domingo, outubro 17, 2021

Saab RBS 70NG

Dilma Rousseff tem a vitória mais apertada da história

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

 

Presidente Dilma Rousseff em desfile de 7 de setembro de 2013 - foto Palácio do Planalto - R Stuckert

Cristian Klein – São Paulo

ClippingNa eleição ao Planalto com mais reviravoltas da história, os brasileiros decidiram pela continuidade e reelegeram, ontem, com 54.499.706 votos (51,64% dos votos válidos), a presidente Dilma Rousseff (PT), que derrotou, em segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB). Com 99,99% do total apurado, o tucano recebeu 51.041.003 (48,36%), no melhor desempenho da oposição desde que o Partido dos Trabalhadores chegou ao poder federal em 2002.
Com a reeleição de Dilma, o PT alcança o quarto mandato consecutivo na Presidência da República, o que estabelece uma hegemonia de pelo menos 16 anos no governo federal, até 2018.

A força da onda vermelha, no entanto, esbarrou no antipetismo e resultou na vitória mais apertada de um candidato presidencial desde 1989, quando Fernando Collor, então no PRN, ganhou de Luiz Inácio Lula da Silva por 53,03% a 46,97%.

Detentor de uma fortaleza eleitoral no Nordeste, o PT – ao contrário do senso comum – nunca havia necessitado da vantagem para ganhar. Agora, sim. É a primeira vez, em quatro eleições, que o partido perde, no segundo turno, na maioria das cinco regiões. Depois da vitória de Lula em 2002 em todas as regiões, o PSDB levou o Sul, em 2006, acrescentou o Centro-Oeste, em 2010, e desta vez foi o mais votado pela primeira vez também no Sudeste, onde Aécio teve 56,14% contra 43,86% da presidente.

Dilma compensou as derrotas nas três regiões com as votações do Norte e, principalmente, do Nordeste. No bastião petista, a presidente venceu o tucano por 71,66% a 28,34%. No Maranhão, obteve a maior vantagem estadual sobre o adversário: de 78,6% a 21,4%.

A presidente foi a preferida em 15 Estados – todos os nove do Nordeste, em Minas, no Rio de Janeiro, e em quatro dos sete da região Norte – enquanto Aécio foi o melhor em 11 e no Distrito Federal. O tucano venceu nos três do Sul, nas quatro unidades da Federação do Centro-Oeste, no Espírito Santo, Acre, Rondônia, Roraima, e no maior colégio eleitoral: São Paulo.

Com 64,29%, Aécio recebeu a melhor votação proporcional de um presidenciável em São Paulo, no segundo turno, desde os 57,9% de Collor em 1989. O recorde chama a atenção pois é a primeira eleição presidencial, desde 1955, que o Estado não teve um candidato competitivo. Os paulistas descarregaram seus votos no senador mineiro e lhe deram uma diferença de 6.755.016 votos a mais em relação a Dilma. Em vez da dispersão, pela falta de um concorrente da terra, o antipetismo mobilizou o Estado. O tucano bateu, em mais de 2 milhões de votos, a maior diferença estadual absoluta desde 1989, que eram os 4.635.632 de votos que Lula pôs de vantagem sobre José Serra no Rio de Janeiro, em 2002.

No Sul, Aécio venceu por 2,9 milhões de votos de diferença, com expressivas votações no Paraná (60,98%) e em Santa Catarina, onde obteve seu mais alto índice estadual: 64,59%.

O senador, no entanto, não conseguiu “azular” seu próprio Estado. Com isso, o PT mantém a tradição de vencer em Minas tanto no primeiro quanto no segundo turno, desde 2002. É um Estado vermelho. Ali, Aécio alcançou 47,6% contra 52,4% de Dilma, que pôs uma diferença de 550 mil votos no reduto do adversário.

Sem um bom desempenho em Minas e a larga derrota no Nordeste, as expressivas vitórias de Aécio em São Paulo e no Sul não foram suficientes para compensar a ampla vantagem de Dilma no Nordeste. Nos nove Estados da região, a petista conseguiu 11,7 milhões de votos a mais sobre Aécio. A presidente ganhou com folga (70,26% a 29,74%) até em Pernambuco, um dos dois Estados vencidos por Marina Silva (PSB) no primeiro turno – o outro, o Acre, na região Norte, foi conquistado por Aécio.

A vitória em Pernambuco mostra que Marina e o grupo político do ex-governador Eduardo Campos (PSB), morto durante a campanha, em agosto, não conseguiram transferir os votos que queriam para Aécio, apesar de todo o esforço com declarações de apoio na propaganda eleitoral. Com a morte de Campos, que figurava em terceiro lugar na corrida presidencial, a entrada de Marina em seu lugar representou uma das grandes reviravoltas da disputa. A ex-senadora chegou a empatar com Dilma, enquanto Aécio ultrapassou a presidente, ainda que dentro da margem de erro, nas primeiras pesquisas do segundo turno.

O PT conseguiu neutralizar o clima de mudança com sua forte base eleitoral no Norte e no Nordeste. Nas duas regiões mais petistas do país, as votações arrasadoras do PT se mantiveram. No Nordeste, Dilma avançou um ponto percentual, de 70,58% em 2010, para 71,62%. No Norte, foi cerca de meio ponto mais baixa e passou de 57,43% para 56,82%.

Ao Nordeste, juntou-se o Rio, terceiro maior eleitorado, onde o placar foi de 54,94% a 45,06%, com uma vantagem de 807.095 votos. O Estado, porém, manteve a trajetória de votações declinantes para o PT. A diferença, que foi de 57,9 pontos percentuais em 2002, de 39,4 em 2006, e de 21 em 2010, caiu para 9,8. O mesmo ocorreu no Amazonas, cuja vantagem de 61,1 pontos – a maior há quatro anos – agora foi de 27,9. (Colaboraram Vinicius Pinheiro e Adriana Aguiar)

FONTE: Valor Econômico, via Resenha do Exército

- Advertisement -

32 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Lembrando que:
A decisão do povo não é certa nem errada, é apenas a decisão legítima.

Estando certo ou errado, quem votou no outro candidato não é feio é bobo. Estava apenas exercendo seu direito

A eleição foi para presidente e não para imperador então agora é torcer pela eficácia do sistema de freios e contrapesos de nossa democracia disfuncional. Como disse Churchill, democracia é o pior sistema, a exceção de todos os outros.

A vida continua.

Enfim, que a oposição consiga gerar um candidato forte em 2018, uma oposição forte é saudável para o país.

pedro oliveira
pedro oliveira
6 anos atrás

O último a sair apague a luz.

edurval
edurval
6 anos atrás

Senhores,

O interessante nisso tudo e se discutir o porquê do Aécio não conseguiu uma votação maior em Minas.

Isso me parece ser reflexo da vitoria do PT no governo do estado.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Edurval, tá aí uma coisa que eu queria ver explicada pelos mineiros que frequentam o fórum. No mais, a estratégia do PT de destruir a Marina funcionou plenamente, já que os eleitores dela não migraram na quantidade suficiente para eleger Aécio, sendo que, na hipótese contrária, acredito que os eleitores do PSDB migrariam em maior quantidade para a Marina. O jeito agora é ver no que vai dar e ficar com a escolha de Sofia – torcer para o governo ser péssimo e o PT não ganhar as eleições em 2018 ou torcer para o governo ser bom e correr… Read more »

felipe augusto batista
felipe augusto batista
6 anos atrás

“Edurval, tá aí uma coisa que eu queria ver explicada pelos mineiros que frequentam o fórum.” É claro que existem diversos motivos, mas em minha opinião, algo que contribuiu muito foi que os professores de Minas ficaram todos contra o Aécio, quando assumiu o governo do estado ele aplicou o chamado choque de gestão para colocar as contas públicas em dia, uma das atitudes tomadas foi o ajuste de salários e na educação o que ele fez foi dar aos professores um piso acima do nacional, MAS para isto ele extinguiu todos os benefícios e subisídios que a classe possuía… Read more »

edurval
edurval
6 anos atrás

Rafael,

Eu votei nulo, pois na minha visão os políticos corruptos do PT e do PSDB são farinhas do mesmo saco.

