Home Exército Brasileiro 4º Grupo de Artilharia Antiaérea – Exercício de Formosa

4º Grupo de Artilharia Antiaérea – Exercício de Formosa

1589
29

4º Grupo de Artilharia Antiaérea

Sete Lagoas (MG) – De 27 de julho a 6 de agosto, o 4º Grupo de Artilharia Antiaérea participou de exercício de tiro real no Campo de Instrução de Formosa, juntamente com todas as Unidades de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro, sob coordenação da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.

4º GAAAe - 1

4º GAAAe - 2

FONTE: 4º GAAAe

29
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
carvalho2008Mauricio R.ColombellitadeumarBosco Jr Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antonio
Visitante
Antonio

Na IIa. GM isso aí seria devastador! Hoje…

Ivo
Visitante
Ivo

Fala sério…………….. o “Eye Ball” Mk-1 é incrível……… detecta alvos com extrema resolução e precisão rsrsrsrs…..

Sérgio Ricardo
Visitante
Sérgio Ricardo

O segredo é um bom radar…

ME 109
Visitante
ME 109

Esta coisa têm condições de acertar algo voando , acredito que isso não consiga acertar um caça moderno taxiando na pista .

tadeumar
Visitante
tadeumar

Ate parece uma foto colorida tomada durante a Segunda Guerra Mundial.

Que lixo…que vergonha e se o Evo Morales ver esta foto ele vai concluir que sim pode invadir o Brasil….sem problema.

dalvo
Visitante
dalvo

essa é a artilharia brasileira? PQP da até vergonha olhar esse museu. deixa o exército boliviano ve isso.

José Carlos
Visitante
José Carlos

Munição tem bastante!!!

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

nós precisamos de C-RAM e baterias de curto médio alcance, mais IGLA ou Stinger, S300 ou Patriot aí sim!

Alem
Visitante
Alem

Risos…

AbelPauperio
Visitante
AbelPauperio

Carlos Campos, porque o C-RAM que é um sistema contra foguetes e morteiros é comparado com as peças de AAA da reportagem se são para emprego diverso???

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

Vcs falam da boa, porém velha Bofors 40mm como se os jatos americanos que foram abatidos no Vietnam tivessem sido atingidos por misseis de baterias S-400 ou de raios laser teleguiados… O problema não é ter canhão com mira por visada, o problema é SÓ TER ISSO. E no caso da AAA brasileira, a mesma tem recebido armamento “novo” (aspas devido aos Guepard usados) de razoável sofisticação. Os grandes problemas da força, é a falta de um sistema para defesa de médio e longo alcance, e a pequena quantidade dos meios hoje já empregados. Se tratando de América do Sul…… Read more »

Lucas
Visitante
Lucas

Chega a ser assustador um país como o nosso possuir um trambolho desses como bateria antiaérea!!!

Lima
Visitante
Lima

Nós somos um país rico que ainda possui AAA de 60 anos, para usar os 40mm o inimigo já está sobre sua cabeça, na verdade qualquer helicoptero pode lhe abater fora do seu raio de visão, este é o preço de ser governado por saqueadores e amadores.

dalvo
Visitante
dalvo

se o brasil tivésse pelo menos misseis SCUD com alcançe de 800 km tava bom! agora essa metralhadora gigante aí véi… isso daí é do tempo da segunda guerra que os ingleses usavam para defender londres dos bombardeios alemães. nós brasileiros somos inteligentes. tempos capacidade para desenvolver baterias anti-aéreas eficientes!

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Adoro ver essas relíquias de museu funcionando perfeitamente, são equipamentos formidáveis! Brincadeiras a parte, o problema é só ter isso realmente, com um bom radar de tiro eles podem ser úteis, mas é muito pouco, quase nada, para abater aviões modernos acho que não acertam um tiro, nem de proximidade, a situação está negra…

dalvo
Visitante
dalvo

até que enfim alguem acertou o que eu queria dizer. acho que eu não estava explicando direito então. essa bagaça aí da segunda guerra não aceita aviões modernos como por exemplo sukhoi su-37, F-18, F-5, aviões antigos soviéticos ou americanos de 70 ou 80 pra ka e por aí afora. talvez se os misseis anti-aéreos astros 3 fossem modernizados e guiados por calor resolveria bastante.

Lc
Visitante

Dalvo,

Scud? Vc acha que devemos possuì-los e utilizá-los como SAM???
SAM Astros 3? What f…k is this?
Não entendi lhufas.

Eduardo Pereira
Visitante
Eduardo Pereira

KKKKKKKKKKKKKKK, Bosco , help please !!!!!!!

Sds.

Yamamoto
Visitante
Yamamoto

O fato é que: A artilharia anti aérea brasileira (canhões de 35 e 40) ainda é válida nos dias modernos. Não existe nada de errado para o nosso TO possuir esses canhões e mesmo em TO mais quentes, esses mesmos equipamentos também são utilizados. Países da OTAN possuem AAA nos calibres 23, 25, 30, 35 e 40 mas, obviamente, esses são complementados com sistemas de médio alcance e em alguns países mais relevantes militarmente, sistemas de longo alcance. Só para constar, a Polônia não só não aposentou os seus sistemas de 23 (23-2 e 23-4), como procedeu a modernização dos… Read more »

Tadeumar
Visitante
Tadeumar

Se for utilizada para abater um Stuka, um Sptfire, ou um Mustang, ou os zeros, ou um 14-Bis nao tem problema.

Mas se vierem uns F-16s. do Chile, ou os Sukois da Venefavela, se aproximando a uma velocidade subsonica de tao somente 600km/h
Esses sucata nao da conta do recado. .

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Vamos com calma gente. Este atirando é o Bofors L70, não o L-60 que antes mobilizada as baterias AA ( este sim do tempo da segunda guera mundial), e que pode ser disparado com pontaria por radar. Para aeronaves em baixa altitude é, sim, uma ameaça a ser considerada e tem poder de dissuasão, estand, como bem ressaltado, juntamente com meios semelhantes, ainda em uso em vários exercitos do mundo. O missil não suprimiu o radar. So pra lembrar os EUA perderam um F-11 na Libia certa feita, abatido por canhões. Aliás, é bom recordar, também, que os misseis representam… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Colombelli,
Cuidado com a patrulha do “super trunfo” que anda por aqui.
Dê exemplos mas não cite números senão vai pro caderninho da Patrulha.

tadeumar
Visitante
tadeumar

Estimado Colombeli,

Pelo que estou vendo na foto, o canhao e alimentado manualmente.

Nao parece um pouco prmitivo ??????

Outra coisa: nao da para distiguir se a plataforma e giratoria ou nao. (180 graus??? 360 graus????) ou e fixa?

Da para confirmar???

Mas me desculpe minh sinceridade, para mim parece um lixo, uma verdadeira peca de museu.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Por primeiro, uma errata ja que faltou um “1” no 111, acima, e um “0” no L-70. Tadeu conforme referi, é preciso não confundir o L-60 que antes utilizávamos à razão de 04 por bateria e que de fato é de concepção da segunda guerra, sendo operado de forma totalmente manual, com o L-70 da foto, quem tem cobertura de 360º, sendo na vertical bem proximo dos 90º, e que é de operação eletromecânica, sendo totalmente automático e de concepção mai recente. Este canhão, inclusive, é utilizado até pela Força Aérea dos EUA , pois uma das suas versões equipa… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Colombelli,
Só complementando, o L70 ainda pode se servir de munição AA com espoleta de proximidade (3P), que amplia muito a letalidade do canhão e ainda ser “apontado” por radar quando associado a um sistema diretor de tiro como o EDT-FILA, que pode dirigir até 3 canhões contra um alvo ao mesmo tempo, e rapidamente passar para outro alvo, e assim, sucessivamente.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Sobre canhões AA rebocados eles irão sobreviver no futuro, mesmo em TOs mais sofisticados (onde as bombas burras, foguetes, etc, não são mais empregados), por conta de que os sistemas de direção de tiro estão evoluindo e os tornando capazes de serem efetivos contra morteiros, foguetes, obuses, bombas guiadas, mísseis ar-sup, mísseis cruise, UAVs, etc. Sendo pra emprego só contra aeronaves, como é o nosso caso, não vejo problema em serem substituídos na razão de um por um por mísseis, notadamente pelo RBS-70. Mesmo porque, ao que se sabe os sistema diretores de tiro são poucos (se é que ainda… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Uma evolução dos 40L70 do Exército são são os L-70 BOFI-R, que possuem radar de direção de tiro próprio.
comment image
Esses podem fazer tiro controlado por radar contra alvos independentes.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

“…nós brasileiros somos inteligentes. tempos capacidade para desenvolver baterias anti-aéreas eficientes!”

Se a inepta, inútil e incompetente da BID realmente fosse capaz de nos proporcionar algo usável, haveria a necessidade de comprar os “Gepards” ou os “Pantisir”???
Absolutamente que não!!!
Então ainda bem que ainda temos esses 40mm e os 35mm e ainda bem que foram adquiridos alguns RBS-70.
Pq senão sobraria somente o estilingue.

carvalho2008
Visitante
Member

O L-70 BOFI-R ainda é um bom canhão. Atualizado e cumpre muito bem a missão. O importante é direcionar os comentários para as camadas de defesa ao qual se aplica. Se o alvo estiver dentro de seu envelope, a probabilidade de acertar é grande. Camadas mais externas, devem ter outro tipo de equipamento aae. Mudando de assunto mais ainda sobre o tema, tenho até hoje uma curiosidade sobre o canhão iraniano de 100 mm aae. eles deram uma garibada num velho modelo Chines e alocaram visores eletro oticos e radar. https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&cad=rja&uact=8&ved=0CCUQtwIwAWoVChMIp-ntu-fTxwIVRYaQCh2GHg1I&url=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3DYjNQ5TGRChs&ei=yYnkVefgMMWMwgSGvbTABA&usg=AFQjCNF2nJqumQ9gCQGr-Sfs1VmhhKwpLA Quando voce olha o video, fica com impressão que… Read more »