai contribuir para a paz na região e nem possui outro fim que não interesses politiqueiros.

    Infelizmente, tudo indica que no futuro voltaremos a ter um estado de apartheid — mas dessa vez no Oriente Médio, ainda por cima em uma nação que é constantemente vendida como “única democracia” da região.

    Lamentável.

  32. Não vejo porque não possa ser a capital dos dois Estados. Já está na hora de radicais dos dois lados enxergarem que isso ai já deu o que tinha que dar. Se conformarem com a situação e começarem c construir algo juntos, pois é assim que terão de viver, façam o que fizerem.

  33. Ivan BC,

    primeiro, falei que todas as religiões tem seus extremismo, se vc se nega a ver isso e pq vc nao quer ver o mundo como ele é

    segundo, disse que em todas as epocas da humanidade extremistas mataram em nome de Deus, e mataram muito, ou vc ja esqueceu que no velho testamento, de acorco com a Biblia, Deus mandava os judeus atacar certos povos e matar geral, ate mesmo os animais, mulheres e crianças? e os catolicos com suas caças as bruxas, hereges? o isla quando capturava cidades cristas? e os protestantes? e os aztecas com sua crença de que o Sol não nasceria sem sacrificios de sangue? e esse é so alguns exemplos.

    Concluindo, na minha opinião, e ja deixo claro que é na MINHA opinião, (pq cada um tem a sua)
    as religiões do mundo e seus extremistas mataram, matam e iram matar muito gente nesse mundo ainda, e sim, toda religião tem seus extremistas, podem não se explodirem como os islamicos mas matam de outras formas.

  34. Não tem santo nessa história, nem Israel nem Palestina, agora não é inteligente uma decisão unilateral em um território em disputa/ocupado. Óbvio que vai acirrar os ânimos!

  35. Efetivamente, para os cristãos o Islã é a religiao da paz
    Paz eterna.

    Dizer que as outras religioes são iguais é uma bazofia da mais vomitiva, nenhuma outra relligiao prega a conversão ou a morte.
    Nenhuma outra religião cria problemas em todos os paises em que ela esta e não é maioria.
    Nenhuma outra religião se esta expandindo (de forma violenta ou não) visando converter aos outros paises a base da barriga.

    O Islã é um cancer.

  36. Plinio 7 de dezembro de 2017 at 15:16
    Eu não estou falando de todas as épocas, estou falando do ano de 2017…
    Só vejo uma religião grande matando outras pessoas e berrando: Deus é grande
    Óbvio que é uma minoria dos árabes, a minoria mesmo. No entanto, não vejo judeus, católiros e protestantes fazendo algo semelhante.
    vamos para de hipocrisia e reconhecer que os países árabes, muitos extremamente ricos, precisam reconstruir a palestina e não utiliza-la como ponte de lança para matar judeus.
    Eu tenho pena dos palestinos que são utilizados por grupos políticos para serem escudos ou bombas humanas.
    Chega disso…Israel pode errar em algumas situações, mas dentro desse contexto tem muito mais bônus do que ônus.
    Não tenho nada contra os 2 povos, só acho que há muito terra para árabes e muita guerra por causa de um pequeno pedaço de terra para os judeus. O mesmo vale para outras minorias daquela região…o próprio conflito xiita e sunita.
    O que aconteceu no passado não pode ser motivo para mortes atuais!

  37. Estatisticamente, é mais seguro andar a pé pela faixa de gaza do que pelo rio de janeiro. O brasil nao eh um país pacifico, somos um dos mais violentos do mundo.

    Sugiro a leitura do livro “Todos contra Todos, o ódio nosso de cada dia”, de Leandro Karnal

  38. Guizmo 7 de dezembro de 2017 at 17:24]
    Segundo uma entidade criada pelo governo suíço (small Arms Survey), o Brasil é o país com mais mortes violentas no mundo, com mais de 70,2 mil mortes. O Brasil responde por 12,6% das mortes violentas do mundo… então você tem razão.

  39. “Não tenho nada contra os 2 povos, só acho que há muito terra para árabes e muita guerra por causa de um pequeno pedaço de terra para os judeus.”
    O problema é que quando um grupo (judeus) chegam da Europa em um país habitado há milênios, e expulsam a bala a população indígena, e ficam diariamente invadindo e ocupando cada vez mais território, e matando e expulsando os donos legítimos.
    Vamos supor que eu, que tenho antepassados italianos do lado materno, desembarco na França com alguns milhares de seguidores, e começo a expulsar os franceses e tomar posse do país… Porque meus antepassados, os romanos, conquistaram a região baixo o comando de Julius Caesar, dos mil anos atrás. Ah, mas os franceses estão resistindo? Coitadinho de mim. Tenho o direito a me defender.
    Tá legal, então???

  40. Meus caros amigos,

    Trump ao meu ver, agiu corretamente. Afinal, o Presidente não fez mais do que pôr em prática a lei de 1995. Outrossim, a Rússia já fez isso em 06 de abril deste ano, e, ninguém do Oriente Médio deu um pio…

    Trump, é o anti-Obama, o anti-globalista, o anti-hedonistagay, por conta disso tudo e muito mais, que a mídia impregnada, entorpecida por essas coisas senta o pau nele e fazem campanha para desmoraliza-lo, demoniza-lo. Buscando assim derruba-lo. Evidentemente, contando com o patrocínio do estado-profundo criminoso americano, e os globalistas.

    A mídia Ocidental busca de todas as formas fazer uma lavagem cerebral na cabeça das massas para que esta, não entenda de fato o que está ocorrendo(distorcem tudo, na defesa da agenda globalista de poderosos grupos, com o qual estão mancomunados, e, infelizmente tem alcançado certo sucesso), e, assim passam a odiar cada vez mais o Trump. Que na verdade, é uma pedra no sapato destes grupos, por conta de não rezar pela cartilha de interesses destes, que querem moldar o mundo segundo suas visões e ideologias.

    Mas, em uma outra ocasião me estenderei mais sobre este assunto cabeludo…

    Grato

    Ps. Não se esqueçam, que, nem sempre as coisas são como parecem ou pintam…

  41. Joao Moita Jr 7 de dezembro de 2017 at 18:26
    quando um grupo (judeus) chegam da Europa em um país habitado há milênios, e expulsam a bala a população indígena, e ficam diariamente invadindo e ocupando cada vez mais território, e matando e expulsando os donos legítimos.

    Bom caro amigo,

    Se você levar em conta que o reino de israel é do tempo do rei David então, o dono legitimo de jerusalem são sim os judeus, pois este reino de israel que na biblia e na torá, datam de pelo menos 1400 anos antes de cristo e muito antes da religião mulçumana ser praticada como religião no oriente médio.

  42. Praefectus, até concordo, mas jogar um fósforo aceso num barril de gasolina não tem nada a ver com ser contrário à “conspiração globalista”. O que o mundo ganha incendiando o Oriente Médio? Me pareceu, salvo melhor, juízo, uma atitude inconsequente. Ou de um idiota. Ou há uma carta na manga que minha ignorância não captou.

  43. Então todo branco e negro vai embora daqui, porque é terra de índio.
    Usar Bíblia na questão israelo-palestina é messingelismo brabo.

