Home Exército Brasileiro Unidades do Exército Brasileiro recebem Monóculos de Visão Noturna

Unidades do Exército Brasileiro recebem Monóculos de Visão Noturna

6205
42

Rio de Janeiro (RJ) – No mês de junho, a Seção de Optrônica do Arsenal de Guerra do Rio (AGR) enviou ao Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento (BMSA), 33 Monóculos de Visão Noturna modelo Loris, para serem distribuídos às diversas organizações militares operacionais do Exército Brasileiro.

O Monóculo de Visão Noturna Loris é um equipamento de origem belga que utiliza a tecnologia de amplificação da luz residual, praticamente imperceptível ao olho humano, possibilitando realizar operações em ambientes escuros. Eles são adquiridos por meio da Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) e entregues ao AGR pelo BMSA completamente desmontados, em um processo conhecido como Completely Knock-Down (CKD).

Coube à Seção de Optrônica do AGR a montagem e os testes do material, a fim de torná-los disponíveis para serem disponibilizados às organizações militares da Força Terrestre, aumentando significativamente a capacidade operativa da tropa. Tais equipamentos possibilitam desenvolver atividades peculiares em ambientes privados de iluminação adequada, tornando o uso desse equipamento um diferencial para o sucesso das missões.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

42 COMMENTS

  1. No total quantos já foram recebidos ?
    Em 2011 recebemos um lote desse msm modelo também em CKD.
    É sinal que o projeto do CTEX (OLHAR VSN) não vai bem ?

  2. Pô mas apenas 33 unidades ?? Isso não é o suficiente nem para mobiliar os cerca de 100 recrutas da Bateria de Comando e Serviços do 2º GACOS – M Fortaleza de São João da minha época entre 1989 – 1990 !! No total dos vários tipos de óculos de visão noturna existentes em todo Exército Brasileiro e demais FA será que chegamos a ter uns 5000 ou até 10000 desses equipamentos ??

    • É o número suficiente,visto que é empregado por forças especiais e em operações específicas,não teria sentido algum dotar recrutas e tropas convencionais com um equipamento como esse . Seria o mesmo que dizer que todo fuzil ia2 tem que vir equipado com no mínimo 4 attachments( mira acog 4, laser,lanterna e lanca granadas).
      Para cada missão,uma unidade e um equipamento específico

      • Na hora da guerra (na hipótese de haver uma) não serão apenas as Forças Especiais que defenderão o Brasil !! Desta forma e pelo motivo exposto acima julgo que seja necessário equipar todas as tropas disponíveis com esse e outros equipamentos !! Não é prudente deixar para fabricar esses equipamentos em grande número em tempo de guerra apenas pois pode ser tarde e mesmo porque as unidades fabris seriam alvos prioritários e fatalmente seriam destruídas !!

        • Não faz nenhum sentido equipar 100% das unidades disponíveis com esse equipamento,so aumentaria o peso para o soldado. Sem falar no custo, lhe garanto que nenhum país no mundo equipa uma unidade de conscritos e recrutas com óculos térmicos e de visão noturna, da mesma forma que,como eu disse acima, nenhum país no mundo equipa 100 % dos fuzis de suas unidades com lança granadas, ou mandar todo soldado armado com um at4 nas costas

  3. Várias unidades já receberam, inclusive de Emprego Geral.
    A diferença é Q nestas não há para todo efetivo, mas para a tropa aprender utilizá-lo. É só parte dela utilizar, já Q em Paz, não é todo efetivo de uma OM empregado.

  4. Por que vem desmontado?
    Como esse equipamento seria utilizado?
    Se cem soldados de uma força especial vão entrar numa área, quem vai empregar o equipamento? Só quem vai à frente?
    Por que não binóculos?

    • Nonato,
      Seja binóculo ou monóculo, o sistema de visão noturna reduz muito o ângulo de visão e portanto há quem prefira a versão monóculo pra ficar com um dos olhos liberado. Deve ser questão de costume.
      E geralmente esse equipamento é utilizado por forças especiais e em geral para operações dentro de estruturas.
      Para uma grande quantidade de tropas a iluminação é provida por projéteis iluminativos lançados por obuseiro ou morteiro.
      Os USA e USMC não serve de comparação. Lá pode ser que todos tenham, mas lá é diferente. Todos lá utilizam pistolas, por exemplo. Sem falar em lanternas, miras holográficas, sistemas de comunicação, etc.

      • Forças Especiais são frações bem pequenas. É possível equipá-las com muitos meios.
        Em q pede, não ser regra. (Assista BRAVO TWO ZERO – Tropa do SAS na Desert Storm – Fatos reais, perceberão q não é como na TV)
        Nas tropas convencionais, ou uma fração específica utiliza, como o Grupo de Assalto de uma Patrulha de Combate, por exemplo, ou militares específicos dentro da fração.
        É possível q toda uma tropa convencional utilize? É, dependendo do efetivo.
        Mas, normalmente, alguns homens específicos: Cmt Pel e Grupo de Combate (para coordenar melhor), o Esclarecedor q estiver na ponta do Pel ou alguma Flanco guarda, e os operadores das armas coletivas.

        Eu já utilizei bastante esses meios em exercícios e operações.
        Novamente, não é só pra FEsp.

        • E so pra lembrar complementando. O óculos é cegado por iluminação. Logo, não tem sentido usa-lo ostensivamente em operações convencionais em campo, pois uma simples granada iluminativa ou clarões de explosões sobrecarregam o dispositivo, que se torna inútil.

          É pra ser utilizado em ações clandestinas e por pouca gente. Este modelo é praticamente o mesmo que conheci na escola a 24 anos.

          E aina complementando, as forças convencionais tem os seus PELOPES qu também atuam em operações especiais deste tipo em proveito da fração ( OM) a que pertencem. Não são so o BFE e BACO que atuam em operações deste tipo

  5. Novamente
    Não é só para Forças Especiais.
    Não vem desmontado.
    A utilização é de acordo com o Estudo de Situação do Cmt da Fração a ser empregada.

  6. 33 unidades é uma piada.. isso é tão barato.. não sei pq compram só isso… Essa história de “Ah não precisa pra todo mundo” é coisa de quem não tem noção o que é um combate noturno.. nada hora da troca de tiro a noite isso deveria ter para toda a tropa.. não vem com esse.mimi de que “Ah mas não estamos em guerra” “Ah só forças especiais precisam” que isso é de uma infantilidade absurda

    • Fale isso então para os comandantes militares dos exércitos ao redor do mundo, com certeza eles estão todos errado e você está correto. A propósito, tal como o colega mencionou acima, em grandes operações convencionais no período noturno, se utiliza de granadas iluminatuvas de norteiros e flaires

  7. Prezados, no meu entendimento esses nvgs são um ativo estratégico,mas quanto a quantidade o número 33 não me parece ser problema haja visto que o EB já deve ter mais unidades de nvgs no seu i anventário é também creio que não a necessidade de se mobiliar toda tropa com os nvgs haja visto que não estamos em guerra ,e com os avanços tecnológicos pode ficar obsoletos em poucos anos, sendo mais difícil total substituição dos mesmos, e outro motivo que também não me afeta essas compra de 33 unidades e o caráter específico de emprego desses nvgs que geralmente são usados por pilotos de aeronaves e por forças especiais, não é o equipamento pra se usar no dia a dia e creio que se fosse distribuido pras tropas convencionai mas só iriam ser usados pelo líder do grupo de combate ou uns dois ou três soldados no máximo.

  8. Cada comentarista de G1 aqui, meu Deus!!! Nem todo Exército americano está mobiliado com OVN, já explicaram aqui que é para frações de tropa, mas não adianta, tem que desenhar…..

    • Acho que o governo está precisando fazer mais propaganda institucional para que a imprensa e a população digam de que lado estão.
      Se morre um adolescente, a imprensa sensacionaliza.
      Dá a entender que a culpa é da polícia.
      Tem que enquadrar. A emissora tem que explicar o que pretende e se está ao lado do crime organizado e o que pretende com certas matérias.
      Por que a imprensa e a “população” não pede que os bandidos não atirem quando a polícia entrar?
      Por que imprensa e “população” não fazem matéria pedindo para os bandidos irem embora das favelas?
      Por que a imprensa e a população não criticam os bandidos por matarem pessoas nas favelas, por induzirem crianças a trabalharem para o tráfico, mocinhas a se tornarem mulheres de bandidos, e por obrigarem a população a ficar calada?
      A violência nas favelas não é culpa da polícia.
      Quem mora em área de guerra, com centenas de bandidos portando fuzis não pode se queixar. Deveria era fazer de tudo para que todos os bandidos fossem presos.

      • A imprensa está sempre do lado fácil…

        É fácil apontar o erro, quando algo da errado..

        Quando tudo está certo fazem matérias com as FFAA e policiais.

  9. quando for a hora de guerra de verdade vai aparecer dinheiro para comprar tudo o que for nescessario para causar o maior dano ou atrito no inimigo interno ou externo vai aparecer ate dinheiro para comprar UCAV ,MRAP ,IFV ,MTB e nvg e radios descentes para os soldados

    • Depois você cai da cama…

      Pode ter o dinheiro que for e nem licitação precisa…

      Até o material chegar e ficar em condições de combate tem uns bons meses e dependendo do material anos.

      Até lá a guerra já acabou.

  10. Pessoal, vamos la.. um pouco de bom senso.
    É claro que o EB, FAB e MB já possuem OVN no estoque.

    A matéria fala apenas que um setor do EB está homologado a montar OVN. A quantidade é pequena, mas nao interessa. Interessa o conhecimento adquirido. Se fosse apenas montar OVN igual a uma TV, nao precisaria de um pessoal trabalhando específico pra isso e nem viraria notícia.

  11. Arsenal de Guerra da Marinha do Rio de Janeiro
    Arsenal de Guerra do Rio
    Só falta Arsenal de Guerra da Força Aérea do Rio de Janeiro
    É muito arsenal pra traficante e milícia
    Não seria possível decentralizar isso tudo

  12. Em 2012 no 13º GAC de Cachoeira do Sul-RS eu vi chegar no Almox 5 ou 6 equipamentos desse tipo. Não sei o que fizeram com eles depois disso, mas era o suficiente pra equipar o oficial e os sargentos do Pelopes. Era o ano da Operação Arcanjo no RJ, mas não chegaram a usá-los na operação. Detalhe que o 13º GAC não era, na minha época, do tipo “operacional”, diferente do vizinho 3º BECmb, que tem um Pelopes muito bem qualificado. Após a missão no RJ, passou a treinar melhor, até com mais recursos.

  13. Sempre achei que as sentinelas dos pátios de aeronaves das Alas deveria usar esse equipamento. Em algumas OM é um breu danado no pátio. A sentinela não enxerga nada.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here