Home Artilharia Artilharia Autopropulsada: vem aí o AMX-D30 EP ‘Vulcano’, peruano

Artilharia Autopropulsada: vem aí o AMX-D30 EP ‘Vulcano’, peruano

7219
24

Por Roberto Lopes
Especial para o Forças Terrestres

A Artilharia Autopropulsada do Exército do Peru (EP) ganhará, em breve, um reforço.

O Comando da Força Terrestre aprovou um plano de instalar os canhões de 122 mm dos antigos obuses rebocados russos modelo 2A18 (D-30), no chassis de um lote de carros de combate leves, de origem francesa, AMX-13.

O resultado dessa modificação foi batizado de obuseiro autopropulsado AMX-D30 EP Vulcano.

Os peruanos dispõem de 30 ou 40 peças D-30, mantidos por sua Artilharia de Campanha. Essas armas têm um alcance efetivo de 15,4 km, e máximo de 21,9 km (usando munição especial). Entregue ao Peru no início dos anos de 1980, o obus, famoso por sua robustez, teve seu projeto (da década de 1960) inspirado nas lições colhidas pela Artilharia Russa durante a 2ª Guerra Mundial.

O EP possui cerca de 100 viaturas sobre esteiras AMX-13, mas boa parte delas já teve suas torres removidas para dar espaço a diferentes combinações de armamento: lançadores de mísseis anti-tanque russos Kornet-E e 9M14 Matyulka (codinome Otan: AT-3 Sagger) e metralhadoras pesadas, de fabricação americana, calibre 12,7 mm.

Agora, a empresa peruana Diseños Casanave Corporation S.A.C. – parceira industrial dos principais projetos dos generais peruanos – vai adaptar o D-30 no antigo receptáculo da torre do AMX-13, e dotar a viatura com alguns outros sistemas atualizados, como o novo visor noturno TVN-5, para o motorista, e um equipamento de comunicações digital VHF-FM R-030U.

M109 peruano

Doutrina – O EP opera uma dúzia de obuseiros autopropulsados de tecnologia americana M-109 A2 (fabricados na década de 1980), e os estudos realizados para o projeto Vulcano chegaram a considerar a hipótese de os AMX-13 também receberem uma peça de 155 mm. Mas a conclusão foi de que o aproveitamento dos canhões D-30 de 122 mm – reputados como de excelente funcionamento em sua categoria – justificavam plenamente o investimento (de valor estimado em quase 1 milhão de dólares por blindado modificado).

Além disso, os militares peruanos desenvolveram toda uma doutrina de artilharia de foguetes do calibre 122 mm: eles receberam os lançadores múltiplos chineses Norinco Tipo 90B (que começaram seus testes de campo, no Peru, ano passado), dotados de colmeia de 40 tubos, e as viaturas russas BM-21, também equipadas com 40 tubos lançadores de projetis de 122,4 mm, o que proporciona fogo de saturação de Artilharia a distâncias de até 40 km.

24
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
8 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
LucianoSR71CignusRJFabio AguiarAlexandreWellington Góes Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Walfrido Strobel
Visitante

Eu gosto deste tipo de adaptação onde a criatividade e boa vontade driblam as dificuldades econômicas.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Engraçado, hoje cedo eu estava lendo sobre o amx-13.

Aldo Ghisolfi
Visitante

MUITO BOM!
Otimização de materiais, reaproveitamento, reuso… custo lá em baixo!

Henrique de Freitas
Visitante
Henrique de Freitas

Normalmente esse tipo de solucao quando colocado sob stress para de funcionar rapidinho.
Equipamento para guerra e’ uma coisa…agora o resto….
Abraços

Augusto L
Visitante
Augusto L

No, EB, o certo era pegar os m105, com cano modernizado e aprimorado para melhorar o alcance e precisão, colocar em cima de um caminhão, montado num eixo rotativo, com carregamento automático, colocar todos os sistemas que tem num m109a5+ e pronto ta ai um wheeled self-propelled howitzer de baixo custo.

Augusto L
Visitante
Augusto L
HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

É o tipo de solução que me agrada pois traduz o aproveitamento racional dos recursos disponíveis

Adler Medrado
Visitante

Frankenstein interessante.

Satyricon
Visitante
Satyricon

Deixa essa criatividade de lado, engolhe o orgulho, pega um pires com a mão e vá lá no tio Sam pedir uns M198 (pra ontem)
Mais efetivos que gambiarras

ronaldo de souza gonçalves
Visitante
ronaldo de souza gonçalves

Resta saber se Eua está disposto através do FMS, a atender o peru,o Brasil é cliente antigo é recorrente,digamos mais alinhado,O peru compra muito equipamento russo,já o fez bastante no passado.Mas não deixa de ser interressante, o Brasil tem por exemplo o chassi do m-60 que poderia servi,mas lembrando que dispomos de uns 100 canhões autopropulsinado acho que a quantidade é bastante,é nos deixa mais tranquilo.

ScudB
Visitante
ScudB

Solução duvidosa.. D-30 é um exemplo de eficiência praticamente em tudo (custo , peso , manutenção praticamente nula , uma linha enorme de munições , ângulos de elevação e etc ). Colocar D-30 num AMX ta mais para “botar assento na vaca” : nem cavalgar nem tirar leite.. Péssima ideia. Ideia de pobre mesmo…Quer uma D-30 AP ? Vai buscar algumas 2S1 na Russia (ou nos outros países) que ja faz tempo que foram retirados do serviço e estão nos galpões em conservação.E deixe D-30 como ta pois nenhuma VANTAGEM nessa solução grotesca vejo não : não tem blindagem ,… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

As vezes, não há dinheiro pra um 2S1 usado, e o exercito precisa de um AP, que que se faz ? Se faz uma gambiarra mesmo, é o q tem.

ScudB
Visitante
ScudB

A realidade que não é um AP! Se trata de um auto-carregado-nas-costas!Sem função de um e sem opção do outro.E detalhe : 2S1 atravessa um rio ou pântano..

Augusto L
Visitante
Augusto L

Scub o que vc fala não tem coerência, eles(peruanos) ja tem experiência com os amx-13 e tbm com D-30, pronto so juntaram 1+1, e o 2S1 não é nenhuma maravilha da tecnologia e hj é obsoleto. Não vejo nenhum empecilho desse AP made in Peru não funcionar.

ScudB
Visitante
ScudB

Amigo AugustL ! Maravilha ou não mas a Russia na larga e esta desenvolvendo 2S1M pois entende bem as vantagens (e desvantagens , é claro) do projeto original que por sinal DE LONGE o melhor carro da classe. Coerência? Hmmm.Sei.. Viu como vai ser carregada essa jaca e de onde vai tirar a munição ? Acha isso COERENTE? Ja o 2S1 possui uma “cesta” da torre e mecanismo de carregamento que nem CC e muitos APs modernos tem. Alem disso a munição sempre fica disponível atras e do lado de único (!) carregador. Viu tb os ângulos de tiro disponíveis… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Estão querendo reinventar o AMX 13 Mk F3, só que com um 122mm…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Esse projeto não tem serventia, apenas, de reequipar o EP, mas também treinar sua engenharia e assim, se for exitoso, trabalhar novos projetos.

Oráculo
Visitante
Oráculo

Acho isso, o reaproveitamento de armas de guerra, algo que deveria ocorrer com mais frequência.
Principalmente por países pobres.
Como o nosso.
Mas aqui o sujeito faz cara de nojo quando se fala em reformar M60, M113, etc.
Imagine falar em um projeto desses…

Oráculo
Visitante
Oráculo

Essa matéria do link que postei é interessante.
Mostra o reaproveitamento de tanques na Ucrânia.
Mostra como o lixo as vezes vira o luxo de alguns exércitos.
Na Ucrânia, Síria e Iraque isso virou rotina…

https://motherboard.vice.com/pt_br/article/ae75ep/um-tour-pela-fbrica-de-tanques-mad-max-na-ucrnia

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Na guerra civil espanhola houve também muitos blindados feitos em oficinas, algumas amostras podem ser vistas aqui:
http://historiaupf.blogspot.com.br/2014/01/vehiculos-blindados-artesanales-de-la.html

Bavaria Lion
Visitante

Isso vai ter um belo deslocamento lateral…
Pra fazer a mira tem que manobrar o tank e corre o risco da “torre” se soltar quando do lançamento de projéteis.

Ampliem a foto da “torre”. Tosca demais.

Alexandre
Visitante
Alexandre

É muito engraçado o pensamento de alguns por aqui, se fosse o Brasil que estivesse fazendo uma gambiarra dessa, estariam metendo a lenha e dizendo que o Brasil não é sério, que somos a maior economia da américa do sul e que isso é uma vergonha, etc, etc, etc… Mas como é o Perú, então vamos elogiar esse lixo que querem chamar de obus auto propulsado. Lembra a gambiarra que o chile fez nos seus blindados leopard 2A4, quando pegaram giroscópios do modelo anterior e mais velho, leopard 1av e colocaram no modelo maior 2a4, lembrem-se que os leo 1a… Read more »

Fabio Aguiar
Visitante
Fabio Aguiar

Pensei se poderia, aproveitar os chassis dos Leo Belgas (os com condições de rodar) e adaptar uma torre hitfact de 105mm, criando assim um caça tanques
No futuro estas mesmas torres poderiam ser aproveitadas para os Guarani 8×8.

CignusRJ
Visitante
CignusRJ

Só por curiosidade. os M108 podem ser modernizados como estes peruanos foram?
E sei que a Avibras fez um acordo com o fabricante do CAESAR pra poder fazer um semelhante no Brasil mas não sei que pé esta este projeto. alguém sabe?