Home Sistema de Armas O tanque sul-coreano K-2 Black Panther

O tanque sul-coreano K-2 Black Panther

1363
35

O K2 Black Panther é o carro de combate sul-coreano que vai substituir os M48A5K Patton e complementar os K1. A produção em massa está em curso.

O K2 é provavelmente o MBT mais caro do mundo, com custo unitário em torno de US$ 8,5 milhões, superando até o Type 90 japonês, que custa US$ 7,4 milhões por unidade.

Compare esses valores com o que o Brasil está pagando pelos Leopard I de segunda-mão.

É interessante notar que os países que estão entre as principais economias do mundo, têm projetos próprios de carros de combate, pois estes são considerados símbolos do orgulho nacional e da capacidade tecnológica de uma nação.

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Caio
Caio
10 anos atrás

isso sim que é um tanque de guerra…rsrsrs

robert
robert
10 anos atrás

Compare esses valores com o que o Brasil está pagando pelos Leopard I de segunda-mão.

desculpe-me… mas nao achei aqui, alguem podia me informar?

detalhe: aquela escadinha de barril do chaves apavora!
eaoiheaiohaeoae

Wilhelm
Wilhelm
10 anos atrás

Estão certos.
A única chance de sobrevivência face uma invasão China+RDPC é em excelência de material e pessoal. Porque quantitativamente não há chance.

Bronco
Bronco
10 anos atrás

Robert, As fontes divergem, mas a mais idônea de todas divulgou um valor bastante realista de 220 mil EUROS. Na realidade, algumas viaturas (em torno de 20) foram compradas em bom estado e viriam inicialmente para instrução a um preço unitátio simbólico, enquanto as demais (outras 220) passariam por revisão completa (uma espécie de retrofit) na empresa alemã Kraus-Maffei Wegman por 230 mil EUROS cada carro. Então, na época da assinatura do acordo, transformando o valor para dólares, cada carro de combate saiu a pouco mais de US$ 250 mil retrofitado. E ainda vieram viaturas de apoio, dois simuladores, ferramentas… Read more »

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
10 anos atrás

É impressão minha ou ele,equipado com aquele “snorkel”,é anfíbio ???
Pode ser que eu esteja desinformado,mas até onde sei,este é o único MBT anfíbio no momento,isso é muito interessante pois não se é necessário utilizar pontes móveis no cruzamento de rios.

Alfredo.Araujo
Alfredo.Araujo
10 anos atrás

Coitados dos norte coreanos com seus humildes T-55…

Leandro RQ
Leandro RQ
10 anos atrás

Ao ler essa parte do texto:

“É interessante notar que os países que estão entre as principais economias do mundo, têm projetos próprios de carros de combate, pois estes são considerados símbolos do orgulho nacional e da capacidade tecnológica de uma nação.”

Lembrei da ENGESA e quase chorei… 🙁

Theo Gatos
Theo Gatos
10 anos atrás

Será que eles são tão mais caros por ter escala de produção menor do que os demais… (aumentando o custo unitário?). No caso da Korea não mas se não me engano o Japão é proibido de exportar armas, o que deixa a produção em território Japonês bem mais cara pelo menor poder japonês em absorver tamanha produção bélica quando comparado com outras nações do mundo… Sds PS. Bem que poderia ter sido o Leo 2, países com complexidade e tamanho menor que o Brasil e também com economia bem menor conseguem operar ele… Mas antes o Leo 1 do que… Read more »

Theo Gatos
Theo Gatos
10 anos atrás

Pra mim a única solução boa para a Coreia do Norte é a mesma que teve a Alemanha Oriental… Reunificar com a do Sul depois desse maldito ditador morrer de câncer no pâncreas… Claro que existem dois pontos, 1 se a China vai deixar ou vai fazer essas reunificações de araque como fez com Hong Kong (50 anos de liberdade e daqui 50 anos tudo em obediência à ditadura do PC) e 2 se a Coreia do Sul terá a mesma capacidade econômica que teve a Alemanha Ocidental que despejou alguns TRILHÕES de dólares no vizinho que nem era tão… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Diego, A rigor não existem tanques pesados anfíbios já que para um veículo terrestres ser considerado “anfíbio” ele tem que ter flutuabilidade (natural ou após preparação) e ter capacidade de deslocamento no meio aquático (pelas próprias esteiras, por hélices ou por jatos d’água). No caso de MBTs (tanques pesados) eles não possuem flutuabilidade positiva, portanto, não são anfíbios. O que eles conseguem quando estão selados e com o esnorquel montado, como você sabe, é atravessar submerso pequenos trechos, mantendo o contato com o solo e indo às cegas. Claro que pra fazer isso, antes o trecho deve ser vistoriado pra… Read more »

Patriota
Patriota
10 anos atrás

“É interessante notar que os países que estão entre as principais economias do mundo, têm projetos próprios de carros de combate, pois estes são considerados símbolos do orgulho nacional e da capacidade tecnológica de uma nação.”