  44. Nao sou Judeu ou descendente, ao contrario, sou filho de Libanes c brasileira. porem sempre tive fortes lacos por parte de familia. Uma coisa eh certa, Jerusalem nao eh, nao era e nunca foi outra coisa que nao Judia. Eh fato historico, assim como nunca existiu e nao existe um povo palestino. Sem entrar em milhares de escritos historicos da regiao, basta q todos aqui atentem para os fatos apos a fuga de Moises do Egito e seus mais de 40 anos peregrinando pelo deserto do Sinai formando um forte exercito depois comandado por Josue……..essas reconquistas do povo Judeu nada mais foi o de aglutinar e eliminar pequenas tribos q la se apossaram de suas terras apos os egipicios os levarem para serem escrvizados. Enfim, tasi fatos estao mais do que documentados e sao biblicos tbm. Historia riquissima e contada em versos e prosa bem ao estilo da epoca. Dai pra frente tudo ja mudou tantas vezes q fica ate dificil debater o assunto, porem a Judeia continua a ser dos Judeus….fim de papo……..cananeus e outros povos que habitaram a regiao nada mais sao do primos se he que me entendem, o que sobrou disso tudo foi a porcaria que ingleses e franceses deixram tracadas em fronteiras absurdas q nunca sero definitivas. A regiao nunca sera pacifica e pior ainda depois da tao propalada subida de maome em um cavalo branco aos ceus justamente na pedra onde ficava o templo judeu………parece ate sacanagem neh……..rsrsrsrsrsrrs ufaaaa….muito assunto pra se discutir, mas nao aqui ou dessa forma. Os descendente sao prova viva ainda desses contos e fatos contados a milenios. Sds

  45. colombelli 7 de dezembro de 2017 at 14:55

    Estranho este caso Colombelli. Os caras eram nômades. Aí um grupo destes nômades resolve estabelecer-se e deixar de ser nômade. Fundou uma cidade, murou a cidade, protegeu-a de todas as formas possíveis, até não poder mais; a cidade foi queimada sei lá quantas vezes e os caras reconstruíram sempre que puderam, há que haver o direito da propriedade, penso eu.
    De outro lado, outro grupo também nômade, continuaram nômades, com um território bem maior (vide história antiga da Jordânia); não se fixaram. De repente os ingleses falam assim: aqui agora é Jordânia (e eu procuro na história antiga o tal do “povo jordaniano” e ainda não o encontrei) e lá é Israel. Pronto! Maior bafáfá.
    Confesso que tenho uma grande dificuldade de entender por que o povo Palestino nunca reivindicou territórios na Síria e na tal da Jordânia, onde eles habitaram e habitam desde tempos imemoriais. Por que o povo Palestino não escolheu alguma cidade Síria ou da Palestina como sua capital? Também nunca entendi o porque Síria e Jordânia nunca permitiram uma Palestina em partes de seus territórios, bem maiores que Israel; nem mesmo que fosse um enclave autônomo.
    Aliás, nunca entendi como o maior líder palestino, o Arafat, era egípcio e não palestino. Nasceu no Cairo, serviu o exército no Egito, estudo em universidade no Cairo e, de repente, virou Palestino.
    É uma história bem confusa, esta dos palestinos.
    Logo, parece-me que Jerusalém deve ser sim capital de Israel e somente de Israel.

    Forte abraço

  46. EParro.
    Os jordanianos são historicamente descendentes dos edomitas.
    Quanto à divisão territorial, a culpa é de Sikes e Picot.
    Arafat é de família palestina residente no Egito.
    E judeus são os menos semitas dos semitas. Vai estudar a origem dos judeus askhenazes.

  47. Rsrsrs. Poloneses, Húngaros, Ucranianos, Alemães, Russos, mudam para a Palestina e acham que é tudo deles, porque o Talmud e o Torah assim dizem.
    Ademais, até a data não se encontrou o mínimo vestígio arqueológico de Davi ou de Salomão, e dos supostos reinos destes, ou seus templos. Mas já sei. Todos os arqueólogos devem ser parte de uma conspiração anti semita, né?

  48. Joao Moita Jr 7 de dezembro de 2017 at 20:18

    Concordo,
    foram justo para única área que não tem petróleo, não tem ggás e 80% é puro deserto. (rsrs).
    ______________________________________________________

    “sergio ribamar ferreira 7 de dezembro de 2017 at 1:40
    Sr Carlos Alberto só sei que aqui a comunidade hebraica se dá muito bem com a comunidade mulçumana(civilidade) e falo isto por estar no RJ. Espero que não tenha mudado. temos , sim problemas mais importantes a serem resolvidos em nosso país. Tirando isto, um erro de total estupidez foram os anos de distanciamento preconceituoso que os 13 anos de governo populista demagogo fizeram com o estado de Israel. aliás creio que nordestino faz parte do povo brasileiro ou estou enganado? Citou-se koreas, nordestinos, chineses…Dá o que pensar que nordestino ou filho(que é meu caso ) não sou brasileiro? Avô paterno, sírio; avós maternos, italianos e tenho muito apreço pelo meus primos judeus. Abraços.”

    Assim como existem Manauaras, Barrigas Verde, Cariocas, Coxa Branca, etc etc etc

    Relaxa ai e NÃO insista nessa postura de “carimbar” genêros.

    Pronto, retiro nordestinos.

    Lá também tem aquele povo brasileiro que nasceu no nordeste, tá bom assim ? (Kkkk).

    ________________________________________________________

    “Sala de Aula – História Antiga – Civilizações Antigas

    POVOS DE ORIGEM SEMITA

    Marcos Emílio Ekman Faber

    Semita vem do hebráico Sem, referência ao nome do filho mais velho de Noé (o mesmo do dilúvio). Por semitas entendemos todos os descendentes de Sem.

    Os semitas eram grupos de povos pastores nômades oriundos do Oriente Próximo, que falavam língua semita. Fundaram cidades ao longo do rio Tigre, com destaque para a cidade de Acad (origem dos Acádios e dos Babilônicos).

    Principais povos de origem semita:
    Acadianos (Caldeus e Babilonicos), Assírios, Amorreus, Arameus, Fenícios, Árabes, Hebreus (judeus), Etíopes e Ugaríticos.

    Estes povos não dividiam as mesmas crenças religiosas e políticas, também eram, em sua maioria, rivais entre si.

    Os povos semitas, assim como os Sumérios (lenda mitológia de Gilgamesh), dividiam a crença no dilúvio. Cada qual como suas explicações mitológicas ou religiosas, o que reforça a crença no dilúvio universal (ver Gênesis 7.17 à 8.13).”

    “שם palavra de origem hebraica shem transliterada para o portugues (sem ).liked”

  49. Esse argumento de que Jerusalém pertence aos judeus por conta da importância histórica da cidade para eles não me parece razoável. Primeiro, porque Jerusalém, historicamente e biblicamente falando, não é uma cidade de origem judaica tal como nós comumente conhecemos; em segundo lugar, porque essa ideia de “dívida história”, além ser totalmente falaciosa, não significa absolutamente nada em termos práticos; e, por fim, porque também teríamos que reconhecer que inúmeras outras cidades no mundo — como Istambul, por exemplo, que até hoje faz parte do imaginário grego — deveriam ser devolvidas aos povos que as ocuparam em determinado período da história, o que certamente não é algo praticável e muito menos justo para com as pessoas que atualmente vivem nelas.

    De qualquer maneira, continuo firme na ideia de que esse anúncio não vai ajudar em nada e nem possui qualquer fundamento que não sejam visões deturpadas da Bíblia vomitadas por certos grupelhos protestantes ou interesses de lobbys poderosos dentro da política americana.

