Home Blindados Irã diz que vai fabricar ou atualizar até 800 tanques de batalha

Irã diz que vai fabricar ou atualizar até 800 tanques de batalha

7098
112
MBT Karrar, do Irã
MBT Karrar, versão iraniana modernizada do tanque russo T-72S

O vice-ministro da Defesa do Irã, Reza Mozaffarinia, disse que Teerã tem planos de fabricar ou atualizar 700 a 800 tanques de batalha.

Em comentários citados em 18 de julho pela agência de notícias Tasnim, do Irã, Mozaffarinia não especificou o tipo de tanques a que se referia ou quantos seriam construídos recentemente, em comparação com quantos seriam atualizados.

Ele também não mencionou um cronograma para a conclusão do projeto.

“Anualmente, há 50 a 60 tanques fabricados e um orçamento suficiente foi alocado porque o exército e a Guarda Revolucionária têm uma grande necessidade”, disse Mozaffarinia.

Os Estados Unidos e as potências europeias há muito buscam frear o programa de mísseis balísticos do Irã.

Mas as forças militares convencionais do Irã são consideradas mais fracas do que seu principal rival regional, a Arábia Saudita.

De acordo com o World Factbook da CIA, o gasto militar do Irã como porcentagem do PIB foi de 2,69% em 2015, enquanto o da Arábia Saudita foi de 9,86% em 2016.

Em um relatório de dezembro, o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos previu que o Irã iria modernizar e reequilibrar suas forças convencionais “para refletir as lições aprendidas na Síria”.

Forças iranianas lutam na Síria desde 2012 em apoio ao governo do presidente Bashar al-Assad.

MBT Karrar
Vista frontal do MBT Karrar

FONTE: Radio Free Europe

112 COMMENTS

  1. A experiência em combate traz reflexão, pensamento progressivo, inovador e de melhorias… Porém espero que nunca entremos em guerra hhehehehehehehehehehehe

    Off: Poderiam colocar a notícia da embarcação em São Gabriel da Cachoeira que pegou fogo e matou um soldado, poderíamos conversar sobre o quão é difícil, perigoso e cirúrgico a logística na selva.

    • Acredito nisso também, mas a questão Síria envolve também um projeto de gasoduto. Se Bashar al-Assad dizem que sai um gasoduto da Arabia Saudita via Jordânia e passando pela Síria até a Europa.

      • De novo??
        Ja viu o mapa da região? Olhou? OK..
        Agora ve o que escreveu com essa informação NOVA e inédita para quem não provavelmente estudou na escola. Vai continuar com essa balela? Cada um..

  2. Interessante que o embargo americano apenas os incentivou fabricar as próprias armas.
    E parece que está dando resultado.
    E não me surpreenderei se acabarem apresentando sua bomba nuclear.
    Basta que a estupidez de Trump continue.
    A propósito. Não aposto um tostão furado na Arábia Saudita.
    Força de combate medíocre. Os houthis que o digam.

  3. O Iran ate pode ter forças convencionais mais fracas que as da Arabya Saudita, mas com certeza eles sao mto mais competentes ja que mesmo com sa sançoes e embargos os iranianos ainda conseguem produzir suas proprias armas e desenvolver o seu programa de misseis.

    Se o Iran nao fosse governado por uma Teocracia Fundamentalista que escraviza o proprio povo, entao ele seria um grande país e tbm uma grande potencia regional.

    Nao se deve confundir o povo do Iran com o Governo do Iran, isso seria o mesmo que dizer que todo mundo que mora numa favela é traficante, e a realidade nao é assim.

    • Concordo. Geralmente tenho uma visão pró-ocidente, mas a verdade é desde a década de 50 o Irã tem sido muito prejudicado por intervenções externas, leia-se EUA e Reino Unido. A república teocrática que lá existe hoje só aconteceu devido ao extremo ódio antiocidental que floresceu lá desde a chegada do Xá. Ainda assim, eles tentam, ao seu jeito, criar algo parecido com uma democracia. Não é muito, mas é bem mais que a maioria dos seus vizinhos. E antes que alguém me ataque, não estou endossando a politica iraniana contra Israel. Estou apenas refletindo sobre como os eventos históricos fizeram o Irã ser o que é hoje.

      • Paddy Mayne
        Perfeito.
        A politica iraniana de odio contra Israel vem do Governo Teocratico Fundamentalista e nao do povo do Iran. E os sionistas radicais do Governo de Israel nao ajudam em nada e ainda pioram a situacao quando atacam os palestinos indiscriminadamente no lugar de atingir so os terroristas do Hezbolah e do Hamas.
        Igual eu disse, nao se pode culpar o povo do Iran pelos erros do Governo do Iran pq eles tbm sao vitimas.

        • Sugiro que vc pesquise sobre o Xá Reza Pahlevi que vc terá a exata noção do porquê do ódio dos iranianos aos EUA e parte do Ocidente.

          • Saudacoes Antonio
            Sim… eu conheco a historia do Xa e da grande merda q ele fez. A açoes do Xa jogaram o povo do Iran nos braços dos malditos Aiatolas fundamentalistas. Hoje o povo culto e desenvolvido do Iran é refem destes malditos fanaticos, igual o povo arabe tbm é refem da Familia Saufita. Nenhuma Teocracia presta pq questoes de Estado devem ser totalmente separadas de questoes religiosas. O Brasil tbm corre um serio risco de se tornar uma Teocracia por causa da maldita bancada da biblia no Congresso, sobretudo por causa da açao de evangelicos radicais que estao tentando impor questoes religiosas sobre questoes de Estado. Nenhuma Teocracia presta.

          • Sugiro que você pesquise também sobre o Saddam , sobre o Gadaafi, sobre a revolução islâmica dos Aiatolás no Irã, etc. Para ter uma visão melhor do porque há tanto ódio naquela região.
            Atrocidades vem de todo lado e não só do lado dos pró-Ocidente.
            E sugiro também que pesquise sobre as duas vertentes do Islamismo, os xiitas e os sunitas, e sobre toda a história da região, desde o Século 19,na época do Império Otomano e aí você vai ver que o ódio da região seria exatamente o mesmo, mesmo não existindo o Estado de Israel e mesmo que se num passe de mágica as potências ocidentais não existissem.

          • Partimos do princípio de que são países distintos, com realidades distintas. O fato é que a ditadura sanguinária do Xá, a corrupção desenfreada do seu Governo, o luxo e o esbanjamento resumido nas atitudes e gostos de sua mulher Farah Diba levou a um ódio que dura até hoje.
            Agora os EUA tem uma batata quente nas mãos. Um Pais que em breve terá 100 milhões de habitantes, forrado de petróleo e aliado de duas superpotências adversárias.

          • Sem dúvidas, Irã e Turquia são as duas potências regionais no Oriente Médio. Pelo tamanho de seus territórios, populações numerosas, recursos naturais e economias com PIBs mais parrudos.
            Sem adversários na região.

          • Bosco, ScudB, Antonio

            Saudaçoes

            Igual eu escrevi no meu comentario anterior: NENHUMA Teocracia Religiosa Fundamentalista presta, seja ela sunita, xiita, judaica ou cristã (Cruzadas e Inquisiçao).

            Bosco,
            Concordo em partes com vc.
            Mesmo se Israel fosse um Estado Judeu la no meio da Siberia, igual a ex-URSS propôs no passado, ainda assim os arabes se matariam ali no Oriente Medio, nisso vc tem toda razao.
            Discordo na parte que vc fala sobre as pesquisas pq o meu comentario foi sobre nao confundir o povo do Iran com o Governo do Iran. Nem todo mulçumano é fundamentalista e nem radical, e nem todo judeu é sionista e nem contra o Estado da Palestina. E eu nao estou te falando de coisas que eu li na internet. Eu moro em uma cidade onde existem convivendo harmonicamente entre si uma grande colonia judaica e uma grande colonia syrio-libanesa. E tenho amigos nos dois lados. Uma coisa eu digo pra vc, tanto os judeus como os muçulmanos que conheço tem verdadeiro horror qndo sao citados os nomes de Saddam, Khomeini, Gaddafi e Assad. E eu digo isso de pessoas que estiveram e viveram em seus respectivos países natais.
            Da mesma forma tem os judeus que ao defenderem a solucao de dois estados foram extremamente hostilizados dentro do proprio Israel. E isso nao é coisa que vc “lê ou pesquisa na internet”. Sao relatos reais de pessoas que viveram a situacao na pele.

            Igual eu disse, a questao nao é a leitura disso ou daquilo.

            Um Governo Teocratico pune o proprio povo para que ele reaja e faça tudo de acordo com oq os tiranos querem que eles façam, e isso é independente da vertente ser sunita ou xiita, cristã ou judaica. Nenhum governo radical fundamentalista presta pois se torna um cancer para o proprio país.
            O Taliban impoe a Sharia a todos e quem nao cumpre sofre as consequencias. Na Arabya Saudita as mulheres sao tratadas como seres inferiores e no Iran os malditos Aiatolas dominam o povo atraves do fundamentalismo radical. Ate em Israel um judeu sofre retaliacao se nao cumprir o Serviço Militar, e se falar a favor da solucao dos dois Estados entao ele execrado publicamente. Os judeus sofrem preconceito dentro dos proprios EUA, sofrem preconceito por parte de americanos e nao de iranianos.

            ScudB e Antonio
            Realmente, Iran e Turkya estao se tornando expoentes no Oriente Medio.

            O problema sao os Aiatolas no Iran e o Erdogan na Turkya indo no mesmo caminho ao tbm tentar transformar o país numa Teocracia Fundamentalista.

            Sao dois grandes países que se dessem mais liberdades democraticas aos seus povos e separassem Estado de religiao, entao se tornariam verdadeiras potencias regionais.

          • Prezado MGNVS. Uma coisa de cada vez. Primeiro a gente ‘trata’ de Israel. Depois do Irã e Turquia. Questão de prioridades. kkkkkk’

  4. “Nao se deve confundir o povo do Iran com o Governo do Iran, isso seria o mesmo que dizer que todo mundo que mora numa favela é traficante, e a realidade nao é assim.”

    Exatamente , o povo Iraniano ou persa é um povo muito receptivo ,educado e competente …Que é governado por um louco .
    Agora ,este Karrar ficou bonito ,vai saber agora a sua eficiência em batalha ; interessante como várias nações investe em seus próprios blindados..
    Falar que as forças iranianas são mais fracas que o exército Saudita , é uma afirmação meio vaga , analisar isso através de gastos militares também..
    Se o Irã invadir a AS hoje ,em dois dias eles chegam em Meca e Medina…O Exército Saudita pode ter equipamentos bons ,mais são ruins pra caralho..

    • Bruno w Basillio

      “Se o Irã invadir a AS hoje ,em dois dias eles chegam em Meca e Medina…O Exército Saudita pode ter equipamentos bons ,mais são ruins pra caralho..”

      Exatamente!
      A Arabya Saudita pode ter os melhores equipamentos mas igual vc disse, eles sao incompetentes pra cara… e igual vc tbm disse, a cultura persa é riquissima, o problema sao os malditos Aiatolas. No Iran o povo persa é rwfem igual os afegães sao refens do Taliban e igual os arabes tbm sao refens da Familia Saudita, ja q la eles tbm vivem uma Teocracia, so q sunita.
      O melhor país do Oriente Medio sem duvida é Israel, desde que eles tbm nao sejam governados pelos Radicais Sionistas.

      • E não sabemos a disposição dos soldados em defender uma Casa Real que vive nababescamente torrando bilhões e bilhões de dólares nas coisas mais absurdas.

  5. O Irã pode ser um excelente mercado para Rússia e China.
    Tanto no que diz respeito à venda de armamentos quanto à possibilidade de se construir bases em seus territórios.
    Para China seria unir o útil ao agradável. Sendo o maior importador de petróleo iraniano, poderia incrementar ainda mais a produção em troca das armas que precisa.
    Em tempo. Li que a Rússia estacionou aviões no Irã e seria extremamente interessante novas bases aéreas russa lá, bem como uma base aéreo-naval chinesa para proteger suas rotas de comércio..

    • O que anos de lavagem cerebral nas universidades ou sites comunistas não fazem… Ódio, rancor, agressividade… Palavras instiladas de veneno e rancor no coração… Cães, servis, parasitas… Viva o comunismo russo. Viva a ditadura chinesa. Mas na hora de se mudar todo mundo quer Europa e EUA…

      • ‘Ódio, rancor, agressividade… Palavras instiladas de veneno e rancor no coração…’
        Pensei que vc estivesse falando do Trump.

      • Nativo
        Esse comentario é serio?
        Os Aiatolás sao um bando de radicais fundamentalistas que tiranizam o proprio povo. Uma Teocracia Religiosa nunca traz nada de bom para um povo. Veja o que o Erdogan esta fazendo na Turkya tbm. E do outro lado temos a Dinastia Saudita da Teocracia Sunita onde as mulheres sao praticamente seres inferiores.

        O Governo dos Aiatolás é um câncer no Iran.

  6. O Irã mesmo com quase 40 anos de embargo tem uma economia razoavelmente forte imagina se não sofressem com esses embargos ou melhor se o Xá não tivesse feito caca e dado munição pros fundamentalistas islâmicos, e o pais consegue com muito esforço e pouco dinheiro desenvolver e nacionalizar uma boa parcela de seus meios de defesa já produzem sobre licença russa versões dos ATGMs Konkurs e Kornet que contrabandeiam pro Iêmen onde são usados contra as forças blindadas sauditas, também nacionalizaram uma versão de um míssil anti-navio chinês e a uns 2 anos atras encomendaram 200 unidades é já vinha desenvolvendo um sistema anti-aéreo local fora a propaganda exagerada que usam, duvido muito que o irã vai entrar em alguma guerra pela próxima década sabem muito bem que todos os seus inimigos na região tem um aliado incomodo como os EUA só esperando uma deixa pra começar uma guerra na região.

    • Subestimar o inimigo ou superestimar suas próprias capacidades é o primeiro passo para a derrota. Tanto russos como os árabes podem ter aprendido alguma coisa com as suas derrotas contra o ocidente. Como diz o ditado, amanhã é outro dia.

  7. Os Sauditas pode ser o mais “gastadores” até porque não produzem nada de armas, tudo que precisam tem que comprar,Irã é embargado até a alma no setor militar,mas produz,copia correm atras do prejuízo,os generais iranianos não são “parentes”,sobrinhos” e “netos” do Aiatolá.
    Quando iniciou os combates no Yemem em poucos meses o Sauditas correram para Moscou implorando redução de produção de petróleo para aumentar preço.
    Uma guerra entre Irã e Sauditas sem interferência,a bandeira iraniana tremula em Riade em 6 meses.

    • Concordo. Os houthis já estão operando dentro do território saudita, tamanha ineficiência das FAs da Arábia.
      Não há possibilidade da Arábia Saudita se contrapor ao Irã. Muito maior e mais eficiente que o adversário. A sorte saudita é sua retórica anti-iraniana e uns bons petro-dólares que ajudam
      na sua relação com os EUA e algumas cleptocracias da região

      • Não se pode comparar guerrilha com enfrentamento entre dois Estados.
        A Arábia Saudita poderia facilmente bombardear o Irã e seus principais equipamentos militares.
        Diferente de enfrentar militantes escondidos entre a população.
        Imagino que uns 150 aviões bombardeando o Irã, inclusive seus tanques, seus quartéis generais, fariam um grande estrago.

        • Esqueça essa possibilidade. A Arábia Saudita não representa ameaça ao Irã. E nem Israel. A unica preocupação real para eles são os EUA. Esses teriam condições de causar problemas ao Irã. O resto é só propaganda.

    • Bobagem, o Irã não tem condição política nem militar para atacar a AS, se na guerra Irã x Iraque, mesmo ainda tendo muito equipamento americano e o apoio incondicional do seu povo, não conseguiram vencer a guerra, imagine hoje. Se tentarem algo, seriam massacrados pela Real Força Aérea Saudita ainda no Iraque (não dá para imaginar eles atravessando o Golfo Pérsico).
      Uma coisa é a AS apoiar um bando de mercenário do Suldão no Iemen, e outra coisa bem diferente é defender a sua pátria, mas é verdade que a AS tem tido muita dificuldade, mas temos que lembrar da Russia x Afeganistão ou os EUA também no Afeganistão. Não podemos achar que os militares da AS são totalmente incompetentes, claro, muito do oficialato da AS são dos “nobres” e não de meritocracia, mas estas coisas mudam quando a agua bate na bunda.
      Isto sem contar que outros países virão em socorro da AS, EUA, Inglaterra, de repente até um Japão ou Alemanha iriam se envolver (mesmo que não seja com tropas), simplesmente pelo valor estratégico do petróleo Saudita, uma guerra destas iria fazer disparar o preço do petróleo as alturas. Se bobear até a China vem em defesa. Não sei bem a Turquia, mas em tese, iria aproveitar a chance para morder o Irã.
      É mais fácil a AS tentar atacar o Irã que o contrário, este ataque (improvável) seria por ar.

  8. No caso específico do Irã não adianta muito atualizar estes carros se não tiver uma cobertura aérea eficiente, porque contra a Arabia Saudita por exemplo eles seriam colocados fora de ação antes de qualquer coisa , Apesar de esforços a Força Aérea é problema pro Irã pois tem muitos vetores ocidentais sem apoio e peças de reposição ,

    Em tempo e fugindo um pouco, descendentes dos Persas as mulheres iranianas são muito bonitas, consideradas por alguns as mais belas do mundo, 🙂

      • Delfim

        Vc se engana.
        Digite ae no google mesmo: beleza das mulheres persas e vc vera!
        Digite tbm beleza das mulheres syrio-libanesas e veja tbm mulheres israelenses e turcas. TODAS elas sao lindissimas.
        E a maioria das mulheres persas usam xador e nao burca. A burca é obrigatoria no Afeganisthan.

  9. Antissionismo árabe é uma distração para seus próprios problemas. E ambições.
    O Irã ao dominar Meca e Medina torna o xiismo a vertente mais poderosa do Islã. Olha o tamanho do problema.
    A AS, sunista wahabita, pode ser o túmulo em termos de liberdade individual mas não arruma problema com o Ocidente ou vizinhos. Quer é ganhar $$$ com petróleo os Lugares Santos. Só tem atrito com o Iemen pq este virou ponta-de-lança iraniana.

  10. Interessante é o perfil baixo dos CC de desenho russo/soviético. Tem seus problemas em relação ao enfrentamento de IEDs e minas, mas num combate contra outro CC, ou soldados com mísseis anti-tanque, aumenta a dificuldade de engajamento.

  11. A necessidade é a mãe da iniciativa, realmente. Ao penar com o embargo, passaram a criar soluções em casa. Podem não ser as melhores, mas a intenção não é essa. Parabéns a eles.
    Sobre as eternas discussões sobre judeus vs. área, Israel vs. Irã e etc, que já apareceram neste tópico: na prática, a teoria é outra. Eu achava que compreendia o cerne dessa discórdia e tinha a minha opinião pessoal sobre quem tem mais ou menos razão. Até o dia em que assisti ao documentário “Israel e os ultraortodoxos”. Nunca imaginei que seria possível existir algo como o que é mostrado ali. Desde então me dei conta que “nada sei” sobre esse assunto. Recomendo.

      • Israel está indo exatamente pelo mesmo caminho desses países árabes. A mistura entre assuntos de Estado com religião. Agora, criou lei tornando Israel um Estado para judeus. Uma espécie de apartheid. Não bastasse criar guetos, agora oficializam essa prática.
        Causa-me espécie, visto que essas práticas odiosas de segregação foram usadas contra eles próprios em passado não muito distante. Esse tipo de situação não se sustenta e as consequências disso todos nós sabemos.

        • Esta Lei é reflexo do “medo” de Israel se tornar um Estado de maioria palestina.
          Mas de nada adianta.
          A solução de 2 Estados não é mais viável.
          A implantação de grande população judaica em East Jerusalém e West Bank tornou-se impossível o retorno às fronteiras de 1967.
          A única solução viável, então, será a de um Estado binacional abrangendo o atual Israel, Gaza trip, East Jerusalém e West Bank, com os mesmos direitos de cidadania a todos os que habitam a região.
          Desta solução, como todos sabem, surgirá um Estado com leve maioria palestina. A “bomba demográfica” do Abu Mazem surtiu efeito.
          Este é o motivo da histeria dos nacionalistas judeus.

          • Essa é a única solução. Caso contrário teremos sempre conflitos. E não custa lembrar que os muçulmanos são a imensa maioria na região. Não importa se teremos um governante árabe por lá. Por que os judeus têm a primazia? Todos são iguais. Se um árabe for eleito, será a vontade da população.

          • Antônio,

            A coisa é mais complexa que isso.

            Israel tem origem nas aclamações de suas sagradas escrituras. Eles consideram aquela terra como sua propriedade, prometida por Deus ao seu povo. E daí que eles levam isso muito a sério.

            Encurtando… Termina que são mais de 5000 anos de história que redundam na motivação suprema de todo um povo; coisa que não pode ser simplesmente varrida pra debaixo do tapete por um mero arranjo político…

            Segue-se a isso o trauma do holocausto, que causou perdas devastadoras a um povo que por si só já é pequeno e sempre esteve disperso. Ou seja, há uma receita muito bem acabada para um caldo político dos mais consistentes, o qual é extremamente difícil rejeitar.

          • Nada mais equivocado que afirmar que Israel institucionalizou o Apartheid….

            infelizmente existe a falsa percepção de que a democracia apenas existe quando é do nosso agrado, não é à toa que há quem ache que impeachment é golpe, que desembargador possa conceder ordem de HC violando resolução do CNJ e desrespeitando julgamento de órgão colegiado e que presidiário pode se candidatar à presidência da república. Quanto à Lei em si ela não transforma os israelenses não judeus em cidadãos de segunda classe visto que os outros grupos étnicos religiosos que lá habitam não sofreram redução ou supressão de direitos. Ou seja, continuarão a ter assegurados os direitos fundamentais básicos como saúde, educação, voto e acesso aos cargos públicos e à carreira militar. Aliás, até recentemente o comandante da Brigada Golani, talvez a mais prestigiada das IDFs, era um druzo e também um druzo ocupou o cargo de embaixador israelense no Brasil. Árabes podem ser oficiais nas IDFs e também cabe mencionar Ishmael Khaldi, beduíno, que exerceu o cargo de vice-consul em San Francisco, EUA, e depois o cargo de Assessor do então Chanceler Avigdor Lieberman, hoje Ministro da Defesa.

            De igual forma as mulheres árabes israelenses continuam a ter direito à guarda dos seus filhos em caso de divórcio e o seu testemunho em um processo judicial tem o mesmo valor do dado por um homem, algo que não acontece na maioria dos países muçulmanos do Oriente Médio. E também não correm o risco de sofrer violência de gênero promovida pelo Estado tal como a sofrida pela iraniana Sakineh Ashtiani, que teve a peça acusatória emendada para incluir homicídio junto com adultério depois da sentença condenatória de primeiro grau.

            A verdade é que de fato a referida lei é perigosa mas não por representar uma supressão da democracia ou institucionalizar um “Estado do Apartheid” mas sim por dar munição aos seus odiadores do Estado de Israel ao redor do mundo, aqueles que em nome de um “humanismo” ou dos direitos de um povo prega de forma aberta ou velada a destruição do Estado Judeu e o extermínio do seu povo. E cabe lembrar o fato da referida lei ter sido aprovada por estreita margem no Knesset (parlamento) demonstra de forma inequívoca haver democracia em Israel visto ser o legislativo a primeira vítima das ditaduras e simulacros de democracia.

            Outrossim, e reforçando o caráter democrático do Estado de Israel, o judiciário é um poder independente e a referida lei pode lá ser contestada lembrando que a Suprema Corte Israelense já proferiu diversos julgamentos condenando o Estado em favor de minorias e mesmo de habitantes dos territórios ocupados.

          • “Essa é a única solução. Caso contrário teremos sempre conflitos. E não custa lembrar que os muçulmanos são a imensa maioria na região. Não importa se teremos um governante árabe por lá. Por que os judeus têm a primazia? Todos são iguais. Se um árabe for eleito, será a vontade da população.”

            Defender que Israel deixe de ser um estado judeu é (mais uma) forma de antissemitismo velado!

            A propósito a Síria é uma república árabe e o Irã uma república islâmica e ninguém diz nada, Por que será?

  12. O Irã é a Rússia que não deu certo…

    Adoram bravatas e falar que as suas velharias recauchutadas estão em paridade com o Ocidente.

