Home Tecnologia Três competidores para o Programa Ground Combat Vehicle do US Army

Três competidores para o Programa Ground Combat Vehicle do US Army

264
6

Três meses depois que o US Army enviou a RFP para a fase de desenvolvimento de tecnologias do Infantry Fighting Vehicle (IFV), desenvolvido com o Programa Ground Combat Vehicle (GCV), três equipes competidoras, unindo players chave dos EUA e Europa, apresentaram-se para disputa.

As três equipes competidoras incluem a BAE Systems/Northrop Grumman, General Dynamics/Lockheed Martin, Raytheon e MTU Detroit Diesel, além da SAIC, Boeing, Krauss-Maffei Wegmann (KMW) e Rheinmetall Defence. As duas últimas empresas alemãs vão oferecer uma versão modificada do Puma (foto).

6
Deixe um comentário

avatar
6 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
BielCinquinirsbacchiBoscoIvan Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ivan
Visitante
Ivan

Calma Dandolo!

Os alemães sabem projetar carros de combate a muito tempo, com soluções operacionais equilibradas.

Os ângulos retos na traseira e lateral podem ser necessários para tornar o habitáculo interno habitável… he he, desculpe o trocadilho.
Para proteção eles talvez tenham buscado outra solução, como blindagem composta por exemplo.

Quanto a LAGARTAS x RODAS é uma questão antiga, mas há um consenso que existem missões pertinentes as duas formas de tração.

Mas sua observação quanto a elevação do armamento é importantíssima, principalmente em função das novas necessidades de combater com blindados em áreas urbanas.

Abç,
Ivan.

Bosco
Visitante
Bosco

Largatas de modo algum estão obsoletas.
Muito provavelmente esse novo programa visa substituir o M-2 (lagartas) e os veículos Stryker (rodas).
Os strykers sempre foram considerados um veículo tampão até a entrada do conceito FCS que foi cancelado.

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Realmente, o Stryker era considerado um veículo intermediario (era conhecido como “interin vehicle”) que deveria ser substituido pelo série FCS (peso em torno de 25 toneladas).

Todavia com o fim do FCS eu não vejo o GCV como substituto do Stryker.

Pelo que li até hoje (os dados não são muito claros) o GCV deve pesar em torno de 40 toneladas.

Todos os dados indicam que será somente substituto do M2/M3 Bradley.

Bacchi

Bosco
Visitante
Bosco

rcbacchi,

Mas eu acho que o programa visa também a substituição do Stryker. Em que pese o Stryker ser transportado pelo C-130 acho que o US Army tem como objetivo padronizar seu veículo de combate e usa como referência o C-17.
As brigadas de infantaria ficariam com veículos leves como JLTV.
Apesar do Puma ser um candidato de 40 t não creio que ele leve.

Cinquini
Visitante
Cinquini

Um passarinho me contou que a plataforma Puma foi oferecida ao EB…..

Biel
Visitante
Biel

Mas dai dissemos que a plataforma Puma é sofisticada e
avançada demais para nós e que o guarani atendia as nossas necessidades.

Mas de qualquer forma já estamos no meio do ano e o governo não fez praticamente nada pelo EB , não se ouve nada sobre novos fuzis, artilharia antiaérea , compra de novos gipes em número considerável …