sábado, outubro 1, 2022

Saab RBS 70NG

General afirma que Jobim ‘já foi tarde’

Destaques

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Oficial da reserva comemora demissão e diz que ex-ministro tinha “psicótica necessidade de se fantasiar de militar”

Ex-presidente do Clube Militar também ataca novo ministro Amorim; procurado, Jobim não comenta declarações

BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO

A queda de Nelson Jobim do Ministério da Defesa, no último dia 4, trouxe à tona o ressentimento de oficiais das Forças Armadas com supostas humilhações impostas a militares pelo ex-chefe.
Um artigo do general reformado Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, ex-presidente do Clube Militar, expõe mágoas da caserna e afirma que o ex-ministro tinha “psicótica necessidade de se fantasiar de militar” e “já vai tarde”.
O texto foi publicado no site da Academia Brasileira de Defesa e circula desde o fim de semana em blogs de militares. Escrito como desabafo dirigido a Jobim, sugere que parte da classe se sentiu vingada com sua demissão.
“Como um dia é da caça e outro do caçador, o senhor foi expelido do cargo de forma vergonhosa, ácida, quase sem consideração a sua pessoa, repetindo os atos que tantas vezes praticou com exemplares militares que tiveram (…) a desventura de servir no seu ministério”, diz.
“Por tudo de mal que fez à nação, enganando-a sobre o real estado das Forças Armadas, já vai tarde. Vamos ficar livres das suas baboseiras, das suas palavras ao vento, das suas falácias.”
O general afirma que o perfil do ex-ministro publicado pela revista “Piauí” “retrata com fidelidade” o “seu ego avassalador, que julgava estar acima de tudo e de todos, a prepotência, a arrogância e a afetada intimidade com os seus colaboradores”.
Na reportagem, que precipitou a demissão do ex-ministro, Jobim chama a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) de “fraquinha” e diz que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) “nem sequer conhece Brasília”.
Em outro trecho, que irritou os militares, a repórter narra uma cena em que ele usa tom ríspido para dar ordens ao almirante José Alberto Accioly Fragelli, diante de outros oficiais e de civis.
O artigo critica o ex-ministro por posar de farda, “envergando uniformes que não lhe cabiam não apenas por seu tamanho desproporcional, mas, também, pela carência de virtudes básicas”.

PROMESSAS
O oficial ainda ataca a Estratégia Nacional de Defesa, principal projeto de Jobim na pasta. “Megalômana, sem prazos e recursos financeiros delimitados”, critica.
“Suas promessas de reaparelhamento e modernização não se realizaram”, diz. “Só palavrório, discursos vazios, promessas que não se cumpriram, enganações e mais enganações.”
Lessa elogia a presidente Dilma Rousseff, que estaria comandando as Forças Armadas “na plenitude da sua competência”, mas critica a escolha do novo ministro da Defesa, Celso Amorim.
O diplomata é descrito como “sem afinidade com as Forças, alheio aos seus problemas e necessidades mais prementes” e “com notória orientação esquerdista”.
“Como no Brasil tudo o que está ruim pode ficar ainda pior, vamos ter que aturar o embaixador Amorim”, diz.
Ontem à tarde, a reportagem procurou ex-assessores de Jobim, que prometeram enviar a carta ao ex-ministro. Ele não se manifestou até a conclusão desta edição.

FONTE: Folha.com

- Advertisement -

4 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
11 anos atrás

E agora não resta mais dúvida nenhuma sobre a popularidade de Jobim entre os militares. Nem sobre a necessidade de sua saída. Pena que seu sucessor, em um primeiro momento, pareça ser pior do que ele.

Luis
Luis
11 anos atrás

Convém lembrar ao general que a chave do cofre fica em posse da Dilma(ndona). Se ela quiser liberar mais ela libera. O problema é que não é uma prioridade para a maioria dos políticos. E o Sapo Barbudo gastou muito mais do que devia, de 2003 a 2010. Alguns projetos saíram do papel, como a viatura Guarani, vários aviões de transporte para a FAB, a chegada do P3AM, os subs nucleares (sou contra nesse caso – são caros de construir, manter e operar e o AMRJ já sabe fazer o Classe Tikuna), 250 Leopard 1A5 para o EB e os… Read more »

Vader
11 anos atrás

Já vai tarde mesmo. Embora quem venha em seu lugar seja também uma bela porquice…

Drcockroach
Drcockroach
11 anos atrás

Parabens ao General pelo artigo. Eu nao recomendaria a mencao ao Amorim, mas o artigo em geral expoe o fanfarrao do NJ.

Novamente parabens!

[]s!

Últimas Notícias

O conflito fronteiriço entre a Quirguistão e Tadjiquistão

Rodolfo Queiroz Laterza Ricardo Cabral INTRODUÇÃO Quirguistão e Tadjiquistão são duas repúblicas oriundas da desintegração da União Soviética em 1991, com sociedades...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -