Home Exércitos Exército Português recebe novos veículos táticos blindados VAMTAC ST5

Exército Português recebe novos veículos táticos blindados VAMTAC ST5

6521
98

O Exército Português, através da Unidade de Suporte Geral de Material do Exército em Benavente, iniciou o processo de recebimento de Veículos Táticos Leves Blindados VAMTAC ST5 (VTLB), após a chegada dos quatro primeiros veículos do primeiro lote de dez, no final da semana.

O processo de aceitação do primeiro VAMTAC ST5 consiste na inspeção e verificação da conformidade técnica do VTLB pela Equipe de Inspeção Multidisciplinar, composta por membros da Diretoria de Materiais e Transportes, da Brigada de Reação Rápida e da Diretoria de Comunicações e Sistemas de informação.

Como parte desse processo, os veículos também são submetidos a uma série de testes e provas de suas capacidades operacionais na pista de teste do tipo no UAGME Aberdeen Proving Ground.

A aquisição de uma nova família de veículos impõe a necessidade de qualificar os motoristas para conduzi-los, de modo que o 1º Curso de Treinamento para Motoristas VTLB VAMTAC ST5 foi realizado ontem no UAGME.

FONTE: Exército Português

Subscribe
Notify of
guest
98 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
9 meses atrás

Bichinho bonito!!!
Piada da português em 3, 2, 1…
; )

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Joao Moita Jr
9 meses atrás

Não fala isso… toca lembrar do famoso “drone da marinha”

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás
Madmax
Madmax
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás

Kkkkkkkk putz, que palhaçada. Isso foi sério? Tá de sacanagem?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás

Ricardo, que idiotice, é sabido que o erro foi humano, o lançamento manual foi mal realizado.
Aliás, drones de pequeno porte são cada vez mais comuns nos três ramos das Forças Armadas Portuguesas, tanto nacionais como importados, Portugal aliás vende e faz parte do desenvolvimento desse tipo de tecnologia em projectos multinacionais da OTAN e UE.
A Marinha já opera, aliás, drones de médio porte a partir dos patrulhas oceânicos, esses drones são precisamente da empresa do referido drone que foi mal lançado.

Flanker
Flanker
Reply to  Peter nine nine
9 meses atrás

Hehehehe….mas, apesar disso tudo, foi muito engraçado!! Toda uma preparação, narração e…….kkkk
Acho que por ser da Marinha, o drone pensou que era um submarino …..hehehehehe
Não se irrite, meu caro…..portugueses são uma fértil fonte de piadas aqui no Brasil, assim como o contrário, aí, deve ser verdadeiro!

peter nine-nine
peter nine-nine
Reply to  Flanker
9 meses atrás

“assim como o contrário, aí, deve ser verdadeiro!”
Por acaso não, não conheço nenhuma.

peter nine-nine
peter nine-nine
Reply to  peter nine-nine
9 meses atrás

Mas sim, foi engraçado de certa forma,

Madmax
Madmax
Reply to  peter nine-nine
9 meses atrás

Falar mal de português é falar mal de nós mesmos. Pelo menos eu acho. Penso que não somos em nada diferentes, somos um povo só.

Fábio Bueno Vinholo
Fábio Bueno Vinholo
9 meses atrás

Ué! Pensei que os blindados portugueses fossem todos conversíveis?!

Carlos Branco
Carlos Branco
Reply to  Fábio Bueno Vinholo
9 meses atrás
Silas AC
Silas AC
9 meses atrás

Os milicos daqui que dizem que tanto faz serem blindados…tem algum comentário???

rdx
rdx
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Tanto faz porque o EB nunca teve que enterrar companheiros ou cuidar de mutilados de guerra…e não duvido que em caso de guerra, o EB use Marruá na linha de frente e LMV para transportar comandantes e generais na retaguarda.

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
9 meses atrás

Os portugas estão em combate na África.
Este projeto é espanhol, que o usa no Afeganistão.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

o EB fala isso pq não vão ser os oficiais que vão estar neles perto da linha de frente.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Se tanto faz, melhor comprar Hilux então

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

Bonito, lembra um Humvee

Triest
Triest
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
9 meses atrás

Foi baseado no mesmo.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Triest
9 meses atrás

Triest, mais ou menos, o objectivo da versão inicial era garantir uma prestação comparável ao humwe, mas superior.
A versão actual, a ST5, é diferente da inicial e ainda mais diferenciada do Humwe.
Portanto ele tem semelhanças com o Hmwe não porque foi baseado nele mas porque foi desenhado para cumprir, no mínimo, as mesmas funções.

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Triest
9 meses atrás

Queria só lembrar que os ainda atuais humvee que estão na RCA, só receberam blindagem em 2005 colocada por uma empresa Israelita, aquando da ida de um destacamento Português para o Afeganistão.
Quem estiver interessado em mais informações, pode consultar o seguinte link:
https://www.dn.pt/poder/exercito-ja-tem-as-primeiras-viaturas-blindadas-de-quatro-rodas-11441139.html

peter nine-nine
peter nine-nine
Reply to  Vitor Silva
9 meses atrás

Vitor você não está incorrecto, mas está a ser impreciso, assim como a referida matéria do seu link. Apenas parte das viaturas sofreram essa intervenção em Israel, as restantes já foram compradas com protecção. Das diferenças estéticas mais claras, são as janelas das portas traseiras, a APK, o tal lote de 20 e tal HMMWV´s que recebeu blindagem em Israel, contam com um par de janelas “meio triangular”, enquanto que as M1151A1, que já foram adquiridas com a mesma, contam com todas as janelas “quadradas”. De facto Portugal conta tanto com HMMWV´s blindados como não blindados, mas sabe-se apenas que… Read more »

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  peter nine-nine
9 meses atrás

Em percebo a sua resposta, agora vou eu corrigir o numero de unidades é de 37, deste mesmo blindado.
Leva-me a crer, isto sou eu a pensar que o exercito da RCA, possivelmente ficará com alguns humvee do destacamente Português.
Mas tb não faz muito sentido manter a versão A1, por mais alguns anos, não só pela questão da logistica, logo menos padronização dos equipamentos. O mais provavel é serem vendidos , enquanto tiverem valor militar.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Vitor Silva
9 meses atrás

Se são de facto 37, é porque foram sendo encostados, o que não me admiraria nada, tendo em conta os esforço operacional a que Portugal os sujeita.
Quanto a logística, existem mais dois ramos, a força aérea, que opera também variantes do HMMWV na ex. UPF e marinha, que carece destes meios e não tem, para já, viaturas destinadas para os fuzileiros.
O primeiro lote era de pouco mais de 20, o segundo lote era de pouco mais de 20, pouco mais de 20 mais pouco de mais de 20, da pouco menos que 50… Daí a minha conclusão.

Matheus
Matheus
9 meses atrás

É um Humvee bombadão, bacana.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
9 meses atrás

Vai aparecer comentário dizendo que esse é melhor que o LMV, quer apostar?

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

E você seria capaz de contrapor com argumentos técnicos e operacionais ?

rdx
rdx
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

Se o EB tivesse comprado o VAMTAC ele seria considerado o melhor LMV do mercado pelos “sindicalistas” de plantão.

Mauricio R.
Reply to  Marcelo Andrade
9 meses atrás

Melhores que o LMV: RG-32 e Foxhound.

rdx
rdx
Reply to  Mauricio R.
9 meses atrás

Melhor que o LMV: JLTV

Kommander
Kommander
Reply to  rdx
9 meses atrás

O JLTV é realmente superior, mas tava tendo alguns problemas no motor, superaquecimento, etc… Não sei se já foo resolvido.

peter nine-nine
peter nine-nine
Reply to  rdx
9 meses atrás

O Exército Português considera o JLTV uma viatura de classe diferente, para este, o JLTV conta com características que o colocam como um eventual complemento da classe dos VAMTAC, mas não como um concorrente.

FERNANDO
FERNANDO
9 meses atrás

Eita, isso sim que o EB deveria ter.

JOSE CLAUDIO DA SILVA
JOSE CLAUDIO DA SILVA
9 meses atrás

Pelo menos na pintura, dar de 10 x 0.

Pablito
Pablito
9 meses atrás

Eita, coisa linda! Onde compro um desses?! kkk

Bardini
Bardini
9 meses atrás

Os portugueses compraram pra justamente despachar os ultrapassados Humvees… Mas pelo que andei lendo, tem toda uma novela de atrasos e renegociações por de trás dessa compra.
.comment image

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Olhe que nem por isso, até que foi rápido a escolha e aquisição…

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Bardini
9 meses atrás

A compra foi feita através de uma agência da NATO, para que não houvesse atrasos ou contratempos como em outros concursos, esta recebe uma % do valor, penso que se não estou em erro de 5%. Estes blindados, alguns irão para a RCA, afim de substituir os humvee, que são de 2000, e já estão muito gastos inclusive já estiveram em Timor leste, aquando da independência deste País.

Bardini
Bardini
9 meses atrás

Aliás, falando em 4×4 blindado, os franceses começaram a testar o novo VBMR:
.
https://www.youtube.com/watch?v=6B3gDS0Fa68

rdx
rdx
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Impressionante

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
9 meses atrás

O bicho é grande pra kcete… entre 15 e 17t nas versões contratadas e 18t de peso máximo de crescimento!

Caio
Caio
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Nossa ele tem a cara dos blindados 4×4 da seginda guerra mundial; Deve custar os tubos.

Bardini
Bardini
Reply to  Caio
9 meses atrás

Vai depender da versão… pelo o que li, vai variar entre 500 e 1 milhão de Euros a unidade. Não achei tão caro, não… Um Foxhound britânico (não é bem da mesma classe) custa quase 1 milhão de libras, pra ti comparar. Teria que ver quanto custa um Dingo ou um Bushmaster, pra comparar melhor. De cabeça não lembro.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
9 meses atrás

O Bushmaster PMV custa U$$ 500.000,00.

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Tá bom pra transporte de valores no Brasil, o bichão parece pesadamente blindado e lento pra kct.

Kommander
Kommander
Reply to  Francisco Herês
9 meses atrás

Achei exagerado até, parece um alvo enorme. Mas se todo esse tamanho compensar na blindagem, o bicho vai ser seguro.

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Francisco Herês
9 meses atrás

Sim este têm 3 vezes mais blindagem de placa de cerãmica e de aço do que o hunvee e o motor é muito mais potento e igual aos Pandur 8×8 Luso.

RENAN
RENAN
9 meses atrás

Vou fazer uma pergunta besta
Por que a engenharia destes 4×4 não investem em designer para ricochetiar projéteis e estilhaços?
Vejo sempre este mesmo desenho sem evoluir tecnicamente para melhorar o desenho de sobrevivência do veículo.
Da mesma forma que existe um desenho para atenuação da explosão de minas e IED, deve existir desenhos para diminuir a penetração de tiro frontal.

Bardini
Bardini
Reply to  RENAN
9 meses atrás

O que tu quer já foi feito…comment image

RENAN
RENAN
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Perfeito obrigado pela atenção. Bardini
O VAB já foi vendido para 16 países com mais de 5000 unidades produzidas
Impressionante.
Isso já melhorou bastante em designer.
Mas poderia dar um ângulo ( < ) neste formato na frente. Bem linear .
Parabéns aos franceses desde a década de 70 já fazem algo relevante.

Bardini
Bardini
Reply to  RENAN
9 meses atrás

De blindado sobre roda, é difícil ter alguém no mundo que entende mais do que os franceses…

Mauricio R.
Reply to  Bardini
9 meses atrás

A não ser quem sabe, os sul-africanos.

Bardini
Bardini
Reply to  RENAN
9 meses atrás

Aliás, aproveitando, o VAB será justamente substituido pelos modernos VBMR 6×6 e 4×4… então, acho que isso desbanca a sua linha de pensamento 🤷🏻‍♂️

groosp
groosp
Reply to  Bardini
9 meses atrás

No mesmo sentido temos o M-1117 americano, um desenvolvimento do Cadillac Gage Commando.comment image

groosp
groosp
Reply to  RENAN
9 meses atrás

Existe aquilo que se chama na engenharia de “solução de compromisso” entre blindagem inclinada e volume interno. A definição de solução de compromisso pode ser resumido por “A cada escolha, uma renúncia”. Em alguns momentos a equipe de projetistas chega em algo como uma bifurcação e deve optar, sendo impossível ter o melhor dos dois mundos. Conseguir o mesmo volume interno com uma blindagem inclinada exige um veículo maior, resultando em um maior peso, exigindo um motor mais potente e outra suspensão, gerando uma espiral ascendente de peso e custo.

Antunes 1980
Antunes 1980
9 meses atrás

Prefiro estecomment image

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Antunes 1980
9 meses atrás

Tb gostei mais desse.

Salim
Salim
9 meses atrás

Uma viatura desta custa caro, 2 para 1 Guarani ou pior. Para leva 3 ou 4 militares, guarani leva 11 e pode ser utilizado em varias configurações. Concordo que ele tem vantagens mobilidade, mesmo no GLO as forças armadas náo vão correr atrás bandido, nem deveriam entrar na frente pois a doutrina exercito e inutilizar inimigo e policia deve prender bandido ( teoricamente). um IED ou míssil portátil anti carro imobiliza os dois. Hoje, situação atual e no médio prazo, náo seria mais producente focar Guarani e trabalhar com universidades para termos uma solução nacional com baixo custo!?!!!?

Bardini
Bardini
Reply to  Salim
9 meses atrás

Não concordo em nada. . Depende do blindado em questão e o preço de aquisição não é o principal fator mandatório. E no fundo, tu tais comparando meios que são complementares e não concorrentes. . O Guarani leva um Grupo de Combate de 9 integrantes. Tu poderia ter fácilmente um 4×4 com essa configuração, por algo como metade do preço de um Guarani, se isso fosse o problema… . “Concordo que ele tem vantagens mobilidade, mesmo no GLO as forças armadas náo vão correr atrás bandido, nem deveriam entrar na frente pois a doutrina exercito e inutilizar inimigo e policia… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Caro Bardini, o que vi neste seu video da ação portuguesa se assemelha a ação de nossas forças Haiti e a configuração básica dos comboios Iraque, VBT abrindo comboio, no meio e fechando comboio entremeados por viaturas leves e de apoio ( as vezes com helicópteros escolta ). Por isto questiono a priorização de focar no Guarani, visto que lmv e bem caro e dispendioso operar.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Salim
9 meses atrás

No Haiti???? Era missão de manutenção de paz, nada a ver com o que se passa na RCA. Informa-te bem.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  rui mendesmendes
9 meses atrás

As pessoas tendem a confundir se. A missão portuguesa na RCA, não é uma missão típica de que se seria de esperar ao abrigo da ONU, trata se de uma QRF e portanto quando empenhada, na maioria das vezes assim o é como força de combate. Portanto, uma reação do comando, a um ataque anterior por parte dos grupos armados. Conclui se, portanto, que é uma missão de combate, bem mais do que uma típica missão de paz ao abrigo dos capacetes azuis. Os portugueses que na RCA servem, não têm como missão primária o policiamento, ao invés, servem como… Read more »

Selvatico91
Selvatico91
Reply to  rui mendesmendes
9 meses atrás

Negativo. A missão da MINUSTAH era de imposição da paz. Após a Força Jauru, do Brasil, subjugar as gangues de Cité Soleil, passou-se à manutenção da paz.

Bardini
Bardini
9 meses atrás

Detalhes interessante do vídeo que postei, dos bravos portugueses na África:
https://www.youtube.com/watch?v=C-mg9cOkrsM
.
0:15 Pandur II cruzando uma ponte em péssimo estado.

2:58 Humvee sendo rebocado. Falha/quebra? Foi comprometido pelo fogo inimigo?

3:14 Humvee que tomou um RPG (?) na lateral.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Lição importante que salta aos olhos e sempre causa confusão aqui:

Os 4×4 não subsituem os VBTP. Trabalham juntos.
Os 4×4 fazem o desbordamento e investem em velocidade.
1:52 Os VBTP desembarcam na área de contato e passam a usar os 4×4 como anteparo para progressão.

PONTO FINAL. CHEGA. NÃO FALO MAIS !
MARRUÁ NÃO FAZ O QUE LMV FAZ!

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

As grandes vantagens do 4×4 são a agilidade e a consciência situacional (nesse tipo de missão ter muita superfície com vidro é uma vantagem)

Eduardo Jardim
Eduardo Jardim
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

Boa noite Carvalho.

O que é desbotamento?

O que significa “investir em velocidade”?

rdx
rdx
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Aparentemente, um Humvee recebeu estilhaços de granada (RPG ou granada de mão)

Imaginem o Marruá do EB no lugar do Humvee. Seriam pelo menos 04 militares mortos ou feridos.

gari
gari
Reply to  rdx
9 meses atrás

Sou bem leigo no quesito, mas gosto do Marruá, não vejo o porque ele não possa ser tão ou mais resistente que o Hummer, fora o fato do Ex. ter adquirido ele com menos blindagem.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Bardini, houve mais que uma viatura danificada, aliás, desde 2017 todas as FND’s entraram em combates nos seis meses que cada uma por lá se movimentou.
O HMMW em questão foi alvo de um engenho explosivo, deflagrado pelo inimigo que iniciou depois uma emboscada, prontamente respondida por meio do uso das tipologias de armamento ao dispor daquela força da ONU.
: https://www.portugaldefensenews.com/l/videos-e-imagens-militares-continuam-envolvidos-em-combates-na-rca/

