terça-feira, setembro 28, 2021

Saab RBS 70NG

Coreia do Norte testa novo míssil de cruzeiro de longo alcance semelhante ao Tomahawk

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Coreia do Norte disse que testou com sucesso um novo modelo de míssil de cruzeiro de longo alcance neste fim de semana, no último sinal de que o regime está tentando reforçar sua capacidade de ataques nucleares contra o Japão e a Coreia do Sul.

Os mísseis voaram em “órbitas de voo padrão 8” por mais de duas horas no sábado e no domingo, cobrindo cerca de 1.500 quilômetros (930 milhas) sobre a terra e as águas da Coreia do Norte antes de atingir os alvos, disse a Agência Central de Notícias da Coreia na segunda-feira. Esse alcance seria suficiente para atingir a maior parte do Japão, e a reportagem da KCNA chamou o novo míssil de “arma estratégica de grande significado”.

Os testes, se confirmados, seriam os primeiros lançamentos de mísseis da Coreia do Norte desde o lançamento de dois mísseis balísticos de curto alcance em março. Eles foram anunciados enquanto o enviado nuclear do presidente dos EUA Joe Biden, Sung Kim, estava indo para a Ásia para conversações com contrapartes do Japão e da Coreia do Sul com o objetivo de trazer Pyongyang de volta às negociações de desarmamento paralisadas.

A agência nuclear da ONU disse no mês passado que a Coreia do Norte retomou as operações de produção de plutônio em sua instalação nuclear de Yongbyon, por volta de julho. Pyongyang também encenou seu primeiro desfile militar desde que Biden se tornou presidente na semana passada, com Kim Jong Un presidindo um evento com exibições reduzidas de armamento e sem mísseis.

Ao contrário dos mísseis balísticos que voam em uma trajetória arqueada e não são propulsados na descida, os mísseis de cruzeiro são propulsados durante o voo e geralmente são mais manobráveis.

Jeffrey Lewis, diretor do programa de não proliferação do Leste Asiático do Instituto de Estudos Internacionais de Middlebury em Monterey, disse que sua capacidade de voar abaixo do radar e escapar dos sistemas de defesa se encaixa no objetivo de Kim de impedir um ataque liderado pelos EUA.

“O plano de guerra da Coreia do Norte é atacar preventivamente as forças dos EUA na Coreia do Sul e no Japão se uma invasão parecer iminente”, disse Lewis. “Os mísseis de cruzeiro oferecem vantagens significativas em termos de surpresa, penetração de defesas e precisão.”

Não houve confirmação dos detalhes oferecidos pela Coreia do Norte pelos EUA e seus aliados. O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul disse que está analisando os relatórios em cooperação com a inteligência americana.

O Comando Indo-Pacífico dos EUA disse: “Estamos cientes de relatos de lançamentos de mísseis de cruzeiro da RPDC. Continuaremos monitorando a situação e estamos consultando nossos aliados e parceiros ”, referindo-se à Coreia do Norte pelo nome formal.

FONTE: Bloomberg

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fábio
Fábio
15 dias atrás

Ao que parece, o jovem Kim é mais efetivo do que o pai, haja vista a quantidade, e qualidade, de novas armas que foram desenvolvidas em seu período no poder. Todavia, acho que é cada vez mais óbvio que existe alguma ajuda chinesa, até porque é do interesse deles manter o equilíbrio de poder na peninsula coreana.

Last edited 15 dias atrás by Fábio
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fábio
15 dias atrás

Fábio

Se vc assistir vídeos de turistas que foram à Coreia do Norte (existem muitos no Youtube), perceberá que eles relatam a enorme quantidade de chineses por lá.
Principalmente turistas.
A influência chinesa na CN é muito e parece que recentemente, Kim e Jinping reforçam os laços de amizade e cooperação econômica.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Fábio
14 dias atrás

É impressionante os avanços da CN, (detesto o regime deles) mas chama atenção que um pais com tão poucos recursos e enormes embargos, consegue tais avanços tecnológicos. Trata-se claramente de prioridades e obstinação.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Rodrigo
14 dias atrás

Não é impressionante, é triste…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rodrigo
14 dias atrás

Sim, mas também há muita ajuda chinesa e no caso específico de seu avanço na área de armamento nuclear, tiveram uma valiosa ajuda do Paquistão, o que lhe permitiu um grande salto tecnológico.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Allan Lemos
14 dias atrás

Ola Allan,

Concordo, mas de certa forma não deixa de ser uma “transferencia de tecnologia”. Meu ponto é, independente de forma (espionagem, negociações com outros países ou tecnologia propria) a CN mesmo com restrições severas consegue incorporar armamento de ponta. E nós brasileiros avançamos pouco em comparação.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Rodrigo
13 dias atrás

Claro, grande exemplo, o povo morre de fome e não pode sequer protestar, mas tem armas caras, e ainda lhes elogiam as prioridades, este mundo está perdido.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  rui mendes
13 dias atrás

Rui, talvez você não tenha entendido, não fiz elogio as prioridades da CN deixei claro em “(detesto o regime deles)”, em nenhum momento, apenas resaltei a diferença de ter prioridades e não ter.

Antoniokings
Antoniokings
15 dias atrás

Analistas militares consideram que isso muda o patamar da situação na Península coreana.
Aguardemos os desdobramentos.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Antoniokings
15 dias atrás

ué, em uns comentários anteriores você disse que o tomahawk era defasado, pois era subsônico . Agora afirma que “analistas militares consideram que isso muda o patamar da situação na Península coreana”

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Heinz Guderian
15 dias atrás

Defasado para quem conta com os modernos sistemas de defesa anti-aérea como russos e chineses.
Se lançarem contra russos ou chineses, as chances de serem abatidos são gigantescas.
Contra americanos ou sul-coreanos, inimigos da CN, as chances de sucesso são consideráveis.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
15 dias atrás

rsssssrssss
Toinho, você é impagável!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
14 dias atrás

Esse sistema falhou quando os iranianos atacaram as bases americanas.
Falhou quando os houthis atacaram as instalações sauditas.
Nada mais natural de acontecer quando os norte-coreanos atacarem os EUA ou os sul-coreanos.
Não tem lógica?

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

Toinho, O que falhou foi a IADS da AS que não proveu as camadas necessárias de defesa AA e deixou tudo nas mãos do Patriot. Se é que deixou porque eu não acredito muito na mídia. É como eu disse num outro comentário sobre a AS, se você precisa de um alicate não adianta só ter um martelo. A AS tem sistemas SHORAD competentes mas a mídia leiga não sabe e não se interessa e o que da “ibope” é dizer que o Patriot falhou. Nem sei se havia Patriots nesses cenários. Se havia tinha que ter uma cobertura de… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

Toinho, Dizem que até relógio parado tá certo pelo menos duas vezes por dia. Nesse seu comentário completamente carregado de preconceito você até que tem certa razão. Não em relação à Coreia do Sul, que é muito bem defendida por sistemas SHORAD bem efetivos contra esse míssil de cruzeiro norte coreano, mas sim em relação aos EUA. Desde a SGM o USA delegou o grosso de sua defesa contra ameaças aéreas à USAF. Da década de 80 pra cá a preocupação do USA foi a defesa contra ameaças balísticas e daí surgiram variados e excelentes sistemas, mas de fato a… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
14 dias atrás

Correção:
“A evolução dos sistemas continuam e no futuro próximo o USA e o USMC contarão com sistemas variados e consistentes para cobrir um certo relaxamento de décadas.”

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Antoniokings
14 dias atrás

Viajou na maionese companheiro. O sistema de defesa anti aéreo da empresa Sul Coreana Hanwha, o Biho K30 venceu os sistema russos Tunguska e Pantsir numa concorrência internacional na India em 2013.

Os russos não aceitaram bem a derrota e impuseram novo processo de avaliação e desde então a licitação está suspensa.

https://www.defensenews.com/global/asia-pacific/2018/12/18/russia-wants-back-in-on-indias-gun-and-missile-system-competition/

sub urbano
sub urbano
15 dias atrás

Era a unica coisa q faltava no arsenal de misseis norte coreano. Não custa relembrar que a Coreia do Norte possui misseis balisticos capazes de atingir a costa oeste dos estados unidos além de um SLBM lançados de submarinos de 1000 toneladas de deslocamento.

gordo
gordo
15 dias atrás

Pelo andar da coisa os EUA e aliados vão ter que engolir a Coreia Norte já que não há como frear os objetivos deles. Se tinham que fazer alguma coisa era lá nos meados dos anos 90, agora o custo de uma ação se torna proibitivo.

sj1
sj1
Reply to  gordo
15 dias atrás

Poe a cara

Bosco
Bosco
15 dias atrás

Os sul coreanos têm o Hyunmoo-3 com desempenho semelhante.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Bosco
14 dias atrás

A espionagem industrial (China, EUA, CS, CN, Russia….) correndo solta.

Foxtrot
Foxtrot
13 dias atrás

Enquanto isso no Bananasil , sua “banana com asas” hiper secreta continua esperando seus testes finais, se é que ele realmente chegou a voar algum dia.
Quando o mundo moderno tiver desenvolvido todas as medidas defensivas contra mísseis o Brasil criará um grande arsenal deles rsrs.

Últimas Notícias

Paraquedistas russos começam exercícios em grande escala na Crimeia

SIMFEROPOL, 27 de setembro. /TASS/. Os exercícios em grande escala de um assalto aéreo com um regimento de artilharia...
- Advertisement -
- Advertisement -