sábado, outubro 16, 2021

Saab RBS 70NG

Type 10, o novo tanque japonês

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Type 10 ou TK-X (MBT-X) é o novo MBT (Main Battle Tank) japonês, que visa substituir ou complementar os carros de combate Type 74 e Type 90.

Desenvolvido a partir dos anos 1990, com produção começando agora, 2010-2011. Um protótipo foi revelado em 13 de fevereiro de 2008 (ver vídeo no final deste post) no Technology Research and Development Institute (TRDI) em Sagamihara.

O projeto do Type 10 deu grande ênfase às capacidades C4I, bom como performance, poder de fogo, proteção e mobilidade. O uso modular de componentes melhorou significativamente a blindagem lateral, em comparação com o Type 90.

A alça panorâmica do comandante do carro foi movida para a direita e localizada numa  posição mais alta em relação ao Type 90, dando ao comandante um ângulo de visão mais amplo. O veículo é dotado de um novo canhão de alma lisa de 120mm desenvolvido pela  Japan Steel Works, que também produz sob licença o Rheinmetall L44 120mm para o Type 90.

A blindagem do carro pode ser configurada, com peso básico de 40 toneladas, podendo ir até 48 toneladas de peso. Os custos de desenvolvimento eram em 2008, de aproximadamente US$ 447 milhões. O preço unitário de cada Type 10 é de cerca de US$ 6,5 milhões.

Em 2010, o Ministério da Defesa japonês encomendou 13 carros de combate Type 10, que deverão entrar em serviço no próximo ano.

COMPARAR:

- Advertisement -

42 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luis
Luis
11 anos atrás

O peso está dentro do estipulado pelo EB. É um tanque moderno e com canhão de 120mm.
O preço, porém, está muito acima das possibilidades do EB e MD.

Galileu
Galileu
11 anos atrás

Sim o preço é bem salgado!!

Quanto a blindagem, com esse peso, fiquei intrigado, só 40 ton.

Mauricio R.
11 anos atrás

Sensor interessante na foto 7, alguma versão do Trophy local???

Flavio
Flavio
11 anos atrás

Saudade do Osório….

rogerio
11 anos atrás

Sera que um dia o brasil podera fabricar um tanque bom

matheus
matheus
11 anos atrás

Alguém pode me dizer qual é o limite Maximo de peso do carro de combate para o EB?

Mustafah
11 anos atrás

O alto preço das armas japonesas incorre do fato dessas serem desenvolvidas unicamente para o mercado intenro em razão das restrições legais daquele país

Baschera
Baschera
11 anos atrás

O preço não é tão alto não, o Arjun, indiano, é estimado em quase Us$ 10 milhas.

Agora, por aqui, dizem que não precisamos de um tanque sofisticado e nem podemos operar um muito pesado…etc…. que não necessitamos de um blindado poderoso por que nossos vizinhos não tem nada de mais também…. etc.

E o Japão, tem vizinhos com fronteiras secas para usar um MBT ??

Sds.

Roberto
Roberto
Reply to  Baschera
10 meses atrás

Concordo com você.! A tecnologia embarcada deve ser compativel com o sistema de Guerra centrada em Rede.Seria interessante o Brasil poder produzir aqui este MBT. Melhor seria a possibilidade de adquirir a tecnologia para produção. Seria carissimo!! Mas desenvolver à partir do zero…Demora muito tempo e muito mais dinheiro e não seria possivel desenvolver tudo sozinho. Mas tudo depende de avaliação.Mas quanto aos nossos vizinhos,temos que ter o melhor…! Não importa, Temos que nos tornar ao menos uma potencia regional…Para nos defender e atacar.

massa
massa
11 anos atrás

Uma reportagem do jornal Financial Times publicado em abril de 2010, citou que o vice ministro da defensa do Japão pediu que a proibição de exportação de armas auto-imposta fosse relaxada, refletindo a preocupação sobre a competitividade da indústria de defesa do país e os preços elevados que pagam. Um relatório da agência de notícias Kyodo, citando fontes anônimas, diz que o Japão pode permitir a exportação de interceptadores de mísseis que estão desenvolvendo em conjunto com os Estados Unidos. A ação veria o Japão relaxar o embargo às exportações de armas. A Europa é considerada um destino provável para… Read more »

João Gabriel
João Gabriel
11 anos atrás

Pois é né impressionante,e olha que o Type 74 e 90 eram extremamente modernos e já estão no Type 10….
Se talvez tivessemos desenvolvido e utilizado o Osório e aqui fosse um país sério que não se submete as palhaçadas diplomáticas do bufão bolivariano,estaríamos desenvolvendo um substituto para o Osório….

Abçs!

Baschera
Baschera
11 anos atrás

Pois é Galante, concordo !!

PS: Meu avatar sumiu !! Rsssss.

Sds.

Eduardo dos Anjos
11 anos atrás

Ê saudade do osorio!!! [2]

Leandro Requena
Leandro Requena
11 anos atrás

Acabei de ficar com inveja dos Japas… 🙁

Vader
Vader
11 anos atrás

Linda máquina hein? É bom mesmo que os japas continuem sem poder exportar suas armas… Metade do mundo se recorda ainda do quão bom eles são em fazê-las, quando querem…

No mais, MBTs não são prioridade para o EB. O EB precisava era de uma fábrica de helicópteros, mas parece que a Helibrás não cumprirá tal função…

Sds.

Nobre Cristão
Nobre Cristão
11 anos atrás

Falando apenas em “design”, neste quesito, o Leclerc é insuperável. O mais belo e imponente tanque dentre todos.

J. Claro
J. Claro
11 anos atrás

Sonho com o anuncio do retorno do Osório. E se esse projeto não for reativado, então a Estratégia de Defesa não é exatamente pra valer.

Vader
Vader
11 anos atrás

J. Claro disse:
31 de julho de 2010 às 21:51

“Sonho com o anuncio do retorno do Osório.”

Amigo, antes de dizer isso, pesquise aqui no ForTe (canto superior direito) sobre o que era de verdade o “Osório”. Aí o amigo provavelmente vai deixar de lado esta ilusão…

Sds.

Gunsalmo
Gunsalmo
11 anos atrás

Atualmente acho difícil o Brasil desenvolver, sozinho, um programa de MBT competitivo, pois os custos são muito altos. Seria mais viavel uma parceria com outro país.
Li uma notícia sobre os israelenses estarem necessitando de sócios para continuar a desenvolver novas versões do Merkava. Talvez fosse uma solução para nós.

Biel
Biel
11 anos atrás

Seria bom ver umas 300 unidades deste tanque no EB,
mas como a matéria disse existem restrições legais .

Mas pq o Japão desenvolveria um MBT?

Pq a projeção de poder além mar faz parte das pretensões futuras do Japão ( Não esqueçamos que este país almeja ser membro permanente do CS da ONU e conta com apoio dos EUA para isto) , um país membro do CS deve possuir meios para uma atuação global.

João Gabriel
João Gabriel
11 anos atrás

Certo Biel de pleno acordo,coisa que o Brasil não tem e se tiver será daqui longos anos,enquanto isso ficamos naquele atoleiro chamado Haiti esperando chegar a nossa vez no CS…

Abçs!

Nick
Nick
11 anos atrás

Caro J. Claro,

Sonho com o retorno da ENGESA… Uma lástima perder toda aquela expertise…mas infelizmente não é possível à curto prazo.

[]’s

ISAMU
11 anos atrás

porra, não aguento mais essa choradeira por causa do osório.é só falar de mbt e começa tudo outra vez.

ezeca
11 anos atrás

investir em MBT e mal uso de recursos pois essa função
e melhor exercita por helis. Investir em mas AH-2 ou similar pela helibras/EADS. no desemvolvimento das tecnologias de misseis.

Omega
Omega
11 anos atrás

Muito bom o ponto de vista do Baschera.

Este Tanque é símbolo de orgulho e de poder.

Galante, se não me engano o M1 Abrams não é mais fabricado, parece que todas as unidades danificadas são recuperadas. Escolheria ele para ser um dos melhores, senão o melhor tanque já feito. Realmente uma maravilha da engenharia. Assisti no Discovery, uma matéria sobre este poderoso tanque.

[]’s

ezeca
11 anos atrás

ou faz tropas com base na utilização do MSS.1.2
como o chapolin.

Paulo
Paulo
11 anos atrás

Como nosso cobertor é curto, temos de ir devagar. Os Leo vão suprir nossas necessidades por algum tempo. O primeiro passo está sendo o Guarani. Serão encomendadas 2044 unidades, o que não é pouco. E poderá ser embarcado no KC 390. Além de dispor de várias versões de uso.
Mais tarde a gente confere a grana de novo e se der, dá um próximo passo.

Pedro
Pedro
11 anos atrás

Meu sonho seria o dia que o EB criasse uma metodologia e politica de uso de forças blindadas, coisa que nunca tivemos. Não adianta vc comprar 10 mil tanques dos mais modernos se não saberes usa-los. A Blitzkrieg ensinava isso, e não pregava em momento algum a vc ter o melhor CC, ou o mais moderno e sim saber usa-los. Tanto que as maiores vitorias alemães vieram quando eles tinham um equipamento inferior, algo acontecendo semelhante com a URSS na IIGM. Veja atualmente a nossa situação. Temos uns 600 tanques, todos obsoletos, sejam os M-60A3 TTS ou os Leopard 1A1… Read more »

Ivan
Ivan
11 anos atrás

Pedro,

Vc foi na ferida.

Abç,
Ivan.

Galileu
Galileu
11 anos atrás

Pedro muito bom comentário….. Eu era de Cavalaria, e ficava inconformado com “aquele” equipamento, isso que era o melhor que havia: leopard a1 (sem visão noturna, controle de tiro e etc,,,) Urutu (quem fala que é o melhor da engesa, então ainda bem que faliu, porque o Urutu é a pior coisa que já vi, em todos sentidos) Cascável (poucos sabem, mas esse sim é pau pra toda obra, vi fazerem coisas com ele, que achava impossível pra um blindado) M113 (Tenho quase certeza que dependendo de onde pegar, até tiro de 9mm, fura!) mas valew o que o pedro… Read more »

J. Claro
J. Claro
11 anos atrás

Caro Vander, chequei sobre o Osório como sugerido. Fiquei abismado com o número de componentes de origem Alemã, Inglesa e Francesa. Mas acho que seria
de grande valia se desenvolvesse-mos uma nova geração
só que com um índice de nacionalização por demais elevado e principalmente aqueles mais sensíveis. Abraço

Vader
Vader
11 anos atrás

Pedro disse: 1 de agosto de 2010 às 15:29 Prezado Pedro, não digo que você esteja totalmente errado. Mas acho que você esquece de ver o quadro geral, e peca nos detalhes. Em primeiro lugar, precisamos pensar no porque de o EB ter uma vasta força blindada/mecanizada. Não basta ter a arma, tem-se que saber para que usá-la. Somos um país de dimensões continentais, e em muitos de nossos TOs não há possibilidade de emprego em larga escala de uma força blindade/mecanizada. É o caso, em linhas gerais, da amazônia (50% do território nacional). Blindados em geral não se movem… Read more »

Paulo
Paulo
11 anos atrás

Vader

Excelente comentário. Sobre o que você disse:

“Ademais, após a criação do Mercosul nenhum desses vizinhos tem sequer qualquer sonho bélico contra o Brasil. Somos parceiros comerciais e cada vez mais estes países se voltam para o Brasil como o guarda-chuvas econômico deles.”

Quanto a isso, podemos sim ficar tranquilos. Só começaria a me preocupar se eles começassem a nos considerar como guarda-chuvas militar deles.

Abraços

ezeca
11 anos atrás

Vader disse
belo comentario !!!!
1. HELICÓPTEROS.
2. AVIÕES DE TRANSPORTE.

no meu ponto de vista ñ so é a melhor opção,
como uma urgência ,ainda mas no combate do narcotráfico.

