sábado, setembro 18, 2021

Saab RBS 70NG

Sabre original do Duque de Caxias será exibido em cerimônia do Dia do Soldado

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Brasília (DF) – O sabre utilizado pelo Patrono do Exército Brasileiro, o Duque de Caxias, nas campanhas que o marcaram na história do Brasil será exposto na solenidade alusiva ao Dia do Soldado, no próximo dia 25. Esta é a quarta vez em toda a história que a relíquia sai das dependências do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), no Rio de Janeiro, para ser exposta em uma cerimônia externa.

Adquirido pelo então Barão de Caxias em 1841, o sabre o acompanhou nas campanhas de pacificação das revoltas liberais em Minas Gerais e São Paulo; na pacificação da revolução Farroupilha; nas batalhas da Guerra do Prata; e na Guerra da Tríplice Aliança. De acordo com o Capitão Antônio Ripe, historiador militar, o sabre que será exposto no dia 25 foi o mesmo que Caxias ergueu para inflamar as tropas brasileiras na histórica Batalha de Itororó, na Guerra da Tríplice Aliança.

“Ele é mencionado pelo ex-ministro Dionísio Cerqueira no episódio do Itororó, ocasião em que o Duque de Caxias passou, com seu sabre desembainhado, em frente às tropas e se lançou contra a Ponte do Itororó, dizendo: ‘Sigam-me os que forem brasileiros’. Esse ato inflamou a todos na tropa brasileira, que se lançou ao combate e venceu a batalha”.

O sabre permaneceu em posse do Duque até sua morte e foi deixado em testamento para o Brigadeiro João de Souza da Fonseca Costa, ex-chefe do estado-maior de Caxias e amigo pessoal do general. Em 1925, a relíquia foi doada ao Instituto Histórico Geográfico Brasileiro, que detém sua guarda até os dias de hoje. Desde que passou a ficar sob os cuidados do Instituto, o sabre de Caxias havia saído apenas por três vezes: em 1939, em 1978 e em 1980, na ocasião do centenário da morte do Duque.

“O sabre é a perenização da imagem do Duque de Caxias. Foi o instrumento com o qual o Duque cumpriu sua missão de liderança e tornou-se o Pacificador. E é uma espada invicta, uma vez que, com ela, o Duque jamais perdeu uma batalha”, destacou o Capitão Antônio Ripe.

Sabre

Arma de combate com 92 cm de comprimento, o sabre possui punho liso e branco de marfim ou osso. A cruzeta, em metal dourado, mede cerca de 15 cm e possui, no seu centro, a face esculpida de um leão, e, nas abas laterais, dragões que simbolizam a Casa de Bragança. Na lâmina, estão lavrados florões e motivos fitomórficos e militares, uma coroa, uma panóplia com troféus de guerra, o brasão imperial e a inscrição “Duque de Caxias”.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

- Advertisement -

12 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4,2
24 dias atrás

Belíssimo sabre e um símbolo de bravura em prol de uma nação, da pátria e seu povo!!!
Parabéns soldados por decidirem ,optarem por defender a nação seja de desafetos externos ou internos.

Nascimento
Reply to  Tomcat4,2
24 dias atrás

Espero que o EB deixe a política para os civis. Se for pra virarmos uma Argentina da vida, que seja ao menos culpa dos civis e que os mesmos arquem com isto. Após o golpe da república em 1889, Golpe de 1930 e Golpe de 1964, que vão marcar as FAs como uma instituições não confiáveis. As ”inxtituissoins di ixtadu democraticu di direitu” tem um orçamento amarrado de tal forma que sobra quireras para investimento e um remanejamento de verbas implica em mudanças nas leis, o que esbarra no congresso e, se passar por este, no STF, que bloqueia qualquer… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Nascimento
Nascimento
Reply to  Nascimento
24 dias atrás

Entendo seu ponto, não atoa o endossei.

Só digo que a democracia, da forma que está no Brasil, com privilégios garantidos ad eternum, não será nunca garantia de desenvolvimento. O México e a Argentina também são democracias, e vão continuar sendo os ”shithoole” de sempre, sem nenhuma reforma estrutural necessária sendo feita.

Leandro Malheiros
Leandro Malheiros
Reply to  Nascimento
24 dias atrás

Por favor, perdoe por me intrometer, mas é inevitável.
Segundo Churchill em 1947 “A democracia é a pior forma de governo, com exceção de todas as demais”, falo isso por que os tempos em que vivemos, com o populismo em alta, e o surgimento da pós-verdade, guardam semelhança com o período em que essas proféticas palavras foram ditas.

Last edited 24 dias atrás by Leandro Malheiros
Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Nascimento
21 dias atrás

Tem uns que invocam a democracia somente para defender privilégios. Devemos aperfeiçoar a nossa e eliminar tais privilégios.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Nascimento
24 dias atrás

fala-se tanto em politização do EB, mas teve um certo partido que não muito saiu do Executivo, e disse que seu erro foi não ter doutrinado o Exército para combater o que eles chamaram de golpe, atualmente esse mesmo povo acusa o atual chefe do Executivo de fazer o que eles querem fazer se voltarem ao poder.

Gabriel
Gabriel
24 dias atrás

Começo meu comentário dando parabéns ao Exército Brasileiro e a seus soldados, pelo 25 de agosto.

Se existe uma Instituição que defendeu nosso país contra invasões estrangeiras, revoltas e i6golpes internos, foi o EB.

Se existe uma Instituição que respeita a CF e a vontade do povo, é o EB.

Se existe uma Instituição que durante toda sua história não se tornou partidária, foi o EB.

É perfeito? claro que não! existem muitos pontos a serem aprimorados, mas continua, mais do que nunca, com sua maior virtude, que é a união interna, respeitando sempre a hierarquia e a disciplina.

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
Reply to  Gabriel
23 dias atrás

É o que? o exercito defendeu o país de golpes internos? amigo, o exercito é o autor dos golpes internos, primeiro golpe militar foi o de 1889 que levou a ditadura Deodoro/Floriano, depois veio o golpe de 1930, 1937, 1945 e 1964, todos os golpes dado pelo exercito e sempre pelo mesmo motivo, derrubar o sistema que eles mesmo fundaram no golpe anterior. O exercito foi glorioso na defesa da nação contra inimigos externos, isso é inquestionável e motivo de orgulho para todo brasileiro, agora, o papel do exercito no decorrer da historia politica brasileira é horrenda, 5 golpes e… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Plinio Carvalho
Gabriel
Gabriel
Reply to  Plinio Carvalho
23 dias atrás

O Exército participou na história política brasileira nos momentos que foi chamado a participar, principalmente por não existir politicos civis capacitados para gerenciar as situações.

Espero que não volte a acontecer, apesar da incapacidade histórica da classe política.

Professor
Professor
Reply to  Plinio Carvalho
22 dias atrás

Em 1964 se o EB não age viraríamos uma Cuba gigante, com milhões de mortos. Hoje seríamos muito pior que a Venezuela. Isto se ainda existisse um país pois a tendência seria se dividir como a URSS quando acabou. Infelizmente não dá para termos um EB como o US Army que não se mete em nada político pois as instituições aqui são frágeis e criadas por salafrários ladrões que buscam apenas se eternizar com suas maracutaias e vantagens, para sempre. Temos famílias como os Maia, os Calheiros, os Gomes e inúmeras outras, passando de pai para filho as boquinhas e… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Plinio Carvalho
21 dias atrás

Simplesmente porque a casta politica do Brasil é corrupta e não presta.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
21 dias atrás

Um sabre lindo .
Um povo sem história é um povo sem respeito e sem destino.
Todos aqueles que fizeram nossa história, mesmo que a ferro e fogo.
Dentro do contexto e circunstâncias. E deram o melhor de si em favor da pátria. Merecem a eterna lembrança e gratidão de seus compatriotas. Foi este brasileiro que ajudou manter e nos legou este país grande. Que ao contrário da américa espanhola não se fragmentou.

Últimas Notícias

Saab recebe pedidos de Carl-Gustaf M4 e munições

A Saab recebeu pedidos para o rifle sem recuo Carl-Gustaf® M4 com munição incluída. O valor do pedido combinado...
- Advertisement -
- Advertisement -