Home Ciência Sem cientistas de ponta, Brasil fica fora de cadeias globais

Sem cientistas de ponta, Brasil fica fora de cadeias globais

2848
113
Última geração. O acelerador de partículas Sirius, em Campinas, do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron – Divulgação

Formamos 2,8 engenheiros por ano para cada dez mil brasileiros, menos que no México

Por Cássia Almeida – O Globo

RIO – Ciência não é prioridade no Brasil. Reflexo disso é a baixa formação de cientistas, principalmente de ponta. Formamos poucos em Matemática, Engenharia, Física e Química. Temos 2,8 engenheiros formados por ano para cada dez mil brasileiros, menos que no México, que tem oito profissionais para o mesmo número de habitantes. Só 6% dos formados no Brasil são engenheiros.

Especialistas alertam que isso inibe a inovação quando o mundo desenvolvido investe em inteligência artificial, e a indústria vive a revolução 4.0. Segundo Marcia Cristina Barbosa, professora do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências, o maior gargalo é na pesquisa fina, como em microeletrônica:

— O doutorado na UFRGS formou 44 pessoas desde 2011.

O Brasil investiu 1,28% do Produto Interno Bruto (PIB) em pesquisa e desenvolvimento em 2015, cerca de R$ 76 bilhões. A comunidade científica almeja 2% do PIB, percentual de países desenvolvidos. Nos EUA, são destinados 2,5%; na China, também. Israel investe 4% do PIB. Economistas alegam que a baixa formação reflete a pouca demanda por profissionais especializados. Como o Brasil é um dos mais fechados do mundo — entre mais de 160 países, estamos na penúltima posição em abertura comercial, melhor apenas que o Sudão —, expõe-se pouco as empresas à competição.

— Se a empresa tem mercado cativo e não precisa inovar, para que fazer? Inovação custa caro e é arriscada — afirma o economista Maurício Canêdo, da Fundação Getulio Vargas.

Falta de incentivo, cultura dominante de que pesquisa é papel do Estado e burocracia para firmar parcerias entre universidades e setor privado impedem a especialização de ganhar espaço, dizem especialistas. Formamos, por exemplo, apenas 180 doutores em Matemática por ano:

— Formamos pouco para as necessidades do Brasil. Os EUA formam dez vezes mais; a França, três vezes mais; e o Brasil não é um país tão menor. Temos um volume pequeno de investimento, comparado ao potencial do país. A pesquisa fundamental é missão do Estado e sempre será. Mas, na fase mais avançada, quando a ideia começa a ser implementada como procedimento, um algoritmo, é interesse das empresas investir para poderem dirigir esses processos. O setor produtivo está habituado com a ideia de que o Estado vai prover tudo, o que é um erro — afirma Marcelo Viana, diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

SELEÇÃO INCLUI ESTRANGEIROS

Ele também vê pouco investimento empresarial em formação. Clara Macedo Lage é doutoranda de Matemática, vinculada ao Impa. Estuda na Sorbonne, em Paris, com bolsa de uma empresa de energia, que pode deduzir dos impostos os recursos aplicados na formação. Uma espécie de Lei Rouanet da ciência:
— Essa empresa trabalha com dados que mudam em função de aspectos climáticos, como vento e chuva. Há algum padrão, mas varia muito, o que causa certa instabilidade nos cálculos. Tento entender como funciona o padrão para melhorar a estabilidade dos cálculos — explica Clara, que acha importante esse intercâmbio internacional para aumentar o contato com equipes de pesquisa de fora do Brasil. — Tenho visto colegas vindo para o exterior, após os cortes nos orçamentos de pesquisa.

Em Engenharia, outro gargalo. São formados 50 mil profissionais por ano.

— Formamos poucos engenheiros, físicos, matemáticos, em comparação com a maioria dos países, em qualquer tipo de indicador — diz Fernanda de Negri, do Ipea e pesquisadora visitante no MIT e em Harvard.
Para ela, a falta de doutores se desenha na educação básica, quando não há incentivo para matemática e ciências:
— No entanto, se houver mais engenheiros, vamos cair em um segundo problema: não há lugar para eles no Brasil. As empresas não contratam, o mercado fica restrito às universidades.

Leandro Barbosa é doutor em Zoologia, especializado no estudo de insetos. Tem pós-doutorado, mas não está em qualquer projeto de pesquisa. Dá aulas para o oitavo ano no Ciep Operário Vicente Mariano, no Complexo da Maré. Chegou a fazer artesanato em papel machê (a família é de artesãos) para complementar a renda na época do doutorado:

— No setor privado, há emprego em consultorias, o que não é vantajoso. Mas acho importante que professores do ensino básico tenham doutorado. Aumenta a produtividade e seria um grande avanço para a sociedade.
Fernanda atribui o baixo investimento das empresas à pouca competição externa, às barreiras alfandegárias, à regulação ruim e aos juros altos:

— A indústria está diminuindo há anos com a economia fechada. Tem que estabelecer um cronograma para reduzir as tarifas, com mudanças tributárias que aumentem a competitividade.
O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (Cnpem) reúne laboratórios de ponta em Campinas: o Nacional de Luz Síncroton (onde está o acelerador de partículas Sirius), o de biociências, o de bioetanol e o de nanotecnologia. O diretor do Síncroton, José Roque, conta que as seleções incluem muitos pesquisadores de outros países:

— Nossa seleção é internacional. Dos 35 pesquisadores, 11 são estrangeiros no laboratório.

Já o centro tem 98 doutores, 18 estrangeiros. Para o cientista, falta pesquisa privada em semicondutores e microeletrônica:
— Só montamos os celulares, não estamos desenvolvendo os chips eletrônicos. Por isso, há dificuldade de encontrar pessoal especializado. Optamos por contratar recém-doutores ou estagiários e treinar internamente.

O professor Ildeu Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, diz que há 700 doutores para cada milhão no Brasil, um décimo do registrado em países nórdicos:
— Mesmo com o avanço de 250% entre 2002 e 2016, o número é baixo. São 140 mil. Na Coreia do Sul, são 5 mil por milhão. Forma-se mais em Direito, Comunicação, Ciências Sociais e Letras aqui do que em Engenharia.

Para o professor Sérgio Queiroz, do Instituto de Geociência da Unicamp, a estrutura industrial brasileira é pouco intensiva em tecnologia:
— Quem gasta em pesquisa são os setores farmacêutico e eletrônico, ramos com participação pequena e que não estão no estágio de investir pesadamente em pesquisa.

Entre bolsistas de produtividade do CNPq, há 1.854 engenheiros.

— Não dá para desenvolver o país com esse número de pesquisadores — diz Adriana Tonini, diretora do CNPq.

Renato Pedrosa, do Laboratório de Estudos em Educação Superior da Unicamp, diz que não vale à pena para as empresas investir em inovação:
— O Brasil está fora de toda manufatura de quarta geração. Num ambiente adverso de negócio e protecionismo, é melhor ter um bom departamento tributário, obtendo vantagens fiscais.

Gianna Sagazio, diretora de Inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), afirma que as empresas não conseguem inovar sozinhas.
— Inovação tem que ser prioridade no país, trabalhando em várias frentes, educação, ambiente de negócios. Não é que somos um país fechado, mas, se não tivermos inovação, vamos vender para quem?

FONTE: O Globo

113 COMMENTS

  1. Para que engenheiros se nós temos isso:
    – Unicamp abre inscrições do ‘curso do golpe’ para discutir impeachment de Dilma.
    – Unesp também vai criar curso sobre o golpe 2016.
    (05/03/2018 – HOJE).
    ……………………….
    “””Não é que somos um país fechado, mas, se não tivermos inovação, vamos vender para quem?””””
    Legal, por causa dessa mentalidade um carro de qualidade custa no Japão e EUA alguns meses de trabalho, assim como diversos outros bens que necessitamos para viver: geladeira, TV, celular etc… Já aqui precisamos trabalhar ANOS!
    Não somos competitivos, logo vendemos no mercado interno porcaria tabelado com o dólar exterior.
    …………………….
    Agora falando sério, diversas vezes a matéria cita que há poucos engenheiros sendo formados…”Formamos poucos engenheiros, físicos, matemáticos, em comparação com a maioria dos países”.
    Muitos aqui tem curso superior e sabem que essas áreas repelem os estudantes, muito estudantes não querem essas áreas pois sabem que é difícil trabalho após formados. São áreas de conhecimento muito ultrapassadas no Brasil, eu mesmo tenho uns 10 amigos que faziam engenharia em universidades públicas e que durante o curso desistiram, pois se sentiam deslocados nos cursos…aulas com metodologia da idade da pedra, pouca aplicação prática e desestimulos durante o curso.
    Tem pessoas que falam com orgulho: dos 40 alunos do primeiro semestre, apenas 4se formaram…viu como o curso é difícil?? hahaah
    Pensamento da idade da pedra, torraram dinheiro público para formar 4 pessoas, estrutura caríssima. Sem dúvidas os alunos sairam no decorrer do curso por diversos motivos, não apenas “difícil”. O próprio Estado sabe que entra 40 e sai 4 formados, deveria rever toda a grade estudantil, analisar os motivos das desistências, mudar a forma que a coisa está acontecendo.
    Outra coisa, são cursos normalmente caros…eu conheço alguns amigos engenheiros que vieram de familias ricas e NUNCA exerceram a profissão, ocuparam vagas em universidades públicas mas nunca exerceram a profissão.
    O mesmo ocorre com medicina que é um curso caro…
    O Brasil é uma palhaçado, precisamos de matemáticos, engenheiros, fisicos, quimicos e médicos…áreas de grande aplicação prática e que produz grande externalidade positiva na sociedade. Enquanto isso as Universidades Federais não para de formar administradore, advogados etc…
    Precisamos de médicos e chamamos os 10mil cubanos com salário imenso, enquanto os brasileiros estão sem empregos.
    Precisamos de engenheiro (exatas em geral) e buscamos no exterior.
    Tem algo muito errado acontecendo com as universidades, os jovens se formam e não conseguem empregos em suas respectivas áreas…muita coisa precisa ser revisada…muita gente saindo insatisfeitas das Universidades (tanto públicas quanto privadas).

  2. Eu sou engenheiro formado há poucos anos e isso tudo é verdade. Não consegui emprego na área e tive que me virar em outra. A indústria daqui é protegida, não tem competição, não investe em pesquisa, logo, não precisa de engenheiros. As nossas fábricas só “apertam parafuso”. Imagino que o dinheiro da pesquisa tem que ser reservado para pagar contador e advogado trabalhista… A alternativa é concurso, que paga muito mais que a iniciativa privada justamente para manter o sistema inchado. Nós vivemos num país socialista, fechado na sua bolha. Estamos isolados do mundo por um oceano e até dos nossos vizinhos por centenas de km de matas. Se vc pensar que ainda somos o único país que fala português na América do Sul, nós somos praticamente o país mais isolado do mundo. Vc percebe isso quando viaja para a Europa ou Ásia, quantos turistas nas ruas, são multidões de turistas de todos os lugares, nem no RJ vc vê uma fração disso. Nós ficamos para trás em tudo. Único troféu é ser o país mais assassino e burro do mundo.

    • Cara o que vc falou é a mais pura verdade. Demorei seis anos para me formar em química tecnológica nas modalidades bacharelado e licenciatura e a única conclusão que cheguei foi a de que o curso deixou muito a desejar. Muitos professores que tive foram péssimos e cheguei a escutar de um deles que “que só lecionava porque era obrigado”, já que seu o único objetivo era trabalhar com pesquisa. Hoje em dia a faculdade na qual estudei encontra-se em situação ainda mais crítica, já que há muito tempo não abre mais concurso e eles estão suprindo essa falta com contratados, substitutos ou mesmo alunos de mestrado, ou seja, um caos. A educação de um modo geral precisa ser revista.

  3. Pedimos mais uma vez aos leitores que observem as regras de conduta ao comentar. As regras estão na coluna direita do blog. Obrigado!

  4. Ivan BC, excelente post, mas vou me atrever a corrigir um ponto e a ampliar outro.
    Universidades não formam advogados, formam bacharéis em direito, para advogar deve ser aprovado na prova da OAB, a popularidade do curso se deve a demanda por bacharéis para cargos específicos e extremamente bem remunerados, essa demanda foi criada pela CF/88 que deu tamanha importância para o poder judiciário que antes da decada de 90 ninguém conhecia os ministros do STF. Agora uma coisa é quantidade outra é qualidade, poucos passam no exame de proficiência, ai é que começam a peneirar. Juiz, promotor, procurador, defensor, delegado, oficial da PM, todos devem ser bacharéis em direito.
    Isso é um ponto, agora o outro.
    Não adianta aumentar essa razão de 2,8 se manter a qualidade que está, os engenheiros recém formados saem com teoria fraca e obviamente nenhuma pratica, faltam laboratórios, muitos se formam engenheiros apenas pelo status e simplesmente passam a carreira inteira sem “engenhar” nada, a forma de ensino é um lixo, na pg 95 da 4 edição da revista forças de defesa há uma frase do eng. Reginaldo Bacchi que resume a grande maioria dos cursos de engenharia no brasil, la ele diz: -” …alguns professores, que se preocupam mas em chegar e fazer equações fantásticas e soberbas. E acabam deixando os alunos sem ter a menor ideia do que é aquilo”. Por esse motivo que larguei engenharia e adivinha…fui para o direito, nem por isso uso o tratamento de “doutor” (sem doutorado) e sou ferrenho critico do excesso de leis e regulamentações, mas defendo um exame de proficiência similar ao da OAB tanto para engenheiros quanto para médicos. E antes que digam que a qualidade caiu porque popularizou através de FIES e universidades particulares, ja adianto que conheci muitos engenheiros incompetentes formados em federais, inclusive um com mestrado e uma área especifica que o sujeito se mostrou uma negação. E para não alongar em demasia, há alguns anos antes mesmo de entrar no curso de engenharia, eu iniciei uma obra com um tijolo alternativo, o dito tijolo ecológico, isso antes mesmo da moda do ecológico e do gourmet, eis que eu mesmo produzi os tijolos, e eis que não consegui que nenhum engenheiro assinasse o projeto, mesmo me comprometendo a enviar o tijolo para laboratórios para emissão de laudos (existe norma da abnt), nenhum se mostrou com boa vontade e nem mesmo interessados, criaram uma serie de empecilhos mesmo sem fazer ideia do que era o material, resultado, construí mesmo assim, só não consegui o habite-se, mas isso ilustra o despreparo e a falta de vocação de grande parte dos engenheiros de hoje.

    • Os cursos realmente são muito mal aplicados. Nos outros países você faz o curso e depois a especialização. No Brasil o que era para ser 3 anos acaba virando 5 ou mais. Fora que as aulas são em horários impossível para quem trabalha, independente do horário. Parece até intencional, excluir pessoas de renda mais baixa mesmo capazes de passar num vestibular, sobrando somente para pessoas de classe alta e cotistas raciais. Assim as federais se tornam somente áreas para playboys e militantes políticos. Não que seja uma regra geral, mas está perto de ser.
      Por isso muitos acabam fugindo para as particulares, mesmo as “uni-esquina”, inclusive até para pessoas de renda alta que precisam trabalhar e não tem tempo que ficar passeando pelos campus da federais.
      Meu padrinho se formou em medicina e teve que fazer bicos para se sustentar, fazendo trabalho para os outros na faculdade. Hoje é um neurologista formado com especialização no exterior. Nada melhor do seguir uma carreira na qual você já tem um sonho. Mas é privilégio de poucos.
      Já abandonei engenharia por ser impossível, horários de cursos absurdo, sobretudo para quem precisa de estágio, e ainda o fato de ser um mercado pequeno, sem meritocracia, famoso por contratar “o sobrinho do gerente”. Eu achava que isso só era comum no comércio, mas também é comum para cargos de ensino superior.
      Esse país só me faz ter vontade de ir embora.

  5. A pesquisa, engenhariae tecnologia nao tem vez no paiseco das “toridade” tipo “doto” gilmar, dos “devogado” da OAB e do MP de raquel fusquinha e das chefias de puliça. Todo mundo quer um exorbitante auxilio moradia de r $ 5.000,00, fazer porra alguma pela sociedade e mandar a PF prender quem olhar atravessado…pobre brazil.

    • O que uma coisa tem a ver com a outra. O ministro Gilmar, apesar de algumas posturas lamentáveis no STF, é um autor muito famoso de Direito Constitucional, inclusive criador de muitas teorias interessantes. O mesmo se diz de vários advogados e promotores de justiça do MP. Não generalize os operadores do Direito. Há muitos dedicados e comprometidos, e muitos destes são cientistas e produzem conhecimento da área

  6. Estudo engenharia em uma universidade pública e a regra para os alunos é, em geral, estagiarem ou serem contratados por bancos ao longo (ou ao final) do seu curso. A perspectiva de abrir uma empresa de tecnologia ou ser contrato por uma grande multinacional do ramo é extremamente limitada, o que chega a ser triste.

    O curso afugenta grande parte dos estudantes, tendo em vista que muitos colegas meus já desistiram e foram para outras faculdades. Mas não se enganem, isso não significa que os cursos são de baixo nível: muito pelo contrário. Ao menos na minha faculdade, há grande enfoque teórico com muitas aulas em laboratório, mas nem sempre a didática é ótima, o que contrasta com a cobrança acadêmica, essa sim impecável. O resultado se dá na forma de alunos constantemente sob pressão de todas as formas, com perspectiva de futuro razoável (mas nada além disso).

    Na minha universidade, tenho contato frequente com o pessoal da física e da matemática, e para eles a situação é similar. Fazer exatas é um tabu; coisa de gente maluca ou estranha. Enquanto isso não for desmistificado, ou seja, enquanto matemática deixar de ser chamada de “impossível” nos níveis elementares de ensino, e enquanto não houver incentivo real para o estudo das exatas, não adianta espernear: não haverá desenvolvimento significativo no Brasil. A situação da área no Brasil indica como este país é patético nas questões mais importantes para sua sobrevivência.

    • Eu admiro muito os engenheiros, são grandes profissionais e ótimos em matemática. Sou formado em Adm. Pública e na nossa área tem muitos engenheiros, eu não me incomodo,pois são ótimos profissionais!
      Se eu fosse fazer outra faculdade eu faria alguma na área de engenharia ou medicina.

