Home Blindados Exército testa Guarani para possível emprego na MINUSTAH

Exército testa Guarani para possível emprego na MINUSTAH

357
20

06blindadoguaranitesteshaitirose

Rose Mary de Souza

Direto de Campinas

O Exército Brasileiro está testando no interior de São Paulo o Guarani, novo blindado que pode ser empregado na Missão de Paz no Haiti, que embarca no começo de dezembro para o pais caribenho. O veículo é avaliado em R$ 2,6 milhões e está em fase final de treinamento entre os fuzileiros da missão da Organizações das Nações Unidas (ONU).

Os 1,2 mil soldados estão concentrados na reserva militar da Fazenda Chapadão, área restrita do Exército, em Campinas. Eles se apresentaram voluntariamente e vêm de vários municípios do interior de São Paulo, além de países como Chile, Uruguai, Paraguai e Canadá. Boa parte da tropa é formada por especialistas, que irão atuar como médicos, enfermeiros, advogados, veterinários, religiosos e tradutores poliglotas.

07blindadoguaranitesteshaitirose

Dos 1,2 mil militares em treinamento, apenas 12 são do sexo feminino. Cerca de 300 militares integram o quartel do Batalhão de Infantaria Leve de Campinas, local onde está sediada a tropa que seguirá para Porto Príncipe, capital do Haiti. Segundo o coronel Anísio David de Oliveira Júnior, comandante do Batalhão de Infantaria de Força e Paz (Brabat 19), esse é o 19º grupo de soldados a desembarcar no país caribenho desde que foi criado intercâmbio de pacificação, em 2004.

Os equipamentos começam a ser enviados no final de novembro e, no começo de dezembro, ocorrerá a troca da equipe na área de pacificação. A expectativa é que a permanência dos soldados no Haiti seja de seis meses a um ano.

Guarani
O Guarani é fabricado em Sete Lagoas (MG) pela montadora Iveco do Brasil. O projeto de concepção e execução do novo blindado é uma parceria com o Exército Brasileiro. O veículo é usado para o transporte de soldados e pode levar 11 pessoas, sendo oito fuzileiros, um motorista, um atirador na torreta e o comandante.

O capitão Mozer conta que o Guarani tem se mostrado muito capaz, já que sua eficiência é superior à do Urutu, blindado do Exército fabricado desde os anos 1970. O Guarani leva vantagem por contar com um sistema de proteção anti-minas terrestre capaz de suportar um impacto de até 6 quilos do explosivo. “Nesse caso, o Urutu sofreria um rombo e o Maruá (utilitário também utilizado pelo Exército) sairia do chão”, comentou o capitão.

Entre os itens de segurança também há assentos presos ao teto e cintos de segurança de cinco pontos, que proporcionam menor incidência de risco para a tripulação. Anfíbio, o Guarani pode boiar na água e atravessar zonas de alagamento e rios.

01blindadoguaranitesteshaitirose

Seu sistema automático de enchimento de pneus foi desenhado para aumentar a mobilidade do veiculo e rodar em diferentes tipos de aderência, em terrenos que necessitem de rolamento com calibragem variável.

“A suspensão é independente, é 6X6, tem ar condicionado, e está preparado para suportar ataques químico, biológico e nuclear”, conta o militar. Outro sistema que chama a atenção é o dispositivo que garante a visão noturna.

O blindado tem proteção contra tiro de fuzil 762 e de demais munições perfurantes, além de ser capaz de receber mais outra camada de blindagem. Por sua vez, tem três opções de armamentos. A sua torre, com vidro de blindagem de cerca de 10 centímetros, pode abrigar um atirador com metralhadora .50, uma MAG 7,62 milímetros ou, ainda, um lançador de granada 40 milímetros.

O capitão Mozer relata que o Guarani tem autonomia de 600 quilômetros, fruto de um tanque com capacidade de 480 litros, que pode rodar tanto com óleo diesel quanto com querosene de aviação.

09treinamentomissaohaitisprose

Treinamento
O treinamento dos militares que atuarão no Haiti foi dividido em oficinas práticas, com testes das condições de reação da tropa frente aos eventos que podem ocorrer. “O treinamento consiste em uma série de ações que eles vão executar no Haiti. São intervenções sociais aliadas ao treinamento militar”, destacou o coronel Anísio David. Dentre os tipos de situações que o soldado pode encontrar focadas pelo treinamento estão as patrulhas urbanas com abordagens de civis, revistas de veículos e patrulhamento urbano.

11treinamentomissaohaitisprose

“Nosso dever é manter o ambiente seguro e estável”, disse o coronel. Porém, como a missão é humanitária, os soldados são preparados para dar suporte de segurança e em especial durante a realização das eleições. “Vamos chegar lá na época das eleições, agora começo do ano, período de grande estresse para a população local, e é preciso dar um suporte para que tudo transcorra sem ocorrências de violência”, comentou.

Os soldados são agrupados em equipes. Aqueles que estarão na área de saúde acompanharam situações de emergência real dos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Campinas. Em um acidente de ônibus com dezenas de vitimas e chamados de socorro pelo 193, puderam acompanhar o andamento dos primeiros socorros.  Casos práticos e teóricos de traumas, ataques de animais peçonhentos, emergências clinicas, convulsões, hipoglicemias e queimaduras também foram estudados.

13treinamentomissaohaitisprose

FONTE: Terra Notícias (título original: “SP: militares testam blindado que pode ser levado à Missão de Paz no Haiti“)

20
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
GABRIELGuilherme PoggioAntonio MMayuanGuilherme Amorim Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

Que aconteceu com a torreta remota de 30mm da ELBIT?

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

O gato comeu! Bacchi

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Somente uma fração será equipada com o 30mm. Para uso em operações de GLO o melhor é a torre manual com mtr 7,62.

eduardo.pereira1
Visitante
Member
eduardo.pereira1

To esperando o veiculo de reconhecimento, o clone (japones) ja ta ae pra todo mundo ver e o original ???

Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

E aquela torre Torc-30, alguem sabe de alguma coisa?

Guilherme Amorim
Visitante
Guilherme Amorim

Das 2.044 unidades previstas apenas uma parte será equipada com a torre do canhão de 30 mm. Aliás, uma dúvida: Esses veículos terão versão com canhão 90 mm para substituir o Cascavel?

Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

Outra pergunta:

Esse veiculo possui a capacidade de receber blindagem modular. Alguém já viu essas placas de blindagem ou o veiculo com elas?

Mayuan
Visitante
Mayuan

[ironic mode on] Esse fuzil 762 deve ser bem pesado hein? O recuo então! [ironic mode off]

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

[non ironic mode on] Quando atirei com o FAL 7,62 mm fiquei muito bem impressionado com a quase total falta de recuo nos tiros.

Bacchi

Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

@Bacchi

Para um rifle de 4,5kg, era de se esperar que com munição 7.62 não resultasse em muito recuo.

Como comparação, um Tar-21 standard pesa 3,67kg.

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Já comentei uma vez sobre essas hélices do Guarani e que não gostava muito e ainda lendo a reportagem sobre as novas lanchas LPR que tem propulsão jetpump, os novos blindados não poderiam ter uma propulsão semelhante ao invés de hélices que na minha opinião de não-especialista, seriam mais vulneráveis ?

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Blind Man’s Bluff, teu raciocinio é belíssimo,

Mas, alguns anos antes eu tinha atirado com um Mauser 1908 (7X57 mm), e o mesmo dava coice como mula.

Apoiei mal o fuzil no ombro, e devido a isto e fiquei com um hematoma por vários dias.

Bacchi

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Antônio M, tudo é possível.

Você poderia ter reclamado contra as hélices do Urutu.

Se você o tivesse feito, possivelmente o EB não teria adotado o mesmo sistema para o Guarani.

O Urutu foi usado durante mais de 30 anos pelo EB, e jamais li uma reclamação contra as suas hélices.

Nem me lembro durante os anos em que trabalhei na ENGESA em ter recebido alguma reclamação sobre as mesmas, de algum cliente internacional.

Bacchi

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

rsbacchi
4 de novembro de 2013 at 13:40 #

Dei uma olhada na internet para ver imagens do Urutu e é difícil constatar onde ficam tais hélices mesmo porque encontrei poucas imagens traseiras.

No Gurarani são facilmente vistas até lateralmente deve ser por causa dessa exposição que aparentemente passa uma impressão que que seria mais vulnerável.

Só não entendi quando minha dúvida virou uma reclamação, e que se fosse no caso do Urutu eu poderia ter mudado a história …….

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Encontrei uma !

https://guiamilitar.files.wordpress.com/2009/11/engesaurutu04.jpg

E me parece bem mais protegida do que no Guarani e é algo que pode ser feito nele também. E a opção deve ser por causa de custo/benefício possivelmente.

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Estou preparando uma lists dos varios tipos de propulsao para so VBTP sobre roads. Postarei ate o meio dia de Amanda. Eu escrevo amanha e o computador muda para Amanda. Bacchi

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Em primeiro lugar vamos ver quais são os VBTPs que usam hélices na mesma posição que o Guarani: MOWAG Piranha 1, 2 e 3 (em alguns casos, de acordo com os requisitos do exercito comprador é colocada alguma proteção lateral); Norinco WZ 551 (China); OT-64 (Republica Tcheca); Patria AMV e XA (Finlandia); TPz 1 Fuchs e Fuchs 2 (Alemanha); Kinetics Terrex (Cingapura); Otokar Arma (Turquia); BTR-4 (Ucrania). A seguir aqueles que tem um jato d’agua central: BTR 60/70/80 (Russia) – o veiculo na agua é manobrado por desvio parcial do jato e pelo esterçamento das rodas); ROMARM Zimbru 2000, ROMARM… Read more »

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Bacchi escreveu:

Estou preparando uma lists dos varios tipos de propulsao para so VBTP sobre roads

Piranha, Patria e Fuchs no mesmo grupo. Eu fico com este.

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Guilherme, você reparou como é impressionante?

Quando era para acusar o pessoal técnico ítalo/brasileiro que projetou o Guarani, estavam ligadões!!!

Quando se descobre que o projeto estava correto – desaparecem!!!

Não tem uma palavra de elogio para estes técnicos que fizeram um bom trabalho.

Bacchi

GABRIEL
Visitante
GABRIEL

Sugestão para o blog fazer uma matéria comparativa entre o Urutu x Guarani x Piranha (FN)… Lembro no Haiti, olhávamos admirados os blindados da Marinha e os comparávamos aos Urutus… (Na verdade os naval eram superiores em tudo ao EB, menos em quantitativo…) O recuo do 7.62 não é nada demais e esses para FAL apesar de serem uns FAL tapeados são ótimos de serem usados e bem adaptados para o uso em combate urbano. (Deixo aqui outra sugestão ao blog comparar FAL X para FAL (esses usados no haiti e não os da brigada paraquedista e Selva) x MD2… Read more »