Home Armas de Fogo Taurus entra no mercado de armas para uso militar

Taurus entra no mercado de armas para uso militar

2541
9

m4

Meta da companhia gaúcha é alcançar R$ 785 milhões em receita líquida neste ano, com faturamento bruto estimado em R$ 1 bilhão

 

vinheta-clipping-forte1Maior fabricante de armas no Brasil e uma das líderes globais no segmento, a Forjas Taurus se prepara para disputar o mercado de equipamentos de uso restrito da área militar. O diretor-presidente da empresa com sede em Porto Alegre, Dennis Bráz Gonçalves, informou ontem no Tá na Mesa, evento da Federasul, o ingresso nesse segmento. A estreia pode ocorrer por meio de uma concorrência em andamento para aquisição de materiais para reequipar e atualizar os armamentos das Forças Armadas do Brasil, em licitação pelo governo federal. A empresa desenvolveu um modelo de fuzil para disputar os contratos.

Segundo Gonçalves, o processo está na fase de certificação dos modelos. A entrada no nicho de armamentos restritos, de uso exclusivo da área militar, é apontada como a quarta onda de desenvolvimento de produtos da marca. O processo de certificação atinge o modelo de Fuzil M4, que é uma AR15 modelo militar com capacidade para 30 cartuchos. Caso o modelo seja habilitado, a fabricação será feita na unidade localizada no Estado.

A opção da indústria é uma forma de compensar as restrições do mercado brasileiro diante do estatuto do desarmamento em vigor no País. “O mercado civil brasileiro mingua a olhos vistos. Hoje, comprar uma arma envolve um processo burocrático tão complexo e longo que pode durar mais de oito meses e eleva o custo da arma”, associou o executivo.

A alta recente do dólar está turbinando o desempenho financeiro da companha, que tem 70% da receita líquida oriundos de exportações. Somente o mercado norte-americano supre 66% desse valor. Neste ano, a meta da marca é alcançar R$ 785 milhões em receita líquida, com faturamento bruto estimado em R$ 1 bilhão. Gonçalves citou que a empresa havia fechado previsão da moeda no começo do ano em R$ 2,04. Ontem, a moeda fechou cotada a R$ 2,43. Mas a desvalorização do real tem outro efeito, que pode debilitar as finanças. Hoje, cerca de 60% da dívida líquida estimada em R$ 450 milhões estão em dólar (US$ 120 milhões, ou R$ 290 milhões). Gonçalves disse que 75% do passivo são de longo prazo.

Parte da receita deste ano tem forte influência da antecipação de compra de produtos pelos consumidores dos Estados Unidos. O quadro foi gerado pelo projeto do presidente Barack Obama, que acabou derrotado no Congresso do país, que pretendia restringir e controlar a comercialização de armamentos. “Com medo de ter uma regulação, a população não quis arriscar e antecipou a aquisição no começo do ano”, justificou o executivo. Em janeiro, a empresa faturou US$ 51 milhões com os pedidos. “Os americanos limparam os estoques”, resumiu Gonçalves.

FONTE: Jornal do Comércio

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renato Oliveira
Renato Oliveira
7 anos atrás

A Taurus agora fabrica armas da família AR15?

fabioCrescenti
fabioCrescenti
7 anos atrás

Renato: “Caso o modelo seja habilitado, a fabricação será feita na unidade localizada no Estado.”

Cinquini
Cinquini
7 anos atrás

A Taurus tentou fabricar o Tavor e disse que estava “tudo certo” e depois “sumiu”…..

Eu sou igual São Tomé, só acredito vendo!

Oganza
Oganza
7 anos atrás

Putz… M4? Nada contra, mas poderia pegar um SCAR ou até um HK 416, seria melhor pra TAURUS (quem sou eu pra saber o isso?) e para as FFAA brasileiras se eles ganhassem a tal concorrência e ainda poderia ter dividendos, a Taurus podia comprar a IMBEL em um possível/improvável processo de privatização. Não?

Sds.

Luis
Luis
7 anos atrás

“O processo de certificação atinge o modelo de Fuzil M4, que é uma AR15 modelo militar com capacidade para 30 cartuchos.” Erros da imprensa leiga: -M4 é uma carabina, não fuzil. -AR15 é nome (marca) registrada da Colt Firearms. O que mais tem nos EUA são modelos ‘AR-15-type’, de diferentes fabricantes. Qual deles a Taurus irá fabricar? -A capacidade de munição diz respeito ao tamanho do carregador, nada a ver com a arma. Exitem carregadores de 20, 30, 40 e até 100 tiros para fuzis. -Armas de alma raiada usam estojo, não cartucho. A Taurus tem a Carabina CT556, mas… Read more »

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Luis Há divergência se é um fuzil ou carabina, dependendo do que você entenda por carabina, e irá classificar por comprimento de cano ou por tipo de munição. Na classificação mais usual, é fuzil o M-4, pois dispara munição so usada por arma longa. A carabina da Taurus, por exemplo, usa munição .40, e é carabina por disparar munição também disparada por arma curta. Todas as armas, tenham alma lisa ou raiada, usam cartuchos. Cartucho é o conjunto completo antes de ser disparado, tendo carga de propelente, espoleta (ou estopliha nos cartichos de canhão) e podendo ter projétil singular ou… Read more »

Vader
7 anos atrás

Pra mim a Taurus se ligou que as FFAAs jamais usarão um bullpup e tá tentando fazer um fuzil que não o seja para disputar com a Imbel.

O que a Taurus não se ligou é que as FFAAs jamais usarão em larga escala um fuzil que não seja Imbel.

O que aliás é lamentável.

Renato Oliveira
Renato Oliveira
7 anos atrás

Um conhecido é usuário de pistola Imbel .40 no trabalho, e reclama muito da péssima qualidade da arma. Tá certo que tem que valorizar a indústria nacional, mas tudo tem limite. Não sejamos iguais a França. Olha o que dá. Lord Vader, pra mim o único ‘defeito’ das Tavor é… ter nascido em Israel. Por motivos políticos, só isso já mata a arma, não importa suas qualidades. E olha que não são poucas. Em termos de ergonomia, o Tavor está próximo da perfeição para um bullpup. E duvido muito que a Taurus não tenha percebido isso. Mas o que eu… Read more »

Requena
Requena
7 anos atrás

Concordo com o que alguns falaram. Acho que esse discurso da Taurus de querer “participar das concorrências do EB” uma grande conversa mole. Basta ligar os pontos. A Taurus faz muito sucesso nos Estados Unidos. Os compradores de armas americanos são “tarados ” pelo fuzil AR-15. Existem dezenas de fabricantes de fuzil “AR-15 type” (como o Luis falou). Com certeza a Taurus deve receber milhares de pedidos por um “AR-15 Type” próprio lá nos USA. Agora vão fabricar um fuzil que os clientes americanos adoram e de quebra vão poder oferecer ele para o EB, FAB, MB, PF. E se… Read more »