Home Diplomacia Obama quer discurso histórico no Rio

Obama quer discurso histórico no Rio

59
2

O presidente americano, Barack Obama, quer fazer no Rio de Janeiro um “grande discurso” para o povo brasileiro, semelhante aos pronunciamentos históricos que fez em Berlim e no Cairo.

Segundo a Folha apurou, funcionários americanos estão buscando um local que possa abrigar alguns milhares de pessoas e que tenha uma logística adequada.

O tema do discurso ainda não está fechado, mas Obama deve abordar “a importância de Brasil e EUA atuarem juntos no cenário global”. Obama deve vir ao país em 19 e 20 de março e passar apenas por Brasília e Rio.

A ideia do governo americano é fazer um grande evento semelhante ao discurso do Cairo em junho de 2009 –em que Obama comunicou um recomeço das relações dos EUA com o mundo islâmico– e ao de Berlim.

Na capital alemã, Obama discursou para 200 mil pessoas em julho de 2008, antes de ser eleito, no Tiergarten, o principal parque da cidade.

No Brasil, o principal complicador para o evento é a língua. Uma das possibilidades em estudo é usar telões com legendas no palco onde Obama irá falar.

Também foi aventada a hipótese de distribuir fones de ouvido para os participantes, como foi feito no Egito. Mas, lá, o discurso foi na Universidade do Cairo, e era mais fácil controlar o fluxo de pessoas e fones de ouvido.

O governo americano gostaria de fazer o evento em algum lugar emblemático do Rio, e até uma praia está sendo cogitada.

Ainda durante sua estadia no Rio, Obama irá visitar uma favela pacificada –agentes americanos visitaram Cidade de Deus, Dona Marta, Babilônia, Cantagalo e Providência para verificar as condições.

Em Brasília, ele vai participar de um jantar oficial, e deve haver algum evento envolvendo empresários –muitos de São Paulo ficaram frustrados porque a comitiva não irá passar pela cidade.

SEM APOIO NO CS

No discurso, além da relação Brasil-EUA, Obama pode abordar o relacionamento entre seu país e a América Latina e a situação dos povos indígenas na região.

Ele poderia falar também sobre a questão racial, sublinhando a diversidade que une o Brasil e os EUA e o fato de ser o primeiro presidente americano negro.

Segundo fontes do governo americano, é bastante improvável que Obama declare apoio às ambições brasileiras a um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

A Casa Branca comemorou gestos da presidente Dilma Rousseff -entre eles, o repúdio às violações aos direitos humanos no Irã e as críticas ao tratamento dado a dissidentes cubanos.

Mas, para os americanos, o Brasil ainda não demonstrou de forma inequívoca liderança regional e global. E, com seu comportamento durante a negociação de sanções contra o Irã, ‘minou os fundamentos’ do CS.

Por esses motivos, ainda não é a hora de declarar apoio, dizem os americanos. A Índia recebeu apoio de Obama em sua visita a Nova Déli, em novembro.

Outro presente que Obama não deve trazer aos anfitriões é algum sinal de que a tarifa americana sobre o etanol brasileiro pode ser derrubada em breve. A tarifa foi renovada em dezembro.

“A tarifa é determinada pelo Congresso”, disse ontem José Fernandez, secretário de Estado assistente, em evento na Câmara Americana. “Não há planos de mudá-la.”

FONTE: Folha.com

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
MarineVader Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vader
Membro
Trusted Member

Obama no Rio? Ihhhhhh… isso vai dar porcaria…

Marine
Membro

Poe na conta do Obama! Rrsrsrsrs