Em tom de ameaça, Chávez diz que sua derrota pode gerar guerra civil

Em busca do terceiro mandato seguido de seis anos, venezuelano afirma que sua reeleição interessa “até aos ricaços”, porque é garantia de estabilidade

 

Chavez
David Fernandez

Pelo segundo dia consecutivo, o presidente da Venezuela e candidato à reeleição, Hugo Chávez, afirmou que uma vitória da oposição nas eleições de 7 de outubro provocará uma “guerra civil” e convidou até os “ricaços”-via de regra alvo de suas críticas- a votarem nele.

Chávez, que buscará seu terceiro mandato seguido de seis anos, é o favorito na maioria das pesquisas, como a de julho do respeitado Datanálisis que lhe dá 46,8% de intenções de voto contra 34,3% do candidato da oposição, Henrique Capriles, 40. Os indecisos são 18,5%.

O opositor, porém, está em empate técnico com o presidente em pesquisa de agosto feita pelo reputado Consultores 21: 47,7% contra 45,9%.

“Até aos ricaços que querem tranquilidade interessa que Chávez ganhe”, disse, em ato anteontem. “Será que uma guerra civil lhes convém? De maneira nenhuma. Isso só convém à extrema direita fascista encarnada pelo perdedor”, seguiu.

“Chávez garante a paz, a estabilidade, o crescimento.”

Ontem, questionado sobre a tema, Chávez disse que a oposição é a verdadeira ameaça, já que, segundo ele, planeja aplicar “um pacotaço” econômico que desestabilizaria o país. A oposição nega a existência do plano.

“Dizer que sou eu quem está ameaçando a Venezuela de guerra civil é inverter a realidade”, afirmou.

No ato de anteontem, transmitido pela TV estatal, Chávez também recomendou à “burguesia” que não tente questionar os resultados eleitorais nas ruas.

“Se pretendem sair a questionar [os resultados], pior para eles, porque as ruas são do povo, e não da burguesia. Se lançam seu plano B, nós lançamos o plano Che. […] Que se preparem para aceitar o inevitável”, disse.

A consultoria de risco Eurasia Group distribuiu ontem a clientes nota na qual diz que o governo “está aumentando o uso de táticas agressivas para reduzir o apoio” a Capriles. “Chávez segue favorito para vencer, mas a eleição parece cada vez mais competitiva”.

DISPUTA PELOS POBRES

Enquanto Chávez se dirigiu aos ricos, Capriles falou aos pobres, fatia na qual o presidente lidera com folga.

Com muito menos espaço na TV –não há horário eleitoral gratuito, mas o governo segue tendo direito a spots gratuitos e cadeias obrigatórias-, o opositor exibiu propaganda nas emissoras privadas anteontem à noite prometendo manter e ampliar os programas sociais do governo. Capriles disse que vai distribuí-los a todos “independentemente da cor política”. Ontem, prometeu aumentar em 25% o salário mínimo em janeiro, chegando a R$ 1.162.

FONTE: Folha de São Paulo, via Resenha do EB

Subscribe
Notify of
guest

11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Giordani
Giordani
10 anos atrás

Tá com medinho, tá? Tua cuba sulamericana tá fazendo água, tá?

Para bom entendedor, o que o alucinado-caribenho disse é que vai dar um golpe de estado acaso ele perca as eleições…e vejam, que mesmo com o Estado venezuelano, a Justiça e as forças armadas aparelhados pelo partido, a possibilidade de que essa corja bolivariana seja ejetada do poder é bem real e tal vem numa crescente! Mas é certo que surgirão da noite para o dia milhares e milhares de eleitores bolivarianos…

Vader
10 anos atrás

O pior não é o Chavez dar golpe de estado caso perca: o pior é saber que, ao contrário do ocorrido no caso do Paraguay, a canalha bolivariana que nos governa o apoiará incondicionalmente.

Leonardo Crestani
Leonardo Crestani
10 anos atrás

E ainda tem gente no gorverno brasileiro defendendo a “democracia” venezuelana. O Chapolin não ira perder, ele ira roubar nas urnas, ele ira forçar o povo a votar nele como os coroneis faziam no Brasil no passado, mas fica bem claro que tipo de homem e governante é esse chavez, e que sirva de alerta pro governo brasileiro se afastar desse maluco comunista.

Luiz Paulo
Luiz Paulo
10 anos atrás

Não esqueçamos das palavras do nosso ‘ex-guia’ e ‘sol-da-humanidade’ quando voltou de uma visita em Caracas: “Existe até muito democracia lá”. Lembremos também que os marqueteiros do partido governista daqui estão dando todo suporte eleitoral (marketing e etc)lá, como já fizeram em outras eleições na América Latina desde que chegaram ao poder. A reeleição de Chavez é caso estratégico para o Foro de SP e a esquerdopatia, por isso tanto investimento e atenção lá. Se brincar, caso o chapolim perca lá, o governo decreta luto oficial aqui de 3 dias… e mandam uma nota diplomatica conjunta com Cuba repudiando o… Read more »

aldoghisolfi
aldoghisolfi
10 anos atrás

As carinhas…

hamadjr
hamadjr
10 anos atrás

A questão é se as Forças Armadas garantiram a ordem Constitucional, se isto acontecer então nada de delírio vai acontecer.

fabioCrescenti
fabioCrescenti
10 anos atrás

Pronto, depois só vai faltar os bolivarianos mais ao sul…..

Requena
Requena
10 anos atrás

Esse ai é a “nata da M. ”
Torço pela sua morte. No dia que “embarcar” vou beber um escocês de 12 anos pra comemorar.

Observador
Observador
10 anos atrás

Senhores, Fica difícil vencer a máquina pública a serviço do Chapolin Colorado y Bolivariano. A esquerda sul-americana aplica a cartilha de Antônio Gramsci, nos seus “Cadernos do Cárcere”, que os ideólogos do Fórum de São Paulo seguem à risca. Gramsci defendia que o “proletariado” deveria buscar o Poder infiltrando-se nas instituições, solapando o pensamento de “direita” e impondo a sua visão tacanha e deformada do Mundo e do Ser Humano. É a tomada do Poder por dentro, ao invés de uma revolução armada. E o projeto deles é para toda a América Latina, desde os paisecos do Caribe até o… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“A questão é se as Forças Armadas garantiram a ordem Constitucional,…”

Lá não é o Brasil, os milicos de lá estão no cerne do projeto bolivariano de poder.
Então se a oposição ganhar, vai ser mto difícil levar.
Quase impossível, aliás.

erabreu
erabreu
10 anos atrás

Começou a bater o desespero. Se não conseguir ganhar nas manipulações de votos vai partir com certeza para o golpe de estado.
Mas o ceifador o espera numa curva logo alí adiante.
Observador: grande análise! Parabéns!