Home Blindados Exército Brasileiro recebe munição 30mm da CBC para emprego no Guarani

Exército Brasileiro recebe munição 30mm da CBC para emprego no Guarani

2316
25

Vídeo divulgado pelo Exército Brasileiro (EB) na quarta-feira, 25 de março, mostra o recebimento  dasnovas munições 30 mm que serão utilizadas pelas Viaturas Blindadas Guarani. A munição é fornecida pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC).

Falando em Guarani, aproveite para assistir também ao vídeo abaixo, de outubro de 2011, com demonstração de tiro real com a viatura. Segundo o EB, este é o mais assistido em seu canal no Youtube. O vídeo de pouco mais de três anos atrás também aborda a entrega dos dois primeiros radares Saber M60.

COLABOROU: Sandro

25
Deixe um comentário

avatar
25 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
LywRafael OliveiraJTClaudio MorenoFernando "Nunão" De Martini Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

As municoes do Gepard, são produzidas pela CBC tb ???
o EB importa alguma munição ??

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Não, a munição 35X228 mm não é fabricada no Brasil.

Quando o EB adquiriu os Gepard, recebeu uma grande quantidade dessa munição.

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Bom dia a todos os Senhores,

Wolf, foi adquirido entre dois e três milhões de cartuchos, junto com os Gepard’s.

Se buscar na net acho que aqui mesmo no Forte.Jor vai encontrar a informação de maneira mais precisa.

CM

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Há décadas operamos canhões de 35 mm e até hoje não fabricamos a munição.
Uma pena!!

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Bosco,

Pior ainda …é não termos capacitado a IMBEL a produzir canhões AA de 35mm e 40mm. Três unidade fabris e nenhuma dedicada a pesquisa, desenvolvimento e produção de canhões. Triste!

CM

NOTA:
cacete que diferença de 3 ou 4 milhões de cartuchos para 540 mil kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Notícias Populares …jornaleco de SP.

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

rsbacchi e Caludio Moreno,

pergunto isso exatamente por esse motivo. Li aqui no Forte que o EB recebeu alguns contadores com munição para os Gerard… na epoca o pessoal “calculou” que era munição para uns 06 minutos de guerra….
as municoes de canhões não deveriam ser uma questão básica ??? de soberania ???
tirando a Alemanha, de quem mais poderíamos comprar as uniões pro Gerard ?!?!

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

contadores= containers

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Pois é meu caro Wolf…usando a frase do “Todo mundo Odeia o Cris” : _sabe como é que é…” Para termos uma idéia, a Avibras e o Grupo Nexter anunciaram a assinatura, na Eurosatory 2014, (portanto a quase um anao atrás) um acordo de cooperação visando o desenvolvimento de uma versão do Sistema de artilharia de 155 mm CAESAR, baseada nos mesmos requisitos de mobilidade, logística e capacidade de comando e controle do Sistema Astros, produzido pela empresa brasileira. Disso tudo o que saiu até agora? N.A.D.A. ! Pode parecer loucura o que direi, mas infelizmente parece que nossos governantes… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Hoje em dia, com a possibilidade cada vez mais remota de conflitos entre Estados durarem muitos meses ou anos, sendo o mais provável que sejam de curta duração, acho a fabricação da munição muito mais estratégica que a fabricação de caças, navios, tanques, submarinos, etc. Saber fabricar um caça em estado da arte pode até ser vantajoso do ponto de vista mercadológico, mas não agrega em nada em termos de soberania ou auto suficiência num caso de conflito real. Um caça levar (salvo engano), um ano inteiro pra ser feito. Até lá qualquer conflito já teria findado. Um país, do… Read more »

Groo
Visitante
Groo

Poderíamos comprar uns A-10s, já que fabricamos munição e os EUA querem se livrar do avião 😉

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Bosco
corretíssimo sua colocação. Por exemplo a munição do JAS Gripen é 27mm nunca tivemos isso no inventário d FAB. Quem irá fabricar tal munição? Montaremos o caça ma vamos depwnder de fora para armar o canhão?
CM

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Além da CBC, a IMBEL e a ENGEPRON produzem munições de vários tipos, com destaque para esta última, que serve a marinha com munições de 40mm à 127mm.

https://www.emgepron.mar.mil.br/index/municao.php

Como disse o Nunão, produzir munições de 35mm, 27mm e mesmo as de 23mm (AH-2) não seria problema algum.

rsbacchi
Membro
Member
rsbacchi

Só depende de $!!!

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Lyw,
Ainda tem a de 25 mm, usada pelos canhões da classe Amazonas, que também não são fabricados aqui.
Ou seja, até agora não fabricamos munição para os canhões de 23mm, 25 mm e 35 mm.
E num futuro longínquo sabe-se lá quando, do 27 mm.

Lyw
Visitante
Member
Lyw

joseboscojr 28 de março de 2015 at 12:10

Acrescente a isto ainda as munições de 30×165 se os Pantsir vierem!

Fernando “Nunão” De Martini 28 de março de 2015 at 14:03

Bem lembrado Nunão!

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Bom Sábado a todos! Nunão, também não vejo como um problema insolúvel a adoção de um novo calibre. Mas a questão é custos de aquisição, de quem comprar e por quanto tempo (o fator tempo está atrelado a possíveis desavenças com nações que nos forneçam aquilo que não fabricamos, não quero dizer que venhamos ter um embargo tal como Argentina e Venezuela, mas pode acontecer de o tempo de entrega dos repostos serem bem longos… já tivemos problemas assim com EUA para repostos do F-5). Em fim…fico muito triste de que o básico para manutenção de uma guerra de curto… Read more »

JT
Visitante
JT

Espero que a CBC faça a munição para o EB com qualidade melhor do que as 22 LR que usamos no tiro esportivo.

Lyw
Visitante
Member
Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Muito pertinente mesmo, Lyw.

Nem sabia que os contratos assinados chegavam a esse número. Pelo que eu tinha anotado, dava cerca de 120 unidades contratadas.

Bom saber que a fabricação do Guarani continua.

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Também fiquei surpreso Rafael, imaginava algo em torno deste número também.

Agora, esta quantidade de veículos, foi comprada através do orçamento de 2014, vamos ver como vai ser em 2015, a poucos dias li que 90 unidades seriam incluídas no PAC para serem entregues esse ano… Será?

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Difícil fazer qualquer prognóstico, né Lyw? rsrs. Nem sei se faz mais diferença algo estar no PAC ou não rs.

A vantagem é que a Iveco tem uma certa capacidade financeira de fabricar alguns Guaranis, mesmo que os pagamentos atrasem, além da suposta venda de 10 deles ao Líbano.

O importante é a linha de produção não parar e, principalmente, não demitirem os empregados qualificados para fabricar o veículo.

O jeito é esperar e torcer por essa encomenda.

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Segue o link: http://www.brasil.gov.br/governo/2015/03/orcamento-de-2015-e-aprovado-pelo-congresso Do orçamento aprovado para 2015, 5,4 bilhões sairão do PAC para atender programas de Defesa. Destaco a parte a seguir: “Em 2015, além dos seis eixos temáticos, a área de defesa também receberá recursos do PAC: serão R$ 5,4 bilhões. Entre os planos do Executivo está a aquisição de nove helicópteros franceses de médio porte, a compra de blindados Guarani e o desenvolvimento da aeronave de transporte militar KC-X pela Embraer em parceria com o Ministério da Defesa. Cerca de R$ 1 bilhão dever ser usado na aquisição de parte dos 36 caças suecos Gripen, para… Read more »