Home Blindados Militares do EB se qualificam no emprego de Estação de Armas Remotamente...

Militares do EB se qualificam no emprego de Estação de Armas Remotamente Controlada

7684
38

Amambai (MS) – Nos dias 12 e 13 de junho, por ocasião do Estágio de Qualificação Operacional de Comandante de Carro e do Treinamento Específico de Motorista da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média de Rodas Guarani (VBTP-MR 6×6, Guarani), o 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado (17º RC Mec) qualificou 46 integrantes de diversas organizações militares de Cavalaria do Comando Militar do Oeste para o tiro diurno e noturno do Reparo de Metralhadora Automatizado X (REMAX-CTEX) das viaturas. As instruções foram ministradas por técnicos da empresa ARES e instrutores da Seção de Instrução de Blindados do Regimento.

O REMAX é uma estação de armas remotamente controlada com giro-estabilizado para metralhadoras “ponto 50” (12.7 mm) e 7,62 mm que foi desenvolvida a partir dos requisitos do Exército Brasileiro, por meio de uma parceria da ARES com o Centro Tecnológico do Exército, com tecnologia nacional.

Na ocasião, os instruendos realizaram tiros da metralhadora MAG calibre 7,62 mm e “ponto 50”, capacitando-os a operar o material que faz parte do Programa Estratégico Guarani, aumentando, assim, a capacidade operacional dos recursos humanos no contexto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), no combate aos crimes transfronteiriços, nas ações de garantia da lei e da ordem e de defesa externa.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diogo araujo
1 ano atrás

excelente! pergunta: qual o ângulo máximo de rotação, nos eixos x,y e z? é tanta notícia boa aqui e no PN qie estou me sentindo o cara por ser brasileiro rs. valeu!

Guacamole
Guacamole
Reply to  Diogo araujo
1 ano atrás
Diogo araujo
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

valeu, obrigado! diz que a elevação vai de -20 a 60 graus. acho que caso o inimigo chegar muito perto, nao da mais pra atingir certo? -20 ta longe do -90 se é que entendi direito

Diogo araujo
Reply to  Diogo araujo
1 ano atrás

chegue

Diogo araujo
Reply to  Diogo araujo
1 ano atrás

ou 270 tanto faz

Guacamole
Guacamole
Reply to  Diogo araujo
1 ano atrás

Se a pergunta é “tem como atirar a queima roupa em um soldado que esteja extremamente próximo do veículo” a resposta é não a menos que esteja na lateral do mesmo. Geralmente esse tipo de sistema tem uma depressão maior do que a largura do chassi do veículo. Ou seja, se usasse a arma a -20 graus, estaria atirando em sí mesmo. É possível atirar em alguém vindo pela lateral? Sim, mas não é pra isso que esse tipo de equipamento é feito. Ele foi feito pra dar cobertura as tropas a pé de médias e longas distâncias, e não… Read more »

Diogo de Araujo
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

Obrigado Guacamole

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

Se chegar tão perto assim algo está errado.

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
1 ano atrás

Cadê a UT30? Quantas unidades do Guarani possuem esse armamento?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Tecnologia Israeli.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Foi desenvolvida pela ARES e pelo CTEx. Onde você viu israelis ?

Guacamole
Guacamole
Reply to  Bardini
1 ano atrás

A maioria dos produtos de defesa do Brasil são israelenses.
Remax, as torretas Torc30 e UT30, as novas antenas over-the-horizon usados pela marinha pra ver para além das 200 milhas nauticas, radares e sistemas de rádio com enlace tudo vem de lá.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

A REMAX começou seu desenvolvimento em 2006.
http://www.ares.ind.br/new/pt/sistemas-terrestres/remax.php

A ARES foi adquirido pela ELBIT apenas em 2010.
https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/me3112201017.htm

Thiago
Thiago
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

Na matéria apresentada pelo poder naval
sobre as antenas ut- 30 lembro ter lido que foram projetadas desenvolvidas e fabricadas em São Paulo. Então nao procede essa informação? Não é genuína tecnologia tupiniquim, era so marketing?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Bardini
1 ano atrás

A REMAX já estava praticamente pronta quando a Elbit comprou o controle da ARES.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Não confunda REMAX com a UT-30. Bem como não confunda a AEL com a ARES.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Ninguém confundiu a Remax com a UT-30.
Mas tanto a AEL quanto a Ares foram adquiridas pela Elbit. Isso não é novidade.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

A UT-30 é um produto desenvolvido pela Elbit e oferecido pela AEL. O REMAX é um produto desenvolvido e ofertado pela ARES. Apesar da controladora ser a Elbit, cada produto tem tecnologia e desenvolvimento de fontes distintas. O primeiro foi desenvolvido por israelenses, o segundo por brasileiros.