    • O problema de se ensinar matemática é que a matéria não tem um assunto, e isso já dificulta o ensino. Não que não haja uma linha cultural de conhecimento que a justifique, mas a maioria dos professores são de fato mal preparados. Veja, muitos ensinam matemática de forma totalmente mecânica, sem exemplos no cotidiano, nem mesmo citando a importância dela na história e sua utilidade em determinadas carreiras. Vira uma coisa tão maçante que mata qualquer um. No final, só se torna bom em matemática quem já é predisposto ou se interessa por alguma área de exatas e específico, como física, astronomia, por exemplo. No meu caso, só despertei meu interesse pela física devido meu fascínio pela eletrônica. Não foi graças a professor.

      O mesmo para português. Quase não se estuda a literatura nacional e portuguesa, fica somente naquelas aulas chatas sobre regras… oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas… mas não se tem o principal, a estrutura da própria língua, a literatura, para aprender. Vira um processo mecânico também. Ninguém aprende a escrever bem decorando regras, e sim aprendendo a ler, principalmente obras que prestam.

      E pensando bem, todas as aulas são assim. No fim a culpa é do próprio método de ensino, que além de ser um lixo ainda consegue ser piorar, justamente pelas pessoas que mais odeiam o conhecimento, e que se mantém no poder graças a falta dele na maior parte da população.

  7. Enquanto o MEC for controlado por comunistas e socialistas o resultado sera esse lixo educacional e ideologico. Gastam-se Bilhoes de reais num acelerador de particulas e com seus funcionarios enquanto um professor da rede publica de ensino basico e medio é humilhado pelo seus alunos e salarios.
    Algumas universidades publicas usam o dinheiro do povo para ministtrar cursos sobre o “golpe de 2016”, confrontando a propria Lei, sob a qual o governo foi encerrado.

    Decada apos decada a educaçao bete recordes negativos e o controle do MEC continua na mao da seita comunista, nao é incomoetencia, é planejamento.

  8. Mais não era para isso mesmo ? Retornar o Brasil para aquilo que sempre foi, um país agrário ?! Vendendo alimento e importando bens manufaturados, como uma colônia clássica ?! O Brasil, levantou o nariz um pouquinho para fora d`água, almejou ser um player importante na cadeia mundial e tomou na fuça novamente … ” – Não, vocês sulamericanos não podem almejar nada além de suas fronteira, fiquem por ai nesse enorme quintal, plantando e colhendo, por que é isso que vocês merecem…”

  9. Mas a prioridade (e maior preocupação, conversa em tudo que é lugar, horas e horas de discussão, ano inteiro de preocupação, etc) no Bananão não é ser ¨celeiro de jogador de futebol¨?

  10. desculpa a moderação, sei que não gostam de assuntos políticos pq gera debates calorosos e sai do tema

    mas só não vê quem não quer, a culpa desse atraso todo é dessa ESQUERDIZAÇÃO que tomou conta de tudo no Brasil, EMBURRECEM o povo brasileiro com essa educação partidarizada mais preocupada em discutir ideologia de gênero nas salas de aula

    aparelharam tudo no Brasil, meios de comunicação, sindicatos, escolas e universidades públicas, estatais, MP, judiciário, legislativo, igreja católica, e só não ocuparam os quartéis pq ainda tem gente com vergonha na cara lá dentro.

    MALDITA ideologia essa vão destruir o mundo !!

    • Exatamente, Alessandro!
      O maior inimigo do Brasil e do mundo (pelo menos o ocidental!) é o esquerdismo.
      Contra essas pestes fazendo o que bem entendem e impregnados em tudo que é canto não adianta nada ficarmos discutindo ¨ad eternum¨ se o Brasil vai ter F-22, submarinos nucleares, mísseis, etc!

    • Alessandro. O que vc esta falando tem um nome. Marxismo cultural.
      Ele foi criado por Antônio Gramsci. A base do pensamento Grasmciano é a destruição da democracia e da cultura ocidental. Somente assim, segundo ele, o marxismo poderá ascender e dominar o mundo ocidental.
      Além dele vc encontra a escola de Frankfurt, neste caso falarei apenas de Herbert Marcuse, com o mesmo ideal a destruição da civilização ocidental.
      Pra Gramsci esta destruição passa pelas escolas, artistas, jornalistas e na destruição da família e da igreja. Mudando a cultura não precisará fazer uma revolução pra se assumir o controle.
      Não me extenderei muitpo, apenas darei 4 livros pra lerem, caso se interessem.
      Gramsci:
      Maquiavel, a política e o estado moderno
      Os intelectuais e a organização da cultura.
      Herbert Marcuse:
      Eros e a Civilização

      Se quiserem podem ler apenas este ou como apoio.
      Pascal Benardin:
      O Maquiavel pedagógico

      Todos tem disponível pra baixar.

  11. Mas quem acredita na solução brasileira? Entre um doce de banana brasileiro e um doce de banana francesa, pelo mesmo preço, sinceramente, por qual você opta? Eu acredito que o “buraco é mais embaixo”. A solução brasileira não é confiável, acreditada, infelizmente, e isto se reflete em soluções que estes nobres matemáticos brasileiros teriam. Uma lástima.

  12. Caro Pedro
    “Imagino que o dinheiro da pesquisa tem que ser reservado para pagar contador e advogado trabalhista…”
    Resumiu bem. O custo Brasil mata qualquer iniciativa.

  13. Paulo Freire é aquele comunista que rotulava as pessoas em duas categorias (oprimidos e opressores) e que foi nomeado pelo PT em 2012 ¨patrono da educação brasileira¨ além de guru dos ¨professores¨ da ¨pátria-educadora¨ e um dos maiores responsáveis pela crise no ensino hoje no país?
    Olavo de Carvalho tem alguma contribuição nisto também, participou de alguma forma neste desmonte do ensino brasileiro com ideologia de esquerda barata?

    • Discuti seriamente com uma “pedagoga”, sobre ele: “Pai da educacao”, mas sequer era formado na area (sic!)… So Br mesmo!

  14. Sou estudante de universidade federal na área de exatas “tecnologia”. O texto possuem dois pontos importantes. Primeiro, não forma engenheiros e matemáticos em quantidade. Segundo, se formar não tem lugar no mercado para esse povo. Nosso pais está dividido em pequenos feudos políticos cada um com sua prioridade, e acreditem todos riem de nós por nossos discussões de esquerda e direita. Não existe esquerda e nem direita no Brasil, isso é um mito para nos enganar ainda mais.
    O que existe é uma classe politica unida que se protege, e que se perpetua no poder hora com discurso esquerda, hora com discurso de direita. Mas todos são a mesma coisa, PMDB e PT não governaram juntinhos? Como agora falam que são coisas distintas? Não foi o Lula e a Dilma que escolheram o Temer? Como agora ele não faz parte do mesma coisa? O “Povo” não elegeu a chapa “Dilma Temer”? Como agora isso golpe? São a mesma coisa! Todos eles.
    O PT comunista e socialista não se uniu aos empresários para governar o país? Como pode dizer que é de esquerda se está mancomunado com os malvados opressores empresários? Parece piada.
    Esqueçam esse discurso de direita e esquerda, isso não acontece aqui.
    Nosso inimigo não é a politica, mas o sistema politico brasileiro que é campo fértil para corrupção, desmandos, falta de um projeto de estado e nação e outras coisas.
    Como melhorar a educação se não há projeto de nação ao longo prazo para isso? É só mudar o grupo politico no poder que tudo de bom feito na gestão passada é engavetado e se perde tudo.
    Vemos nossos projetos científicos para nossos forças armadas, todos engavetados por décadas, são tirados um ou outro projeto para atender demanda politica de alguém, ou de alguma empreiteira, do contrario o mesmo estaria enterrado para eternidade.
    E nós aqui do blog somos culpados, pois nós pertencemos a uma minoria da população que é esclarecida e não estamos fazer o dever de casa. Artistas vão a tv não para defender o povo, mas vão defender o seu quinhão de leis de incentivo a pseudo cultura.
    O que proponho e a mudança do sistema politico, sem isso é semear em rochas e terra seca. Não teremos resultados. Triste

  15. Estudei em universidade pública e depois passei num concurso público, falo sempre para quem quer ganhar um salário decente que no Brasil só se consegue alguma coisa sendo funcionário público, as empresas privadas pagam mal, invariavelmente demitem depois de mais de 10 anos de trabalho, não investem no empregado e por isso não tem futuro, ou melhor, no futuro todo mundo será funcionário publico. A universidade que estudei, como quase todas no Brasil, é dominada pela esquerda, a prioridade são as matérias “humanas”, não se publica quase nada de exatas, não tem pesquisa de ponta, não tem trabalhos e livros publicados, praticamente é um escolinha de 3º grau, as greves são frequentes e a universidade nunca tem dinheiro, vive mendigando ao governo qualquer pixuleco, em comparação com a universidades dos EUA, que vivem de competição e buscando sempre investimentos privados, as universidades públicas brasileiras vivem de pires na mão, mas com professores ganhando salários nababesbos e tendo diversos empregos em outras instituições ao mesmo tempo, só que não produzem nada científico, a intenção é se dar bem, a única lei que funciona no Brasil é a Lei do Gérson, infelizmente.