  50. hannes 7 de dezembro de 2017 at 21:59

    E quem fundou Jerusalem?

    Pois é! Se Istambul, que já foi Byzantium e depois Constantinopla e é, atualmente, capital da Turquia, por que Jerusalém deveria ser de palestinos, não é mesmo?

  51. Delfim Sobreira 7 de dezembro de 2017 at 20:18

    Mas os edomitas não desapareceram sob o Império Romano?

    E parece que o sujeito que escreveu a biografia do Arafat (Said K. Aburish) disse que não é bem assim, esta estória de que ele seja palestino, foi uma “jogada” que acabou não dando muito certo.

    Sobre asquenazes e sefarditas, agradeço e anotei a sugestão, mas estou deixando para depois. Primeiro quero entender melhor a história dos hebreus, judeus, israelitas e as tribos de Judá.

    Forte abraço

  52. Delfim Sobreira 7 de dezembro de 2017 at 23:02

    Pois é, meu caro Delfim Sobreira, isto me faz lembrar de uma penca de coisas:
    “A compra do HMS Ocean é uma boa ou será uma desgraça?”
    “É muito mais legal Super Hornet do que Gripen”
    “Nós precisamos de escoltas, o resto é para depois”
    “Tem que acabar logo com este A12, aí vai sobrar $$$”
    “Nada de navios de superfície o que conta mesmo são submarinos”
    “Nada de submarinos diesel, o negócio é nuclear”
    “Que submarino nuclear que nada o negócio é submarino convencional com AIP”
    “IMBEAL não dá mais o bom é M16”
    “Este negócio de apoiar no carregador do fuzil para atirar é uma tremenda idiotice, o certo é usar o guarda-mão”.

    Forte abraço

  53. Sr. Carlos Alberto. Explicações a parte. Espero ter entendido. sei muito bem um pouco de história antiga. Os Sírios também são oriundos de povos semitas , fenícios, atuais libaneses. sobre nordestinos, tenho orgulho e como disse anteriormente o considero um homem honrado. Seu nome me parece de cristão novo ou ledo engano? Sem ofensas. quanto ao que não me fez compreender são os 13 anos turbulentos que tivemos aqui e com o Estado de Israel. Fora isso reitero minha estima e consideração.

  54. Sr. Carlos Alberto Soares. Só não respeito quem tenta me depreciar por qualquer motivo: seja nome, origem… Prometi tal qual o povo judeu não apanhar de quem quer que seja. Prefiro sair para não entrar em conflito… Reitero e se fui indelicado peço desculpas. Abraços. Somos sensatos pois desejamos a vida, o conhecimento, a sabedoria; o tolo procura a ignorância, a ruína, a guerra , o conflito e por fim a morte.

  55. Esqueci: Sr. Carlos Alberto Soares. O nome para muitos pode não valer nada. para mim, vale muito. Uma origem, uma identidade nacional, uma família, mesmo distante são tesouros inestimáveis. se o Sr. ama tanto Israel e o Brasil, sabe do que estou dizendo. Não importa para qualquer um , importa para nós. Muitas vezes me vi sozinho defendendo o que aqui muitos desconhecem o que é um laço de unidade e esta unidade primeira se chama “família” italiana, lusitana, judia, síria, nordestina e fluminense, não importa são laços de família e se a desejam destruir encontrarão um grande opositor, eu…e quem estiver disposto a lutar ao meu lado. Abraços.

  56. Foi uma tremenda burrada do Presidente dos Estados Unidos.
    Depois de anos de revoltas e guerras, até que tivemos relativamente paz, agora, só Deus sabe o que poderá ocorrer.
    Acredito que a solução para Jerusalém é torna-la uma cidade com status internacional, onde as três religiões pudessem coexistir pacificamente.
    Lembrando para quem é de origem Judaíca, Jerusalém era a cidade dos jebuseus, e foi conquistada por DAVI. Então, o negócio já nasceu torto, não foi uma cidade construída para ser a capital do REINO DE ISRAEL, foi conquistada de outro povo.
    Eu acredito que, a cidade deveria ser uma ferramenta de união entre os povos e não divisão. E está união, não passa pelo reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e nem dos Palestinos. Mas, como sempre os EU’S fazem a sua cagada no mundo e depois são anos de guerra para tentar solucionar o problema. Vide Iraque, Síria e Líbia!!!!!!!!!!!!!!
    Passou da hora dos líderes mundiais sentarem a mesa para criar do zero uma nova ordem mundial, se os mesmos não o fizerem, o capital o fará!!!!!!!

  57. FERNANDO 8 de dezembro de 2017 at 8:11

    E o tal povo Jebuseu era de qual origem?

    Saudações

    P.S. O congresso americano reconheceu Jerusalém como capital de Israel em 1995!

  58. Apesar de não concordar com o Sr. Trump em muitas coisas, reparei uma certa tendência nas atitudes dele que parecem demonstrar um certo “ímpeto pelo desfecho” (já explico) que de certa forma me agrada porém assusta um pouco. O que me parece é que de uma forma típica em administrações empresariais o Sr. Trump quer resolver as “pendências do mundo”, forçando um desfecho ao estilo “se não vai por bem vai por mal”. A situação na Palestina estava estagnada a muito tempo, e de certa forma essa atitude (boa ou ruim) levantou a “lebre” de novo e a situação voltou ao centro do debate mundial. Há muitas situações assim no mundo, as coisas vão sendo empurradas com a barriga até ficarem insustentavelmente perigosas aí as desgraças acontecem e as pessoas sofrem, acho que as vezes “chutar o pau da barraca” faz bem também. Alguém concorda… ou discorda…

  59. Peco desculpas antecipadas, porem vcs continuam a debater algo que nao tem vencedores e nem vencidos, somente a verdade nua e crua. Nao importa o nome ou o tempo, o fato mesmo eh que todos sao oriundos de tribos nomades, alias ate hoje ainda persevera nessas regioes inumeras tribos e clas ate onde a vista alcanca ou mais. No final , desde o tempo conhecido e ate hoje, no fundo no fundo, todos sao BRIMOS , inundados por forte religiosidade q abracaram em tempos dificieis e onde viver ou sobreviver era tarefa somente para os mais fortes. Lembrem-se……o fato biblico da TORRE DE BABEL coloca muito bem e de forma ate mesmo simples, como foi que tudo se subdividiu nessas regiao ariada e suas tribos. O resto q todos e muitos aqui tentam enumerar com nomes respectivos desses clas e tribos eh puro exercicio em busca de direitos atuais q nao existem mais. O real mesmo eh q os Judeus sim sobreieram as dezenas de invasoes, expurgos, escravidao, etc….mas que sob forte lideranca e crenca em Deus, ainda hoje la estao e sao de fato os verdadeiros detentores de suas terras. Os demais, verdadeiras massas de manobra orientados por fanatismo historico de uma religiao q nada acrescenta e somente feita para promover oe espirito guerreiro de todos, ainda hoje nada conseguiu a nao ser a morte e desgraca de seus adeptos. Quem c ferro fere, com ferro sera ferido. Jerusalem eh de fato historicamente e de direito pertencente aos Judeus e nada que digam ou temtem fazer para mudar esses fatos historicos , sera diferente.
    Atencao mesmo deveria ser dada ao Libano, essa sim terra dividida por culpa de outrens vizinhos e ate mesmo de seus cidadaos muculmanos q preferem o confronto ao entendimento anterior q sempre trouxe a paz e a prosperidade a essa nacao de tantos povos e descendentes dos Fenicios entre outros.

    PS……Seria melhor q os ditos muculmanos e outros ainda agradecessem aos Judeus por nao implodirem a tal mesquita do domo, afinal, essa eh q nao deveria estar naquele local, foi pura birra e estupidez o que fizeram. Houvessem feito isso em outro lugar de Jerusalem e muita coisa hoje nem mereceria atencao do mundo.

  60. Celso 8 de dezembro de 2017 at 11:51

    A meu ver, é bem por aí mesmo.
    E quanto a Líbano, concordo. Se não for mais importante é tão necessário o entendimento por lá, para a “paz”, quanto a solução das pendengas sobre Jerusalém.

    Saudações

  61. El Parro, não importa a origem!!
    Eles estavam lá primeiro!!
    Muito antes de ABRAAO vir da Mesopotâmia.
    É evidente que eu tenho coragem de vir aqui e comentar que, hoje, sinceridade, eu não sei que são Os Jebuseus. Se é que DAVI deixou alguns vivos para contar a história. O que se comenta, é que ele massacrou quase todos. O resto, foi obrigado a se converter ao judaísmo. Sim, concordo, provavelmente alguns judeus, são os legítimos descendentes deste povo.
    É uma situação complicada.
    Os Judeus não são os legítimos herdeiros de Canaã, eles são invasores, mas, isso era comum naquela época. Os palestinos também são invasores, pois são descendentes dos antigos Filesteus.
    A solução é ambos se aceitarem e conviverem de forma harmoniosa, pacífica e respeitosa. Como era antes da criação do Estado de Israel.
    Discordo parcialmente do que o Celso comentou.
    Nem Judeus e Palestinos são legítimos na região.
    Se aceitar um, tem que negar o outro. E nem pode pretextar o Utti Possidetis, não perceber isso, é dogma.
    É doloroso, sim, mas, Jerusalém deve ser uma cidade internacional.
    Está é a solução para o problema!!
    Mas, ai, vem o questionamento???
    Até aonde estão dispostos a sacrificar pela paz???
    E o islã, não é tudo isso que procuram formatar dele!
    Todo Judeu sabe bem disso!
    PS: Antes que digam que eu não sou cristão, bem, sou espírita kadercista, então sou bem cristão.
    Não gosto de coisas erradas, ou de aceitar me introjetarem dogmas ou ideologias. Assim como os pensadores iluministas, sou LIVRE. PENSO, LOGO EXISTO. (filósofo francês René Descartes)
    Ah, este é meu herói!!!!!!!!!!!

  62. Jerusalém indivisível é capital do Estado de Israel e ponto.
    Para a oposição o choro é livre, grátis e ainda não paga imposto(ainda, pois da esquerda pode se esperar qualquer coisa)

  63. Carlos Alberto Soares : Bla, Bla, bla…para história antiga: sujeito diz que há também brasileiros no Nordeste. Quem que está sendo hipócrita preconceituoso? Defende Israel, tudo bem mais depreciar e ainda pede para “relaxar”. Parece a “Marta Suplicy”.Da mesma forma se alguém dissesse que no RS só tem bo*@la ou que SC o único macho foi mulher, carioca malandro, em SP só tem FDP. Peço desculpas aos editores e alguns comentaristas mas não sou de ficar brincando nem me achar vitima de nada. Quer ser estudioso num site e não discutir pessoalmente é fácil quero ver comentar absurdos pessoalmente. Fim de papo, fim de comentário, fim do assunto. Srs. editores leiam tudo para saber se depreciei ou fui preconceituoso, da minha parte não entrarei mais no assunto com o cidadão citado. Reitero que o cidadão citado se nasceu aqui deveria ter respeito e no meu entender é ingrato e debochado . fui respeitoso e já basta. Abraços.

  64. “Jerusalém indivisível é capital do Estado de Israel e ponto.”
    Jerusalém é uma cidade ilegalmente ocupada por tropas israelenses, uma situação sem nenhuma legitimidade internacional, e diversas resoluções da ONU existem condenando essa violação, e intimando a devolução da cidade a seus donos corretos. Nunca será a capital internacional reconhecida de Israel, e nunca terá embaixadas de países alheios.
    Pronto.

  65. Meus caros,

    até a chegada do povo Hebreu a Canaã(atual Israel e Palestina e adjacências…), esta era habitada pelos hititas, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus. Imagino que alguns talvez objetem dizendo que os cananeus já viviam lá e, portanto, tinham o direito de continuar naquela terra. Mas, lhes digo com certeza, o Soberano do Universo(DEUS) tem o direito supremo de determinar quem deve morar em certo lugar – Atos 17:26; 1 Coríntios 10:26.

    Agora, Deus faz isso, como faria o ser humano por capricho?? Evidentemente que não! Porque o Senhor Deus é justiça, é amor, nada lhe é oculto. E, como está escrito em Salmo 5:4-5 “Pois tu não és Deus que se agrade com a iniquidade, e contigo não subsiste o mal”.

    Os cananeus, em certo sentido, tomaram posse de uma terra que não lhes pertencia. Como assim? Hora, cerca de 400 anos antes, Deus havia prometido ao fiel Abraão que seus descendentes herdariam a terra de Canaã(Gênesis 15:18). Deus cumpriu sua promessa quando fez com que a nação de Israel, que descendeu de Abraão, ocupasse a região.

    Prezados, Moisés, como porta-voz de Deus, tornou claro aos judeus os motivos de Deus para tal atitude, em Deuteronômio 9:5 que diz: Não é por causa da tua justiça, nem pela retitude do teu coração que entras a possuir a sua terra, mas pela maldade destas nações o SENHOR, teu Deus, as lança de diante de ti; e para confirmar a palavra que o SENHOR, teu Deus, jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó.

    Foi a iniquidade dos cananeus que causou sua destruição. Estes eram dado a imoralidade, a adoração pagã, faziam sacrifícios de humanos, eram dado a todo tipo de torpeza, licenciosos.

    O Senhor Deus viu com bastante antecedência que o povo de Canaã estava indo no caminho errado. Mas em vez de destruí-los imediatamente, mostrou paciência e deixou passar 400 anos até que o seu erro “se completasse” Gênesis 15:16.

    Quando os pecados dos cananeus atingiram um ponto limite estipulado por Deus, o Senhor os destruiu. A mensagem é clara. Os cananeus foram removidos porque poluíram a terra com sua crassa imoralidade – seus adultérios, seu homossexualismo, e seu derramamento de sangue humano.

    A partir daí O Senhor Deus determina que os Hebreus tomem posse daquela Terra, e não façam como os antigos moradores para não terem o mesmo fim destes – Levítico 18:24-26; 20:22.

    Eu creio na inteira Bíblia Sagrada e aceito-a como infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo.

    Portanto embasado nisto digo que Jerusalém é Israel.

    Grato

  66. risos, risos, cada um.
    Nem vou responder.
    Não foi Canaã que Deus ofertou a Abrãao e seu povo, mas, a pátria espiritual.

  67. “uma situação sem nenhuma legitimidade internacional, e diversas resoluções da ONU existem condenando essa violação, e intimando a devolução da cidade a seus donos corretos.”

    Mas o sionismo não controla tudo? Ué, a ONU condena Israel? Mas a ONU não é objeto de controle dos globalistas sionistas?