E tropas com base na utilização do MSS.1.2
como o chapolin(venezuelano).
o que achas :/

ezeca
11 anos atrás

Vader disse
belo comentario !!!!
1. HELICÓPTEROS.
2. AVIÕES DE TRANSPORTE.

belo comentario !!!!

no meu ponto de vista ñ so é a melhor opção,
como uma urgência ,ainda mas no combate do narcotráfico.

E tropas com base na utilização do MSS.1.2
como o chapolin(venezuelano).
Valter que achas :/

Pedro
Pedro
11 anos atrás

Vader. Discordo de alguns pontos seus: Primeiramente, a melhor defesa da região centro-sul do país é sim com tropas blindadas e mecanizadas. Aqui a topografia e geografia é mais plana e livre de florestas densas. Claro, concordo com o EB em agrupar e aglutinar aqui essas unidades. Usar tropas aero-transportadas para regiões abertas é de pouco valor em um terreno desse, pois faltará a elas poder de fogo e concentração. A tropa aerotransportada é excelente em locais como Amazonia e Pantanal, onde vc não pode usar meios mecanizados de trasnporte bem como as distancias são enormes. Aí o helicoptero esta… Read more »

ezeca
11 anos atrás

desculpa se estou me metento na resposta do Valter… na região sul com estrutu ra que tem cosegue que tem conseque chegar mas proximo do ideal. ja na região Amozonica as Forças Armadas operam quase milagres com sua estrutura. sim o custo dos helis são altos. porem com VBTPs e helis como principal, teremos maior mobilidade e força de dissuasão. quanto ao PIB você esta certo entretanto o maior inimigo hoje e o narcotráfico. O maior cosumidor de drogas e exatamente a região Sul/Centro-Sul. e forma mas eficiente de combater o tráfico é “chumbo” na fronteira e progamas sociais nas… Read more »

ezeca
11 anos atrás

e como disse o Paulo.
Qual a ameaça bélica do Brasil hoje ? (EUA)…
E em especial no sul do Brasil.

Vader
Vader
11 anos atrás

Pedro disse: 2 de agosto de 2010 às 18:19 Prezado Pedro, vc fez uma mistureba lascada, que fica até difícil lhe responder, mas vou tentar ser sucinto: 1. No Sul forças blindadas podem operar quase livremente. No Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste com enormes restrições. No Norte, quase impossível. Ou seja: salvo exceções, a Força blindada só terá utilidade em larga escala no Sul. 2. Tanto a Cavalaria, quanto a Infantaria, quanto a Artilharia operam em conjunto, cordenada e harmonicamente, tanto na defensiva quanto na ofensiva. O que não quer dizer, em absoluto, que a Infa opere “no meio” da Cav.… Read more »

marlos barcelos
marlos barcelos
11 anos atrás

Uma das poucas vezes que devo concordar com o Vader. Os helicopteros, caças, aviões de transporte devem ser a prioridade. Se tivermos superioridade aérea com os caças, os helicopteros poderão destruir qualquer força blindada e aiinda transportar soldados. Helicopteros como o mi-35 são ideais, robustos, transportam um grande número de tropas e ainda são resistentes, pena que o Brasil tem só 12, o ideal seria termos uns 50 deles, e uns 60 caças de última geração, isso já seria o suficiente.

Vader
11 anos atrás

marlos barcelos disse: 3 de agosto de 2010 às 16:11 Quanto aos helis Marlos, aguardemos um pouco mais para bater o martelo em torno dos MI-35. Se funcionarem podem ser ótimas naves, mas consta que eles tem problemas graves de disponibilidade ainda, e transportam uma fração muito pequena (para uma aeronave de transporte), em minha opinião. Para transporte, até o Caracal (que chegará nos próximos anos) é mais adequado (apesar de todas as outras restrições que tenho a tal equipamento). Eu de minha parte penso que o ideal seria uma força mista BH para transporte e (fosse possível) Long Bow… Read more »

Últimas Notícias

ESPECIAL: Apresentação das capacidades do Exército Francês

Por Jean François Auran* Colaborador especial do Forças Terrestres/Forças de Defesa Parece às autoridades militares francesas que o mundo está se...
- Advertisement -
- Advertisement -