Caio
Caio
1 ano atrás

Os guaranis vão devagar mais vão, e terão as estações tripuladas, estas estações remotas mas, as de morteiro de 120mm serão pra quando nesse ritmo?

Caio
Caio
Reply to  Caio
1 ano atrás

Desculpem o “mais vão” no lugar do “mas vão”.

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
Reply to  Caio
1 ano atrás

E com os mísseis AT integrados à Torc 30. Apostaria no Hellfire.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Defensor da Liberdade
1 ano atrás

O EB não comprou uma mísera Torc30 até agora e você apostando no Hellfire?
Esquece. Nem versão com mísseis AT o Guarani terá. Pelo menos não no horizonte próximo. E se tiver será algo menos sofisticado. O EB não tem dinheiro para isso.
E o EB contratou apenas 10 UT30BR. Não sei quantas foram pagas e entregues.

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Para mim isso é falta de visão do exército, falta de money também, visto que todas VBCIs que existem no mercado atualmente possuem plataformas de lançamento de mísseis. O fato é que o Guarani possui uma versão de reconhecimento, como diabos esse Guarani iria enfrentar um MBT caso houvesse essa possibilidade, sem mísseis AT? Bater em retirada?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Defensor da Liberdade
1 ano atrás

Pois é.
A versão de reconhecimento, caso venha a sair do papel (o que também não vislumbro que ocorrerá nos próximos anos), será 8×8 equipada com canhão de 105mm. Vai enfrentar em piores condições o MBT ou baterá em retirada.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Defensor da Liberdade
1 ano atrás

Parabéns, descobriram o q a Cav Mec faz.
Ao descobrir a posição inimiga, engaja a distância, e realiza um movimento retrógrado, deixando-o ocupado e desgastando-o.

Dodo
Dodo
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Quarta ignorância,o guarani tem menos de 10 anos de desprovimento e existência, a criação de novo modelos para u sistema tão novo não é que nem adicionar ar condicionado em um modelo de carro civil não. Estamos falando de sistemas militares complexos que requerem anos de avaliações e adaptações pra desenvolvimento. Na verdade,dado pouco tempo de existência desse veículo,eu diria que o exército está é bastante adiantado,já tendo desenvolvido a torre de 30 mm e estação de armas remotas. Com o passar do tempo,nada impede que se instale alguns at4 ou mss1 na sua lateral como arma anticarro. Ma tenham… Read more »

Dodo
Dodo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

10 de desenvolvimento e existência **

Épsilon
Épsilon
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Rafael Oliveira 25 de junho de 2018 at 15:26
Queria saber onde você achou que o EB contratou apenas 10 UT30br por que aqui na minha cidade a Brigada de Infantaria mecanizada recebeu 6 unidade do guarani armado com essa torre ano passado e vai receber mais 6 esse ano.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Caio
1 ano atrás

Pelo que eu li nos comentário aqui e em outros sites o EB está fazendo uma variante de cada vez para racionalizar e agilizar a produção mesmo que a cadencia menor…partindo da mais simples até a mais complexas acredito que a do morteiro sejam a próxima nem que seja no lote piloto.

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
1 ano atrás

Qual destes blindados sobre lagartas seria melhor para substituir nossos m113:

Ascod, CV90 seminovos, Kurganets ou Bradleys usados?

willhorv
willhorv
1 ano atrás

Quantas estão previstas? Todos os Guaranis de transporte de tropas vão ter (deveria)?
Não permite lançador de granadas 40mm?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  willhorv
1 ano atrás

Esse modelo é o intermediário. Tem as melhores com canhões 30mm e as piores, manuais com .50.
Não lembro os números, mas a quantidade de Guaranis com essa torre também será intermediária. Serão pouquíssimas com canhão 30mm e a maioria com torres manuais com .50

Nilson
Nilson
1 ano atrás

Salvo engano em outra matéria o Agnelo informou que a próxima versão a ser produzida será a morteiro. Sem se comprometer com cronograma, lógico.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Nilson
1 ano atrás

Interessante é a Elbit que converte os M113 em Armored Mortar Carriers usando o Soltam Cardom 120mm mortar.
. http://www.israeldefense.co.il/en/node/30544

Marcos Paulo
Marcos Paulo
1 ano atrás

– 90 dá tiro no pé…

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Uma curiosidade, o Pandur 8 x 8 importado e o BlackTiger sobre lagarta de fabrição turca em cooperação com eles, ambos do Exército da Indonésia lado a lado, os dois usam a mesma torre belga com canhão 110mm para facilitar a manutenção.
. https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSxLbyZaZ8p6udgGlK6WYFhfh2pwLtSgflJtin981srzVYyMcTv39YYIIT6

Gilmar
Gilmar
1 ano atrás

Obrigado aos que dão referencia. Saímos um pouco do bate papo furado para falarmos de numeros e capacidades.