Home Conflitos em andamento Exército turco invade enclave curdo no norte da Síria

Exército turco invade enclave curdo no norte da Síria

5724
177
Exército turco perto da fronteira síria, em Hassa, em 21 de janeiro de 2018 – AFP

Soldados turcos invadiram, neste domingo (21), uma região do norte da Síria controlada pelos curdos, no segundo dia de uma grande ofensiva contra a milícia curdo-síria, considerada “terrorista” pela Turquia, que pode agravar o conflito que assola o país.

Citado por veículos de comunicação turcos, o primeiro-ministro Binali Yildirim anunciou que militares entraram em território sírio às 11H05 locais (06H05 de Brasília) na região de Afrin (norte), controlada pela milícia curda Unidades de Proteção do Povo (YPG), também atacada pela aviação e pela artilharia de Ancara.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, afirmou neste domingo que a Turquia avisou aos Estados Unidos antes de lançar a operação e considerou “legítimas” as preocupações de segurança turcas.

“A Turquia foi sincera. Nos advertiram antes de lançar o ataque aéreo, nos disseram que o fariam em consultas conosco, e agora estamos trabalhando no caminho a seguir com o ministério de Relações Exteriores”, disse Mattis a jornalistas a bordo de um avião antes de começar uma visita pela Ásia.

A declaração de Mattis se dá em meio a temores de que a ofensiva turca pudesse tornar ainda mais tensas as relações entre Ancara e Washington, que mais cedo havia pedido “contenção” à Turquia.

Os Estados Unidos apoiam uma coalizão árabe-curda, da qual fazem parte as YPG, para combater os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI).

O Irã, que patrocina com Moscou e Ancara o processo de Astana, o qual permitiu criar zonas de distensão na Síria, expressou preocupação e pediu para Ancara exercer um “papel construtivo” na solução da crise síria.

Atendendo a um pedido da França, o Conselho de Segurança da ONU abordará a portas fechadas na segunda-feira, às 11h30 locais (14h30 de Brasília), o agravamento da situação humanitária na Síria, após o início da ofensiva turca contra as YPG e os bombardeios do governo sírio em Idleb e na Guta Oriental, perto de Damasco.

“A França está muito preocupada com a (…) degradação brutal da situação” na Síria, declarou neste domingo o chefe da diplomacia francesa, Jean-Yves Le Drian.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), ao menos onze civis, entre eles cinco crianças, morreram neste domingo em bombardeios contra a Afrin. O balanço anterior era de oito mortos.

No sábado, um porta-voz das YPG tinha informado que dez pessoas, entre elas sete civis, haviam morrido em bombardeios turcos.

No segundo dia desta operação, batizada “Ramo de Oliveira”, o exército turco informou ter destruído “45 alvos”, entre eles esconderijos de armas. Ancara assegura ter atingido apenas alvos “terroristas” nos bombardeios e acusa as YPG de fazer “propaganda”.

As autoridades turcas acusam as YPG de terem iniciado o lançamento de foguetes contra duas cidades fronteiriças turcas, que deixaram um morto e cerca de 40 feridos, um balanço que não pôde ser verificado de forma independente até o momento.

Em uma advertência inédita, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que qualquer um que se manifeste na Turquia contra a ofensiva “pagaria um alto preço”.

Forças de segurança turcas impediram, neste domingo, a celebração de duas manifestações, em Diyarbakir (sudeste) e Istambul, segundo correspondentes da AFP.

Tanques turcos se posicionam na fronteira turco-síria – REUTERS/Umit Bektas

Tanques na fronteira

Um correspondente da AFP na região viu neste domingo quatro peças de artilharia turca abrindo fogo em direção a povoados da região de Afrin, e um comboio de tanques e de militares turcos aguardavam para entrar na Síria.

O chefe da diplomacia turca, Mevlut Cavusoglu, afirmou que as Forças de Ancara tomaram “povoados” controlados pelas YPG em Afrin, sem dar maiores detalhes.

Os combatentes curdos “vão fugir e nós os perseguiremos”, ameaçou Erdogan, durante um discurso em Bursa (noroeste). “Se Deus quiser, terminaremos esta operação em muito pouco tempo”, acrescentou.

Em reação às informações sobre a entrada de soldados turcos na Síria, as YPG afirmaram ter freado uma incursão. “A Turquia queria entrar em Afrin, mas freamos seu ataque”, afirmou um porta-voz das YPG, Birusk Hasaké.

A Turquia acusa as YPG de serem o braço sírio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que conduz há 30 anos de uma rebelião armada no sudeste da Turquia, povoado majoritariamente por curdos, e consideradas por Ancara e seus aliados ocidentais uma organização “terrorista”.

Esta é a segunda ofensiva turca no norte da Síria, depois de outra lançada em agosto de 2016 para empurrar o EI rumo ao sul, mas também para deter a expansão dos combatentes curdos.

Aproveitando o conflito sírio, que deixou mais de 340.000 mortos desde 2011, os curdos sírios – marginalizados há muito tempo – instalaram em 2012 uma administração autônoma em Afrin, território isolado de outras zonas controladas pelas YPG, mais a leste.

“Degradação” 

A ofensiva turca ocorre após o anúncio da coalizão internacional antijihadista, liderada pelos Estados Unidos, de criar uma “força fronteiriça”, integrada por combatentes curdos, um projeto que desatou a ira de Ancara.

Segundo Yildirim, o objetivo da operação “Ramo de Oliveira” é estabelecer uma “zona de segurança”, com uma extensão de 30 km a partir da fronteira turco-síria.

As ameaças de intervenção turca geraram preocupação em Washington, para quem uma ofensiva não seguiria “no sentido da estabilidade regional”.

Diante desta ofensiva turca, a Rússia pediu “moderação” às partes, mas os analistas consideram que não se pode lançar nenhuma ofensiva importante na Síria sem o aval de Moscou, que controla o espaço aéreo deste país em guerra.

Além disso, o presidente sírio, Bashar al-Assad, condenou neste domingo a operação turca em Afrin, e acusou Ancara de “apoiar o terrorismo”.

FONTE: Isto É/AFP

177
Deixe um comentário

avatar
177 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
50 Comment authors
Marcelo MoraesCarta Brancarustam bogaudinovFelipeRicardo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dodo
Visitante
Dodo

Pra os amantes do leoperd 2,so gostaria de flalar que em apenas 1 dia de operacaoes os kurdos ja conseguiram destrukr 5 leopards turcos.
E ainda tem gente com fé nesse tanque,tomara que o brasil nunca queira adiquiri-lo,melhor ir para um k1,um t90 ou ate mesmo os patons modernizados

Rafael_PP
Visitante
Rafael_PP

“Segundo Yildirim, o objetivo da operação “Ramo de Oliveira” é estabelecer uma “zona de segurança”, com uma extensão de 30 km a partir da fronteira turco-síria.”
.
Acredito que com a invasão e posterior ocupação militar desta região a Turquia busque garantir uma posição bem específica. Na iminência da criação de um Curdistão, o governo turco – que agora se confunde com o Estado turco – quer assegurar que o novo país até poderá se autogovernar, administrar sua economia e infraestrutura, porém, não terá soberania plena, principalmente na região fronteiriça.

Walfrido Strobel
Visitante

É a aplicação do conceito de “ataque preventivo” defendido e usado por Israel a vários anos.
.
Dodo, e se fosse outro “tanque” não seria destruido?

pangloss
Visitante
pangloss

Erdogan está ansioso para pegar uma senha e entrar na fila dos integrantes do “eixo do mal”.
Não dá para confiar nele.

S-88
Visitante
S-88

Dodo 22 de Janeiro de 2018 at 9:11

O Leo 2 continua a ser um senhor MBT, o melhor do ocidente. Contudo não existem Carros de Combate invencíveis ou invulneráveis. E mesmo os melhores, caso não sejam corretamente usados, podem acabar se tornando alvos fáceis. Vide os M1 Abrams a serviço dos sauditas no Iêmen e os MBTs russos, como o próprio T-72, nas mãos dos árabes nas guerras contra Israel.

Julio Faria
Visitante
Julio Faria

Dodo, concordo com a compra do K1, mas o Leo2 definitivamente é o melhor MBT do mundo, só precisa saber usar, ele sozinho não faz milagre, ademais a tecnologia anti-tanque sobrepujou as blindagens há décadas, a não ser que tenhamos em um futuro próximo campos de força feitos de energia pura, as munições continuarão destruindo qualquer tanque do mercado facilmente.

S-88
Visitante
S-88

Julio Faria 22 de Janeiro de 2018 at 10:24

Eu discordo! Com sistemas APS como o ARENA e o TROPHY (cujo batismo de fogo na operação Protective Edge foi extremamente bem sucedido) hoje em dia é muito difícil colocar um blindado fora de combate

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Dodo, t90 vai sofrer baixa como o k10 ou até mesmo aramata. Negócio que vejo muito falar é que os árabes não sabem utilizar equipamentos militares com eficiência, não tem doutrina. Deixa mbts exposto sem cobertura ou camuflagem na linha de tiro de uma arma anti tanque sem obstáculos não tem como errar.

Diogo Lima
Visitante
Diogo Lima

Challenger 2 britânico sobreviveu a vários ataques de armas anti-tanques em Basra no sul do Iraque. A grandes histórias, basta pesquisar.

GeneralSofá
Visitante

Dodo 22 de Janeiro de 2018 at 9:11

Patons e T90 também foram destruídos na Síria, nenhum MBT é “imortal” …

PauloR
Visitante
PauloR

Os Leclerc dos Emirados Arabes tem bom desempenho no Yemen e não se vê notícias do tanque destruído

S-88
Visitante
S-88

Diogo Lima 22 de Janeiro de 2018 at 10:40

Aí você conjuga excelente proteção ( O Challenger é o MBT melhor protegido do ocidente) com guarnições bem treinadas como são as do exército de Sua Majestade.

S-88
Visitante
S-88

PauloR 22 de Janeiro de 2018 at 10:46

Não há qualquer indício de que o Leclerc seja superior ao M1 Abrams. Ocorre que as tripulações dos EAU são melhor treinadas que as sauditas.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Os Merakavas de Israel com o trophy são imortais

https://www.youtube.com/watch?v=nmY21rjRWas

donitz123
Visitante

E já tem vídeo de mísseis antitanque em ação.
.
https://www.youtube.com/watch?v=84Xg87AY2po

cfsharm
Visitante
cfsharm

Não faz muito tempo a Trilogia postou a destruição de tanques turcos por parte de uma das facções em guerra na Síria. O problema não foi a fragilidade do tanque, mas claramente a falta de treinamento expondo a parte mais vulnerável do mesmo ao fogo inimigo. A meu ver, antes de se queimar ou incensar qualquer tanque acho melhor analisar as causas da perda – vulnerabilidade do material ou do pessoal.

Sds.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Dodo 22 de Janeiro de 2018 at 9:11
Hoje em dia, qualquer tanque, por melhor que seja consegue ser destruído por apenas um combatente armado com mísseis anti-tanques. Há dezenas de imagens no youtube onde T-72, M1 Abrams, Leopards e outros são destruídos. Há até uma imagem onde um T-72 é destruído por um combatente jogando uma granada no tubo do canhão de um T-72. A manobra é simples. Basta aguardar o carregamento de outro munição no canhão e jogar a granada dentro do tubo.
https://www.youtube.com/watch?v=i3vKrM4Z4SE

Luciano
Visitante
Luciano

Os curdos nao foram armados com Javelin pelos EUA?

S-88
Visitante
S-88

pangloss 22 de Janeiro de 2018 at 10:22

Ele está é louco para acabar como Nasser ou Sukarno

Professor
Visitante
Professor

cfsharm 22 de Janeiro de 2018 at 11:34 “Não faz muito tempo a Trilogia postou a destruição de tanques turcos por parte de uma das facções em guerra na Síria. O problema não foi a fragilidade do tanque, mas claramente a falta de treinamento expondo a parte mais vulnerável do mesmo ao fogo inimigo.” Você está dizendo que os turcos não tinham treinamento adequado? é isso? Mas espera aí, a Turquia não é membro da OTAN? Em tese, se é membro da OTAN, tem o mesmo treinamento e padrão que todos os países da OTAN tem, não? O treinamento padrão… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Senhores, Aço, cerâmica, material composto, é tudo igual em todo lugar. Os russos ou chineses ou americanos não faze aço mais resistente ou menos resistente. Tanque bom é o que não é atingido. Em sendo, todos, inevitavelmente irão sofrer consequências se arma que os atingir for capacitada. O tanque foi feito para evitar ser atingido. Essa é sua maior proteção, daí, a mobilidade e o poder de fogo superior. A blindagem seria só um adicional contra armas portáteis. Aliado à mobilidade e ao poder de fogo pode-se combinar a camuflagem, uma silhueta o mais reduzida possível e um nível de… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Au-au pegoucomment image

tomcat3.7
Visitante
tomcat3.7

Nas fotos só rolam M-60 A3. Se com Leo 2 estão apanhando ppor falta de doutrina, imaginem com o M 60. nao há mbt imortal e pelo valor de um atgm não compensa gastar milhões por carro em mbts no estado da arte. Somente os grandes players mundiais teem condições de manter algo assim. No mais um bom mbt com uma equipe bem treinada supera em muito um mbt fodao com eqp sem treino.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Não interessa quais serão as decisões da Turquia, na minha opinião ela já tomou a decisão errada e vai continuar no erro. O país está isolado “atirando” para todos os lado, as vezes esta na Europa, as vezes nos EUA, as vezes na Rússia, as vezes em Israel, as vezes nos Árabes etc… Internamente a Turquia está totalmente desestabilizada, com uma imagem muito fraca no exterior…acredito que ninguém suporta muito tempo com tanto totalitarismo, Erdogan não vai durar muito tempo. Óbvio que os curdos não vão “roubar” parte do território turco…isso não faz o menor sentido…essa operação tem uma bela… Read more »

S-88
Visitante
S-88

Professor 22 de Janeiro de 2018 at 11:51 “O treinamento padrão OTAN é ineficaz, é isso que está dizendo?” O treinamento da OTAN é mais voltado para o enfrentamento das ameaças comuns aos membros do bloco ou seja, exércitos hostis que venham a atacar os membros da aliança atlântica. O treinamento para guerra assimétrica dá-se dentro de cada país, e ao que tudo indica é algo os turcos não andam treinando muito bem… Ocorre que você sabe disso muito bem não é sedizente “Teacher”!? Ainda assim insiste com postagens provocativas no intuito de semear discórdia entre os que aqui debatem.… Read more »

PANZERHAUBITZE
Visitante
PANZERHAUBITZE

De onde tiraram a informação de que 5 Leopards foram destruídos? Não existem provas concretas de tal feito.
Única coisa que apareceu foi um Leopard sendo atingido por um ATGM na parte traseira da torre e saindo intacto.
Vídeo do impacto: https://www.youtube.com/watch?v=84Xg87AY2po&feature=youtu.be

Foto do MBT após o impacto:comment image

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

“Isto é a aplicação do conceito “ataque preventivo” usado por Israel e defendido por muitos”. A diferença é que os curdos aceitam a existência dos Estados da Turquia, Iraque, Irã e Síria. Os movimentos palestinos não. Outra diferença é que tudo que os curdos queriam era uma mesa para sentar e negociar. Nenhum dos envolvidos lhes oferecem essa oportunidade e não há nenhum outro país que defenda isso com a força necessária. Os EUA só defendem isso quando conveniente. Os palestinos possuem o apoio incondicional de vários países e grandes movimentos em outros, como aqui no Brasil. Mais uma diferença… Read more »

S-88
Visitante
S-88

Ivan BC 22 de Janeiro de 2018 at 12:08

Bem lembrado! Depois do (auto) golpe de 2016 não apenas a Turquia está cada vez mais isolada politicamente como cada vez mais Erdogan se desmoraliza. Acena para Rússia e Irã mas sabe que não pode se bandear de vez para o lado desses corruptos estados pois irá perder a vida boa de ser membro da OTAN (e o acesso às facilidade da aliança) e tampouco russos e iranianos, que já levaram boas rasteiras do sultão de Ancara, dão confiança exagerada a ele.

