Home Conflitos em andamento Integrantes da Otan apoiam plano dos EUA no Afeganistão; Rússia critica

Integrantes da Otan apoiam plano dos EUA no Afeganistão; Rússia critica

1561
10
Solados da OTAN no Afeganistão

Organização não permitirá que Afeganistão vire ‘refúgio para terroristas’, diz secretário-geral

BRUXELAS – O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, afirmou nesta terça-feira que o grupo de apoio militar não permitirá que o Afeganistão se transforme em um “refúgio para terroristas”. A autoridade elogiou a decisão do presidente americano, Donald Trump, de enviar mais tropas ao país, com apoio financeiro da Otan. Integrantes da organização acolheram os planso de Trump, enquanto a Rússia criticou a estratégia.

O chefe de Estado reverteu sua promessa de retirar rapidamente os soldados americanos do território afegão, em continuação ao trabalho de Barack Obama, e prometeu enduerecer a campanha militar contra insurgentes talibãs.

“Nosso objetivo é garantir que o Afeganistão não se transforme novamente em um refúgio para terroristas que atacariam nossos próprios países”, afirmou Stoltenberg em um comunicado. “A Otan permanece totalmente comprometida ao Afeganistão e espero discutir o caminho à frente com o Secretário (de Defesa dos EUA, James) Mattis e nossos aliados e parceiros internacionais”.

Autoridades americanas disseram que ele definiu planos para enviar cerca de 4 mil soldados adicionais aos 8,4 mil já no Afeganistão. No entanto, seu discurso não determinou padrões para o término bem sucedido da guerra que começou com a invasão americana em 2001, que Trump reconheceu ter exigido “sacrifício extraordinário de sangue e riqueza”.

— Vamos pedir aos aliados da Otan e parceiros globais para apoiar nossa nova estratégia, com soldados adicionais e aumentos de financiamento em linha com o nosso. Estamos confiantes de que eles aceitarão — indicou Trump.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, elogiou o “compromisso duradouro” dos Estados Unidos no país. A decisão de renunciar a uma retirada rápida “mostra um compromisso duradouro deste sócio fundador neste conflito internacional”, afirmou a presidência afegã em um comunicado divulgado nas redes sociais.

FONTE: O Globo/Agências Internacionais

10
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
João BoscoCarlos Alberto SoaresAugustMadMaxKrest Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Karl Bonfim
Visitante
Karl Bonfim

Esses planos para o Afeganistão da OTAN devem reforçar a necessidade de um Ligth attack aircraft tipo A-29 super tucano para a USAF para reforçar e dar suporte as operações COIN junto com o A-10…

Doug385
Visitante
Doug385

O problema é que hoje muitos terroristas estão refugiados nos próprios países europeus.

Krest
Visitante
Krest

O governo afegão sozinho não é capaz de lidar com o taliban e Daesh.
Essa a decisão mais sábia, sem duvidas.

seus soldados são despreparados, mau equipados, desmotivados e só estão dispostos a lutar até o ultimo americano cair.

Os terroristas saem do interior do país onde praticam um islam mais conservador, lá que é preciso ganhar hearts and minds.

MadMax
Visitante
MadMax

Eu escutaria os Russos, se tem uma coisa que esses caras entendem é de levar peia no Afeganistão.

August
Visitante
August

Comentários todos errados, se o otan não intervissem ia ser pior e os ataques terroristas em solo americano e europeu não parariam, guerra é assim mesmo requer sacrifício. No caso específico do talibã o negócio é botar pressão neles custe o que custar até levá-lo a mesa de negociação por exaustão como o acordo da Colômbia e as farcs

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Daesh ?
________________________

Ok NATO, mandem mais tropas e equipamentos.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Alexandre Galante 24 de agosto de 2017 at 21:28
Cooptando “marroquis, tunisianos e ….. paquistanis e ……
https://www.google.com.br/search?q=paises+arabes+e+islamicos&rlz=1C1GGRV_enBR751BR751&oq=paises+arabes+e+&aqs=chrome.1.69i57j0l5.13292j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8
Interessante …. países muito pobres …. e com baixíssima Educação …. portanto ….
Nos atentados tinham quantos Líbios, Syrios, Iraquis …. ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
João Bosco
Visitante
João Bosco

Não querendo ser esquerdista, mas já notaram que esses grupos terroristas só conseguem seus “soldados” a partir da ignorância das populações dos países que não investem em educação? Países em que ditaduras brutais deram motivos para emires muçulmanos e seus seguidores fanáticos convencessem a população pobre a pegar em armas em nome de Alá depois de sua queda? Todos os países ” fornecedores” ao ISIS de mão de obra terrorista são países que tiveram ditaduras brutais patrocinadas ora pelos EUA ora pela a EX-URSS
? Quem planta vento colhe tempestade…………