Home Asas Rotativas República Tcheca vai comprar 8 helicópteros UH-1Y Venom e 4 AH-1Z Viper

República Tcheca vai comprar 8 helicópteros UH-1Y Venom e 4 AH-1Z Viper

4401
130

No dia 12 de novembro, o ministro da Defesa Lubomir Metnar apresentou ao governo da República Tcheca um documento no qual informou sobre um contrato público para a compra de 12 helicópteros multiuso. A compra assumirá a forma de um acordo intergovernamental com os EUA, através do qual o departamento de defesa adquirirá o sistema H-1, uma combinação de 8 helicópteros polivalentes UH-1Y Venom e 4 AH-1Z Viper, que possuem 85% de comunalidade de peças.

“O exército precisa de novos helicópteros. Quanto antes nos livrarmos da dependência da tecnologia russa, melhor. É por isso que queremos assinar o contrato este ano para que até 2023 os helicópteros estejam equipados com as Forças Armadas da República Tcheca”, disse o ministro da Defesa Metnar.

O preço dos helicópteros é de CZK 14,6 bilhões (US$ 620 milhões) sem IVA e está alinhado com o que o Exército dos EUA pagaria. Estão incluídos não apenas os helicópteros, mas também equipamentos e munições, peças de reposição, simulador de treinamento e treinamento de conversão inicial para pilotos e pessoal técnico.

A vantagem é que é uma forma de contrato governo-governo que garante a segurança e a confiabilidade do fornecimento. Em termos do envolvimento da indústria de defesa tcheca, o Ministério da Defesa espera pelo menos 30% do valor do contrato em favor das empresas tchecas.

FONTE: Ministério da Defesa da República Tcheca

Subscribe
Notify of
guest
130 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Guacamole
Guacamole
7 meses atrás

Como andava aquela proposta de comprar pro brasil também pelo Foreign Military Sales?
Murchou??

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Guacamole
7 meses atrás

Nem com Viagraaaaaaaaaaaaa
esquece

Gordo
Gordo
Reply to  FERNANDO
7 meses atrás

E como tem Nós saído caro esses FMS e outras promessas, tudo na base da “amizade”. Não é de hoje que gostamos de trocar bens por quinquilharias, nesse caso material estocado. É quinquilharia no contexto de termos um orçamento entre os 15 maiores do mundo e ainda assim dependemos dessas doações, como se fossemos algum Pais miserável pronto pra prestar favores. Fico imaginando o que falam de Nós nos corredores do Pentágono.

Adriano silva
Adriano silva
Reply to  Guacamole
7 meses atrás

Pelo que Eu, Ouço…. o Brasil, vai Optar pelos Helicópteros A 129 Mangusta Italianos de segunda Mão.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Adriano silva
7 meses atrás

Espero ! Ou ele ou seu “brimo” turco…

comment image

FighterBR
FighterBR
Reply to  Guacamole
7 meses atrás

Super Cobra podre? Melhor ir direto no Viper.

Carlos
Carlos
Reply to  FighterBR
7 meses atrás

SE O EXÉRCITO TIVESSE COMPRADO 4 VIPER POR ANO , IA DEVAGAR MAS O PROJETO ANDARIA , HAJA VISTO A PAUSA NO CONTRATO HELIBRÁS ..

ALEX TIAGO
7 meses atrás

Esse valor não esta muito alto???Muito caro mais de 600 milhoes de dolares????4 cobras e 8 Venon é muito dinheiro por muito pouco.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  ALEX TIAGO
7 meses atrás

Peças sobressalentes, simulador , treinamento …e etc

ALEX TIAGO
Reply to  Gabriel BR
7 meses atrás

Mesmo assim Gabriel e um valor muito esticado teria que ser sobressalentes pra vida toda e acho que seria muito ainda.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  ALEX TIAGO
7 meses atrás

Alex, peças de Huey se encontra na esquina, mas não países que faziam parte do Pacto de Varsóvia. Eles literalmente tem que estocar tudo do zero. A primeira compra é sempre a mais cara de todas, justamente pelos motivos que o GabrielBR explicitou. Compras posteriores tendem à ser bem mais baratas.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
7 meses atrás

Como gostaria de ver uma foto como as desta matéria com ambas as aeronaves nas cores do EB/CFN/FAB.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Quem gosta de lixo é mulher de bandido, o Brasil tem que ir de T-129 Atak.

paulop
paulop
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Defensor: entendo que o Atak também tem suas virtudes, mas o sistema H-1 é um combo que já foi exaustivamente testado e é a base da aviação de asas rotativas de ataque do USMC. Pode ser caro, no início, mas compensa pela relação custo x benefícios. Talvez apenas o Mi-24 (aquele russo que é híbrido entre hel. Ataque e hel. Transporte) tenha características que se complementam ao H-1.
Abraço

TeoB
TeoB
Reply to  paulop
7 meses atrás

O MI 24 seria ideal para o A-140 visto que pode descarregar soldados em um assalto anfíbio e lhes prestar apoio com grande poder de fogo. mas infelizmente uma naval acredito que não exista, para emprego no EB o H-1 eu acho que seria mais interessante.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  TeoB
7 meses atrás

TeoB o MI-24/35 não é navalizado e ou facilidades para operar em embarcados ou seja provavelmente seria uma versão bem exclusiva lembre dos Chinook Ingleses foram navalizado porem não é um versão própria (não tem as “facilidades” com por exemplo recolhimento e armação da hélices o que demanda maior tempo de para retira-lo e inseri-lo no hangar).

O mi24/35 pode sim ser usado embargado porém terá um desate maior alem da corrosão porém creio que der para melhora sua capacidade de operar embargado mais seria caro e demorado

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Eu tb, Tomcat, super-cobras e Chinooks seria um espetáculo, mas como os “especialistas” são totalmente contra, eles devem servir para os outros países, menos para nós, fazer o quê?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Francisco Herês
7 meses atrás

O Brasil já tem velharia demais, coisa velha dá manutenção demais e cada vez mais caras.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

O EB quer/queria a versão mais recente da época a F Block I, considerando que o EB provavelmente manteria só uma base para eles teria que ter capacidade de REVO..

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

E para que precisamos desses helicópteros Tomcat? Não temos armamentos para dotar essas aeronaves, os armamentos americanos costumam sofrer embargos, a tropa de infantaria não tem nem o mínimo, como uma simples mira óptica no fuzil (que diga se de passagem é ultra velho). O IA2 (Frankenstein) não está recebendo encomenda a contento por falta de verbas, o Guarani 8×8 foi cancelado por não ter dinheiro e por aí vai. Na minha opinião as FAAs nacionais deveriam é co desenvolver o Míssil Ar Solo (MAS 5.1) em eterno desenvolvimento no Ctex. Ou então nacionalizar a cabeça de busca do Mokapa… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

O IA2 foi um dos piores projetos da história do EB, caro e medíocre !

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Gabriel BR
7 meses atrás

Refiro-me ao fuzil da Imbel quando falo caro e medíocre.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Gabriel BR
7 meses atrás

Concordo em gênero, número e grau caro Gabriel.
E ainda assim comparado a um helicóptero de ataque é mais barato de se adquirir e manter, não recebe encomenda a contento, imagine um helicóptero de araque.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Foxtrot, me refiro aos meios novos e esta dupla é absurdamente eficiente, que o diga estar sendo empregado na USMC. Os armamentos dos mesmos viriam, como é de praxe , no conjunto da obra no contrato. Não podemos continuar com a mentalidade do “pra quê precisamos deste ou daquele equipamento militar ” caro ou não, se prepara para guerra/conflito é antes e não durante onde ,na correria, a falta de doutrina no uso dos meios faz passar vergonha como os iraquianos com o Abrams apanhando de rebeldes/insurgentes/terroristas por não dominarem a máquina e perderam, por isso, muitos veículos e afins… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Tomcat em partes concordo com você. Só estou falando que temos prioridades muito mais latentes do que helicópteros de ataque. Estou mostrando que há soluções locais que nos atenderiam muito melhor do que adicionar mais uma peça no quebra cabeça logístico que é nossas FAAs. Os Colombianos em seu projeto Harpia já nos mostrou isso e tem dado muito certo por lá. Mas se ainda assim resolverem adotar um helicóptero de araque, porque não unir EB/CFN/FAB/MB e em cooperação com os Sul Africanos nacionalizar o Hoowalk? Porquê não cooperar com a Argentina em seu Sicaré de ataque? Porque não desenvolver… Read more »

Wilson Marcos Santos
Wilson Marcos Santos
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Porque sai muito mais caro e demorado do que comprar pronto.
Até pesquisar, desenvolver, testar e fabricar, já se perdeu totalmente o gap da necessidade.
Quer exemplo maior do que o avião indiano, o Tejas?
Logo, por que você vai pesquisar e desenvolver em 10, 15 anos, para depois de aprovado começar a construir?
Pode-se até fazer isso, mas, até lá, melhor ter um sistema testado e aprovado em combate.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

LINDA essa camuflagem Tcheca hein, muito bonita…, não gosto do verde musgo dos nossos helicópteros, más reconheço que são os mais eficientes e que camuflam mais…

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
7 meses atrás

comment image

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
7 meses atrás

Lindo, melhor que aquele camuflado horroroso das aeronaves da FAB.
Acho que um tom verde musgo, cinza chumbo ou negro cairia melhor no KC-390 do que aquele camuflado desnecessário!

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Os Apaches são muito caros, acho os Cobra de bom tamanho para o Brasil…, os Russos são máquinas brutas e aguentam o tranco, más esse problema que falam de padronização de ferramentas e peças, não dá para confiar…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
7 meses atrás

E pensar que eu ainda sonhava com Viper pro EB e FN…
Bem, deixa isso pra lá…

João Moro
João Moro
7 meses atrás

“O exército precisa de novos helicópteros. Quanto antes nos livrarmos da dependência da tecnologia russa, melhor…”. Com todo o respeito aos equipamentos russos, mas é o melhor a se fazer no caso da Rep. Tcheca. Se eles entendem que a Russia pode ser um inimigo em potencial, é melhor não depender deles.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  João Moro
7 meses atrás

A tá João Moro.
Então a melhor opção é depender de americanos e europeus ocidentais como sempre fizemos?
Os E.A.U são antigos “aliados” americanos e irão comprar o poderoso o mortal SU-35.
Se eles perceberam que os americanos não são o que parece nós iremos depender deles?
Eu prefiro um milhão de vezes depender de uma versão armada nacional do venerável UH-1 Hewy do que depender de qualquer equipamento importado não importa de onde seja.
Mas se não houver opção a minha escolha seria o MI-28

João Moro
João Moro
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Foxtrot. No meu comentário, não afirmei que a melhor opção seria “depender dos americanos e europeus ocidentais”. Recomendo reler o meu comentário e melhor interpretá-lo. Acredito que no caso deles eles devem fazer como o Brasil: tentar desenvolver equipamentos próprios (exemplo KC-390) ou adquirir a tecnologia de fora (exemplo prosub).

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Vamos sempre depender de um ou outro,goste vc ou não! Qual seria sua solução mágica?

João Moro
João Moro
Reply to  Marcos Cooper
7 meses atrás

Marcos, alguma porcentagem de dependência haverá, mas os países devem trabalhar para que essa dependência seja a menor possível.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  João Moro
7 meses atrás

Que depedência amigo. Os Helicopteros Russo foram como serão de qualquer fornecedor, comprados de prateleira, sem falar que são muito poucos e estão na FAB e não no exército. Só para constar, ate a colombia tem mais helicopteros Russos que nós e não trocam por outro devido a resistência ebaixo custo dos mesmos.

João Moro
João Moro
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Cristiano de Aquino Campos, podem e são muito bons os equipamentos russos mas se a Rep. Tcheca entrar em guerra com a Rússia, você acha que a Rússia venderá peças de reposição a Rep. Tcheca?? O caso da Rep. Tcheca não dá para comparar com o Brasil: o Brasil não faz fronteira com a Rússia e nem foi dominada por esta. Abraço!

Wilson Marcos Santos
Wilson Marcos Santos
Reply to  João Moro
7 meses atrás

Mas, a Rússia apóia ativamente a Venezuela, com material bélico, técnicos militares e mercenários da PMC Wagner. Coincidentemente a Venezuela faz fronteira com a região do Brasil onde estão desdobrados os Helicópteros Russos, a amazônia brasileira.
Basta verificar que a Rússia, se necessário, vai preferir apoiar a Venezuela do que o Brasil.
A Venezuela faz fronteira com o Brasil.
Isso se chama Geopolítica.

João Moro
João Moro
Reply to  Wilson Marcos Santos
7 meses atrás

Wilson, a Venezuela faz fronteira com o Brasil, sim, inegável porém a Venezuela não é a Russia, nem o Brasil adquire equipamento e peças da Venezuela e nem o Brasil foi dominado pela Venezuela. A lógica anterior não se aplica a essa que você sugeriu. Abraço!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  João Moro
7 meses atrás

Eu acho que você confundiu Russia com frança já que a única montadora no país e francesa e não Russa.
Obs. A única técnologia que os franceses nós repassaram em decadas de hegemonia no país foo a de fuzelagem e só.

João Moro
João Moro
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Cristiano de Aquino Campos, não me confundi no comentário. Também no meu primeiro comentário não fiz referência alguma a Brasil, França, EUA, etc. Acredito que este comentário seu não seja procedente. Abraço!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Perfeito seu comentário caro Cristiano. É o que ando falando dessas “cooperações” do Brasil com Americanos e Europeus ocidentais. Se engana que qualquer país transfere tecnologias. Tecnologias se desenvolve ou adquire no co desenvolvimento, mas da forma como nos estamos fazendo hoje não dá. Dando nossas empresas de defesa para a multi estrangeiras em troca de promessa de cessão de tecnologia. Absurdo. Sob a Montabras (Helibras), é exatamente isso, e para piorar o que já é ruim o bastante, após assinatura do contrato HXBR o governo de minas que seria 51% das ações da empresa vendeu 45% para Eurocopter que… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Senhores, João Moro escreveu exatamente isto, desenvolver tecnologia aqui, a tecnologia ocidental está a frente da russa ou China, portanto o lógico e usar o que se tem de melhor e evoluir em cima disto. Se os antigos operadores de equipamento russo estão fazendo isto, qual a razão de queimar dinheiro e tempo com este tipo equipamento?!!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Salim
7 meses atrás

Não há essa defasagem tecnológica que você fala não amigo. No máximo apenas na técnologia furtiva de caças e bombardeiros.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

A China ainda está defasada no campo de motores aeronáuticos está atrás da Russia. Não me parece que a Russia quer vender tal tecnologia a eles, porem duvido que em dez anos a china já não tenham superado esse problema.

João Moro
João Moro
Reply to  Salim
7 meses atrás

Em alguns pontos a tecnologia ocidental está a frente da russa ou China porém em outros (como o caso do Avangard) a Russia ou a China estão a frente. Ademais, até usuários de equipamento russos podem tentar dominar a tecnologia e aprimorá-las. A China já fez isso com mísseis. Só destaco que no meu comentário original não comentei sobre a capacidade tecnológica entre países do ocidente e do oriente.

RENAN
RENAN
7 meses atrás

É nem isso o EB possui no momento, nem similar.
Então o inveja que me corrói.

Antunes 1980
Antunes 1980
7 meses atrás

O namoro por aqui começou com os helicópteros turcos, depois os norte americanos, na sequência os italianos e por fim acabaremos com mais alguns helicópteros russos. Anotem aí ! Tudo em troca da liberação dos nossos produtos por lá !
Mi-28 Night Hunter na cabeça !

alexandre Ziviani
alexandre Ziviani
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Sem aviônica israelense não rola amigo.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Deus de ouça, porque o Mi-28 é uma máquina!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Era meu favorito na disputa, agora está melhor ainda o Mi-28 NE. A questão dos helis(parrudos e fodões digo de passagem,minha opinião) é que o pós venda é horrível e eles não teem padrão na montagem dos aparelhos(tipo, em um heli os cabos passam por um lugar e em outro lote de helis do mesmo modelo os cabos estão em outro canto, como mencionado ter sido isto motivo de dor de cabeça pra FAB no caso dos Sabres). A parte boa é que o Mi-28 tem muita comunalidade com o Mi-35 que a FAB já usa e domina e isto… Read more »

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Russo no EB não vai rolar! Nem adianta espernearem ou fazer biquinho.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Marcos Cooper
7 meses atrás

Então manda o exército parar de comprar IGLAS que e Russo.

JPC3
JPC3
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Acha que vão comprar helicópteros russos?

JPC3
JPC3
Reply to  JPC3
7 meses atrás

Eu não sou contra, amigo. Acredito que seja um bom helicóptero mas nosso governo é alinhado com o outro lado e a introdução dos outros helicópteros russos que compramos, segundo alguns, foi difícil.

Por isso não levo muita fé.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Eu não duvido. Mi-28 está na lista do EB pelo que eu ví no vídeo do Caiafa entrevistando o piloto do EB que voou o helicóptero turco.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

eu não acharia ruim, até mesmo se viesse mais SABRES

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
7 meses atrás

O Brasil tem gente demais na folha de pagamento das forças armadas, para um país que não vê guerra há uns 80 anos. Tem gente demais ganhando muito e fazendo nada. Demite 25% e vai sobrar dinheiro para comprar apaches para o EB e o CFN. Se os Americanos não quiserem vender, banana para eles, a gente iria de Mi-28 com os russos, e ainda comprava uns S-400 para provocar.

RENAN
RENAN
Reply to  Defensor da liberdade
7 meses atrás

Olha o valor realmente investido pelo exército nós últimos anos

Defesa terrestre 2014 R$1.383.613.396,65
Defesa terrestre 2015 R$867.867.860,65
Defesa terrestre 2016 R$1.225.088.468,17
Defesa terrestre 2017 R$1.101.566.025,73
Defesa terrestre 2018 R$1.515.655.660,89
Defesa terrestre 2019 R$802.458.898,42

Média de 1,1 bilhão de reais por ano 0,26 bilhão de dólares por ano. Por este número você tem um panorama como a defesa é levada a sério pelos militares. Agora pesquisa a folha de pagamento e os benefícios, escola para filhos, hospital, financiamento, etc.

sergio ribamar ferreira
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Perfeito comentário. concordo com Sr. Renan . Não só o EB mais as duas outras Forças estão também numa idêntica situação de penúria em equipamentos. Falta de Gestão e “vergonha na cara”. Grande abraço.

ALEX TIAGO
Reply to  RENAN
7 meses atrás

esses numeros são reais???pergunto porque não acabamos o ano de 2019???apenas por isso.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  ALEX TIAGO
7 meses atrás

Caro Alex Tiago acho que não são, pois agora em 2019 oficiais de alta patente das FAAs conseguiram 75% de aumento na folha de pagamentos para o senado e presidência da República aprovar o projeto de reforma previdenciária que eles mesmos fizeram kkkkkkkk.
Quem me dera ganhar 19.000 livres e ainda chegar para meu chefe pedir 75% de aumento no salário para ele aprovar minha aposentadoria especial.

RENAN
RENAN
Reply to  Foxtrot
7 meses atrás

Não estou me referindo a dinheiro de pensão e soldo, estes valores são de investimento

Bille
Bille
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Buenas. Tem que ver os valores do MD também. Tem dinheiro do MD que é repassado ao EB para investimentos, mas no portal da transparência são rubricas do MD.

Na prática, é um pouco mais. Salvo engano a média gira em 2bi.

RENAN
RENAN
Reply to  ALEX TIAGO
7 meses atrás

Portal da transparência atualizado até dia 19/11/2019

pgusmao
pgusmao
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Infelizmente, o orçamento de nossas Forças Armadas é focado em salários, pensões e outras benesses. A prioridade nunca foi e nunca será uma força realmente combativa, temos um remendo aqui outro ali, sempre compras em pequeno número e incompatíveis com o tamanho de nosso território.

PauloOsk
PauloOsk
7 meses atrás

Colombelli, Qual voce acha que o EB vai escolher? E qual vc acha a melhor opção?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  PauloOsk
7 meses atrás

Vou dar me pitaco, precisamos mais de helicopteros de transporte que de ataque.
O ideal são helicopteros do porte do H225M e do H 145.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Eu iria de Cobras e Chinooks…, 2 Chinooks carregam 1 companhia inteira…, no modelo atual de EC-725 precisamos de 4 para carregar 1 companhia

TukhMD
TukhMD
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
7 meses atrás

Chinook não é de uma categoria, em peso de decolagem, acima do EC 725?

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Quem não tem Pitt-Bull , caça com Bull Terrier Cristiano de Aquino…
comment image

Bidone
Bidone
Reply to  PauloOsk
7 meses atrás

Colombelli Creio que existe um equívoco grande seu em comparar Héli de ataque com os LMV. Os Heli são máquinas sofisticadas e representam o que há de mais moderno em operação ofensiva nos BAvex Os LMVs serão carregadores de piano…eles serão as vtr mais demandadas e com maior número de missões na Cav e na Inf em ambientes complexos urbanos. Quanto à sua lista de prioridade, ela me parece voltada para uma ameaça presente urgentíssima. Dotar todas as unidades com armas anti-carro é investir em um armamaneto que perde validade e funcionalidade em um espaço de pouco tempo. Neste sentido,… Read more »

Silas AC
Silas AC
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Correto !
Os investimentos tem que ser pensados para daqui a 20 anos.
Sair comprando Alac e Carl Gustav, só se for para queimar munição “afudê” em manobras.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bidone
7 meses atrás

“Comprar Alac, AT 4 e CG a rodo não constituirá inovação nenhuma ao EB.”

Não é inovação. É adequação. Nós somos deficientes em meios AC e AA a nível unidade.

Bidone
Bidone
Reply to  Alfa BR
7 meses atrás

Perfeito Alfa,
Temos estes armamentos e sabemos usá-los.
Precisamos comprar como se estivéssemos em uma situação de escalada de conflito?

