quarta-feira, março 3, 2021

Saab RBS 70NG

LAAD 2017: voamos o PZL M28 Skytruck – candidato a equipar o Exército Brasileiro

Destaques

Gastos da China em pesquisa e desenvolvimento atingem um recorde de US$ 378 bilhões

O Escritório Nacional de Estatísticas da China disse que os gastos com P&D, que visam desenvolver novos serviços...

Rafael conclui o desenvolvimento da versão superfície-ar do míssil I-Derby ER

A Rafael Advanced Defense Systems Ltd. concluiu o desenvolvimento da versão de defesa aérea baseada em solo do míssil...

Exército Russo recebe novo lote de tanques de batalha T-90M atualizados

O Exército Russo recebeu o novo lote do tanque de batalha principal T-90M Proryv-3 (Avanço), de acordo com um...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Por Angelo Nicolaci – editor do site GBN – Geopolítica Brasil

O terceiro dia da LAAD 2017 foi realmente um dia muito corrido. Estivemos na BAAF conhecendo o Embraer KC-390 pela manhã, a na parte da tarde, uma nova experiência nos aguardava. Eu e nosso amigo e parceiro, o fotógrafo Luiz Gomes, fomos conferir de perto e voar um dos candidatos ao posto de primeira aeronave de asa-fixa da Aviação do Exército Brasileiro (AvEx). Estamos falando do PZL M28 Skytruck, que está sendo ofertado pela Sikorsky.

Como combinado anteriormente, nos dirigimos ao estande da Sikorsky no pavilhão 4 da LAAD, onde encontramos outros membros da imprensa especializada. Todos estavam ansiosos para conhecer o M28 Skytruck, e logo fomos recepcionados e conduzidos a uma van que nos levaria ao aeroporto de Jacarepaguá, pela bela Lauren Allen, da comunicação social da Sikorsky.

Chegamos ao hangar da Líder Taxi Aéreo, onde estava nos aguardando uma equipe da Sikorsky que nos apresentou a aeronave. Partimos para pista e tivemos o primeiro contato com o M-28 Skytruck, uma aeronave simples e robusta, com asa alta, equipada com os bem conhecidos P&W PT-6. Realizamos várias fotos e recebemos uma breve apresentação das particularidades desta aeronave e o briefing, para finalmente nos acomodarmos no interior do M28 e realizar o voo tão esperado.

A aeronave possui uma rampa traseira que possibilita um rápido e fácil acesso ao interior da aeronave, equipada com um guincho para 500kg, e portas com acionamento elétrico.

A aeronave que nos foi disponibilizada estava configurada para transporte de passageiros e duas macas. Possuindo um bom espaço interno, que durante as avaliações do Exército Brasileiro, foi o único dos concorrentes capaz de transportar uma lancha “voadora” e um conjuntos de pás do helicóptero Black Hawk.

O painel de instrumentos é bastante simples, apresentando ainda alguns instrumentos analógicos, porém bem dispostos. Os assentos dos pilotos estão muito bem posicionados e confortáveis.

Externamente a aeronave é bem robusta, apresentando extrema simplicidade, o que torna fácil a sua manutenção em áreas desprovidas de estrutura, como será o caso da operação na Amazônia.

Então finalmente chegou o tão esperado momento de nos acomodarmos nos assentos, afivelar os cintos e partir para o voo. Posicionei-me na última fila de assentos e nosso fotógrafo ficou lá atrás próximo perto da rampa de carga a fim de fazer algumas fotos que o leitor pode conferir nesta matéria.

Após um suave taxi até a cabeceira, sentimos a potência nos motores, que rapidamente atingiram a força desejada e após uma suave pressão contra o assento, ganhamos o céu. A decolagem foi extremamente curta, e a razão de subida muito boa, ganhamos altitude muito rápido e logo estávamos sobre o Oceano Atlântico, sobrevoando a orla carioca.

O M28 possui um ótimo isolamento acústico, além de ser muito estável, realmente uma aeronave muito “gostosa” de voar. Os comandos se mostram muito precisos e muito dóceis, com uma boa resposta.

Logo ouvimos a sirene e então a rampa de carga foi aberta, para surpresa de todos, não houve turbilhonamento no interior da aeronave, o que facilita e muito a operação de lançamento de cargas e paraquedistas.

Após um prazeroso voo, que nos deixou uma ótima impressão quanto a aeronave, regressamos á Jacarepaguá, onde realizamos um pouso curtíssimo e extremamente suave. Mal sentimos a desaceleração da aeronave, que demonstrou na prática a capacidade de pouso em pistas curtas.

Chegamos ao fim do voo, desembarcamos e compartilhamos na sala vip da Líder Taxi Aéreo as nossas impressões, que foram unânimes sobre o M28 Skytruck ser realmente uma excelente aeronave. É uma ótima opção para operar com o Exército Brasileiro. Após um breve debriefing com os representantes da Sikorsky e seus assessores de imprensa, agradecemos pela oportunidade de voar o M28.

O PZL M28 Skytruck realmente é uma máquina fantástica e atende aos requisitos do Exército Brasileiro, sendo uma boa opção para iniciar a operação de asa-fixa no EB e prover assistência aos batalhões de fronteira e a população da região amazônica, serviço que foi muito afetado com a desativação dos C-115 “Buffalo” da FAB. Caso a escolha do EB seja o M28 Skytruck, temos a certeza de que estaremos servidos por uma excelente aeronave.

FOTOS: Angelo Nicolaci/Luiz Gomes

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -