segunda-feira, setembro 27, 2021

Saab RBS 70NG

ESPECIAL Aniversário da AvEx: 2° BAvEx – Batalhão Guerreiro

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O 2° BAvEx (Batalhão Guerreiro) , foi recriado em 17 de agosto de 1993 e recebeu a denominação histórica ” Batalhão Casimiro Montenegro Filho”.

Esta homenagem evoca os fatos notáveis nacionais, ligados com a história do 2° Regimento de Aviação do Exército, ao Marechal Casimiro Montenegro Filho, no intuito de manter viva no Exército do presente, as tradições do seu passado.

Os fatos marcantes na vida do Marechal vão, desde a sua formação na 1ª Turma de Aviação do Exército, na Escola Militar do Realengo (atual AMAN), passando pela criação e voo inaugural do Correio Aéreo Militar (atual CAN), seu primeiro Comando do Núcleo do 2° Regimento de Aviação Militar, de 1933 a 1936, sua formação na 1ª Turma de Engenharia Aeronáutica , criação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do Centro Técnico Aeroespacial (atual DCTA) até se tornar patrono da Engenharia Aeronáutica.

A criação do 2° Esquadrão de Aviação do Exército, foi fruto do desmembramento do 1° Batalhão de Helicópteros e teve origem na 1ª Companhia de Helicópteros de Manobra e na Companhia de Comando e Serviço do então 1° Batalhão de Helicópteros.

O 2° BAvEx iniciou suas atividades em 10 de fevereiro de 1994 e comemora o seu aniversário em 14 de março, data esta em que cumpriu a sua 1ª Missão Aérea, prestando apoio a 26ª Brigada de Infantaria Para-quedista.

A partir de 1° de janeiro de 2005, mudou a sua designação de 2° Esquadrão para 2° Batalhão de Aviação do Exército e também é conhecido como Batalhão Guerreiro.

Possui em sua dotação sete aeronaves HM-1 Pantera, seis HA-1 Fennec e 04 HM-3 Cougar.

Dos seis HA-1, três aeronaves já se encontram configuradas para utilizar OVN (óculos de visão noturna) e uma quarta já está em processo de configuração. Os quatro HM-3 Cougar estão configurados para utilização de OVN.

O 2° BAvEx possui as seguintes subunidades:

01 Esquadrilha de Comando e Apoio,

01 Esquadrilha de Helicópteros de Reconhecimento e Ataque (EHRA);

02 Esquadrilhas de Helicópteros de Emprego Geral (EHEG) e

01 Esquadrilha de Manutenção e Suprimentos (EMS)

No emprego em combate, a AvEx realiza o voo tático, realizado à baixa altura, que vem a imprimir à Força Terrestre, grande mobilidade, versatilidade e poder de combate. Para isso, o 2° BAvEx precisa estar sempre preparado e conta com um efetivo com grande capacidade profissional e em constante adestramento.

O Batalhão Guerreio desenvolve grande atividade junto as unidades do EB em todo o território nacional e também à comunidade civil, cumprindo missões de apoio em situação de calamidade pública, com a ocorrida em Santa Catarina, onde a primeira aeronave da AvEx a chegar foi o HM-1 Pantera EB-2014 (Guerreiro 14).

FOTOS: Guilherme Wiltgen/ForTe

- Advertisement -

8 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RJ
RJ
12 anos atrás

Acho os Pantera aeronaves muito bonitas. Gostaria de saber o que está previsto de melhorias e modernizações para esses meios.

J Curitiba
J Curitiba
12 anos atrás

Permitam-me ilustrar uma situação que vivenciei: Semana passada eu estava em Taubaté SP. No shopping da cidade tinha uma exposição sobre o Bavex, ou Cavex como eles chamam popularmente na referida cidade o batalhão. Além de uniformes, simulador de vôo e equipamentos, tinha um Fennec no estacionamento do shopping e vários pilotos conversando com os visitantes. Sinceramente foi meio chato, dava para ver o constragimento deles quando se perguntava algo mais técnico referente ao armamento e desempenho dos equipamentos da aviação do exercito. Todos os pilotos presentes citaram a urgência de se adquirir um helicoptero puro de ataque Todos os… Read more »

Challenger
Challenger
12 anos atrás

O Apache Long Bow, ou o A-129 Mangusta seriam uma boa mas acho que teremos que nos contentar talvez com alguns MI-35.

O EB necessita ainda de misseis Ar-Solo e Anti-Tanque.
Helicópteros pesados como o Chinook, EH-101 Merlim também são necessarios para apoiar tropas a longo alcance, alem de um substituto para os Pantera, opção natural é o UH-60 Blackhawk.

fernando
fernando
12 anos atrás

estava lendo helicopteros de ataque, meu deus o que vao atacar com esses helicopteros…vao usar metralhadoras? onde estao os misseis, os misseis antitanque, enfim nao temos nada, vamos servir de alvos para os misseis portateis e armas leves…

Guilherme Wiltgen
12 anos atrás

J Curitiba,

“sobre o Bavex, ou Cavex como eles chamam popularmente na referida cidade o batalhão.”

Só para conhecimento, BAvEx é Batalhão de Aviação do Exército e são quatro, 1°, 2° e 3° (em fase de mudança para Campo Grande) sediados em Taubaté e o 4° em Manaus, juntamente com o Btl. de Manut. e Sup., CIAvEx e BAvT, todas estas OM’s formam o CAvEx, que é o Comando de Aviação do Exército.

A aeronave em questão era o HA-1 Fennec EB-1024 do 2°BAvEx.

Abraços,

Repsol
Repsol
12 anos atrás

So mais os mi-28 russo, metade do preço de um apache.

fuzileiro
fuzileiro
12 anos atrás

Deve também fazer a metade do serviço do apache.

Fambre
12 anos atrás

Parabéns ao caro amigo Guilherme e equipe do Forte. As informações foram bem claras e detalhadas, o que facilita o entendimento do leitor. Agradecido por divulgar informações preciosas de Batalhão Guerreiro.
Fambre

Últimas Notícias

Paraquedistas russos começam exercícios em grande escala na Crimeia

SIMFEROPOL, 27 de setembro. /TASS/. Os exercícios em grande escala de um assalto aéreo com um regimento de artilharia...
- Advertisement -
- Advertisement -