Ou precisamos focar naquilo que não haverá opção de compra imediata e que constitui inovação doutrinária, como a Inf. Mecanizada? E além disso, induz a indústria nacional….
Eu prefiro a segunda opção

Bidone
Bidone
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Me desculpe Colombelli Mas interpretei muito corretamente o que vc disse. Heli de ataque não é prioridade, é uma arma muito sofisticada, cara é para o qual não vislumbramos um cenário de utilização a longo prazo. LMV é feijão com arroz, necessário já, para o qual não temos sucedâneo e com indústria nacional envolvida. Cenários de utilização literalmente batendo na porta. LMV é introdução doutrinária sem paralelo no EB. Nunca tivemos viatura Tática Leve blindada com capacidade de engajamento em combate. Em termos de prioridade, com cobertor curto, o LMV é muito mais importante do que ALAC ou Carl Gustav… Read more »

Bidone
Bidone
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Realmente é difícil debater com vc.
Não falei que armas AC são menos importantes que o LMV.
Falei que não são prioritárias (considerando possibilidades e cenários de utilização)
Já temos Alac e CG. Podemos vir a produzir o Alac rapidamente, para o qual a indústria nacional já está desenvolvendo)
Lmv é prioritário. Será o 1a vtr a ser engajada em um conflito para os cenários desenhados para os próximos 20 anos.
Se vc continua a acreditar em conflitos padrão Saica, direito seu.
Considerando o tom que esta conversa está tomando, sugiro encerrarmos por aqui.

Bidone
Bidone
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Se o comando trabalhasse com o cenário Saica, não estaria adquirindo LMV como está fazendo. Não é isso o que dizem todos os estudos desenvolvidos pelo MD, EM e ESAO.
Aliás….deprimente a situação das Bgda Blindadas. Pq será???

Bidone
Bidone
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Impressionante como vc não é capaz de manter uma linha de raciocínio coerente, somente para prevalecer seu ponto de vista, inclusive se contradizendo.
O que tem o PT a ver com isso?
Vc mesmo dizia, com relação aos LMV, que 900 não eram necessários. Agora está repisando nesta tecla absurda.
Teu batalhão?? Tem orgulho dos M113?
O que importa onde moro??
Começo a dar razão aos que afirmam aqui que é desajustado.

Silas AC
Silas AC
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Realmente desajustado
Não sabe a hora de parar.
Aconteceu a mesma coisa com a menina da sorveteria. Precisou vir a polícia militar.
Ninguém precisa ser chamado para nada. Aqui qualquer um dá sua opinião, principalmente quando um sujeito tenta impor sua ideia com base em dois anos de quartel….a mais de 20 anos.
Cavalgadura não aceita ser contrariado.
Toma jeito seu infantil. Cresce para a vida e para o respeito aos outros.

Castro
Castro
Reply to  Bidone
7 meses atrás

“Nunca falei que era ou não necessário 900 LMV disse que isso era a necessidade da cavalaria (…).Pra mim não é necessario nenhum”

Deu curto circuito no cérebro.
Fez curso com a Dilma de raciocínio lógico.

Bidone
Bidone
Reply to  Bidone
7 meses atrás

Rapaz
Vc está precisando mesmo de um corretivo.
É valente somente contra mocinhas atrás de um balcão de sorveteria?
Pelo que sei faltou coragem de falar mal de oficial pela frente.

Léo Neves
Léo Neves
Reply to  PauloOsk
7 meses atrás

Colombelli
Tem agora a nova versão do Mi-28 com novo radar , comandos duplicados , motor atualizado , novos sensores e a possibilidade de disparar novas armas inclusive um novo míssil com 25 km de alcance .

Bardini
Bardini
7 meses atrás

As duas grandes vantagens do AH-1Z são a escala e o financiamento.
.
Mas a preferência sempre foi pelos benefícios que os italianos podem oferecer…

samuka
samuka
Reply to  Bardini
7 meses atrás

Quais seriam esses benefícios Bardini?

Bardini
Bardini
Reply to  samuka
7 meses atrás

Benefícios para a indústria local…

Mauricio R.
Reply to  Bardini
7 meses atrás

Se for nos moldes da Helibrás, desde já dispenso, não faz falta.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Bardini
7 meses atrás

Quais seriam os benefícios Bardini???

Juarez
Juarez
Reply to  Tomcat4.0
7 meses atrás

Boa tarde Tomcat. O benefício seria restrito ao EB e o GF entrarem com o orifício retal e os turcos com o pênis em condição de altíssima excitação, emplico: Para o número de anvs pretendidas não tem o menor sentido prático, técnico e financeira de produzir aqui por questão de escala de produção que ficará inviável. Acontecera a mesma coisa que está acontecendo com os EC 725, caros, cheios de restrições e até hoje apesar das promessas da “faz de contra copter” não se exportou sequer um parafuso deles . A melhor opção para o EB e um Heli ocidental… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Eu não sabia que o EC725 era de origem oriental. Sempre achei que a França era na europa ocidental.

Mauricio R.
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

Creio que foi uma referência transversal ao T-129 turco.

Juarez
Juarez
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
7 meses atrás

A bem da verdade, a origem dele é “acidental”, pois não tem DNA militar, apresenta sérias restrições operacionais em função dos problemas com power train, que prejudicam o cumprimento da missão, jogam seus custos para a estratosfera, os quais pessoas como você que acham lindo pagam a conta.

RENAN
RENAN
7 meses atrás

Amigos gostaria muito da opinião de todos O que é mais interessante para o a nação brasileira. Um helicóptero puro sangue de ataque ou um intermediário. Exemplo um AH-1Z irá destruir o que precisa mais não fará outra tarefa a não ser atacar um inimigo ou proteção de um comboio. Já o AH2 Sabre cumpre no nosso TO a missão de escolta e destrói alguma coisa na missão de ataque. Além disso pode socorrer um ferido, pode levar 8 fuzileiros armados em uma infiltração, ou mesmo levar munição e suprimentos para uma equipe avançada. Pois tem blindagem e armamentos para… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Prezado O Sabre não faz isso. Ele não tem o desempenho em voo (manobrabilidade) pra voo tático como os outros He Atq. Não é por menos q a própria ex-URSS e hoje Russia adotam He Atq como o ocidente. A doutrina sovietica pensava diferente e viu q não dava. (isso acontece, quando se põe em prática o q é testado em exercício – exemplo de como a OTAN empregava o Tornado IDS em Atq, e viu q tinha de ser diferente durante a Tempestade do Deserto). A ideia sovietica era, se não desse pra manter superioridade aerea por tempo suficiente,… Read more »

Silas AC
Silas AC
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Renam, O Agnelo destrinchou o problema do Sabre. Entretanto, na minha opinião, é um valioso vetor a ser utilizado em operações onde os MANPads não estejam presentes. (Afinal, é para isso que serve o serviço de inteligência – identificar o tipo de ameaça e força do oponente) – Combate à noite, com poderosos canhões 23 mm; – Dispõe do único míssel AC no inventário das FFAA É evidente que, para os pilotos, ele é um pato (anda pouco, nada pouco e voa pouco), mas todo o infante gostaria de ter um sobre a sua cabeça. Mas será que o A-29… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Silas AC
7 meses atrás

Na verdade, na função CAS, eles se complementam. No Vietnã isto ocorreu com frequência com. H zao, Cobra, e o Skyraider fazendo o “Sandy”.

Silas AC
Silas AC
Reply to  Juarez
7 meses atrás

Ahhh Juarez…
Vietnam era na época que cada função tinha um avião específico.
Hoje não é mais assim

Mauricio R.
Reply to  Silas AC
7 meses atrás

Não, o ST também não é vacinado contra “manpads”, seu desempenho cinemático não permite.

Bille
Bille
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Honestamente, o Brasil precisa de uma máquina que opere, que cumpra a missão. 1- H60 2- H60 armado (padrão Colômbia) No TO da AL, não há ameaça que não possa ser enfrentada com H60 armado. Mas ele precisa de um míssil AC ou tipo TOW/hellfire para ataques contra AAe S300 ou AC mesmo. Faz muito mais sentido e fica muito mais em conta, e da pra pagar. O resto é utopia ou sexo dos anjos. O Sabre é a única aeronave do acervo das 3 FA que é completamente equipada com capacidade de sobrevivência a qualquer ameaça (inclusive DQBRN). Os… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Bille
7 meses atrás

Em se tratando de helicóptero de ataque e nas possíveis missões no horizonte da força, será que não seria mais importante contar com um bom canhão, capacidade de operar com tanque extra de combustível e ainda transportar boa quantidade de foguetes burros? . Não que o míssil não seja importante, claro que é, só não o enxergo como sendo um fator principal para o Brasil que demandaria a aquisição de algo como o Arpía III. . Eu sei que o Battlehawk tem a opção de ser equipado com canhão GIAT e integrado ao HMD, mas aí não seria encarecer a… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Bille
7 meses atrás

Sr. Bille. Concordo e gostei do seu comentário. Acredito que poderíamos encomendar mais algum esquadrão. Porém depende da FAB, MD… a mesma história de sempre. Questão de manutenção: já existe uma empresa responsável pela manutenção dessas aeronaves em MG.
Grande abraço.

Juarez
Juarez
Reply to  Bille
7 meses atrás

Não e que os Peruanos preferem o MI 24, e que doutrina operacional de asa rotativa deles e toda de origem russa, portanto natural esta preferência.
Tu bem sabes que hoje temos três lotes distintos de Mi 35 na FAB o que tornou a diagonal de manutenção um pesadelo logístico.
Agora, independente do que o EB quiser, nos próximos cinco a sete anos, não tera condições nem de manter e operar qualquer Anv de ataque orgânica.

Mauricio R.
Reply to  Bille
7 meses atrás

Não precisamos de “H-60 padrão Colômbia”, podemos comprar o padrão da própria fábrica:

(https://youtu.be/eYHQs9hJ0gQ)

Se não temos com ter, operar e manter nenhum helicóptero de ataque puro sangue, podemos muito bem nos virarmos com as capacidades que aquilo que já está no inventário pode nos oferecer.

Bidone
Bidone
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Silas, Bille, Bardini,

Percebi anteriormente que é heresia neste espaço creditar qualidades de combate ao Sabre.
Entendi mal ou vcs aprovam a introdução do vetor no inventário das FFAA ????

Filipe Prestes
Filipe Prestes
7 meses atrás

Podia tomar vergonha e abrir essa carteira checa pra comprar o C-390 também. Digo o mesmo de dona Argentina

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Filipe Prestes
7 meses atrás

Argentina? Kkkkkk ali já era! O bom é que vai ficar mais barato ir para Bariloche.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Filipe Prestes
7 meses atrás

Vergonha porquê? Vocês compram algo deles também? O dinheiro é deles e compram o que querem a quem querem. Não vos devem nada.

Jhon
Jhon
7 meses atrás

Brasil escolheu o Vaiper, vaipertando o cinto! Tem que pagar as pensões de filhas do amigo da amante do oficial…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

Acredito que devemos e necessitamos de aeronaves puro sangue de ataque,oque seria uma grande evolução para a AvEx. Muitos gostariam de ver poderosos Apaches por aqui,assim como russos ou helicópteros ocidentais como AW-129 mangusta ou Airbus Tiger e até o T-129 ATAK. Acho que devemos adquirir aquilo que a atual situação pode nos deixar adquirir,se vier o Bell AH-1Z viper ou W que venha, Mas que possamos adquirir oque possamos operar e oque o bolso possibilita,pois não adianta adquirir uma aeronave como um apache e ele ficar como aeronave de exposição. E se não der para adquirir um sangue puro,que… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

Mauricio R.
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

Socorro, sucata francesa de H-155 reciclada!!!!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Mauricio R.
7 meses atrás

Para quem não tem grana para comprar puro sangue zero quilometro,”sucatas” europeias dessa caem muito bem em países com bolsos não tão fundos ou mal gerenciados…

Quem pode vai de apache,quem não pode vai até de Bell KIOWA Warrior ou até de AH-6 Little Bird.

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
7 meses atrás

“” ….Quanto antes nos livrarmos da dependência da tecnologia russa, melhor. “”

Ingratos, depois de tudo de bom que a URSS fez por voces kkkk

Gilbert
Gilbert
7 meses atrás

E muito triste mas nosso governo ao que parece só tem tempo para brigas politicas, não tem tempo para investir nas nossas Forças armadas.
Eu gostaria muito que o nosso corpo de fusileiro da MB tivessem ao menos meia duzia desse helicópteros de ataque para mobiliar o o nosso PHM Atlântico.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Gilbert
7 meses atrás

Quem dera… UH-1W ou algo mais!

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

MMerlin
MMerlin
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

Uma pena mesmo.
Se fosse efetuada a compra, que é casada com a atualização, teríamos a garantia no uso da aeronave até 2030. Claro que deve existir um limite de horas/voo, mas já vai contra o que alguns argumentam de que seriam entregues “no osso”.
O Super Cobra é um dos melhores custos benefícios de sua categoria.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

Quando vejo esta foto eu fico triste, não sei porque .rs

Mauricio R.
7 meses atrás

Se você que ter e operar antes de mais nada, capacite sua indústria a fornecer:

comment image?w=800&h)

Agora se a indústria só está interessada em ser EED, compre de prateleira e deixe-a morrer seca!!!!
Larguem de leva-la pela mãozinha, não merece.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Mauricio R.
7 meses atrás

Grande feito dos turcos,que além de construir o helicoptero,vem equipado com eletrônica nativa…

comment image?w=600&ssl=1

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
7 meses atrás

comment image

Mauricio R.
7 meses atrás
Mauricio R.
6 meses atrás

Turquia lança desenvolvimento de motorização para helicópteros:

(https://disq.us/?url=https%3A%2F%2Fwww.snafu-solomon.com%2F2019%2F12%2Fturkey-starts-ts3000-engine-project.html&key=QWYtD8D-sBguxKGqSbCMPw)

Já tá ficando chato isso, sempre eles…