  13. Muita gente colocando o Irã nas alturas…Na minha opinião não tem nem como comparar as FA de Israel e AS com as FA do Irã…A força aérea do Irã é ridícula, caças antigos e pouca defesa anti-aérea, isso nos dias atuais faz grande diferença.
    Aaahhh mas a Arábia saudita está passando um sufoco no Iemen, mas qual país na atualidade não está passando um sufoco em guerra convencional? Os russos levaram um surra dos afegãos nos anos 80…os EUA desde 2003 enrolados no Iraque e Afeganistão.
    Esses blindados sem cobertura aérea são alvos de helicópteros e caças com misseis anti-tanque (parece que a AS comprou mais de 200 helicópteros dos EUA).
    Em uma guerra entre AS e Irã certamente os Emirados e Omã ajudariam a AS, nessa lista teríamos Abrams, Challenger 2 e Leclerc…juntos passam de 1200 blindados pesados.
    Basta alguns dias de ataques contra bases de comando e controle, bases, portos, aeroportos, pontes, centrais de energia e água etc…para o Irã retroceder algumas décadas. O problema vem depois…guerra terrestre, essa sim hoje virou um problema, não apenas nesse caso, mas em qualquer guerra moderna.
    Eu acho que o problema do Irã seria o mesmo do Iraque, ou seja, as consequências da ocupação, a “guerra civil”, divisão de grupos etc…essa luta em solo é a que mais gera perdas humanas e põe a sociedade contra as ações militares.
    De resto, não estou convencido dessa “preocupação” da Rússia e China pelo Irã. A Rússia quer ver o Irã com embargos até o pescoço, pois assim não terá a concorrência no setor de energia para a Europa. Um Irã forte e aberto ao mundo é uma ameaça para a Rússia…além disso, o Irã com embargos se torna um comprador de armas dos russos, inclusive o blindado da matéria é essencialmente russo.
    Os iranianos sabem que a “ajuda” russa é momentânea, não é algo de longo prazo, além disso ambos os países são essencialmente diversos.
    Ou seja, a Rússia não quer ver um Irã forte e independente.
    A China compra petróleo de todo mundo, não seria diferente a relação com os iranianos. A China certamente compra petróleo por necessidade, mas também para depois poder barganhar mercado de exportação (equilíbrio da balança). No fundo Rússia, China e Irã desejam o mercado dos países ricos, é por isso que há tanta choradeira e nada acontece.
    Se essa relação fosse tão próspera os iranianos não estariam tão atrasados em tantas áreas.

    • Baixas soviéticas: 60 mil.
      Baixas afegãs: 1 milhão.

      Que surra cidadão? A URSS se retirou da guerra por problemas internos, tal como os EUA no Vietnã, será que os EUA também levaram uma surra no Vietnã, embora tenham massacrado mais de 1 milhão de vietnamitas, e perdendo pouco mais de 50 mil? Só falta agora você me dizer que os judeus do gueto de Varsóvia massacraram as Waffen SS, embora tenham perdido 13 mil de seus pares, contra 15 perdas da Waffen SS. Se os EUA tivessem continuado no Vietnam, ou a URSS no Afeganistão, certeza que estes dois países teriam sido reduzidos à pó.

  14. Olá senhores! Estou muito curioso com a arma principal! Como estou com preguiça de ir ao wiki e sabendo do alto nível dos amigos, pergunto o canhão é o original do T-72 (125 mm de carregamento automático)? Acho que tem muita semelhança com o L7, mas esse se não me engano é de 105 mm! Se for 105 mm aumentaram o calibre e bem provável que aumentaram a pressão! Não estou entendendo a estrutura que esta encamisando o cano (uma estrutura quadrada). Ajudem-me mestres!

  15. Como as fábricas de armamentos do Iran e a produção bélica são totalmente controlados pelo Poder Estatal eles não precisam se preocupar em ter lucros e nem pagar impostos como as empresas particulares mundo afora !! Dessa forma o Iran pode produzir muito mais armamento por um custo muito menor !! Por isso eles fabricam tantos mísseis, tantos radares e tanta artilharia anti aérea como podemos ver em diversos vídeos !!

    • kkkk A realidade é exatamente o oposto da sua lógica, quanto menos estatal melhores são os resultados. Na era soviética a capacidade produtiva dos países NÃO estatais era muito maior, não só na área bélica, mas em todas, justamente por causa da grande oferta.
      Pela sua lógica as FA dos EUA, Europa etc…deveria ser as mais fracas e quanto mais estatais mais fortes, o que não é verdade: Cuba, Coréia do Norte e Irã.
      Pela sua lógica o controle estatal produtivo gera melhores resultados, a realidade mostra exatamente o oposto, não só a realidade, a história mostra isso…os países tendem a ser mais prósperos e ricos quanto menos estatais são…o maior exemplo é o EUA, esse ao longo da história sempre teve pouca ação estatal, principalmente até a virada no século passado, onde tudo era feito diretamente por colonos (tocqueville), dai nasceu as corporações (que significa a associação livre de pessoas físicas para atender a um determinado propósito durante um determinado tempo), foi o que teve melhores resultados. Outros exemplos são a Suíça e Suécia, esses sempre tiveram um Estado morto e foram grandes exemplos de países.
      Nada é mais caro do que aquilo que o Estado lhe da de “graça”…isso vale para todas as áreas.
      Não podemos confundir maus negócios com estatal ou não, esse pode acontecer em qualquer situação, vai depender da moral e ética das pessoas envolvidas.

      • Ivan eu aqui nesse comentário feito não quis dizer ou garantir que os produtos bélicos iranianos são top em qualidade !! Muito menos quis dizer que o controle estatal da produção seja melhor do que a produtividade e a qualidade da iniciativa privada !! Mas fato é que a indústria bélica iraniana produz muita quantidade de diversos tipos de armas, desde mini submarinos, mísseis de cruzeiro, defesa antiaérea, mísseis balísticos, mísseis anti navios, drones de diversos modelos etc…

    • Inicialmente, você deve saber que o que vê em vídeos são propagandas, feitas para exaltar o regime internamente e projetar uma imagem de força externamente. Alguns, como você creem piamente no que vê, ou seja, os iranianos tiveram sucesso em sua empreitada.

      Outro ponto interessante da sua análise é partir da premissa que a industria iraniana é extremamente pujante em diversos setores. Qual a base dessa certeza? Os vídeos? As matérias produzidas pela mídia estatal?

      Agora chegamos ao ponto principal de seu comentário: a de que o ‘gigantismo’ militar do Irã se deve ao seu arranjo econômico e industrial. Inicialmente, você deve concordar que dinheiro não cai de árvore, né? Logo, a compra dos insumos para a fabricação requerem recursos, que ainda sairão do Tesouro iraniano; o pagamento dos salários dos funcionários também será feito pelo Estado; a manutenção e construção das instalações também se dará com capital público. A administração e o ‘risco’ do negócio estão todos a cargo do Estado iraniano, o que gerá um custo enorme por si só.

      Se houver um incêndio na fábrica, os custos serão do Estado. Se o desenvolvimento atrasar, os custos serão da República Islâmica. Greves, acidentes trabalhistas, etc, tudo na conta do Aiatolá… Percebe, que ao trazer para si a responsabilidade de produzir, o Estado gera vários custos que antes não possuía? De forma contrária, com boas práticas públicas, se tem um planejamento financeiro melhor, já que a preocupação dos administradores será apenas o custo final do contrato licitado. Todos os problemas e contratempos serão de responsabilidade do particular, que buscará formas de melhor produzir para maximizar seus lucros tendo em vista o valor que o ‘cliente’ pretende pagar.

      Infelizmente, a realidade não é tão simples como você expôs.

      • Rafael de forma alguma quero exaltar o Iran e muito menos dizer que eles são melhores ou piores que alguém !! Mas fato é que até hoje os EUA e Israel só se limitaram a ações de espionagem e sabotagem dentro do território iraniano sem se atreverem a uma operação militar !! Então isto posto sou obrigado a reconhecer que alguma qualidade ou algum temor e respeito eles impõem naquela região pois se as Forças Armadas iranianas fossem essa baba toda o Iran já teria sido invadido a muitos anos !! Sem dúvidas na produção estatal os riscos e prejuízos são todos do Estado !! No meu comentário me limitei apenas a dizer que a indústria bélica do Iran produzia bastante e não falei da indústria iraniana como um todo !! E com relação aos vídeos você coloca como se todo aquele armamento estocado nos túneis escondidos e protegidos pelas montanhas sejam mera ilusão de ótica e não sejam reais e nem todos os mísseis testados sejam também reais !! É tudo ilusão de ótica aqueles vídeos !!

  16. Com certeza o Iran será o proximo alvo dos EUA e não há nada que eles possam fazer pra evitar ou vencer essa querra, a não ser que ele mude o nome do país para “Siria”. Rsrsrsrs…

  17. Em tempo.
    Israel abateu um Su-22 (salva do Patriot com dois misseis).Piloto se ejetou e faleceu.
    Além disso, foi constatado o primeiro uso (aparentemente fracassado) do sistema Kelah David.
    Tentaram abater dois Tochka-U e … falharam feio.
    Vale uma analise do blog.

        • Gostaria de ver uma chuva de mísseis cair para ver esse sistema dar tilt.
          Se falhou com dois.
          Imagine com dezenas. Ou centenas.
          kkkkkkkkk

          • Se cair uma chuva de misseis em Israel, eles não vão ficar abatendo os mesmos, vão atacar pesadamente quem está atacando, ai a paz volta a reinar por alguns meses.

          • Israel já lutou sozinho contra vários países árabes e venceu, eles sabem que não podem perder uma guerra. Entre perder os seus cidadãos ou arrebentar os seus vizinhos, eles sempre vão escolher o porrete e o porrete deles é forte.

          • Quem vive de passado é museu.
            Roma conquistou meio mundo e hoje nem se classifica para a Copa.
            Acorde. Volte para a realidade.
            O mundo mudou.

    • Israel está claramente tentando evitar que os sírios cheguem até a fronteira em Golã. Atacou um avião sírio que bombardeava terroristas do Daesh. Ontem, resgataram os socorristas dos Capacetes Brancos (que atuam em áreas dominadas por rebeldes jihadistas) que são acusados de colaboração com os EUA.
      Os russos soltaram nota no sentido de que isso demonstra claramente a cooperação de Israel e dos EUA com esses grupos jihadistas.
      Mas, agora é tarde. Assad está ganhando a guerra e em breve as Colinas de Golã estarão ao alcance de seu Exército e de seus aliados.
      Novos e interessantes tempos se aproximam.

      • Antonio,
        Vc é torcedor né? Os Israelenses tomaram as colinas de Golã no tapa e mesmo quando a Síria estava toda poderosa (não em frangalho como hoje) não conseguiram reconquistar os mesmos. Se antes não conseguiam, imagine hoje.
        Cada um viu!!

    • No site http://www.debka.com diz claramente que os mísseis israelenses falharam em interceptar os mísseis sírios, como também a IDF não conseguiu identificar aonde um dos mísseis que não se auto destruiu caiu no território sírio !! Resultado disso é que os russos e sírios pegaram esse míssil e estão realizando estudos sobre ele !!

    • Scud,

      CRSOV,

      Ambos os mísseis ‘Tochka’ caíram em território sírio.

      Sabe-se que um dos mísseis foi detonado ainda sobre Israel. Não se sabe o que ocorreu com o segundo.

      É possível que os mísseis sírios tenham ido para fora da NEZ dos mísseis israelenses, que preferiram então desengajar para evitar maiores problemas… Mesmo considerando que o sistema calcule a trajetória do TBM, é plausível que o mesmo passe incólume ao largo do extremo do alcance.

      Também é prematuro afirmar que os sírios ou os russos tenham o que restou do artefato desaparecido… Mesmo porque, duvido que sobre muito o que analisar se esse petardo realmente caiu…

      • RR na própria matéria do site militar israelense DEBKA eles dão como certo que os russos tenham colocado as mãos no que sobrou do míssil que não se auto destruiu !! E o objetivo dos disparos destes mísseis era testar sua efetividade contra os mísseis sírios mesmos que estes estivessem visando o território sírio controlado pelos terroristas e não o território israelense !!

  18. Agora o Irã investir nessa maneira é consequência desse acordo lixo que descongelou as sanções, tinha é que ter colocado mais, ate o estrangulamento total !

    • Sinal dos tempos. Ninguém mais respeita os EUA.
      Trump acabou com o acordo.
      O Irã colocou centrífugas mais modernas em funcionamento.
      Trump boicotou o petróleo iraniano?
      A China aumentou as compras de lá.
      É assim que as coisas estão funcionando nestes novos tempos.

      • Rapaz, vc ja parou pra ver a quantidade de abobrinha sem sentido que tu fala.
        Tu não tem nocao historica
        Tu não sabe de geopolítica
        Tu não sabe de economia.

  19. O “estado ” saudita é algo ridículo que só sustenta pela íntima relação com Washington e os sionistas. De um lado um país com um orçamento militar imenso entre os maiores do mundo, pelo menos em proporção ao PIB, do outro lado, um grupo rebelde apoiado pelo Irã, sem qualquer organização estatal e mesmo assim colocaram os “príncipes” em um beco sem saída. Eles podem investir bilhões em armas ultra sofisticadas, assim como podem escolher os melhores meios disponíveis mas não sabem como usá-los no campo e a guerra no Iêmen é de fato o batismo de fogo para a maioria das forças armadas do reino e seus generais. Também porque Mohammed bin Salman, decapitou a classe militar para substituí-lo por seus partidários que, no entanto, não possuem experiência. A monarquia de Riad, por sua visão confessional é profundamente hierárquica, uma monarquia absoluta desprovida de qualquer forma de democracia.
    Os príncipes sauditas não vão à guerra e no maximo alguém faz o piloto mostrar que ele luta em um nível mais alto, como um meio de prestígio. Mas nenhum deles sabe o que é um campo de batalha ou quartel. Príncipes que brincam com a guerra.

  20. Bosco 24 de julho de 2018 at 8:18, Bosco, você e alguns poucos ainda me fazem ter vontade de ler os comentários! É uma pena que o Vader escreva tão raramente! Abraços!

    • Eu acho que não ha mais moderação por parte dos editores aqui no FORTE.

      Devem ter desistido face ao volume de besteiras e absurdos escritos aqui pelos “comentaristas” que habitualmente nos brindam com seus vastos conhecimentos, opinando desde campeonato de bola de gude até questões de geopolítica complexas.

      Isso aqui virou “terra de Marlboro” já faz tempo, com raras excessoes.

  21. Ao que me parece os principais carros de combate a serem atualizados são os T-72s , é o tanque do arsenal iraniano que ainda tem alguma serventia em batalha e existe em numero suficiente para isso.
    Minha grande surpresa foi esse MBT classe Karrar, é um tanque novo e made Iran mesmo que se fabricado em grandes quantidades pode cumprir muito bem seu papel.

  22. Quanto a modernização em si , eu não tenho a menor ideia do que será feito. Não sabemos a tecnologia que o Irã dispõe e talvez se resuma a kits russos, chineses ou norte coreanos que serão apresentados como nacionais…isso se não for uma mera maquiagem improvisada no Irã mesmo só para apresentar em desfile.

    • Vou tentar recuperar o post..
      Finalmente sobre o tema.
      1, Primeiramente vi a reportagem no inicio de 2017.Falava-se de produção (com fotos da fabrica) de 5-6 unidades por mes para teste de aceitação.
      2. A fabrica é bem conhecida pois fabricava BMP e T-72 licenciados ate a Russia em 1995 fechou a parceria (devido certos acontecimentos políticos do ano).
      3. Canhão c um clone 2A46 pois Iran possui uma localização.
      4. Blindagem reativa ta mais para a-la Ucrania pois ate o estilo de modelito parece com Oplot piorado.Parece com Nozh deles.
      5.Sistema de controle de tiro esloveno (deve ser Fotona ou similar) que era melhor que sistemas soviéticos da época .
      6. Mira de ATGM – tipicamente bielorussa (Neman 1K13 ou similar).
      7. Transmissão (motor?) deve ser francês . Na pior das hipóteses russa turbinada.
      8. Ótica e comunicações deve ser deles mesmo pois possuem uma boa e solida know-how na área.
      9.Em 2017 estavam produzindo no máximo 60-70 unidades. Porem com aceitação do exercito podem multiplicar a produção ate 150-180 por ano que corresponde o numero de 800-1000 anunciado dentro do período.
      10. Não lembro mais o que escrevi mas se lembrar (salvo a idade) vou postra com certeza …
      Um grande abraço!

  23. O Irã está sempre apresentando alguma peça de opereta. Tipo aquele F-5 criado a Toddy. Faz umas peças na base do artesanato e quer convencer que vai fabricar em massa. Engenharia reversa nem sempre funciona. Tb tem que conhecer a metalurgia e as químicas envolvidas.

  24. Mesmo que o Irã atualize uns 90 mil tanques, em um conflito moderno, sem supremacia aérea, tudo se torna simplesmente um tiro ao alvo estático. Aeronaves de asa fixa, móvel e drones irão se esbaldar em explodir Tanques. Sabemos que o Irã está pior que a FAB, imagine como seria o combate aereo contra uma força aérea como a Saudita ou Israelense. Em menos de 48 horas a questão já estaria totalmente resolvida. O Irã continua isolado devido às suas atitudes ridículas. A Rússia está extremamente desconfortável com a presença iraniana na Síria, assim como seus ideiais de destruição de um dos seus parceiros (Israel).

    • Geralmente eu discordo de você caro Russian Bear mas agora você foi simplesmente perfeito! Em poucas palavras jogou por terra o fanatismo de quem acha que a teocracia fascista iraniana tem meios para destruir Israel.

    • Russian Bear.
      Naquela região, atualmente, não temos possibilidade de uma guerra convencional. Ou seja, um enorme contingente de árabes e iranianos estacionados nas fronteiras esperando para invadir Israel.
      O que teríamos seria uma espécie de guerra de atritos ao estilo do que Hezbollah fez no Líbano.
      Fez a cata nos tanques israelenses.
      E lá, a Força Aérea foi quase inútil.

      • Quem vive de passado é museu!Isso foi em 2006 e estamos em 2018. As táticas das IDFs evoluíram bastante sem falar na introdução do sistema APS Trophy, que mostrou sua eficácia no conflito de 2014 em Gaza.

        Ademais, e ao contrário das mentiras repetidas ad nauseam et extra pelo hezbollah e demais mídias corruptas árabes, russas, iranianas e afins apenas 05 Merkavas foram destruídos e desses apenas dois eram da versão mais recente (Mk IV). P

        A propósito, durante aquele conflito a aviação israelense logrou destruir praticamente todas as armas de longo alcance do grupo terrorista. Se informe melhor!

        • O fato concreto é que Israel teve de se retirar de lá. E com a perda de homens, tanques e helicópteros. E agora, a situação vai se complicar de maneira exponencial visto que os próprios EUA admitem que o Hezbollah agora possui milhares de mísseis, inclusive balísticos. Sem contar a colaboração iraniana, fator novo e extremamente importante para a região.
          Em tempo. Circulam notícias que os iranianos já estão se estabelecendo na fronteira libanesa. Outro fator interessante para a região.

          • Esqueça as bobagens que lê em mídias árabes sem credibilidade! O único fato concreto é que o “fator novo e extremamente importante para a região” não apenas está sendo bombardeado impunemente pelas IDFs como ainda está em uma posição extramente desagradável tendo em vista que o flagrante desconforto que provoca com os russos. Não é à toa que Moscou ofereceu a Netanyahu uma zona tampão de 100km da fronteira,corretamente recusada pelo Premier israelense visto que o interesse maior de Sírios, russos e Israelenses é que os iranianos saiam do país árabe visto serem um fator de instabilidade.

            No mais, toda e qualquer posição de apoio à pretensões iranianas e dos seus prepostos contra Israel nada mais é que mais uma forma de antissemitismo.

