sábado, setembro 18, 2021

Saab RBS 70NG

Estágio de artilharia antiaérea para militares recém-egressos de escolas de formação

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Sete Lagoas (MG) – O 4º Grupo de Artilharia Antiaérea (4º GAAAe) realizou, no período de 9 a 19 de agosto, o Estágio de Artilharia Antiaérea para oficiais e sargentos recém-egressos das escolas de formação do Exército Brasileiro.

A atividade teve por objetivos apresentar as responsabilidades, capacidades e vulnerabilidades da Artilharia Antiaérea no âmbito do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA); e ainda, capacitar e adestrar os estagiários a compor uma Seção de Artilharia Antiaérea. Foram contempladas instruções teóricas e práticas relacionadas à instalação e operação dos sistemas de armas e do sistema de controle e alerta.

Como conclusão, foi realizado o exercício no terreno em Sete Lagoas, em que os estagiários participaram do planejamento e da execução de uma defesa antiaérea móvel e de uma defesa antiaérea de ponto sensível.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pensador Contemporâneo
Pensador Contemporâneo
24 dias atrás

Acredito que se o Brasil investisse mais em sistemas de mísseis, estaríamos muito mais seguros. Pensem comigo, o Brasil não entra em guerra, mesmo assim precisamos ter meios eficazes para nos defender nossa soberania. Porque ao invés de termos uma ilusão de ter uma marinha bem equipada, coisa que nunca irá acontecer, não investimos em misseis de longo alcance e instalamos essas baterias por toda a costa brasileira? Poderíamos abater qualquer ameaça ainda em águas internacionais. Deveríamos manter somente poucos navios patrulhas e submarinos.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Pensador Contemporâneo
23 dias atrás

Discordo.
Praticamente 100% de nosso comércio internacional é feita por via marítima, além de termos uma ZEE gigantesca.
Não dá pra patrulhar ZEE e prevenir pesca ilegal com míssil baseado em terra.
É ( ou deveria ser ) obrigação de nosso país ter uma Marinha bem armada e equipada, condizente com isso.

Pensador Contemporâneo
Pensador Contemporâneo
Reply to  Willber Rodrigues
23 dias atrás

Prezado Willber, concordo em partes com seu contra argumento. Conforme eu disse anteriormente, devemos manter alguns meio navais de superficie. Mas porque motivos devemos manter um porta aviões ou porta helicópteros sendo que o custo operacional deles são altíssimos. Porque devemos prosseguir com o projeto de um submarino de Propulsão Nuclear se não teremos mais do que 1 ou 2 desses. São pensamentos muito utópicos imaginar que teremos um grande marinha algum dia. Melhor investir nas forças de fuzileiros e quadros técnicos e em uma defesa consistente. Temos poucos recurso para manejar e tem que ser bem investido para a… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Pensador Contemporâneo
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Pensador Contemporâneo
23 dias atrás

Como todo o respeito, mas discordo novamente. As maiores ameaças que tivemos nos últimos 100 anos ( 1° e 2° Guerras Mundiais, e aquele incidente infeliz com os franceses na “Guerra da Lagosta” que, felizmente, foi resolvido de maneira diplomática ) veio do além-mar. Eu faço parte daqueles que achariam ótima que o Brasil tivesse subs convencionais + nucleares. Se a nossa realidade não permite isso, por “N” fatores, aí são outros 500… “São pensamentos muito utópicos imaginar que teremos um grande marinha algum dia” Não precisamos de uma grande Marinha. Precisamos de uma Marinha que tenha a mínima capacidade… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Willber Rodrigues
23 dias atrás

é por isto que dentre outras coisas, acho que EB e Fuzileiros devem ser entupidos de misseis variados terra-terra, terra superfície (embora hoje em dia a multifunção vá ganhando espaço) e terra -ar, modernos e de varios ranges de alcance….modulares….pois assim, o equipamento pode ser desdobrado no ambiente que mais convier a defesa…se for no mar que vá ao mar equipando cascos multitarefas…se for na praia que seja na praia…se for no continente, que seja no continente….tem muito equipamento modular de primeiro nivel capaz disto….

este da materia é um exemplo multifunção….

Agressor's
Agressor's
Reply to  Pensador Contemporâneo
23 dias atrás

“Deus tenha misericórdia dessa nação”

Eduardo Cunha.

Igor Campos de Almeida Lima
Igor Campos de Almeida Lima
Reply to  Pensador Contemporâneo
23 dias atrás

Meu caro, boa noite. Em minha humilde opinião (lembrando aos foritas que, enquanto contribuintes, todos podemos opinar), deveria haver uma reflexão pela parte da Marinha. Ser uma Marinha de guerra implica em ter meios de dissuasão (neste caso, deveríamos ter mais submarinos, já que temos uma grande fronteira marítima) e estabelecer um “inimigo”, mesmo que virtual, para direcionar a estratégia de guerra. Se for para policiar a ZEE de ações de pirataria ou mesmo de sabotagem de plataformas, então ela tem que assumir que é uma guarda-costeira vitaminada, e comprar mais corvetas. Concordo que UM submarino nuclear não é nada,… Read more »

Bosco
Reply to  Igor Campos de Almeida Lima
23 dias atrás

Dando o meu palpite, eu considero que a MB tem seguido um caminho interessante. Ela investiu nos meios distritais e em navios de assalto/multipropósito. Tem em vista os submarinos e as fragatas e o submarino nuclear tá caminhando. Tem ainda os helicópteros armados com mísseis, em que pese a quantidade ser reduzida. Não acho interessante termos lançadores costeiros. São armas engessadas , caras e com prazo de validade. Esses mísseis instalados em aviões, submarinos, navios e helicópteros são muito mais flexíveis, e as plataformas servem a vários propósitos. Considero que deva haver algum investimento na defesa antiaérea das bases navais.… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Alexandre Galante
Bosco
Reply to  Bosco
23 dias atrás

Eita! Esse negócio de fazer a correção tá com problema. Fui corrigir um erro de português e ficou duplicado o comentário. Peço desculpas.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bosco
22 dias atrás

Missies conteiraveis…e como misseis modernos ganharam multifunção, melhor ainda…Club K, Lora, o proprio RBS 70 poucos comentam mas é multifunção….esteja onde estiver, se iluminar o feixe em cima, pega heli, avião, Blindado, lancha, navio….se estiver nos 5km a 8 km ele pega….

Alfa BR
Alfa BR
23 dias atrás

Dotação de Unidades de Tiro prevista para o 12º Grupo de Artilharia Antiaérea de Selva (12º GAAAe Sl) quando alcançar seu estado pleno:
comment image

6 x RBS-70
24 × Igla-S

Atualmente a unidade conta com apenas uma Bateria de Mísseis constituída por duas Seções de Míssil IGLA (4 unidades de tiro IGLA-S cada, 8 no total) e uma Seção de Míssil RBS-70 (4 unidades de tiro RBS-70).

Bosco
Reply to  Alfa BR
23 dias atrás

Alfa, Sem querer ser chato e preciosista mas o Exército usa umas terminologias meio que sem noção às vezes. O termo “mísseis telecomandados” não é tecnicamente correto para o RBS-70. O míssil RBS-70 é “autoguiado” em que pese não ser “autônomo” e precisar de um feixe laser percebido pela traseira para ir na direção do alvo designado. Nesse processo o míssil vai por conta própria, sem receber “comandos” da unidade lançadora. Seu processador é “inteligente” o bastante para seguir o feixe laser por conta própria sem precisar seguir ordens de fora. Em tese vários mísseis podem ser lançados contra um… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Bosco Jr
Bosco
Reply to  Bosco
23 dias atrás

Ah! Antes que me esqueça o outro míssil teleguiado operado atualmente pelas Forças Armadas Brasileiras é o Ataka junto ao helicóptero Mi-35 da FAB. É um sistema SACLOS por RF.

Igor Campos de Almeida Lima
Igor Campos de Almeida Lima
Reply to  Bosco
23 dias atrás

Caro Bosco, boa noite!

É sempre um prazer aprender com suas observações! Obrigado pelas explanações sempre ricas e de valor agregado!
Um abraço do Rio de Janeiro!

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bosco
23 dias atrás

Nobre Bosco, sempre bom ler seus comentários. Sua ausência já preocupava.

Quanto as terminologias e nomenclaturas usadas pelo EB, saiba que são confusas mesmo. Experimenta dar uma conferida no material sobre funcionamento das armas, principalmente sobre os sistemas de operação, coisas como “tomada de gases na câmara”.

Teropode
23 dias atrás

Pelos equipamentos esta tropa dita antiaérea vai atuar após uma invasão e a aniquilação das forças regulares , estes então passam agir como guerrilheiros , aliás pode seriam utilizar stingers também , o Talibã usou bastante , com ótimo aproveitamento .

Bosco
Reply to  Teropode
23 dias atrás

Terapode,
Talibãs???
Não foram os Mujahidins não?

Teropode
Reply to  Bosco
23 dias atrás

A é 😬🤭 ! Um lapso de memória …..

Bille
Bille
23 dias atrás

A nossa prioridade é a defesa territorial, defesa das fronteiras e proteção da ZEE. A defesa antiaérea logicamente é a lacuna mais grave para um país que se propõe a não invadir nenhum outro país e somente defender seu território. Mas nenhuma força tem por prioridade a defesa antiaérea. Se a definição dos projetos viesse de forma conjunta, otimizando o orçamento e considerando os cenários possíveis e a premissa de defender o território, fronteira e a ZEE, eu acredito que as prioridades seriam: 1- antiaérea médio/longo alcance 2- gripen (policiamento do espaço aéreo, defesa Aerea, ataque ao solo e defesa… Read more »

ALISON
ALISON
23 dias atrás

Toda vez que fala de defesa antiaérea no Brasil nós lembramos desta vergonha…. É até mais deprimente que a situação das escoltas navais…

Slow
Slow
Reply to  ALISON
23 dias atrás

Essa aérea sem dúvida é uma das maiores vergonha , se não for a maior .

Victor Filipe
Victor Filipe
23 dias atrás

Gepard, RBS-70, Igla, Bofos 40mm. e a “defesa” anti-aerea brasileira se resume nisso

E bom a FAB comprar muitos gripens, o exercito é incapaz de se defender minimamente de ataques aéreos sozinho.

rdx
rdx
Reply to  Victor Filipe
23 dias atrás

De fato, o EB não é capaz de se proteger contra drones, foguetes, mísseis táticos e caças armados com munições guiadas. A defesa AAer do EB possui alcance máximo de 9 km e teto de 5 mil (RBS-70NG). A capacidade C-RAM é nula.

Últimas Notícias

Saab recebe pedidos de Carl-Gustaf M4 e munições

A Saab recebeu pedidos para o rifle sem recuo Carl-Gustaf® M4 com munição incluída. O valor do pedido combinado...
- Advertisement -
- Advertisement -