  68. Os registros arqueológicos(artefatos) e históricos mais antigos de ocupação daquela região pertence ao povo judeu!
    Brasileiro é um dos povos mais ignorantes do mundo! Por isso é facilmente lesado pela classe política, por isso é facilmente manipulado pela mídia! Por isso tem um monte de ignorante aqui que não tem nenhum conhecimento histórico e nem do conflito, fica publicando opiniões sem ter conhecimento dos fatos.
    Vamos aos fatos:
    Em 2005, Gaza foi devolvida integralmente aos palestinos. Lá havia algumas colônias judaicas, também acusadas de serem obstáculos à paz. Pois bem, todas foram desmanteladas e, desde então, não há um só judeu, civil ou militar, em Gaza. Veio a paz? Infelizmente, não. O que veio de Gaza foram uma chuva de mísseis atingindo populações civis em território israelense e centenas de terroristas do Hamas tentando diariamente invadir Israel por túneis subterrâneos.
    Sobre a Cisjordânia, cujo nome original é Judeia e Samaria, os israelenses apenas demandam que, em qualquer negociação de paz, seja levada em conta a milenar presença judaica nessa região e que seja permitido aos judeus continuarem morando nos locais onde viveram grande parte de sua história. Há várias opções na mesa, entre elas a troca dos territórios onde hoje há comunidades judaicas por outros de igual tamanho e qualidade, ou até mesmo a manutenção destas comunidades sob bandeira palestina. Mas os palestinos e seus aliados são intransigentes. Afirmam que, apesar de quase dois milhões de árabes viverem como cidadãos com plenos direitos em Israel, um futuro Estado palestino deve ser absolutamente livre de qualquer judeu. Abou-Alsamh então recorre a um instrumento comum aos detratores de Israel, que é a simples supressão de partes da História. Critica as barreiras de proteção que prejudicam o fluxo de palestinos ao território israelense. Mas omite propositadamente que o trânsito era livre até que os palestinos passaram a aproveitar esta liberdade para enviar dezenas de homens-bomba para explodirem-se em ônibus, restaurantes e universidades de Israel.
    Enquanto os israelenses não estiverem seguros de que um futuro Estado palestino não será usado como plataforma para ataques a Israel, como já acontece em Gaza, não haverá chance de acordo.

    O mito palestino:
    POVO PALESTINO é uma expressão falsa e mentirosa, não existe nenhum rei palestino, nenhum líder histórico, nenhum registro de dinastia ou povo palestino nos antepassados. Palestino não é etnia, palestino é um povo árabe igual a todos os outros que foram originados dos BEDUÍNOS do norte da áfrica desértica e fizeram sua migração natural em direção ao oriente ao longo dos séculos.
    Segundo lugar, quem deu esse nome de “terras palestinas” onde fica hoje Israel foi o Imperador Adriano em 300 DC a fim de castigar uma rebelião de libertação de judeus contra a opressão e abuso de cobrança de impostos do império romano naquela região. Após abafar a rebelião esse imperador, para provocar os judeus e tentar desestruturar sua cultura e vínculo com as terras, aboliu oficialmente o título dessas terras que eram conhecidas como Canaã para o nome de palestina. Daí veio a utilização desse nome que até hoje é erroneamente classificado como um povo ou etnia específico.
    As etnias árabes e as persas (que hoje é o Irã) nunca foram povos coitadinhos vítimas do capitalismo malvado e opressor, mas sim sempre foram dominantes disputavam territórios entre eles próprios de maneira sangrenta naquela região, muito antes da implantação do estado de Israel em 1948.
    Além do mais não se iludam com esse “coitadismo” palestino, pois a julgar pela vida miserável que os árabes levam em seus países cujas elites representam 1% da população e são detentoras de 99% da riqueza enquanto o resto da sociedade está mergulhado numa ditadura religiosa sangrenta, bem como uma economia de migalhas, considerando a riqueza do petróleo produzido ali, não vejo neles nenhum sinal de que só por causa da presença de israel é que eles estão nessa merda.
    Os palestinos deveriam sim é se espelhar em Israel para aprender com eles como se constrói uma democracia de verdade e como se constrói uma nação com qualidade de vida, oportunidades, educação e saúde de referência internacional, e transformar uma terra morta, sem graça, sem beleza em terras férteis, com agricultura produtiva, belíssimos pontos turísticos dos mais visitados do mundo, água em abundância para os cidadãos e como resultado uma nação realmente admirável.
    Isso sim, esses chorões tinham que tomar vergonha na cara e começar a fazer algo, de preferência parar de ficar pedindo ajudinha da ONU e arregaçar as mangas e produzir riqueza. Uma nação se constrói mostrando trabalho, competência e vontade e não pedindo ajuda e proteção internacional para o resto da vida.
    Mais: Você sabia que nenhum país árabe reconhece os palestinos como nação? Tanto que NÃO OS ACEITAM COMO IMIGRANTES? NÃO
    Os árabes nunca fizeram questão nenhuma da região, só depois que Israel se instalou. Israel apresentou em 2000 uma proposta IRRECUSÁVEL para Palestina. Entregou a Cisjordânica, Westbank, Faixa de Gaza e bilhões de dólares de indenização. Até o Líder da Arábia Saudita na época disse para o Yasser Arafat que nunca mais ele teria uma proposta tão boa. Sabe o que Arafat fez? Convocou a segunda Guerra Santa.
    Aliás sobre Arafat, desviou as ajudas humanitárias para o próprio bolso em detrimento da sua população.
    Gostam de falar do sionismo, pois bem, sabe quem mais financia o Hamas e os dignitários palestinos? As empresas controladas por judeus. Coincidência não é?
    No mais, já viu o vídeo do palestino Mosab Hassan Yousef descascando em cima das autoridades palestinas em pleno Conselho de Direitos Humanos da ONU? Inclusive a mesma ONU condenando Israel, mesmo sendo controlado por sionistas? Como que fica isso? Conspiração da conspiração?

  69. O bem da verdade é a seguinte: Jerusalém representa um marco para o Cristianismo! Sim, para o Cristianismo. O Islã quer conquistar o Cristianismo e este é o motivo da tal reivindicação islâmica sobre um território que NUNCA foi islâmico e que nem é tão importante assim para eles (Jerusalém representa o 3º lugar mais sagrado para o islã). Se os islã perder Jerusalém, ele perderá o ‘acesso’ ao Cristianismo!!! Sim senhores!! Tire a simbologia Cristã daquela região e mude para a Europa. No dia seguinte aparecerão textos islâmicos dizendo que a terra sagrada deles fica na Europa…

    E quanto aos judeus eles são INCONVERSÍVEIS. Para o islã, judeu pagar tributo já estaria bom demais se não fosse a força bélica Israelense que garante sua defesa contra estes CANALHAS que querem dominar o mundo cristão.

  70. Rinaldo Nery 7 de dezembro de 2017 at 19:17,

    meu caro, apenas hoje vi seu comentário.

    Rinaldo, este assunto é complexo, demanda sentido acurado de conhecer, compreender a verdade. Posto que, o ceticismo, é ancora que incapacita. E, nesta questão em especial, é o que mais se vê, a total incapacidade das pessoas de realmente enxergarem a realidade do que sucede!

    E a mídia tem papel fundamental nisso, mas, o dolo em absoluto não é só dela, óbvio! Porquanto há uma transigente postura no ceio da sociedade mundial, em prol de fato, do que é a verdade, o correto nesta questão!

    Posto isso, esclareço algo, “creio em Deus,” naquilo que está na Sagradas Escrituras aceito-a como infalível Palavra de Deus.

    Desta forma, afirmo, há que se ter boa vontade com à verdade, para entender, por exemplo, o óbvio, que, o que se prega é o compartilhamento(globalização) da soberania de um local indelével à alma israelita(Gênesis 28 – do 10 ao 19). Hora, sem medo de errar, todos sabemos que Israel é o Berço do povo Judeu, e Jerusalém é o Berço dos Judeus e Cristãos.

    Não querer enxergar estes fatos é de uma vilania sem medida.

    Meus amigos, o Islã surgiu no ano de 610 da Era Cristã, Mohammad Ibn Abdallah (em português “Maomé”), nasceu em 570 da Era Cristã, este vivia na cidade de Meca na Arábia Saudita. No ano de 622, ele e seu, então pequeno grupo de seguidores, emigraram para Medina e a partir daí começa a se espalhar por todo o Oriente esta doutrina.

    Estes fatos explicam muita coisa para quem quer de fato começar a conhecer a verdade…

    Mais uma vez digo, quando o povo Hebreu chegou a Canaã(atual Israel e Palestina e adjacências…), a milhares de anos atrás, esta era habitada pelos hititas, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus. Estes acabaram sendo derrotados pelo povo israelita. E, a etimologia deste é sugerida na passagem do Gênesis 32:28, na qual Jacó luta contra um anjo de Deus e o vence, após o que recebe de Deus o nome de Israel.

    A ação de Trump é um ato de quem não quer ficar em cima do muro. Como muitos tem agido até aqui. Contemporizar nesta questão é um ato víl! Aí destes…

    Como disse acima, melhor é lagrimas da verdade, do que o sorriso da mentira! Se, entender essa colocação dentro da questão acima, a realidade não lhe será oculta…e, a trava cairá!

    Grato

  71. Jerusalém serviria de cidade-sede do templo…enquanto os hebreus fossem fiéis ao seu Senhor.
    Jerusalém foi devastada por vários pagãos e os seus moradores, dispersos, massacrados ou escravizados. A última devastação foi levada a cabo pelos romanos. O templo foi destruído e nunca mais foi reerguido.

    Muitos judeus aceitam esse fato como sinal do castigo pela infidelidade de seus ancestrais e rejeitam o sionismo e o Estado sionista como algo artificial sustentado por banqueiros e “ajuda militar” americana.

    A princípio, pelas leis e costumes internacionais sobre posse de terra, os judeus teriam tanto direito à Palestina (depois de quase 1900 anos de diáspora) quanto os cidadãos romanos atuais sobre Lisboa: nenhum.

    Muitos cristãos sofreram influências judaizantes e apoiam isso (trocaram a cruz pela estrela cabalista de adoração a Moloch, um símbolo tradicionalmente nada judeu, segundo um polemista evangélico: https://apocalink.com.br/?p=9374 – evangélicos, fiquem atentos!).

    O plano do “Grande Israel” do Nilo ao Eufrates existe há muito tempo. Pesquisem “Greater Israel from the Nile to the Eufrates” antes de derramarem algum achismo por aqui.

    Se antes tínhamos Obama e Hillary apoiando o ISIS (sim, o ISIS era composto de mercenários estrangeiros – os sírios, no geral, estavam bem conformados com Assad) e outros grupos para causar instabilidade no Oriente Médio em guerras por procuração e facilitar a tomada do poder nos países árabes por grupos extremistas e belicosos, hostis a Israel e prontos a mover guerra contra os judeus, agora temos Trump provocando a ira dos islâmicos com tal declaração e enchendo a Arábia Saudita de armas para serem repassadas aos grupos beligerantes. A pressão política sobre os americanos continua a mesma para defender os interesses de Israel no Oriente Médio. Mas ele cumprirá sua promessa junto ao eleitorado judaico-americano (apoiar Israel) e não desejará derramar o sangue dos seus cidadãos em guerras por procuração para defender interesses alheios.

    A Terceira Guerra Mundial, segundo comunicações interceptadas entre os maçons Albert Pike e Mazzini (que acertaram ambas as guerras mundiais anteriores – profecia ou plano diabólico?), ocorrerá no Oriente Médio entre árabes e judeus (com a vitória dos últimos, a conquista de terras cortadas por tais cursos d’água tomadas aos árabes, os quais serão expulsos para o Ocidente, inclusive aqui, em nome da “diversidade cultural” e soterramento definitivo da cultura ocidental cristã) e Jerusalém sediará a “República Universal” (da qual a ONU é um embrião), a ser liderada pelo Anticristo.

    Nada melhor do que justificar uma destruição avassaladora com o pretexto de defender-se de um ataque injusto.

    O fim está às portas. Estejamos preparados!

  72. parabéns ao EUA e o Trump com isto faz justiça ao povo Israelita, a nossa liderança devia fazer o mesmo reconhecer Jerusalém como capital de Israel. mas nos somos uma nação católica assim como Itália, França , Espanha , Portugual ,América latina e as colônias dos mesmos ,estes não reconheceram porque a capital espiritual dos católicos e o Vaticano eles não ira reconhecer Jerusalém nunca eles preferem ficar apoiando os Arabés obs: a capital espiritual dos arabés é Meca e não Jerusalém
    Na verdade este ódio ao Judeu é Satânicos assim como todos que não querem ver a verdade o islão apareceu 600 anos depois de Cristo porque querem Jerusalém?

  73. Ai os povos do desertos que se dane-se e se matem pelo aquele deserto e por essa cidade que não vale nada…

    E se os Amis quiserem morre para defender um dos povos do deserto e ficarem contra os outros povos do deserto que fiquem a vontade e que morram a vontade.

    Porque no final quem vai e deve prevalecer na guerra que virá será sempre a cidade das 7 colinas……a ETERNA.

  74. Tem muita gente que não conhece direito a situação atual na região e vem dar palpite.
    Vou deixar de lado a história antiga – já bem discutida nos comentários anteriores e focar na história recente.
    A ONU decidiu dividir Jerusalém para por fim ao conflito secular pela cidade.
    1 ano após a divisão do território, então britânico na época, entre Palestina e Israel, os países arábes (Egito, Síria, Iraque, Jordânia, Líbano e Arábia Saudita) se juntarem e atacaram Israel por discordar da resolução da ONU.
    Após cerca de de 1 ano de guerra e vários tratados de cessar fogo a guerra foi encerrada.
    Em 1967, na guerra dos 6 dias, basicamente os mesmos países atacaram Israel denovo -que se por sua vez não tivesse descoberto o plano antes, talvez não tivesse conseguido sobreviver ao ataque. Após este segundo ataque em conjunto dos países árabes, Israel tomou militarmente o lado oriental de Jerusalém e a área hoje conhecida como Cisjordânia.
    E eles não consideram a desocupação destas áreas em nenhum tratado de paz. Isso é questão de segurança para eles.
    Foram atacados duas vezes, não vai mais deixar que estes países possam ter forças militares tão próximas de Jerusalém como no passado.
    No mais, no lado oriental de Jerusalém, onde fica a Esplanada das Mesquitas, os judeus tem completa liberdade religiosa e acesso ao monte sagrado deles. O que incomoda os muçulmanos é que Israel é que faz a segurança nesta área, porém como já falei, Israel não abre mais mão disso depois das duas guerras nas quais foi atacada.
    Todo o centro administrativo de Israel já é em Jerusalém, inclusive existem parlamentares muçulmanos eleitos trabalhando na Camara deles, todo muçulmano vota, imigração muçulmana não é proibida em Israel, é mais fácil os árabes tomarem Jerusalém pelas vias pacificas do que militar.

