domingo, agosto 7, 2022

Saab RBS 70NG

Coreia do Norte diz que armistício com Seul perdeu validade

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Coreia-do-norte-kim-jong-un-e-soldados - foto Reuters via Veja

Decisão é uma resposta ao aumento das sanções da ONU impostas ao país e completa semana de ataques verbais e ameaças à Coreia do Sul e aos EUA

vinheta-clipping-forte1Após ameaças feitas nos últimos dias, a Coreia do Norte anunciou nesta sexta-feira que anulou os acordos de não agressão assinados em 1953 com a Coreia do Sul, que decretaram o armistício entre os países vizinhos após a Guerra da Coreia, iniciada três anos antes. A decisão é uma resposta à resolução do Conselho de Segurança da ONU que, um dia antes, ampliou as sanções já impostas ao país. As Coreias do Sul e do Norte jamais assinaram um acordo de paz para colocar um ponto final no conflito e, tecnicamente, ainda estão em guerra. Além disso, o regime do ditador Kim Jong-un prometeu fechar o único posto de fronteira entre os vizinhos, acabando com o contato direto entre os países. A medida impacta diretamente o trânsito de pessoas e de mercadorias.

A afirmação de que os acordos perderam a validade é o mais recente episódio de uma semana marcada pelo aumento da tensão com a Coreia do Sul e os Estados Unidos, país que o regime de Pyongyang ameaçou com um “ataque nuclear preventivo”. O governo americano declarou levar a sério a ameaça, mas ressaltou que a Coreia do Norte tem usado de uma “retórica extrema” nos últimos dias. Analistas políticos não acreditam que o governo norte-coreano tenha tecnologia suficientemente avançada para lançar um míssil com capacidade nuclear nos EUA a curto ou médio prazo, por isso, o desafio se insere mais nas habituais provocações belicistas do país.

Autodestruição – A troca de ataques verbais na península coreana se intensificou com o Ministério da Defesa da Coreia do Sul fazendo uma grave advertência nesta sexta: “Se a Coreia do Norte atacar a Coreia do Sul com uma arma nuclear, o regime de Kim Jong-un desaparecerá da Terra”, afirmou o porta-voz do Ministério, Kim Min-seok. O representante da Defesa disse que, “embora no passado a bomba atômica tenha sido utilizada duas vezes para pôr fim à Segunda Guerra Mundial, o ataque a uma sociedade livre e democrática, como a República da Coreia, não será perdoado pela humanidade”.

A presidente sul-coreana, Park Geun-hye, também reiterou a intenção de “responder duramente” a futuras provocações da Coreia do Norte e assegurou que o país comunista enfrentará sua “autodestruição” se continuar com suas políticas militaristas.

Por outro lado, uma fonte militar manifestou à agência sul-coreana Yonhap que a unidade de artilharia da Coreia do Norte na frente ocidental aumentou seus exercícios desde o início do ano, com a mira voltada para Seul e seus arredores. Nas últimas semanas, EUA e Coreia do Sul também estão realizando manobras militares conjuntas na região e na segunda-feira iniciarão novos exercícios.

Sanções – A escalada de provocações da Coreia do Norte e sua ameaça sem precedentes de iniciar uma guerra nuclear estão diretamente relacionadas com o acordo, formalizado terça-feira passada pelos Estados Unidos e a China na ONU, para impor novas sanções ao regime comunista como retaliação a seu teste nuclear de fevereiro. O aumento das sanções foi aprovado nesta quinta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU, por unanimidade.

Entre as medidas previstas estão um reforço das inspeções no país para impedir o tráfico de produtos ilícitos e bens de luxo, assim como restrições a três novas pessoas e duas empresas envolvidas em atividades ilegais.

FONTE / FOTO (via Reuters): Veja

- Advertisement -

7 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renato Oliveira
Renato Oliveira
9 anos atrás

Vish. Me lembrei daquele meme: agora a coisa ficou terrivelmente séria. Se o que tínhamos antes eram boatos da 3ª guerra mundial, agora os boatos ganham força. Por um outro lado, os norte-coreanos são falastrões há 3 gerações. Tal avô, tal pai, tal filho. A chance maior é que eles estejam dando truco e ver o que acontece. Afinal de contas, o país já está à beira do precipício faz anos. Agora que até a China está pulando fora, eles não tem mais o que perder. Provavelmente vão latir, latir e latir, mas dificilmente vão morder. O que eles esperam,… Read more »

Skyraider
Skyraider
9 anos atrás

Acho que a falta de apoio da China e uma elevação do tom da Coréia do Norte pode ser uma manobra diversionista estrategicamente montada por ambas para concentrar o foco dos EUA nesta possível escaramuça, deixando o mar do sul da China mais desimpedida aos chineses.
Mas é só um palpite.

victormth
9 anos atrás

Não acredito que uma guerra contra a Coréia do Norte irá levar a 3ª mundial, talvez no clímax de uma possível batalha quando os EUA estiverem vencendo ela irá disparar vários mísseis nucleares em diferentes alvos como tiro de mizericórdia.
Já uma guerra contra o Irã é que seria uma preocupação já que os interesse das grandes nações seriam postos em xeque. Com certeza seria o fim do mundo!!!

Giordani
Giordani
9 anos atrás

Entao tecnicamente as Coreias estao em guerra nesse momento?

Requena
Requena
9 anos atrás

Esse gordinho da Coréia do Norte ainda vai arrumar sarna pra se coçar…

Vader
9 anos atrás

Giordani disse:
10 de março de 2013 às 22:48

“Entao tecnicamente as Coreias estao em guerra nesse momento?”

Legalmente falando sim (do ponto de vista do Direito Internacional Público).

Basta apenas uma ação militar para legitimar o conflito.

aldoghisolfi
aldoghisolfi
9 anos atrás

MAS já imaginaram o que é viver na CN?
Não existe nenhuma outra nação medianamente neurótica como ela.

Últimas Notícias

Tropa brasileira chega aos EUA para o exercício CORE 22

Leesville, Louisiana (EUA) – Os 219 militares do Exército Brasileiro que participarão do exercício CORE 22 (Combined Operations and...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -