terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab RBS 70NG

EUA querem engajamento do Brasil contra ‘Estado Islâmico’

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Militant Islamist fighters take part in a military parade along the streets of Syria's northern Raqqa province

Cláudia Trevisan

ClippingDois dias depois de a presidente Dilma Rousseff criticar os bombardeios dos EUA contra o Estado Islâmico (EI), a responsável por Américas no Departamento de Estado americano, Roberta Jacobson, disse ter “esperança” de que o Brasil contribua de alguma maneira no combate ao grupo radical.

Segundo ela, um país “grande e importante” como o Brasil teria um papel a desempenhar nos esforços liderados por Washington.

Depois de discursar na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, na quarta-feira, Dilma deu entrevista na qual sustentou que o ataque ao Estado Islâmico não era o caminho mais eficaz para derrotar a organização. “Vocês acham que bombardear o Isis (como era conhecido o grupo radical, em sua sigla em inglês) resolve o problema? Porque, se resolvesse, acho que estaria resolvido no Iraque. E o que se tem visto no Iraque é a paralisia”, afirmou, defendendo o uso da “diplomacia” para solucionar o conflito.

Roberta disse ontem (26), em entrevista coletiva, que não tinha informações sobre a apresentação de pedido específico para o Brasil colaborar no combate ao EI. Segundo ela, representantes dos EUA tiveram inúmeros encontros com autoridades de outros países nos últimos três dias em Nova York, durante a Assembleia-Geral da ONU. Mas ressaltou: “Certamente, nós temos esperança de que cada país possa contribuir”.

Dilma criticou o ataque ao EI depois de o presidente Barack Obama ter usado seu discurso na ONU para pedir o engajamento de todos os países da organização na luta contra o grupo terrorista.

Ontem (26), Roberta afirmou que o Brasil poderia “ser útil e dar apoio” em atividades como assistência humanitária, combatentes estrangeiros e área financeira. “Ainda temos esperança em relação a isso.”

FONTE: O Estado de S. Paulo

- Advertisement -

28 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
johnatan
johnatan
7 anos atrás

Bom sendo viável ou não, e agora tia ex terrorista Dilma o que diz.

carlos.asoares
carlos.asoares
7 anos atrás
Douglas
Douglas
7 anos atrás

Ficar se envolvendo nos conflitos dos outros e podendo trazer algo de ruim para o Brasil não seria legal. Mas ao mesmo tempo bem que poderia se envolver em algo de verdade. Levar o treinamento aéreo, naval e em terra, caso tenha…

Anderson
Anderson
7 anos atrás

Sinceramente depois daquela burrice que a presidentE falou lá (fiquei até com vergonha daquilo), duvido muito ela aprovar isso!

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
7 anos atrás

O partido da presidente Dilma chegou ao poder reclamando e criticando tudo que era feito pelos outros. Não via mérito em nada que o governo estabelecido fazia. Só criticava e não mostrava nenhuma proposta alternativa. Esse é bem o espírito da política externa brasileira. Pra variar a presidente deveria então iniciar e encabeçar um movimento diplomático pra resolver a questão e levar aos tribunais aqueles que perpetraram massacres e assassinatos em nome desse EI, além de convencer os extremistas a deporem suas armas, renegarem sua fé e devolverem as áreas ocupadas, além de compensar financeiramente as famílias que tiveram seus… Read more »

Carlos Soares
Carlos Soares
7 anos atrás

Bosco,

viu o link acima ? (rs)

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
7 anos atrás

Agora vi!
Eh! O Lula seria uma boa opção diplomática pra entrar na zumbilândia e tentar colocar um pouco de bom senso na cabeça deles.
http://www.youtube.com/watch?v=hGxb3Yx7JYk

Julio Augusto
Julio Augusto
7 anos atrás

Uma vez eu vi no programa “PAINEL” ou “Entre Aspas” (não me lembro exatamente) da GloboNews uma entrevista com um cientista político é um diplomata aposentado. Ele relatou que a Dilma não costuma ouvir os diplomatas. Lula os ouvia, na maior parte das vezes. As decisões saem cabeça da PRESIDENTA ou de algum assessor mais próximo (provavelmente Marcos Aurélio Garcia) sem consultar o corpo diplomático. Foi assim no caso da suspensão do Paraguai do MERCOSUL, não critica as política da Venezuela e da Argentina de perseguir a mídia opositora, certamente foi assim no caso de Israel a Faixa de Gaza…… Read more »

andersonrodrigues1979
andersonrodrigues1979
7 anos atrás

Nem pensar devemos nos mantar na neutralidade, esse problema não é nosso foram eles que criaram o problema e querem nos envolver.
Estamos muito bem da forma que estamos respeitando os povos e as religiões e assim devemos permanecer.
Queremos paz, com as nações estrangeiras pois já temos muita violência interna.
Parcerias comerciais, cientifica e politica.

eparro
eparro
7 anos atrás

Ué, a madame presidente não disse, em alto e bom som lá na NU, que a única solução é através da diplomacia?
Manda lá seus diplomatas (não os do Itamaraty) para negociarem e mostrarem ao mundo daquilo que são capazes.

É de uma hipócrisia mastodôntica e de uma diplomacia anã!

Jean-Marc Jardino
Jean-Marc Jardino
7 anos atrás

Quem nasce anão, nunca vai deixar de ser anão, sendo assim, o Brasil fique onde esta, e resolva seus problemas internos que não são poucos e deixem os grandes tomarem conta daquilo.

Blackhawk
Blackhawk
7 anos atrás

Caro Jean-Marc,
Se Napoleão pensasse assim, nunca teria se tornado Napoleão, dada sua diminuta estatura.

joao.filho
joao.filho
7 anos atrás

Rsrsrs!!! Essa sim que foi boa!!! E se esse delirio fosse possivel, mandariamos o que? F-5 ou A-4? No museu flutuante A-12?
Só se o Brasil correndo pegasse emprestados uma dúzia de F-16, e pegasse carona com um Nae da US Navy. Ao final das contas, assim fizemos na Segunda Guerra.

Carlos Soares
Carlos Soares
7 anos atrás

Bosco

kkkk ….. belo filme …… ainda bem que era um pregador, padre …. pastor ….. sei lá o quê …..

Imagina se fosse um Rabino ….. pronto …..

a culpa seria dos Judeus (rs).

Carlos Soares
Carlos Soares
7 anos atrás

Colegas, vejam o segundo post de cima para baixo. (rs)

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

Primeiro ela vai con sultar o MAG, depois este vai ligar para os irmãos Castro antes de redigir uma nota dizendo que o Braisil não apóis atos de violência contra minorias étnicas.

Grande abraço

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Se me permitissem reincorporar eu ia de graça mandar bala naqueles pústulas.

costamarques
costamarques
7 anos atrás

Não devemos nos meter em algo assim, já temos problemas d+ para lidar! imaginem o metro de São Paulo em horário de pico e vem um homem bomba e se explode ali!

Com a infra e preparo que temos, não podemos suportar um grupo terrorista aqui dentro, e com certeza eles se procriariam fácil aqui!

Rogério
Rogério
7 anos atrás

costamarques
29 de setembro de 2014 at 10:00

Então temos que ser covardes??? Cada uma viu!!!

Seria bom mesmo termos inimigos perigosos, assim elevaria o nível de prontidão e seriedade das FAs, veja a Alemanha dizendo que suas FAs não conseguem honrar os compromissos com a Otan devido a baixa disponibilidade de seus equipamentos, há 30 anos, no auge da guerra fria, isso era bem diferente.

costamarques
costamarques
7 anos atrás

“Então temos que ser covardes??? Cada uma viu!!!”

Não vejo como covardia evitar se meter em algo que não plantamos!

O Brasil é um pais pacifico e deve continuar como tal, investir em defesa é o melhor que podemos fazer.

Acho que você esta jogando muito Battlefield!

edurval
edurval
7 anos atrás

Rogério 29 de setembro de 2014 at 12:35 # Meu caro, qual o motivo geopolítico para entrarmos nessa briga ? Os americanos e seus aliados invadem o Iraque o desestabilizam político e militarmente, depois apóiam rebeldes na síria e com isso geram o EI e agora querem uma ajuda nossa ???? E isso tudo sem passar pelo clive da ONU !!!! Desculpe meu caro, o EI pode ser até uma ameaça a humanidade, mais primeiro se deve discutir isso na ONU, pois na hora que você apóia uma nação a agir de forma independente você apóia a todas agirem da… Read more »

Rogério
Rogério
7 anos atrás

costamarques
29 de setembro de 2014 at 14:01

edurval
29 de setembro de 2014 at 14:18

Em nenhum momento eu escrevi que devemos entrar ou não. Apenas os motivos listados pelo costamarques me soa como covardia!!!

Rogério
Rogério
7 anos atrás

edurval
29 de setembro de 2014 at 14:18

Vc não apoia o que os americanos fizeram, essa é a sua opinião, já eu apoio, essa é a minha opinião, então eu prefiro que o governo tome uma posição de apoio e pronto.

Sniper
Sniper
7 anos atrás

Pelo sucesso da missão, Banânia deve permanecer o mais longe possível dessa coalisão.
Isso é coisa séria… lugar de anão diplomático é em quintal bolivariano economizando papel higiênico.

Soldat
Soldat
7 anos atrás

Os Âmis criaram o mostro que o eliminam de preferencia sozinhos.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Não temos que nos meter nisso ai. Mas não nos meter também inclui calar a boca e não falar asneiras como ela falou.

Quem não ajuda também não atrapalha.

Foi falar estultices, amealhou antipatia e desconfiança geral.

Completo despreparo e amadorismo. Mas como tem os “borsa” tá ai ainda.

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
7 anos atrás

Soldat,
Os âmis não criaram nada! Você interpretou dessa maneira.
Sei que é difícil pra você acreditar, mas existe vida inteligente fora dos EUA e outros povos têm vontades e objetivos próprios.
Dizer que foi os EUA que criou o EI é tão ingênuo que acreditar que foi a Rússia que criou o movimento separatista que ocorre hoje na Ucrânia.

Últimas Notícias

Saab apresenta soluções inovadoras em defesa e segurança na 6ª Mostra BID

Entre os dias 7 e 9 de dezembro, a Saab participa da 6ª Mostra BID, no Centro de Convenções...
- Advertisement -
- Advertisement -