Home Combates Vídeo: Infantaria da IDF em Gaza, julho de 2014

Vídeo: Infantaria da IDF em Gaza, julho de 2014

438
18

Forças Especiais e Paraquedistas israelenses, durante a Operação “Protective Edge”, em julho de 2014. A IDF caçando combatentes do Hamas, em Gaza.

18
Deixe um comentário

avatar
18 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
joseboscojrColombelliCarlos SoaresLywwwolf22 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

a 1a arma disparada no “filme” eh uma bazuca ou lançador de foguete ??
O fuzil utilizado eh o novo Tavor ???
o camera man deve ser soldado… alem da camera e seus apetrechos, o mesmo tb anda armado ??

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Salvante alguns erros de menor monta de posicionamento e progressão, o que se vê é uma atitude de alto profissionalismo e excelente controle de cadência de fogo, bem diferente de amadores que detonam as armas em rajadas intermináveis e improfícuas.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Wwolf a rigor a bazuca, ou o lançador 3.5 polegadas, é um lançador de foguetes, pois se utiliza de propulsão decorrente de queima de combustível durante a trajetória através do “tubo ventura”.

A arma do video parece ser um lança rojões, muito semelhante, inclusive parece, com o LAW 66 mm.

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Aos 0:15 um soldado israelense (de um dos melhores exércitos do mundo) segura o fuzil com a mão no carregador, observa-se que não é uma prática tão errada como alguns no Brasil gostam de alardear!

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Carregador / retém do carregador*

Carlos Soares
Visitante
Carlos Soares

“wwolf22
28 de agosto de 2014 at 9:12 #

O fuzil utilizado eh o novo Tavor ???”

Os dois primeiros fuzis que aparecem com fogo sendo disparado das janelas são Tavor, depois aparecem Tavor e outros Galil, M 16 (?) AR 15(?) não dá para ver direito

e o Colombelli pode opinar infinitamente melhor que eu.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Carlos, so Tavor e M-16. Disparos so M16 e uma MAG no começo.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Wolf,
O primeiro é mesmo o M-72 LAW (66 mm), que é um lança foguetes, mas aos 22 segundos do vídeo aparece o “Matador”, de 90 mm, que usa o método de “contra-massa”. É semelhante a um CSR (canhão sem recuo), mas parte da massa de gases é substituída por plástico picado, o que reduz o efeito expansivo que ocorre quando do disparo, possibilitando que seja disparado de ambientes confinados.
Ambos são descartáveis.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Já o M-72 é uma arma que falta ao Brasil. Pesando somente 2,5 kg (um AT4 pesa 3 x mais) e bem barata se comparado a outros “lança-rojões”, é uma arma que pode ser bem útil. Há inclusive uma versão que pode ser disparado de ambientes confinados (E8), mas no caso, o método usado foi o de reduzir a potência do motor foguete, o que deve ter afetado o alcance (??). Vale salientar que até os EUA (tanto o exército quanto os Marines) ainda o utiliza, mesmo o tendo “substituído” pelo AT-4 (M136), pelo M141 e pelo SMAW (esse, só… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Ah!
E mais recentemente os americanos adotaram também o Carl Gustav (CSR), esse, recarregável.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Colombelli, O tubo de Venturi é relativo ao conceito CSR e não ao lançador de foguetes. Num lançador de foguetes, como a Bazuca ou o M72, o tubo só serve para proteger o atirador quando da ignição do motor foguete e apontar o foguete para uma determinada direção. (Vale salientar que antes do foguete (projétil auto-propulsado) sair do tubo, o motor foguete se desliga, caso contrário, iria torrar o rosto do atirador) Fosse retirado do lançador e acionado o motor foguete, fora do tubo, o foguete iria implementar a mesma trajetória que teria se tivesse sido lançado do tubo. Alias,… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Só pra completar a lista de “lança-rojões” dos americanos, ainda em uso. Eles têm o M202 (usado pelo Schwarzenegger no filme “Comando Para Matar”), com 4 tubos, e tem o FGM-172. Ambos são “foguetes”. O FGM-172 SRAW (Predator) tem uma particularidade que é ser “guiado” por uma unidade inercial. Isso permite que ele possa acionar um segundo estágio do motor foguete quando está numa distância segura do atirador, o que aumenta muito o alcance útil. O sistema inercial “sente” qualquer desvio provocado pelo acionamento do foguete ou pelo vento, e recoloca o projétil no seu curso original. Há outros lança-rojões… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Bosco, o tubo venturi que eu falo é na granada, não no tubo da arma. . CSR não tem tubos direcionais na granada (e eu ja vi a tarseira de uma bem de perto, inclusive cometi a estultice de mover ela depois de disparada e falha uma de 106mm que estava no chão). Tanto as granadas do M40, do M18 como do Carl Gustav tem atras aletas ou nada, não tubo algum. O mesmo vale para a granada do AT4, que so tem uma extensão e aletas de alumínio, não tubo algum ( esta tive a satisfação de explodir uma… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Colombelli, “… e elas não são canhões sem recuo.” Espero que você não tenha entendido que eu tenha dito que a “bazuca” (bazooka) seja um canhão sem recuo. Claro que é um lança-foguetes. O que eu entendo é o seguinte: 1- Lança-rojão não é um termo técnico, mas pegou, e no EB serve pra definir uma arma antitanque lançada de ombro, independente do método de lançamento da granada, já que no EB, tanto a bazuca (usa o método de foguete) quanto o AT-4 (usa o método do CSR) são chamados de “lança-rojão”. 2- O fato do AT-4 (que no EB… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Essas classificações são complicadas, e onde era pra ajudar, as vezes, atrapalha. Na wiki nacional o AT-4 é classificado como “lança-granada-foguete”, o que está errado. O AT-4 usa o princípio do “canhão sem recuo”. Na wiki americana faz-se diferenciação entre um “canhão sem recuo” e uma “arma sem recuo”, usando como diferença a presença ou não de raiamento. Ora! Essa classificação complica já que há canhões sem raiamento, notadamente alguns canhões montados em carros de combate (MBTs). Pra ser designado “canhão”, uma arma deve ser recarregável pela culatra e usar o princípio de expansão de gases provenientes da deflagração de… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Bosco, claro que não imaginei que classificaste o 3.5 e o 2.36 como canhões sem recuo. O que houve é que falavas tu do tubo venturi como uma estrutura do tubo da arma, ao passo que eu falava dele como uma estrutura da granada. Na verdade nossos raciocínios não antagonizam, mas se complementam, pois falamos da estrutura em função diversa. Uma na arma outra no projétil. Nos nº 1 e 2 supra foste muito feliz nas colocações. No EB não há precisão terminológica, o 3.5 é lança foguetes mas chamava-se lança rojões. O AT-4 é diverso mas entra na mesma… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Correção, há lança rojões anticarga também, o RPG

Carlos Soares
Visitante
Carlos Soares

Antes tarde do que nunca:

Bosco & Colombelli

Fazem parte do meu EM ****

Abraços

Shalon