Home Análise Exército Suíço: um pouco diferente

Exército Suíço: um pouco diferente

10348
44

Resolvi escrever este artigo sobre o Exército Suíço, não por ele ser “mais poderoso” ou “menos poderoso” do que outros, mas sim porque ele possui algumas peculariedades que não devem existir em nenhum outro país.
Não irei escrever aqui sobre o número de tanques ou sobre o calibre dos canhões; esse tipo de informação é fácil de ser encontrado na internet; preferi me detalhar nas informações pouco conhecidas, mas nem por isso menos interessantes ao leitor do Blog.

O Exército Suíço é composto basicamente de “milicianos”; os soldados e os oficiais profissionais constituem somente cerca de 10% do efetivo.

O recrutamento é obrigatório quando o cidadão completa 20 anos; na hora do alistamento, o recruta passa por uma clássica bateria de testes físicos, psicológicos além de uma conversa particular com um oficial.
Leva-se muito em conta a profissão do recruta; procura-se enviá-lo para uma unidade na qual os conhecimentos da vida civil possam ser utilizados.
Quem for dispensado por razões médicas, excesso de contigente ou qualquer outro motivo, geralmente tem que prestar serviço como ajudante em asilo de idosos, hospitais, creches ou na Defesa Civil.

Depois do treinamento básico, o soldado leva para casa todo o uniforme, assim como o fuzil e uma caixa de munição, uma tradição que hoje está saindo de moda. Caso o soldado prefira, ele pode deixar todo o equipamento num depósito do Exército.
Essa tradição tem duas origens: A rapidez no caso de uma mobilização em caso de guerra e para lembrar aos políticos que a vontade do povo está acima de tudo.

Dos 21 aos 40 anos, todo miliciano tem que absorver de acordo em que tropa ele serve, todos os anos cursos de “Repetição/Treinamento/Atualização”; cursos esses que duram entre 3 e 4 semanas. Durante o tempo que ele serve; a firma na qual o soldado trabalha na vida civil não pode demití-lo; o salário durante esse período, é restituído pelo Exército ao empregador.

No alto da Guerra Fria, a Suíça contava com cerca de 600.000 soldados em caso de mobilização total; agora com o fim desta, uma situação estável no cenário político europeu e acima de tudo os custos cada vez mais altos; o contigente caiu para cerca de 240.000, tendência a baixar mais ainda.

Só existem 2 uniformes; o de combate e um mais “elegante”. Usado nas folgas ou em cerimônias. A comida é a mesma, tanto para soldados como para oficiais, para simplificar a logística. Nos quartéis até o refeitório é o mesmo.

Os quartéis somente são usados para cursos ou treinamento e não como depósito de armamentos. Basicamente toda a munição, combustíveis, armamentos, remédios e etc.. são estocados em “bunkers” nas montanhas ou em abrigos subterrâneos.

O pensamento por trás disso é que os quartéis são conhecidos e seriam rapidamentes bombardeados pelo inimigo. Como cerca de 50% do país é constituído de florestas, lagos e sobretudo de montanhas, montanhas essas que se estendem por centenas de quilômetros e com alturas em 3.000 e 4.000 metros, nada como usá-las para melhorar a defesa.
O mesmo se aplica à Força Aérea, hangares, depósitos são dentro das montanhas em vales muito estreitos, (mas é um capítulo para o Blog Aéreo).

Existem vários hospitais subterâneos com capacidade para 3.000 pacientes, vários são constituídos por 4 andares. Depósitos de combustíveis escondidos no fundo de lagos, peças de artilharia escondidas dentro das montanhas; parte da montanha se abre quando os canhões estão em ação, fechando-se logo em seguida.

As principais pontes e túneis são pré-minados, facilmente de serem explodidos em caso de uma invasão.

O Exército tem estoques de combustíveis, remédios e alimentos para durar um cerco de um ano; isso através de uma parceria com a iniciativa privada. Por exemplo: uma rede de supermercado compra, vamos dizer 500.000 toneladas de açúcar com data de validade setembro de 2014. O Exército estoca essa mercadoria e repassa uma mesma quantidade que já estava estocada, mas com data de validade setembro de 2012. O mesmo se aplica a café, sal, macarrão, enlatados, chocolate em pó, remédios e etc…

Para ser oficial, todo candidato tem que servir antes, pelo menos por um ano, como soldado e depois pelo menos um ano, como sargento, para depois poder ir para a escola de cadidato a oficial. A idéia é de que para comandar, antes é bom aprender como é a vida de quem está “lá embaixo”.

Todos os prédios, casas, hospitais possuem um abrigo anti-atômico. No momento essa política vem sido muito criticada, devido ao custo elevado das construções e de manutenção. Vejam abaixo algumas fotos do “bunker” da casa do autor deste artigo.

Espero que tenham gostado; caso tenham alguma crítica ou pergunta, sintam-se à vontade para assim fazer.

Franz A. Neeracher

O autor serviu de 01. de Julho de 1989 até 30. de Junho de 1997 no Exército Suíço.

LEGENDA: Mapa do interior do bunker, entrada do Bunker à esquerda na foto, espessura da porta e Sistema de purificação de ar
Subscribe
Notify of
guest
44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
walfredo
walfredo
11 anos atrás

Primeiro temos que dar armas e poder ao povo. Com o verdadeiro poder popular virá o fim da miséria e da pobreza, por consequência, tornaremos possível a busca do conhecimento e da responsabilidade no trato das questões públicas. Imagine se o congresso atual existiria em um país onde houvesse 190 milhões de pessoas armadas (homens e mulheres, negros, brancos e índios, jovens e velhos, deficientes ou não, iguais em direitos e obrigações para com sua pátria). Eu acrescentaria o desenvolvimento e a fabricação de parte dos armamentos e, principalmente, das munições nos quartéis, nas próprias unidades das forças de terra,… Read more »

Franz A. Neeracher
Franz A. Neeracher
11 anos atrás

Walfredo Você tocou num tema interessante: Por que Hitler não invadiu a Suíça?? Já lí muito sobre isso, e na verdade nem os professores, veteranos e historiadores chegam a uma unanimidade…. Provavelmente houve vários motivos; e sabe-se hoje que a Alemanha tinha planos concretos de invadir a Suíça….. – A Suíça não era uma ameaça para a Alemanha, a Suíça na realidade já estava cercada…ao norte a Alemanha, ao leste a Áustria aliada assim como no sul os aliados de Mussolini e no oeste a França ocupada… – Talvêz Hitler quisesse invadir a Suíça mais tarde?? – Medo de com… Read more »

Franz A. Neeracher
Franz A. Neeracher
11 anos atrás

Quanto a Napoleão:

Ela realmente não tentou ocupar Suíça porque não quis….mas quando ele teve a péssima idéia de atacar a Rússia, ele e as suas tropas passaram pela Suíça, e muitos suíços foram recrutados a força pelas tropas de Napoleão….

Sopa
Sopa
11 anos atrás

Tô babando de inveja dos Suíços, concordo em numero gênero e grau, que todo cidadão tem o direito a se armar, assim haveria mais respeitos entre as pessoas. Esses dias no transito quando ultrapassei um senhor, se é que pode chamar de sr. puxou um .38 pra mim e me xingou, pelo simples fato de ultrapassar um carro lento na minha frente. é humilhante isso !

Att.

André Machado
André Machado
11 anos atrás

Em Cuba existe sistema similar, com armas distribuidas à populaçao.

Leonardo
Leonardo
11 anos atrás

O autor do tópico está de parabéns. Sou descendente de suíços, e já tinha conhecimento sobre a questão das armas nos lares civis e outras peculiaridades, mas nunca obtive tanto conhecimento sobre o exército suíço, antes deste post. Excelente!

Danilo
Danilo
11 anos atrás

Só pea constar. Suiça não faz parte da OTAN, nem da UE e até pouco tempo atras(2002) nem mesmo da ONU…

Franz A. Neeracher
Franz A. Neeracher
11 anos atrás

Marcus Não confie 100% no que a “Wikipedia” escreve. Eu serví até 1997, e até nessa época era necessário sim o futuro oficial primeiro ir para a “RS”, onde depois dessa o candidato sai como “soldato”; depois disso o caminho mais rápido para se tornar oficial, é fazer a escola de “Korporal”…terminada essa escola, o “Korporal” volta para o quartel para ser instrutor por pelo menos o período de uma “RS”. Absolvido essa fase com sucesso, aí sim ele pode ser candidato a “Leutnant”….repete-se todo o processo novamente: escola para “Leutnant” e retorno para o quartel para comandar uma companhia… Read more »

Franz A. Neeracher
Franz A. Neeracher
11 anos atrás

Uma correção: “escola para “Leutnant” e retorno para o quartel para comandar uma companhia”.

O certo é: “para comandar um pelotão”.

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Só para constar, embora diretamentente não se relacione ao presente tópico. Lembram-se do barulho que a mídia esquerdista fez sobre o deputado que num momento imbecil disse que se “lixava” para a opinião pública? Pois temos um outro deputado (R.J.), só que queridinho da mesma mídia, porém esquerdista de carteirinha, que diariamente “cospe” no resultado do Referendo de 2005, onde a população brasileira manteve o direito de adquirir armas de fogo. Sempre tenta reverter de forma comuno-nazi-fascista, o citado resultado e com o conluio do meio artistico e midiático, dentre outros. Quando se vê a forma com que os suiços… Read more »

Andre Luiz
Andre Luiz
11 anos atrás

A suiça é um país sem historcio de guerras e confusoes, por isso que na idade media eles eram considerados os melhores mercenarios

Tinha até uma piada ” Sem dinheiro, sem suiços”

Patriota
Patriota
11 anos atrás

exelente materia

Porem acho que este lance de levar fuzil pra casa não ia dar muito
certo no Brasil uma vez que haveria um alto risco devido
ao “jeitinho brasileiro”

André
André
11 anos atrás

É devido ao estatuto de neutralidade, e não do receio da sua tenaz defesa, que a Suíça não entrou nem na I nem na II Guerras Mundiais. Simplesmente não valia o esforço de a invadir. A Suiça não tinha capacidade para desequilibrar a balança em nenhuma dessas guerras e como está “encravada” no meio do continente não poderia servir como caminho de invasão: nem da Alemanha para a França (era melhor conduzir pelas planícies da Holanda e Bélgica) nem dos Aliados para a Alemanha (os Aliados não tinham como por lá uma força decisiva, ao contrário de todos os países… Read more »

marcio
marcio
11 anos atrás

Caro urss os meios blindados,artilharia avioes ect ~…não fican a dever a qual quer naçao eropeia como França, Alemanha e italia, por isso que voce falou não condiz.

Alexandre L
Alexandre L
11 anos atrás

Legal esses bunkers! Servem até como quarto do panico!

Franz A. Neeracher
Franz A. Neeracher
11 anos atrás

Alexandre

O bunker caseiro tem várias outras utilidades como:

-Depósito de vinhos; tem a temperatura e luz ideal e umidade baixa.
-Depósito daquelas tralheiras que a gente nunca usa mas não quer jogar fora.
-Trancar crianças e sogras chatas; duvido que tenha força de mover 1 milímetro sequer da porta.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Neste caso não são apenas 2 uniformes, já que tem o terceiro tipo da guarda do Vaticano, o mais lindinho de todos! hahaha

OFF TOPIC

Assisti agora GI JOE, pra quem gosta de filmes de ação mentirosos recomendo. Mas adivinhem o fuzil usado pelos GI JOEs em treinamento? Me pareceu o Tavor, alguém confirma?

Abs

WAR
WAR
11 anos atrás

Alguém sabe me dizer se a Suiça faz, hoje, parte da OTAN? Porque, sem isto, todo este gasto com defesa (tirando os abrigos antiatômicos) é absolutamente inócuo, embora supereficiente. Israel também tem um ótimo sistema de mobilização, mas não para lutar com os russos…

Marcus Piffer
11 anos atrás

Vamos deixar as lendas de lado.

Logo após o período de seleção, que dura sete semanas, os voluntários que preencherem os requisitos ingressam nos cursos de sargentos ou de oficiais, em escolas distintas.

Ninguém tem que servir como soldado, depois sargento para depois ser promovido a oficial. O que pode ocorrer é que alguns sargentos já formados podem ser selecionados para o curso de oficial.

http://www.vcampus-armee.ch/armee_xxi_leitbild/fr/ct_vortrag-0603_fr.htm

http://www.answers.com/topic/conscription-in-switzerland

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

WAR,

A Suiça é um exemplo cássico de país NEUTRO, para tanto não acredito que ela faça parte da OTAN, perceba que todo este investimento é para auto-defesa, praticamente não há investimentos em equipamentos que possam ser usados para funcção ataque.

Abs

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

* clássico

Harry
Harry
11 anos atrás

Parabens aos suiços, estamos longe de adotar algo parecido em termos de recrutamento, é uma pena.
É assim que se forma cidadões.
Abs

Bronco1
Bronco1
11 anos atrás

Não é à toa que a guarda do Vaticano é composta, historicamente, de soldados da guarda Suíça.

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Excelente matéria, e concordo em parte com o Bonifácio: se o Brasil treinasse toda a população masculina e esta tivesse armas de guerra em casa, não haveria nenhum bandido nas ruas (nem no Congresso) e ninguém estaria preocupado com ataques à soberania.

Mas para que isso aconteça é necessário uma população consciente de seus DEVERES. E aqui em nosso país parece que todos tem direitos, mas ninguém tem DEVERES.

Abs.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Excente matéria a “complexa” simplicidade da doutrina suiça. Fiquei impressionado a algum tempo em ver a galera com fuzilzão dentro do armário de casa hehehe. Impensavel para o Brasil, imagine se os caras roubam fuzil de dentro do quartel como seria o mercado negro dos fuzis consigandos ahaha.

Abs

Bonifácio
Bonifácio
11 anos atrás

A ONU e a elite mundial não gostam muito deste tipo de exército. Desde a antiguidade se sabe que um homem livre deve estar pronto para defender a sua liberdade a todo o custo.
Se o Brasil treinasse toda a população masculina e esta tivesse armas de guerra em casa, não haveria nenhum bandido nas ruas e ninguém estaria preocupado com a iminente internacionalização da Amazônia.

luis
luis
11 anos atrás

Parabens ao aoutor da materia Já tinha visto algo nesse sentido sobre o exercito suiço, e achei interessante o tipo de atitude de deixar o cara levar o armamento pra casa e tal….mas aqui nao daria certo, o povo brasileiro é diferente é mal informado tem pouca escolaridade, não daria certo, mesmo com treinamento, eu sei pq eu axiliava no treinamento dos soldados. Já a parte que o oficial tem qu ser soldado , depois sargento, eu tiro meu chapéu, é questão de moral isso, o que tem de oficial lixo e mal informado no EB, se eles começassem de… Read more »

André
André
11 anos atrás

Franz A. Neeracher, concordo com o que diz absolutamente e duvido que algum dia se descubra o porque de muitas das razões principalmente da II guerra mundial, porque muitas vezes os actos de Hitler foram actos de loucura, mas qualquer pessoa confrontado com a posição geo-estratégica da Suíça neutral chega à conclusão que é o último “problema” a ser resolvido. A Suíça tem um mau clima e uma péssima geografia. Não tem recursos naturais (chocolate e relógios não contam). Não grande unidades industriais (a economia é principalmente de serviços). Era somente um sítio onde teriam gastar uma ou duas divisões… Read more »

Danilo
Danilo
11 anos atrás

Faço do Luis as minha palavras, exceto a parte de auxiliar no treinamento…

Angelo Nicolaci
Angelo Nicolaci
11 anos atrás

Ai quem dera aqui pudessemos ficar com nossas armas…
Sinto falta do meu fuzil…

Bonifácio
Bonifácio
11 anos atrás

Caro Luís, Discordo que o fato do povo brasileiro ser mal informado e ter pouca escolaridade é um fator que impede a implantação dessa ideia no Brasil. Os exércitos de cidadãos precedem de muito a existência de um sistema de ensino oficial ou da escoralização total, quanto mais da informação imediata. Existiram nas cidades gregas da antiguidade, na Roma republicana, na Suíça e na Península Ibérica da Idade Média, entre outros exemplos. No próprio Brasil “colônia” houve o exército de primeira linha, as milícias e as ordenanças. Penso que o perigo é a falta de espírito cívico. Mas sei que… Read more »

welington
welington
11 anos atrás

Sou fascinado pelas forças armadas suíças, estas são muito bem doutrinadas e nacionalistas, um ponto interessante é que o exercito possui regimentos que atuam com montanbykes adaptando assim ao máximo ao terreno (campo de combate) este é um dos regimentos mais difíceis de se ingressar, nas forças armadas suíças( Desta já saíram diversos campeões deste “esporte”). Um ponto interessante é que os oficiais não levam fuzis para a casa e sim uma pistola, e os soldados tem o poder de parar qualquer automóvel e exigir carona caso aja espaço para o mesmo auxiliando na locomoção rápida dos mesmos. Por volta… Read more »

Excel
Excel
11 anos atrás

Passei uma semana dentro de uma abrigo desses dentro de uma escola em Genebra, e ví umas bases aéreas no país que de fato eram pequenas pois grande parte das instalações eram subterâneas.

marcos silva
11 anos atrás

PARABENS PELA EXCELENTE MATERIA ! PODERIA SER FEITO O MESMO,NO CASO AS PECULIARIDADES DA FORÇA AEREA,CASO EXISTAM !