Bardini
Bardini
Reply to  Peter nine nine
9 meses atrás

Ali realmente não é o Haiti… O buraco é bem mais embaixo.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Saca como os argentinos utilizam os seus Mercedes Benz MB230G3.

https://www.youtube.com/watch?v=5Zvl4tcfJJY

Silas AC
Silas AC
Reply to  Alfa BR
9 meses atrás

Tu acredita que aquele pessoal embarcado já não ia receber chumbo já na chegada??

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Silas, os portugueses já sabiam da possibilidade de serem emboscados pois já tinham previamente captado, via drone, os movimentos do grupo armado, não só eles já contam ser alvo de chumbo como parte da sua missão é mesmo confrontar o inimigo e, nesse sentido, convida, de certa forma, o combate. Claro que o objectivo não é levar com chumbo, mas ser alvo do mesmo é garantido em operações deste género.

peter nine-nine
peter nine-nine
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Suspeito que a viatura esteticamente mais danificada, terá sido o alvo do engenho porque o inimigo poderá ter pensado que esta não era blindada, visto que a HMMWV APK tem um aspecto mais ligeiro que a HMMWV M1151A1.

Foxtrot
Foxtrot
9 meses atrás

É prova que para brasileiro sempre o que vem de fora é melhor que o santo de casa.
Esse veículo português me lembra o Gladiador II (exceto a frente que é mais rebaixada e com angulação mais aguda).
Engraçado que os mesmos algozes do Gladiador/Guará 4WS agora estão elogiando o blindado português.
Complexo gigantesco de cria se vira latas (pois nosso complexo vai além do complexo de vira latas ).

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Beleza não põe mesa, já dizia o ditado, o projeto do Gladiador era horrível tecnicamente

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Mateus Lobo
9 meses atrás

Você trabalhou no projeto?
Favor fornecer dados técnicos para ratificar sua afirmação caro Matheus!

Bardini
Bardini
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

O blindado foi IMPORTADO da Espanha.
.
Vlw, Flw… E bom passeio com seu doguinho raivoso…

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Olha é meu fã o lesadão do Bardini kkkk.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Olá Fox, o vamtac é um desenho da espanhola urovesa, fabricado também em Espanha, em Galiza. Portugal já teve uma indústria militar mínimamente relevante (considerando o tamanho do país) na área de armas ligeiras e blindados de rodas, mas tal não é o caso nos dias de hoje, em parte porque o tamanho das forças armadas não garante a escala de produção como nas decadas passadas. O último blindado a ser fabricado em Portugal foi o Pandur II, substituto da chaimite, também fabricado em Portugal, mas tal dificilmente se voltará a repetir. Tanto que a G3 portuguesa foi substituída pela… Read more »

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Pois, mas praticamente, lamber as botas dos Americanos, aí tu já falas de complexo de vira-lata.

Francisco Herês
Francisco Herês
9 meses atrás

Esse ângulo da foto não favoreceo o bichão, ficou parecido com aqueles horrendos veículos Quad ingleses da WWII. Eram tão feios que ninguém queria emprestado.

Carvalho
Carvalho
9 meses atrás

Materia em outro site fala que o Vantac ia participar dos testes do EB, mas que ficou retido por problemas alfandegáriaos, perdendo o prazo dos testes.

E depois falam dós portugueses!!!!
Oh que burros !!

Carvalho
Carvalho
9 meses atrás

Piada de Português???

Em outro site consta que o VAMTAC ia participar dos testes do EB, mas ficou de fora porque perdeu o prazo retido por questões alfandegárias!!!

Vou rir para não chorar….

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

Regras são regras !!
Duela a quien duela !!!

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

Sempre fui defensor da introdução do LMV no EB (na verdade de uma vtr 4×4 blindada).

Mas estou começando a acreditar que as coisas foram facilitadas para o veículo da IVECO concorrer somente com os pangarés daqui.

Juarez
Juarez
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

Que bom, alguém abre os olhos e sai das trevas.

