quinta-feira, julho 29, 2021

Saab RBS 70NG

3°Esqd C Mec inaugura seção de instrução

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

3esqd-c-mec-3

O 3° Esquadrão de Cavalaria Mecanizado (3°Esqd C Mec), inaugurou, em suas dependências, a Seção de Instrução de Blindados (SIB). O evento ocorreu nesta data, durante as festividades do 53° Aniversário da Organização Militar.

A nova Seção tem por finalidade multiplicar os conhecimentos técnicos e táticos das frações elementares da Cavalaria Mecanizada e das seções e grupos especiais do Esquadrão de Cavalaria Mecanizado. Assim sendo, serão mantidas atualizadas as informações sobre os produtos de defesa, estabelecendo, para tal, canal técnico entre o 3° Esquadrão de Cavalaria Mecanizado e o Centro de Instrução de Blindados.

De forma a atender as novas demandas técnicas e operacionais das tropas Blindadas e Mecanizadas do Exército Brasileiro, a SIB tem como possibilidades, a condução de estágios e cursos de atualização e formação, tais como: Estágio Grupo de Exploradores; Estágio Grupo de Combate; Estágio Peça de Apoio; Estágio de Viatura Blindada de Reconhecimento; Estágio Motorizado Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – MR Guarani; e Estágio de Comandante de Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – MR Guarani.

Destarte, a SIB do 3ª Esqd C Mec funcionará como um pólo difusor da “cultura do emprego de blindados”, contribuindo, assim, com a preparação e modernização da Força Terrestre, projetando e difundindo conhecimentos no âmbito da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada.

3esqd-c-mec-11

3esqd-c-mec-2

3esqd-c-mec-8

DIVULGAÇÃO: 3°Esqd C Mec

- Advertisement -

35 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Crispim
Carlos Crispim
4 anos atrás

Se não fizerem logo uma Guarani 8×8, este veículo será um fracasso retumbante, tem que botar o 8×8 na linha de produção já e exportá-lo em quantidades, o veículo é bom, mas sem vendas internacionais vai degringolar…

Marcelo Silveira.
Marcelo Silveira.
4 anos atrás

Olá! Na primeira foto nota-se a clara diferênça no tamanho do Guarani ainda sem torre em relação ao Cascavel. . No seu raio de ação a campo aberto, a onde se faz jús a cavalaria mecanizada em reconhecimento ou até mesmo ação de apoio ou assalto não teria o Guarani desvantagem devido sua alta silueta sendo facilmente detectado visualmente pelo o inimigo. . Há utilização do canhão 90 mm neste mesmo Guarani sejas 6×6 ou 8×8 não seria mais viavel devido carregar mais munições, até porque com um canhão de 105mm continuara a ser um veiculo de reconhecimento e não… Read more »

Pablo
Pablo
4 anos atrás

Qual a cidade que fica o 3º esq c mec

Bardini
4 anos atrás

Marcelo Silveira. 26 de setembro de 2016 at 20:34 . http://www.dsau.eb.mil.br/arquivos/PROCAP/portaria_n185_DGP.pdf . Pag. 20 em diante: . 3.1.2.Possuir silhueta baixa, altura do teto máxima de 2,30 m (dois vírgula trinta metros), excluindo a torre, o armamento e peças amovíveis. (Peso oito) . 3.1.68.Possuir, como armamento principal, canhão de 105 mm (cento e cinco milímetros) de alta pressão, capaz de utilizar munições padrão OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com movimento vertical entre, no mínimo, -7º e +16º (menos sete graus e mais dezesseis graus), disparando, no mínimo, projéteis dos tipos HEAT (High Explosive Anti Tank), HEP (High Explosive Plastic)… Read more »

Andrey Lisboa
4 anos atrás

Pablo – acho que fica em Brasília.

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
4 anos atrás

Belas fotos,
O Cascavel é bonitão mesmo heim …..
Já o 6 x 6, sei lá ….. com aquelas paredes laterais …..
Quais países adotam 6 x 6 em Viatura Blindada de Transporte de Pessoal ?
Lógico, como viatura principal !

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

Eu quero um Guarani, preto, da Civil, com uma torre automática com arma em calibre para uso urbano como .300blk, 6.8upc ou 9×39 russo.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
4 anos atrás

Ainda choram pelo fato de 6×6 o guarani, aceita gente e 6×6 o EB sabe oque faz, se o carro é assim e por um motivo para de reclamar atoa não vai mudar nada esta coração, o carro de reconhecimento vai ser 8×8 com canhão de 105mm,ar,trava elétrica e etc… que coisa chata ja tem mais de 200 guaranis ai e ainda ficam batendo nesta tecla.

Bardini
4 anos atrás

O Guarani 6×6 é simplesmente um APC Anfíbio, na faixa das 20 tons, capaz de resistir a 7,62 perfurante a curta distância, estilhaços de obus 155 mm e IEDs de até 6kg. Cumpre a missão de VBTP para o EB.
.
O que um 8×8 na faixa das 30 tons acrescentaria a mais em termos de proteção x custo x benefício, valeria a pena pagar a diferença?
.
Eu, pessoalmente, acho que o EB está certo em suas decisões.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Bardini, concordo 100% com você.
Eu iria até mais longe: entre o VBTP M113 e o VBTP Guarani 6X6, eu considero o Guarani superior.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
4 anos atrás

Vi vários Guaranis do EB estacionados na Linha Vermelha, aqui no RJ, durante os Jogos Olímpicos. O bicho é bonito e imponente pra caramba!! Imaginem a versão 8×8 com canhão de 90 ou 105 mm????

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
4 anos atrás

Marcelo o EB fala em 105mm, e com capacidade de receber um canhão ‘maior’ se for necessário.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

As fotografias do novo Centauro com canhão de 120 mm na minha opinião mostraram um veiculo desequilibrado, ou seja, não mostra equilibrio de formas. A torre com o canhão de 120 mm dá a impressão de algo desproporcional, muito grande para o chassi. O que restringe muito o projeto de armamento de maior calibre nos veiculos blindado sobre rodas é a largura maxima de 3 metros, que é usada para garantir o deslocamento nas estradas europeias sem a formação de comboios restritos. O Centauro, bem como o Rooikat, e o MGS japones, todos com o canhão de 105 mm serie… Read more »

augusto
augusto
4 anos atrás

Reginaldo e o stryker 105mm o que voce acha ?

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Acho um aborto, A solução de montar um canhão de 105 mm (L7/M68), no teto de um VBTP MOWAG Piranha III – Mobile Gun System M1128 – é um absurdo. Isto era valido para um canhão de baixa pressão, como o canhão de 76 mm L32A1 com torre do Scorpion (no MOWAG II, Canada), como o canhão de 90 mm DEFA D-821 com torre do Panhard HL90 (no Ratel, Africa do Sul). como o canhão de 90 mm Cockeriill Mk III/ENGESA EC 90 com torre do Cascavel (Urutu Hydracobra). Estes eram canhõe de baixa força de recuo, montados em torres… Read more »

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
4 anos atrás

Bacchi o urutu possui alguma capacidade de abater ulgum MBT no nível do T-72 por exemplo? pois eu fiz uma pesquisa e descobri que o mesmo so usa munições no maximo HEAT, que pelo oque li e capaz de penetrar até blindagens medias, e outra pergunta, é viável ou no mínimo util no mínimo útil equipar estes novos veículos 8×8 com ATGM’s, ou somente o canhão de 105mm com munições APDSFS são o suficiente para dar cabo de um MBT caso seja necessário, me desculpe o qualquer coisas e o erros de português, sou apenas um leigo curioso.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
4 anos atrás

Perdão quis dizer cascavel.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Segundo a Cockeriil a munição HEAT do canhão do Cascavel tem capacidade de penetrar 130 mm de blindagem de aço homogeneo até angulo de 60°.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Quanto ao APDSFS, a Cockerill menciona uma penetração de blindagem de aço homogenea de 100 mm a 1.000 m, até angulo de 60°.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
4 anos atrás

Então o cascavel e capaz de utilizar munições APDSFS ?

Cláudio PQDT
Cláudio PQDT
4 anos atrás

Ele(3°Esqd C Mec) fica situado no SMU em Brasília.
Morei 3,5 anos na vila situada aos fundos dele.
Meu amigo( Maj. Turquielo) foi comandante dessa unidade.

Colombelli
Colombelli
4 anos atrás

Jhenison, positivo, inclusive tem videos da década de 80/90 sobre isso no youtube.

Bardini
4 anos atrás

A grande desvantagem do 90 mm perante o 105 mm é a distância de engajamento de um alvo blindado e a energia transferida ao projétil, que no 105 mm de alta pressão é muito maior, sendo mais assim, mais efetivo no uso de munição flecha. . Esse é o ponto chave que torna o uso de munições APDSFS em canhões de baixa/ média pressão de 90 mm desvantajoso, na minha opinião. Salvo necessidade ou alvos de oportunidade… . Claro que podem existir cenários onde as distâncias de engajamento não são maiores que 1.500 metros, ai o canhão de 90 mm… Read more »

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Non so piu ch’el che dico, ne ch’el che facio!

Renato Carvalho
4 anos atrás

Emoção bateu forte agora, rever minha unidade que servi no longínquo ano de 1992, engraçado que na época eu não tinha noção do quão já era defasado nossos urutus e cascavéis, sem falar no pesadão Fal, era um horror embarcar no urutu com aquele trombolho, bom os anos passaram e me da um certo alento ver que progredimos mesmo que lentamente com a chegada do Guarani e a implementação do IA2.

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Bardini, o teu comentario reflete a obsessão dos comentaristas brasileiros com a destruição dos blindados adversarios. Aquilo que eu chamo de tendencia “Tank destroyer”. Para mim a grande vantagem das novas munições de 40, 35 e 30 mm é a capacidade nova de detonação no ar, em distancia programavel com grande precisão. Isto deu a estas munições uma capacidade anti pessoal e anti material não blindado, que não tinha com a detonação por espoleta de contato. Tornou estes canhões armamento de multi uso eficientíssimo. Tanto é assim que o mesmo foi adotado pelo novo carro de reconhecimento do exercito francês… Read more »

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Por favor: onde escrevi “… novas munições …”,
leiam: “novos armamentos e munições”.

Bardini
4 anos atrás

Bacchi, . O que eu queria no meu outro comentário, era “tentar” exemplificar (como estava se falando no uso de munições APDSFS) que na minha visão, um canhão de 90 mm de baixa/ média pressão não é o ideal e, que seria melhor optar ou pelo canhão de 105 mm, para poder assim ter uma maior distância de engajamento ou pelo 40 mm, que a curta distância é muito eficiente. . É claro que eu devo ter falado alguma bobagem. Não é fácil ser autodidata nestes assuntos. Por sorte, existem bons samaritanos como o senhor pela internet, que compartilham e… Read more »

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Bardini, sim, eu concordo com você: um canhão de baixa/media pressão não é o ideal para utilização de munição APDSFS. Mas, vamos entender o que é um canhão de baixa/media pressão. Antes deles surgirem, o armamento dos veiculos leves (algo entre 10 e 20 toneladas) estava condenado a ser canhão entre 20 e 40 mm, com munição principalmente contra blindagem A munição AE-Alto Explosivo (contra pessoal e material não blindado) ou era inexistente, ou muito fraca. Ou seja, os veiculos com este armamento, tinham uma capacidade multi uso muito limitada. Foi o aparecimento da munição HEAT que resolveu este problema.… Read more »

Bardini
4 anos atrás

Bacchi,
.
Grato pela explicação. Muito esclarecedora.
.
Agora, aproveitando o tópico e voltando ao Guarani. Qual a sua opinião a respeito do Guarani armado com o canhão de 30 mm?
.
Pergunto isto pois, não consegui entender completamente qual o propósito deste veículo dentro da força. Parece não existir algo definido, e também não acho que este virá a ser usado como um “VBCI”, coisa que ele não o é. Também não vejo o EB substituindo os M-113 que acompanham os Leopards por esta variante do Guarani…

Reginaldo Jose da Silva Bacchi
Reginaldo Jose da Silva Bacchi
4 anos atrás

Bardini escreveu em 30 de setembro de 2016 as 20:44 “… Agora, aproveitando o tópico e voltando ao Guarani. Qual a sua opinião a respeito do Guarani armado com o canhão de 30 mm? Pergunto isto pois, não consegui entender completamente qual o propósito deste veículo dentro da força. Parece não existir algo definido, e também não acho que este virá a ser usado como um “VBCI”, coisa que ele não o é. Também não vejo o EB substituindo os M-113 que acompanham os Leopards por esta variante do Guarani… …”. Bardini, excelente pergunta. Eu também há muito tempo venho… Read more »

Colombelli
Colombelli
4 anos atrás

Eu so consigo conceber o 30mm no carro do Cmt Pel. Minha concepção da Cia Inf Blind é a seguinte: 03 pelotões de fuzileiros 01 pelotão de apoio 01 Seção de Comando. Cada pel de fuzileiros com 04 carros, sendo três deles destinados aos GC (um sargento, dois cabos e seis soldados mais motorista e atirador) todos carros com Mtr. M2Hb. .50 torre comum. Um destinado ao CMt Pel, equipado com canhão 30mm, e tendo como tripulação uma peça Mtr. MAG (dois homens), uma peça de Mort. 60mm (04 homens), um sargento adjunto, um ROP, e o Cmt Pel. GC… Read more »

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
4 anos atrás
Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
Cavando trincheiras e trabalhando com madeira:
.
(http://www.thinkdefence.co.uk/2016/10/new-long-read-digging-working-wood/)

Últimas Notícias

Armamento multifuncional que entende o campo de batalha moderno

Hoje em dia as tropas enfrentam uma gama mais ampla de desafios e, para obter sucesso, é preciso contar...
- Advertisement -
- Advertisement -