    • Lá fora eles dão bolsa para alunos bons de baixa renda. Alunos formados doam anualmente valores para a universidade. Empresas, organizações e institutos financiam pesquisas. Quase toda tecnologia que vemos é feita por estudantes e graduados nas universidades americanas.

      Aqui dão cota racial para idiotas que tiram nota baixa, onde “branco” e “negro” é definido pelo tom da pele, sendo a população majoritariamente mestiça, onde quase todo branco tem sangue negro e quase todo negro tem sangue branco. Jogam uns contra os outros e no fim quase todos os graduados são analfabetos funcionais.

  16. Quando o Brasil era governado por direitistas as faculdades e universidades públicas eram poucas comparado ao tamanho da população, sem falar dos campus também. A esquerda melhorou isso aumentando o número de universidades federais e os cursos oferecidos. O numero de alunos em universidades aumentou muito em comparação ao governo FHC (de direita). Faltou melhorar a qualidade do ensino mas isso deve começar a partir da base escolar primeiro e sabemos que a base é de responsabilidade dos municípios e estados.

    • Aumentar o número de universidades federais não resolve o problema uma vez que a qualidade dos cursos continua muito a desejar. Aliás, aumentar a quantidade sem melhorar a qualidade longe de resolver o problema apenas termina por agravá-lo pois ao invés de colocar no mercado poucos profissionais bem formados o Estado brasileiro termina por jogar muitos profissionais despreparados.

      E nem vou falar do PROUNI, que criou uma bolha nas faculdades e universidade privadas

      • O aumento das universidades não resolve o problema mas democratiza e amplia o acesso as universidades federais que tem bons cursos sim e de alto nível. Mas não vou exagerar afirmando que são todos, mas a maioria das universidades federais forma pessoas capacitadas para o mercado. Existe também a falta de interesse dos formandos em melhorar a capacitação fazendo pós, mestrado e doutorado mesmo o governo federal ampliando do acesso a esse sistema de ensino.

        Mas como eu falei. As coisas vão melhorar quando a base escolar passar por uma ampla reforma para melhorar a qualidade do ensino e isso é um problema a ser resolvido pelos estados e municípios que constitucionalmente são os responsáveis pela educação fundamental e média.

        • Não vai melhorar, só vai piorar. Para começar, você não entende o conceito de democracia.
          O MEC regula toda estrutura de ensino, restando ao município atender, por lei, a exigência do MEC.
          Os livros são feitos pelo MEC, os professores são lobotomizados pelo padrão do MEC. O que você está vendo aí é fruto da sua educação esquerdista, meu caro.
          PT ficou de 2002 até 2016 e não melhorou o salário dos professores. Pelo contrário, aumentou a inflação, o que significa diminuição do salário, implantaram a educação do oprimido do comunista Paulo Freire, que tornou a escolas um verdadeiro presídio, onde quem quer estudar tem que sair de lá e procurar um cursinho privado, como eu fiz, pagando do meu bolso, do meu suado trabalho, já que não sou da elite maconheira que faz humanas e só leem Marx.
          Por sorte meu ensino médio foi numa das poucas escolas pública modelos, mas o fundamental foi num verdadeiro presídio, onde alunos vadios faziam o que queriam e o professor nem podia expulsar de sala, onde a polícia ia lá todo dia e todo dia algum aluno ia preso com drogas.
          Embora no passado houvessem poucas escolas, e historicamente quem mais construiu escolas no país foram os militares, vocês conseguiram piorar tudo.
          Vocês controlam a educação, somente seus mestres são citados. Obviamente é culpa de vocês.

    • FHC de direita? kkkkkk só falta dizer que ele é conservador. FHC sempre esteve ligados a grupos de esquerda, justamente por isso o exílio.
      O Brasil nunca teve governos de direita ou liberais…sempre tivemos um Estado enorme ditando regras a todos. A educação na Era PT-PMDB piorou, basta ver a relação entre as pessoas e os indicadores de roubos e violência.

  17. Parem de passar vergonha tentando responsabilizar o PT por 500 anos de negligência no ensino público. Vocês estão precisando se afastar um pouco da internet, principalmente das páginas do MBL.

    • Nenhuma força política ficou tanto tempo no poder nesses 518 anos de Brasil do que aquela que governou de 2003 a 2016. E da mesma forma que na economia fizeram populismo na educação, basta lembrar que a “pátria-educadora” vai demorar 216 anos para alcançar os países desenvolvidos em leitura e mandou ao exterior estudantes que sequer sabiam falar uma língua estrangeira sob os auspícios do “ciência sem fronteiras”.

      Agora o pior mesmo foi a mentalidade que incutiram e estimularam nas universidades. Basta ver que Federal do ABC substituem a vogal que determina o gênero do pronome de tratamento por um “X” e estão usando da autonomia universitária consagrada no art. 207 da carta magna para ministrar risíveis disciplinas sobre o “golpe”.

      • “Nenhuma força política ficou tanto tempo no poder nesses 518 anos de Brasil do que aquela que governou de 2003 a 2016.”

        Teve sim; a ditadura de direita governou o Brasil de 1964 a 1985 e não fizeram absolutamente nada para melhorar os números da educação no Brasil. Em seguida, vieram outros governos de direita que seguiram a mesmo caminho. Sem falar que antes da ditadura não tinha esquerdista governando o Brasil.

        Volto a insistir, parem de passar vergonha tentando culpar o PT pela péssima educação do Brasil.

        • Ditadura Militar não é força política! Os militares deram um golpe em 1964 para supostamente livrar o país da “ameaça comunista” mas apenas permitiram um simulacro de política através de duas agremiações (MDB e ARENA) que se comportavam como vaquinhas de presépio. Dito isso a afirmação de que nenhuma força política ficou mais tempo no poder que a que governou de 2003 a 2016 mostra-se válida.

          No mais é fato que esse mesmo partido que governou de 2003 a 2016 fez apenas populismo na educação sem nada concreto que podemos apontar como fato de melhoria. Assim, querer negar que esse partido não apenas nada fez como contribuiu para a péssima educação no Brasil é que é passar vergonha..

          • PauloR ( 6 de Março de 2018 at 15:18 ),

            Durante o Regime Militar, o Congresso foi transformado em algo que era pouco mais que uma repartição pública “carimbadora de decretos”.

            A política foi simplesmente ignorada e focou-se unicamente nos aspectos técnicos da administração.

            Logo, não é exagero afirmar que os militares não se constituíram em força política, pois funcionaram quase como um “tapa buraco” administrativo, mantendo apenas uma ordem hierarquica para a preservação do status quo.

            Por fim, não há como ignorar o fato de que a única direita organizada no País, sob Carlos Lacerda, foi igualmente reprimida pelo governo militar que, em 66, também não permitiu que ocorressem as eleições, sendo que estas fatalmente culminariam na eleição deste primeiro ou de Jucelino Kubitscheck. Ou seja, tanto quanto não eram esquerdistas, sequer poderiam ser tomado por direitistas de fato… Eram, isso sim, positivistas. E como tal, ignoravam as relações humanas e a política em si.

          • Então os militares passaram 21 anos no poder apenas mantendo o status quo e a ordem hierárquica? Tá certo!
            Gosto de ver esse contorcionismo da direita para fugir dos erros e desmandos cometidos por seus lideres mas enchem a boca para falar da esquerda como se tivessem uma moral inconstestável.

            Esse assunto já deu por hoje!

        • É mesmo? E o que o PT fez para erradicar o analfabetismo funcional e melhorar a educação? Nada! Você é até uma vítima desse sistema!

          Introduzir doutrinação socialista nas escolas e entregar diplomas a analfabetos funcionais não é melhorar a educação.

          O simulacro político dos nossos tempos é PT x PSDB, farinha do mesmo saco.

          Supostamente livrar o país de uma “ameaça comunista”? Os terroristas e guerrilheiros de várias denominações da época dos presidentes militares eram monarquistas ou marxistas? Pense um pouco…

          • Que engraçado a pessoa falar de doutrinação socialista em escolas num momento que é a DIREITA que esta doutrinando alunos com escolas militares e ensino religioso com vertentes conservadoras.
            Tô imaginando um monte de doutrinados hipócritas saindo das escolas defendendo a vida ao mesmo tempo que defendem a morte. Ate 2050 vamos ter um novo testamento da bíblia sendo escrito também porque o velho e o novo é muito revolucionário e socialista.

          • PauloR ( 6 de Março de 2018 at 15:34 );

            Presumo que esteja se referindo as esperiências em Goias e Amazonas. Pra começo, nem que quisessem poderiam estender aquilo ao país inteiro, posto a absoluta falta de pessoal… E militares, quer seja da política ou exército, ainda hoje conservam valores algo positivistas. Mais fácil essas escolas entregarem pessoas politicamente neutras a sociedade que direitistas de fato…

            Ensino Religioso, que eu saiba, é facultativo para os alunos… Aliás, considerando o Estado Brasileiro ser laico e não laicista, nada mais natural oferecer a opção do ensino religioso…

            E mais: todo o arcabouço moral de uma civilização, que lhe lega os valores elementares presentes em qualquer sociedade, deriva de uma religião. Por tanto, nada mais natural que, enquanto membros da Civilização Ocidental, se deva estudar a fundo o judaísmo, o cristianismo e suas principais derivações protestantes ( luteranismo e calvinismo ) e suas respectivas doutrinas.

        • Indique um candidato realmente direitista na época.

          Era extrema-esquerda x esquerda moderada. O menor dos males ou o pior deles.

          Mas, para quem é extrema-esquerda, PSDB é extrema-direita – isso é passar vergonha suficiente e emitir atestado de incapacidade mental.

      • Política é assim em qualquer lugar do mundo e durante o período eleitoral quem critica essa briga PT x PSDB entra no jogo quando se vê de cara com a derrota.

        • O único derrotado nessa briga é o Brasil.

          Mas você não liga para isso, né?

          “Comunismo acima de tudo, e Brasil debaixo das botas dele” – deve ser seu lema.

        • PauloR, você me parece ser um cara inteligente e cheio de argumentos para defender seu ponto de vista. Amigo gostaria de te propor uma reflexão sobre o governo petista. Tente não justificar os erros do PT com os erros de outros governos. Quando votei no Lula na primeira eleição, eu esperava mudanças. E o que vi? Mais do mesmo, apenas isso. A prosperidade do modelo petista veio do consumo voraz chinês. Quando a China decidiu reduzir seu PIB e diminuir a compra de matéria prima, o plano econômico petista de Mantega e Dilma ruíram.
          Fora o plano real, FHC não fez nada mais pelo país, e atrapalhou em muito. Sarney dono do Maranhão e aliado de Lula o que fez em seu governo?
          Amigo, os russos e os chinas perseguiram os gays, ciganos, mendigos, religiosos, e todos aqueles que tentavam dar opinião, assim como você faz aqui.
          Peço a você para refletir, o que de diferente o governo petista realmente fez dos outros? O leilão de cargos e salários para aprovar projetos. Para mim eles são traidores da causa. Eles se parecem mais com a direita do que com esquerda.
          Acho realmente que você quer o mesmo que eu, um país justo com seu povo. Um país que fornece saúde, educação, moradia e dignidade ao seu cidadão e liberdade para todos escolherem o que querem fazer da sua vida o que quiser.
          Meu nobre, você não vai encontrar isso no PT de hoje, e nem na direita. Como já falei aqui, eles são todos irmão de uma confraria que se reúne para usurpar nosso país. Amigo vamos mudar o sistema, ai sim poderemos ter partidos de direita e esquerda. E como falaram aqui não sai do blog, sua visão é importante para nos balizarmos, ninguém é dono da verdade absoluta. Mas reflita, nossos comunistas não são comunistas. Pensa nisso.

      • Sério cara? Vai fazer o que se eu não for embora? Vai pegar seu rifle, colocar uma faixa na testa e a bíblia no braço e gritar morte ao comunista?
        Sempre imaginei você espumando de raiva quando replica meus comentários, ao pedir para eu sair do site eu tenho certeza que você perde a cabeça comigo kkkk

        • Criminalizar o comunismo e mandar pra prisão perpétua quem o defendesse é o sonho da minha vida. Mas para uma ideologia que conseguiu matar 10 vezes mais que o nazistas prisão é pouco.

  18. Vou levantar um ponto de vista de quem trabalha na área, sou especialista de manutenção mecânica de uma multinacional, sou formado em Eng de produção mecânica e aqui constantemente aparecem estagiários dos cursos de engenharia e técnico , e vou te falar, são poucos que podem ser aproveitados, não só por questão de conhecimento, mas comportamental, não tem vontade para nada, querem começar ganhando igual á engenheiro sênior, só querem saber de ser gestor, não sabem tratalhar em equipe etc… Enfim, sem querer generalizar estão criando uma geração de “inempregáveis”, gente mimada, lacradora e preguiçosa. Esse é um dos motivos que me fazem ainda pensar em se vou ter filhos, pois está cada dia mais dificil cria-los sem a interferência podre da midia lacradora, vejo pelos meus sobrinhos, não esta nada fácil.

    • Otto, é exatamente isso, mas quem não conhece a realidade da coisa acredita que se forma poucos engenheiros e grande parte de má qualidade graças a partidos de esquerda, direita, comunistas, socialistas, nazistas, narcisistas e tantos outros itas que no fim nem se sabe mais sobre o que se fala, apenas ladra espumando de raiva. Eu já trabalhei em mecânica e tive um superior exatamente igual ao que você descreveu, eu fui mecânico de chão de fabrica, se tivesse me formado em engenharia acredito que me daria muito bem, mas não suportei o curso pq eu gosto de meter a mão e fazer, logico que a teoria te da mais assertividade, mas a pratica é indispensável.

  19. Mais um vermelho seguidor da Marilena Chauí achando que todas as mazelas advém da classe média. É não precisa escrever tudo em maiúsculo filhão

  20. O modelo de educação no Brasa se esgotou a muito tempo. Tem quem aplauda.

    PS: Mais ideologia de gênero nas Federais sim, vai dar certinho!!!! 😀

  21. Essa vai para os defensores do PT e do PSDB. Qual é o projeto de nação e estado que seus grupos políticos tem para o país?
    Qual é o projeto de estado que vocês tem para educação aqui mencionada, saúde, segurança, mobilidade?
    Mas não vale projeto politico, tem que ser de estado.

  22. Tenho uma professora de calculo avançado que se formou em engenharia elétrica e fez doutorado na universidade de moscou “Rússia mesmo” nos tempos de URSS. Depois de sua estada na mãe Rússia, ela desistiu de ser comunista. Fica ai o alerta para pessoas que nunca viram o comunismo de perto e o adoram. Se esse tal de comunismo fosse bom, não haveria tantos bilionários na Rússia, voltariam a ser comuna rapidinho.

  23. Eu vejo o exemplo da minha sobrinha, fez um curso de engenharia na Federal de Curitiba e hoje é PF, passando noites nas margens do lago de Itaipu apreendendo cigarro contrabandeado, mas o salario é bem maior do que um engenheiro recem formado.

  24. Não há campo para profissionais de alta capacidade técnica. E os empregadores contratam na base do “quem indica” ou fazem exigências profissionais e acadêmicas absurdas, levando um super-qualificado a fazer trabalho de estagiário, quando não for substituível por um. Sem contar com o baixo nível comportamental das pessoas – ninguém quer trabalhar, dar duro.

    O Brasil não conseguirá manter-se como nação e nem como Estado por muito tempo, já está soçobrando.

  25. Alessandro 6 de Março de 2018 at 8:12

    Concordo com sua explanação, mas me atrevo a fazer uma correção e ressalva. Não podemos culpar a ESQUERDIZAÇÃO pois assim estariamos dando uma retórica de culpa a político-ideologia de Esquerda, tornando assim o assunto simplista demais. Se analisarmos apenas o carater político-ideológico veremos que esse é o problema que sempre existiu na política brasileira, independente da vertente ideológica em governo. Mas esta decorre de uma grave e iraizada distorção que existe e sempre existiu na cultura brasileira, desde os tempos de Império, que nada mais é que a cultura do clientelismo. O povo e todos governos sempre foram clientelistas, adeptos da política do pão e circo, onde o governo centraliza tudo para garantir os meios de poder, e o povo espera do mesmo governo tudo, incluindo a paz eterna sem custos nenhum.

    Fato que o brasileiro, não esta disposto a se esforçar para quase nada, exceto festar no Carnaval e ir para jogo de futebol. Para todo resto, não há o minimo interesse pois o esforço cansa, demora para dar resultados e principalmente exigirá estudo e dedicação, tudo que o brasileiro não quer…..mas quer sim, o ganho rápido e sem esforço, mesmo que seja as custas de outro alguém…..

    Fato que nosso sistema de governo desde seus primórdios foca mais na concentração, manutenção e perpetuação de poder dos individuos do que no crescimento nacional como um todo, criando assim barreiras que burocratizam demais todas as atividades, uma vez que quanto mais burocracia, mais centralizado e mais controle se faz sobre tudo, concentrando nas mãos de poucos o poder mandatório de decisões.

    Nossos estudantes de hoje são puro reflexo deste mal que são embutidos e sempre foram em nossas crianças desde pequenas………

    • Carlos Eduardo Góes, não há sant0 de nenhum lado isso eu reconheço, mas se perceber a política ideológica de Esquerda é oq melhor se APROVEITOU dessa falta de caráter que existe na cultura brasileira do toma lá da cá na qual vc explicou muito bem, pois eles dominaram os setores mais importantes do país como eu disse no comentário acima, para espalhar sua ideologia.

      Se analisarmos friamente a situação é muito mais grave do que se aparenta, eles meio que fizeram uma fusão com essa malandr@gem toda que existe no país, criando assim dificuldade para um leigo reconhecer e identificar o marxism0/gramscist@ na cultura que eles vem moldando no dia a dia o brasileiro através daqueles setores que citei, por isso o sucesso deles entre tantas áreas, pois eles cativaram a todos com sua utopia ufanista no qual eu chamei de ESQUERDIZAÇÃO.

      Infelizmente passou a ser sim um problema de partido ideológico, e não é apenas no Brasil, é no mundo inteiro e sabe pq ? Pq eles dominaram 1/3 do globo terrestre !!

      Os meios de comunicação que é um setor social de suma importância é praticamente quase todo deles, poucos países democráticos ainda dá espaço para ideias que contraria a opinião da esquerda, talvez nos EUA que tem a Fox é um dos poucos que consegue mostrar o outro lado, mas no Brasil na Tv aberta e fechada não há debates de ideias, e a pouca vezes que alguém tem a chance é ridicularizad0 ou taxado com estereótipos de fascist@, mostrando a total intolerância na qual eles tentam jogar essa fama para a direita.

      Como pode ver a coisa é muito séria, enquanto o brasileiro continuar sem conhecimento e acreditando nesse establishment que tomou conta de quase tudo no Brasil, vai ser muito complicado solucionar os nossos problemas, precisamos debater NOVAS IDEIAS para o crescimento do nosso país, e enquanto a esquerda estiver no poder dos meios de comunicação e principalmente da educação, esse mal vai perdurar por muito tempo, por isso o cidadão de bem tem a obrigação e o dever de tentar mostrar o outro lado, como estamos fazendo nesse momento que é debatendo ideias, não dá mais pra aguentar essa ESQUERDIZAÇÃO que próspera a cada dia com a desgraç@ alheia, temos que combater a ideologia deles com a INFORMAÇÃO e mostrando a VERDADE.

  26. Outra coisa que ninguém aqui falou. Tem muito empregador que não esta disposto a pagar o salário exigido de um engenheiro formado e preferem contratar um técnico especializado para fazer o trabalho de um engenheiro pagando um salário menor por isso.

    Tem muito técnico em Química fazendo serviço de engenheiro químico, muito gestor ambiental fazendo trabalho de engenheiro ambiental e por aí vai, tudo isso para empresa poder lucrar mais.

    Então, não adianta querer só responsabilizar os governos pelo problema quando existe falta de vergonha na cara e profissionalismo dos empresários que passam por cima de tudo em nome dos lucros.

    • Se o técnico faz é porque tem capacidade de faze-lo. Na verdade todos querem curso superior, só não sabem o que vão fazer depois, o nível técnico parece abandonado ou inferior, ninguém quer ser torneiro, tem que ser engenheiro mecânico, eletricista nada, tem que ser engenheiro elétrico, técnico em metalurgia para que se posso me formar em engenharia metalúrgica…o que falta é valorizar essas classes que realmente produzem e largar o velha ideia que nível superior dá status.

      • “Se o técnico faz é porque tem capacidade de faze-lo.”

        Belo pensamento amigo!!!

        Já pensou um técnico em medicina fazendo transplante de coração?

        • Seu comentário que foi mal elaborado, nenhum técnico pode assumir responsabilidades de engenheiros, se o fazem é porque podem, técnico em edificações pode assinar até 70m², acima disso e engenheiro, técnico em alimentos não pode assinar como responsável pela produção e elaboração, só fazem o que é permitido, contrate um engenheiro elétrico para fazer a planta elétrica da sua casa, você pode fazer mas é necessário ($$)? Sim apenas acima de 100A é necessário planta mas abaixo disso não.
          Entenda quando técnicos fazem é porque possuem capacidade técnica e legal para exercer a função não por mera sovinice dos empresários.

          • “Entenda quando técnicos fazem é porque possuem capacidade técnica e legal para exercer a função não por mera sovinice dos empresários.”

            Isso não é verdade! É comum empresários demitirem ou contratar técnicos para fazer o serviço de um engenheiro porque não querem pagar o piso salarial estipulado pelo CREA.
            Com isso os técnicos acabam assumindo uma responsabilidade que não competem a eles, recebem uma mixaria no final do mês e em alguns casos tem que dar 20% do que ganham para um engenheiro assinar para tornar o projeto legal.
            Exemplo: Tem muito pedreiro fazendo trabalho de arquiteto e engenheiro, e não tô falando de construção de residencia…
            Tudo isso para redução de gastos, algo comum nas empresas também.

  27. O estudante tem pânico de Matemática,não só o estudante mas a sociedade inteira,a indústria Brasileira está atrasada algumas estão em primeira geração é o mundo está na quarta,claro que algumas estão em terceira geração.Dinheiro para Educação tem,o que o Brasil peca é no método. Os professores são heróis,pois os alunos não sabem o que é disciplina,na porta da escolas está cheio de aviãozinho oferecendo drogas.Deveriamos ter mais colégios militares no Brasil,materias como moral é cívica ensino religioso básico.Eu Não tenho uma solução fácil e acho que os srs também não,mas pelo menos sabemos do problema.

    • Falou com uma mente de alguem que nasceu a 60 anos atras amigo, repensse esse raciocinio pois ja esta provado que a 40 anos atras 57% da populacao era analfabeta,hoje esse valor é de 12%, ou menos. Portanto antigamente nao era melhor,pelo contrario. No mais concordo que ainda temos mto o que melhorar,mas ficar vivendo de passado,como se nos anos 70,80 etc… tudo fosse uma maravalhia,é uma baita falacia

  28. Outro dia li a entrevista de um reitor de uma universidade federal que havia recém aprovado um curso digamos heterodoxo. Quando interpelado sobre a razão e até a razoabilidade da dita ciência, respondeu que a universidade pública deveria focar nas necessidades da sociedade, e não se tornar refém do mercado e suas necessidades profissionais.
    Para mim ficou claro como a administração do ensino superior brasileiro é dissociada da necessidade nacional e da realidade internacional. Nem falo da tradicional demonização do “Capital”, considerado uma entidade maligna, mas dos próprios princípios da administração pública. Uma análise detida da estrutura jurídica e legal das universidades públicas – as ditas autarquias de regime especial – demonstra a facilidade com que desmandos podem ser feitos e como não há espaço para um maior controle público. São instituições fechadas em uma realidade paralela e que só se abrem em projetos partidários ou demagogos.
    Tudo isso não elimina a , no meu ver ainda mais grave, crise na educação primária e média: incapaz de universalizar capacidades mínimas para qualquer pessoa ingressar de forma plena e capaz em uma graduação ou no mercado de trabalho. Há uma massa humana incapaz de operações aritméticas e de interpretar textos.
    .
    Outro ponto, também já abordado por outro colega, é a situação atual do mercado de trabalho e da economia brasileira. Precisamos nos tornar competitivos o mais rápido possível, ou sucumbiremos de vez como país e sociedade. O tão atacado e criticado setor agropecuário é o único que de fato consegue competir no mercado global. E não só pela vastidão do país, mas porque também investe! Investe em maquinário, em importação de tecnologia, absorve sua demanda de engenheiros agrônomos, zootecnistas, etc. E mesmo com tudo isso ainda possui sérios gargalos, que dirá nosso setor de serviços…
    Micro e pequena empresa – com exceção de start-ups – não conseguem investir em tecnologia de modo contínuo e amplo, não adiantará estimular apenas esta espécie de empresa. Mas o Brasil só acredita em subsídio e regulação de mercado…
    .
    Ps: piso salarial na prática só gerá perda de postos de trabalho e precarização da carreira.

  29. Agradeçam ao Paulo Freire. A pedagogia do oprimido destruiu a educação de forma talvez irreversível. Não estão mais preocupados com ensinar, ensinar a ler, escrever e calcular, e sim doutrinar. Professoras de sociologia feministas chamando os homens de estupradores — ao mesmo tempo que os defendem por serem “vítimas da sociedade”, professores maconheiros de “filosofia” que só falam de Marx e da luta contra as elites.
    Agora colhemos. Quinto maior país do mundo, quinta maior população, um mercado gigantesco, o segundo maior em vendas de carros e eletrônicos. E o que somos? Nada. Uma mera republiqueta latrino americana gigantesca.
    Não tem volta. Já se criou uma sub-cultura inferior e auto-emburrecedora.

    • Bruno ta de sacanagem né ? Vc ao chamar o brasil de republiqueta vai de encontro a tudo que foi dito em seu argumento kkkkk,sem falar que se o brasil sendo tudo isso que vc mesmo listou acima é so uma “republiqueta”(que me permita perguntar,o que diabos é essa definicao), entao coitaods dos outros 181 paises abaixo do brasil em poderio economico,belico e politico…

      • Nossa população é gigantesca, essa é a resposta. Isso acaba distorcendo a economia. Tudo aqui é mais caro que lá fora. Carros fabricados aqui são vendidos pela metade do preço paga aqui, isso em Reais.
        Temos um mercado enorme com um potencial gigante, mas somos apenas uma republiqueta gigantesca. Esse, aliás, nem é mérito nosso, mas da família real que os crentes da república expulsaram do país.

        • Nossa e ainda sim somos considerados uma potência….. Acho que sua definição de “republiqueta” está meio murada em…. o que é o Brasil perto de el salvador,Gâmbia,dijibut etc ..

    • Bruno,
      E o outrora orgulhoso homem do sexo masculino que foi o maior responsável por toda a história da civilização mundial, hoje, em apenas uma geração, se transformou nessa figura andrógina patética que vemos hoje e que é tida como o ideal.

  30. Sinceramente,nao é possivel que so eu achei essa materia estremamente mau informada e tendenciosa,ignorou-se completamente os centros de pesquisa de excelencia que o brasil possui reconhecidos internacionalmemte. Que se dane o ITA,o IME,a USP,a UNB,a UFCE etc…. a parada é falar mau do pais por falar ne…..olha ta ai,nao achei que uma materia desse nivel fosse postada em um blog come esse

    • Pensei a mesma coisa, os jornais brasileiros adoram números mesmo quando eles não dizem nada, é só ver a fonte para saber.

