Home Artilharia Programa Estratégico ASTROS 2020 tem nova etapa concluída com o Centro de...

Programa Estratégico ASTROS 2020 tem nova etapa concluída com o Centro de Logística de Mísseis e Foguetes

4513
22

Formosa (GO) – O Forte Santa Bárbara recebeu, no dia 1º de fevereiro, mais uma etapa concluída de sua estrutura, que vai concentrar as organizações militares envolvidas no Programa Estratégico do Exército ASTROS 2020. Foi inaugurado o Centro de Logística de Mísseis e Foguetes, que será responsável pela manutenção, transporte e suprimentos necessários às viaturas do Sistema ASTROS 2020, sistema de apoio de fogo de longo alcance e com elevada precisão.

O Forte Santa Bárbara já concentrava o 6º Grupo de Mísseis e Foguetes e o Centro de Instrução de Artilharia de Mísseis e Foguetes, este último inaugurado em 25 de janeiro. Após a abertura do Centro Logístico, as próximas etapas incluirão receber o 16º Grupo de Mísseis e Foguetes, resultado de uma transformação do 16º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, com sede atual em São Leopoldo (RS); o Quartel-General do Comando de Artilharia do Exército e sua Bateria de Comando, atualmente com sede em Porto Alegre (RS); além de uma Base Administrativa e uma Bateria de Busca de Alvos, com a estrutura ainda em estudo.

O Tenente-Coronel Giovani Silveira, que assumiu o comando do Centro Logístico, ressaltou a complexidade do Sistema ASTROS, cujas viaturas envolvem sistemas de software e hardware no topo da tecnologia mundial. “É uma realização pessoal comandar uma organização militar de logística, por eu ser um oficial de material bélico, e particularmente essa instalação, com um sistema de armas que exige de nós um conhecimento profissional aprofundado e o trabalho com ferramentas gerenciais complexas”, acrescentou.

Durante a solenidade, o Chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, General de Exército Cláudio Coscia Moura, destacou o ASTROS 2020 como um dos Programas Estratégicos com a função de ser indutor do processo de transformação do Exército Brasileiro, iniciado em 2010. Segundo ele, o Forte Santa Bárbara é a maior obra de engenharia do Exército em construção. Em seguida, entregou as chaves das novas instalações ao Comandante Militar do Planalto, General de Divisão Luiz Carlos Pereira Gomes.

Além de diversas autoridades civis e militares, o evento ainda contou com a presença do Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, General de Exército Juarez Aparecido de Paula Cunha; e do Comandante Logístico, General de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira. “É a primeira vez que a gente vê uma Grande Unidade nascer se preocupando com a logística. Agora nós temos esse Centro de Logística que dará o apoio a esse material, que é caríssimo, durante todo seu ciclo de vida”, afirmou o General Theophilo.

“Evento histórico”

O Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Avibrás, Marcos Agmar de Lima Souza, fabricante e fornecedora do Sistema ASTROS para o Exército Brasileiro, adiantou que existe a previsão de equipes da empresa participarem do Centro de Logística. “Estamos lado a lado com o Exército para o dar o suporte que for necessário. O Sistema ASTROS é chamado assim porque é composto por vários componentes, várias viaturas, cada uma delas com sua complexidade e aplicação, então a logística é muito importante. Estamos muito honrados em poder participar desse evento. Eu diria que é um evento histórico”, destacou.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

22 COMMENTS

  1. Olá Colegas. Fui observar a área do forte de Sta Bárbara no google. Fiquei surpreso com o campo de testes, que parece ter uns 50 km de extensão por um 30 km de largura. É enorme, mas pareceu pequeno para os foguetes de maior alcance (lembrei que a Base de Barreira do Inferno e Alcântara são no litoral). Fiquei surpreso com a existência de uma rodovia que corta o forte bem ao meio.

  2. Dodo, o 16o GAC AP (S. Leopoldo-RS) será transformado em 16o GMF, no mesmo padrão do atual 6o GMF, recebendo o sistrema ASTROS versão Mk6 (algumas unidades já entregues).

  3. deveriam ser Trakker e não Stralis, não sei porque o EB usa cavalos rodoviários ao invés de usarem os fora de estrada (cavalos canavieiros/madereiros, todos as montadoras possuem em sua linha caminhões pesados e extra pesados com características “uso misto”, basta nós olharmos para os rodo-trens canavieiros que inundam o Brasil, e trafegam com velocidades bem abaixo da legislação permitida e ninguém toma providências, nem vou me atrever em falar no peso ?!) eles tem suspensão mais ajustada para terrenos irregulares, chassis reforçados, quinta roda mais resistente, angulo de ataque maior (altura da parte frontal do chassis/radiador), filtros de ar e óleo mais robustos e cabine simples, entre outras qualidades para uso misto. Não entendo essa turma de compras das nossas forças !? Estes ainda tem teto baixo, qdo ví a foto de hoje com aquele Stralis descendo da barcaça ……é o fim da picada. (para algum desavisado, que falar que tem que ter conforto e blablabla, as cabines também são muito confortáveis dos de uso misto, pois são as mesmas do rodoviário, com exceção do acabamento interno ser de tecido mais propicio para limpeza, mas como caminhões do EB só trafega em estradas asfaltadas…..!!!)

