terça-feira, julho 27, 2021

Saab RBS 70NG

Nenhum dos principais presidenciáveis tem propostas específicas para defesa ou Forças Armadas

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

 

Leopard do 2RCC ainda em Pirassununga em junho de 2005 - foto 2 Nunão - Forças Terrestres

Texto de Paulo de Tarso Lyra publicado no jornal Correio Braziliense em 7 de setembro

ClippingAs Forças Armadas, que hoje comemoram 192 anos da independência do país, recebem pouco destaque nos programas de governo dos três principais candidatos ao Palácio do Planalto — Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB). As referências ao tema nas plataformas de campanha são genéricas e limitam-se, quase sempre, à modernização da frota e à valorização dos militares como elementos essenciais para a segurança nacional.

“No Brasil, ainda existe a percepção de que as áreas militar e de segurança não dão votos”, declarou o coordenador do curso de relações internacionais das Faculdades Rio Branco, Gunther Rudzit.

No entanto, é uma área que envolve projetos bilionários e não pode ser alvo de desprezo por parte do futuro presidente da República. Quem tomar posse em 1º de janeiro de 2015, seja Dilma reeleita ou algum dos demais candidatos de oposição, terá diante de si uma pasta cujas dez maiores ações custarão ao governo aproximadamente R$ 115,8 bilhões.

Nesse pacote estão, por exemplo, a aquisição dos caças FX-2 da sueca Gripen, orçados em R$ 21,2 bilhões, mas cujo desembolso orçamentário mais robusto só deve acontecer a partir de 2016. Ou a construção de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear, no valor total de R$ 31,1 bilhões.

Gunther acredita que a ausência de ameaças externas concretas para o Brasil explica o fato de a área militar não levantar tanta preocupação de presidenciáveis e dos próprios eleitores. “As pessoas entendem que existem outras prioridades para gastar o dinheiro público”, completou o especialista no setor.

Guarani - foto Nunão - Forças Terrestres

O Brasil gasta, em média, 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) com defesa, o que representa, aproximadamente, R$ 72 bilhões. Cerca de 70% desse valor são consumidos com pagamento de pessoal. São 320 mil homens das Três Forças — Marinha, Exército e Aeronáutica —, incluindo militares da ativa, reservas e pensionistas — e manutenção das estruturas militares existentes.

No início de 2014, aproximadamente R$ 3,5 bilhões destinados a investimentos do Ministério da Defesa foram contingenciados, mas a expectativa é de que, até o fim do ano, R$ 2,5 bilhões retornem aos cofres da pasta.

O ministro Celso Amorim defende que o percentual seja elevado para algo em torno dos 2% do PIB — R$ 96 bilhões. Mesmo se as aspirações de Amorim fossem realizadas, ainda estaríamos abaixo da média dos gastos com segurança dos Brics — grupo de países formados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Excetuando-se chineses e russos, que têm gastos muito maiores, a média de orçamento dos demais integrantes do bloco é de 2,4% do PIB dos respectivos países.

CLAnf do CFN em operação Passex com o BPC Dixmude - foto Nunão - Forças Terrestres

Mesmo sendo o partido que comanda o país há 12 anos e tendo iniciado boa parte dos atuais projetos bilionários de reequipamento do setor, o PT não tem claro, no programa de governo da reeleição de Dilma, o que pretende fazer ao longo dos próximos quatro anos.

Procurado pelo Correio, o comando de campanha respondeu que “o programa registrado no TSE e divulgado pela coligação Com a Força do Povo reúne as diretrizes gerais das políticas que serão implementadas. As propostas estão sendo discutidas e aprofundadas em grupos temáticos que já realizaram mais de 300 reuniões plenárias em todo o país, cujas contribuições estão sendo sistematizadas para fechamento do programa de governo”.

O presidente do PSB, Roberto Amaral, também reconhece que são genéricas as menções às Forças Armadas no programa de Marina Silva. No texto, há a promessa de fortalecer e de modernizar Exército, Marinha e Aeronáutica para o cumprimento da missão constitucional de defesa da pátria, de garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da manutenção da lei e da ordem. “Mas precisamos nos atentar, sobretudo, à segurança de nosso litoral, do pré-sal, e do espaço aéreo do país”, completou Amaral

Responsável pela capítulo de segurança no programa do tucano Aécio Neves, Cláudio Beato reconhece que as menções, neste momento, são pontuais, mas que o PSDB dará mais atenção ao tema caso chegue ao Planalto. “Pretendemos fortalecer as ações de inteligência nas fronteiras, em conjunto com a Polícia Federal e com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin)”, disse.

EDA 60 anos - Cougar e Fennec - foto 5 Nunão - Forças Terrestres

FONTE: Veja – coluna do Ricardo Setti (reprodução d 11 de setembro a partir de texto de Paulo de Tarso Lyra publicado no jornal Correio Braziliense em 7 de setembro)

FOTOS em caráter meramente ilustrativo.

NOTA DO EDITOR: pedimos aos leitores um esforço para comentarem o texto, que relaciona temas de política, eleições e defesa, sem fazer propaganda e contrapropaganda política deste ou daquele candidato ou partido.

- Advertisement -

27 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Não há para área de defesa mas, para que área eles tem alguma proposta de verdade? Aliás proposta essa que não seja um discurso bonito feito por marketeiros? Ainda, nem adiantam propostas, precisamos de um pacto social para sair da inércia, e da possível recessão que o crônico e aparentemente eterno problema da infraestrutura precária não vai permitir avanços e nem frear a desindustrialização que começou na década de 80 que por sua vez não serão resolvidas com a péssima qualidade da educação básica/média, outra que até recebe mais atenção e $ do que a defesa mas, de tão mal… Read more »

jacubao
jacubao
6 anos atrás

A RESPOSTA É BEM SIMPLES??? ISSO NÃO DÁ VOTOS.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Perfeito, Antonio M.

Só acrescento que é impressionante o baixo nível, tanto técnico quanto moral, de todos os candidatos à Presidência.

Há algo de muito errado na política brasileira para resultar em partidos e candidatos tão desqualificados, incompetentes e desonestos.

Colombelli
Colombelli
6 anos atrás

Se uma certa pessoa for candidata nas próximas eleições a presidente talvez eu consiga fazer chegar até ela os reclamos desta área e possamos dar algumas sugestões.

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás

Não entendi Colombelli, a campanha tá na rua:

“…..for candidata nas próximas eleições a presidente….” ??

Colombelli
Colombelli
6 anos atrás

sim, carlos, uma que está se desenhando desde agora, mas que éstá concorrendo a outro cargo nesta eleição e em vista da qual tenho acesso.

marciomacedo
marciomacedo
6 anos atrás

Colombelli, Jacubão e demais amigos: que tal nós, aqui no blog, construirmos uma proposta e oferecermos aos presidenciáveis. Quando nada serve para provocar o debate.

aldoghisolfi
aldoghisolfi
6 anos atrás

E, quanto ao meio ambiente? Até acharia melhor que nada houvesse… Dilma Rousseff (PT) – Código Florestal vira conquista ambiental no programa de Dilma Rousseff Aécio Neves (PSDB) -Programa de Aécio defende Marco Regulatório da Mineração Eduardo Campos (PSB) – Programa de Eduardo e Marina não descarta novas hidrelétricas Eduardo Jorge (PV) – Proposta de Eduardo Jorge apoia ampliar produção de etanol Luciana Genro (PSOL), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) – PSOL e PCB apresentam programas ambientais anticapitalistas Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Pastor Everaldo (PSC) – Propostas da direita incluem construção de… Read more »

Diego de Miranda
Diego de Miranda
6 anos atrás

Caros Amigos do ForTe:

Quero Me Apresentar: Meu Nome é Diego de Miranda, 30 Anos, Do Rio De Janeiro. Agora, Off-Topic, Queria Sugerir Que Vocês (Se Já Não Fizeram – Se Sim, Coloquem o Link, Por Favor), Fizessem Um Comparativo entre os Sistemas Antiaéreos Que Estamos Por Comprar Na Rússia, e os Outros Existentes.

Muito Obrigado,
Diego de Miranda.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Caro Aldo, Sou bastante cético em relação à temática do meio-ambiente quando tratada de forma “catastrófica” pelos verdes. Mas estou repensando isso. Além do avanço irracional das fronteiras agrícolas sobre a Amazônia, o Brasil exporta trilhões de litros de água por ano, na forma de alimentos e celulose. E “água exportada” para o outro lado do mundo não irá chover aqui. São Paulo já está sentido a falta de água. Tomara que eu esteja errado e seja só uma crise pontual, pois se não chover forte nos próximos meses, SP entrará em colapso em 2015. Mas acho um pouco forçado… Read more »

aldoghisolfi
aldoghisolfi
6 anos atrás

Rafael, boa tarde.

Concordo parcialmente com a tua posição ambiental; não apoio os catastróficos, são os ecochatos, ecoxiítas… mas…

Se o candidato do Colombelli retirasse a posição contrária ao Exame de Ordem, não sei se, agora, ele não estaria sendo referido; ele seria o meu candidato.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Boa tarde, Aldo.

Pois é. Não gosto dos ecochatos. Mas eles têm um pouco de razão…

E agora fiquei curioso para saber quem é o candidato do Colombelli, até passei no blog dele ver se tinha alguma pista rsrs.

Colombelli
Colombelli
6 anos atrás

É uma candidata. Não sei se um dia ela será candidata a presidência, mas não é de se descartar. Com esta eu teria pleno acesso pra chamar a atenção para a defesa.

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás

Colombelli,

Ana Amélia ?

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Mesmo quanto ao problema da água sou um pouco cético pois falando historicamente as medições seriam um tanto recente (menor índice de chuvas em 50, 60 anos ….) então será que já não havia problemas assim, 100, 200 anos atrás? Eu creio que um grande “paradoxo” se assim pode-se dizer é que no caso de São Paulo, a ampliação do sistema Cantareira que é um dos maiores do mundo foi feita entre 1966 e 1976 ou seja plena ditadura militar. E se não tivesse sido feito? Se não, já estariamos “passando sede” a muito mais tempo então, se aquela época… Read more »

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Correção: “…o que acontece hoje em dia que nada é possível, ninguém sabia e, se não acabam fazendo tudo a toque de caixa na base do “emergencial” vão empurrando com a barriga? …”

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Ah, lembrando que esse tipo de obra como a Cantareira, Itaipu etc eram veementemente condenadas em boa parte pela cambada que hoje está no poder, mas se não fossem por elas ……..

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás

Tá faltando água na casa do Antonio …. rs.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Caro Antonio M, Sim, o clima mudou muito no mundo, inclusive com eras glaciais em tempos que a influência do homem era quase zero. Mas isso também não implica em concordar que a influência humana não traz prejuízos climáticos. Também não vejo paradoxo. Numa ditadura é muito mais fácil fazer grandes obras do que numa democracia. A China faz o que bem entende. No Brasil, a quantidade de órgãos que podem atrapalhar uma obra é enorme e em todas as áreas. De qualquer forma, é notório que em 20 anos de democracia a capacidade instalada de geração de energia elétrica… Read more »

aldoghisolfi
aldoghisolfi
6 anos atrás

A Cantareira só vai ser feliz quando, a par de tudo o que foi anunciado, o microclima do ecossistema for recuperado, um pouco que seja: milhares e milhares de árvores nativas plantadas no entorno do complexo. Querem apostar?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Caro Aldo,

Da Serra da Cantareira “para cima”, incluindo o sul de MG, é uma região relativamente preservada, inclusive com dois parques estaduais. As maiores cidades são pequenas: Atibaia e Bragança Paulista. Até há agricultura na região, mas não acho que possa ser considerada uma região degradada.

O problema mesmo é a Região Metropolitana de SP… um monstro de concreto. A menos que seu plano seja criar áreas verdes nessa região, o que me parece bem inviável economicamente nesse momento.

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Rafael Oliveira 16 de setembro de 2014 at 16:36 # Caro Rafael excelentes colocações mas existe um paradoxo sim, pois uma ditadura tenderia até a errar mais do que errou, e uma democracia devido a maior participação de todas as área da sociedade deveria haver muito mais acertos do que estamos vendo. Nem mesmo na educação estamos tendo uma evolução decente, na infraestrutura é o que já foi dito. E voltando à água, caso de São Paulo, mesmo a captação em outros locais mais distantes não se faria tão necessária com melhores e maiores investimentos na rede de distribuição, captação,… Read more »

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Ah, e quanto à água novamente, Nova York é um monstro de concreto maior e mais voraz que São Paulo e não estão passando pelo mesmo problema, precisam e investem em soluções enquanto por aqui chegam a colocar a culpa em São Pedro …

abç

aldoghisolfi
aldoghisolfi
6 anos atrás

Rafael, boa tarde. A água que está disponível é a mesma que está disponível há milênios e que, em termos de Cantareira, infelizmente, anoiteceu e não amanheceu. Falei em ecossistema; não falei na Serra da Cantareira (que não está tão preservada assim) e nem no seu entorno, que não está preservado, antes me referi ao Sistema Cantareira (captação e tratamento de água). Porque não chove na área? Vejo que o problema é tópico… SMJ, vejo a imensa falta de umidade, pela ausência de árvores, que gera a consequencia da incapacidade da natureza completar o ciclo hidrológico. O ponto de orvalho… Read more »

aldoghisolfi
aldoghisolfi
6 anos atrás

Antonio M, boa tarde. Boa a tua colocação também, mas penso que fica muito difícil comparara a situação de NY com o que se passa em SP. NY é um monstro de concreto, sim!, mas com novaiorquinos em cima; com educação ambiental, com grande e eficiente fiscalização ambiental, com parcerias entre a prefeitura e todo o seu entorno, com leis rígidas CUMPRIDAS e com exemplar punição para o descumprimento da lei. E em SP? NOTA DOS EDITORES: SENHORES (AOS DIVERSOS COMENTARISTAS ACIMA, E NÃO A ESTE EM ESPECIAL), O PROBLEMA DA FALTA DE ÁGUA NO SUDESTE, GRANDE SÃO PAULO, URBANIZAÇÃO,… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Antonio M e Aldo,

Obrigado pelas informações e opiniões.

Peço desculpas aos editores.

Abraços!

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

wwolf22 18 de setembro de 2014 at 9:21 # Creio que sejam estudos “rotineiros” das FAs americanas, visando conhecimento e atualização em guerra assimétrica, que é o cenário atual na maior parte do mundo. E até podem estar “estudando por aqui” por causa dos rumos políticos com o bolivarianismo, narco-tráfico e demais ramificações do crime organizado como pirataria de produtos, biopirataria etc pois geram um grande impacto econômico mas com a economia globalizada, não vejo muito interesse simplesmente em invasões territoriais com força bruta, é caro, dispendioso e de manutenção complicada. Se quiserem acabar com o Brasil basta um único… Read more »

Últimas Notícias

Taiwan testará mísseis Patriot III nos EUA

TAIPEI (Taiwan News) - Os militares de Taiwan em breve testarão mísseis Patriot III no White Sands Missile Range...
- Advertisement -
- Advertisement -