  31. A cultura do Brasil sempre foi avessa a ciência.

    Vou enumerar em tópicos, não em ordem de importância.

    * Anti-meritocracia.*
    Sabiam que foi um brasileiro que inventou o rádio? O Padre Roberto Landell de Moura. Pois é. Todos o chamavam de louco. Faz parte da nossa cultura ao mesmo tempo cultuar o diploma também desprezar o talento. Sempre foi um solo fértil para a penetração de ideias cada vez mais destrutivas. Tente fazer qualquer coisa que todos o jogaram por inveja. Seja porque todos acham que tudo é impossível e por nosso povo também ser invejoso. Quem realmente tem talento uma hora ou outra se vê forçado a sair do país.

    * Economia centralizada, burocrática e cheia de regulamentações sobre impostos.*
    Empreendedorismo nesse país é quase impossível. Já não existe propriedade privada, você tem que pagar ao estado para poder ter ”””””’o direito”””””’ terra, o chamado direito fiduciário. Além de você ter que contratar um contador só para saber o que você deve e tem que pagar. No final, sabemos que a burocracia serve exatamente para criar cargos políticos. É uma forma de proteger a própria máquina do estado. Nesse sistema é muito difícil que se crie empresas e grupos voltados a área de desenvolvimento de alta tecnologia, pois é mais barato trazer de fora do que fazer aqui.

    * Cultura de incentivo a curso superior incompatível com a realidade.*
    Você, desde cedo, é incentivado a fazer o que dá mais dinheiro, e não a seguir algum talento natural, no qual por ser natural lhe garantiria maior ascensão, justamente por haver uma predisposição. Não, aqui você tem que fazer medicina, direito ou administração. Por ironia os cursos mais abarrotados e os que mais tem formados que não atuam na área, justamente pelo mercado já ser saturado e pelo aluno entrar com 18 anos e só saber aos 23 que esse não era seu verdadeiro sonho.

    * Educação voltada a exaltação do marxismo de Paulo Freire.*
    O marxismo é baseado em luta de classes. Estudar, aprender a ler, escrever, ler livros bons, conhecer a história da civilização que criou o conceito de educação e as universidades? Não. Depois de Paulo Freire você só vai aprender a gloriosa história dos pobres índios, dos africanos, das tribos canibais, de como o europeu é malvado, que todo homem já nasce estuprador. Aí vem esses cursos imbecis de sociologia e filosofia, que só formam vagabundos inúteis, tendo que depois criar mais aulas nas escolas para dar emprego para esses doutrinadores safados, e para isso tendo que tirar aulas de português, matemática, redação. Aliás, depois de Paulo Freire, você nem toma mais bomba. Repetir de ano? Oh, que coisa fascista! Nem precisa mais estudar. O moleque passa do ensino fundamental ao médio analfabeto funcional. Quem realmente quer estudar tem que aguentar o vagabundo agitador da sala fazer arruaça sem poder reclamar, isso se o próprio professor safado também não o estimula, pois estudar e fazer faculdade é coisa de burguês opressor.

    Enfim. Estamos numa cultura totalmente animalizada, pra não dizer sexualizada ao extremo. Se somos grandes em alguma coisa se deve a uma população grande a alguns centros de ensino razoavelmente decentes, mas a maior parte do país joga essa média até a fossa.

    Chego a pensar que a situação é irreversível. O MEC estabelece uma educação burra de forma universal. É impossível sair da cartilha, pois é uma determinação legal. Se proíbem “homeschooling” mesmo provado várias vezes que esse método é superior às escolas. Não interessa. Os políticos, eles tem em mente que quanto pior melhor, para eles, é claro.

    • Bruno, concordo com tudo o que disse mas discordo no que tange a imbecilidade dos cursos de sociologia e filosofia, são cursos necessários, a doutrina que estão ensinando pode até ser uma porcaria e a aplicação idem, mas isso só aqui no Brasil, lá fora sociólogos e filósofos tem renome tanto quanto bibliotecônomos e outras formações que julgamos inúteis. Até a educação no Brasil é burocratizada, como é possível se formar em direito nos EUA (um curso muito respeitado por lá) em 3 anos sendo que eles usam commom law e no Brasil se leva 5 anos onde o sistema é civil law. Para quem não entende, a commom law é baseado em costumes e jurisprudências, já a civil law é a lei escrita, documentada. O sistema americano exige muito mais do estudante devido as inúmeras jurisprudências que podem mudar o caso, a nossa é mais simples, a lei esta escrita, mesmo assim levamos 5 anos para formar e 20 para recuperar o investimento.

      • Exatamente,faço direito e economia e concordo com tudo o que disse José. Não entendo esse ranço que essa galera tem com o direito,é quase como querer culpar um economista qnd a economia vai mau. Se vc não gosta do ordenamento jurídico nacional tudo bem,o que não está tudo bem é atacar e desrespeitar o curso de direito

          • Toda profissão tem seus podres,só não entendo essa seletividade e preconceito com o jurista. Acho absurdo e inaceitável.mas ainda bem que isso é coisa de uma geração de 30anos atrás,entre meus colegas da mesma idade(19,20 anos),ou seja que já nasceu no novo milênio ou próximo dele,não tem esse problema

          • O problema dos operadores do Direito serem “mal” vistos é que no Brasil utiliza-se a interpretação objetiva das leis e essa interpretação não leva em consideração o que o legislador queria quando fez a lei, ou seja, não tem valor o espírito da lei e sim o que diz a “letra” fria da lei. Daí, nossos operadores de direito não buscam atenuantes nos atos criminosos de seus clientes de modo a reduzir suas penas, mas preferem buscar furos na letra da lei de modo a interpretá-las de forma a favorecer seu cliente ou suas posições. Como sabemos que não existem leis perfeitas e que consigam não deixar furos num caso concreto, os operadores de direito nadam de braçada.
            Como presenciamos todos os dias no horário nobre, o “esforço” que os operadores de direito fazem querendo subverter o espírito das leis de modo a defenderem suas posições, não há como eles serem bem vistos pela sociedade.

    • O Brasil figurava nos últimos lugares relativos à produção científica e isso incomodava o Banco Mundial, o FMI, a ONU, a Liga das Escolas de Samba e o Vaticano. O que o Brasil então fez pra resolver o “problema”? Claro, utilizou da velha criatividade (jeitinho) brasileira e passou a exigir que até no jardim de infância tivesse “trabalho de conclusão de curso”. Qualquer curso meia boca passou a exigir a tal da “monografia” que não passa de imbecis revisões bibliográficas repetitivas e imprestáveis e que ninguém lê.
      Moral da história, hoje o Brasil produz mais trabalhos científicos que a …. Rússia.
      Seria cômico se não fosse …. cômico.

  32. Na verdade são vários problemas. O primeiro é na quantidade de profissionais qualificados que são formados anualmente. O número é demasiadamente baixo para as necessidades e pretensões de um país que almeja ser alguma coisa além de uma mera republiqueta.

    O segundo problema está na qualidade dos profissionais que são formados. Aliás, não irei nem comentar sobre a capacitação técnica destes profissionais, e sim naquilo que eles deveriam trazer do colégio. Cansei de ver “profissionais” que não sabem escrever, que possuem dificuldades em resolver operações matemáticas básicas (estou falando de profissionais de engenharia, pasmem!), e que não conseguem sequer interpretar um texto simples.

    E o terceiro problema é onde atuar. As instituições públicas (entenda-se universidades e institutos) estão sucateadas e não passam de cabides de empregos, onde funcionários concursados passam o dia olhando para o calendário contando os dias faltam para a aposentadoria. Institutos privados dedicados à pesquisa praticamente não existem no Brasil, e nem mesmo as indústrias investem em pesquisa e desenvolvimento.

    Passei anos remando contra a maré até me cansar da realidade na Banânia. No dia em que me toquei que era impossível trabalhar de verdade e por em prática todo o conhecimento adquirido a duras penas no Brasil, fiz minhas malas e parti para os EUA, onde trabalhei por dois anos no centro tecnológico de uma grande empresa americana. Este ano resolvi tomar novos ares, e desde janeiro estou trabalhando na Europa. Voltar para o Brasil? Sinceramente, não tenho vontade alguma.

    • Desculpe a franqueza,mas do jeito como você desrespeita seu país,passa informações totalmente ideologizadas,e ignora completamente o fato de que aqui tem sim grandes oportunidades de trabalho(como eu acabei de receber em uma empresa relativamente grande de eletrônicos),fico feliz que tenha saído do Brasil. A “banania” aqui não faz a menor questão da sua presença e nem precisamos dela,tomara que Bolsonaro realmente seja eleito e retire sua cidadania,pois isso é uma covardia e traição a pátria

    • Btw,o senhor deveria pesquisar sobre os centros de excelência brasileiros como a UnB,a USP,aUFCE etc… Mas como sua mente já está lotado de ideologia duvido que saiba ao menos os programas de pesquisa básicos realizados por essas instituições….sinceramente lamentável que um cidadao brasilerio seja tao desinformado assi sobre o proprio pais…Por favor cancelada cidadania bom senhor e nunca mais volte aqui,o senhor não fará falta

      • Prezado, sou graduado e pós-graduado em instituições como USP, UNESP, dentre outras. Conheço muito bem os tais centros de “excelência” citados. E embora eu tenha tido sim grandes e memoráveis professores, afirmo categoricamente que a maioria dos que estão ali não fazem jus aos seus cargos e muito menos aos seus salários.