  4. marrua 113 6 de Fevereiro de 2018 at 12:54

    Só pra se ter ideia, trabalhei em uma cidade onde um empresário comprava destes caminhões que vc citou ,que puxam cana, usados(o cavalo mecânico) e mandava colocar carroceria basculante padrão mineradora e os acessórios obrigatórios e colocava os brutos pra puxar minério aqui em MG. Bacana que em certas épocas ele enfileirava os 9 caminhões na rua atrás da casa dele. Cada bichão viu, do jeito que mencionou. Altos e com os equipamentos todos reforçados e bem acomodados. Deveria ser padrão no EB, um mínimo aceitável se compararmos com exércitos mundo afora ,vide titio Sam e seu Oshkosh M1070 puxador de Abram’s e afins na US ARMY.

  5. Olá TomCat. Eu só comparei as imagens dos caminhões do EB com aqueles da Iveco. Pode ser que você tenha razão e seja o modelo Trakker. Eu não consegui distinguir os dois modelos a partir das fotos do EB. O que acha?

  6. Uma pergunta: Caso o EB venha algum dia a fazer alguma campanha em um deserto, podem ser adotados o uniforme e camuflagem cor de areia igual aos usados pelo US Army?

  7. Sequim 6 de Fevereiro de 2018 at 17:17
    Uma pergunta: Caso o EB venha algum dia a fazer alguma campanha em um deserto, podem ser adotados o uniforme e camuflagem cor de areia igual aos usados pelo US Army?

    Hoje o EB usa um uniforme Especial para bioma de Caaatinga (consulte sobre o 72 BIMTz), no entanto, a caatinga não é um deserto, tendo uma vegetação não muito alta e com muitos espinhos, essa vegetação muda drasticamente sua coloração em cada uma das 2 estações que lá predomina (quando há duas), sendo portanto usado tb o modelo de camuflagem padrão. Certamente para qualquer teatro requer um padrão de camuflagem que torne soldados e equipamentos indistintos ao ambiente que os cercam, daí se seria Igual ao US Army não sei, mas certamente seria diferente da camuflagem padrão, camuflagem essa inclusive que o EB recentemente fortaleceu mais os tons marrons.

  8. caros amigos:Camargoer e Tomcat3.7, os Trakker são bem mais altos (suspenção mais bruta com feixes de molas mais grossos e com para-choque diferenciados que não possuem saias, os Stralis são 100% rodoviários, os Trakker tb não apresentam cabines leito e nem teto alto, sem contar que mesmo que os Stralis sejam 6×4 devem possuir chamado buggie leve (aquele que é para tracionar os bi e rodo trens em rodovias), qdo falamos de 6×4 uso misto os diferenciais é são mais curto (número menor de estrias) e possui redução, o cambio também é ajustado para mais força e menos velocidade, é para trabalho pesado, o que acho que foi equivocada a “licitação” na hora da especificação do produto(importante na hora da licitação, pois qq erro ou engano não pode voltar atrás e tem que engolir o que pediu), mas, se fosse engano estes carros não foram comprados todos de uma só vez ?! deveria ter sido feito os “acertos”, quero não acreditar na falta de conhecimento do “licitador”, espero…….

  9. marrua 113 7 de Fevereiro de 2018 at 7:21

    Pois é, mas que é estranho ver um veículo de fins apenas rodoviário fazendo o serviço é viu, pois o Trakker rodaria no asfalto na boa tbm,porém o Strallis não faz o mesmo que ele fora de estrada e pode sofrer danos críticos se o fizer pois não é destinado a este fim.

  10. Parabéns ao nosso magnífico exército, agora vamos agir da forma correta ,vamos colocar vários deles no Macapá , outros em Roraima em Manaus lá no Acre e outros no mato grosso , rio grande do sul Paraná outros no Maranhão ,Ceará ,Pernambuco, e Bahia e Brasília , isso fará uma espécie de cinturão nacional com o sistema astro 2020, com TDS os mísseis até o av 300, falando em missel de 300 km , essa coisa vai ficar pronta quando ?, Precisamos desenvolver nossas doutrinas de defesa nacional então ficar só comemorando pequenas coisa , precisamos no mínimo de uns 100 astros para espelhar eles pelo nosso território urgente general, faça uma pressão política mais forte no governo .

  11. Todo esse material caro guardado em garagens coberta com telha e um pouco de alumínio no telhado já começa aí a boa logística , foda-se nunca seremos atacados assim pensão esses generais que só fazem reforma em Casino de oficiais,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here