Home Forças Armadas Forças Armadas vistoriam 42,2 mil veículos e 2,2 mil embarcações nas regiões...

Forças Armadas vistoriam 42,2 mil veículos e 2,2 mil embarcações nas regiões de fronteira

229
1

Forças-Armadas-iniciaram-na-manhã-do-último-sábado-18-a-Operação-Ágata-7-que-mobiliza-25-mil-militares

vinheta-clipping-forte1

O balanço dos cinco primeiros dias da Operação Ágata 7 indicou que as forças armadas vistoriaram 42,2 mil veículos e 2.778 embarcações na faixa de fronteira de 16.886 quilômetros. Com o emprego de 31.263 militares e civis – o maior efetivo utilizado em operações pelo governo federal -, a Ágata também teve a apreensão de 70 quilos de maconha, 18 quilos de cocaína e três quilos de pasta base da droga. Quatro aeronaves foram interceptadas, mas nenhuma irregularidade foi constada e, em seguida, os aviões foram liberados. O resultado parcial das operações foi divulgado pelo Ministério da Defesa na última quarta-feira (22).

A Operação também realizou ações cívico-sociais na região norte. Foram atendidas 25.955 pessoas e distribuídos 4.608 medicamentos. até o fim da operação estão previstos atendimentos médico, odontológico e hospitalar em Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, e em Tabatinga, no Amazonas, além de outras localidades que estão sendo definidas pelos comandantes militares da Amazônia, do Oeste e do Sul

Instituída como uma das ações do Plano estratégico de fronteiras, a Operação Ágata é mantida sob o comando do Ministério da Defesa e coordenada pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA). A execução cabe à Marinha, ao Exército e à Força Aérea Brasileira (FAB), com o apoio de 12 ministérios, cerca de 20 agências governamentais, forças policiais e agentes de dez estados e 710 municípios.

A Ágata começou no último sábado (18) entre o Iapoque, no Amapá, e Chuí, no Rio Grande do Sul. A previsão inicial era do emprego de 25 mil militares, mas até o momento, os números indicam mobilização de 31,2 mil civis e militares na faixa de fronteira do Brasil com os países sul-americanos. A operação acontece às vésperas da Copa das Confederações e da visita do Papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude.

Os agentes governamentais, como as Polícias federal e rodoviária federal, receita federal, bem como a agência nacional de telecomunicações (Anatel); a agência nacional de energia elétrica (Aneel); a agência nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis; a Comissão nacional de energia nuclear; o departamento nacional de Produção Mineral, o instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, a fundação nacional do Índio (Funai) e o instituto Brasileiro do Meio ambiente e dos recursos naturais renováveis (Ibama) atuarão em conjunto em suas respectivas áreas.

Ágata

Em quase dois anos, o Ministério da Defesa, por meio do EMCFA, já realizou seis edições da operação Ágata. A faixa de fronteira situa-se 150 quilômetros a partir da divisa e compreende 27% do território nacional.

A fronteira tem 16.886 quilômetros de extensão, sendo 7.363 quilômetros de linha seca e 9.523 quilômetros de rios, lagos e canais. são 23.415 quilômetros de rodovias federais. os estados de fronteira são Amapá, Pará, Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. os países vizinhos são Guiana Francesa, Guiana, Suriname, Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru, Paraguai, Argentina e Uruguai.

A Ágata contempla também ações Cívico-sociais. As seis edições resultaram em 59.717 procedimentos, 18.304 atendimentos médicos e 29.482 odontológicos. Cerca de 9 mil pessoas foram vacinadas e 195.241 medicamentos foram distribuídos.

FONTE: Secom via Resenha do Exército

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Blind Man's Bluff Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

A guerra contra as drogas nas palavras de Miyamoto Musashi:

“Mudar a montanha para o Mar:
O espirito de mudar a montanha para o mar significa que é ruim repetir a mesma coisa (erro) várias vezes quando se luta contra o inimigo. Pode não haver outro jeito, a nao ser fazer duas vezes a mesma coisa, mas não tente fazer uma terceira vez. Se fizer um ataque e este falhar, há poucas chances de sucesso se usar o mesmo método de novo.”