Home Estratégia Governo cria grupo para planejar reforma nas Forças Armadas até 2031

Governo cria grupo para planejar reforma nas Forças Armadas até 2031

163
9

Plano deve ser entregue ao ministro da Defesa até 31 de maio de 2012. Programa abordará recuperação de equipamentos e novas aquisições

 

O Ministério da Defesa criou um grupo de trabalho para planejar o aparelhamento das Forças Armadas brasileiras considerando os próximos 20 anos – até 2031. A instituição do grupo foi oficializada por meio de portaria publicada nesta terça-feira (20) no “Diário Oficial da União”.

A portaria visa a elaboração do Plano de Articulação e Equipamentos de Defesa (PAED), que deverá analisar pesquisa, desenvolvimento, manutenção operativa, recuperação da capacidade operacional, harmonização de projetos, preferência de aquisição de produtos de defesa no Brasil e transferência de tecnologia, quando a aquisição ocorrer no exterior.

Conforme o texto, o PAED deverá observar uma projeção de curto prazo, até 2015, de médio prazo, de 2016 a 2023, e de longo prazo, de 2024 a 2031.

O grupo que será criado terá 60 dias para apresentar a metodologia do PAED. Devem participar o chefe de Logística das Forças Armadas, a Secretaria de Produtos de Defesa, além de representantes de outras pastas, conforme a portaria.
O texto estipula ainda que o plano seja apresentado ao ministro da Defesa, Celso Amorim, até 31 de maio de 2012.

Presidente Dilma

Na segunda-feira (19), durante solenidade de apresentação de oficiais-generais recém-promovidos, no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff defendeu o aparelhamento das Forças Armadas.

“Prosseguiremos com os projetos prioritários de aparelhamento das Forças sem deixar de valorizar os homens e as mulheres que tornam esses projetos possíveis. (…) O país com o qual sonhamos precisará cada vez mais de Forcas Armadas equipadas e qualificadas para cumprimento de suas funções”, afirmou a presidente em discurso para um público formado por militares e seus familiares.

Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgada na semana passada mostrou que 50% dos entrevistados acreditam “totalmente” ou “muito” que nos próximos 20 anos o Brasil será alvo de agressão militar estrangeira em função de interesses sobre a Amazônia. Outros 45% creem que o Brasil poderá ser atacado por causa das bacias do pré-sal.

FONTE: G1

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daglian
Daglian
8 anos atrás

Sou cético quanto a promessas deste tipo em nosso país…

Planejar é fácil, já executar, por aqui, parece difícil.

… Mas que tal começar pelo FX-2????? Era só escolher o F-18 ou o Gripen e já estariam demonstrando preocupação com nossa defesa. Não citei o Rafale pois não acho que seja uma boa opção para nossa defesa.

klesson
klesson
8 anos atrás

Mais uma Comissão? Porque até 2031? E depois, não continua…? Esta comissão já não foi criada anteriormente com outro nome? Cada força já não tem seus resultados?
Bem, falta agora criar a Comissão de ATITUDE? Mas esta…será que rola um repolho ou uma alface aí?

dario_avalosf
dario_avalosf
8 anos atrás

Entendo a frustação da maioria, devido ao histórico mas, na minha ótica, estamos diante de mais uma grande oportunidade de se criar um conceito moderno, eficaz, inteligente para as nossas FA’s, envolvento equipamentos, pesquisa, educação e recursos. Estamos vivendo um momento de grandes transformações e mudanças no cenário internacional. O Brasil precisa parar, olhar, pensar e tirar vantagem deste cenário. Tudo isso é muito mais que adquirir os aviões do FX-2.

Ozawa
Ozawa
8 anos atrás

Incrível ! A compulsão do Brasil para criar planos e siglas quando, diante de demandas estruturais inquestionáveis, não se quer realizar nada concretamente. Apenas foguetórios e palavrios e muito, muito “flash” das câmeras de TV ! E dá-lhe mais um plano como se o que faltasse às Forças Armadas fossem siglas de reaparelhamento ! Já dá pra criar uma Divisão Blindada só de siglas ! E todos os planos, é claro, com a certeza de que não serão executados nem em suas notas de rodapé, nesta ou na outra geração, diferidos que são no tempo: 2025, 2035, 2045, 2065, ano… Read more »

Invincible
Invincible
8 anos atrás

Sabe o que eu acho disso: Bullshit!!!

dario_avalosf
dario_avalosf
8 anos atrás

Não concordo com algumas conclusões / palavras acima. Se for para mandar alguém “viajar”, inclua(m) também os oficiais generais das 3 forças e seus respectivos staffs e os responsabilize por falta de competência adm. e articulação política.

Optimus
Optimus
8 anos atrás

2031? Claro, agora tudo faz sentido: é a data que finalmente vamos concluir o F-X2! Começarão a troca dos Fal pelos IA2, e começará a fabricação dos guaranis e a entrega do Sub nuclear e com isso seremos uma potência bélica capaz de meter medo nas nações imperialistas do mundo… “O Brasil precisa parar, olhar, pensar…” estamos fazendo isso a 3 décadas!!! Ou é muita incompetência… ou pura falta vontade!!! “…os oficiais generais das 3 forças e seus respectivos staffs e os responsabilize por falta de competência adm. e articulação política.” Claro, incompetência é sinônimo unicamente das FA’s… o resto… Read more »

dario_avalosf
dario_avalosf
8 anos atrás

Infelizmente, a ineficiência está em todo o Brasil. Temos bons exemplos, mas são casos isolados.
Agora, dentro de tantas demandas por recursos, justas ou não, se as FA’s não souberam lidar com a política ou fazer “lobby”, a situação não mudará. Aí, cabe aos staff’s “baterem a mão na mesa” para obtenção de mais recursos. Isto também é democracia. O que não pode é ficar esperando as coisas acontecerem sentados, enquanto nossos soldados enfrentam guerrilheiros com armamentos mais sofisticados do que o nosso FAL.