Home Armas de Fogo Sarney defende revisão do Estatuto do Desarmamento

Sarney defende revisão do Estatuto do Desarmamento

95
14

BRASÍLIA – O presidente do Senado, José Sarney, defendeu, nesta sexta-feira, a revisão da Lei 10.826/2003, mais conhecida como Estatuto do Desarmamento, e a elaboração de lei mais rigorosa com “tolerância zero em relação às armas”.

– Acho que o Congresso deve examinar a lei do desarmamento, uma vez mais, e lutar pela proibição da venda de armas no Brasil. Quero dizer: tolerância zero em relação a armas – disse

O Estatuto do Desarmamento estabelece regras para a aquisição e o porte de armas. O projeto que lhe deu origem também previa a proibição do comércio de armas de fogo e munições no país, desde que esse ponto fosse aprovado pela população brasileira em um referendo. A consulta popular foi realizada em 2005 e a maioria da população votou contra a proibição.

Na ocasião, os eleitores foram convocados a responder à seguinte pergunta: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”. O “não” obteve 63,94% dos votos válidos e o “sim”, 36,06%.

Caso a proibição fosse aprovada por maioria simples do eleitorado, ela restringiria a aquisição de armas e de munição às Forças Armadas, polícias estaduais e federal, guardas municipais, penitenciárias, guardas portuárias, empresas particulares de segurança e transporte de valores e entidades desportivas de tiro legalmente constituídas.

Na opinião de Sarney, no entanto, o episódio trágico ocorrido no Rio de Janeiro, mostra à população que a liberação do comércio de armas deve ser revista, uma vez que, em sua opinião, “a realidade hoje é inteiramente diferente” de quando foi elaborada a lei e realizado o referendo.

-Não é que desapareçam os fanáticos, os desequilibrados de qualquer espécie, mas, na realidade, nós temos a obrigação de tirar os instrumentos que eles podem utilizar nessas circunstâncias – salientou.

FONTE: Agência Estado

NOTA DO EDITOR: A equipe da Trilogia de Defesa manifesta seu pesar pelo trágico episódio ocorrido no Rio de Janeiro. As armas podem ser usadas para o mal e para o bem, como todas as coisas que o homem inventa. Há algum tempo no Japão, um homem enlouquecido matou várias pessoas na rua com uma faca.

É bom lembrar que um policial usou sua arma para interromper a matança do assassino na escola atacada no Rio. Por isso, é bom ficar de olho nos demagogos e oportunistas que aparecem nessas horas para dizer que o desarmamento da população é a solução desse tipo de problema, quando na verdade, a questão é outra.

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lobo
Lobo
9 anos atrás

Sarney chega em casa, e vê a mulher com o amante no sofá.Então em uma atitude inteligente………QUEIMA O SOFÁ……..

Nautilus
Nautilus
9 anos atrás

Que negócio é esse de revisar estatuto de desarmamento? E a vontade soberana do povo brasileiro, que em sua esmagadora maioria (Quase 64%) expressou seu voto favorável à continuidade da venda de armas aos cidadãos de bem? Se era para mudar de novo, para que foi feito o referendo popular?

Luis
Luis
9 anos atrás

Que o J. Sarney não vale o ar que respira todos nós já sabemos… Eles perderam no referendo e não desistem!

Lobo
Lobo
9 anos atrás

Não possuo armas, mas sou afavor do cidadão de bem ter, se assim quiser.Pois o criminoso a terá legal ou ilegalmente, senão não seria bandido,ora!!!
Ah! Não tenho porquê acho “fracas” as armas de porte civil…….pois os criminosos este sim tem “coisa” de primeira……

Marine
9 anos atrás

Fica esperto Brasil.

Esse pessoal pro-desarmamento nao se importa com a vontade popular, se pudessem fariam um novo referendo todo dia ate que a proposta deles passase. Nao importa se a constituicao garante, nao importa se o povo quer, a eles o que importa e que “eles” como sempre sabem o que e melhor pra nos.

Me pergunto, sera que o Sr. Sarney ficaria sem segurancas caso tal referendo fosse aprovado? Sera que ele caminharia tranquilo pelas ruas sem segurancas e desarmado?

A resposta todos nos ja sabemos e demonstra a hipocrisia dessa classe de gente.

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Será que todas as armas que fazem a segurança das fazendas dos Sarney são legais?

Desarmar o cidadão honesto é fácil, pois este respeita as leis. Na verdade, o cidadão honesto já está desarmado.

O correto seria primeiro desarmar os bandidos, traficantes e esquadrões da morte.

Infelizmente estes não respeitam as leis…

Sds,
Ivan.

Wagner
Wagner
9 anos atrás

Sarney é um highlander, um sobrevivente. Já notaram que ele não envelhece ???

Ele está igual ao dia em que chegou a presidência !!

Ele na verdade é dos McLaud !! Seu verdadeiro nome é Sarney McLaud, do clâ Mclaud !!

ah ah ah !!

🙂

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Marine disse: 9 de abril de 2011 às 1:01 O Brasil, está longe de ser uma democracia. Aqui as pessoas acham que vivemos em uma democracia plena porque podemos falar mal do Governo a vontade, temos liberdade de imprensa e eleições diretas. O Brasil ainda é em muitos aspectos uma ditadura leve.. Aqui os políticos não se importam com que foi decidido pelo povo e fazem pouco caso( muitos publicamente) do que diz a opinião pública. Aqui chegou-se na cúmulo de que políticos pegos em atos de corrupção não renunciam e riem junto com os humoristas que vão ao Congresso… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Basta ver que o Estadão, continua censurado, por obra e arte do filho do sr. Sarney, senador da Republica pelo Amapá…

Vader
9 anos atrás

Como diria Paulo Francis: “Ninguém vai enfiar uma estaca no coração do Sarney?” 🙂

Observador
Observador
9 anos atrás

Demagogo, oportunista asqueroso. Não vou falar mais o que acho deste sujeito, ou os editores me censuram. Sobre a sugestão idiota do “Marimbondos de Fogo”, cabe aplicar então o raciocínio em outras situações. Seguindo o genial maranhense, também está aí a solução para os acidentes de trânsito: basta proibir TODOS os veículos automotores. Ninguém mais morrerá no trânsito. Vamos todos andar à pé que é mais seguro. Também, pela mesma lógica, devemos proibir aviões e helicópteros. Assim ninguém mais morrerá em acidentes envolvendo estas máquinas. Quem tiver muita pressa em chegar, que vá à cavalo. Pensando bem, deveríamos proibir prédios,… Read more »

Observador
Observador
9 anos atrás

Agora falando sério. A cocaína também é proibida não? A coca não é plantada no Brasil. igualmente a pasta-base não é feita aqui. Na verdade, grande parte da droga já é contrabandeada pronta para o Brasil. O mesmo ocorrerá com as armas. Se o lobby da proibição passar, o que acontecerá é a transformação dos cartéis de drogas em cartéis de drogas E armas. Hoje até este pessoal traz armas, mas para os próprios traficantes, assaltantes de banco, etc. Gente que precisa de armamento pesado. “Três oitão” não vem pela fronteira. Uma coisa é vender um fuzil, outra coisa é… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Eles vão rezafer referendo, plesbiscito e o kct a sete até passar…

No último eu me matei na internet debatendo com anti-armas…

Agora apertei o botão do f…..

A luta tem que ser contra o nosso Governo e não contra a massa de manobra dele, que afinal são gente como nós só que não enxergaram a realidade dos fatos ainda.

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

E esses desgraçados ao invés de trabalhar pelas reformas de base, como a tributária/fiscal, trabalhista, penal etc insistem em fazer demagogia às custas de dinheiro público, pois quem banca todas a campanha na TV, as urnas é o governo e TRE com noso dinheiro!!!! A atual lei de porte de armas é boa, e deve ser rígida sim mas, por que não investem mais na segurança e na educação públicos para que possamos ter cidadão melhores? Por que não fiscalizam melhor as fronteiras para evita o contrabando de armas? Não, gostam é de politicagem rasteria mesmo, de olho nas próximas… Read more »