Carvalho
Carvalho
9 meses atrás

A propósito da atuação dos Portugueses na RCA, o jornal Zero Hora de hoje traz uma entrevista com o Gen. brasileiro comandante da MINUSCO, na RDC.
Perguntado sobre a decisão do governo Temmer de não enviar tropas, ele responde:
“Lamento muito”

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

Salvo engano, uma das desculpas para não enviar tropas para a África foi justamente a falta de blindados 4×4.

Juarez
Juarez
Reply to  rdx
9 meses atrás

As razões são que não teríamos Anvs para CAS adequadas, pois teriam que gastar uma grana enorme para deixar os STs no nível dos Afegaos.
Não teríamos vtrs adequadamente blindadas, não teríamos C4I mínimo para uma operação desta envergadura e principalmente não teríamos ninguém com culhoes para peitar a mídia na hora que os sacos pretos começassem a chegar nos C 130.
O Haiti perto RCA e um playground infantil.

Silas AC
Silas AC
Reply to  Juarez
9 meses atrás

Juarez,
Discordo em alguns pontos:
O EB demonstrou possui condições muito boas de C4I em operações de imposição de paz, tendo até organizado alguns exercícios com a participação de vários exércitos vizinho.
Será que nossos A-29 são tão inferiores aos usados no Afeganistão?
Quanto às viaturas….concordo….jogo é jogo…treino é treino. Marruá é para treino.

Juarez
Juarez
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Silas entre os nossos STs e os Afegão tem um Grand Cannyon no meio de distância tecnológica. A capacidade de C4I do EB, da FAB e da MB é exatamente igual a zero, pois não temos ainda um sistema criptografia padrão e não temos um canal de satélite exclusivo operando. De resto, fosse o “merdoá” ou aquela cruza de Candango com Vemaguete que o EB comprou na feira de usados de Roma a preço de caviar, o primeiro iria virar pó na primeira batida e o segundo cheio de parafernalhas eletrônicas estaria inoperante naquele clima de merd..da Africa central em… Read more »

Selvatico91
Selvatico91
Reply to  Juarez
9 meses atrás

Pára na frente de um FAL, portado um um “amador” !

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Silas, mais uma vez, o C4I (Command, Control, Communications, Computers, and Intelligence) o Brasil tem, mas não devemos comparar o Haiti à RCA, pois é um cenário totalmente diferente. Tudo depende do trabalho que o Brasil na altura queria realizar naquele teatro, que eu honestamente não sei ao certo qual. Na altura falou se em enviar 1000 militares, mas desconheço de quais unidades brasileiras e para que fins operacionais. A meu ver, seria de extrema utilidade, para ONU e para os parceiros que ali operam, uma contribuição brasileira por meio do envio de unidades especializadas, talvez de operações especiais ou… Read more »

Silas AC
Silas AC
Reply to  Peter nine nine
9 meses atrás

99 e Juarez Não tenho a mínima dúvida de que a RCA é bem mais complexo que o Haiti. Não sustentei isso. Apenas digo que temos condições de ir operar na área com base nas seguintes premissas: – O ST, apesar de inferior ao congênere Afegão, pode exercer as funções CAS *(se um MI-24 armado pode….porque não um ST?); – O guarani REMAX + o LMV podem suprir as necessidades de blindagem em ações de combate, tal como visto no vídeo das tropas Portuguesas. Mesmo que se considere que o LMV tenha taxa elevada de indisponibilidade elevada como o Juarez… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Silas AC
9 meses atrás

Silas, eu concordo consigo plenamente, como já referi aqui no passado, ver forças brasileiras e portuguesas a operarem juntos seria de imensa satisfação de ver. Mas depois voltamos ao mesmo ponto, não se discute tanto a capacidade mas sim a disponibilidade. GUARANI e LMV, claro, meios que sem dúvida teriam de ser empregues, mas tal requer preparo que “quem manda” não autoriza. É necessário estabelecer tácticas e procedimentos, preparar veículos e militares, etc. Quando o Brasil diz que não temos capacidade económica ou o que seja, o que realmente quer dizer é, não nos apetece gastar dinheiro nisso e achamos… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Carvalho
9 meses atrás

*MONUSCO

Alfa BR
Alfa BR
9 meses atrás

Enquanto isso na Argentina…

Exércicio “Lanza Urbana” realizado pelo Exército Argentino.

Consiste de uma operação de forças combinadas envolvendo manobra aeromóvel e assalto por FT blindada.

https://youtu.be/p1ARZxD1ejY