        O Brasil encontra-se na retaguarda em todos os índices referentes à educação, e isso incide diretamente na qualidade de toda a atividade científica no país. Não sei se você conhece os tais centros de “excelência”, e sinceramente isso não me importa. Mas a maneira como você escreve, com inúmeros erros de pontuação e acentuação, me leva a acreditar em duas teorias possíveis: ou definitivamente você não passou por algum destes centros, ou apenas confirma aquilo que disse, que os profissionais formados no Brasil não sabem escrever. Aliás, não sabem escrever e também não sabem ler (outra constatação citada em meu comentário), já que definitivamente o nobre colega parece não ter entendido o tópico 05 das regras de conduta deste fórum (não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, ideológico, religioso, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos…).

        Enquanto vivi no Brasil eu tive grandes oportunidades de emprego (com grandes salários, diga-se de passagem). Não, não foi por falta de emprego que resolvi sair. Muito pelo contrário. No entanto, status social e profissional à parte, passei mais de vinte anos desde que iniciei minha atividades profissionais tentando encontrar meios de inovar, empreender e desenvolver. Mas como se sabe, o brasileiro de uma forma geral não possui uma cultura voltada à pesquisa e à inovação, salvo raras exceções (eu diria que quase acidentais).

        Não se preocupe em desejar que eu não volte, pois conforme a última sentença escrita em meu comentário (pelo visto, você realmente possui dificuldades em interpretar textos), eu realmente não tenho o menor desejo de retornar. Muito mais que emprego e um salário, eu finalmente encontrei meios de colocar em prática o conhecimento e as habilidades que passei anos adquirindo. Estou muito bem aqui, obrigado!

        Trair a pátria? Desculpe-me, minha prioridade é o futuro e o bem-estar da minha família. E da mesma forma que décadas atrás meus ancestrais julgaram adequado cruzar o oceano em busca de melhores condições de vida, hoje eu julguei que o melhor para mim e para minha família foi fazer o caminho inverso.

        E quanto a eu não fazer falta por ai, você está coberto de razão. Em um país com valores tão distorcidos como o Brasil, tenho certeza absoluta de um profissional do meu nível técnico e com a minha experiência realmente não fará falta alguma.

      • Dodo,
        Sem querer me meter, mas além de ser suja, fedida e frequentada por um bando de maconheiros, homens vestidos de mulher e lésbicas, todos de aparência bem desleixada, em que ramo do conhecimento humano a UNB se sobressai? No estudo do “golpe” do Temer (vice da Dilma)?

      • Na época do Regime Militar as escolas e universidades públicas eram de alta qualidade. Depois, com a “redemocratização” do país e a introdução do método “Paulo Freire” de ensino (pensamento crítico, não repetência, desobediência institucionalizada, falta de autoridade do professor, desrespeitos às tradições, etc.) a escola pública chegou ao ponto em que todos sabemos. Ainda persistia a ideia de que as universidade públicas eram de excelência, o que era um contrassenso já que o Estado tinha que prover era um ensino fundamental e médio de qualidade e não um ensino superior de qualidade, mas como aqui é Brasil, era assim que funcionava.
        Mas já há uns 10 anos a qualidade das escolas pública vem caindo e a pá de cal foi a atual crise perpetrada pelo PT. Hoje, nem o mito de que as universidades públicas são melhores sobrevive.

        • Dez anos? Quando eu estudei, isso já há bem mais de vinte anos, as universidades públicas já estavam sucateadas, defasadas, e ideologicamente ocupadas. Apesar de alguns excelentes professores que tive, a maior parte do corpo docente era composta por dinossauros cujo conhecimento ainda era baseado em livros da década de cinquenta.

          • E o Brasil ainda tem um problema sério de auto percepção equivocada. Uma vez em um milhão aparece algum cientista brasileiro que descobre alguma coisa de maior relevância (geralmente com formação no país que nos boicota, os EUA) e aí já somos atropelados pelos comentários ufanistas colocando o Brasil no centro do Universo e chamando a todos que duvidam disso de “lambe botas” e “vira-latas”.
            Ou então quando um brasileiro passa em Havard ou trabalha na NASA. Aí então todo mundo esquece que aqui é o país do nióbio e do pré-sal e que vamos passar mais 500 anos recebendo espelhinhos em troca de ouro porque educação mesmo que é bom, com potencial de agregar valor aos nosso produtos, nadica de nada.
            Aqui, todo dia é dia de índio e nossas “elites” (minha concepção de elite difere um pouco da do Lula) não estão interessados em fazer o valor humano aumentar e o valor do nióbio diminuir proporcionalmente. Cidadão com estudo não é muito apropriado a servir como bucha de canhão e é melhor manter ele burro achando que tá pisando na terra mais rica em nióbio que Deus criou.

  33. Depois que eu comecei a conviver com “profissionais” de 20-22 anos que não sabem taboada..

    Eu comecei a repensar que os meus estagiários nem são tão fracos assim.

    • Não é por mero acaso que o país passa por um acelerado processo de desindustrialização. Os problemas relacionados à educação, tanto em nível básico quanto em nível superior, tem contribuído para que haja dificuldades em se obter mão de obra adequada até mesmo para atividades consideradas básicas. E a situação apenas tende a piorar.

    • No Brasil é comum universitário utilizar a calculadora pra saber quanto é um quarto de 80 ou 10% de 50. Os mais inteligentes não utilizam a calculadora mas levam 30 segundos pra calcular mentalmente.

      • Criou-se uma cultura de idolatria a bestialização no Brasil.

        Os mesmos professores que criticam o estado que a educação chegou, não fizeram oposição de maneira clara ao rumo que as coisas estavam tomando.

        Agora aguentem alunos indisciplinados, que não acatam um simples pedido de silêncio, incapazes de cálculos básicos e que assistem aula com estes ridículos bonés de abas retas.

  34. Após ler um monte de comentários desconexos que partem quase todos pro mesmo diagnóstico errado, que a “esquerdização” do ensino e a falta de concorrência não estimula a pesquisa. Grossa mentira.
    Se assim fosse, a União Soviética jamais teria mandado o primeiro homem ao espaço, o primeiro satélite, ter por décadas ter concorrido em pé de igualdade com os EUA na corrida armamentista, com diversos produtos melhores que os do lado capitalista.
    E hoje em dia a Rússia se beneficia do desenvolvimento tecnológico da antiga URSS.
    A diferença é a vontade de ter SOBERANIA NACIONAL e gente que pensa antes no país que no próprio bolso.
    Podem falar o que quiser dos governos do PT, mas nunca na história do Brasil se investiu tanto em pesquisa e tecnologia, isso o governo, pois nossos industriais são extremamente preguiçosos na questão da pesquisa e inovação. Não produzem absolutamente nada.
    Nos EUA, empresários não tem preguiça e buscam o diferencial na pesquisa e se dão muito bem. Aqui quantos empresários financiam pesquisas em universidades publicas ou particulares?
    A desculpa é sem que os governos não dão liberdade pra investirem e os governos fazem concorrência. Concorrência em quê?
    Aviões são fabricados por empresas particulares, estradas estão nas mãos de grandes empresas, farmacos idem, siderurgia privada, não há investimento em eletrônica nem pública nem privada. Armas, tirando a Imbel, nada do governo “concorrer”.
    Ou seja, o que há é um capitalismo de fachada dos empresários que não gostam de arriscar em absolutamente nada e só pensam em acabar om os parcos direitos trabalhistas pra enfiarem o dinheiro do feijão do trabalhador nos bolsos.
    E todos, se penduram no Estado em vez de realmente inovarem.
    Estavamos tirando o nariz pra fora d’água como alguém disse acima, apostando em ciência e desenvolvimento, pagando bolsas para estudantes buscarem conhecimento no exterior com o Ciência sem Fronteiras, mas o servilismo de sempre dos brasileiros “de bem”, resolveu que o bom mesmo, liberdade mesmo, é ir comprar bugiganga chinesa em Miami.
    Depois o Brasil que não presta!
    Pois sim.

    • “…nunca na história do Brasil se investiu tanto em pesquisa e tecnologia” – E apesar disso, todos os parcos programas em andamento que havia neste país regrediram durante o período. O programa espacial foi pro espaço, as pesquisas na Antártida entraram numa fria, e a tal pátria educadora conseguiu piorar ainda mais seus índices no quesito educação. Este é o mesmo tipo de discurso furado de que quarenta milhões de brasileiros ascenderam à classe média, ou de que nunca se criaram tantos mecanismos contra a corrupção como nos governos citados pelo nobre colega, que aliás parece não ter lido (ou simplesmente ignorou) o tópico 05 das regras de conduta deste espaço.

  35. Eu sou formado em medicina queria fazer nova graduação em física e matemática para desenvolver tecnologia na área radiológica tentei entrar na universidade por novos cursos, porem não consigo porque a prioridade é para sistema de cota e não sobra vaga infelizmente tenho a pele branca.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here