Roberto CR
Roberto CR
11 anos atrás

Sempre fui mais simpático a este tipo de estrutura, apesar de reconhecer que, para um país com as características geográficas e populacionais como as da Suíça, é a alternativa que trás menos transtornos a sua economia. “Para ser oficial, todo candidato tem que servir antes, pelo menos por um ano, como soldado e depois pelo menos um ano, como sargento, para depois poder ir para a escola de candidato a oficial. A idéia é de que para comandar, antes é bom aprender como é a vida de quem está ‘lá embaixo’.” Espero que cheguemos a este nível por aqui algum… Read more »

urss
urss
11 anos atrás

eu vivi em zurich e a nossa casa tinha um bunker tb , mas apesar disso a suica tem fronteira com a alemanha , franca ,italia , austria e liechtenstein , ou seja os tres primeiros q mencionei tem poder suficiente para fazer dos bonitos alpes suicos uma enorme cratera em poucas horas ,por mais q se esforce a esses tres nao consegue resistir nao possui meios e muito menos orcamento para sequer pensar q se poderia defender deles

GHz
GHz
11 anos atrás

Excelente a matéria do Franz, está de parabéns.

Agora o tópico sobre Liderança. Não é verdadeira a premissa de que para ser um bom Oficial tem que ter sido soldado antes.
Sem alongar em explicações, é só traçar um paralelo com as empresas do mundo civil. Alguém me diz aí uma multinacional em que um dos requisitos para ser executivo seja ter experiência prévia como auxiliar de serviços gerais?

[[ ]]
GHz

Roberto
Roberto
11 anos atrás

Brasileiro nao tem desenvolvimento cultural e emocional para portar armas nas ruas,como que eu vou dar uma pistola pro motoboy revoltado no transito e que ganha um salario minimo e nao sabe nem o que significa democracia? Ele vai estar doido pra acertar a cara do rico na bmw! Numa reuniao de condominio um puxa a arma pro outro. Vai ter brasileiro tendo 10 filhos pra fazer quadrilha! Nós nao temos boa indole,não somos unidos,respeitamos só as nossas familias e nossa meia duzia de amigos,de resto,”é só venha a nós”.todo bate boca se resolvera com tiro,o pais sera um velho… Read more »

Tiago Wotkoski Eler
Tiago Wotkoski Eler
11 anos atrás

Muito interessante, principalmente a parte de lembrar ao governo que o poder é do povo. Aqui no Brasil perdemos a fibra, aceitamos todos os desmandos em prol do enriquecimento ilícito dos políticos.

anônimo
anônimo
11 anos atrás

Muito interessante mesmo, o invasor não ia poder cochilar no territorio suiço p/ não tomar tiro do vovô que tira leite da vaca pela manhã. Mas por aqui fico pessimista com a idéia. São dois universos muito distintos, distantes. Lá o tradicionalismo deles sustenta uma certa segurança. Aqui as pessoas da 3ªidade não são respeitadas. Os americanos já tão sentindo efeito desse liberalismo só por liberar venda. E lá não existe MST, MLST. Alguém lembra do episódio que ocorreu em Brasília, que o boyzinho queimou o pajé no banco da praça. Que o papai formado em direito conseguiu redução de… Read more »

Gilvani Lima
Gilvani Lima
7 anos atrás

Quando se trata da Segunda Guerra Mundial, a maioria das pessoas tende a pensar apenas em dois lados: o Eixo e os Aliados. Em termos modernos, foi um conflito de civilizações, por assim dizer, em que os defensores do bem e do mal lutarem até a morte. É claro que a realidade nunca é tão simples, como diria qualquer individualista. A “grande história” é conhecida de todos. Porém, poucos sabem do papel da Suíça durante o conflito. Aquele pequeno país teve êxito em preservar sua tradicional liberdade até mesmo quando Hitler estava prestes a ganhar a guerra e estabelecer uma… Read more »

Daniel Moratori
Daniel Moratori
1 ano atrás

Essa matéria foi excelente. O exército suíço está um passo na frente.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 ano atrás

Um problema destes depósitos de armas, pelo que li, é que nos últimos anos aumentou o extravios de armas e munições que só são descobertos quando os militares vão pegar as armas para treinamento ou tem que devolver ao terminar o tempo de serviço.

Celso
Celso
1 ano atrás

Parabéns pelo artigo nem eu sabia disso e olha que sou militar