quarta-feira, agosto 17, 2022

Saab RBS 70NG

Veículos do Exército Britânico receberão ‘arma laser mortal’

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Ministério da Defesa do Reino Unido concedeu três contratos no valor de £ 72,5 milhões a parceiros da indústria britânica para desenvolver e produzir demonstradores como parte de seu programa de novas armas.

Conhecidas coletivamente como Armas de Energia Dirigida (DEW), essas tecnologias de próxima geração podem revolucionar o campo de batalha e ajudar a reduzir o risco de danos colaterais.

“Alimentados por eletricidade, elas operam sem munição. Isso reduz os custos operacionais enquanto aumenta a persistência da plataforma e fornece flexibilidade ofensiva e defensiva sem precedentes para os soldados na linha de frente. Os três contratos entregarão dois demonstradores DEW a laser e um demonstrador DEW de radiofrequência.

Dois dos demonstradores serão entregues ao Exército. A plataforma escolhida para a DEW a laser que irá detectar e combater veículos aéreos não tripulados (UAV), bem como alvos terrestres, será o Wolfhound do Exército, uma variante de seis rodas do aclamado Mastiff. ”

Um comunicado à imprensa afirma:

“O demonstrador de radiofrequência também será hospedado em um caminhão MAN SV e permitirá a detecção e rastreamento de uma variedade de alvos aéreos e terrestres antes de destruí-los ou danificá-los usando energia eletromagnética. Esses recursos inovadores passarão por experiências de usuário de 2023 a 2025. Isso se concentrará na operação e manutenção e fornecerá conhecimento, informações e experiência inestimáveis ​​para avaliar se a DEW pode ser totalmente incorporada em outros ativos de defesa no futuro.”

Esses sistemas de armas, que estão sendo desenvolvidos por um consórcio liderado pela Thales UK, “reforça ainda mais o nosso compromisso e o Ministério da Defesa de desenvolver novas tecnologias”, afirma o Ministério da Defesa.

“Isso marca um passo significativo em direção ao uso de DEWs para aumentar a capacidade dos futuros soldados e garantir que eles continuem a ter o melhor equipamento disponível.”

O Ministério da Defesa anunciou também que a Thales desenvolverá e adaptará uma arma de energia dirigida a uma fragata Tipo 23 para testar o sistema no mar.

FONTE: UK Defence Journal

- Advertisement -

16 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
11 meses atrás

Parece que o ocidente copiou a forma dos chineses de citar suas armas, “laser mortal”. Cadê Bosco, reclama desta aí.

Teropode
Reply to  Inimigo do Estado
10 meses atrás

Vc preferiria ” laser fazedor de cócegas” ?

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Teropode
10 meses atrás

Eu preferiria Vader’s Revenge…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Inimigo do Estado
10 meses atrás

Isto que eu ia falar ahahaha

Boa..

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
11 meses atrás

Muito interessante. Estou curioso para ver a solução com relação a energia elétrica e seu sistema acumulativo para disparo do Laser juntamente com a cadência de disparos esperada.

luiz jorge
luiz jorge
Reply to  Henrique de Freitas
11 meses atrás

Vai ter que esperar algumas horas para recarregar as baterias. è arma de um tiro só ou mata ou morre.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  luiz jorge
11 meses atrás

De onde vocÊ tirou essa informação ?

Sensato
Sensato
Reply to  Diego Tarses Cardoso
10 meses atrás

Whatsapp…

DanielJr
DanielJr
11 meses atrás

Se o sistema for rápido o suficiente, é uma boa resposta para os “drones mata tanques”, um novo gepard, não sei se ele pode disparar em movimento.

O colega abaixo comentou sobre o tempo de recarregar as baterias, um problema. De cabeça eu penso que se o sistema operar de forma estacionária, podem ligar várias baterias em paralelo e utilizar uma por vez, como cartuchos em um carregador. Algum tipo de gerador elétrico recarregaria o sistema para nova rodada.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  DanielJr
10 meses atrás

Pode ser… O poder maior vai ser dos vasos marítimos, com tamanho suficiente para a estrutura de geração e recarga de energia. Ter carga a postos é essencial, senão vai ser… Atira e corre…

João Dotto
João Dotto
Reply to  DanielJr
10 meses atrás

Sera que não teria como utilizar um reator de energia como dos subs nucleares?

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  DanielJr
10 meses atrás

Ainda não é a resposta. Um enxame de dones mata tanques custa um punhado de dólares.
Para os tais drones, o que se provou mais efetivo até o momento são contra medidas eletrônicas e sistemas como o Pantsir russo para backup.

Teropode
10 meses atrás

Uma outra aplicação interessante será contra humanos , neste caso poderão controlar a letalidade , será de grande valor contra manifestações , área de fronteira e em caso d conflito podem me dar de letalidade , imaginem ondas de insetos sendo fritadas por estes lasers , custo baixo , pouco efeito colateral e um fator psicólogo importante , vc pode optar por disparos que deixem muitos feridos , ocupando assim parte da tropa no resgate , eu priorizaria o uso contra pessoal , o que está aí já é o suficiente ….

Hcosta
Hcosta
Reply to  Teropode
10 meses atrás

já existem outros mais eficazes, os com micro-ondas.

Teixeira
Teixeira
10 meses atrás

o Brasil podia integrar esse consorcio pra equipar os Guaranis

Tallguiese
Tallguiese
10 meses atrás

Arma dos power ragers? “Disparar arma laser mortal” haaaaaaaa

Últimas Notícias

O Sistema de Defesa Aérea Israelense ‘Iron Dome’

Por Rodolfo Queiroz Laterza* DESENVOLVIMENTO E CONTEXTO OPERACIONAL Iron Dome é um sistema de mísseis de defesa aérea desenvolvido por duas...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -