Home Economia Estado ‘Robin Hood às avessas’ será desafio para o próximo Presidente da...

Estado ‘Robin Hood às avessas’ será desafio para o próximo Presidente da República

3231
72
A desigualdade no Brasil continua persistindo
A desigualdade no Brasil continua gritante

Por Alexandre Galante

O candidato à Presidência da República que sair vencedor das eleições do final de Outubro terá muitos problemas para resolver a partir de 2019.

Entre eles está a desigualdade social, que ainda é gritante no País, apesar de mais de uma década de governos de esquerda.

O Brasil continua estagnado nos indicadores do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e desce ladeira abaixo no quesito desigualdade social segundo o relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

De acordo com o estudo Indicadores e Índices de Desenvolvimento Humano: Atualização Estatística 2018, lançado mundialmente em 14 de setembro pelo Pnud, em IDH o Brasil  mantém a mesma posição que ocupava em 2016, 79º lugar entre 189 países.

O Brasil teve uma trajetória de leve melhora da distribuição de renda com aumento das politicas sociais, desde a aprovação da Constituição de 1988, especialmente durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e Dilma Rousseff (2011-2016), interrompida com uma crise econômica agravada pela descoberta dos esquemas de corrupção pela operação Lava Jato, envolvendo empresas estatais e grandes empreiteiras.

Com a economia estagnada e mais de 12 milhões de desempregados, o Brasil patina e deve demorar para se recuperar.

Estado ‘Robin Hood às avessas’

Durante o Regime Militar o país cresceu e se industrializou, mas à custa da transferência de riqueza dos mais pobres para os mais ricos, segundo o estudo A situação social do Brasil em 1980, de Salvatore Santagada, que pode ser lido aqui.

Já no século XXI, o Brasil, a despeito de ter quase a mesma carga tributária que países como o Reino Unido, continua sendo um dos países mais ineficazes na redução da desigualdade de renda, beneficiando mais a camada mais rica da população.

Segundo um estudo da Seae (Secretaria de Acompanhamento Econômico) do Ministério da Fazenda, a estrutura do sistema previdenciário no Brasil faz com que os mais ricos recebam uma parcela maior dos subsídios do Estado com aposentadorias.

O estudo afirma que essa diferença está ligada ao regime previdenciário, que concentra a distribuição de benefícios para os domicílios no meio e na parte superior da distribuição de renda, e não nos domicílios de menor renda.

Por exemplo, em setembro de 2018, o Supremo Tribunal Federal decidiu aumentar o salário de seus ministros em 16,4%, elevando o teto salarial dos funcionários públicos para mais de R$ 500 mil por ano. Se confirmada pelo Congresso, a decisão deve gerar um efeito cascata sobre todo o funcionalismo, com demandas por reajustes em diversas carreiras.

Um artigo publicado no Financial Times também confirma a condição do Estado brasileiro de “Robin Hood às avessas”, referindo-se ao lendário bandoleiro medieval, que roubava dos ricos para distribuir aos pobres.

No caso do Brasil, uma boa parte do que conta como gasto social vai para a classe média alta.

O artigo destaca que a crise brasileira não se deve à falta de receitas. No Brasil, a carga tributária é uma das maiores do mundo, equivalente a 32% do PIB. Mas a repartição do bolo é de 31% da receita para os 10% mais pobres, e 23%, para os mais ricos. No Reino Unido, 92% da receita vai para os mais pobres, e 2%, para os mais ricos.

BNDES

Em outro aspecto dos gastos públicos, os benefícios e isenções fiscais
concedidos para diferentes setores produtivos custam ao Tesouro R$ 290 bilhões – 20% das receitas do governo federal. Mas as linhas de financiamento
subsidiadas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que muito beneficiaram setores com capacidade de buscar crédito no exterior, não resultaram ganhos de investimento e de produtividade.

Segundo informações da Fundação Indigo de Políticas Públicas divulgadas no artigo assinado pelo economista Anderson Silva, no período de 2003-2016 foi liberado pelo BNDES o estrondoso volume de R$ 2,57 Trilhões de reais  – valor quase 8 vezes superior aos recursos liberados para o Programa Bolsa Família no mesmo período:

O BNDES é financiado pelo Tesouro Nacional, ou seja, quem financia na realidade são os pagadores de impostos, pois a taxa média de juros cobrada pelos grandes empréstimos liberados por este banco de fomento (no período 2003-2016) foi de 7% a.a. ao passo que para obter recursos para realizar os empréstimos o governo federal teve que emitir títulos da dívida pública no mercado com taxa média de juros da ordem de 13%a.a – ou seja, uma diferença de 6% a.a. Esta diferença corresponde aos subsídios oferecidos aos empresários politicamente mais próximos do governo, sendo que tais subsídios foram custeados involuntariamente pela população.

Segundo Anderson Silva, no período compreendido entre os anos de 2003 a 2016 nos quais os governos petistas estiveram no poder foi coincidentemente o período histórico em que houve a maior transferência de recursos das camadas mais vulneráveis da população para as elites econômicas mais próximas à cúpula destes governos. Isso ocorreu porque tais recursos públicos foram arrecadados principalmente das camadas mais necessitadas da população devido ao fato da carga tributária brasileira ser extremamente regressiva (já que incide com maior intensidade sobre o consumo).

Também vale destacar que parcela significativa dos recursos emprestados pelo BNDES é oriunda do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e desta forma, sem perceberem, os empregados financiaram os empresários politicamente mais influentes do país por intermédio de empréstimos realizados com recursos públicos subsidiados.

Tarefa não será fácil

Além de enfrentar o desafio do Estado “Robin Hood às avessas”, que concentra boa parte da riqueza nas mãos de políticos, funcionários públicos e empresários que vivem de benesses estatais, o próximo Presidente da República também terá de trabalhar para consertar um Estado ineficiente, que cobra muito imposto, mas não entrega saúde, educação, segurança e defesa suficientes às necessidades do País.

Terá que fazer o Brasil voltar a crescer para gerar empregos e possibilitar aos milhões de jovens “nem-nem”, que nem trabalham e nem estudam, o acesso ao trabalho e ao ensino profissionalizante.

Para isso, o Presidente terá que conseguir maioria no Congresso para aprovar as reformas necessárias ao equilíbrio fiscal do País, a fim de conseguir o retorno dos investimentos e a retomada do crescimento sustentável.

Não será fácil, mas só assim o Brasil poderá ter a esperança de ter um futuro promissor e um projeto de Nação.

72 COMMENTS

  1. Não vejo o Posto Ipiranga preocupado em lavar ou abastecer carros populares em seus lava-jatos e bombas de abastecimento, tampouco oferecer emprego com carteira assinada e direitos trabalhistas aos seus frentistas . . .

    • Se fosse apenas o chavão barato “Deus acima de todos”, não haveria muito com que se preocupar. Mas essa combinação oportunista de nacionalismo com moralismo é um sinal evidente, porquanto historicamente repisado, do cinismo.

      De outra sorte, a separação da igreja e do Estado, um bastião genuinamente protestante – levianamente esquecido, ou nunca sabido, pelos charlatães – começa na separação do sacerdote e da política.

      Por fim, Jesus Cristo não é uma legenda de esquerda ou de direita, Jesus Cristo é a Verdade.

    • Nenhum economista de renome no mundo acadêmico ou no mercado financeiro quis se associar a alguém cujas ações e palavras, desde que surgiu no noticiário nacional, dão sinais inequívocos de psicopatia. Nenhum.

      Exceto, portanto, aqueles que tenham sinais inequívocos de psicopatia econômica. Párias do mundo acadêmico e financeiro. Daí essa associação pervertida que traz desassossego a qualquer pessoa mentalmente sã e equilibrada nesse país.

      Vis-à-vis, nomes para vice-presidência. Os psicopatas atraem personalidades equivalentes.

      Deus tenha misericórdia desse país pelos sensatos.

    • E se o pior, de fato, acontecer, que haja adultos mentalmente sãos nos demais poderes e nos órgãos de controle. A República vai precisar mais do que freios e contrapesos. Precisará de uma camisa de força.

  2. O Estado brasileiro é uma máquina de concentrar renda. Como amante da liberdade econômica eu sinto vergonha de viver em um país onde a dezenas de milhões de pessoas é negado qualquer tipo de oportunidade de ter uma vida minimamente digna. E ainda tenho que escutar de colegas que esse negócio de combater desigualdades é papo de comunista.

    • De qual combate a desigualdade você está falando? Não me lembro de ter visto algum candidato/presidente fazer isso nos últimos 20 anos (desde que me entendo por gente pra ser sincero).
      O que temos no Brasil hoje é compra de votos mascarado de ajuda aos pobres, compra de artistas mascarado de ajuda via lei Rouanet e compra da classe política via BNDS, o povo de verdade só tem impostos altos. Nada mais!

  3. Concordo Ozawa, e ainda estou vendo o Posto Ipiranga se enrolando com as contas, propondo uma alíquota única e descobrindo logo a frente que o dinheiro não vai dar. O Estado Brasileiro nunca foi Liberal, não importando a “bandeira” dos que se aboletaram lá. O pior é que o Posto e/ou o Poste não irão facilmente conseguir costurar alianças em um Congresso com 30 partidos. Estou me sentindo em 89.

    • Collor, aliás, foi o nosso último arrivista com discurso destro-oportunista, que ascendeu no mesmo vácuo de esperança política há exatos 30 anos, com os clássicos chavões “fascistas”, “moralistas”, “pugilistas”, “belicistas”, “capitalistas”, “catequistas”, “simplistas”. E deu no que deu. A diferença é que, ao menos, tinha um vice-presidente sensato, coerente e democrata, que acabou por consertar os alicerces da República na sua simplicidade mineira.

      • Boa colocação meu caro. De caçador de Marajás a caçado foi um pulo. E por sorte tínhamos um Vice que aceitou e geriu um pacto que permitiu a estabilização de uma economia em convulsão com direito a hiper-inflação e outros desequilíbrios. Olhando para os “Vices” de agora, tenho a sensação que corremos um risco enorme de uma desarrumação profunda e com resultados totalmente imprevisíveis.

      • Quando o Collor assumiu a inflação já estava disparada além de ter herdado uma política econômica desastrada do regime militar baseada em estatais e aumento do pib através de construções, chega a ser engraçado terem ficado do lado dos EUA mas ter uma politica econômica mais parecida com a da união soviética. Não que queira defender o Collor, mas ele nem de longe conseguiria fazer o estrago que atribuem a ele em míseros dois anos de governo, a coisa já tinha descambado antes.

        • Sem dúvida alguma as coisas já estavam fora de controle quando ele assumiu, lembro bem. Já tínhamos passado pelo congelamento (desastroso) de Sarney que só pioraram as heranças anteriores (dívida externa, falta de divisas, moratória, etc…). Collor queimou-se logo na largada quando tentou a formula mágica Congelamento + Confisco. Um desastre estupido e sem eficácia. Aprofundou o que já estava ruim com um amadorismo impar. Sua Ministra da Fazenda, o Posto Ipiranga dele, era uma pessoa sem as qualificações adequadas e para completar a cereja do bolo, sua coligação era frágil, além do seu partido nanico não ter expressão alguma. Não caçou marajá algum e ainda tentou se mostrar um cara cabra macho com a retórica que “tinha aquilo roxo” (até hoje há piadas sobre essa declaração). Foi retirado já sem apoio algum com uma facilidade impar. De positivo na gestão dele, somente o princípio de uma abertura econômica para importação de bens.

          • Por incrível que pareça, o Governo Sarney foi o mais próximo de uma experiência socialista neste país. Superou em muito Goulart, Luiz Inácio e Dilma.

            Congelamento de preços, taxa de câmbio e salários; adoção de nova moeda. Fomos governados por decretos; intelectuais e imprensa aplaudindo e apoiando; manipulação da população contra empresas e empreendedores. Sem contar a quase criminalização da atividade econômica privada.

            Coisas de Brasil, só nascendo aqui para entender.

          • Se tem alguém hoje muito parecido nos discursos, fazendo uma comparação com o que o Collor fez prática no seu governo, o Ciro é o mais próximo, aquele típico “cabra da peste” que está a caça de alguém, inventa números fantasiosos sobre economia (aprendeu com o presidiário), ea aquele velho discurso de querer taxar as coisas, felizmente ele perdeu no primeiro turno.

          • Rafael PP
            Socialismo pressupõe a propriedade estatal dos meios de produção. A época do Sarney não tem nada a ver com isso.
            Isso tudo que vc citou são apenas medidas heterodoxas aplicadas em uma economia capitalista.

          • Antônio, você continua incapaz de interpretar os comentários alheios. E ainda mantém a mania de respondê-los, mesmo quando a discussão não o envolve. O pior, é que suas respostas são dissociadas de qualquer contexto e em nada somam ao debate.

            Recomendo que pesquise o significado dos verbetes “próximo” e “experiência”. Talvez compreenda o que eu quis expressar.

            Ps: gostaria de expandir o nosso acordo de se ignorar mutuamente para todas os sítios e plataformas. Espero que este seja meu último comentário dirigido à sua pessoa. No mais, votos de saúde e felicidade pessoal. Tenho medo do que possa advir caso te deseje sucesso profissional.

      • Para entender: tanto Sarney como Collor apelaram para políticas intervencionistas (congelamento de preços). O Plano Real só deu certo porque não interviu no mercado. E aí reclamam dos liberais.

  4. Mais um bom motivo pra manter o PT longe do governo da nação ,roubaram e ainda usaram essa fortuna toda em grande parte construindo estruturas pra seus amigos vermelhos às nossas custas. Aqui em Betim MG onde moro o metrô não andou um milímetro pra sair de Contagem e vir até aqui ou para outros pontos onde tbm já há linhas férreas e até estruturas de estações abandonadas no meio das obras, o que foi só um dos motivos da dilmanta não ter se eleito senadora(kkkkk) por MG. E nisso tudo ver pessoas até muito bem instruídas defenderem partido e não o país e pior ainda o PT é lastimável. Viva a “democracia”. 17 neles

    • O PT fez um milagre em relação a desigualdade nos 13 anos que governou o país. Nunca mais veremos nada parecido. Quem visitou o interior do nordeste e norte de minas antes e depois do PT sabe do que eu to falando.

      Vislumbro daqui uns 10 anos o saudosismo do governo PT será similar ao do Regime Militar hoje.

      • Os comentaristas políticos consideram que em curtíssimo prazo teremos sérios problemas.
        Um plano econômico ridículo, uma equipe econômica muito fraca e sem qualquer experiência pública além de um muito provável atrito com o Congresso nas primeiras desavenças.

      • Eu pensei em te responde a sério pelo respeito que tenho por ti mas desisti. Sub eu estive lá e seu do que voce fala de verdade, não de ouvir dizer. É mentira. Acorda. Eu estive no interior da Bahia e de Pernambuco em 2016 e as casa do minha casa minha vida eu achei que eram jaziggs. Peguntei pro engenheiro da empresa : que massa, os cemitérios aqui são padronizados. Ai que fui ver que eram casas. Acorde. Isso ai pra mim é uma vergonha, um engodo, coisa de gente sem honra. Quem duvidar eu tenho fotos

      • Sou do Norte de Minas, moro em Pirapora. Posso dizer que você é um mentiroso. Há mais de 30 anos que a população da cidade está parada em 53 mil habitantes mais ou menos. Só vimos empresas grandes aqui fechar (dentre elas a Antártica além de muitas outras que nos fez perder milhares de empregos). COMENTÁRIO EDITADO.

        • a única coisa que o PT fez por aqui foi distribuir caixas d’água com dinheiro roubado mas o povo continua na miséria e pior, agora estão na ignorância também.

  5. Gostem ou não do “posto Ipiranga” ou é ele, ou vão de marmita de presidiário depois não chorem. Não há salvador da pátria, nesse primeiro momento a escolha é uma questão de MORAL e ÉTICA, quem tem sabe em quem votar, quem não tem vai ser cúmplice de bandido, e quem prefere ficar em cima do muro vendo o circo pegar fogo fazendo cara de paisagem, só vai ajudar o incendiário com sua omissão.

  6. O problema são os impostos absurdos nos serviços (conta de energia, água, telefone, etc) e nos produtos, isso prejudica mais os pobres que muitas vezes são forçados a viverem na ilegalidade porque não conseguem viver legalmente pagando todos esses impostos para o governo.

    Os programas sociais dos petralhas foram feitos para tornar os pobres dependentes do governo e se manterem no poder, nunca diminuíram realmente a desigualdade já que eles cobram mais impostos dos pobres. O pior é quererem acusar o Bolsonaro de cobrar mais impostos dos pobres sendo que são eles que fizeram isso esse tempo todo, o próprio Malddad admite que os pobres pagam mais impostos mas pera aí, foi justamente eles que deixaram assim 😂. Esse cara é uma comédia, agora está falando até em deus, família, indo em igreja, fazem de tudo para iludir o povo.

    • Pois é,mas ele ,o Malddad,se ferrou ao tacar pedra no líder da Universal,que respondeu no mesmo dia , são só mais de 7 mi de membros no Brasil . É muita gente pra fazer Campanha ante PT. Se cada um consegue um voto, já são 14 mi. Outro tiro no pé dos colorados.rs

      • O inimigo está apelando para tudo o que pode, fiquemos firmes e fortes, dia 28 é o começo do livramento do mal político que vem destruindo o Brasil, é a hora da virada.

        A hora de por o Brasil nos eixos está chegando.

        Brasil acima de tudo,
        Deus acima de todos!

  7. O que importa é que a população começou a fazer a mudança, a oportunidade surgiu e estamos agarrando firme com as duas mãos, precisa-se começar por algum ponto e de certo começaremos auditando tudo o que for possível para identificar os pontos mais críticos de corrupção, iremos gastar onde e quanto de fato é necessário, ficando livre da corrupção e investindo onde é necessário aos poucos tudo mudará para melhor, nada como ter um governo patriota e de bem, honesto, que lute pelo que é certo.

    Sei que muitos pseudos intelectuais e puxadores de saco estão e estaram esperneando, mas já tiveram sua chance e desperdiçaram, com o fim do aparelhamento e do loteamento político de ministérios, sobrará tempo e dinheiro para investir no que trará aos poucos desenvolvimento e aumento da qualidade de vida, principalmente de baixo para cima como já está detalhado no plano de governo, mais Brasil, menos Brasília.

    Educação sem ideologia política, investindo mais no ensino básico e menos so superior, pois de nada adianta chegar no superior, vindo empurrado com a progressão continuada, que de nada serve, se não para formar analfabetos funcionais.

    O ano de 2019 representará a quebra de muitos paradigmas políticos e marcará o ínicio do rompimento de muitas correntes que impedem a ordem e o progresso de nossa nação.

    Chegou a hora de recomeçar!

    Brasil acima e tudo, Deus acima de todos!

  8. O programa de governo do Fujão dos debates é cheio de absurdos.

    Vamos lá:

    Imposto único de 20% a partir de 5 salários: vai diminuir o imposto dos ricos que pagam 27% (que é pouco se comparado a USA ou UE) e descer o sarrafo na classe média que já ganha pouco.

    Privatizar tudo que puder para pagar a dívida pública: o ponto mais absurdo do programa. Sabemos que algumas estatais ajudam a pagar as despesas correntes, privatizando, as receitas cairiam o que iria detonar as contas públicas!

    Revalida para médicos cubanos: o objetivo óbvio é expulsar os cubanos. O povo das regiões isoladas e pobres ficarão sem médicos.

    Subordinação do Ministério do meio Ambiente ao da Agricultura: é a raposa tomando conta do galinheiro. As consequências serão trágicas.

    Venda de Reservas Indígenas: sem comentários.

    Flexibilização total nos contratos de trabalho: vai tirar dinheiro do bolso do trabalhador e diminuir o consumo das famílias.Vai atrasar ainda mais a retomada economica.

    Abrir a economia aos “mercados estrangeiros”: vai matar o que sobrou da nossa Industria que tem pouca competitividade com os gringos devido a alto custo de frete, baixa tecnologia e impostos elevados.

    Diminuir impostos de 38% para 25%: impossível de se concretizar sem uma mudança drástica na atual política de responsabilidade fiscal.

    Tem tudo pra ser outro Collor. Muita gente já percebeu isso.

  9. Me desculpe, mas…
    “mais no ensino básico e menos so superior”
    Como assim? No superior, também. O problema do Brasil não é tão misterioso não. Tenho um primo em Miami, que é dono de uma cadeia de eletrodomésticos. A maioria da dual freguesia são “funcionários” públicos brasileiros, desde federais a estatais, e etc. Gastam milhões de dólares , levando iPads, iPhones, big screen TVs, e etc. Só ficam hospedados nos hotéis mais prestigiados, comem em uma cadeia famosa aqui chamada Fogo De Chão, aonde o prato é $50-$100 por pessoa. Vão a Disneyworld e ATC, tudo pago pelos babacas aí no Brasil.
    Esse é o problema, meus amigos. PT, PMDB, PSDB, PSL, e os outros mil partidos políticos do Brasil, são na faixa de 90% todos iguais. Ladrões descarados. A realidade é que são mais bem quadrilhas. Marginais, traficantes. Até o Santo Temer Salvador da pátria foi apanhado em áudio e vídeo entrando na corrupção. Daqui de fora estou torcendo por Bolsonaro, pois acho que ele é a última esperança do Brasil, a última oportunidade de mudar rumo, e evitar que o país se converta de uma vez por todas em um “Failed State”, sumido em uma revolução nascida do desespero de milhões de brasileiros famintos e sem futuro, mas armados até os dentes.
    Mas enfim, vamos lá.

    Abs

    • Ensino superior “da voto”, ensino básico “não da voto”, criança não vota, sendo assim o PT decidiu focar 70% em construção de analfabetos funcionais e 30% em ensino básico, então quando digo diminuir o investimento no ensino superior, digo deixar as coisas mais justas, como 50/50 ou 60% para o ensino básico e 40% para o superior…

    • Vocês conhecem e a Kroton?
      A Kroton e a JBS da educação privada no Brasil, com dinheiro do BNDS nos governos do PeTê a Kroton comprou 80% das Uniesquinas do país (São Judas,Uniban, Anhaguera e tudo deles, só não compraram a Estácio porque o CADE não aprovou, senão teriam mais de 90% do mercado) formando um cartel gigantesco.
      Dai o Fies repassa nosso dinheiro para eles de forma superfaturada, e o aluno acha bom , mas depois de formado se da conta que ta ferrado para pagar o financiamento sob aquela taxa de juros que e gigante por não ter concorrência.
      A Kroton e cria do Haddad e do Lula.

  10. Desigualdade social não é problema real. Problema real é não se gerar riquezas. Um país, para se desenvolver rápido, precisa de uma “vanguarda” de empresários, magnatas e afins que lucrem muito e reinvistam esse lucro nos seus empreendimentos, desenvolvendo a sociedade como um todo na esteira do seu pioneirismo. Um estado menor, que não atrapalhe a sociedade por meio de impostos, também é fundamental neste procedimento. Paradoxalmente, para se diminuir de fato a desigualdade social (sem fazer todos pobres, o que tecnicamente também acabaria com a desigualdade social), deve-se primeiro aumentá-la segundo procedimento que descrevi, para que depois ela naturalmente diminua até valores razoáveis. Recomendo a leitura do livro “A Mentalidade Anticapitalista”, de Ludwig von Mises. Também recomendo os inúmeros discursos de Margaret Thatcher a esse respeito.

    O resto é papo pra boi dormir, e alguns que criticam propostas liberais me parecem acreditar que mais 13 (quiçá mais 130) anos de governo PT irá resolver um problema por ele aprofundado. Mas tenho certeza que muitos irão dizer “que baboseira que ele disse”: pois bem, minha parte eu fiz. Se o Brasil quer continuar o paiseco de terceiro mundo que é, problema dele, não mais meu.

  11. Tirando aqueles que foram apenas marcar posição e não foram pra ganhar, como Boulos e Daciolo, eu acredito que ficamos entre os 2 piores.

    – De um lado temos o pau mandado do Lula, este que em sua liberdade, não fez um mal governo (em questões econômicas e sociais – mas foi um desastre em política externa), mas também havia um bom momento externo de venda de commodities, recursos em caixa e etc. Mas foi desastroso, para nós e para ele, na forma que montou para governar, potencializando a já existente corrupção em estatais e entes públicos, e nos logrou uma sucessora desastrosa por sua teimosia, incompetência e inflexibilidade. O PT voltando, mesmo que não repita o modelo de corrupção, não resolverá o problema da segurança, ainda insistirá numa politica externa atrapalhada (tímida, quando deveria ser firme como no caso das refinarias na Bolívia, e delirante quando fomos meter o bico na questão do acordo nuclear do Irã) e não faria algumas das reformas necessárias.

    – Do outro lado temos o Bolsonaro, que defende bandeiras importantes em segurança pública, mas pouco fez nos seus anos como parlamentar, não foi pego em corrupção grossa (mas claramente se utilizou de várias benefícios imorais como a funcionária em sua casa de campo e auxilio moradia) e ao meu ver é um oportunista em termos de várias de suas propostas. Ele se diz liberal e defensor das privatizações, pois isso entrou em voga hoje e até mesmo escolheu o Posto Ipiranga, mas o perfil do Bolsonaro é completamente o oposto, é de controle estatal de várias áreas. E me parece, espero estar errado, que tanto o Bolsonaro como seu vice não tem um plano para o Brasil, visto que em várias áreas tanto o plano de governo, como suas falas são extremamente vazias, e em muitos casos, em direção oposta ao Posto Ipiranga.

    Eu acredito que o Bolsonaro vencerá, e espero que eu esteja errado em relação sua falta de norte e medidas mais concretas, espero que ele consiga melhorar nossa situação econômica, tanto para empresários, como para trabalhadores e também para os desempregados, fazendo reformas que ao menos diminuam privilégios imorais (alguns que ele desfrutou), diminuam o desperdício público e façam a economia girar tornando os mais pobres menos dependentes de benefícios sociais.

  12. Já vi essa novela… A discussão é longa, porque começa as guerras de ideologias.
    Só penso assim:
    Um candidato se ganhar nos aproxima da Venezuela.
    O outro, nos afasta, mas não diminui o Estado que o câncer da nossa Economia.
    Eu votarei nos menos pior, depois que colocar esses pesos na balança!
    Alguém conhece a frase “Aos vencedores, as batatas”?

    • palavras “do nosso” candidato hoje: “dinheiro nas FA é investimento. O grafeno está sendo pesquisado no Brasil e tinha militares lá”. Manchete: fulano promete aumentar investimento nas FA: Sem mais meretíssimo.
      Eu sou militar, da reserva. Mas sou. Nunca deixarei de ser. Meu equipamento e fardamento está em “condições de”. Eu estou em “condições de” sempre a 21 anos. Esto mais velo (e mais sábio, ou matreiro) Estamos todos articulados, em rede, e nós militares, ativos ou da reserva mobilizável, não nos misturamos com gente de mau caráter, nunca. A honra vem em primeiro lugar. A nossa honra é mais importante que a nossa vida. A missão e o juramento perante a bandeira verde e amarela estão acima de tudo. Tudo. Inclusive da nossa vida e famílias. Não existe hipótese de covardia ou tergiversação. Isto deve ficar claro.
      Pra bom entendedor meia palavra serve. Fiquem tranquilos amigos.

  13. Se me lembro bem, o Fascismo tinha horrores ao liberalismo econômico, e sempre estava na perseguição de quem propagava isso, exatamente como está nos dias atuais no Brasil disfarçado na campanha “O Brasil feliz de novo” de um certo candidato camaleão.

    • Discurso demagógico, Mussolini promoveu a maior desestatização que se tem conhecimento na Itália. Era típico desses regimes alisar pobres com uma mão, e ricos com a outra. Até a igreja católica se beneficiou ao ficar ao lado de Mussolini, o que lhe rendeu o tratado de Latrão. A coisa só veio mudar com a segunda guerra em curso e seu delírio de construir um novo império romano.

  14. Bolsonaro não entende de economia por isso é adjetivado!!! Intelectuais, geniais, Qi e cultura altíssima, fora de série eram o Lula e a Dilma! E o pior, se haddad eleito, teremos uma marionete a comandar o país, ou seria um boneco de ventríloco?Meu partido é o Brasil. st4

  15. O Posto ypiranga não dura muito,,,mas antes ele vai vender tudo, é não se sabe o rumo que vai tomar alías o programa de governo dos dois 13,17 não são claros dão sinal mas como a arte da politica e enganar estão bem na fita.Pelo menos o 12 que um dos srs fala em números e ninguém o retrucou porque deveria saber o que estava falando,ou os outros candidatos não estavam por dentro de números e nem outros economistas o rebateram,só sei que quem pode parar o entregalhismo de Paulo guedes é o general heleno que é muito nacionalista.

    • O 17 já disse que não vai vender empresas que ele acha estratégica como a petrobras e eletrobras. Por mim não vejo necessidade de privatizar a petrobras mas o governo não pode ficar impedindo outras empresas privadas de explorar também e ficar obrigando a petrobras a participar de tudo, isso só fez mal e era exatamente isso que o 12 queria fazer.

  16. Não entendo os comentários de vocês: quem mais fez pelas FFAA, no últimos governos foi o (PT) Lula, melhorou salários, até da reserva, FHC queridinho, princepe da Sorbonne só pensava em ganhar títulos em universidades, outra coisa importante: Lula todos sabem do envolvimento ou omissão nas falcatruas, porém, por que só ele preso, Serra, Alkimin, Jucá, gato angorá, Aécio querido de todos, nosso problema até a justiça, que tem como representação uma estátua com os olhos vendados, para dizer “a lei é cega”, entretanto acho que ela é calha, para haver justiça todos teriam que ser julgados e presos, nossas autoridades pensam diferente, Vejam caso do Aécio, vai ser deputado federal para não ser julgado, com cobertura do congresso que não permite julgar os “”seus””, quero sim um país justo onde juízes julguem qualquer pessoa, indiferente nome, cargo político, cor, raça, aí teremos um país justo, aí poderemos discutir ideológias

  17. O Brasil tem um grandes desafios geográficos e com isso problemas logísticos, temos uma baixa renda per capita, ou seja, para ter um crescimento grande temos que involuntariamente privilegiar grandes negócios, isso somente a ganância por projetos de poder dos governantes.
    O brasileiro também tem o problema cultura de não entender o que significa ser um indivíduo, mas essa é outra história.
    https://youtu.be/FQ2jmrz_xgU

  18. O B17 um lendário .
    Era uma aeronave potente, de grande raio de ação, capaz de provocar grande destruição em alvos inimigos e com grande capacidade de auto-defesa. Sua capacidade de retornar de missões mesmo com sérios danos e sua durabilidade mesmo quando obrigado a pousos de barriga tornaram o avião mítico durante a guerra. texto do Wikipédia.
    Nesta Guerra Ideológica , mantenho minha confiança no B17.
    o PT nos conhecemos e já sabemos o que fizeram contra o Brasil. Investiram muito, em países anti democrático. Roubaram em todas as ares que colocaram os tentáculos do molusco. Beliscaram até no FX2. A Capacidade e expertise na corrupção é tamanha que criaram estatais para serem laranja do seu esquema.

  19. É agradável perceber que ainda existem pessoas sensatas que pensam o país a partir da razão ao invés de ideologias recentemente “adquiridas” de forma superficial. Parabéns, Ozawa pelos grandes comentários e uso em alto nível de nosso idioma.

  20. Pi pi;pi Piiiiiiiiiiiii Piiiiiiiiiiiii Piiiiiiiiiiiiiiiiiii Pi pi pi
    – O que é isso Quem soltou esse código?
    – Fui eu Senhor!
    – Mas por quê?
    – Temos um furo no casco.
    – Quem manda soltar código aqui sou eu seu atrevido!
    – Hã! Furo? Que casco? O seu ou do navio?
    – Do navio
    – Impossível esse navio é laico nem Deus afunda.
    – Mas me diga uma coisa, esse furo é um furo liberal, progressista, comunista, facista como ele é?
    – Não sei senhor, não entendo muito de furos. Só sei que acendeu uma luz no painel.
    – Hã! Uma luz? Que cor é essa luz?
    – Laranja senhor,
    – Uffa! Mantenha a calma, afinal de contas você é um marinheiro.
    – Senhor, a água continua entrando.
    – Droga! Na hora que a gente mais precisa de um especialista em furos não aparece nenhum.
    – Senhor quais são às ordens?
    – Já falei pra manter a calma!
    – Mas senhor o navio está inundando, a proa começa a levantar.
    – Acho que vou ver esse furo pessoalmente.
    – Senhor chegaram mensagens de outros navios próximos perguntando se precisamos de ajuda. Tem um que diz que tá sem comida e combustível, mas pelo menos ficaríamos debaixo de um teto, como se fosse um aluguel social entendeu? Perguntam como seriam recebidos.
    – À bala! Negativo, ingerência externa no meu navio é inadmissível, à deriva já basta nós.
    – Senhor tome uma atitude pelo amor de Deus!
    – Já falei que esse navio é laico seu idiota, nem ele afunda, e pare de me perturbar, preciso pensar.
    – Já sei! Já que não tem um especialista em furos, me chamem um especialista em buracos imediatamente.
    – Sim senhor! Hã?
    – Mais algum outro navio nas proximidades?
    – Sim senhor, mas parece que estão fazendo um bacanal, a mensagem diz para aproveitarmos o dia. Como assim? Na situação que nós estamos.
    – Verdade, não parecem ser confiáveis.
    – ILHA À VISTA!
    – Quem gritou?
    – Fui eu, estou vendo aqui da gávea, mas tem muita jangada partindo de lá.
    – Então é furada, chega de furos por hoje.
    – Senhor o tempo está passando, alguns já se afogaram lá atrás, tome uma decisão.
    – Droga! Todo mundo quer que eu tome uma decisão, mas ninguém me dá uma alternativa. Cadê os especialistas?
    – Tínhamos um operador de máquinas, quis abraçar o mundo com as mãos e como não tinha dedo, se afogou com os demais na casa de máquinas.
    – Raios, raios, raios duplos.
    – Senhor acendeu outra luz!