  75. Os registros arqueológicos(artefatos) e históricos mais antigos de ocupação daquela região pertence ao povo judeu!
    Bem, Matheus, os registros mostram outros povos vivendo na região, bem antes dos HEBREUS!

    “Cerâmicas indicam a ocupação de Ophel, dentro da atual Jerusalém, desde a Idade do Cobre, ao redor do IV milênio a.C.
    Nas narrativas bíblicas, Jerusalém era uma cidade Jebusita até o século X a.C., quando Davi conquistou-a e fez dela a capital do Reino Unido de Israel e Judá (c. 1 000 a.C.)”

    Concordo com o Rodrigo, devem nos focar na história contemporânea.
    Quem mora lá antes de 1948????
    Isso diz tudo!!!!!!!!!

  76. Prezados, bom dia! Acredito que a atitude do Trump, além de claro cumprimento de promessa de campanha, sinaliza que ele está interessado em fazer as peças se movimentarem. Os palestinos, que nunca foram um povo único, são efetivamente uma criação artificial da Inglaterra e França depois da 1GM, que definiu fronteiras aleatoriamente, com base em áreas de influência e não em termos de nacionalidade e identificação com a terra. Os palestino, se quiserem alguma concessão a mais de Israel ou dos EUA, terão de trabalhar pela paz com sinceridade. Senão ficarão eternamente no ponto em que se encontram, sem estado e sem país. Os Israelenses já fizeram enormes concessões aos palestinos, vide a Cisjordânia e a Faixa de Gaza e, nada receberam em troca, além de ataques terroristas e foguetes sobre suas cabeças. Portanto, se os palestinos quiserem obter a paz e um país, terão de sentar na mesa de negociações com seriedade e franqueza. Agora, porque a surpresa com a “reação”n dos muçulmanos??? Alguém pode esperar algo de diferente de alguém que quer destruir o outro, simplesmente por orar, para o mesmo Deus, com base num livro diferente??? O Hamas; os sírios; os iranianos; o Hisbolah, etc., juraram e continuam jurando que vão varrer Israel do mapa e, só não o fizeram até hoje, graças à coragem e determinação do povo judeu e, dos EUA, principal aliado deles no mundo. No mais, o Trump agiu em obediência a uma norma legal do governo Clinton, mas, que ficava em “suspenso”, na vã esperança de que os palestinos fossem razoáveis e negociassem com seriedade. Pois é, agora ele botou o “bode na sala” e as partes terão de se sentar. De resto, destaco a covardia dos governos ocidentais, que insistem em demonizar a única democracia pluralista da região. sds.

  77. Sabem, desculpa a sinceridade aqui com todos.
    Mas, não considero Jerusalém uma cidade santa.
    Tenho ligo apenas desculpas esdrúxulas, e baseada mais em dogmas preconcebidos, do que uma leitura racional, imparcial dos fatos.
    Sempre a mesma ladainha ridícula, suavizando e até atenuando as ações de Israel e massacrando os árabes.
    Até para um cristão religioso como eu, percebesse a parcialidade de algumas pessoas.
    Fico pensando se estas pessoas fossem nazistas, onde eu iria parar!
    Os fatos senhores, é que não existe solução fácil para este caso!
    Ambos os lados terão que ceder, em nome da paz.
    Eu, sou a favor da paz!
    Da união entre os povos!
    Está ladainha, de que a região foi dividida entre Palestinos e Judeus, de que o povo Palestino foi uma criação da Inglaterra, de que Palestinos atacaram primeiro, bla,bla,bla.
    É passado!!!!
    Importa o agora!!!!!
    A maioria dos Palestinos, nem se lembra do que eles tomaram no café da manhã!
    Alias, nem eu!!!!

  78. FERNANDO 11 de dezembro de 2017 at 10:49

    Alguém falou em jebuseu e dos habitantes primitivos de Israel? Estou falando em comprovação arqueológica de que Jerusalém pertence ao povo judeu, não ao palestino. Se tivesse ao menos lido o texto e colocasse no contexto do artigo entenderia, eu não o culpo, isso requer uma capacidade mental aprimorada.

    Já disse e repito: “Brasileiro é um dos povos mais ignorantes do mundo! Por isso é facilmente lesado pela classe política, por isso é facilmente manipulado pela mídia! Por isso tem um monte de ignorante aqui que não tem nenhum conhecimento histórico e nem do conflito, fica publicando opiniões sem ter conhecimento dos fatos.”

    Alguns esclarecimentos sobre os fatos:

    Na chamada “First Aliyah”, entre 1882 e 1903, quando o território da Palestina era controlada pelo Império Otomano, cerca de 35,000 pessoas se mudaram para lá. Até a quinta, que ocorreu entre 1929 e 1939, um total de cerca de 450,000 judeus já estavam morando por lá. Note que isto é antes do território conhecido hoje como Israel ter sido criado ( 1948 ). Na Primeira Guerra Mundial o território foi ocupado por tropas britânicas, que derrotaram os otomanos.
    Na década de 30, um muçulmano chamado Izz ad-Din al-Qassam, sírio, começou a organizar guerrilhas para combater a presença britânica e judia na palestina. Ele morreu em 1936, o que gerou uma revolta nos países árabes, que instigaram ataques às propriedades israelitas. Em 1937 veio a primeira sugestão da partição em dois estados, um judeu e outro muçulmano, mas acabou rejeitado em votação. O governo britânico então implantou quotas de imigração para os judeus ( uma tentativa de equilibrar o número de judeus e árabes, para criar um governo misto ), na
    mesma época que a segunda guerra começava a estourar. Refugiados que procuravam lugares para emigrar, da Europa, tinham a entrada negada em Israel, e eram enviados para campos de prisioneiros ou deportados. Talvez isto tenha sido uma das causas que levou os líderes dos movimentos zionistas a se revoltarem contra os britânicos, entre 1940 e 1944. Vários líderes britânicos foram assassinados na região, e a situação começou a se tornar desagradável ao governo inglês, que acabou desistindo do controle da região em 1948.
    De forma generalista, é isto aí, temos pessoas se movendo pacificamente para a região, convivendo em paz por certo tempo, até que líderes religiosos muçulmanos começaram a se incomodar com a situação e a atacar, de maneira aparentemente gratuita, uma população até então pacífica. Os árabes perderam os conflitos que iniciaram para conquistar territórios, e tiveram resultados opostos ao que esperavam. Excessos provavelmente ocorreram em ambos os lados, mas a re-colonização da palestina por Judeus se deu de maneira pacífica, pelo menos no princípio, até a criação do estado de Israel, e o estatismo e os governantes ( árabes e judeus ) começarem a estragar tudo. É preciso separar a região geográfica denominada Palestina do “povo Palestino”, uma vez que este ultimo um termo inventado. Na verdade os ditos “palestinos” são todos Árabes.
    No final de 1920, o “povo palestino” foi formado artificialmente entre a população árabe da “Grande Síria”. A “Grande Síria” incluía a atual Síria, o Líbano, Israel, a Autoridade Palestina e a Jordânia. Isto é, o povo palestino foi inventado 92 anos atrás. Além disso, como observou Gingrich(Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara – EUA), o termo “povo palestino” somente se tornou amplamente aceito depois de 1977. Como registrou Daniel Pipes, em 1989, num artigo sobre o assunto no Middle East Quarterly (Periódico Trimestral do Oriente Médio), os árabes locais, no que se tornou Israel, optaram por uma identidade local nacionalista “palestina”, em parte devido a seu sentimento de que seus irmãos na Síria não estavam suficientemente comprometidos com a erradicação do sionismo.

    Os judeus estavam lá, sempre estiveram lá. Os críticos de Israel dizem que no século retrasado, “apenas” 10% da população da “palestina” era de judeus. A população judaica em Jerusalém, no século XIX era maior que a muçulmana e maior que a cristã. Filmes e fotos dessa época podem ser enganosos, porque judeus do império Otomano se vestiam como otomanos. Hebrom (que hoje faz parte do território da AP) era uma cidade basicamente judaica, assim como várias outras localidades. Alguém dirá que houve uma maciça imigração de judeus para a Terra Santa, no final do século XIX e início do século XX. Isso é verdade, mas igualmente verdade é que esses imigrantes COMPRARAM legalmente as terras em que se alojaram de seus donos legais. As terras foram geralmente compradas muito acima do seu valor de mercado (sempre que o comprador era judeu, o preço subia). Por decisão dos compradores, foram adquiridas principalmente terra de
    pântanos ou terras deterioradas, pois os trabalhadores árabes que viviam nessas terras e as cultivavam para os seus donos, eram demitidos pelos seus donos e tinham de se mudar. Então, para evitar deslocamentos de muitas os judeus compravam preferencialmente terras deterioradas, onda haviam poucos trabalhadores. Os geralmente eram ricos e viviam no Cairo ou em Damasco (detalhe que será importante para acontecimentos subsequentes). Ocorre que essas terras degradadas (grande parte das terras da Terra Santa eram degradadas, pode estudar sobre isso em inúmeras fontes) ao serem recuperadas, aumentaram muito o tamanho da economia da região, gerando uma imensa imigração árabe, da atual Jordânia, Síria e Egito para a região.
    Antes de 1948, a maior parte da “Palestina” fora dada pelos britânicos a alguns de seus aliados, os quais o reino da Jordânia, tornando-se sua casa real. O restante continuou sob administração britânica. Em 1948, na parte restante haviam regiões predominantemente habitadas por falantes árabes (que chamavam a si mesmos sírios, e não de palestinos) e outras regiões predominantemente habitadas por judeus. Com a saída dos que iam desmontando o seu império, a ONU resolveu partilhar esse território, que nunca tinha sido estado independente por milhares de anos, em dois estados agora independentes. Note que Jerusalém permaneceria como cidade “internacional” não pertencente a nenhum estado, onde judeus e árabes viviam livremente. Os judeus aceitaram imediatamente. As nações árabes à volta atacaram imediatamente, com o propósito declarado de massacrar a população judaica (não acredite em mim, acredite nos jornais da época, inclusive os árabes). Assim, a chamada Guerra de Independência de Israel nada mais foi que uma guerra de autodefesa dos judeus sob ameaça de morte.
    Porque os árabes fizeram isso? Líderes religiosos, principalmente o nazista Mufti de Jerusálém, incitaram os e líderes árabes. Para os proprietários das terras vendidas aos judeus (que eram ricos e influentes no Cairo e em Damasco) era um negócio da China. Haviam vendido caro suas piores terras aos judeus, esses as recuperaram, e agora, depois que eles fossem mortos ou fugissem, tais terras voltariam aos antigos donos, recuperadas, e muito mais caras. Mas os árabes perderam, e a linha de parada das tropas tornou-se a nova fronteira.
    Cada uma das guerras subsequentes nas quais algum território foi ganho por Israel, foi uma guerra iniciada pelos árabes (lembrando que na lei internacional, bloqueio de canal é ato de guerra). Não houve uma só ocasião em que Israel não tentou evitar a guerra, não houve uma só situação em que não foi provocado com atos de guerra ou invadido.

    Aliás, o PM do Hamas na TV egípcia disse que não existe povo palestino e que metade dos “palestinos” são na verdade egípcios e a outra metade sauditas: https://www.youtube.com/watch?v=_w5xSYmYUlc

    E mais, você já viu uma bandeira palestina antes de 1948? Olha que surpresa: http://nteb.mudflowermedia.netdna-cdn.com/wp-content/uploads/2015/03/flag-of-palestine-israel-before-1948-1939-larousse-french-dictionary.jpg

    Olha aqui a educação:
    https://www.youtube.com/watch?v=KkG-u1QDWXw
    https://www.youtube.com/watch?v=9lqTi0cy-uo
    https://www.youtube.com/watch?v=q2QvPTW4LLQ
    https://www.youtube.com/watch?v=pl5KUN4cju0
    https://www.youtube.com/watch?v=pq97ju1xlAI

    Sobre o “massacre” de palestinos em áreas civis e o motivo disto acontecer:
    https://www.youtube.com/watch?v=ScVT_Iw3BPw
    https://www.youtube.com/watch?v=W17d2PZKH38&t=66s

    Ainda se diz cristão religioso.

  79. Meu caro Matheus,
    Se vc leu o que eu escrevi e os editores do blog poderão ler também, assim como todos os participantes que prestigiam o blog poder terrestre.
    Não estou defendendo ninguém.
    Estou dizendo que não existe solução para o problema Jerusalém, que não passe pelo entendimento entre as duas partes (Palestinos X Israel).
    Ambos terão que ceder.
    Apenas isso!
    Tudo mais é dogma.
    Ah, não mencionei, mas, eu já namorei moças de origem Judaica. Na realidade duas.
    Existe, uma falsa ideia de que todo judeu é rico, ou que namora apenas judeus. Mentira, são pessoas como a gente, com problemas, aspirações, expectativas, sonhos, alegrias, enfim, são seres humano.
    E, sinceridade, uma pessoa que agora é falecida, e que era judeu, eu sinto muita falta. Ele frequentava a sociedade espírita aonde frequento.
    Em suma, Donald Trump, fez besteira!
    Mas, isso não é motivo para uma intifada ou para Israel jogar bombas nas pessoas.
    Acredito que se Israel procurasse o entendimento e conciliação, as coisas seriam bem melhores.
    Ser cristão Matheus, não é tomar partido, mas, ter coragem, de fazer a coisa certa e tomar decisões corretas!
    Religião não é igreja, e sim valores morais, respeito, doação, autoconhecimento, aprendizado, amor, respeito. Vc é um eterno aluno dentro do universo, e as vezes é melhor não tomar partido, mas, aconselhar.
    Dizem que vc vai a Deus por duas maneiras. Pela dor ou pelo amor. A escolha é sua! Ela é individual, mas, a lei de causa e efeito ai está, e todos estamos inseridos nela.

    Somos Matheus, eternos viajantes!

    Pense nesta frase meu amigo, ” O espírito dorme na pedra, respira nos vegetais, locomove nos animas e pensa no homem”

    Hoje me chamo Fernando, mas, sou Peregrino.

    Estruturas físicas se vão, o que fica são as experiências e o aprendizado. Não dogmas e ideologias.

  80. Esqueci de acrescentar,
    tenha um excelente dia meu caro Matheus, bem como todos os participantes do blog.
    Sabe, poucos iniciam um comentário com um bom dia, ou boa tarde ou noite.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here