O que precisamos é de um partido e de políticos que misturem a preocupação social (PT) com a manutenção econômica (PSDB), como isso me parece uma utopia, nos resta torcer para que a economia mundial melhore possamos retomar o crescimento econômico.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Felipe, então os professores de MG tem muito mais capacidade de influenciar os eleitores que os de SP. Desde que o Mário Covas era governador (e eu era aluno de escola estadual naquela época) os professores odeiam o PSDB e fazem proselitismo para o PT ou para partidos mais a esquerda sem conseguir grandes resultados. Aliás, quase todas as categorias do funcionalismo público estadual são anti-PSDB aqui em SP. Edurval, mesmo tendo várias críticas ao PSDB (inclusive de ser esquerda demais para o meu gosto rsrs), creio que ele seja menos pior que o PT e por isso votei nele… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
6 anos atrás

Edurval,

Acredito q seja pelo fato que, em Minas, do meio p/ cima é Bahia !!
O agreste nordestino é PT !! A geografia e a geopolítica dessa região são idênticas ao nordeste.

Os ataques feitos pelo PT, alegando fim das assistências, acabou com o Aécio

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Alfredo, mas não foi só no norte de MG que deu Dilma – na zona da Mata, no Triângulo e outras deu PT.

Praticamente só na RMBH deu Aécio, o que equilibrou os números foi que essa região é mais populosa.

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Lembrando que no Sudeste não foi só em MG, Aécio também perdeu no Rio.

A derrota no Norte e Nordeste era algo esperado, mas perder em dois estados do populoso sudeste foi crítico.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Mas a derrota de Aécio no RJ já era esperada. Em Minas, pelo menos antes do início das eleições, não.

edurval
edurval
6 anos atrás

Senhores,

Aqui no Rio existe essa pergunta, do por que o Aécio não emplacou, acredito que como existem muitos funcionários públicos de nível federal e estadual ficou a lembrança dos congelamentos de salários e demissões da era FHC.

Quando a Minas e ao Nordeste me parece que o problema se deve a falha do PSDB de se fazer crível como um partido que pode melhorar a vida do pobre.

Eu votei na Marina e anulei o meu voto no segundo turno por não acreditar em nenhuma das duas opções.

phacsantos
phacsantos
6 anos atrás

Senhores,

Também piorou a situação do Aécio que em Pernambuco ele não cresceu seus votos.

Mesmo com apoio da família do finado Eduardo Campos.

Outro ponto é que a Marina demorou demais para tomar um lado. E teve uma atuação bem apática.

No exterior a vitória dele foi grande…pena que influencie quase nada no resultado.

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

As pessoas gostam de falar da campanha como uma guerra mas apesar das semelhanças acho que essa é uma analogia incompleta. Acredito que no final das contas a campanha eleitoral é uma venda: de um candidato, um partido e uma proposta de governo. E aí me pergunto. O que a oposição e teria de fazer para vender sua proposta melhor que a concorrência? O que ela deve fazer para ganhar o cliente eleitor? O que é preciso fazer para criar ao menos uma candidatura viável de direita? Lembrando que o Aécio é só centro-direita. Respostas do tipo: Porque o povo… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Caro Renato, eu já começo discordando que o Aécio é centro-direita rsrsrs. Para mim, ele defende mais ideias de esquerda do que de direita. O Pastor Everaldo até teve um pauta mais de direita nas eleições e fracassou de forma retumbante. Claro que pesou sua falta de carisma e o fato de ter se convertido à direita às vésperas da eleição. Acho que a direita não tem chance de vencer uma eleição no Brasil se defender de forma clara e inequívoca suas posições econômicas (pelo menos não nos próximos anos). E dentre as direitas, a conservadora tende a ter um… Read more »

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Com certeza em nossas eleições a demonstração, o compromisso com um projeto e um agenda para o país já foi colocado de lado a muito tempo, focando no candidato cuidando até mais de sua aparência do que do currículo e é por isso que a pessoa mais importante da campanha é o marketeiro, escolhido a dedo e pago regiamente pelo seu trabalho ……

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Rafael, eu até entendo a dificuldade, mas até no legislativo é raro ver alguém de direita e isso é especialmente bizarro num país que se apresenta como de direita.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/pesquisa-datafolha-direita-e-centro-direita-sao-a-maioria-relativa-no-brasil-mas-nao-tem-em-quem-votar/

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Um país que produz mais colunistas da Veja que candidatos.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 anos atrás

Interessante essa pesquisa. E foi uma ótima piada rs.

Já tinha essa ideia de que o grosso da população é centro-direita é que ela não consegue representação política adequada.

Mas é uma pesquisa aparentemente apenas de valores sociais. Economicamente, a esmagadora maioria da população é contra a privatização da Petrobrás, por exemplo. Foi mais nesses termos que comentei.

De qualquer forma, provavelmente teremos partidos e candidatos de direita em 2018. É esperar para ver.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Reflexos de um Estado Unitário e incrivelmente sem identidade.

Talvez se um dia houver o voto distrital, que trará a reboque um aumento da importância e tb das responsabilidades do Legislativo, poderiamos ter um cenário eleitoral “mais lógico”.

Claro que a extinção do Coeficiente de Legenda e o voto obrigatório ajudaria muuuuuito tb…

Como dizia meu Avô:

– É possível conhecer a inteligência de um povo ao se conhecer o tamanho de sua procissão.

Grande Abraço.

Wagner
Wagner
6 anos atrás

Que pena, eu estava esperando o Vader comentar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk !!
🙂 🙂 🙂

Blind Man's Bluff
Blind Man's Bluff
6 anos atrás

Onde tem fumaça, tem fogo. Pode investigar que tem FRAUDE e MARACUTAIA por trás.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Se pergunto uma coisa:

Se alguem quiser recontar os votos, como é que faz? 😉

Esse papo de urna eletrônica no Brasil é uma furada, é uma porteira aberta… mas relaxa, somos muito avançados tecnologicamente. rsrsrsrs

Sds.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
6 anos atrás

Esses 3 milhões de votos de diferença podem por na conta do Departamento Nazi-Petista de Propaganda.

2015 promete.
O judiciário está aparelhado, legislativo está comprado com o dinheiro do aparelhamento das estatais. A máquina pública está a serviço do projeto criminoso de poder de um partido.

Povo na rua e impeachment ainda em 2015. Raio privatizador em 2016. É o que desejo para o Brasil.

Save Ferris!

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
6 anos atrás

Só uma correção Dilma venceu e os derrotados alegam que Áécio “VENCEU” no sudeste por absoluta ARROGÂNCIA PAULISTA. Sinto informá-los que o sudeste tem 4 estados e em um o PSDB venceu São Paulo e em outro o PT venceu Minas Gerais. No Rio de Janeiro e no Espirito Santo venceu o PMDB e como o costumeiro no dividido partido, o PMDB de Dilma venceu no Rio de Janeiro e o PMDB da direita que apoiou o Aécio venceu no Espirito Santo. Portanto foi 2 x 2 no Sudeste mas os paulistas xenófobos e arrogantes saem gritando pela internet que… Read more »

Antonio M
Antonio M
6 anos atrás

Gilberto Rezende 29 de outubro de 2014 at 1:05 # São Paulo e tão xenófobo e preconceituoso que é a cidade mais nordestina do Brasil fora do nordeste. Tem parada gay feita com recursos públicos e proteção policial e tantas outras coisas que a propaganda enganosa dessa quadrilha esquerdopara quer dizer que não há. Outra coisa que escondem é que o próprio grupo gay da Bahia já mostrou que as regiões onde ocorrem o maior número de assassinatos de homossexuais é NO e NE e são as mais assistidas pelo assistencialismo do governo, pricipalmente pelo Bolsa Família. Mas o que… Read more »

Blackhawk
Blackhawk
6 anos atrás

Antônio M, lei da ação e reação. Onde mais existe preconceito é onde mais as pessoas reagem.

Um detalhe engraçado, é que até domingo, o PSDB era o pai do Bolsa Família. Segunda-feira já voltou a ser Bolsa Esmola, Miséria, etc…

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Eu não creditaria a culpa à SP. Os caras votaram em quem quiseram. O maior problema foi na estratégia de campanha que se deixou cair na vala da luta de classes que a concorrente armou.

Se os caras aprenderem vão procurar um novo público em vez de se fechar. Dentro do bolsa-família existem milhares de micro-empreendedores. É gente que não quer controle do estado, quer é mais espaço.

Eles tem de parar de escrever blogs e revista Veja ir para rua, falar com esse público.

Blackhawk
Blackhawk
6 anos atrás

Caro Renato.B
Não creio que a presidente armou essa estratégia de luta de classes. Me baseio em fatos que ocorreram há muito mais tempo, com a emplacada da expressão “esquerda caviar”. Essa expressão é enraizada de preconceito na medida que rechaça e deslegitima a possibilidade de existir uma esquerda que seja bem sucedida economicamente. Quando forjou o termo, o colunista delimitou claramente aos seus seguidores: esquerda é pobre, senão não é esquerda.
Espero ter me feito entender, lembrando que esta é minha opinião.
Sds.

Renato.B
Renato.B
6 anos atrás

Ok Blackhawk, admito que não posso dizer que lado começou com o discurso “nós contra eles” primeiro. Mas, convenhamos, ambos fizeram uso dele e, a meu ver, o PT o fez de forma mais eficaz. Seguindo a analogia da venda que comentei antes: xingar o seu potencial cliente (o eleitor) de pobre, retardado e comedor de esmola (o bolsa família) foi de uma estupidez imensa. A coisa chegou num ponto que o próprio Aécio teve de condenar as críticas a nordestinos. Sendo justo, talvez não deva creditar isso à estratégia de campanha do PSDB, mas a seus correligionários. O que… Read more »

Blackhawk
Blackhawk
6 anos atrás

Concordo contigo Renato. Acho que não é uma linha de pensamento da instituição PSDB, embora creia que seja a opinião de muitos integrantes, a ponto de acabar colando a pecha de conservador. Além disso, achei que não foi uma boa ideia ficar com aquela conversa de compadre nos debates com pessoas como o candidato Levy Fidelix e Pastor Everaldo (que não cansavam de expressar sua admiração ao candidato Aécio), pessoas, essas, que não conseguiam deixar de transpirar seu preconceito em temas que, afinal, são irrelevantes para aquilo que creio ser mais importante no discurso da direita, “economia e liberdade”, como… Read more »

edurval
edurval
6 anos atrás

Renato.B 30 de outubro de 2014 at 9:47 # Finalmente uma luz no fim do túnel!!!! “Seguindo a analogia da venda que comentei antes: xingar o seu potencial cliente (o eleitor) de pobre, retardado e comedor de esmola (o bolsa família) foi de uma estupidez imensa.” O que me surpreende é como os partidos e partidários de direita não conseguem enxergar isso, ai depois da eleição só conseguem destilar o seu veneno, chamando os eleitores que não os compraram de idiotas, ignorantes, vendidos e outras coisas mais. Será que eles não entendem que as pessoas votam nos candidatos que as… Read more »

Últimas Notícias

VÍDEO: Sistemas de Defesa Antiaérea de Ponto da China

A China apresentou vários sistemas de armas no Zhuhai Air Show 2021 no final de setembro. Entre os fabricantes, a...
- Advertisement -
- Advertisement -