segunda-feira, setembro 27, 2021

Saab RBS 70NG

ESPECIAL Aniversário da AvEx: 1° BAvEx – Batalhão Falcão

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Pioneira das unidades aéreas da Força Terrestre, o 1º BAvEx (1° Batalhão de Aviação do Exército), foi criado em 03 de setembro de 1986 e começou a se organizar em Taubaté/SP, em janeiro de 1988, fazendo assim com que a Aviação do Exército ressurgisse, após um longo tempo de desativação.

Em 21 de abril de 1989, recebeu o primeiro helicóptero da AvEx, o HA-1 Esquilo EB 1001 e iniciou suas operações aéreas.

Em 1990 e 1993, sofreu transformações organizacionais e mudanças de denominação, proporcionando condições para a criação das demais OM da AvEx, passando inicialmente a ser o 1º Batalhão de Helicópteros e no início de 2005 voltou a sua denominação original: 1º Batalhão de Aviação do Exército.

Hoje, dotado de sete aeronaves HA-1 “Fennec” armadas com lançadores de foguetes de setenta milímetros e com metralhadoras axiais de calibre .50 (12, 7 mm), destas sete, duas possuem imageador térmico (FLIR) e cinco estão configuradas para utilizar OVN (óculos de visão noturna) e onze aeronaves HM-1 “Pantera” armadas com metralhadoras laterais, mantém-se em constante adestramento para cumprir missões de combate, apoio ao combate e apoio logístico.

Com os seus meios orgânicos atuais, está em excelentes condições para executar o ataque, o reconhecimento, a segurança, incursão, infiltração e exfiltração aeromóveis.

De forma regular, mensalmente presta apoio aéreo a várias unidades (batalhões e regimentos), em todo o território nacional, destacando frações para executarem todas as operações aeromóveis, particularmente as missões de reconhecimento, transporte de pessoal, evacuação médica, condição dos tiros de artilharia e treinamento de tropa em técnicas aeromóveis.

Além dos exercícios anuais para o adestramento das próprias tripulações e equipes de terra, tem participado de várias manobras de vulto executadas pelo Exército desde 1990.

Além das missões já descritas, o Batalhão FALCÃO prestou e presta apoio a outros órgãos públicos, aos governos estaduais e municipais nos casos de calamidades públicas e quando da visita do Papa Bento XVI ao Brasil, que contou com o apoio de uma aeronave HA-1 Fennec com FLIR, conhecida na AvEx como “Olho da Águia”.

Como integrante das Forças de Ação Rápida (FAR), o 1° BAvEx está em condições de ser empregado, a qualquer momento e em qualquer lugar do país, valendo-se para isso, de suas tripulações e equipes de terra altamente capacitadas e constantemente adestradas para o exercício de sua funções.

Este é o 1º Batalhão de Aviação do Exército, ágil e profissional, sempre pronto a cumprir suas missões, em defesa da Pátria e da Nação brasileira.

O lema do Batalhão FALCÃO: “Reconhece! Ataca!

FOTOS: Guilherme Wiltgen/ForTe

- Advertisement -

32 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Challenger
Challenger
12 anos atrás

Exército Brasileiro parou no tempo. É a Força que mais reluta em aceitar mudanças, visto que ate hoje usamos os pesados FAL. O EB sofre do mal das outras Forças, falta de recursos, possui nichos de excelencia aqui e ali, mas de resto opera com deficiencia de material, até hoje o EB não procurou equipar-se com misseis Ar-Solo e Anti-Tanque, possui apenas 4 UH-60L. Os novos Super Cougar são bem vindos mas AvEx necessita de Hélis pesados como CH-47 Chinook, EH-101 Merlin com maior alcance. Helis de ataque puro são caros então acho que é sonhar de mais, mas gosto… Read more »

RodrigoBR
RodrigoBR
12 anos atrás

KA-50 não. KA-52 Alligator! 😉

fullcrum
fullcrum
12 anos atrás

Mi-28 tb!!!

RodrigoBR
RodrigoBR
12 anos atrás

Sinceramente? Acho que os Panther não deviam ter sido escolhidos na época que compraram. Ao Esquilo falta um armamento condizente para o século XXI. Essa história de apenas metralhadoras .50 ou foguetes 70mm já estão ultrapassados a muitas décadas! Não possuem capacidade de vôo noturno(só algumas?),etc. Não possuem nnehum tipo de radar!!! Não possuem mísseis!!! Não são helis de combate, são aeronaves civis “travestidas” de helis de combate! Os PANTHERs tem um ruído característico e muito alto. Possuem espaço para apenas 8 combatentes equipados e são desarmados(atualmente alguns receberam um metralhadora lateral improvisada, se não me engano, a velha MAG).… Read more »

Tiago Jeronimo
Tiago Jeronimo
12 anos atrás

Uns AH-1Z Cobra cairiam bem pra o 1º BAvEx

Ou pelo menos um Mi-35 Hind.

Parabéns ao BAvEx!

Marcus Piffer
12 anos atrás

Quanto ao radar dos T129, os protótipos começam a voar no ano que vem; não devem entrar em serviço nos próximos 3 anos. Eu não sou engenheiro, mas acredito que montar um radar num mastro não é algo muito simples. É interessante notar que, apesar da Turquia ter a intenção de instalar esse radar nos seus helis, o site do T129 na AW não fala nada dele. Eu acredito que o custo benefício de um radar tem que ser muito bem avaliado. Mísseis guiados por laser ou rádio tem alcances bem superiores a qualquer armamento terrestre, os optrônicas também permitem… Read more »

trackback
12 anos atrás

[…] no blog das Forças Terrestres (ForTe) matéria especial sobre o aniversário do 1º BAvEx (1° Batalhão de Aviação do […]

Jaique Sparro
Jaique Sparro
12 anos atrás

Realmente a AVEX merece coisa melhor do que os Panther,pouca autonomia,pouco número de combatentes e não muito bem desarmado,não pode ser a espinha dorsal da AVEX.
Séria interessante que o Brasil fizesse como a Colómbia que através do FMS consegue um bom número de Hawks.
Devendo tb ser aventada a escolha de um heli só pra ataque e já haver entendimentos pra aeronaves d asa fixa.

Xr
Xr
12 anos atrás

Peço que me desculpem pelo off topic, mas creio que seja do interesse de todos os participantes deste blog.
No site da Imbel, clicar no ícone lateral INFORMATIVO, clicar na PÁGINA 3, abrir a PALESTRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA; ali estão algumas imagens do que poderá vir a ser o novo MD-97.

Mais uma vez peço desculpas.
abçs

URUTAU
URUTAU
12 anos atrás

Senhores

me perdoem mas depois disto creio que acaba nossas ilusões de FFAA
decentes fortes poderosas é extremamente lamentavel olhem isto

http://defesabrasil.com/site/noticias/defesa/jobim-vai-a-guerra.php

SDS Senhores

URUTAU
URUTAU
12 anos atrás

Senhores

ainda em tempo secretaria de compras da defesa ?
advinhem muito dinheiro muitas pessoas ricas da noite para o dia infelizmente devo dizer

SDS Senhores

klm
klm
12 anos atrás

so de ver os esquilos na marinha ja me da tristeza imagina no Exercito helicoptero mais apropriado pra canal de tv do que pra uso militar
nao sei como ese heli iria encara uma guerra

RodrigoBR
RodrigoBR
12 anos atrás

Valeu Xr!

Olhem esse aqui também:
http://www.imbel.gov.br/site/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=278&Itemid=286

Nele fala que os fuzis que aparecem nos slides passados pelo Xr estarão prontos em 2010!

Uma notícia ruim sobre a escolha de novos fuzis vcs verao nesse endereço que passei.

J Curitiba
J Curitiba
12 anos atrás

Concordo com o Rodrigo BR, precisamos de helicopteros de ataque. Permitam-me ilustrar uma situação que vivenciei: Semana passada eu estava em Taubaté SP. No shopping da cidade tinha uma exposição sobre o Bavex, ou Cavex como eles chamam popularmente na referida cidade o batalhão. Além de uniformes, simulador de vôo e equipamentos, tinha um Fennec no estacionamento do shopping e vários pilotos conversando com os visitantes. Sinceramente foi meio chato, dava para ver o constragimento deles quando se perguntava algo mais técnico referente ao armamento e desempenho dos equipamentos da aviação do exercito. Todos os pilotos presentes citaram a urgência… Read more »

Hornet
Hornet
12 anos atrás

desculpem o off-topic, mas pode ser de interesse do blog:

“Congresso da Colômbia aprova referendo que pode permitir 3º mandato de Uribe”

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1289252-5602,00-CONGRESSO+DA+COLOMBIA+APROVA+REFERENDO+QUE+PODE+PERMITIR+MANDATO+DE+URIBE.html

O Chaves fazendo escola!!!

abraços a todos

SÉRGIOCIN
SÉRGIOCIN
12 anos atrás

Pessoal, calma, estamos fazendo doutrina. Temos q ter condições de usar algo “mais pesado”. Manutenção técnica, logística, manuais, doutrina/ conhecimento, e como não estamos em conflito os investimentos realizados devem ser diluidos pela vida util do equipamento – 20/30 anos. As nossas necessidades são marcadas com parcimônia. Estamos começando a fechar as nossas fronteiras – vide reflexos nos confrontos urbanos, onde o tráfico/ roubos alterando os seus modos operandi – e na doutrina p/ o Exercito a arma aérea ainda é Cavalaria, essa parte eletrônica – estado d’arte – vem com a troca, com convivência, com necessidade, q como foi… Read more »

Marcus Piffer
12 anos atrás

>> foguetes 70mm já estão ultrapassados Qual o armamento aéreo mais empregado pelos EUA no Afeganistão e no Iraque? Os Hydra 70 mm. Qual o mais empregado pelos russos no Afeganistão, na Chechênia e na Geórgia? Os S-8 80 mm. >> Não possuem nnehum tipo de radar!!! Não são helis de combate, são aeronaves civis “travestidas” de helis de combate! Qual helicóptero possui radar, exceto o Mi-28N? O Apache Longbow teve seus radares retirados em combate para econmizar no peso. Qual aeronave que cumpre o maior número de missões no Iraque? O OH-58D, um Bell 206 adaptado. >> atualmente alguns… Read more »

Marcus Piffer
12 anos atrás

>> e na doutrina p/ o Exercito a arma aérea ainda é Cavalaria,

A Aviação do Exército nunca foi Cavalaria.

Guilherme Wiltgen
Guilherme Wiltgen
12 anos atrás

Piffer,

Obrigado pelas respostas.
Abraços,

J Curitiba
J Curitiba
12 anos atrás

Marcus Piffer

Desculpe, mas prefiro a opinião dos pilotos do Bavex.

Marcus Piffer
12 anos atrás

Ok.

Lucas Maia
Lucas Maia
12 anos atrás

J Curitiba, Marcus Piffer é Capitão Aviador do Exército.

vootatico.com.br

RodrigoBR
RodrigoBR
12 anos atrás

##”Qual o armamento aéreo mais empregado pelos EUA no Afeganistão e no Iraque? Os Hydra 70 mm. Qual o mais empregado pelos russos no Afeganistão, na Chechênia e na Geórgia? Os S-8 80 mm.” Eu não disse que os foguetes 70mm não servem mais! Eu disse que Helis de combate que possuam APENAS .50 e lançadores de foguetes 70mm não são mais admissíveis(se der uma olhada, verá a palavra “apenas” no meu comentário). Porque não são mais admissíveis? Porque para mim o Brasil não pode ficar tão defasado no tempo em relação ao mundo. Deve possuir uma aviação do exército… Read more »

RodrigoBR
RodrigoBR
12 anos atrás

Piffer,

Sobre o radar israelense dos T-129 (A-129 turcos), não seria inteligente aproveitarmos a oportunidade da compra pela FAB e da possível compra pelo EB do Mi-35M para dotá-lo desse radar também?

Já que a aviônica do Mi-35 BR será israelense não deveríamos aproveitar esta oportunidade?

Marcus Piffer
12 anos atrás

>> Não precisamos de REVO. Será? Será que a doutrina atual não está baseada na capacidade dos helis atuais em uso, principalmente da época em que foram adquiridos(+ou-) 20 anos?

Então eu reformulo: qual exército do mundo que tem helicópteros com REVO? A única unidade que faz isso é o 160 SOAR. Todos os outros são aeronaves da força aérea.

Challenger
Challenger
12 anos atrás

piffer

Os OH-58 Kiowa possuem equipamentos no estado da arte, NVG, designadores laser, Misseis TOW e Hellfire, os Gazelle da ALAT também.

Duvido muito que os Aliados teriam vencido o Iraque em 90/91 apenas com foguetes 70mm e metralhadoras .50, os misseis Anti-tanque foram imprescindiveis naquela Guerra.

A maioria do helis aliados possuiam NVG isso lá em 90.

Os novos Helis CSAR Franceses também possuem capacidade REVO.

Marcus Piffer
12 anos atrás

>> Duvido muito que os Aliados teriam vencido o Iraque em 90/91 apenas com foguetes 70mm e metralhadoras .50, os misseis Anti-tanque foram imprescindiveis naquela Guerra.

Foram com certeza. Mísseis SÃO ESSENCIAIS. Mas o tempo dos foguetes não passou.

O OH-58D é uma aeronave no estado da arte. Mas os Gazelles franceses não são. Com exceção do sistema Vivianne-HOT, eles são bem simples.

Hoje todos mundo voa com NVG em helicópteros. Na Guerra do Golfo eram apenas os americanos. Os franceses tinham alguma experiência, mas combatiam apenas durante o dia.

Os EC 725 CSAR franceses são da Força Aérea.

Marcus Piffer
12 anos atrás

Apenas complementando, tanto o Gazelle como o OH-58 (Bell 206) são plataformas bem menores e menos capazes que o Fennec.

O problema não é o Fennec e sim os sistemas embarcados que nós não dispomos.

SÉRGIOCIN
SÉRGIOCIN
12 anos atrás

Marcus não é para polemizar, mas a Vsa. geração é mais empreendedora, mais ligada nas necessidades, mas ainda o tratamento vindo de cima é da época da Cavalaria. V. sabe q. estão procurando um local p/ realizar manutenções nos FLIR, foram até a França, e a coisa está sendo feita em Anapólis, consulte o pessoal do CTEx. O q estamos passando é o choque onde alguns Of andam de laptop a tiracolo e outros não suportam chegar perto de um teclado. A velocidade das necessidades são a jato (ou à turbina) e o comando… Mas antes de tudo parabéns por… Read more »

J Curitiba
J Curitiba
12 anos atrás

#
Lucas Maia em 02 set, 2009 às 19:27

“J Curitiba, Marcus Piffer é Capitão Aviador do Exército.”

Nossa que gafe, hahahaha!!!

J Curitiba
J Curitiba
12 anos atrás

Marcus Piffer,

Vc serve em Taubaté? Só falta me dizer que mora num prédio próximo a uma pequena praça, quase uma rotatória que tem uma grande árvore frutífera no centro da praça.

Valeria
Valeria
5 anos atrás

Quem foram os engenheiros responsavris pela obra do primeiro Bavex??

Últimas Notícias

Paraquedistas russos começam exercícios em grande escala na Crimeia

SIMFEROPOL, 27 de setembro. /TASS/. Os exercícios em grande escala de um assalto aéreo com um regimento de artilharia...
- Advertisement -
- Advertisement -