          • Papo furado, hein?!?!
            Israel, com suas IDFs que são hiper, mega, blaster poderosas, deveria invadir logo a Síria e expulsar os iranianos. Vão lá. Tentem.
            Ficam com esse blá blá blá e não resolvem nada.
            Acorda Alice! Saia do País das Maravilhas. O mundo mudou bem em frente dos seus olhos e vc ainda não percebeu.

          • Não há blá blá blá algum e sim ações concretas ou seja, ataques cada vez mais intensos, destrutivos e executados em profundidade pelas IDFs dentro do território sírio alcançando agora a fronteira com o Iraque. E o fator relevante acerca das ações israelenses dentro da Síria é a concordância da Rússia, incomodada que está com a presença dos prepostos do regime Teerã no país. Ou seja, a verdadeira mudança é a inédita convergência dos interesses de Moscou e Telaviv, desejosos que estão pela saída dos iranianos de lá.

            Outrossim, não cabe a Israel invadir a Síria visto que isso automaticamente o colocaria como parte de um conflito que não o interessa.

            No mais qualquer coisa fora é baseado em premissas falsas,falsa percepção da realidade fundada certamente em antissemitismo.

          • Antônio, contra um navio inglês, você não deve cometer esses erros:
            1 – desdenhar de Israel
            2 – falar mal de equipamentos americanos
            3 – tecer algum tipo de elogio para equipamentos russos, chineses, etc.
            4 – nunca apontar as falhas do F-35

          • Talvez você ache bastante interessante a pregação do cidadão acima pela destruição de Israel não é meu caro J-20? Talvez pelo fato de comungar da mesma crença dele e pelos mesmos motivos não!?

            Ps: Qualquer pessoa de bom senso não desdenha de Israel! Quem o fez até perdeu no campo de batalha. Aliás não é à toa que os prepostos da teocracia iraniana estão a ser caçados na Síria.

  25. Israel também tem suas prioridades, depois não reclamem.

    Particularmente me lixo para as Ditaduras na região,

    ressalto que Israel é a única democracia pluralista no OM.

  26. Carros de combate são para defesa e domínio em solo entre outras funções.

    Façam o que quiserem, assunto interno deles.

    Caso entrem na Syria, receberão respostas a altura.

    • Caso os MBTs da lanternagem Teerã entrem na Síria e ousem seguir adiante há alguns Spikes, AH-64 Apaches e Merkavas os esperando…rs!

  27. Uma tese (plausível ate) sobre supremacia aérea da AS não deve ser usado como um lema para decidir antecipadamente o resultado de possível conflito entre os estados. Primeiramente porque as forcas iranianas investem bastante nos sistemas antiaéreas de todos os tipos (inclusive possuem S300 e clones).E , ao contrario da AS , Irã possui um leque bem diversificado dos mísseis táticos e tático-operacionais que podem levar AS (e os aliados com miopia e braços curtos principalmente) a um desastre econômico e ecológico em menos de 24 horas atingindo os hubs das empresas de petróleo e transporte. E AS simplesmente não vão ter tempo suficiente para recarregar os Patriots (principalmente devido a eficiência mostrada nos últimos meses), nem o numero suficientemente grande dos lançadores. Alem disso maior parte da “grana” saudita esta sendo transportada via estreito de Ormuz. Logo podemos concluir que sem ajuda de Israel e EUA AS vai ficar sentadinha bem onde esta agora.
    É claro , que existem outros cenários , mas..Não é tão claro assim não.
    E detalhe. A Russia toda (!) vai fazer um churrasquinho (ou pirogi , pelmeni, sei la) , ligar a TV e assistir rindo essa bagunça vendo o petróleo chegando nos 200 presidentes mortos por barril.
    O que acha amigo Bosco? É possível conforme os dados do seu supercomputador megacerebral?
    (resisti não kkk)
    Um grande abraço!

  28. Tem um estudo do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS) sobre como seria um conflito entre os países membros do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC) e Irã focando no combate aéreo, emprego de mísseis balísticos e defesa antiaérea/antibalística. É meio antigo (2009) e parece um tanto mecânico (quase um “super-trunfo” embasado em cálculos e modelos matemáticos) mas vale a leitura. Link abaixo:

    http://www.docdatabase.net/more-gcc-iran-993133.html

  29. O que vejo é que o Irã tentou sinceramente virar auto-suficiente em armas, mas simplesmente falhou. Por falta de dinheiro, de tempo, de capacidade, etc.

    Houveram progressos, mas em geral o país ainda depende de caças americanos de 40 anos para se defender…

    Tantas promessas, Shafaq, Saeqe, Karrar, kandahar, Kaqueque, nao sei o que… na prática continuo vendo a IRIAF armada de Phantows, o exército de T 72s e a Marinha de Fragatas ocidentais de 40 anos… quanto aqueles belos modelos que vimos nos desfiles faz 10 anos, não vi nada entrando em produção maciça. Tem uns carros de combate bem bonitos, mas na prática…

    Ou eles escondem muito bem as novas armas, ou as coisas deram errado.

  30. não vejo por parte de Israel interesse atual em atacar o Irã sem sofrer alguma represália mesmo que em pequena escala. Também não vejo o Irã atacar Israel sem que se torne alvo também de uma grande coligação liderada pelos EUA. Os iranianos necessitam que os embargos sejam suspensos e para isso estas bravatas tanto de um lado como do outro serão resolvidas a maneira Trump. Acordo bilateral é o que interessa a nova política americana e não multilateral. O problema , como foi muito bem citado por vários comentaristas são os sistemas teocráticos e religiosos radicais que impedem qualquer negociação positiva. Se bem me lembro. Conhecemos muito pouco sobre estes povos, como bem citou um comentarista. Só vivendo lá poderíamos ter uma visão mais clara.E bem me lembro que em Teerã há uma comunidade judaica e até representatividade no parlamento daquele. o que me espanta é que para um país que sofre mais de trinta anos de embargo militar estes conseguem manter sua tropas em alerta e ter mesmo com engenharia reversa sua defesa. Impressionante! Daí o receio de um novo conflito. Lembrando que a visão mulçumana é fatalista, não temem em morrer(segundo preceitos religiosos). Podem ser varridos do mapa, sim, porém fariam um estrago inicial. Ainda creio em mudanças positivas. Há relatos que tanto no Irã como na AS o povo já está insatisfeito com o status quo dos governantes atuais. Esperar para ver. Qual povo não deseja liberdade, ter tecnologia, conforto sem perder sua soberania. Negócios, nada mais que negócios. Guerras de extermínio em fontes minerais todos perdem. O inimigo de hoje será o aliado de amanhã. Visto a relação atual entre EUA e Vietan Grande Abraço.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here