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

kkkkkkkkkkkkk
Sim S-88, ele sabe muito bem disso!!!

PauloR
Visitante
PauloR

A Turquia e Erdogan não estão fracos, muito pelo contrário. As posições firmes e as ameaças que o governo turco faz causa, desconforto nos americanos e europeus que evitam um confronto maior contra os turcos devido a posição estratégica do país e a força que eles tem naquela região.
Recentemente eles abriram bases militares no Qatar e Somália, o que mostra que a Turquia esta expandindo sua presença no Oriente Médio ameaçando ate a Arabia Saudita que quer que o Qatar feche a base turca.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Felipe Morais 22 de Janeiro de 2018 at 12:13
Excelente!

PauloR
Visitante
PauloR

A decisão dos Estados Unidos de rever a formação de um novo exercito formado por milicias curdas mostra a força que Erdogan tem para confrontar os americanos.

S-88
Visitante
S-88

PauloR 22 de Janeiro de 2018 at 12:25

Não há “posições firmes” e “ameaças” do Sultão de Ancara que estejam “causando desconforto” em Washington mas apenas retórica inflamada típica do populista que Erdogan é. Ele sabe, ou finge que esquece, que apenas pode ir até certo ponto o qual não irá avançar visto que a perda do status de membro da OTAN lhe é francamente desfavorável visto que os russos não podem assegurar a ele as mesmas vantagens

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

PauloR 22 de Janeiro de 2018 at 12:25 A Turquia e Erdogan estão desesperados, tão verdade que destruíram a política interna (perseguição) do país e no contexto internacional estão pulando de galho em galho atrás de apoio (coisa que não conseguem), acho que só falta Erdogan ir pedir ajuda na China (até agora não vi). As decisões de Erdogan geram desconforto não apenas Europa e EUA, mas também na Síria, no Irã, na Rússia, em Israel, nos países árabes em geral. Como você mesmo disse: Erdogan gera desconforto, tens razão! Seria impossível não ter desconforto de Erdogan após inúmeros discursos… Read more »

S-88
Visitante
S-88

E outra: Se Erdogan é assim tão poderoso por que motivo Netanyahu não apenas faz ouvidos moucos para as suas ameaças como ainda debocha?

S-88
Visitante
S-88

Ivan BC 22 de Janeiro de 2018 at 12:44

Apenas para completar, acho que a pá de cal nas pretensões de Erdogan foi o (auto) golpe de 2016

Dodo
Visitante
Dodo

A questão senhores é que a facilidade de neutralização do leo2 já virou motivo de piada. Como um colega bem mencionou,vc não vê os m60 sendo abatidos nessa velocidade. Na minha opinião,com doutrina ou não, o leo2 é um taque mto overrated que até agora só demonstrou fracassos em campo de batalha

Walfrido Strobel
Visitante

Ivan BC 22 de Janeiro de 2018 at 12:26
Felipe Morais 22 de Janeiro de 2018 at 12:13
Excelente.
.
Não existe amparo legal para qualquer ataque preventivo, seja dos EUA contra Granada, da Turquia contra os Curdos ou os vários feitos por Israel contra os vizinhos.
Mas quando envolve Israel sempre aparecem os defensores, isso não me surpreende.

Bosco
Visitante
Bosco

Walfrido,
Você já ouviu falar de Israel atacar o Brasil? Ou a Austrália? Ou a Itália?
Pois é! Eu também não!

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Passando para lembrar q na guerra tem tiro e morre gente, INDEPENDENTE do equipamento e do treinamento.

Bardini
Visitante
Bardini

“A questão senhores é que a facilidade de neutralização do leo2 já virou motivo de piada.”
.
Dá uma olhada na versão do leopard em questão antes de falar.
.
Leopard 2A4. É um blindado ultrapassado, que não foi pensado para esse tipo de combate. Não tem proteção para isso.
.
Os M60 modernizado dos caras é melhor que esses Leopard e foi pensado para esse cenário, vide a proteção instalada.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Walfrido Strobel 22 de Janeiro de 2018 at 13:33 Também não existiu amparo legal para o ataque maciço e surpresa de Síria, Egito, Jordânia e Iraque em 1967 (com apoio de Kuwait, Líbia, OLP, Argélia, Sudão Marrocos, Paquistão e Tunísia). Também não existe amparo legal para sustentar INÚMERAS ameaças do Irã contra Israel, inclusive de usar armas nucleares contra Israel. Não existe amparo legal para anualmente centenas ou milhares de mísseis serem lançados contra Israel. Não existe amparo legal para o Irã financiar terroristas nas fronteiras com Israel. Uma coisa eu sei, a situação de Israel é um grande exemplo… Read more »

Professor
Visitante
Professor

Dodo 22 de Janeiro de 2018 at 13:22

Dodo, um T-90 custa simplesmente 3 vezes menos que um Leo. Oras, se o T-90 fosse inferior ao Leo e fossem necessários 3 T-90 para enfrentar um Leo, aí daria empate. Acontece que o T-90 é superior ao Leo, mesmo custando um terço do seu valor. Custa três vezes menos e é bem superior: e ainda vem os incautos falar mal do equipamento russo…

Ah, mas reconheço: o T-90 não tem ar-condicionado….grande falha…mas vc quer guerrear com conforto? quando a bomba acertar, garanto que o calor será maior…

Agnelo Moreira
Visitante
Agnelo Moreira

Professor
Vc já esteve em um Bld não climatizado??
Como é o enlace de dados do T-90 com os outros meios, para consciência situacional de todos e curta tomada de decisão em comparação com o Leo A2?
Como é a capacidade de sobrevivência QBRN do T-90?

Dodo
Visitante
Dodo

Sim professor,eu tbm acredito que o t90 seja superior,na realidade eu acho que o leo2 é que nem o f35,bonitinho e todo cheio de frescuras,mas na prática na hora do vamos ver,não faz metade do que Pintam dele

Dodo
Visitante
Dodo

Agnelo,eu não colocaria capacidade de sobrevivência do leo2 como um mérito para comparação não…..kkkkkkk

Dodo
Visitante
Dodo

Acabei de ver aqui no site syriancivilwarmap,parece que os kurdos fritaram mais 3 leo2 turcos em afrin kkkkk. Tão caindo que nem mosca,eita o desespero dos chilenos agora …..

cfsharm
Visitante
cfsharm

Professor 22 de Janeiro de 2018 at 11:51 Você está dizendo que os turcos não tinham treinamento adequado? é isso? Mas espera aí, a Turquia não é membro da OTAN? Em tese, se é membro da OTAN, tem o mesmo treinamento e padrão que todos os países da OTAN tem, não? O treinamento padrão OTAN é ineficaz, é isso que está dizendo? Caro Professor, você assistiu o vídeo??? Só porque faz parte da OTAN, não quer dizer que se seguiu todos os procedimentos. O treinamento é o mesmo, a pergunta é: a proficiência é a mesma? Aonde que o senhor… Read more »

colombelli
Visitante
colombelli

Dodo, o T-90 não foi submetido as mesmas condições de sobrevivência do Leo 2. O T-90 não é superior a ele em nada anão ser o preço e isso pode eventualmente fazer dele uma opção melhor que o Leo 2 dependendo de quem compra. A afirmação que o Leopard 2A7 é o melhor CC é mais ou menos uma unanimidade entre quem entende de CC. Porém ele é caro demais. Nenhum CC é invulnerável, e a máquina é apenas um dos fatores de uma força blindada. Hoje o que deve ser medido é o custo benefício. Ter o melhor CC… Read more »

Dodo
Visitante
Dodo

Colombelli eu entendo,entretanto o t90 e até memso outros blindados mais antigos como o m60 paton tiveram um desempenho melhor nessa guerra do que o leo2. Por exemplo,a Turqui a tbm está utilizando o paton,e só vemos relatos de Leo 2 sendo destruídos(a uma velocidade assustadora e desproporcional) Tanto é assim,que como eu disse,ao passado li em uma reportagem do deuchewalle(um jornal alemão) que o exército daquele país solicitou a fabricante do leo2 revisões urgentes em seus blindados