É Verdade as principais nações do mundo produzem seus próprios tanques ,até mesmo as que as vezes nem tem tanto destaque como: Polônia , Ucrânia, países da antiga Iugoslávia , Paquistão, Israel etc.

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
10 anos atrás

O Brasil já teve o melhor carro de combate do mundo, já apresentado aqui, e, não fossem os capachos do Tio Sam que mandaram aqui anos atrás e que achavam que essa coisa de arma moderna era muito complicado para brasileiro fazer, estaríamos com equipamentos tão modernos quanto este, ou até melhores. Para eles – pessoas estudadas no exterior e sabedoras do que era bom para país – o Brasil tinha que se contentar em produzir matérias primas e carroças. O próprio Forte já publicou, no entanto, que estamos recomeçando esta estrada com a produção de uma nova geração de… Read more »

Leoeffgen
Leoeffgen
10 anos atrás

Amigos,

Cabe uma indagação: o valor do K2 é em torno de R$ 15 milhões e nossos Leo1 em torno de R$ 500 mil. Uma diferença gritante, sendo que o K2 custa 30 vezes mais que nossos Leopard.
Pergunto a todos se o carro coreano é 30 vezes melhor que o Leopard ou se preferiem podem comparar com outros.
Quero levantar este debate, uma vez que com o avanço da tecnologia e outros custos os preços tendem a subir, mas são justificados?
Analisemos, ainda, se todas as nações tem que possuir o “TOP”, ou há melhores custo x benefício?

Pedro
Pedro
10 anos atrás

A alguma foram de o osório ser reativado para exportação ou compra interna mesmo? Há protóticos e arquivos,desenhos,esboços,projetos do mesmo ainda guardados em bom/ótimo estado?

Ou seria melhor estruturar nossas linhas férreas e partir logo para comprar os tanques francÊs,russos,americanso ou alemães?

ABRAÇOS.

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
10 anos atrás

Eu considero boa a solução que o Brasil encontrou. Um bom casco com uma correta readaptação tecnológica e mecânica rende muito bons resultados. Além do que muito da doutrina de combate do Exército Brasileiro se faz por meio da promoção de conflitos irregulares. Nosso comando sabe que se uma guerra ocorrer por aqui será pela posse da Amazonia e lá, tanques são mais alvos do que armas. E tem outra. Não há no atual panorama militar sul americano uma força capaz de se opor a 240 carros de combate deste nível, que, juntados aos outros cerca de 160 Leopard e… Read more »

Rodrigo Marques
Rodrigo Marques
10 anos atrás

André postou: “”O Brasil já teve o melhor carro de combate do mundo, já apresentado aqui, e, não fossem os capachos do Tio Sam que mandaram aqui anos atrás e que achavam que essa coisa de arma moderna era muito complicado para brasileiro fazer, estaríamos com equipamentos tão modernos quanto este, ou até melhores.”” Prezado, Existe uma excelente matéria publicada aqui no Forte sobre MBT’s. O autor é um ex funcionario da Engesa, ela desmistifica algumas coisas a respeito do Osório. http://www.forte.jor.br/2010/06/30/9643/ Sobre esta parte específica: “”estaríamos com equipamentos tão modernos quanto este, ou até melhores.”” Os EUA recentemente ofereceram… Read more »

Rafael
Rafael
10 anos atrás

Giap49, se você esta esperando a China botar a mão no fogo pela Coréia do Norte, deveria ter um plano B, pois acredito que o PCC, não ve mais tanta utilidade na Coréia do Norte, como antes e uma Guerra agora seria muito desgastante do ponto de vista economico para todos os encolvidos, sem excessão. Um abraço.

Romeumike
10 anos atrás

Já tivemos o “Osório”, que foi considerado o melhor carro de combate do mundo e não creio que hoje estivesse tão ultrapassado. Poderia ser perfeitamente adaptado para os dias que seguem. O Brasil passou por sucessivos governos incompetentes e corruptos, que nunca deram a mínima importância que as forças armadas devem ter, merecem e que precisamos que tenham. Hoje o Brasil, já não se submete tanto as pressões externas e não nos sentimos mais uma sociedade de incapazes e vira latas, porém ainda não chegamos ao estágio de possuir às pessoas certas nos lugares certos. A força terrestre hoje já… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Só foram fabricados 2 PROTÓTIPOS do Osório.

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
10 anos atrás

Rodrigo Marques: O atual governo foi, provavelmente, o que mais investiu nas Forças Armadas nos últimos 50 anos e Brasil e foi o 12º país em gastos com defesa em 2009. Os governo militares investiram menos nas FA do que o atual. Em 1999, o Brasil gastou cerca R$ 20,7 bilhões com as suas Forças Armadas. Em 2008, o valor quase dobrou, para R$ 40,5 bilhões e em 2010 deverá superar os R$ 50 bilhões (fonte: Sipri-Instituto internacional de pesquisa para a paz de Estocolmo). O país gasta 1,5% do seu PIB em defesa, com uma média mundial de 2,4%.… Read more »

Jeferson Elói
Jeferson Elói
10 anos atrás

Eu ainda acredito que no futuro podemos ter um carro com esse!!!!!!!!Com desenvolvimento nacional!!!!!!!!
Talvez um Osório-2 fabricado pela Avibras!!!!!!!!!!

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
10 anos atrás

Rodrigo eu li a matéria sobre o Osório mas mantenho minha opinião de que aquele CC era de altíssima qualidade, mesmo com a torre da Vickers e com a miríade de fornecedores. Um sistema de armas moderno, como qualquer um sabe, é montado a partir de dezenas ou até milhares de fornecedores diferentes. Um ex funcionário da empresa tem mais dados sobre a companhia, mas, mesmo ele, mesmo assim representa as ideías dele. Agora dizer que não teve dedo podre de americano na quebra da Engesa, no mínimo, é muita ingenuidade. Beira ao ridículo e é sintoma de capachismo. Se… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

André,
É muito difícil um equipamento militar fazer sucesso no exterior quando não faz sucesso no próprio país de origem.
O culpado da quebra da Engesa e do Osório nunca ter vencido nenhuma concorrência que participou (a da Arábia Saudita foi vencida pelo M1) foi o governo brasileiro.
Não tem como avaliar um veículo militar que só existiu na forma de 2 protótipos e muito menos de classificá-lo como tendo sido o melhor do mundo.

Bronco
Bronco
10 anos atrás

Não vou discutir o mérito do Osório ser ou não ser um bom CC. A questão é: o governo brasileiro, e possivelmente este também seja o pensamento do EB, dificilmente investirá recursos no desenvolvimento de um MBT nacional. Particularmente eu creio que não adianta criar esperanças em ver um osório II. Essas conclusões decorrem dos fatos que listo a seguir: – A concorrência de produtos usados internacionais, que fazem com que um Leo 1A5, ótimo carro de combate, perfeitamente condizente com toda a estrutura logística do EB, custe, retrofitado, US$ 250 mil; – A crônica falta de recursos para investimentos… Read more »

MA
MA
10 anos atrás

Concordo com praticamente tudo que o Bronco disse! O Osório não é mais viável, pelos fatores de desinteresse do EB, que não tem grande espaço em sua doutrina para MBT e para a alta-competitividade do mercado exterior. Porque, diferente do que alguns pensam, mesmo que conseguíssemos produzir um veículo de qualidade com tecnologia nacional, sendo ele um dos melhores do mercado, o custo do veículo e a pouca fama da indústria bélica brasileira no setor de blindados pesados nos deixaria com um abacaxi. Um produto caro (afinal, teríamos de desenvolver tecnologias que não possuímos, o que é lento e custoso!)… Read more »

Hudson
Hudson
10 anos atrás

A coreia do norte perderia certamente para o sua irmã do sul, a coreia do sul é superior tecnologicamente força aeria, marinha e exercito e em quantidade na marinha e força aeria soh tem menos soldados porem mas treinados e armados.

Rodrigo Marques
Rodrigo Marques
10 anos atrás

Andre, Sobre o Osório, o Bosco no comentário de 10 jul as 0:51 matou o assunto. É inegável que era um grande Carro de Combate, mas sem compras pelo EB fica difícil… Sobre a questão de subserviência aos EUA, eu tenho a opinião de enquanto formos DEPENDENTES de tecnologia, seja na area de informática até em equipamentos de exploração de petróleo em aguas profundas, teremos que nos sujeitar a diversos tipos de ingerências externas, não só dos EUA. Pra exemplificar, este governo fez uma aquisição de submarinos convencionais franceses e do casco de um submarino nuclear. A DCNS francesa nos… Read more »

Rodrigo Marques
Rodrigo Marques
10 anos atrás

Sobre uma Guerra entre as Coréias acho pouco provável, até por que EUA, China, Japão estariam diretamente envolvidos.

Neste caso eles atuam como bombeiros e aguardam o regime do norte implodir e ser absorvido pelo sul.

Bronco
Bronco
10 anos atrás

MA, Não sugeri que os blindados sobre rodas substituiam os MBT. Mesmo porque na guerra moderna, embora alguns já considerem os veículos sobre rodas com torres de 120 mm verdadeiros caça-tanques (o que, diga-se de passagem, eu discordo diametralmente), nunca se testou efetivamente, em combate, um veículo 8×8 com canhão de 120 mm contra um MBT, com blindagem reativa e outros penduricalhos. São produtos complementares, a meu ver. No entanto, contra a infantaria inimiga, fortificações, para a função de apoio de fogo, saturação, reconhecimento e outros fins, na minha opinião, os veículos blindados 8×8 atuais, se armados com torres de… Read more »

Bronco
Bronco
10 anos atrás

Ah, me esqueci de dizer que é uma visão realista. Eu gostaria mesmo que o EB tivesse milhares de CC da classe do Leclerc, Leo2A6, M1A2 Abrams e mesmo esse K-2 aí, bonitão. Melhor ainda se fosse um construído aqui que fosse tão bom quando os citados. Mas é pura utopia imaginar que isso ocorrerá. Também é pura utopia imaginar que um veículo de mais de 3,5 metros de largura e quase 70 toneladas possa ser levado do sul do país para o Nordeste em 48 horas. Problema que o EB só descobriu, aliás, quando começou a operar os M-60.… Read more »

Rafael
Rafael
10 anos atrás

Andre_Oliveira, não adianta vôce ter raiva dos EUA, nós perdemos uma concorrencia, pois não tinhamos tanto para oferecer quanto eles, ou seja incompetencia nossa, e outra se o Brasil tivesse comprado Osórios tinhamos, criado escala, oque torna o produto mais barato e possibilita melhorias, que o tornaria mais competitivo em outras licitações mundo afora.

Paulo
Paulo
10 anos atrás

O colegas já discorreram aqui porque o EB não pode querer o desenvolvimento de um CC nacional do porte do Osório. Desnecessário comentar mais. E a realidade de hoje não é diferente da realidade de ontem. O Osório foi desenvolvido por conta e risco da Engesa e conforme li na época, o EB fez um acordo com a empresa. Seus adidos militares tentariam vender o produto no exterior. Para cada 3 vendidos, o EB ganharia um como comissão. Se a exportação para a Arábia saísse, seriam uns 300 carros para nós. Estou vendendo o peixe como me venderam, ou melhor,… Read more »

MA
MA
10 anos atrás

Bronco, entendi agora perfeitamente seu ponto de vista! Acho que de fato não tenho mais queixas no seu comentário, só a tive, aliás, porque aparentemente interpretei mal alguns trechos… Gostaria de complementar dizendo que creio que um carro-de-reconhecimento 8×8 com canhão 120mm e todos os novos sensores são substitui o MBT em nosso país… Mas sendo os custos favoráveis, países do Oriente Média, África e até alguns de nossos colegas latino americanos poderiam fazer usufruto desse tipo de veículo em substituição dos MBT, utilizando-os como unidade base para ofensivas, defesas móveis e até como unidades de apoio em operações anti-insurgência… Read more »

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
10 anos atrás

Rafael: Eu não tenho raiva dos EUA, na verdade eu até admiro a determinação deles em defender o próprio país. Eu discordo é dos resultados. O que eu gostaria mesmo é que a direita brasileira – esses que dizem que são nacionalistas – fossem assim como os americanos. Mas eles tem vergonha do país, do povo e nem em episódios simples ficam a favor do Brasil. Eles sempre torçem para os estrangeiros, sempre. Eu tenho é nojo dos BRASILEIROS que se curvam e se ajoelham diante deles achando que tudo o que os americanos fazem é para o bem do… Read more »

Falcon
Falcon
10 anos atrás

Falar que a Coréia do Norte ganharia da Coréia do Sul é no mínimo muita ingenuidade ou fervor ideológico Giap49.A amiga do Sul tem uma economia infinatamente mais diversificada e sólida que a do Norte,ou seja tem mais capacidade de se manter por muito mais tempo.Tecnologicamente está a anos luz em termos de Marinha,Força Aérea.Na área de blindados são mais ”parelhos” porém levando se em conta o cenário todo qualquer equilíbrio terrestre seria aniquiliado com a superioridade aérea Sul Coreana.O que a do Norte tem em quantidade falta em qualidade(tecnológica),no Iraque só para citar,em termos de forças terrestres na fase… Read more »