    – Ai Jisus! Que cor?
    Vermelha.
    – Soltem o código! Soltem o código!!
    – Qual código senhor?
    – Sei lá, tenta B-17!!!!
    Simsenhoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

  21. Ao Galante, parabéns pelo texto!
    Levando em consideração que muito dificilmente Bolsonaro não levará esse pleito, esta não é uma questão que preocupará o próximo governo, já que combater as desigualdades sociais passa longe de seu programa de governo. O que devemos pensar é, até quando este país continuará a seguir sem olhar para baixo?

  22. A esquerda é o atraso do Brasil. Ilude alguns com seus discursos pseudonacionalistas e na prática venderam a Amazonia de forma silenciosa para a China, EUA, países europeus, coisa que o exército sempre externou preocupação, reservas indígenas de fachada para reservar nossos recursos para grandes potências no futuro e impedir o desenvolvimento econômico na região. Se prostituíram para países como Cuba e Venezuela, Dilma tomava decisões ouvindo opiniões de Cuba. Criaram um projeto de poder supranacional com o Brasil financiando, através do foro de são Paulo criado no início dos anos 90.Abaixaram a cabeça para a Bolívia quando invadiram refinarias da Petrobrás, hoje tomamos calotes de países como Venezuela, Cuba, e ditaduras africanas, em silêncio. A corrupção se tornou método é de permanência no poder. Abraçaram a agenda globalista cultural e política que visa enfraquecer os países e as fronteiras e a identidade nacional, em prol de um metacapitalismo internacional disfarçado de humanista, George Soros seu expoente.

    Mas vamos votar na esquerda, eles lutam contra os americanu malvados. Graças ao investimento americano em países como a Coreia do Sul que se alinharam a eles, estes países se tornaram desenvolvidos. O problema do Brasil é um estado gigante paquidermico e corrupto que só entrava o desenvolvimento, e esta ideologia maldita propagada nas universidades, na imprensa, na tv, e etc.

  23. “O melhor programa econômico de governo, e não atrapalhar aqueles que produzem, investem, poupam, empregam, trabalham e consomem”

    Visconde de Mauá

  24. O problema do brasileiro e o imediatismo causado pelo analfabetismo politico.Todas as decisões tomadas por um governo politico hoje, não vão ser sentidas daqui um mês, ou daqui 1 ou 2 anos, as decisões de estado são assimiladas pela sociedade de forma retardada no conceito pratico Tudo o que estamos vivendo hoje, tem causa inicio no que o governo federal tomou de decisão há 10 anos atras. e o que aconteceu 10 anos atras? A crise mundial de bolha de credito. Na época o presidente Lula chamou de “marolinha” . não levou a serio como deveria,em vez de ajustar as contas publicas torrou dinheiro publico como se não tivesse dono, deu credito podre pra todo mundo se endividar nas casas Bahia com consumismo fútil, deu dinheiro do BNDES para empreiteiras torrarem em obras faraônicas superfaturadas ate em outros países de governos populistas (Cuba, Venezuela,Angola, Bolivia etc.) e deu dinheiro do BNDES para empresários inescrupulosos, como por exemplo os irmãos Batista da JBS que mataram a concorrência dos pequenos, comprando todos depois e formando o cartel de distribuição de carnes no país.
    (Ainda trouxe lixo de Copa e Olimpíadas para cá quando o resto do mundo civilizado estava correndo destas zicas, e trouxe para o companheiros empreiteiros lavarem a égua de roubar)

    Assim como a crise fiscal e de credito que temos hoje tem origem há vinte anos, quando o presidente FHC para salvar especuladores deu bilhões em dinheiro publico para banqueiros no plano “PROER” que concentrou os bancos em poucos donos, hoje não temos um sistema bancário por conta disto, temos um cartel bancário, onde só existem 5 bancos de grande porte no país. sendo que dois não contam porque são estatais (Banco do Brasil e Caixa) e três apenas privados de relevância, Bradesco,Itaú e Santander. Assim não tem como ter concorrência de credito, não importa o quanto o governo baixe os juros oficiais os juros reais destes bancos estão acima dos 300 por cento. Ate metade do seculo passado tínhamos mais de 70 bancos privados no Brasil, hoje somente 3.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here