Home Defesa Antiaérea Vídeo: conheça o Pantsir S1, sistema de defesa antiaérea de fabricação russa...

Vídeo: conheça o Pantsir S1, sistema de defesa antiaérea de fabricação russa que será adquirido pelo Brasil

489
25

Assista ao vídeo com legendas em inglês que mostra o funcionamento do impressionante sistema  de defesa antiaérea Pantsir S1, que em breve deve ser adquirido pelo Brasil para equipar o Exército, Aeronáutica e  Fuzileiros Navais.

25
Deixe um comentário

avatar
24 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
Guilherme Poggioroberto bozzocostamarquesColombelliGilberto Rezende Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
VESPÃO
Visitante
VESPÃO

Pergunta ao grande mestre Bosco , como se daria um enfrentamento do sistema Pantsir S1 contra mísseis de cruzeiro tomahawk ..

SDS ..

Blind Man's Bluff
Visitante
Blind Man's Bluff

N sou o Bosco, mas acho q ele concordaria comigo:

Se o tomahawk tiver o azar de cruzar a menos de 20km (LOS) de um desses, existem grandes chances de ser abatido, porem a chance disso acontecer eh pequena visto que para um minimo teatro de operacoes seriam necessarios muito mais unidades do que as que o PT pretende adquirir.

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Vespão e Blind, Contra um alvo com um RCS menor que 0,1 m²m como o Tomahawk, o Pantsir (de acordo com o site Ausairpower) só iria adquirí-lo a cerca de 10 km. O Tomahawk Block IV, a última versão, é dito ter um RCS 10 x menor que as versões anteriores, o que o deixa na faixa de 0,01 m². No mano a mano, e excluindo toda e qualquer variável, o Pantsir teria grandes chances de sair vitorioso contra o míssil cruise americano, tendo em vista que o Tomahawk Block IV tem apenas a discrição como proteção, não tendo capacidade… Read more »

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Essa informação que o Pantsir tem alcance de 20 km horizontal e 15 km vertical é enganosa. Esses números se referem ao desempenho nominal ou teórico, máximo. Por exemplo, não duvido que o míssil do Pantsir possa atingir um C-130 voando a 20 km de distância e a uns 8000 metros de altura. Assim como não duvido que o Pantsir possa atingir um C-130 voando a 15 km de altitude, a 12 km de distância. O que não ocorre é o C-130 ser interceptado estando a 20 km de distância horizonta e a 15 km de altitude. Isso nunca ocorrerá,… Read more »

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Aliás, nunca se ouviu falar de um único Tomahawk atacar um alvo sozinho, mesmo que o alvo estivesse desprotegido.

VESPÃO
Visitante
VESPÃO

Blind,e Bosco .

Bela aula dos amigos , fico feliz q teremos mesmo em poucas unidades um sistema capaz de enfrentar mesmo com as restrições lembradas pelo grande mestre Bosco um missil de cruzeiro …

sds

Corsario137
Visitante
Corsario137

Isso tudo só me faz lembrar a BILIONÁRIA base de submarinos da MB e sua inexistente, até então, defesa aérea.

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Ah! E antes que alguém diga que um C-130 não voa a 15.000 metros de altitude, eu informo que o citei como exemplo apenas de forma ilustrativa, sem me preocupar com a precisão dos dados.

eduardo.pereira1
Visitante
Member
eduardo.pereira1

Uma bela máquina, video bacana, aula do Bosco excepcional como sempre .

Sds.

jfabio.almeida
Visitante
jfabio.almeida

Amigos, bom dia

Fiz esta pergunta em outro post, to repetindo aqui, pois não obtive alguma resposta.

No caso da lei do abate, ha uma necessidade de aprovação do GF para que o aviao interceptado seja abatido, e no caso de destas defesas aéreas, que são automaticas, uma vez detectado o alvo elas disparam, como fica esta lei do abate?

abraços
GC

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Fábio, Modernos sistemas AA conseguem identificar o amigo do inimigo (quase sempre) e conseguem quantificar o nível de ameaça. Ou seja, de todos os possíveis alvos sendo rastreados ao mesmo tempo, quais os mais ameaçadores. Esses dados são mostrados no painel, mas quem dá a ordem de qual alvo deva ser engajado e deflagra a ação ofensiva é o operador. Numa situação de guerra real o comandante da unidade ou mesmo o comandante da bateria teria de dar a ordem, já numa situação de paz, como a proteção de grandes eventos, a ordem deve partir de alguma autoridade superior até… Read more »

Uitinã
Visitante
Uitinã

Um ótimo vídeo do mesmo programa sobre o T-90SM, mostrando inclusive o funcionamento do sistema ARENA.

https://www.youtube.com/watch?v=UeMVApuN2gE&index=9&

jfabio.almeida
Visitante
jfabio.almeida

Obrigado Bosco pelas explicações.

Fábio

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Fábio, Alguns sistemas de defesa antiaérea têm um alto grau de IA e operam quase que de forma automática. Alguns até de forma automática. Mas são esse tipo de operação é mais comum na defesa naval, onde há menos chances de alarmes falsos. Por exemplo, o sistema CIWS Phalanx tem modo de operação automático e pode por conta própria iniciar uma ação ofensiva se considerar que alguma ameaça adentrou o perímetro de segurança. Mas claro, não é totalmente confiável, haja vista que como norma ele é desligado ou posto no modo “manual” quando da operação de helicópteros ou aviões (no… Read more »

Gilberto Rezende
Visitante
Member
Gilberto Rezende

Sobre o Pantsir-S BR, mesmo com a troca de caminhão e adaptações a serem feitas se a unidade russa com o caminhão KMAZ pesa 30 toneladas como dito no vídeo fica quase impossível que mesmo adaptado ele possa ser embarcado no KC-390 cuja carga máxima é de 23 toneladas. O acordo prevê que após a entrega das três primeiras unidades fornecidas pela Rússia será emitida uma licença de produção dos sistemas no Brasil cujo número de sistemas Pantsir-S BR que pode ou se tenciona aqui produzir ainda não foi divulgado. Ainda dentro do acordo de transferência de tecnologia está prevista… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Gilberto, Com certeza haverá o uso do SABER como radar auxiliar. Isso é conveniente por conta da necessidade de cobertura na hora de manutenção, pela redundância e principalmente pela segurança, pois permite que o radar do lançador somente seja acionado o mais proximo possivel do momento do disparo, dificultando o uso de misseis anti-radiação. .

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Na verdade cada veículo de combate Pantsir é autônomo, portanto, é uma “bateria” em si.
Dizer que uma bateria Pantsir é composta por 6 veículos de combate é “força de expressão”.

Colombelli.
Inclusive o Pantsir pode usar o modo de aquisição de alvos via eletroópticos, sem o uso do radar de direção de tiro, o que impossibilita ele ser enquadrado por um míssil antirradiação.
Claro que nesse caso há uma redução do alcance de engajamento, não pode ser usado em tempo adverso e não há como engajar mais que uma ameaça de cada vez, mas é uma opção.

costamarques
Visitante
costamarques

Caros colegas eu tenho uma duvida que gostaria que vcs me dessem uma resposta!

Por acaso esse sistema pode ser adaptado ao nosso porta aviões para que o mesmo possa se defender?

Guilherme Poggio
Editor
Member

Sim, caro costamarques

Existem versões navais do Pantsir.

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Costamarques,
Há uma versão naval do Pantsir sendo desenvolvida ou já completada. Deverá substituir futuramente o atual Kashtan.
.

Uitinã
Visitante
Uitinã

Essa questão ou não de ser compatível com o Kc-390 ainda não me entrou na cabeça, todos os outros países que possuem sistema similares utilizam aviões maiores como os C-17 ou Il-76, nas minhas contas vai faltar Kc-390, pra transportar toda uma bateira ia o que uns 6 ou 7 aviões, outra pergunta cada bateria são quantos veículos entre Lançadores de comando e remuniciadores.

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Uitinã,
O site “ausairpower” cita como sendo uma bateria do Pantsir S1:
4 a 6 veículos de combate
1 veículo posto de comando
5 veículos de apoio/manutenção/oficina
2 a 3 veículos de recarga

Pode ainda vir com:
1 radar de busca UHF montado em caminhão + caminhão de controle
1 radar de busca UHF de baixo nível, montado em mastro, montado em caminhão + caminhão de controle

Ao todo são só 16 a 19 caminhões.

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Cada veículo de combate montado em caminhão Kamaz 6560 pesa 41,3 t.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Para o nosso caso este configuração não interessa muito, pois teremos de ter um veiculo cobrindo cada alvo. ou seja, o ideal seriam 18 veiculos lançadores e cada qual com seu repositor, além de 03 a 06 oficinas “de área”.

Cada veiculo operando independentemente.